Próprio do Tempo

Primeiro Domingo do Advento Missa Ad Te Levavi

Intróito Sl. 24, 1–3

Ad te levávi ánimam meam: Deus meus, in te confíde, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur. Ps. ibid., 4 Vias tuas, Dómine, demónstra mihi: et sémitas tuas édoce me. V. Glória Patri &c.
A Vós elevo a minha alma. Ó meu Deus, confio em Vós: não permitireis que fique confundido; nem que meus inimigos zombem de mim: porquanto aqueles que em Vós esperam não serão confundidos. Sl. ibid., 4 Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos: e ensinai-me a conhecer as vossas veredas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Excita, quǽsumus, Dómine, poténtiam tuam, et veni: ut ab imminéntibus peccatórum nostrórum perículis, te mereámur protegénte éripi, te liberánte salvári: Qui vivis et regnas cum Deo Patre in unitáte Spíritus Sancti Deus: per ómnia sǽcula sæculórum. R. Amen.
Senhor Vos suplicamos, manifestai o vosso poder, e «vinde já ao mundo», a fim de que com vossa protecção mereçamos ser preservados dos iminentes perigos em que incorremos por causa dos nossos pecados, e sejamos livres e salvos: Vós, que viveis e reinais com Deus Pai em unidade do Espírito Santo, Deus, em todos os séculos dos séculos. R. Amen.

Epístola Rm. 13, 11–14

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Romános.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Romanos.
Fatres: Scientes, quia hora est jam nos de somno súrgere. Nunc enim própior est nostra salus, quam cum credídimus. Nox præcéssit, dies autem appropinquávit. Abjiciámus ergo ópera tenebrárum, et induámur arma lucis. Sicut in die honéste ambulémus: non in comessatiónibus et ebrietátibus, non in cubílibus et impudicítiis, non in contentióne et æmulatióne: sed induímini Dóminum Jesum Christum.
Meus irmãos: Sabeis que soou a hora em que devemos despertar do sono. Agora, a nossa salvação está mais próxima do que quando recebemos o dom da fé. A noite passou e o dia vem chegando. Despojemo-nos, pois, das obras das trevas, e revistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente, como de dia: nem em excessos de comidas e bebidas nem em luxúrias e impurezas, nem em contendas e invejas; mas revistamo-nos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Gradual Sl. 24, 3–4

Univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur, Dómine. Vias tuas, Dómine, notas fac mihi: et sémitas tuas édoce me.
Senhor, aqueles que em Vós não esperam serão confundidos. Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos: e ensinai-me a conhecer as vossas veredas.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 84, 8 Osténde nobis, Dómine, misericórdiam tuam: et salutáre tuum da nobis. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 84, 8 Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia: e dai-nos a salvação. Aleluia.

Evangelho Lc. 21, 25–33

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis: Erunt signa in sole et luna et stellis, et in terris pressúra géntium præ confusióne sónitus maris et flúctuum: arescéntibus homínibus præ timóre et exspectatióne, quæ supervénient univérso orbi: nam virtútes coelórum movebúntur. Et tunc vidébunt Fílium hóminis veniéntem in nube cum potestáte magna et maiestáte. His autem fíeri incipiéntibus, respícite et leváte cápita vestra: quóniam appropínquat redémptio vestra. Et dixit illis similitúdinem: Vidéte ficúlneam et omnes árbores: cum prodúcunt iam ex se fructum, scitis, quóniam prope est æstas. Ita et vos, cum vidéritis hæc fíeri, scitóte, quóniam prope est regnum Dei. Amen, dico vobis, quia non præteríbit generátio hæc, donec ómnia fiant. Coelum et terra transíbunt: verba autem mea non transíbunt.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: «Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e haverá angústia nos povos da terra por causa do bramido do mar e das ondas, mirrando-se os homens de susto, na expectativa daquelas coisas que irão acontecer em todo o mundo; pois os poderes do céu estremecerão. Então aparecerá o Filho do homem, que virá em uma nuvem, revestido de grande poder e majestade. Quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para o alto e erguei as vossas cabeças, porque se avizinha a vossa redenção». Depois deu-lhes esta comparação: «Vede a figueira e as demais árvores. Quando elas começam a frutificar, por aí conheceis que está próximo o estio. Do mesmo modo, quando estas coisas acontecerem, sabereis que está próximo o reino de Deus. Em verdade vos digo: não acabará esta geração sem que isto aconteça. O céu e a terra passarão; mas as minhas palavras permanecerão para sempre».

Ofertório Sl. 24, 1–3

Ad te levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur.
A Vós elevo a minha alma. Ó meu Deus, confio em Vós: não permitireis que fique confundido; nem que meus inimigos zombem de mim: porquanto aqueles que em Vós esperam não serão confundidos.

Secreta

Hæc sacra nos, Dómine, poténti virtúte mundátos ad suum fáciant purióres veníre princípium. Per Dominum nostrum &c.
Permiti, Senhor, que estes mystérios, depois de nos haverem purificado com vossa poderosa virtude, nos façam chegar mais puros ainda junto daquele que é o seu princípio. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 84, 13

Dóminus dabit benignitátem: et terra nostra dabit fructum suum.
O Senhor mostrará a sua bondade: e a nossa terra dará «o seu fruto».

Postcomúnio

Suscipiámus, Dómine, misericórdiam tuam in médio templi tui: ut reparatiónis nostræ ventúra sollémnia cóngruis honóribus præcedámus. Per Dominum nostrum &c.
Senhor, permiti que alcancemos a vossa misericórdia no meio do vosso templo, para que celebremos com a conveniente preparação a próxima solenidade da nossa reparação. Por nosso Senhor &c.

Segundo Domingo do Advento Missa Populus Sion

Intróito Is. 30, 30

Pópulus Sion, ecce, Dóminus véniet ad salvándas gentes: et audítam fáciet Dóminus glóriam vocis suæ in lætítia cordis vestri. Ps. 79, 2 Qui regis Israël, inténde: qui dedúcis, velut ovem, Joseph. Glória Patri &c.
Povo de Sião, eis que o Senhor vem para salvar os povos: o Senhor fará ouvir a sua gloriosa voz, e o vosso coração encher-se-á de alegria. Sl. 79, 2 Ouvi, ó vós, que governais Israel; ó vós, que conduzis José, como um pastor conduz uma ovelha. Glória ao Pai &c.

Oração

Excita, Dómine, corda nostra ad præparándas Unigéniti tui vias: ut, per ejus advéntum, purificátis tibi méntibus servíre mereámur: Qui tecum &c.
Excitai, Senhor, os nossos corações para que preparem os caminhos do vosso Filho Unigénito, de modo que no seu advento mereçamos servi-l’O com as almas purificadas. Ele, que, sendo Deus &c.

Epístola Rm. 15, 4—13

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Romános.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Romanos.
Fatres: Quæcúmque scripta sunt, ad nostram doctrínam scripta sunt: ut per patiéntiam et consolatiónem Scripturárum spem habeámus. Deus autem patiéntiæ et solácii det vobis idípsum sápere in altérutrum secúndum Jesum Christum: ut unánimes, uno ore honorificétis Deum et Patrem Dómini nostri Jesu Christi. Propter quod suscípite ínvicem, sicut et Christus suscépit vos in honórem Dei. Dico enim Christum Jesum minístrum fuísse circumcisiónis propter veritátem Dei, ad confirmándas promissiónes patrum: gentes autem super misericórdia honoráre Deum, sicut scriptum est: Proptérea confitébor tibi in géntibus, Dómine, et nómini tuo cantábo. Et íterum dicit: Lætámini, gentes, cum plebe ejus. Et iterum: Laudáte, omnes gentes, Dóminum: et magnificáte eum, omnes pópuli. Et rursus Isaías ait: Erit radix Jesse, et qui exsúrget régere gentes, in eum gentes sperábunt. Deus autem spei répleat vos omni gáudio et pace in credéndo: ut abundétis in spe et virtúte Spíritus Sancti.
Meus irmãos: Tudo aquilo que está escrito foi escrito para nossa instrução, para que pela paciência e consolação possuamos a esperança que as Escrituras nos incutem. Conceda-vos Deus, que é cheio de paciência e de consolação, a graça de manifestardes uns para com os outros estes mesmos sentimentos, segundo Jesus Cristo, a fim de que unanimemente e com uma só voz honreis Deus, Pai de N. S. Jesus Cristo. Assim, portanto, recebei-vos uns aos outros, como Cristo vos recebeu para a glória de Deus, Pois digo-vos que Jesus Cristo fez-se ministro da circuncisão, no interesse da verdade de Deus, para que se confirmassem as promessas feitas aos nossos antepassados. Por outro lado, os gentios devem dar glória a Deus, pela misericórdia que manifestou, conforme o que está escrito: «Senhor, é por isso que Vos louvarei entre os gentios e cantarei hinos em honra do vosso nome». Está ainda escrito: «Alegrai-vos com seu povo, ó gentios». E mais: «Louvai todos o Senhor, ó povos da terra; que todos os povos O glorifiquem». Também Isaías escreveu: «Sairá a raiz de Jessé, e elevar-se-á para reinar sobre os gentios, e estes têm nela toda a esperança». Que Deus, que é cheio de esperança, vos cumule de alegria e de paz na vossa fé, a fim de que a esperança abunde em vós, pela virtude do Espírito Santo.

Gradual Sl. 49, 2-3 & 5

Ex Sion species decóris ejus: Deus maniféste véniet. Congregáta illi sanctos ejus, qui ordinavérunt testaméntum ejus super sacrifícia.
De Sião raiará a majestade no seu esplendor; pois Deus virá visivelmente. Reuniu em torno d’Ele os seus santos, que firmaram com Ele uma aliança pelo sacrifício.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 121, 1 Lætátus sum in his, quæ dicta sunt mihi: in domum Dómini íbimus. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 121, 1 Rejubilo com aqueles que me disseram: «Iremos à casa do Senhor». Aleluia.

Evangelho Mt, 11, 2–10

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthæum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo tempore: Cum audísset Joánnes in vínculis ópera Christi, mittens duos de discípulis suis, ait illi: Tu es, qui ventúrus es, an alium exspectámus? Et respóndens Jesus, ait illis: Eúntes renuntiáte Joánni, quæ audístis et vidístis. Cæci vident, claudi ámbulant, leprósi mundántur, surdi áudiunt, mórtui resúrgunt, páuperes evangelizántur: et beátus est, qui non fúerit scandalizátus in me. Illis autem abeúntibus, cœpit Jesus dícere ad turbas de Joánne: Quid exístis in desértum vidére? arúndinem vento agitátam? Sed quid exístis videre? hóminem móllibus vestitum? Ecce, qui móllibus vestiúntur, in dómibus regum sunt. Sed quid exístis vidére? Prophétam? Etiam dico vobis, et plus quam Prophétam. Hic est enim, de quo scriptum est: Ecce, ego mitto Angelum meum ante fáciem tuam, qui præparábit viam tuam ante te.
Naquele tempo, tendo João ouvido encarecer, na cadeia onde estava preso, as obras de Cristo, enviou dois dos seus discípulos a perguntar-Lhe: «Sois Vós O que há-de vir, ou devemos esperar outro?» Jesus respondeu: «Ide contar a João o que ouvis e vedes: os cegos vêem e os coxos andam; os leprosos são curados e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados e os pobres são evangelizados. Bem-aventurado aquele que se não escandalizar por causa de mim». Então, partiram os discípulos, e logo Jesus começou a falar à multidão a respeito de João, dizendo: «Quem é aquele que fostes ver ao deserto? Uma vara agitada pelo vento? Mas quem é que fostes ver? Um homem vestido com hábitos preciosos? Vede: aqueles que vestem com luxo vivem nos palácios dos reis. Quem é, então, aquele que fostes ver? Algum Profeta? Digo-vos, também, que é mais do que Profeta, pois foi a seu respeito que se escreveram estas palavras: «Eis que envio o meu Anjo perante a vossa face, para preparar o caminho diante de Vós».

Ofertório Sl. 84, 7–8

Deus, tu convérsus vivificábis nos, et plebs tua lætábitur in te: osténde nobis, Dómine, misericórdiam tuam, et salutáre tuum da nobis.
Volvei a vossa face para nós, ó Deus, e receberemos a vida; então o vosso povo alegrar-se-á convosco. Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia, e dai-nos a vossa salvação.

Secreta

Placáre, quǽsumus, Dómine, humilitátis nostræ précibus et hóstiis: et, ubi nulla suppétunt suffrágia meritórum, tuis nobis succúrre præsídiis. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, deixai-Vos aplacar com as orações da nossa humildade, juntamente com estas oblatas; e, já que os nossos sufrágios são desprovidos de quaisquer méritos, assisti-nos ao menos com vosso auxílio. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Br. 5, 5 & 4, 36

Jerúsalem, surge et sta in excélso, ei vide iucunditátem, quæ véniet tibi a Deo tuo.
Surge, ó Jerusalém, e ergue-te no alto da montanha. Considera a alegria que te advirá do teu Deus.

Postcomúnio

Repléti cibo spirituális alimóniæ, súpplices te, Dómine, deprecámur: ut, hujus participatióne mystérii, dóceas nos terréna despícere et amáre cœléstia. Per Dóminum nostrum &c.
Saciados já com este alimento espiritual, concedei-nos, Senhor, Vos imploramos, que pela participação deste mystério aprendamos a desprezar os bens desta vida e a amar os do céu. Por nosso Senhor &c.

Terceiro Domingo do Advento Missa Gaudete

Intróito Fl. 4, 4–6

Gaudéte in Dómino semper: íterum dico, gaudéte. Modéstia vestra nota sit ómnibus homínibus: Dóminus enim prope est. Nihil sollíciti sitis: sed in omni oratióne petitiónes vestræ innotéscant apud Deum. Ps. 84, 2 Benedixísti, Dómine, terram tuam: avertísti captivitátem Jacob. V. Gloria Patri &c.
Regozijai-vos incessantemente no Senhor. Eu vo-lo repito: regozijai-vos. Que todos os homens vejam a vossa modéstia, Pois o Senhor está perto. Não vos inquieteis com coisa alguma; mas mostrai a Deus nas vossas orações e súplicas todas vossas necessidades. Sl. 84, 2 Abençoastes, Senhor, a vossa terra: e livrastes Jacob do cativeiro. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Aurem tuam, quǽsumus, Dómine, précibus nostris accómmoda: et mentis nostræ ténebras, grátia tuæ visitatiónis illústra: Qui vivis &c.
Ouvi, Senhor, Vos suplicamos, as nossas orações; e, pela graça da vossa visita, esclarecei as trevas da nossa alma: Vós, que, sendo Deus, viveis e &c.

Epístola Fl. 4, 4–7

Lectio Epístolæ beati Pauli Apóstoli ad Philippénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Filipenses.
Fratres: Gaudéte in Dómino semper: íterum dico, gaudéte. Modéstia vestra nota sit ómnibus homínibus: Dóminus prope est. Nihil sollíciti sitis: sed in omni oratióne et obsecratióne, cum gratiárum actióne, petitiónes vestræ innotéscant apud Deum. Et pax Dei, quæ exsúperat omnem sensum, custódiat corda vestra et intellegéntias vestras, in Christo Jesu, Dómino nostro.
Meus irmãos: Regozijai-vos incessantemente no Senhor. Eu vo-lo repito: regozijai-vos. Que todos os homens vejam a vossa modéstia. Não vos inquieteis com coisa alguma; mas mostrai a Deus pelas vossas orações e súplicas todas vossas necessidades. A paz de Deus, que ultrapassa toda nossa inteligência, guardará os vossos corações e inteligências em Jesus Cristo, nosso Senhor.

Gradual Sl. 79, 2, 3 & 2

Qui sedes, Dómine, super Chérubim, éxcita poténtiam tuam, et veni. V. Qui regis Israël, inténde: qui dedúcis, velut ovem, Joseph.
Senhor, que estais assentado acima dos Querubins, mostrai o vosso poder, e vinde. V. Ouvi, ó vós, que governais Israel; ó vós, que conduzis José, como um pastor conduz um rebanho.
Allelúja, allelúja. V. Excita, Dómine, potentiam tuam, et veni, ut salvos fácias nos. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Mostrai, Senhor, o vosso poder, e vinde, para que sejamos salvos. Aleluia.

Evangelho Jo. 1, 19–28

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo tempore: Misérunt Judǽi ab Jerosólymis sacerdótes et levítas ad Joánnem, ut interrogárent eum: Tu quis es? Et conféssus est, et non negávit: et conféssus est: Quia non sum ego Christus. Et interrogavérunt eum: Quid ergo? Elías es tu? Et dixit: Non sum. Prophéta es tu? Et respondit: Non. Dixérunt ergo ei: Quis es, ut respónsum demus his, qui misérunt nos? Quid dicis de te ipso? Ait: Ego vox clamántis in desérto: Dirígite viam Dómini, sicut dixit Isaías Prophéta. Et qui missi fúerant, erant ex pharisǽis. Et interrogavérunt eum, et dixérunt ei: Quid ergo baptízas, si tu non es Christus, neque Elías, neque Prophéta? Respóndit eis Joánnes, dicens: Ego baptízo in aqua: médius autem vestrum stetit, quem vos nescítis. Ipse est, qui post me ventúrus est, qui ante me factus est: cujus ego non sum dignus ut solvam ejus corrígiam calceaménti. Hæc in Bethánia facta sunt trans Jordánem, ubi erat Joánnes baptízans.
Naquele tempo, os judeus enviaram de Jerusalém alguns sacerdotes e levitas a João, perguntando-lhe: «Quem és tu?». Ele confessou e não negou. Ele confessou: «Eu não sou Cristo». E de novo o interrogaram: «Então quem és? És Elias?» João respondeu: «Não sou». «És algum Profeta?». Ele respondeu: «Não sou». «Diz, pois, quem és, a fim de que respondamos àqueles que nos enviaram. Que dizes de ti?» E João respondeu: «Eu sou a voz daquele que clama no deserto: «Endireitai o caminho de Senhor», como disse o Profeta Isaías». Ora, como alguns daqueles que lhe haviam sido enviados eram fariseus, interrogaram-no e disseram-lhe: «Então, se não és nem Cristo, nem Elias, nem algum Profeta, porque baptizas?» João respondeu-lhes: a «Eu baptizo na água; porém, entre vós está Alguém, a quem não conheceis, que é Aquele que havia de vir depois de mim, mas que já existia antes de mim, e a quem não sou digno de desatar as correias das sandálias». Isto aconteceu em Betânia, além-Jordão, onde João baptizava.

Ofertório Sl. 84, 2

Benedixísti, Dómine, terram tuam: avertísti captivitátem Jacob: remisísti iniquitatem plebis tuæ.
Abençoastes Senhor, a vossa terra; e livrastes Jacob do cativeiro: perdoastes a iniquidade do vosso povo.

Secreta

Devotiónis nostræ tibi, quǽsumus, Dómine, hóstia iúgiter immolétur: quæ et sacri péragat institúta mystérii, et salutáre tuum in nobis mirabíliter operétur. Per Dominum nostrum &c.
Senhor, Vos suplicamos, fazei que a nossa piedade Vos ofereça continuamente o sacrifício desta hóstia, para que ela nos alcance aquelas graças para que instituístes estes sagrados mystérios, produzindo em nós de uma maneira admirável a salvação que esperamos da vossa bondade. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Is. 35, 4

Dícite: pusillánimes, confortámini et nolíte timére: ecce, Deus noster véniet et salvábit nos.
Dizei:«Pusilânimes, confortai-vos e nada receeis: Eis que vem o nosso Deus e nos salvará».

Postcomúnio

Implorámus, Dómine, cleméntiam tuam: ut hæc divína subsídia, a vítiis expiátos, ad festa ventúra nos præparent. Per Dominum nostrum &c.
Imploramos, Senhor, a vossa clemência, a fim de que estes divinos mystérios, purificando-nos dos nossos vícios, nos Preparem para a solenidade que se aproxima. Por nosso Senhor &c.

Quarto Domingo do Advento Missa Rorate Cœli

Intróito Is. 45, 8

Rorate, cœli, cœli, désuper, et nubes pluant justum: aperiátur terra, et gérminet Salvatórem. Ps. 18, 2 Cœli enárrant glóriam Dei: et ópera mánuum ejus annúntiat firmaméntum. V. Gloria Patri &c.
Ó céus, derramai dessas alturas o vosso orvalho: e que as nuvens chovam o Justo! Abra-se a terra e floresça o Salvador! Sl. 18, 2 Os céus proclamam a glória de Deus: e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Excita, quǽsumus, Dómine, poténtiam tuam, et veni: et magna nobis virtúte succúrre; ut per auxílium grátiæ tuæ, quod nostra peccáta præpédiunt, indulgéntiæ tuæ propitiatiónis accéleret: Qui vivis et regnas &c.
Manifestai, Senhor, o vosso poder e «vinde»; e socorrei-nos com vosso infinito poder, a fim de que, com o auxílio da vossa graça, a vossa misericordiosa indulgência se digne apressar a chegada do remédio de que os nossos pecados necessitam. Vós, que, sendo Deus, viveis &c.

Epístola 1 Cor. 4, 1–5

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Corinthios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Coríntios.
Fratres: Sic nos exístimet homo ut minístros Christi, et dispensatóres mysteriórum Dei. Hic jam quǽritur inter dispensatóres, ut fidélis quis inveniátur. Mihi autem pro mínimo est, ut a vobis júdicer aut ab humano die: sed neque meípsum judico. Nihil enim mihi cónscius sum: sed non in hoc justificátus sum: qui autem júdicat me, Dóminus est. Itaque nolíte ante tempus judicáre, quoadúsque véniat Dóminus: qui et illuminábit abscóndita tenebrárum, et manifestábit consília córdium: et tunc laus erit unicuique a Deo.
Meus irmãos: Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e distribuidores dos méritos de Deus. Ora, as qualidades que se deseja que os ministros tenham é que sejam fiéis. Quanto a mim, bem pouco me importa ser julgado por vós ou por um tribunal humano: e nem eu a mim mesmo me julgo. Na verdade, a minha consciência me não repreende de coisa alguma; contudo, nem por isso me julgo justificado, pois o meu juiz é o Senhor. Eis por que não deveis julgar antes do tempo, antes que venha o Senhor, que iluminará o que está nas trevas e manifestará os mais secretos desígnios do coração. Então cada um receberá de Deus a recompensa meritória.

Gradual Sl. 144, 18 & 21

Prope est Dóminus ómnibus invocántibus eum: ómnibus, qui ínvocant eum in veritáte. V. Laudem Dómini loquétur os meum: et benedícat omnis caro nomen sanctum ejus.
O Senhor está próximo de todos aqueles que O invocam; de todos aqueles que O invocam com verdade. V. Que minha boca publique os louvores do Senhor: e que toda minha pessoa bendiga seu santo Nome.
Allelúja, allelúja. V. Veni, Dómine, et noli tardáre: reláxa facínora plebis tuæ Israël. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Vinde, Senhor, e não retardeis mais: perdoai os crimes de Israel, vosso povo. Aleluia.

Evangelho Lc. 3, 1–6

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
Anno quintodécimo impérii Tibérii Cǽsaris, procuránte Póntio Piláto Judǽam, tetrárcha autem Galilǽæ Heróde, Philíppo autem fratre ejus tetrárcha Iturǽæ et Trachonítidis regionis, et Lysánia Abilínæ tetrárcha, sub princípibus sacerdotum Anna et Cáipha: factum est verbum Domini super Joannem, Zacharíæ filium, in deserto. Et venit in omnem regiónem Jordánis, prǽdicans baptísmum pæniténtiæ in remissiónem peccatórum, sicut scriptum est in libro sermónum Isaíæ Prophétæ: Vox clamántis in desérto: Paráte viam Dómini: rectas fácite sémitas ejus: omnis vallis implébitur: et omnis moris et collis humiliábitur: et erunt prava in dirécta, et áspera in vias planas: et vidébit omnis caro salutáre Dei.
No ano décimo quinto do império de Tibério César sendo Pôncio Pilatos governador da Judeia, Herodes tetrarca da Galileia, Filipe, seu irmão, tetrarca da Itureia e da região de Traconites, e Lisânias tetrarca da Abilínia, e sendo pontífices Anás e Caifás: fez-se ouvir a palavra do Senhor, que foi dirigida no deserto a João, filho de Zacarias, o qual percorreu toda a região vizinha do Jordão, pregando o baptismo de penitência para a remissão dos pecados, segundo o que está escrito no livro das profecias do Profeta Isaías: «A voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai as suas veredas: toda a planície será elevada e todas as montanhas e colinas serão arrasadas: os caminhos tortuosos serão endireitados e os ásperos aplanados; e toda a carne humana verá a salvação de Deus».

Ofertório Lc. 1, 28

Ave María, gratia plena; Dóminus tecum: benedícta tu in muliéribus, et benedíctus fructus ventris tui.
Ave, Maria, cheia de graça: o Senhor é convosco: bendita sois vós entre as mulheres: e bendito é o fruto do vosso ventre.

Secreta

Sacrificiis præséntibus, quǽsumus, Dómine, placátus inténde: ut et devotióni nostræ profíciant et salúti. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, olhai propício para estes sacrifícios que Vos apresentamos, a fim de que sirvam para aumento da nossa devoção e para conseguirmos a salvação. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Is. 7, 14

Ecce Virgo concípiet et páriet fílium: et vocábitur nomen ejus Emmánuel.
Eis que uma Virgem conceberá e dará à luz um filho, que será chamado Emanuel.

Postcomúnio

Sumptis munéribus, quǽsumus, Dómine: ut, cum frequentatióne mystérii, crescat nostræ salútis efféctus. Per Dóminum &c.
Havendo nós recebido os vossos dons sacratíssimos, Senhor, Vos suplicamos, dignai-Vos aumentar em nós, pela frequente recepção deste mystério, o efeito da nossa salvação. Por nosso Senhor &c.

Quarta-feira das Têmporas do Inverno Estação em Santa Maria Maior

Intróito Is. 45, 8

Roráte, cœli, désuper, et nubes pluant justum: aperiátur terra, et gérminet Salvatórem. Ps. 18, 2 Cœli enárrant glóriam Dei: et ópera mánuum ejus annúntiat firmaméntum. V. Gloria Patri &c.
Ó céus, derramai dessas alturas o vosso orvalho: e que as nuvens chovam o Justo! Abra-se a terra e floresça o Salvador! Ps. 18, 2 Os céus proclamam a glória de Deus: e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. V. Glória ao Pai &c.
Depois do Kyrie eleison o Padre diz:
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut redemptiónis nostræ ventúra sollémnitas et præséntis nobis vitæ subsídia cónferat, et ætérnæ beatitúdinis prǽmia largiátur. Per Dóminum &c.
Fazei, ó Deus omnipotente, Vos imploramos, que as próximas solenidades da nossa redenção nos alcancem os auxílios para a vida presente e a recompensa da bem-aventurança eterna. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 2, 2–5

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
In diébus illis: Dixit Isaias Prophéta: Erit in novíssimis diébus præparátus mons domus Dómini in vértice móntium, et elevábitur super colles, et fluent ad eum omnes gentes. Et ibunt pópuli multi, et dicent: Veníte et ascendámus ad montem Dómini, et ad domum Dei Jacob, et docébit nos vias suas, et ambulábimus in sémitis ejus: quia de Sion exíbit lex, et verbum Dómini de Jerúsalem. Et judicábit gentes, et árguet pópulos multos: et conflábunt gládios suos in vómeres, et lánceas suas in falces. Non levábit gens contra gentem gládium: nec exercebúntur ultra ad prǽlium. Domus Jacob, veníte, et ambulémus in lúmine Dómini, Dei nostri.
Naqueles dias (diz o Profeta Isaías) acontecerá nos últimos tempos que a montanha da casa do Senhor será elevada sobre o pico das montanhas e acima de todas as colinas. E aí virão todos os povos. E muitos virão e dirão: vinde, subamos ao monte do Senhor, à casa de Deus de Jacob, para que nos ensine os seus caminhos e caminhemos pelas suas vias; pois de Sião sairá a lei, e a palavra de Deus sairá de Jerusalém. Ele será o árbitro das nações e arguirá muitos povos, que converterão as suas espadas em charruas, e em foices as suas lanças. Não se levantará nunca mais povo contra povo, nem se exercitarão mais em combater um contra o outro. Casa de Jacob, vinde e caminhemos à luz do Senhor, nosso Deus!

Gradual Sl. 23, 7, 3 & 4

Tóllite portas, principes, vestras: et elevámini, portæ æternáles: et introíbit Rex glóriæ, V. Quis ascéndet in montem Dómini? aut quis stabit in loco sancto ejus? Innocens mánibus et mundo corde.
Ó portas, abri-vos inteiramente! Abri-vos, ó portas eternas! Então, entrará o Rei da glória! V. Quem será digno de subir à montanha do Senhor? Quem será digno de permanecer no santuário? Aquele que tiver as mãos inocentes e o coração puro.

Oração

Festína, quǽsumus, Dómine, ne tardáveris, et auxílium nobis supérnæ virtútis impénde: ut advéntus tui consolatiónibus sublevéntur, qui in tua pietáte confídunt: Qui vivis et regnas &c.
Apressai-Vos em nos socorrer, ó Senhor, Vos suplicamos; não tardeis em conceder-nos o auxílio do vosso celestial poder, a fim de que as consolações do vosso advento confortem aqueles que confiam na vossa bondade: Vós, que viveis e reinais &c.

Epístola Is. 7, 10–15

Lectio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
In diébus illis: Locútus est Dóminus ad Achaz, dicens: Pete tibi signum a Dómino, Deo tuo, in profúndum inférni, sive in excélsum supra. Et dixit Achaz: Non petam et non tentábo Dóminum. Et dixit: Audíte ergo, domus David: Numquid parum vobis est, moléstos esse homínibus, quia molesti estis et Deo meo? Propter hoc dabit Dóminus ipse vobis signum. Ecce, Virgo concípiet et páriet fílium, et vocábitur nomen ejus Emmánuel. Butýrum et mel cómedet, ut sciat reprobare malum et elígere bonum.
Naqueles dias, falou o Senhor a Acaz e disse-lhe: «Pedi ao Senhor, vosso Deus, um prodígio nas profundezas do inferno ou nas alturas do céu». Acaz respondeu: «Não pedirei tal coisa e não tentarei o Senhor». E Isaías disse: «Escutai, então, casa de David: Porventura vos não basta que fatigueis a paciência dos homens, senão que queirais fatigar a do meu Deus? Eis porque o Senhor vos dará um sinal: «Uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o seu nome será Emanuel: Ele comerá manteiga e mel, para que saiba condenar o mal e escolher o bem».

Gradual Sl. 144, 18 & 21

Prope est Dóminus ómnibus invocántibus eum: ómnibus qui ínvocant eum in veritáte. V. Laudem Dómini loquétur os meum: et benedícat omnis caro nomen sanctum ejus.
O Senhor está perto de todos aqueles que o invocam: de todos que com verdade o invocam. Que minha boca publique os louvores do Senhor: e que toda a carne bendiga seu santo Nome.

Evangelho Lc. 1, 26–38

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo tempore: Missus est Angelus Gábriel a Deo in civitatem Galilǽæ, cui nomen Názareth, ad Vírginem desponsátam viro, cui nomen erat Joseph, de domo David, et nomen Vírginis María. Et ingréssus Angelus ad eam, dixit: Ave, grátia plena; Dóminus tecum: benedícta tu in muliéribus. Quæ cum audísset, turbáta est in sermóne ejus: et cogitábat, qualis esset ista salutátio. Et ait Angelus ei: Ne tímeas, María, invenísti enim grátiam apud Deum: ecce, concípies in útero, et páries fílium, et vocábis nomen ejus Jesum. Hic erit magnus, et Fílius Altíssimi vocábitur, et dabit illi Dóminus Deus sedem David, patris ejus: et regnábit in domo Jacob in ætérnum, et regni ejus non erit finis. Dixit autem María ad Angelum: Quómodo fiet istud, quóniam virum non cognósco? Et respóndens Angelus, dixit ei: Spíritus Sanctus supervéniet in te, et virtus Altíssimi obumbrábit tibi. Ideóque et quod nascétur ex te Sanctum, vocábitur Fílius Dei. Et ecce, Elísabeth, cognáta tua, et ipsa concépit fílium in senectúte sua: et hic mensis sextus est illi, quæ vocátur stérilis: quia non erit impossíbile apud Deum omne verbum. Dixit autem María: Ecce ancílla Dómini, fiat mihi secúndum verbum tuum.
Naquele tempo, foi mandado por Deus o Anjo Gabriel a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma Virgem, desposada com um varão, cujo nome era José, da casa de David; e o nome da Virgem era Maria. Entrando o Anjo onde ela estava, disse: «Eu te saúdo, cheia de graça: o Senhor é contigo: bendita és tu entre todas as mulheres». Ouvindo ela isto, perturbou-se; e pensava na significação desta saudação. Então, disse-lhe o Anjo: «Não temas, Maria, porquanto alcançaste graça diante do Senhor: eis que conceberás no teu seio, e darás à luz um Filho e o seu nome será Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de David, seu pai; reinará eternamente na casa de Jacob; e o seu reino não terá fim». Porém, Maria disse ao Anjo: «Como acontecerá isso, se não conheço varão?». O Anjo, respondendo, disse-lhe: «O Espírito Santo descerá sobre ti e a virtude do Altíssimo te tocará com sua sombra. Por isso o Santo, que nascer de ti, será chamado Filho de Deus. E eis que Isabel, tua parenta, concebeu um filho na sua velhice: este é o sexto mês daquela que é chamada estéril: porque nada é impossível a Deus». Então disse Maria: «Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra».

Ofertório Is. 35, 4

Confortámini, et jam nolite timére: ecce enim, Deus noster retríbuet judícium: ipse véniet, et salvos nos fáciet.
Confortai-vos, e já não receeis: eis o nosso Deus, que vem a julgar cada um de nós: Ele próprio virá e nos salvará.

Secreta

Accépta tibi sint, quǽsumus, Dómine, nostra jejúnia: quæ et expiándo nos tua grátia dignos effíciant, et ad sempiter na promíssa perdúcant. Per Dóminum &c.
Sejam-nos propícios os nossos jejuns, Senhor, Vos suplicamos, para que, expiando por eles as nossas faltas, nos tornemos dignos da vossa graça, e sejamos conduzidos à felicidade eterna, que nos prometestes. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Is. 7, 14

Ecce, Virgo concípiet et páriet fílium: et vocábitur nomen ejus Emmánuel.
Eis que a Virgem conceberá e dará à luz um Filho, cujo nome será Emanuel.

Postcomúnio

Salutáris tui, Dómine, munere satiáti, súpplices deprecámur: ut, cujus lætámur gustu, renovémur efféctu. Per Dóminum &c.
Saciados com vossos salutares dons, Senhor, Vos suplicamos que, assim como nos alegramos com sua recepção, assim sejamos restabelecidos com seus efeitos. Por nosso Senhor &c.

Sexta-feira das Têmporas do Inverno Estação nos Doze Apóstolos

Intróito Sl. 118, 151–152

Prope es tu, Dómine, et omnes viæ tuæ véritas: inítio cognóvi de testimóniis tuis, quia in ætérnum tu es. Ps. ibid., 1 Beati immaculáti in via: qui ámbulant in lege Dómini. V. Gloria Patri &c.
Senhor, estais próximo: e todos vossos ensinos são verdadeiros. Desde o princípio que conheço os vossos ensinos, porque os ensinastes desde sempre. Sl. ibid., 1 Bem-aventurados os que procedem sem mácula em seus caminhos: e os que caminham na lei do Senhor. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Excita, quǽsumus, Dómine, poténtiam tuam, et veni: ut hi, qui in tua pietáte confídunt, ab omni cítius adversitáte liberéntur: Qui vivis &c.
Mostrai o vosso poder, Senhor, Vos suplicamos, e vinde, a fim de que aqueles que confiam na vossa bondade sejam bem depressa livres de toda a adversidade: Vós, que viveis e &c.

Epístola Is. 11, 1–5

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus Deus: Egrediátur virga de radíce Jesse, et flos de radíce ejus ascéndet. Et requiéscet super eum spíritus Dómini: spíritus sapiéntiæ et intelléctus, spíritus consílii et fortitúdinis, spíritus sciéntiæ et pietátis; et replébit eum spíritus timóris Dómini. Non secundum visiónem oculórum judicábit: neque secúndum audítum áurium árguet: sed judicábit in justítia páuperes, et árguet in æquitáte pro mansuétis terræ: et percútiet terram virga oris sui, et spíritu labiórum suórum interfíciet ímpium. Et erit justítia cíngulum lumbórum ejus: et fides cinctórium renum ejus.
Isto diz o Senhor Deus: Sairá uma vara do tronco de Jessé e uma flor brotará da sua raiz. E o espírito do Senhor repousará sobre ele: espírito de sabedoria e de inteligência; espírito de conselho e de fortaleza; espírito de ciência e de piedade; e enchê-lo-á o espírito do temor do Senhor. Não julgará segundo o que os olhos vêem, nem segundo o que os ouvidos ouvem; mas julgará com justiça os pobres e se pronunciará com rectidão para com os humildes da terra. Com a vara da sua boca baterá na terra: e matará o ímpio com um sopro dos seus lábios. A justiça será o cinto de suas entranhas e a fé o cinturão dos seus rins.

Gradual Sl. 84, 8 & 2

Osténde nobis, Dómine, misericórdiam tuam: et salutáre tuum da nobis. V. Benedixísti, Dómine, terram tuam: avertísti captivitátem Jacob.
Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia; e dai-nos a vossa salvação. Abençoastes, Senhor, a vossa terra; afastastes o cativeiro de Jacob.

Evangelho Lc. 1, 39–47

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo tempore: Exsúrgens María ábiit in montána cum festinatióne in civitátem Juda: et intrávit in domum Zacharíæ, et salutávit Elísabeth. Et factum est, ut audivit salutatiónem Maríæ Elísabeth, exsultávit infans in útero ejus: et repléta est Spíritu Sancto Elísabeth, et exclamávit voce magna, et dixit: Benedícta tu inter mulíeres, et benedíctus fructus ventris tui. Et unde hoc mihi, ut véniat Mater Dómini mei ad me? Ecce enim, ut facta est vox salutatiónis tuæ in áuribus meis, exsultávit in gáudio infans in útero meo. Et beáta, quæ credidísti, quóniam perficiéntur ea, quæ dicta sunt tibi a Dómino. Et ait María: Magníficat anima mea Dóminum: et exsultávit spíritus meus in Deo, salutári meo.
Naquele tempo, levantando-se Maria, foi apressadamente às montanhas de uma cidade de Judá, onde entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. E aconteceu que, logo que Isabel ouviu a saudação de Maria, saltou a criança no seu seio, e Isabel ficou cheia de Espírito Santo, exclamando em voz alta e dizendo: «Bendita sois vós entre todas as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre. Donde me vem a mim que a Mãe do meu Senhor venha até mim? Pois, desde que a voz da vossa saudação chegou a meus ouvidos, o meu filho exultou de alegria no meu seio! Bem-aventurada sois, porque acreditastes que se hão-de cumprir as coisas que vos foram ditas da parte do Senhor». Maria disse, então: «Minha alma glorifica ao Senhor: e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador».

Ofertório Sl. 84, 7–8

Deus, tu convérsus vivificábis nos, et plebs tua lætábitur in te: osténde nobis, Dómine, misericórdiam tuam, et salutáre tuum da nobis.
Ó Deus, volvei para nós vossos olhares e dar-nos-eis a vida: então o vosso povo rejubilará em Vós. Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia: e dai-nos a vossa salvação.

Secreta

Munéribus nostris, quǽsumus, Dómine, precibúsque suscéptis: et cœléstibus nos munda mystériis, et cleménter exáudi. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, depois de haverdes recebido as nossas ofertas e as nossas orações, Vos suplicamos, purificai-nos com vossos celestiais mystérios e ouvi-nos clementemente. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Zc. 14, 5–6

Ecce, Dóminus véniet et omnes Sancti ejus cum eo: et erit in die illa lux magna.
Eis que o Senhor vem, e com Ele virão todos os Santos; e nesse dia raiará uma luz brilhantíssima.

Postcomúnio

Tui nos, Dómine, sacraménti libátio sancta restáuret: et a vetustáte purgátos, in mystérii salutáris fáciat transíre consórtium. Per Dóminum &c.
Senhor, que a nossa comparticipação neste divino mystério nos restaure; e que, depois de nos haver purificado do «homem velho», nos conduza ao gozo das alegrias da salvação. Por nosso Senhor &c.

Sábado das Têmporas do Inverno Estação em São Pedro

Intróito Sl. 79, 4 & 2

Veni, et osténde nobis fáciem tuam, Dómine, qui sedes super Chérubim: et salvi érimus. Ps. ib., 2 Qui regis Israël, inténde: qui dedúcis, velut ovem, Joseph. V. Gloria Patri &c.
Vinde, mostrai-nos a vossa face, ó Senhor, que Vos sentais acima dos Querubins; e seremos salvos. Sl. ib., 2 Ó Vós, que governais Israel e conduzis José, como um pastor conduz uma ovelha, dignai-Vos ouvir-nos. V. Glória ao Pai &c.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Deus, qui cónspicis, quia ex nostra pravitáte afflígimur: concéde propítius; ut ex tua visitatióne consolémur: Qui vivis &c.
Ó Deus, vede que estamos aflitos com o peso da nossa fraqueza; concedei-nos propício que sejamos consolados com vossa visita: Ó Vós, que, sendo Deus, viveis e &c.

1.ª Lição Is. 19, 20–22

Lectio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
In diebus illis: Clamábunt ad Dóminum a facie tribulántis, et mittet eis salvatórem et propugnatórem, qui líberet eos. Et cognoscétur Dóminus ab Ægýpto, et cognóscent Ægýptii Dóminum in die illa: et colent eum in hóstiis et in munéribus: et vota vovébunt Dómino, et solvent. Et percútiet Dóminus Ægýplum plaga, et sanábit eam: et revertántur ad Dóminum, et placábitur eis, et sanábit eos Dóminus, Deus noster.
Naqueles dias clamarão ao Senhor diante dos opressores. E Ele lhes enviará um Salvador que pugnará por eles e os livrará. Então o Senhor será conhecido no Egipto, e os egípcios naquele dia conhecerão o Senhor e honrá-lo-ão com sacrifícios e ofertas; farão votos ao Senhor e cumpri-los-ão. O Senhor ferirá o Egipto com uma chaga e fechá-la-á; e converter-se-ão ao Senhor, que se deixará aplacar. O Senhor, nosso Deus, os curará.

Gradual Sl. 18, 7 & 2

A summo cœlo egréssio ejus: et occúrsus ejus usque ad summum ejus. V. Cœli enárrant glóriam Dei: et opera mánuum ejus annúntiat firmaméntum.
Surge em um extremo do céu e segue o seu curso até ao outro extremo. V. Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui sub peccáti jugo et vetústa servitúte deprímimur; exspectáta unigéniti Fílii tui nova nativitáte liberémur: Qui tecum vivit &c.
Ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, estando nós oprimidos, desde há tanto tempo, com o jugo do pecado, como consequência da antiga escravidão, fazei que sejamos livres desse mal pelo novo nascimento, tão desejado, do vosso Filho Unigénito: Ele, que, sendo Deus, convosco vive e reina &c.

2.ª Lição Is. 35, 1–7

Lectio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus: Lætábitur desérta et ínvia, ei exsultábit solitúdo, et florébit quasi lílium. Gérminans germinábit, et exsultábit lætabúnda et laudans: glória Líbani data est ei: decor Carméli et Saron, ipsi vidébunt glóriam Dómini, et decórem Dei nostri. Confortáte manus dissolútas, et génua debília roboráte. Dícite pusillánimis: Confortámini, et nolíte timére: ecce, Deus vester ultiónem addúcet retributiónis: Deus ipse véniet, et salvábit vos. Tunc aperiéntur óculi cæcórum, et aures surdórum patébunt. Tunc sáliet sicut cervus claudus, et apérta erit lingua mutórum: quia scissæ sunt in desérto aquæ, et torréntes in solitúdine. Et quæ erat árida, erit in stagnum, et sítiens in fontes aquárum: ait Dóminus omnípotens.
Estas coisas diz o Senhor: Alegrar-se-á a terra deserta e sem caminhos; e a solidão alegrar-se-á e florescerá, como o lírio. Germinará e florescerá abundantemente e exultará de alegria, e de júbilo, pois foi-lhe dada a glória do Líbano e a beleza do Carmelo e de Saran; verão a glória do Senhor e a majestade do nosso Deus. Fortificai as mãos fracas e retesai os joelhos trémulos. Dizei aos pusilânimes: «Tende coragem e nada receeis; eis aí vem o nosso Deus, que traz consigo uma vingança justa». O próprio Deus virá e vos salvará. Então, os olhos dos cegos se abrirão e os ouvidos dos surdos ouvirão; o coxo saltará, como um veado, e a língua do mudo será solta; também as águas rebentarão nos desertos e as torrentes nos lugares áridos; a terra, que estava seca, será como um lago, e a que tinha sede tornar-se-á em fontes de águas: diz o Senhor omnipotente.

Gradual Sl. 18, 6 & 7

In sole pósuit tabernáculum suum: et ipse tamquam sponsus procédens de thálamo suo. V. A summo cœlo egréssio ejus: et occúrsus ejus usque ad summum ejus.
Pôs o seu tabernáculo no solo: e este é como um esposo quando sai do seu tálamo. V. Surge em um extremo do céu e segue o seu curso até ao outro extremo.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Indignos nos, quǽsumus, Dómine, fámulos tuos, quos actiónis própriæ culpa contrístat, unigéniti Fílii tui advéntu lætífica: Qui tecum vivit et regnat &c.
Aos vossos indignos servos, Senhor, a quem contrista a culpa das suas acções, Vos suplicamos, alegrai-os com o advento do vosso Filho Unigénito. Ele, que, sendo Deus &c.

3.ª Lição Is. 40, 9–11

Lectio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus: Super montem excélsum ascénde tu, qui evangelízas Sion: exálta in fortitúdine vocem tuam, qui evangelízas Jerúsalem: exálta, noli timére. Dic civitátibus Juda: Ecce, Deus vester: ecce, Dóminus Deus in fortitúdine véniet, et bráchium ejus dominábitur: ecce, merces ejus cum eo, et opus illíus coram illo. Sicut pastor gregem suum pascet: in bráchio suo congregábit agnos, et in sinu suo levábit, Dóminus, Deus noster.
Eis o que diz o Senhor: Ó tu, que evangelizas Sião, sobe a um monte elevado. Ó tu, que evangelizas Jerusalém, eleva a tua voz sonoramente. Eleva a tua voz; não tenhas receio. Diz às cidades de Judá: Eis o nosso Deus, eis que o Senhor Deus vem revestido com o poder e dominará com seu braço. Ele traz consigo a recompensa e o salário dos trabalhos; conduzirá o seu rebanho, como um pastor; acolherá os cordeiros em seus braços e apertá-los-á ao seu seio: Ele, o Senhor, nosso Deus.

Gradual Sl. 79, 20 & 3

Dómine, Deus virtútum, convérte nos: et osténde fáciem tuam, et salvi érimus, V. Excita, Dómine, poténtiam tuam, et veni, ut salvos fácias nos.
Convertei-nos, ó Senhor, Deus dos exércitos! Mostrai-nos a vossa face e seremos salvos. V. Mostrai, Senhor, o vosso poder e vinde, para que sejamos salvos.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut Fílii tui ventúra sollémnitas et præséntis nobis vitæ remédia cónferat, et prǽmia ætérna concédat. Per eúndem Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, concedei-nos que a próxima Solenidade do nascimento do vosso Filho nos confira os remédios para a vida presente e nos proporcione os prémios eternos. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

4.ª Lição Is. 45, 1–8

Lectio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus christo meo Cyro, cujus apprehéndi déxteram, ut subjíciam ante fáciem ejus gentes, et dorsa regum vertam, et apériam coram eo jánuas, et portæ non claudéntur. Ego ante te ibo: et gloriósos terræ humiliábo: portas ǽreas cónteram, et vectes férreos confríngam. Et dabo tibi thesáuros abscónditos et arcána secretórum: ut scias, quia ego Dóminus, qui voco nomen tuum, Deus Israël. Propter servum meum Jacob, et Israël electum meum, et vocávi te nómine tuo: assimilávi te, et non cognovísti me. Ego Dóminus, et non est ámplius: extra me non est Deus: accínxi te, et non cognovísti me: ut sciant hi, qui ab ortu solis, et qui ab occidénte, quóniam absque me non est. Ego Dóminus, et non est alter, formans lucem et creans ténebras, fáciens pacem et creans malum: ego Dóminus faciens omnia hæc. Roráte, cœli, désuper, et nubes pluant justum: aperiátur terra, et gérminet Salvatórem: et justítia oriátur simul: ego Dóminus creávi eum.
Estas coisas diz o Senhor ao seu ungido Ciro, a quem conduziu pela mão direita para lhe tornar sujeitas as nações, para pôr em fuga diante dele os reis e abrir perante ele as portas, que nunca mais lhe serão fechadas: «Eu irei adiante de ti; aplanarei o que é elevado; quebrarei as portas de bronze; e despedaçarei os ferrolhos de ferro. Dar-te-ei os tesouros escondidos e as riquezas dos lugares secretos, para que saibas que sou o Senhor, o Deus de Israel, que te chamei pelo teu nome. Por amor de Jacob, meu servo, e de Israel, meu eleito, chamei-te pelo teu próprio nome e assinalei-te, e tu me não conheceste. Eu sou o Senhor, teu Deus, e outro não existe fora de mim. Eu armei-te, e não me conheceste. Saiba-se, portanto, que desde o nascente do sol até ao poente outro Deus não existe senão eu. Eu sou o Senhor, e nenhum outro existe. Eu criei a luz e formei as trevas. Sou eu que firmo a paz e desencadeio os males. Sou eu, o Senhor, criador de todas as coisas! Ó céus, derramai dessas alturas o vosso orvalho: e que as nuvens chovam o Justo! Abra-se a terra, germine o Salvador e floresça ao mesmo tempo a justiça! Eu sou o Senhor, que criou tudo quanto existe».

Gradual Sl. 79, 3, 2 & 3

Excita, Dómine, poténtiam tuam, et veni, ut salvos fácias nos. V. Qui regis Israël, inténde: qui dedúcis, velut ovem, Joseph: qui sedes super Chérubim, appáre coram Ephraim, Bénjamin, et Manásse.
Mostrai o vosso poder e vinde salvar-nos. V. Ouvi, ó Vós, que governais Israel; que conduzis José, como um pastor conduz uma ovelha; e tendes um trono acima dos Querubins, manifestai-Vos ante Efraim, Benjamim e Manassés.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Preces pópuli tui, quǽsumus, Dómine, cleménter exáudi: ut, qui juste pro peccátis nostris afflígimur, pietátis tuæ visitatióne consolémur: Qui vivis &c.
Dignai-Vos ouvir com clemência as preces do vosso povo, a fim de que nós, que estamos aflitos com os nossos pecados, sejamos consolados com vossa misericordiosa visita. Ó Vós, que viveis &c.

5.ª Lição Dn. 3, 47–51

Lectio Daniélis Prophétæ.
Lição do Profeta Daniel.
In diebus illis: Angelus Dómini descéndit cum Azaría et sóciis ejus in fornácem: et excússit flammam ignis de fornáce, et fecit médium fornácis quasi ventum roris flantem. Flamma autem effundebátur super fornácem cúbitis quadragínta novem: et erúpit, et incéndit, quos répperit juxta fornácem de Chaldǽis, minístros regis, qui eam incendébant. Et non tétigit eos omníno ignis, neque contristavit, nec quidquam moléstia íntulit. Tunc hi tres quasi ex uno ore laudábant, et glorificábant, et benedicébant Deum in fornáce, dicéntes:
Naqueles dias, o Anjo do Senhor desceu à fornalha com Azarias e os seus companheiros e afastou da fornalha as chamas do fogo, soprando no meio delas como que um vento de orvalho. As chamas do fogo, porém, cresceram acima da fornalha quarenta e nove côvados; e, saindo fora dela, queimaram os Caldeus, ministros do rei, que estavam Perto da fornalha a atiçar o fogo, e não queimaram nenhum dos três jovens, nem os feriram, nem lhes Causaram qualquer incómodo! Então, estes três jovens louvavam, glorificavam e bendiziam Deus na fornalha, em voz uníssona, dizendo:
Orémus.
Oremos.
Deus, qui tribus púeris mitigásti flammas ignium: concéde propítius; ut nos fámulos tuos non exúrat flamma vitiórum. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus, que mitigastes as chamas do fogo aos três jovens, concedei-nos misericordiosamente que nós, vossos servos, não sejamos queimados pelas chamas dos vícios. Por nosso Senhor &c.

Hino Benedictus Es Dn. 3:52

Benedíctus es, Dómine, Deus patrum nostrórum. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois, Senhor, Deus de nossos pais: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Et benedíctum nomen glóriæ tuæ, quod est sanctum. Et laudábile et gloriósum in sǽcula.
Bendito, santo e glorioso é o vosso nome: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Benedíctus es in templo sancto glóriæ tuæ. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois no vosso Templo santo e glorioso: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Benedíctus es super thronum sanctum regni tui. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois Vós, que estais acima do sagrado trono do vosso Reino: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Benedíctus es super sceptrum divinitátis tuæ. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois acima do ceptro da vossa divindade: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Benedíctus es, qui sedes super Chérubim, íntuens abýssos. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois Vós, que Vos sentais acima dos Querubins e vedes a profundidade dos abysmos: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Benedíctus es, qui ámbulas super pennas ventórum et super undas maris. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois Vós, que voais sobre as asas dos ventos e caminhais sobre as ondas do mar: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Benedícant te omnes Angeli et Sancti tui. Et laudent te et gloríficent in sǽcula.
Que os Anjos e os Santos Vos bendigam, louvem e glorifiquem em todos os séculos dos séculos.
Benedícant te cœli, terra, mare, et ómnia quæ in eis sunt. Et laudent te et gloríficent in sǽcula.
Que os céus, a terra e o mar e tudo quanto encerram Vos bendigam, louvem e glorifiquem por todos os séculos dos séculos.
Glória Patri, et Fílio, et Spirítui Sancto. Et laudábili et glorióso in sǽcula.
Glória ao Pai, e ao Filho, e ao Espiríto Santo: a Deus que é digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Sicut erat in princípio, et nunc, et semper: et in sǽcula sæculórum. Amen. Et laudábili et glorióso in sǽcula.
Assim como era no princípio, e agora, e sempre, e por todos os séculos dos séculos. A Deus, que é digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Benedíctus es, Dómine, Deus patrum nostrórum. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois, Senhor, Deus de nossos pais: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.

Epístola 2 Ts. 2, 1–8

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Corinthios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Tessalonicenses.
Fratres: Rogámus vos per advéntum Dómini nostri Jesu Christi, et nostræ congregatiónis in ipsum: ut non cito moveámini a vestro sensu, neque terreámini, neque per spíritum, neque per sermónem, neque per epístolam tamquam per nos missam, quasi instet dies Dómini. Ne quis vos sedúcat ullo modo: quóniam nisi vénerit discéssio primum, et revelátus fuerit homo peccáti, fílius perditiónis, qui adversátur, et extóllitur supra omne, quod dícitur Deus aut quod cólitur, ita ut in templo Dei sédeat osténdens se, tamquam sit Deus. Non retinétis, quod, cum adhuc essem apud vos, hæc dicébam vobis? Et nunc quid detíneat, scitis, ut revelétur in suo témpore. Nam mystérium jam operátur iniquitátis: tantum ut, qui tenet nunc, téneat, donec de médio fiat. Et tunc revelábitur ille iníquus, quem Dóminus Jesus interfíciet spíritu oris sui, et déstruet illustratióne advéntus sui.
Meus irmãos: Vos rogamos, pelo advento de N. S. Jesus Cristo e pela nossa união com Ele, que não mudeis facilmente o vosso bom modo de sentir, ou vos amedronteis, nem pelo espírito, nem por discurso, nem por epístola, como se fosse por nós mandada, que faça supor que o dia do Senhor esteja próximo. Ninguém vos seduza de algum modo que seja; porque este dia não virá enquanto não venha primeiro a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, que deverá morrer miseravelmente, o qual, opondo-se a Deus, como inimigo que é d’Ele, se levantará contra tudo o que se chama Deus ou tem carácter religioso, até se sentar no templo de Deus, fazendo-se passar por Deus. Não vos lembrais de que, estando ainda convosco, vos dizia estas coisas? E, agora, bem sabeis o que o detém, para que somente em seu tempo se manifeste. Porquanto, o mystério da iniquidade já se está operando, esperando somente, para aparecer, que aquilo que o deteve até agora, desapareça. Então se manifestará aquele ímpio que o Senhor Jesus exterminará com o sopro da sua boca e ofuscará com o esplendor do seu advento.

Trato Sl. 79, 2–3

Qui regis Israël, inténde: qui dedúcis, velut ovem, Joseph. V. Qui sedes super Chérubim, appáre coram Ephraim, Bénjamin, et Manásse. V. Excita, Dómine, poténtiam tuam, et veni: ut salvos fácias nos.
Ouvi, ó Vós, que governais Israel; que conduzis José, como um pastor conduz uma ovelha. Ó Vós, que tendes um trono acima dos Querubins: manifestai-Vos ante Efraim, Benjamim e Manassés. Mostrai, Senhor, o vosso poder: e vinde, para que sejamos salvos.

Evangelho Lc. 3, 1–6

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
Anno quintodécimo impérii Tibérii Cǽsaris, procuránte Póntio Piláto Judǽam, tetrárcha autem Galilǽæ Heróde, Philíppo autem fratre ejus tetrárcha Iturǽæ et Trachonítidis regionis, et Lysánia Abilínæ tetrárcha, sub princípibus sacerdotum Anna et Cáipha: factum est verbum Domini super Joannem, Zacharíæ filium, in deserto. Et venit in omnem regiónem Jordánis, prǽdicans baptísmum pæniténtiæ in remissiónem peccatórum, sicut scriptum est in libro sermónum Isaíæ Prophétæ: Vox clamántis in desérto: Paráte viam Dómini: rectas fácite sémitas ejus: omnis vallis implébitur: et omnis moris et collis humiliábitur: et erunt prava in dirécta, et áspera in vias planas: et vidébit omnis caro salutáre Dei.
No ano décimo quinto do império de Tibério César sendo Pôncio Pilatos governador da Judeia, Herodes tetrarca da Galileia, Filipe, seu irmão, tetrarca da Itureia e da região de Traconites, e Lisânias tetrarca da Abilínia, e sendo pontífices Anás e Caifás: fez-se ouvir a palavra do Senhor, que foi dirigida no deserto a João, filho de Zacarias, o qual percorreu toda a região vizinha do Jordão, pregando o baptismo de penitência para a remissão dos pecados, segundo o que está escrito no livro das profecias do Profeta Isaías: «A voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai as suas veredas: toda a planície será elevada e todas as montanhas e colinas serão arrasadas: os caminhos tortuosos serão endireitados e os ásperos aplanados; e toda a carne humana verá a salvação de Deus».

Ofertório Zc. 9, 9

Exsúlta satis, fília Sion, prǽdica, fília Jerúsalem: ecce, Rex tuus venit tibi sanctus et Salvátor.
Exulta de alegria, filha de Sião; rejubila, filha de Jerusalém: eis que vem a ti o teu Rei o Santo e Salvador.

Secreta

Sacrifíciis præséntibus, quǽsumus, Dómine, placátus inténde: ut et devotióni nostræ profíciant et salúti. Per Dóminum &c.
Senhor, dignai-Vos aceitar benignamente estas ofertas, a fim de que sirvam para aumentar a nossa devoção e alcançar-nos a salvação. Por nosso Senhor. &c.

Comúnio Sl. 18, 6–7

Exsultávit ut gigas ad curréndam viam: a summo cœlo egréssio ejus, et occúrsus ejus usque ad summum ejus.
Lançou-se em seu caminho, como um gigante, partindo de uma extremidade do céu e terminando a sua carreira na outra.

Postcomúnio

Quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut sacrosáncta mystéria, quæ pro reparatiónis nostræ munímine contulísti; et præsens nobis remédium esse fácias et futúrum. Per Dóminum &c.
Senhor, nosso Deus, Vos rogamos que estes sacrossantos mystérios, que nos concedestes para nossa reparação, sejam o nosso remédio para o presente e para o futuro. Por nosso Senhor &c.

Vigília do Natal de N. S. Jesus Cristo Dia 24 de Dezembro

Intróito Ex. 16, 6 & 7

Hódie sciétis, quia véniet Dóminus et salvábit nos: et mane vidébitis glóriam ejus. Ps. 23, 1 Dómini est terra, et plenitúdo ejus: orbis terrárum, et univérsi, qui hábitant in eo. V. Gloria Patri &c.
Sabereis hoje que o Senhor virá e nos salvará: e amanhã vereis a sua glória. Sl. 23, 1 Pertence ao Senhor a terra e tudo o que ela encerra: o orbe da terra e todos que nele habitam. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui nos redemptiónis nostræ ánnua exspectatióne lætíficas: præsta; ut Unigénitum tuum, quem Redemptórem læti suscípimus, veniéntem quoque Júdicem secúri videámus, Dóminum nostrum Jesum Christum, Fílium tuum: Qui tecum vivit et regnat&c.
Ó Deus, que nos alegrais cada ano com a expectação da nossa redenção, dignai-Vos conceder-nos que, recebendo nós com alegria o vosso Filho Unigénito, N. S. Jesus Cristo, quando vem a nós como Redentor, assim possamos igualmente recebê-l’O com tranquilidade quando Ele vier como Juiz: Ele que, sendo Deus &c.

Epístola Rm. 1, 1–0

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Romános.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Romanos.
Paulus, servus Jesu Christi, vocátus Apóstolus, segregátus in Evangélium Dei, quod ante promíserat per Prophétas suos in Scriptúris sanctis de Fílio suo, qui factus est ei ex sémine David secúndum carnem: qui prædestinátus est Fílius Dei in virtúte secúndum spíritum sanctificatiónis ex resurrectióne mortuórum Jesu Christi, Dómini nostri: per quem accépimus grátiam, et apostolátum ad obœdiéndum fídei in ómnibus géntibus pro nómine ejus, in quibus estis et vos vocáti Jesu Christi, Dómini nostri.
Paulo, servo de Jesus Cristo, apóstolo por vocação divina, escolhido para pregar o Evangelho, que Deus havia prometido pelos seus Profetas nas Sagradas Escrituras a respeito de seu Filho (que nasceu da geração de David, segundo a carne, e foi predestinado Filho de Deus, com o poder, segundo o Espírito de santidade, para ressuscitar dos mortos) N. S. Jesus Cristo, de quem recebemos a graça e o apostolado para chamar em seu nome à obediência da fé todas as nações, das quais vós, que também fostes chamados, fazeis parte.

Gradual Ex. 16, 6 & 7

Hódie sciétis, quia véniet Dóminus et salvábit nos: et mane vidébitis glóriam ejus. V. Ps. 79, 2–3 Qui regis Israël, inténde: qui dedúcis, velut ovem, Joseph: qui sedes super Chérubim, appáre coram Ephraim, Bénjamin, et Manásse.
Sabereis hoje que o Senhor virá e nos salvará: e amanhã vereis a sua glória. V. Sl. 79, 2–3 Ouvi, ó pastores de Israel: ó vós, que conduzis José, como um pastor conduz uma ovelha. Manifestai-Vos ante Efraim, Benjamim e Manassés, ó Vós, que tendes um trono acima dos Querubins!
Se esta Vigília ocorre ao Domingo, acrescenta-se:
Allelúja, allelúja. V. Crástina die delébitur iníquitas terræ: et regnábit super nos Salvátor mundi. Allelúja.
Aleluia, aleluia. Amanhã será apagada a iniquidade da terra e o Salvador do mundo reinará sobre nós. Aleluia.

Evangelho Mt. 1, 18–21

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
Cum esset desponsáta Mater Jesu Maria Joseph, ántequam convenírent, inventa est in útero habens de Spiritu Sancto. Joseph autem, vir ejus, cum esset justus et nollet eam tradúcere, vóluit occúlte dimíttere eam. Hæc autem eo cogitánte, ecce, Angelus Dómini appáruit in somnis ei, dicens: Joseph, fili David, noli timére accípere Maríam cónjugem tuam: quod enim in ea natum est, de Spíritu Sancto est. Páriet autem fílium, et vocábis nomen ejus Jesum: ipse enim salvum fáciet pópulum suum a peccátis eórum.
Estando já Maria, Mãe de Jesus, desposada com José, notou-se, antes que eles tivessem coabitado, que ela havia concebido do Espírito Santo. Mas José, seu marido, que era homem justo, não queria difamá-la. Resolveu, pois, deixá-la secretamente. Pensando ele nisto, eis que um Anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: «José, filho de David, não temas receber Maria como tua esposa, porquanto o que ela concebeu é obra do Espírito Santo. Ela dará à luz um Filho e ser-Lhe-á dado o nome de Jesus; pois Ele salvará o povo dos seus pecados».

Ofertório Sl. 23, 7

Tóllite portas, principes, vestras: et elevámini, portæ æternáles, et introíbit Rex glóriæ.
Abri-vos inteiramente, ó portas, e entrará o Rei da glória.

Secreta

Da nobis, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, sicut adoránda Fílii tui natalítia prævenímus, sic ejus múnera capiámus sempitérna gaudéntes: Qui tecum &c.
Dignai-Vos permitir, ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, que, assim como prevenimos o adorável nascimento do vosso Filho, assim também recebamos com alegria os dons eternos d’Aquele que, sendo Deus, vive e &c.

Comúnio Is. 40, 5

Revelábitur glória Dómini: et vidébit omnis caro salutáre Dei nostri.
A glória do Senhor vai manifestar-se: e toda a carne verá o Salvador que o nosso Deus nos manda.

Postcomúnio

Da nobis, quǽsumus, Dómine: unigéniti Fílii tui recensíta nativitáte respiráre; cujus cœlésti mystério páscimur et potámur. Per eúndem Dóminum &c.
Concedei-nos, Senhor, Vos suplicamos, que possamos respirar com alegria, celebrando o nascimento de vosso Filho Unigénito, cujo celestial mystério nos alimenta e conforta. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Natal de N. S. Jesus Cristo Primeira Missa: à meia-noite

Intróito Sl. 2, 7

Dóminus dixit ad me: Fílius meus es tu, ego hódie génui te. Ps. ib., 1 Quare fremuérunt gentes: et pópuli meditáti sunt inánia? V. Gloria Patri &c.
O Senhor disse-me: Sois o meu Filho: Eu Vos gerei hoje. Sl. ib., 1 Porque se agitaram as nações? Porque meditaram os povos vãos projectos contra mim? V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui hanc sacratíssimam noctem veri lúminis fecísti illustratióne claréscere: da, quǽsumus; ut, cujus lucis mystéria in terra cognóvimus, ejus quoque gáudiis in cœlo perfruámur: Qui tecum vivit &c.
Ó Deus, que fizestes brilhar nesta noite santíssima os esplendores da verdadeira luz, permiti, Vos pedimos, que, depois de havermos conhecido esta luz misteriosa neste mundo, possamos gozar no céu as delícias de que é origem Aquele que, sendo Deus, convosco vive e reina em unidade &c.

Epístola Tt. 2, 11-15

Léctio Epístolæ beati Pauli Apóstoli ad Titum.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo a Tito.
Caríssime: Appáruit grátia Dei Salvatóris nostri ómnibus homínibus, erúdiens nos, ut, abnegántes impietátem et sæculária desidéria, sóbrie et juste et pie vivámus in hoc sǽculo, exspectántes beátam spem et advéntum glóriæ magni Dei et Salvatóris nostri Jesu Christi: qui dedit semetípsum pro nobis: ut nos redímeret ab omni iniquitáte, et mundáret sibi pópulum acceptábilem, sectatórem bonórum óperum. Hæc lóquere et exhortáre: in Christo Jesu, Dómino nostro.
Caríssimo: A graça de Deus, nosso Salvador, manifestou-se a todos os homens, ensinando-nos, a fim de que, repudiando a impiedade e os apetites terrenos, vivamos neste mundo com temperança, justiça e piedade, pensando na esperança, na bem-aventurança eterna e na vinda da glória do nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo: que se ofereceu espontaneamente por nós, para nos resgatar de todas as iniquidades, e tornar-nos numa raça purificada, escolhida e zelosa em suas boas obras. Ensina e prega estas coisas, em Jesus Cristo, nosso Senhor!

Gradual Sl. 109, 3 & 1

Tecum princípium in die virtútis tuæ: in splendóribus Sanctórum, ex útero ante lucíferum génui te. V. Dixit Dóminus Dómino meo: Sede a dextris meis: donec ponam inimícos tuos, scabéllum pedum tuórum.
Em Vós estará o poder soberano no dia do vosso império, no meio dos esplendores dos escolhidos. Eu Vos gerei no meu seio, antes da aurora. O soberano Senhor disse ao meu Senhor: «Assentai-Vos à minha dextra até que eu torne os meus inimigos em escabelo dos vossos pés».
Allelúja, allelúja. V. Ps. 2, 7 Dóminus dixit ad me: Fílius meus es tu, ego hódie génui te. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 2, 7 O Senhor disse-me: «Vós sois o meu Filho; gerei-Vos hoje». Aleluia.

Evangelho Lc. 2, 1-14

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Exiit edíctum a Cǽsare Augústo, ut describerétur univérsus orbis. Hæc descríptio prima facta est a prǽside Sýriæ Cyríno: et ibant omnes ut profiteréntur sínguli in suam civitátem. Ascéndit autem et Joseph a Galilǽa de civitáte Názareth, in Judǽam in civitátem David, quæ vocatur Béthlehem: eo quod esset de domo et fámilia David, ut profiterétur cum María desponsáta sibi uxóre prægnánte. Factum est autem, cum essent ibi, impléti sunt dies, ut páreret. Et péperit fílium suum primogénitum, et pannis eum invólvit, et reclinávit eum in præsépio: quia non erat eis locus in diversório. Et pastóres erant in regióne eádem vigilántes, et custodiéntes vigílias noctis super gregem suum. Et ecce, Angelus Dómini stetit juxta illos, et cláritas Dei circumfúlsit illos, et timuérunt timóre magno. Et dixit illis Angelus: Nolíte timére: ecce enim, evangelízo vobis gáudium magnum, quod erit omni pópulo: quia natus est vobis hódie Salvátor, qui est Christus Dóminus, in civitáte David. Et hoc vobis signum: Inveniétis infántem pannis involútum, et pósitum in præsépio. Et súbito facta est cum Angelo multitúdo milítiæ cœléstis, laudántium Deum et dicéntium: Glória in altíssimis Deo, et in terra pax hóminibus bonæ voluntátis.
Naquele tempo, foi publicado um édito de César Augusto para que se fizesse o recenseamento de todo o universo. Este primeiro recenseamento foi feito por Cirino, governador da Síria. E todos, pois, iam à sua cidade para se inscreverem. José saiu também da Galileia, da cidade de Nazaré, para a Judeia, e foi a Belém, cidade de David, porque ele era da casa e da família de David, para aí ser recenseado com Maria, sua esposa, que estava próximo a dar à luz. Ora, aconteceu que, enquanto eles estavam em Belém, completaram-se os dias em que ela devia dar à luz. E, com efeito, ela deu à luz o seu Filho primogénito, envolvendo-O em uns panos e colocando-O em um presépio, porque não tiveram lugar na hospedaria. Ora, havia naquele lugar uns pastores, guardando durante a noite os seus gados; e eis que um Anjo do céu lhes apareceu, envolvendo-os com a claridade de Deus, o que os encheu de grande temor. Então, o Anjo disse-lhes: «Não tenhais receio, pois venho anunciar-vos uma grande alegria, que se estenderá a todo o povo: é que nasceu hoje, na cidade de David, um Salvador, que é o Cristo Senhor. Isto vos servirá de sinal: Achareis um Menino, envolvido em uns panos e deitado num presépio», E no mesmo instante reuniu-se com o Anjo uma multidão da milícia celestial, louvando Deus e dizendo: «Glória a Deus no mais alto dos céus, e, na terra, paz aos homens de boa vontade!»

Ofertório Sl. 95, 11 & 13

Læténtur cœli et exsúltet terra ante fáciem Dómini: quóniam venit.
Alegrem-se os céus! Regozije-se a terra ante a face do Senhor, pois Ele veio.

Secreta

Acépta tibi sit, Dómine, quǽsumus, hodiérnæ festivitátis oblátio: ut, tua gratia largiénte, per hæc sacrosáncta commércia, in illíus inveniámur forma, in quo tecum est nostra substántia: Qui tecum vivit &c.
Dignai-Vos, Senhor, aceitar a oblação que Vos oferecemos na festividade deste dia, e pela vossa graça permiti que por meio deste sacrossanto comércio nos assemelhemos Àquele em quem a nossa substância humana está unida à vossa divindade. Ele, que, sendo Deus, convosco vive e reina &c.

Comúnio Sl. 109, 3

In splendóribus Sanctórum, ex útero ante lucíferum génui te.
Eu Vos gerei no meu seio, antes do romper da aurora, entre os esplendores dos escolhidos.

Postcomúnio

Da nobis, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, qui Nativitátem Dómini nostri Jesu Christi mystériis nos frequentáre gaudémus; dignis conversatiónibus ad ejus mereámur per veníre consórtium: Qui tecum &c.
Senhor, nosso Deus, permiti, Vos suplicamos, que, celebrando alegremente o Nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo, pela frequência destes divinos mystérios, mereçamos, com uma conduta santa, gozar a união perfeita com Aquele: que, sendo Deus &c.

Natal de N. S. Jesus Cristo Segunda Missa: ao romper da aurora

Intróito Is. 9, 2 & 6

Lux fulgébit hódie super nos: quia natus est nobis Dóminus: et vocábitur Admirábilis, Deus, Princeps pacis, Pater futúri sǽculi: cujus regni non erit finis. Ps. 92, 1 Dominus regnávit, decorem indutus est: indutus est Dominus fortitudinem, et præcínxit se. V. Gloria Patri &c.
A luz brilhará hoje sobre nós: pois o Senhor nasceu para nós: e será chamado Admirável, Deus, Príncipe da Paz, Pai da eternidade; seu reino não terá fim. Sl. 92, 1 O Senhor reinou e revestiu-se de majestade: o Senhor revestiu-se com a túnica da fortaleza e cingiu-se para o combate. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Da nobis, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui nova incarnáti Verbi tui luce perfúndimur; hoc in nostro respléndeat ópere, quod per fidem fulget in mente. Per eúndem Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, que Vos dignastes esclarecer-nos com a nova luz do Verbo Incarnado, permiti ainda, Vos suplicamos, que o brilho desta mesma luz, que pela fé ilustra as nossas almas, resplandeça nas nossas acções. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Epístola Tt. 3, 4-7

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Titum.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo a Tito.
Caríssime: Appáruit benígnitas et humánitas Salvatóris nostri Dei: non ex opéribus justítiæ, quæ fécimus nos, sed secúndum suam misericórdiam salvos nos fecit per lavácrum regeneratiónis et renovatiónis Spíritus Sancti, quem effúdit in nos abúnde per Jesum Christum, Salvatorem nostrum: ut, justificáti grátia ipsíus, herédes simus secúndum spem vitæ ætérnæ: in Christo Jesu, Dómino nostro.
Caríssimo: A bondade e o amor de Deus, nosso Salvador, se manifestaram. Ele salvou-nos, não por causa das obras de justiça que houvéssemos praticado, mas pela sua misericórdia, lavando-nos em um banho de regeneração e de renovação do Espírito Santo, que lançou copiosamente sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador, a fim de que, justificados pela sua graça, nos tornemos herdeiros da vida eterna, segundo a esperança que depositamos em Jesus Cristo, nosso Senhor.

Gradual Sl. 117, 26, 27 & 23

Benedíctus, qui venit in nómine Dómini: Deus Dóminus, et illúxit nobis. V. A Dómino factum est istud: et est mirábile in óculis nostris.
Bendito seja Aquele que vem em nome do Senhor! O Senhor é Deus e a sua luz resplandeceu sobre nós. V. Foi o Senhor quem criou esta maravilha, que brilha aos nossos olhos.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 92, 1 Dóminus regnávit, decórem índuit: índuit Dóminus fortitúdinem, et præcínxit se virtúte. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 92, 1 O Senhor reina e revestiu-se de majestade: o Senhor revestiu-se com a túnica da fortaleza e cingiu-se para o combate. Aleluia.

Evangelho Lc. 2, 15-20

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Pastóres loquebántur ad ínvicem: Transeámus usque Béthlehem, et videámus hoc verbum, quod factum est, quod Dóminus osténdit nobis. Et venérunt festinántes: et invenérunt Maríam et Joseph et Infántem pósitum in præsépio. Vidéntes autem cognovérunt de verbo, quod dictum erat illis de Púero hoc. Et omnes, qui audiérunt, miráti sunt: et de his, quæ dicta erant a pastóribus ad ipsos. María autem conservábat ómnia verba hæc, cónferens in corde suo. Et revérsi sunt pastóres, glorificántes et laudántes Deum in ómnibus, quæ audíerant et víderant, sicut dictum est ad illos.
Naquele tempo, disseram os pastores uns aos outros: «Vamos até Belém e vejamos o que foi isto que aconteceu, que o Senhor nos revelou». Vieram, então, a toda a pressa, e encontraram Maria, José e o Menino deitado no presépio. Vendo isto, conheceram a verdade do que lhes havia sido revelado acerca deste Menino. E todos quantos ouviam falar os pastores ficavam admirados do que eles diziam. Ora Maria conservava todas estas coisas e meditava-as no seu íntimo. E os pastores retiraram-se, glorificando e louvando Deus pelo que tinham visto e ouvido, segundo o que lhes havia sido revelado.

Ofertório Sl. 92, 1-2

Deus firmávit orbem terræ, qui non commovébitur: paráta sedes tua, Deus, ex tunc, a sǽculo tu es.
Deus firmou de tal modo o globo da terra que nunca mais será destruído: vosso trono, ó Deus, existe desde a eternidade, pois Vós existis antes dos séculos!

Secreta

Múnera nostra, quǽsumus, Dómine, Nativitátis hodiérnæ mystériis apta provéniant, et pacem nobis semper infúndant: ut, sicut homo génitus idem refúlsit et Deus, sic nobis hæc terréna substántia cónferat, quod divínum est. Per eúndem Dóminum &c.
Que estas nossas ofertas, Senhor, Vos suplicamos, se tornem dignas dos mystérios do Nascimento deste dia, e nos infundam perpetuamente a paz, para que, assim como Aquele que nasceu como homem fez ao mesmo tempo realçar a sua divindade, assim também esta Substância terrena (o pão e o vinho) nos comunique o que é divino. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Comúnio Zc. 9, 9

Exsúlta, fília Sion, lauda, fília Jerúsalem: ecce, Rex tuus venit sanctus et Salvátor mundi.
Alegra-te, filha de Sião; canta alegremente, filha de Jerusalém: eis que vem o teu Rei, que é o Santo e o Salvador do mundo.

Postcomúnio

Hujus nos, Dómine, sacraménti semper nóvitas natális instáuret: cujus Natívitas singuláris humánam réppulit vetustátem. Per eúndem Dóminum &c.
Permiti, Senhor, que as nossas almas sejam regeneradas pelo novo Nascimento d’Aquele que se dá neste sacramento, cujo admirável Nascimento destruiu o «homem velho». Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Natal de N. S. Jesus Cristo no dia da Festa

Intróito Is. 9, 6

Puer natus est nobis, et fílius datus est nobis: cujus impérium super húmerum ejus: et vocábitur nomen ejus magni consílii Angelus. Ps. 97, 1 Cantáte Dómino cánticum novum, quia mirabília fecit. V. Gloria Patri &c.
Nasceu para nós um Menino e foi-nos dado um Filho, que traz sobre os seus ombros o manto da realeza, o qual será chamado «Anjo do admirável conselho». Sl. 97, 1 Cantai ao Senhor um hino novo, pois Ele praticou maravilhas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut nos Unigéniti tui nova per carnem Natívitas líberet; quos sub peccáti jugo vetústa sérvitus tenet. Per eúndem Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos imploramos, dignai-Vos permitir que o novo Nascimento do vosso Filho Unigénito Incarnado nos livre do antigo cativeiro em que nos conserva o jugo do pecado. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Epístola Heb. 1, 1-12

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Hebrǽos.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Hebreus.
Multifáriam, multísque modis olim Deus loquens pátribus in Prophétis: novíssime diébus istis locútus est nobis in Fílio, quem constítuit herédem universórum, per quem fecit et sǽcula: qui cum sit splendor glóriæ, et figúra substántia? ejus, portánsque ómnia verbo virtútis suæ, purgatiónem peccatórum fáciens, sedet ad déxteram majestátis in excélsis: tanto mélior Angelis efféctus, quanto differéntius præ illis nomen hereditávit. Cui enim dixit aliquándo Angelórum: Fílius meus es tu, ego hódie génui te? Et rursum: Ego ero illi in patrem, et ipse erit mihi in fílium? Et cum íterum introdúcit Primogénitum in orbem terræ, dicit: Et adórent eum omnes Angeli Dei. Et ad Angelos quidem dicit: Qui facit Angelos suos spíritus, et minístros suos flammam ignis. Ad Fílium autem: Thronus tuus, Deus, in sǽculum sǽculi: virga æquitátis, virga regni tui. Dilexísti justítiam et odísti iniquitátem: proptérea unxit te Deus, Deus tuus, óleo exsultatiónis præ particípibus tuis. Et: Tu in princípio, Dómine, terram fundásti: et ópera mánuum tuárum sunt cœli. Ipsi períbunt, tu autem permanébis; et omnes ut vestiméntum veteráscent: et velut amíctum mutábis eos, et mutabúntur: tu autem idem ipse es, et anni tui non defícient.
Deus, que falara muitas vezes e de muitas maneiras a nossos pais pelos Profetas, falou-nos nos últimos tempos pelo seu Filho, que constituíra herdeiro de todas as coisas, e por quem, também, criou os séculos, o qual, sendo a irradiação esplendorosa da sua glória e a figura da sua substância e sustentando todas as coisas com sua palavra omnipotente depois de nos haver purificado dos nossos pecados, assentou-se à dextra da majestade divina, no mais alto dos céus, tanto mais superior aos Anjos quanto mais excelente e maior é o nome que herdou. Com efeito, a qual dos Anjos disse Deus estas palavras: «Tu és o meu Filho, gerei-te hoje?». E ainda estoutras: «Eu serei sen Pai e Ele será para mim Filho?». E também, quando mandou o seu primogénito ao mundo, disse: «Que todos os Anjos de Deus O adorem!». E, pelo que respeita aos Anjos, a Escritura diz: «Ele, que aos Anjos faz ventos e aos seus ministros chamas de fogo». Mas a respeito do Filho exprime-se assim: «Vosso trono, ó Deus, será eterno; o ceptro da vossa realeza será um ceptro de justiça e de rectidão. Vós amastes a justiça e odiastes a iniquidade. Por isso, ó Deus, o vosso Deus (o Pai) Vos ungiu com o bálsamo da alegria, mais ainda do que àqueles que convosco participam da glória». E também disse: «Vós, Senhor, no princípio criastes a terra; os céus são obra das vossas mãos. Eles perecerão, mas Vós permanecereis; eles envelhecerão todos, como um vestido, e Vós os mudareis, como se fossem um manto, e ficarão mudados; mas Vós sois sempre o mesmo, e os anos não acabarão para Vós».

Gradual Sl. 97, 3 & 2

Vidérunt omnes fines terræ salutare Dei nostri: jubiláte Deo, omnis terra. V. Notum fecit Dominus salutare suum: ante conspéctum géntium revelávit justitiam suam.
Toda a terra viu o Salvador, que o nosso Deus enviou: aclamai Deus, ó povos de toda a terra. O Senhor manifestou o Salvador, que havia prometido: e manifestou a sua justiça aos olhos dos povos.
Allelúja, allelúja. V. Dies sanctificátus illúxit nobis: veníte, gentes, et adoráte Dóminum: quia hódie descéndit lux magna super terram. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Um dia de santidade resplandeceu para nós: vinde, ó povos, e adorai o Senhor: pois hoje desceu a grande luz à terra. Aleluia.

Evangelho Jo, 1, 1-14

Initium sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Início do santo Evangelho segundo S. João.
In princípio erat Verbum, et Verbum erat apud Deum, et Deus erat Verbum. Hoc erat in princípio apud Deum. Omnia per ipsum facta sunt: et sine ipso factum est nihil, quod factum est: in ipso vita erat, et vita erat lux hóminum: et lux in ténebris lucet, et ténebræ eam non comprehendérunt. Fuit homo missus a Deo, cui nomen erat Joánnes. Hic venit in testimónium, ut testimónium perhibéret de lúmine, ut omnes créderent per illum. Non erat ille lux, sed ut testimónium perhibéret de lúmine. Erat lux vera, quæ illúminat omnem hóminem veniéntem in hunc mundum. In mundo erat, et mundus per ipsum factus est, et mundus eum non cognóvit. In própria venit, et sui eum non recepérunt. Quotquot autem recepérunt eum, dedit eis potestátem fílios Dei fíeri, his, qui credunt in nómine ejus: qui non ex sanguínibus, neque ex voluntáte carnis, neque ex voluntáte viri, sed ex Deo nati sunt. (Hic genuflectitur) Et Verbum caro factum est, et habitávit in nobis: et vídimus glóriam ejus, glóriam quasi Unigéniti a Patre, plenum grátiæ et veritátis.
No princípio existia o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Este estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram por Ele criadas, e nada daquilo que foi criado teria sido criado sem Ele. N’Ele havia vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandeceu nas trevas, mas as trevas a não receberam. Apareceu um homem, mandado por Deus, e o seu nome era João, o qual veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que por ele todos acreditassem. Ele não era a luz, mas aquele que havia de dar testemunho da luz. Existia a luz verdadeira, a luz que ilumina todo o homem que vem a este mundo. Ele estava no mundo, e o mundo, embora houvesse sido criado por Ele, O não conheceu. Veio ao que era seu, e os seus O não receberam. Porém, Ele a todos quantos O receberam e aos que acreditaram no seu nome deu o poder de serem filhos de Deus, os quais não nasceram do sangue, nem do desejo da carne, mas somente da vontade de Deus. E o Verbo fez-se carne (genuflecte-se) e habitou entre nós; e contemplamos a sua glória, como era própria do Filho Unigénito do Pai, cheio de graça e de verdade.

Ofertório Sl. 88, 12 & 15

Tui sunt cœli et tua est terra: orbem terrárum et plenitúdinem ejus tu fundásti: justítia et judícium præparátio sedis tuæ.
A Vós, Senhor, pertencem os céus e a terra; pois criastes o universo e tudo o que ele encerra. A justiça e a equidade são a base do vosso trono.

Secreta

Obláta, Dómine, múnera, nova Unigéniti tui Nativitáte sanctífica: nosque a peccatórum nostrórum máculis emúnda. Per eúndem Dóminum nostrum &c.
Santificai, Senhor, pelo novo Nascimento do vosso Filho Unigénito, as oblatas que Vos apresentamos, e purificai-nos das manchas dos nossos pecados. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 97, 3

Vidérunt omnes fines terræ salutáre Dei nostri.
Toda a terra contemplou o Salvador que o nosso Deus enviou.

Postcomúnio

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut natus hódie Salvátor mundi, sicut divínæ nobis generatiónis est auctor; ita et immortalitátis sit ipse largítor: Qui tecum vivit et regnat &c.
Ó Deus omnipotente, dignai-Vos permitir que, assim como o Salvador do mundo, nascendo neste dia, nos comunicou a geração divina, assim também nos conceda a imortalidade. Ele, que, sendo Deus &c.

Último Evangelho Mt. 2, 19-23

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
Cum natus esset Jesus in Béthlehem Juda in diébus Heródis regis, ecce, Magi ab Oriénte venerunt Jerosólymam, dicéntes: Ubi est, qui natus est rex Judæórum? Vidimus enim stellam ejus in Oriénte, et vénimus adoráre eum. Audiens autem Heródes rex, turbatus est, et omnis Jerosólyma cum illo. Et cóngregans omnes principes sacerdotum et scribas pópuli, sciscitabátur ab eis, ubi Christus nasceretur. At illi dixérunt ei: In Béthlehem Judae: sic enim scriptum est per Prophétam: Et tu, Béthlehem terra Juda, nequaquam mínima es in princípibus Juda; ex te enim éxiet dux, qui regat pópulum meum Israel. Tunc Heródes, clam vocátis Magis, diligénter dídicit ab eis tempus stellæ, quæ appáruit eis: et mittens illos in Béthlehem, dixit: Ite, et interrogáte diligénter de púero: et cum invenéritis, renuntiáte mihi, ut et ego véniens adórem eum. Qui cum audíssent regem, abiérunt. Et ecce, stella, quam víderant in Oriénte, antecedébat eos, usque dum véniens staret supra, ubi erat Puer. Vidéntes autem stellam, gavísi sunt gáudio magno valde. Et intrántes domum, invenérunt Púerum cum María Matre ejus, (hic genuflectitur) ei procidéntes adoravérunt eum. Et, apértis thesáuris suis, obtulérunt ei múnera, aurum, thus et myrrham. Et responso accépto in somnis, ne redírent ad Heródem, per aliam viam revérsi sunt in regiónem suam.
Havendo Jesus nascido em Belém, de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que vieram a Jerusalém os Magos do Oriente, dizendo: «Onde está o Rei dos Judeus, que acaba de nascer? Pois vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Logo que o rei Herodes ouviu esta notícia, ficou perturbado, assim como toda a gente de Jerusalém, convocando logo todos os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo, para saber deles onde deveria nascer Cristo. Responderam-lhe eles: «Em Belém, de Judá, pois está escrito pelo Profeta: «E tu, Belém, terra de Judá, não serás certamente a menos importante entre as terras principais de Judá, pois em ti nascerá o Rei, que governará o meu povo de Israel». Então Herodes mandou chamar em segredo os Magos, informando-se com eles diligentemente acerca do tempo em que a estrela havia aparecido. E enviando-os a Belém, disse-lhes: «Ide, procurai diligentemente o Menino, e, logo que O houverdes achado, avisai-me, para que eu vá, também, adorá-l’O». Os Magos, tendo ouvido estas palavras, partiram. Ora, a estrela, que tinham visto no Oriente ia adiante deles, até que, chegando ao lugar onde estava o Menino, parou. Quando os Magos viram a estrela, alegraram-se muito. Entrando, então, na casa, encontraram o Menino com Maria, sua mãe; e, de joelhos, O adoraram. (Todos devem ajoelhar) E, tendo aberto os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes de ouro, incenso e mirra. Depois, havendo tido aviso em sonhos de que não deveriam voltar a encontrar Herodes, retiraram-se por outro caminho para o seu país.

Domingo dentro do Oitavário do Natal

Intróito Sb. 18, 14-15

Dum médium siléntium tenérent ómnia, et nox in suo cursu médium iter háberet, omnípotens Sermo tuus, Dómine, de cœlis a regálibus sédibus venit. Ps. 92, 1 Dóminus regnávit, decórem indútus est: indútus est Dóminus fortitúdinem, et præcínxit se. V. Gloria Patri &c.
Enquanto o mundo repousava em um profundo silêncio: e a noite estava no meio do seu decurso, o vosso Verbo omnipotente, Senhor, desceu dos céus, do seu régio trono. Sl. 92, 1 O Senhor revestiu-se de glória e reina; o Senhor revestiu-se com a túnica da majestade e cingiu-se com o poder. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut nos Unigéniti tui nova per carnem Natívitas líberet; quos sub peccáti jugo vetústa sérvitus tenet. Per eúndem Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente e sempiterno, dirigi as nossas acções segundo a vossa vontade, a fim de que pelo nome do vosso amantíssimo Filho sejamos dignos de praticar abundantes boas obras. Ele, que, sendo Deus &c.

Epístola Gl. 4, 1-7

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Gálatas.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Gálatas.
Patres: Quanto témpore heres párvulus est, nihil differt a servo, cum sit dóminus ómnium: sed sub tutóribus et actóribus est usque ad præfinítum tempus a patre: ita et nos, cum essémus párvuli, sub eleméntis mundi erámus serviéntes. At ubi venit plenitúdo témporis, misit Deus Fílium suum, factum ex mulíere, factum sub lege, ut eos, qui sub lege erant, redímeret, ut adoptiónem filiórum reciperémus. Quóniam autem estis fílii, misit Deus Spíritum Fílii sui in corda vestra, clamántem: Abba, Pater. Itaque jam non est servus, sed fílius: quod si fílius, et heres per Deum.
Meus irmãos: Enquanto o herdeiro é menor, não se distingue do servo, ainda que seja o senhor de tudo; mas depende dos tutores e administradores, até ao tempo determinado por seu pai. Do mesmo modo, quando nós éramos ainda meninos, estávamos sujeitos aos elementos do mundo; mas, logo que chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou o seu Filho, nascido da Mulher e sujeito à lei, para resgatar aqueles que estavam sob a sanção da lei, e se tornarem seus filhos adoptivos. E, porque sois seus filhos, mandou Deus ao vosso coração o espírito de seu Filho, o qual clama: Abba! Pai! E, assim, já nenhum de vós é escravo, mas filho. E, sendo seus filhos, sois também herdeiros, por intervenção de Deus.

Gradual Sl. 44, 3 & 2

Speciósus forma præ filiis hóminum: diffúsa est gratia in lábiis tuis. V. Eructávit cor meum verbum bonum, dico ego ópera mea Regi: lingua mea cálamus scribæ, velóciter scribéntis.
Vós sois mais belo do que todos os filhos dos homens, pois a graça espalhou-se nos vossos lábios. V. Meu coração exprimiu uma palavra admirável: Consagro ao Rei as minhas obras: Minha língua é como a pena de um escritor expedito.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 92, 1 Dóminus regnávit, decórem índuit: índuit Dóminus fortitúdinem, et præcínxit se virtúte. Allelúja.
Aleluia, aleluia. Sl. 92, 1 O Senhor revestiu-se de glória e reina: O Senhor revestiu-se de autoridade e cingiu-se com o poder. Aleluia.

Evangelho Lc. 2, 33-40

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Erat Joseph et Maria Mater Jesu, mirántes super his quæ dicebántur de illo. Et benedíxit illis Símeon, et dixit ad Maríam Matrem ejus: Ecce, pósitus est hic in ruínam et in resurrectiónem multórum in Israël: et in signum, cui contradicétur: et tuam ipsíus ánimam pertransíbit gládius, ut reveléntur ex multis córdibus cogitatiónes. Et erat Anna prophetíssa, fília Phánuel, de tribu Aser: hæc procésserat in diébus multis, et víxerat cum viro suo annis septem a virginitáte sua. Et hæc vídua usque ad annos octogínta quátuor: quæ non discedébat de templo, jejúniis et obsecratiónibus sérviens nocte ac die. Et hæc, ipsa hora supervéniens, confitebátur Dómino, et loquebátur de illo ómnibus, qui exspectábant redemptiónem Israël. Et ut perfecérunt ómnia secúndum legem Dómini, revérsi sunt in Galilǽam in civitátem suam Názareth. Puer autem crescébat, et confortabátur, plenus sapiéntia: et grátia Dei erat in illo.
Naquele tempo, José e Maria, Mãe de Jesus, estavam admirados do que se dizia de Jesus. Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua Mãe: «Este Menino veio ao mundo para ruína e salvação de muitos de Israel. Ele será como que um sinal de contradição. Uma espada de dor por sua causa traspassará a vossa alma, a fim de que os pensamentos de muitos homens, que estavam ocultos no íntimo do seu coração, sejam revelados». Ora, estava ali a profetiza Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser, que era de idade avançada (a qual vivera sete anos com seu marido, que havia desposado após a sua virgindade), sendo viúva e contando oitenta e quatro anos de idade. Ela não abandonava o templo, servindo a Deus, noite e dia, com jejuns e orações. Tendo ela chegado naquela ocasião, louvava o Senhor e falava de Jesus a todos quantos esperavam a salvação de Israel. Depois que eles cumpriram tudo o que a lei do Senhor preceituava, regressaram à cidade de Nazaré, na Galileia. Entretanto, o Menino crescia, fortalecia-se e era cheio de sabedoria: e a graça de Deus habitava n’Ele.

Ofertório Sl. 92, 1-2

Deus firmávit orbem terræ, qui non commovébitur: paráta sedes tua, Deus, ex tunc, a sǽculo tu es.
Deus firmou de tal modo o globo terrestre, que nunca mais será destruído. Ó Deus, o vosso trono estava elevado desde a eternidade, pois Vós existis antes dos séculos.

Secreta

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut óculis tuæ majestátis munus oblátum, et grátiam nobis piæ devotiónis obtineat, et efféctum beátæ perennitátis acquírat. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos pedimos, permiti que as oblatas, que apresentamos ante os olhos de vossa majestade, nos alcancem a graça de uma piedosa devoção e nos assegurem a posse da eterna felicidade. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Mt. 2, 20

Tolle Púerum et Matrem ejus, et vade in terram Israël: defúncti sunt enim, qui quærébant ánimam Púeri.
Toma o Menino e sua Mãe, e volta para a terra de Israel, pois são mortos os que queriam atentar contra a vida do Menino.

Postcomúnio

Per hujus, Dómine, operatiónem mystérii, et vitia nostra purgéntur, et justa desidéria compleántur. Per Dóminum &c.
Senhor, que pela virtude destes divinos mystérios sejamos purificados dos nossos vícios, e que vejamos realizados os nossos justos desejos. Por nosso Senhor &c.

Circuncisão do Senhor e Oitava do Natal 1 de Janeiro

Intróito Is. 9, 6

Puer natus est nobis, et fílius datus est nobis: cujus impénum super húmerum ejus: et vocábitur nomen ejus magni consílii Angelus. Ps. 97, 1 Cantáte Dómino cánticum novum: quia mirabília fecit. V. Gloria Patri &c.
Nasceu para nós um Menino e foi-nos dado um Filho que traz sobre os ombros o manto da realeza, o qual será chamado «Anjo do admirável conselho». Sl. 97, 1 Cantai ao Senhor um hino novo, pois Ele operou maravilhas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui salútis ætérnæ, beátæ Maríæ virginitáte fecúnda, humáno géneri prǽmia præstitísti: tríbue, quǽsumus; ut ipsam pro nobis intercédere sentiámus, per quam merúimus auctórem vitæ suscípere, Dóminum nostrum Jesum Christum, Fílium tuum: Qui tecum vivit &c.
Ó Deus, que pela virgindade fecunda da Bem-aventurada Virgem Maria concedestes ao género humano o prémio da salvação eterna, permiti, Vos imploramos, que gozemos a intercessão daquela pela qual fomos julgados dignos de receber o autor da vida, nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho: Que, sendo Deus, convosco vive e reina &c.

Epístola Tt. 2, 11-15

Léctio Epístolæ beati Pauli Apóstoli ad Titum.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo a Tito.
Caríssime: Appáruit grátia Dei Salvatóris nostri ómnibus homínibus, erúdiens nos, ut, abnegántes impietátem et sæculária desidéria, sóbrie et juste et pie vivámus in hoc sǽculo, exspectántes beátam spem et advéntum glóriæ magni Dei et Salvatóris nostri Jesu Christi: qui dedit semetípsum pro nobis: ut nos redímeret ab omni iniquitáte, et mundáret sibi pópulum acceptábilem, sectatórem bonórum óperum. Hæc lóquere et exhortáre: in Christo Jesu, Dómino nostro.
Caríssimo: A graça de Deus, nosso Salvador, manifestou-se a todos os homens, ensinando-nos, a fim de que, repudiando a impiedade e os apetites terrenos, vivamos neste mundo com temperança, justiça e piedade, pensando na esperança, na bem-aventurança eterna e na vinda da glória do nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo: que se ofereceu espontaneamente por nós, para nos resgatar de toda a iniquidade e tornar-nos numa raça purificada, escolhida e zelosa em suas boas obras. Ensina e prega estas coisas, em Jesus Cristo, nosso Senhor!

Gradual Sl. 97, 3 & 2

Vidérunt omnes fines terræ salutare Dei nostri: jubiláte Deo, omnis terra. V. Notum fecit Dominus salutare suum: ante conspéctum géntium revelávit justitiam suam.
Toda a terra viu o Salvador que o nosso Deus enviou: aclamai, pois, o Senhor, ó povos de toda a terra! V. O Senhor manifestou o Salvador que havia prometido: e manifestou a sua justiça aos olhos dos povos.
Allelúja, allelúja. V. Hebr. 1, 1-2 Multifárie olim Deus loquens pátribus in Prophétis, novíssime diébus istis locútus est nobis in Fílio. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Heb. 1, 1-2 Deus, que outrora falou de diversas maneiras pelos Profetas, dignou-se falar-nos nos últimos tempos pelo seu Filho. Aleluia.

Evangelho Lc. 2, 21

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Postquam consummáti sunt dies octo, ut circumciderétur Puer: vocátum est nomen ejus Jesus, quod vocátum est ab Angelo, priúsquam in útero conciperétur.
Naquele tempo, passados que foram oito dias depois dos quais o Menino devia ser circuncidado, foi-Lhe dado o nome de Jesus, que foi aquele que o Anjo Lhe havia dado, antes de ser concebido no seio de sua Mãe.

Ofertório Sl. 88, 12 & 15

Tui sunt cœli et tua est terra: orbem terrárum et plenitúdinem ejus tu fundásti: justítia et judícium præparátio sedis tuæ.
A Vós, Senhor, pertencem os céus e a terra, pois criastes o universo e tudo o que ele encerra. A justiça e a equidade são a base do vosso trono.

Secreta

Munéribus nostris, quǽsumus, Dómine, precibúsque suscéptis: et cœléstibus nos munda mystériis, et cleménter exáudi. Per Dóminum &c.
Havendo Vós, Senhor, recebido benignamente os nossos dons e orações, dignai-Vos ainda, Vos suplicamos, purificar-nos pela virtude dos vossos celestiais mystérios e ouvir-nos misericordiosamente. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 97, 3

Vidérunt omnes fines terræ salutáre Dei nostri.
Toda a terra viu o Salvador que o nosso Deus enviou.

Postcomúnio

Hæc nos commúnio, Dómine, purget a crímine: et, intercedénte beáta Vírgine Dei Genetríce María, cœléstis remédii fáciat esse consórtes. Per eúndem Dóminum &c.
Que esta comunhão, Senhor, nos purifique de nossos crimes e que por intercessão da B. Virgem Maria, Mãe de Deus, nos torne participantes do remédio celestial. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Santíssimo Nome de Jesus Domingo entre a Festa da Circuncisão e a Epifania

Intróito Fl. 2, 10-11

In nómine Jesu omne genu flectátur, cœléstium, terréstrium et infernórum: et omnis lingua confiteátur, quia Dóminus Jesus Christus in glória est Dei Patris. Ps. 8, 2 Dómine, Dóminus noster, quam admirábile est nomen tuum in univérsa terra! V. Gloria Patri &c.
Que ao ser pronunciado o Nome de Jesus se dobrem todos os joelhos dos que estão no céu, na terra e no inferno: e que toda a língua humana confesse que o Senhor Jesus Cristo está na glória de Deus Pai. Ps. 8, 2 Senhor, nosso Senhor, como o vosso Nome é admirável em todo o universo! V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui unigénitum Fílium tuum constituísti hu máni géneris Salvatórem, ei Jesum vocári jussísti: concéde propítius; ut, cujus sanctum nomen venerámur in terris, ejus quoque aspéctu perfruámur in cœlis. Per eúndem Dóminum &c.
Ó Deus, que constituístes o vosso Filho Unigénito Salvador do mundo e ordenastes que fosse chamado Jesus, concedei-nos propício que, venerando nós o seu Santo Nome na terra, gozemos também a sua presença nos céus. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Epístola Act. 4, 8-12

Léctio Actuum Apostolorum.
Lição dos Actos dos Apóstolos.
In diébus illis: Petrus, replétus Spíritu Sancto, dixit: Príncipes pópuli et senióres, audíte: Si nos hódie dijudicámur in benefácto hóminis infírmi, in quo iste salvus factus est, notum sit ómnibus vobis et omni plebi Israël: quia in nómine Dómini nostri Jesu Christi Nazaréni, quem vos crucifixístis, quem Deus suscitávit a mórtuis, in hoc iste astat coram vobis sanus. Hic est lapis, qui reprobátus est a vobis ædificántibus: qui factus est in caput ánguli: et non est in alio áliquo salus. Nec enim aliud nomen est sub cœlo datum homínibus, in quo opórteat nos salvos fíeri.
Naqueles dias, Pedro, cheio de Espírito Santo, disse: «Príncipes do povo e anciãos de Israel, escutai: Visto que somos hoje julgados por causa dum milagre, concedido a um homem enfermo, para saber por quem foi curado, sabei, vós todos e todo o povo de Israel, que foi curado pelo Nome de Jesus Cristo Nazareno, a quem crucificastes, e que Deus ressuscitou dos mortos. É por Ele que este homem se apresenta diante de vós, plenamente curado. Este Jesus é a pedra que vós, querendo edificar, desprezastes, e que se tornou a pedra principal do ângulo. Não há salvação em nenhum outro nome, pois não existe debaixo do céu outro nome, que tenha sido dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos».

Gradual Sl. 105, 47

Salvos fac nos, Dómine, Deus noster, et cóngrega nos de natiónibus: ut confiteámur nómini sancto tuo, et gloriémur in glória tua. V. Isai. 63, 16 Tu, Dómine, Pater noster et Redémptor noster: a sǽculo nomen tuum.
Salvai-nos, ó Senhor, nosso Deus, e reuni-nos todos no meio das nações, a fim de que confessemos o vosso Santo Nome e nos gloriemos com vossos louvores. V. Isai. 63, 16 Senhor, sois o nosso Pai e Redentor! vosso Nome é eterno!
Allelúja, allelúja. V. Ps. 144, 21 Laudem Dómini loquétur os meum, et benedícat omnis caro nomen sanctum ejus. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 144, 21 Que minha boca anuncie os louvores do Senhor: que toda a carne humana bendiga o seu Santo Nome. Aleluia.

Evangelho Lc. 2, 21

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Postquam consummáti sunt dies octo, ut circumciderétur Puer: vocátum est nomen ejus Jesus, quod vocátum est ab Angelo, priúsquam in útero conciperétur.
Naquele tempo, passados que foram oito dias depois dos quais o Menino devia ser circuncidado, foi-Lhe dado o nome de Jesus, que foi aquele que o Anjo Lhe havia dado, antes de ser concebido no seio de sua Mãe.

Ofertório Sl. 85, 12 & 5

Confitébor tibi, Dómine, Deus meus, in toto corde meo, et glorificábo nomen tuum in ætérnum: quóniam tu, Dómine, suávis et mitis es: et multæ misericórdiæ ómnibus invocántibus te, allelúja.
Louvar-Vos-ei de todo meu coração, ó Senhor, meu Deus: e glorificarei eternamente o vosso Nome; pois Vós, ó Senhor, sois cheio de clemência e de bondade: e as vossas misericórdias estendem-se a todos quantos Vos invocam. Aleluia.

Secreta

Benedíctio tua, clementíssime Deus, qua omnis viget creatúra, sanctíficet, quǽsumus, hoc sacrifícium nostrum, quod ad glóriam nóminis Fílii tui, Dómini nostri Jesu Christi, offérimus tibi: ut majestáti tuæ placére possit ad laudem, et nobis profícere ad salútem. Per eúndem Dóminum &c.
Ó Deus clementíssimo, que a vossa bênção, que dá a vida a todas as criaturas, santifique este nosso sacrifício, que oferecemos em glória do Nome do vosso Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, a fim de que ele possa honrar a vossa majestade, e, agradando-lhe, seja útil à nossa salvação. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 85, 9-10

Omnes gentes, quascúmque fecísti, vénient et adorábunt coram te, Dómine, et glorificábunt nomen tuum: quóniam magnus es tu et fáciens mirabília: tu es Deus solus, allelúja.
Todos os povos, que criastes, virão e se prostrarão diante de Vós, Senhor, adorando-Vos e glorificando o vosso Nome; pois sois grande e praticais prodígios. Só Vós sois Deus. Aleluia.

Postcomúnio

O mnípotens ætérae Deus, qui creásti et redemísti nos, réspice propítius vota nostra: et sacrifícium salutáris hóstiæ, quod in honórem nóminis Fílii tui, Dómini nostri Jesu Christi, majestáti tuæ obtúlimus, plácido et benígno vultu suscípere dignéris; ut grátia tua nobis infúsa, sub glorióso nómine Jesu, ætérnæ prædestinatiónis titulo gaudeámus nómina nostra scripta esse in cœlis. Per eúndem Dóminu &c.
Deus omnipotente e eterno, que nos criastes e resgatastes, olhai benignamente para as nossas ofertas e dignai-Vos aceitar com ânimo suave e piedoso o sacrifício da Hóstia salutar, que oferecemos à vossa majestade em honra do Nome do vosso Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, a fim de que, infundida a vossa graça em nossas almas, possamos alegrar-nos, vendo os nossos nomes escritos nos céus, abaixo do glorioso Nome de Jesus, no livro da eterna predestinação. Pelo mesmo Senhor &c.

Epifania do Senhor 6 de Janeiro

Intróito Ml. 3, 1; 1 Cr. 29, 12

Ecce, advénit dominátor Dóminus: et regnum in manu ejus et potéstas et impérium. Ps. 71, 1 Deus, judícium tuum Regi da: et justítiam tuam Fílio Regis. V. Gloria Patri &c.
Eis que apareceu soberano Senhor: e traz empunhado o ceptro da realeza, do poder e do império. Sl. 71, 1 Ó Deus, concedei ao Rei a graça de saber julgar: e ao Filho do Rei a Vossa justiça. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui hodiérna die Unigénitum tuum géntibus steila duce revelásti: concéde propítius; ut, qui jam te ex fide cognóvimus, usque ad contemplándam spéciem tuæ celsitúdinis perducámur. Per eúndem Dóminum nostrum &c.
Ó Deus, que neste dia manifestastes o vosso Filho Unigénito aos gentios, enviando-lhes uma estrela para os guiar até onde Ele estava, concedei-nos propício que, conhecendo-Vos nós, já, pela fé, consigamos contemplar face a face o esplendor da vossa majestade. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Epístola Is. 60, 1-6

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Surge, illumináre, Jerúsalem: quia venit lumen tuum, et glória Dómini super te orta est. Quia ecce, ténebræ opérient terram et caligo pópulos: super te autem oriétur Dóminus, et glória ejus in te vidébitur. Et ambulábunt gentes in lúmine tuo, et reges in splendóre ortus tui. Leva in circúitu óculos tuos, et vide: omnes isti congregáti sunt, venérunt tibi: fílii tui de longe vénient, et fíliæ tuæ de látere surgent. Tunc vidébis et áfflues, mirábitur et dilatábitur cor tuum, quando convérsa fúerit ad te multitúdo maris, fortitúdo géntium vénerit tibi. Inundátio camelórum opériet te dromedárii Mádian et Epha: omnes de Saba vénient, aurum et thus deferéntes, et laudem Dómino annuntiántes.
Ergue-te e resplandece, Jerusalém, pois a tua luz raiou, e a glória do Senhor brilhou sobre ti. Enquanto as trevas cobrem a terra, e uma noite escura envolve os povos, eis que desponta sobre ti a aurora do Senhor; e a sua glória resplandece em ti. As nações caminharão, guiadas pelo clarão da tua luz, e os reis pelo fulgor da tua aurora. Ergue os teus olhos; volve-os em torno de ti e vê: todos se congregam e vêm a ti. Os teus filhos vêm de longe e as tuas filhas surgirão ao lado. Então, tu o verás e te encontrarás na opulência. O teu coração se alegrará e dilatará, pois, as riquezas do mar virão a ti; os tesouros das nações virão à tua posse! Numerosos camelos e dromedários de Mádian e de Efa virão a ti. Todos os de Sabá virão junto de ti, trazendo ouro e incenso e louvando o Senhor.

Gradual ibid., 6 & 1

Omnes de Saba vénient, aurum et thus deferéntes, et laudem Dómino annuntiántes. V. Surge et illumináre, Jerúsalem: quia glória Dómini super te orta est.
Todos os de Sabá virão, trazendo ouro em incenso e louvando o Senhor. V. Ergue-te, Jerusalém, e resplandece, porque a glória do Senhor brilhou sobre ti.
Allelúja, allelúja. V. Matth. 2, 2 Vídimus stellam ejus in Oriénte, et vénimus cum munéribus adoráre Dóminum. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Mt. 2, 2 Vimos a sua estrela no Oriente e viemos com ofertas adorar o Senhor. Aleluia.

Evangelho Mt. 2, 1-12

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽu.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
Cum natus esset Jesus in Béthlehem Juda in diébus Heródis regis, ecce, Magi ab Oriénte venerunt Jerosólymam, dicéntes: Ubi est, qui natus est rex Judæórum? Vidimus enim stellam ejus in Oriénte, et vénimus adoráre eum. Audiens autem Heródes rex, turbatus est, et omnis Jerosólyma cum illo. Et cóngregans omnes principes sacerdotum et scribas pópuli, sciscitabátur ab eis, ubi Christus nasceretur. At illi dixérunt ei: In Béthlehem Judae: sic enim scriptum est per Prophétam: Et tu, Béthlehem terra Juda, nequaquam mínima es in princípibus Juda; ex te enim éxiet dux, qui regat pópulum meum Israel. Tunc Heródes, clam vocátis Magis, diligénter dídicit ab eis tempus stellæ, quæ appáruit eis: et mittens illos in Béthlehem, dixit: Ite, et interrogáte diligénter de púero: et cum invenéritis, renuntiáte mihi, ut et ego véniens adórem eum. Qui cum audíssent regem, abiérunt. Et ecce, stella, quam víderant in Oriénte, antecedébat eos, usque dum véniens staret supra, ubi erat Puer. Vidéntes autem stellam, gavísi sunt gáudio magno valde. Et intrántes domum, invenérunt Púerum cum María Matre ejus, (hic genuflectitur) ei procidéntes adoravérunt eum. Et, apértis thesáuris suis, obtulérunt ei múnera, aurum, thus et myrrham. Et responso accépto in somnis, ne redírent ad Heródem, per aliam viam revérsi sunt in regiónem suam.
Havendo Jesus nascido em Belém, de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que vieram a Jerusalém os Magos do Oriente, dizendo: «Onde está o rei dos Judeus, que acaba de nascer? Pois vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Logo que o rei Herodes ouviu esta notícia, ficou perturbado, assim como toda a gente de Jerusalém, convocando logo todos os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo, para saber deles onde deveria nascer Cristo. Responderam-lhe eles: «Em Belém, de Judá, pois está escrito pelo Profeta: «E tu, Belém, terra de Judá, não serás certamente a menos importante entre as terras principais de Judá, pois em ti nascerá o Rei, que governará o meu povo de Israel». Então Herodes mandou chamar em segredo os Magos, informando-se com eles diligentemente acerca do tempo em que a estrela havia aparecido. E, enviando-os a Belém, disse-lhes: «Ide, procurai diligentemente o Menino, e, logo que O houverdes achado, avisai-me, para que eu vá, também, adorá-l’O». Os Magos, tendo ouvido estas palavras, partiram. Ora, a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até que, chegando ao lugar onde estava o Menino, parou. Quando os Magos viram a estrela, alegraram-se muito. Entrando, então, na casa, encontraram o Menino com Maria, sua mãe; e, de joelhos, O adoraram. (Todos devem ajoelhar) E, tendo aberto os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes de ouro, incenso e mirra. Depois, havendo tido em sonhos aviso de que não deveriam voltar a encontrar Herodes, retiraram-se por outro caminho para o seu país.

Ofertório Sl. 71, 10-11

Reges Tharsis, et ínsulæ múnera ófferent: reges Arabum et Saba dona addúcent: et adorábunt eum omnes reges terræ, omnes gentes sérvient ei.
Os reis de Társis e as ilhas oferecer-Lhe-ão tributos: Os reis de Arábia e de Sabá levar-Lhe-ão ofertas; todos os reis da terra O adorarão; e todas as nações O servirão.

Secreta

Ecclésiæ tuæ, quǽsumus, Dómine, dona propítius intuere: quibus non jam aurum, thus et myrrha profertur; sed quod eisdem munéribus declarátur, immolátur et súmitur, Jesus Christus, fílius tuus, Dóminus noster: Qui tecum vivit &c.
Dignai-Vos olhar benigno, Senhor, para os dons que a vossa Igreja Vos oferece, não o ouro, o incenso e a mirra, mas o que estas dádivas representam, e que agora é imolado e dado em alimento, Jesus Cristo, vosso Filho, nosso Senhor: Que, sendo Deus &c.

Comúnio Mt. 2, 2

Vídimus stellam ejus in Oriénte, et vénimus cum munéribus adoráre Dóminum.
Vimos a sua estrela no Oriente e viemos com ofertas adorar o Senhor.

Postcomúnio

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, quæ sollémni celebrámus officio, purificátæ mentis intellegéntia consequámur. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente, dignai-Vos purificar inteiramente o nosso espírito, a fim de que compreenda os mystérios que celebrámos neste solene ofício. Por nosso Senhor &c.

Sagrada Família Primeiro Domingo depois da Epifaniaem

Intróito Pr. 23, 24 & 25

Exsúltat gáudio pater Justi, gáudeat Pater tuus et Mater tua, et exsúltet quæ génuit te. Ps. 83, 2-3 Quam dilécta tabernácula tua, Dómine virtútum! concupíscit et déficit ánima mea in átria Dómini. V. Gloria Patri &c.
Que o pai do Justo exulte de alegria, que o vosso Pai e a vossa Mãe se alegrem: que se regozije aquela que te gerou. Sl. 83, 2-3 Como são amáveis os vossos tabernáculos, ó Senhor dos exércitos! Minha alma suspira e enternece-se nos átrios do Senhor. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Dómine Jesu Christe, qui, Maríæ et Joseph súbditus, domésticam vitam ineffabílibus virtútibus consecrásti: fac nos, utriúsque auxílio, Famíliæ sanctæ tuæ exémplis ínstrui; et consórtium cénsequi sempitérnum: Qui vivis &c.
Senhor Jesus Cristo, que, sendo submisso a Maria e a José, consagrastes a vida doméstica com a prática de inefáveis virtudes, dignai-Vos conceder-nos que com o auxílio de um e outro imitemos os exemplos da vossa Sagrada Família e alcancemos a sua eterna companhia: Vós, que, sendo Deus &c.

Epístola Cl. 3, 12-17

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Colossénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Colossenses.
Fratres: Indúite vos sicut elécti Dei, sancti et dilécti, víscera misericórdiæ, benignitátem, humilitátem, modéstiam, patiéntiam: supportántes ínvicem, et donántes vobismetípsis, si quis advérsus áliquem habet querélam: sicut et Dóminus donávit vobis, ita et vos. Super ómnia autem hæc caritátem habéte, quod est vínculum perfectiónis: et pax Christi exsúltet in córdibus vestris, in qua et vocáti estis in uno córpore: et grati estóte. Verbum Christi hábitet in vobis abundánter, in omni sapiéntia, docéntes et commonéntes vosmetípsos psalmis, hymnis et cánticis spirituálibus, in grátia cantántes in córdibus vestris Deo. Omne, quodcúmque fácitis in verbo aut in ópere, ómnia in nómine Dómini Jesu Christi, grátias agéntes Deo et Patri per ipsum.
Meus irmãos: Como escolhidos de Deus, que sois, santos e amados, revesti-vos de sentimentos íntimos de misericórdia, de bondade, de humildade, de modéstia e de paciência, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos reciprocamente, se porventura algum tem motivos de queixa contra o outro. Assim como o Senhor nos perdoou, assim também devemos perdoar uns aos outros. Acima de tudo, tende caridade; pois esta é o vínculo da perfeição. Que a paz de Cristo, à qual também fostes chamados para formar um só corpo, reine nos vossos corações. Sede reconhecidos! Que a palavra de Cristo permaneça profundamente em vós, ensinando-vos e admoestando-vos com toda sua sabedoria por meio dos Salmos, Hinos e Cânticos espirituais, louvando a Deus nos vossos corações com cânticos. Tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em obras, fazei-o em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, dando graças por Ele a Deus Pai.

Gradual Sl. 26, 4

Unam pétii a Dómino, hanc requíram: ut inhábitem in domo Dómini ómnibus diébus vitæ meæ. V. Ps. 83, 5 Beáti, qui hábitant in domo tua, Dómine: in sǽcula sæculórum laudábunt te.
Uma só graça peço ao Senhor, a qual reclamarei: é habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida. V. Sl. 83, 5 Bem-aventurados aqueles que habitam na vossa casa, Senhor; pois louvar-Vos-ão em todos os séculos.
Allelúja, allelúja. V. Isai. 45, 15 Vere tu es Rex abscónditus, Deus Israël Salvátor. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Is. 45, 15 Ó Deus de Israel e nosso Salvador, sois verdadeiramente Rei oculto. Aleluia.

Evangelho Lc. 2, 42-52

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
Cum factus esset Jesus annórum duódecim, ascendéntibus illis Jerosólymam secúndum consuetúdinem diéi festi, consummatísque diébus, cum redírent, remánsit puer Jesus in Jerúsalem, et non cognovérunt paréntes ejus. Existimántes autem illum esse in comitátu, venérunt iter diéi, et requirébant eum inter cognátos et notos. Et non inveniéntes, regréssi sunt in Jerúsalem, requiréntes eum. Et factum est, post tríduum invenérunt illum in templo sedéntem in médio doctórum, audiéntem illos et interrogántem eos. Stupébant autem omnes, qui eum audiébant, super prudéntia et respónsis ejus. Et vidéntes admiráti sunt. Et dixit Mater ejus ad illum: Fili, quid fecísti nobis sic? Ecce, pater tuus et ego doléntes quærebámus te. Et ait ad illos: Quid est, quod me quærebátis? Nesciebátis, quia in his, quæ Patris mei sunt, opórtet me esse? Et ipsi non intellexérunt verbum, quod locútus est ad eos. Et descéndit cum eis, et venit Názareth: et erat súbditus illis. Et Mater ejus conservábat ómnia verba hæc in corde suo. Et Jesus proficiébat sapiéntia et ætáte et grátia apud Deum et hómines.
Quando Jesus completou doze anos de idade, como seus pais tivessem ido a Jerusalém, no tempo da festa, segundo o costume, decorridos que foram os dias da mesma, voltaram para casa, tendo o Menino Jesus ficado em Jerusalém, sem que de tal os pais se apercebessem. Pensando que Ele viria com seus companheiros de jornada, fizeram um dia de viagem, procurando-O depois entre os parentes e os conhecidos. Não O encontrando, voltaram logo a Jerusalém pelo mesmo caminho. Então, aconteceu que, depois de três dias, foram achá-l’O no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. E aqueles que O ouviam estavam admirados da sua sabedoria e das suas respostas. Quando os pais O encontraram, ficaram admirados, dizendo-Lhe logo a Mãe: «Meu Filho, porque procedestes assim para connosco? Eis que vosso pai e eu Vos buscávamos aflitos!» Ele disse-lhes: «Porque me procuráveis? Não sabíeis que é preciso que me ocupe das coisas de meu Pai?», Porém eles não compreenderam o que Jesus lhes disse, Então, desceu com eles, veio para Nazaré e era-lhes obediente. E sua Mãe conservava todas estas coisas no coração. Quanto a Jesus, crescia em sabedoria, em idade e em graça, diante de Deus e dos homens.

Ofertório Lc. 2, 22

Tulérunt Jesum paréntes ejus in Jerúsalem, ut sísterent eum Dómino.
Os pais de Jesus levaram-n’O a Jerusalém para O oferecerem ao Senhor.

Secreta

Placatiónis hostiam offérimus tibi, Dómine, supplíciter deprecántes: ut, per intercessiónem Deíparæ Vírginis cum beáto Joseph, famílias nostras in pace et grátia tua fírmiter constítuas. Per eúndem Dóminum &c.
Vos oferecemos, Senhor, esta hóstia de propiciação, suplicando-Vos humildemente que, pela intercessão da Virgem, Mãe de Deus, e do B. José, estabeleçais solidamente as nossas famílias na vossa paz e na vossa graça. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Comúnio Lc. 2, 51

Descéndit Jesus cum eis, et venit Názareth, et erat súbditus illis.
Jesus desceu com eles, veio para Nazaré e era-lhes obediente.

Postcomúnio

Quos cœléstibus réficis sacraméntis, fac, Dómine Jesu, sanctæ Famíliæ tuæ exémpla júgiter imitári: ut in hora mortis nostræ, occurrénte gloriósa Vírgine Matre tua cum beáto Joseph; per te in ætérna tabernácula récipi mereámur: Qui vivis &c.
Senhor Jesus, concedei àqueles que se saciam com vossos celestiais sacramentos a graça de imitarem continuamente os exemplos da vossa Sagrada Família, a fim de que na hora da nossa morte a gloriosa Virgem, vossa Mãe, e o B. José venham ao nosso encontro, merecendo sermos recebidos por Vós nos tabernáculos eternos: Ó Vós, que &c.

Domingo dentro do Oitavário da Epifania

Intróito

In excélso throno vidi sedére virum, quem adórat multitúdo Angelórum, psalléntes in unum: ecce, cujus impérii nomen est in ætérnum. Ps. 99, 1 Jubiláte Deo, omnis terra: servíte Dómino in lætítia. V. Gloria Patri &c.
Vi um Homem, sentado em um trono muito elevado, a quem a multidão dos Anjos adorava, cantando em coro de vozes: «Eis Aquele cujo império é eterno!» Sl. 99, 1 Aclamai jubilosamente o Senhor, ó habitantes da terra: obedecei ao Senhor com alegria. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Vota, quǽsumus, Dómine, supplicántis pópuli cœlésti pietáte proséquere: ut et, quæ agénda sunt, vídeant, et ad implénda, quæ víderint, convaléscant Per Dóminum nostrum &c.
Aceitai, Senhor, com vossa celestial bondade os votos do vosso povo suplicante; e, Vos imploramos, permiti que os vossos servos conheçam o que devem cumprir e tenham coragem de cumprir o que conhecem. Por nosso Senhor &c.

Epístola Rm. 12, 1-5

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Romános.
Lição da Ep.ª do B. Ap. Paulo aos Romanos.
Fratres: Obsecro vos per misericórdiam Dei, ut exhibeátis córpora vestra hóstiam vivéntem, sanctam, Deo placéntem, rationábile obséquium vestrum. Et nolíte conformári huic sǽculo, sed reformámini in novitáte sensus vestri: ut probétis, quæ sit volúntas Dei bona, et benéplacens, et perfécta. Dico enim per grátiam, quæ data est mihi, ómnibus qui sunt inter vos: Non plus sápere, quam opórtet sápere, sed sápere ad sobrietátem: et unicuique sicut Deus divísit mensúram fídei. Sicut enim in uno córpore multa membra habémus, ómnia autem membra non eúndem actum habent: ita multi unum corpus sumus in Christo, sínguli autem alter alteríus membra: in Christo Jesu, Dómino nostro.
Meus irmãos: Peço-vos pela misericórdia de Deus que ofereçais os vossos corpos como hóstia viva, santa e agradável a Deus, para que o culto que Lhe prestais seja racional. Não vos conformeis com os costumes; mas reformai-vos com a graça do espírito novo, que agora possuís, para que conheçais qual é a vontade de Deus, o que é bom, agradável e perfeito. Exorto-vos, pois, a todos vós, pela graça que me foi dada, que não formeis de vós um juízo muito elevado, mas que tenhais sentimentos modestos de vós, cada um conforme a medida que Deus lhe concedeu. Porquanto, assim como em um só corpo temos muitos membros (os quais, contudo, não têm a mesma função), assim também, ainda que sejamos vários, contudo formamos um só corpo em Jesus Cristo, sendo cada um de nós em particular membros uns dos outros, em Jesus Cristo, nosso Senhor.

Gradual Sl. 71, 18 & 3

Benedíctus Dóminus, Deus Israël, qui facit mirabília magna solus a sǽculo. V. Suscípiant montes pacem pópulo tuo, et colles justítiam.
Bendito seja o Senhor Deus de Israel, pois somente Ele opera prodígios em todos os séculos. V. Que os montes do vosso povo sejam bafejados pela paz: e as colinas pela justiça.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 99, 1 Jubiláte Deo, omnis terra: servíte Dómino in lætítia. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 99, 1 Aclamai jubilosamente o Senhor, ó habitantes da terra: obedecei ao Senhor com alegria. Aleluia.

Evangelho Lc. 2, 42-52

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
Cum factus esset Jesus annórum duódecim, ascendéntibus illis Jerosólymam secúndum consuetúdinem diéi festi, consummatísque diébus, cum redírent, remánsit puer Jesus in Jerúsalem, et non cognovérunt paréntes ejus. Existimántes autem illum esse in comitátu, venérunt iter diéi, et requirébant eum inter cognátos et notos. Et non inveniéntes, regréssi sunt in Jerúsalem, requiréntes eum. Et factum est, post tríduum invenérunt illum in templo sedéntem in médio doctórum, audiéntem illos et interrogántem eos. Stupébant autem omnes, qui eum audiébant, super prudéntia et respónsis ejus. Et vidéntes admiráti sunt. Et dixit Mater ejus ad illum: Fili, quid fecísti nobis sic? Ecce, pater tuus et ego doléntes quærebámus te. Et ait ad illos: Quid est, quod me quærebátis? Nesciebátis, quia in his, quæ Patris mei sunt, opórtet me esse? Et ipsi non intellexérunt verbum, quod locútus est ad eos. Et descéndit cum eis, et venit Názareth: et erat súbditus illis. Et Mater ejus conservábat ómnia verba hæc in corde suo. Et Jesus proficiébat sapiéntia et ætáte et grátia apud Deum et hómines.
Quando Jesus completou doze anos de idade, como seus pais tivessem ido a Jerusalém, no tempo da festa, segundo o costume, decorridos que foram os dias da mesma, voltaram para casa, tendo o Menino Jesus ficado em Jerusalém, sem que de tal os pais se apercebessem. Pensando que Ele viria com seus companheiros de jornada, fizeram um dia de viagem, procurando-O depois entre os parentes e os conhecidos. Não O encontrando, voltaram logo a Jerusalém pelo mesmo caminho. Então, aconteceu que, depois de três dias, foram achá-l’O no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. E aqueles que O ouviam estavam admirados da sua sabedoria e das suas respostas. Quando os pais O encontraram, ficaram admirados, dizendo-Lhe logo a Mãe: «Meu Filho, porque procedestes assim para connosco? Eis que vosso pai e eu Vos buscávamos aflitos!» Ele disse-lhes: «Porque me procuráveis? Não sabíeis que é preciso que me ocupe das coisas de meu Pai?», Porém eles não compreenderam o que Jesus lhes disse, Então, desceu com eles, veio para Nazaré e era-lhes obediente. E sua Mãe conservava todas estas coisas no coração. Quanto a Jesus, crescia em sabedoria, em idade e em graça, diante de Deus e dos homens.

Ofertório Sl. 99, 1 & 2

Jubiláte Deo, omnis terra, servíte Dómino in lætítia: intráte in conspéctu ejus in exsultatióne: quia Dóminus ipse est Deus.
Aclamai jubilosamente o Senhor, ó habitantes da terra: obedecei ao Senhor com alegria: apresentai-vos diante d’Ele com alegria; pois Ele é bom.

Secreta

Oblátum tibi, Dómine, sacrificium vivíficet nos semper et múniat. Per Dóminum nostrum &c.
Fazei, Senhor, que este sacrifício, que Vos é oferecido, sempre nos vivifique e conforte. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Lc. 2, 48 & 49

Fili, quid fecísti nobis sic? ego et pater tuus doléntes quærebámus te. Et quid est, quod me quærebátis? nesciebátis, quia in his, quæ Patris mei sunt, opórtet me esse?
Meu filho, porque procedestes assim para connosco? Eis que o vosso pai e eu Vos buscávamos aflitos! E porque me procuráveis? Não sabíeis que é preciso que me ocupe das coisas de meu Pai?

Postcomúnio

Súpplices te rogámus, omnípotens Deus: ut, quos tuis réfícis sacraméntis, tibi etiam plácitis móribus dignánter deservíre concédas. Per Dóminum &c.
Humildemente Vos suplicamos, ó Deus omnipotente, concedei àqueles que se sustentam com vossos sacramentos a graça de Vos servirem com actos que Vos sejam agradáveis. Por nosso Senhor &c.

Dia da oitava da Epifania 13 de Janeiro

Como no dia da Festa da Epifania, na página epifania, excepto o seguinte:

Oração

Deus, cujus Unigénitus in substántia nostræ carnis appáruit: præsta, quǽsumus; ut per eum, quem símilem nobis foris agnóvimus, intus reformári mereámur: Qui tecum &c.
Ó Deus, cujo Filho Unigénito apareceu na terra revestido com a substância da nossa carne, permiti, Vos rogamos, que mereçamos a graça de sermos reformados interiormente por Aquele que reconhecemos semelhante a nós exteriormente. Ele, que, sendo Deus &c.

Evangelho Jo. 1, 29-34

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Vidit Joánnes Jesum veniéntem ad se, et ait: Ecce Agnus Dei, ecce, qui tollit peccátum mundi. Hic est, de quo dixi: Post me venit vir, qui ante me factus est: quia prior me erat. Et ego nesciébam eum, sed ut manifestétur in Israël, proptérea veni ego in aqua baptízans. Et testimónium perhíbuit Joánnes, dicens: Quia vidi Spíritum descendéntem quasi colúmbam de cœlo, et mansit super eum. Et ego nesciébam eum: sed qui misit me baptizáre in aqua, ille mihi dixit: Super quem víderis Spíritum descendéntem, et manéntem super eum, hic est, qui baptízat in Spíritu Sancto. Et ego vidi: et testimónium perhíbui, quia hic est Fílius Dei.
Naquele tempo, João viu Jesus, que caminhava para ele, e disse: «Eis o Cordeiro de Deus, eis o que tira o pecado do mundo. Este é Aquele de quem eu disse: «Depois de mim vem um homem, que me precedeu, porque já existia antes de mim. Eu O não conhecia, mas foi para que Ele fosse manifestado a Israel que vim baptizar na água». E João deu este testemunho, dizendo: «Eu vi o Espírito descer do céu, sob a forma de uma pomba, e pousar sobre Ele. Eu O não conhecia, mas Aquele que me enviou a baptizar na água disse-me: «Aquele sobre quem vires o Espírito descer e pousar é o que baptiza no Espírito Santo». Eu vi isto e afirmo que Ele é o Filho de Deus».

Secreta

Hóstias tibi, Dómine, pro nati Fílii tui apparitióne deférimus, supplíciter exorántes: ut, sicut ipse nostrórum auctor est múnerum, ita sit ipse miséricors et suscéptor, Jesus Christus, Dóminus noster: Qui tecum &c.
Senhor, Vos oferecemos sacrifícios em memória da manifestação do vosso Filho, que nasceu no mundo, suplicando-Vos que, assim como Jesus Cristo, nosso Senhor, é o autor destes dons, assim também os aceites misericordiosamente. Ele, que, sendo Deus &c.

Postcomúnio

Cœlésti lúmine, quǽsumus, Dómine, semper et ubíque nos prǽveni: ut mystérium, cujus nos partícipes esse voluísti, et puro cernámus intúitu, et digno percipiámus affectu. Per Dóminum nostrum &c.
Dignai-Vos assistir-nos sempre e em toda a parte com vossa celestial luz, Senhor, Vos pedimos, a fim de que, assim corno quisestes que participássemos deste mystério, assim também possamos contemplá-lo com olhos puros e recebê-lo com afecto digno. Por nosso Senhor &c.

Segundo Domingo depois da Epifania

Intróito Sl. 65, 4

Omnis terra adóret te, Deus, et psallat tibi: psalmum dicat nómini tuo, Altíssime. Ps. ibid., 1-2 Jubiláte Deo, omnis terra, psalmum dícite nómini ejus: date glóriam laudi ejus. V. Gloria Patri &c.
Que todo o universo Vos adore, ó Deus, e cante hinos em vosso louvor: Que toda a terra louve com cânticos a vossa glória, ó Altíssimo! Sl. ibid., 1-2 Aclamai jubilosamente o Senhor, ó habitantes da terra: cantai hinos em honra do seu nome: glorificai-O com vossos louvores. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Omnípotens sempitérne Deus, qui cœléstia simul et terréna moderáris: supplicatiónes pópuli tui cleménter exáudi; et pacem tuam nostris concéde tempóribus. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente e eterno, que governais ao mesmo tempo o céu e a terra, ouvi misericordiosamente as súplicas do vosso povo, e concedei a vossa paz aos nossos tempos. Por nosso Senhor &c.

Epístola

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Romános.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Romanos.
Fratres: Habéntes donatiónes secúndum grátiam, quæ data est nobis, differéntes: sive prophétiam secúndum ratiónem fídei, sive ministérium in ministrándo, sive qui docet in doctrína, qui exhortátur in exhortándo, qui tríbuit in simplicitáte, qui præest in sollicitúdine, qui miserétur in hilaritáte. Diléctio sine simulatióne. Odiéntes malum, adhæréntes bono: Caritáte fraternitátis ínvicem diligéntes: Honóore ínvicem præveniénte s: Sollicitúdine non pigri: Spíritu fervéntes: Dómino serviéntes: Spe gaudéntes: In tribulatióne patiéntes: Oratióni instántes: Necessitátibus sanctórum communicántes: Hospitalitátem sectántes. Benedícite persequéntibus vos: benedícite, et nolíte maledícere. Gaudére cum gaudéntibus, flere cum fléntibus: Idípsum ínvicem sentiéntes: Non alta sapiéntes, sed humílibus consentiéntes.
Visto que todos recebemos dons diferentes, conforme a graça que nos foi dada, assim, pois, aquele que recebeu o dom da profecia, exerça-a, segundo a regra da fé; aquele que foi chamado para o ministério do ensino, exerça-o; aquele que recebeu o dom de exortar, exorte; aquele que dá esmola, dê-a com simplicidade; aquele que governa, governe com solicitude; aquele que pratica as obras de misericórdia, pratique-as com alegria. Que a vossa caridade seja sem fingimento. Odiai o mal e amai o bem. Amai-vos reciprocamente com amor fraternal, sendo cada um solícito em honrar o outro. Com o zelo vencei a preguiça; conservai o fervor no espírito; servi o Senhor; alegrai-vos na esperança; sede pacientes nas tribulações; assíduos na oração; prontos em socorrer as necessidades dos fiéis; praticai a hospitalidade; abençoai aqueles que vos perseguem: abençoai-os e não os amaldiçoeis; alegrai-vos com os que estão alegres; chorai com os que choram; tende entre vós os mesmos sentimentos; não aspireis ao que é elevado, mas aceitai o que é humilde.

Gradual Sl. 106, 20-21

Misit Dóminus verbum suum, et sanávit eos: et erípuit eos de intéritu eórum. V. Confiteántur Dómino misericórdiæ ejus: et mirabília ejus fíliis hóminum.
Enviou o Senhor a sua palavra; curou-os e livrou-os da morte. V. Louvai o Senhor pela sua misericórdia: e pelos seus prodígios para com os filhos dos homens.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 148, 2 Laudáte Dóminum, omnes Angeli ejus: laudáte eum, omnes virtútes ejus. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 148, 2 Louvai o Senhor, vós todos, que sois os seus Anjos: louvai-O, vós todos, que sois os seus exércitos. Aleluia.

Evangelho Jo. 2, 1-11

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Núptiæ factæ sunt in Cana Galilǽæ: et erat Mater Jesu ibi. Vocátus est autem et Jesus, et discípuli ejus ad núptias. Et deficiénte vino, dicit Mater Jesu ad eum: Vinum non habent. Et dicit ei Jesus: Quid mihi et tibi est, mulier? nondum venit hora mea. Dicit Mater ejus minístris: Quodcúmque díxerit vobis, fácite. Erant autem ibi lapídeæ hýdriæ sex pósitæ secúndum purificatiónem Judæórum, capiéntes síngulæ metrétas binas vel ternas. Dicit eis Jesus: Implete hýdrias aqua. Et implevérunt eas usque ad summum. Et dicit eis Jesus: Hauríte nunc, et ferte architriclíno. Et tulérunt. Ut autem gustávit architriclínus aquam vinum fáctam, et non sciébat unde esset, minístri autem sciébant, qui háuserant aquam: vocat sponsum architriclínus, et dicit ei: Omnis homo primum bonum vinum ponit: et cum inebriáti fúerint, tunc id, quod detérius est. Tu autem servásti bonum vinum usque adhuc. Hoc fecit inítium signórum Jesus in Cana Galilǽæ: et manifestávit glóriam suam, et credidérunt in eum discípuli ejus.
Naquele tempo, celebraram-se as bodas em Caná, de Galileia, e a Mãe de Jesus estava presente. Jesus foi também convidado com seus discípulos para assistir às núpcias. Havendo, então, faltado o vinho, a Mãe de Jesus disse-Lhe: «Não têm vinho». Jesus respondeu-lhe: «Mulher, que tenho Eu e vós com isso? Ainda não chegou a minha hora». Mas sua Mãe disse aos servos: «Fazei tudo quanto Ele vos disser». Ora, estavam ali seis talhas de pedra para servirem nas purificações dos judeus, contendo cada uma delas duas ou três medidas. Jesus disse-lhes então: «Enchei as talhas com água». Eles as encheram até acima. E Jesus continuou: «Tirai, agora, e levai ao que dirige o banquete». Eles assim fizeram. Logo que o que dirigia o banquete provou o vinho (ele não sabia donde viera este vinho, mas os servos, que haviam tirado a água, sabiam) chamou o esposo e disse-lhe: «Todo o homem serve primeiramente o bom vinho, e depois que se bebe dele abundantemente é que serve o inferior; tu, porém, guardaste o melhor até este momento». Tal foi, ó Caná, de Galileia, o primeiro milagre que Jesus fez! Assim manifestou a sua glória, acreditando n’Ele os seus discípulos.

Ofertório Sl. 65, 1-2 & 16

Jubiláte Deo, univérsa terra: psalmum dícite nómini ejus: veníte et audíte, et narrábo vobis, omnes qui timétis Deum, quanta fecit Dóminus ánimæ meæ, allelúja.
Aclamai jubilosamente o Senhor, ó habitantes da terra: cantai hinos em honra do seu nome! Vinde e ouvi, vós todos, que temeis Deus, e contar-vos-ei as graças que o Senhor fez à minha alma. Aleluia.

Secreta

Oblata, Dómine, múnera sanctífica: nosque a peccatórum nostrórum máculis emúnda. Per Dóminum nostrum &c.
Santificai, Senhor, as oblatas que Vos oferecemos; e purificai-nos das manchas dos nossos pecados. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Jo. 2, 7, 8, 9 & 10-11

Dicit Dóminus: Implete hýdrias aqua et ferte architriclíno. Cum gustásset architriclínus aquam vinum factam, dicit sponso: Servásti bonum vinum usque adhuc. Hoc signum fecit Jesus primum coram discípulis suis.
Disse o Senhor: «Enchei estas talhas com água e levai-as ao que dirige o banquete». E, logo que o que dirigia o banquete provou a água, mudada em vinho, disse ao esposo: «Tu guardaste o bom vinho até este momento!». Tal foi o primeiro milagre que Jesus fez na presença de seus discípulos.

Postcomúnio

Augeátur in nobis, quǽsumus, Dómine, tuæ virtútis operatio: ut divínis vegetáti sacraméntis, ad eórum promíssa capiénda, tuo múnere præparémur. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, dignai-Vos aumentar em nós os efeitos do vosso poder, a fim de que, alimentados com os divinos sacramentos, nos preparemos com vossa graça para alcançar os benefícios, de que são o penhor. Por nosso Senhor &c.

Terceiro Domingo depois da Epifania

Intróito Sl. 96, 7-8

Adoráte Deum, omnes Angeli ejus: audívit, et lætáta est Sion: et exsultavérunt fíliæ Judae. Ps. ibid., 1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. V. Gloria Patri &c.
Adorai a Deus, ó vós, que sois os seus Anjos. Ouviu Sião e rejubilou: e as filhas de Judá exultaram de alegria. Sl. ibid., 1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Omnípotens sempitérne Deus, infirmitatem nostram propítius réspice: atque, ad protegéndum nos, déxteram tuæ majestátis exténde. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente e eterno, olhai benigno para a nossa fraqueza, e que a vossa majestade nos estenda a sua dextra para nos proteger continuamente. Por nosso Senhor &c.

Epístola Rm. 12, 16-21

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Romános.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Romanos.
Fratres: Nolíte esse prudéntes apud vosmetípsos: nulli malum pro malo reddéntes: providéntes bona non tantum coram Deo, sed étiam coram ómnibus homínibus. Si fíeri potest, quod ex vobis est, cum ómnibus homínibus pacem habéntes: Non vosmetípsos defendéntes, caríssimi, sed date locum iræ. Scriptum est enim: Mihi vindícta: ego retríbuam, dicit Dóminus. Sed si esuríerit inimícus tuus, ciba illum: si sitit, potum da illi: hoc enim fáciens, carbónes ignis cóngeres super caput ejus. Noli vinci a malo, sed vince in bono malum.
Meus irmãos: Não presumais que sois prudentes; não retribuais a ninguém o mal com o mal; antes praticai cuidadosamente o bem, tanto diante de Deus, como perante os homens. Vivei em paz com todos os homens, tanto quanto seja possível e dependa de vós. Não vos vingueis vós próprios, caríssimos, mas deixai operar a justiça de Deus, pois está escrito: «a vingança pertence-me; Eu é que a exercerei, diz o Senhor». Se o vosso inimigo tem fome, dai-lhe de comer; se tem sede, dai-lhe de beber; pois, se assim procederdes, reunireis brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não vos deixeis vencer pelo mal; mas triunfai do mal, praticando o bem.

Gradual Sl. 101, 16-17

Timébunt gentes nomen tuum, Dómine, et omnes reges terræ glóriam tuam. V. Quóniam ædificávit Dóminus Sion, et vidébitur in majestáte sua.
As nações temerão o vosso nome, Senhor; e todos os reis da terra contemplarão a vossa glória. V. Pois o Senhor reedificou Sião: e manifestar-se-á aí na sua majestade.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 96, 1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Ps. 96, 1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. Aleluia.

Evangelho Mt. 8, 1-13

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Cum descendísset Jesus de monte, secútæ sunt eum turbæ multæ: et ecce, leprósus véniens adorábat eum, dicens: Dómine, si vis, potes me mundáre. Et exténdens Jesus manum, tétigit eum, dicens: Volo. Mundáre. Et conféstim mundáta est lepra ejus. Et ait illi Jesus: Vide, némini díxeris: sed vade, osténde te sacerdóti, et offer munus, quod præcépit Móyses, in testimónium illis. Cum autem introísset Caphárnaum, accéssit ad eum centúrio, rogans eum et dicens: Dómine, puer meus jacet in domo paralýticus, et male torquetur. Et ait illi Jesus: Ego véniam, et curábo eum. Et respóndens centúrio, ait: Dómine, non sum dignus, ut intres sub tectum meum: sed tantum dic verbo, et sanábitur puer meus. Nam et ego homo sum sub potestáte constitútus, habens sub me mílites, et dico huic: Vade, et vadit; et alii: Veni, et venit; et servo meo: Fac hoc, et facit. Audiens autem Jesus, mirátus est, et sequéntibus se dixit: Amen, dico vobis, non inveni tantam fidem in Israël. Dico autem vobis, quod multi ab Oriénte et Occidénte vénient, et recúmbent cum Abraham et Isaac et Jacob in regno cœlórum: fílii autem regni ejiciéntur in ténebras exterióres: ibi erit fletus et stridor déntium. Et dixit Jesus centurióni: Vade et, sicut credidísti, fiat tibi. Et sanátus est puer in illa hora.
Naquele tempo, descendo Jesus do monte, era acompanhado por numerosas pessoas. Eis que veio ter com Ele um leproso, adorando-O e dizendo-Lhe: «Senhor, se quiserdes, podeis curar-me». Então, Jesus, estendendo a mão, tocou-o e disse: «Quero; sê curado». E no mesmo instante ficou limpo da lepra. E Jesus disse-lhe: «Ouve: não digas nada a ninguém; mas vai, mostra-te aos sacerdotes e oferece-lhes a dádiva que Moisés prescreveu, a fim de que ela seja testemunha da tua cura». E entrando Jesus em Cafarnaum, aproximou-se d’Ele um centurião, pedindo e dizendo: «Senhor, o meu servo está na cama paralítico e sofre cruelmente». Jesus disse-lhe: «Eu irei e o curarei». O centurião respondeu-Lhe: «Senhor, não sou digno de que entreis sob o meu telhado; dizei somente uma palavra e o meu servo será curado. Pois eu, que sou um homem submisso à autoridade dos meus superiores, tenho soldados sob as minhas ordens e digo a um deles: vai. E ele vai. E digo a um outro vem. E ele vem. E digo a meu servo: faz isto. E ele faz». Ouvindo Jesus isto, mostrou-se admirado e disse: «Em verdade vos digo que não encontrei ainda uma fé tão grande em Israel! Assim vos digo: que muitos virão do Oriente e do Ocidente e terão lugar no banquete com Abraão, Isaque e Jacob no reino dos céus; mas os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores, onde haverá choro e ranger de dentes». Então Jesus disse ao centurião: «Vai; e que se faça segundo a tua crença». E naquela hora ficou curado o servo.

Ofertório Sl. 117, 16 & 17

Déxtera Dómini fecit virtutem, déxtera Dómini exaltávit me: non móriar, sed vivam, et narrábo ópera Dómini.
A dextra do Senhor mostrou o seu poder: a dextra do Senhor exaltou-me. Não morrerei: viverei e nanarei os prodígios do Senhor.

Secreta

Hæc hóstia, Dómine, quǽsumus, emúndet nostra delícta: et, ad sacrifícium celebrándum, subditórum tibi córpora mentésque sanctíficet. Per Dóminum &c.
Que esta hóstia, Senhor, Vos suplicamos, nos purifique dos nossos delitos, e santifique as almas e os corpos dos vossos súbditos, para que dignamente celebremos este sacrifício. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Lc. 4, 22

Mirabántur omnes de his, quæ procedébant de ore Dei.
Todos estavam admirados das palavras que saíam da boca de Deus.

Postcomúnio

Quos tantis, Dómine, largíris uti mystériis: quǽsumus; ut efféctibus nos eórum veráciter aptáre dignéris. Per Dóminum &c.
Senhor, já que nos concedestes a graça de participarmos destes tão augustos mystérios, tornai-nos dignos, Vos suplicamos, de recebermos com eficácia os seus efeitos. Por nosso Senhor &c.

Quarto Domingo depois da Epifania

Intróito Sl. 96, 7-8

Adoráte Deum, omnes Angeli ejus: audívit, et lætáta est Sion: et exsultavérunt fíliæ Judae. Ps. ibid., 1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. V. Gloria Patri &c.
Adorai a Deus, ó vós, que sois os seus Anjos. Ouviu Sião: e rejubilou: e as filhas de Judá exultaram de alegria. Sl. ibid., 1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui nos, in tantis perículis constitútos, pro humána scis fragilitáte non posse subsístere: da nobis salútem mentis et córporis; ut ea, quæ pro peccátis nostris pátimur, te adjuvánte vincámus. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que conheceis não poder a fraqueza humana subsistir no meio de tantos perigos que nos cercam, concedei-nos a saúde da alma e do corpo, a fim de que com vosso auxílio possamos vencer os males que devemos sofrer em castigo dos pecados. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que &c.

Epístola Rm. 13, 8-10

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Romános.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Romanos.
Fratres: Némini quidquam debeátis, nisi ut ínvicem diligátis: qui enim díligit próximum, legem implévit. Nam: Non adulterábis, Non occídes, Non furáberis, Non falsum testimónium dices, Non concupísces: et si quod est áliud mandátum, in hoc verbo instaurátur: Díliges próximum tuum sicut teípsum. Diléctio próximi malum non operátur. Plenitúdo ergo legis est diléctio.
Meus irmãos: Não sejais devedores a ninguém de coisa alguma, senão do amor que deveis uns aos outros; pois aquele que ama o seu próximo cumpre a lei. Com efeito, estes mandamentos de Deus: não cometerás adultério; não matarás; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não cobiçarás as coisas alheias, e todos os outros mandamentos que há, resumem-se nestas palavras: amarás ao teu próximo como a ti próprio. O amor ao próximo não permite que se lhe faça mal. O amor é, portanto, a plenitude da lei.

Gradual Sl. 101, 16-17

Timébunt gentes nomen tuum, Dómine, et omnes reges terræ glóriam tuam. V. Quóniam ædificávit Dóminus Sion, et vidébitur in majestáte sua.
As nações temerão o vosso nome, Senhor; e todos os reis da terra contemplarão a vossa glória. V. Pois o Senhor reedificou Sião: e manifestar-se-á aí na sua majestade.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 96, 1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 96, 1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. Aleluia.

Evangelho Mt. 8, 23-27

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Ascendénte Jesu in navículam, secúti sunt eum discípuli ejus: et ecce, motus magnus factus est in mari, ita ut navícula operirétur flúctibus, ipse vero dormiébat. Et accessérunt ad eum discípuli ejus, et suscitavérunt eum, dicéntes: Dómine, salva nos, perímus. Et dicit eis Jesus: Quid tímidi estis, módicæ fídei? Tunc surgens, imperávit ventis et mari, et facta est tranquíllitas magna. Porro hómines miráti sunt, dicéntes: Qualis est hic, quia venti et mare obœdiunt ei?
Naquele tempo, Jesus entrou em uma barca, sendo acompanhado pelos seus discípulos. E eis que uma grande tempestade surgiu do mar, de modo que as ondas cobriam a barca. Jesus dormia. Os discípulos aproximaram-se, então, de Jesus, dizendo: «Senhor, salvai-nos, pois perecemos!». Jesus disse-lhes: «Porque receais, homens de pouca fé?». E, erguendo-se, impôs a sua vontade aos ventos e ao mar; e fez-se uma grande bonança. E aqueles homens admiraram-se, dizendo: «Quem é Este, que até os ventos e o mar Lhe obedecem?!».

Ofertório Sl. 117, 16 & 17

Déxtera Dómini fecit virtutem, déxtera Dómini exaltávit me: non móriar, sed vivam, et narrábo ópera Dómini.
A dextra do Senhor mostrou o seu poder: a dextra do Senhor exaltou-me. Não morrerei: viverei e narrarei os prodígios do Senhor.

Secreta

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut hujus sacrifícii munus oblátum fragilitátem nostram ab omni malo purget semper et múniat. Per Dóminum &c.
Vos suplicamos, fazei que a hóstia oferecida neste sacrifício livre a nossa fraqueza de todo o mal e a fortifique para o futuro. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Lc. 4, 22

Mirabántur omnes de his, quæ procedébant de ore Dei.
Todos estavam admirados das palavras que saíam da boca de Deus.

Postcomúnio

Múnera tua nos, Deus, a delectatiónibus terrenis expédiant: et cœléstibus semper instáurent aliméntis. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que estes vossos dons nos afastem dos gozos terrenos, e nos restaurem com seu alimento celestial. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que &c.

Quinto Domingo depois da Epifania

Intróito Sl. 96, 7-8

Adoráte Deum, omnes Angeli ejus: audívit, et lætáta est Sion: et exsultavérunt fíliæ Judae. Ps. ibid., 1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. V. Gloria Patri &c.
Adorai a Deus, ó vós, que sois os seus Anjos. Ouviu Sião: e rejubilou: e as filhas de Judá exultaram de alegria. Sl. ibid., 1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Famíliam tuam, quǽsumus, Dómine, contínua pietáte custódi: ut, quæ in sola spe grátiæ cœléstis innítitur, tua semper protectióne muniátur. Per Dóminum &c.
Senhor, dignai-Vos revestir a vossa família com vossa perpétua misericórdia, e, como ela não possui outra esperança senão a da vossa celestial graça, permiti que esteja sempre munida com vossa protecção. Por nosso Senhor &c.

Epístola Cl. 3, 12-17

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Colossénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Colossenses.
Fratres: Indúite vos sicut electi Dei, sancti et dilecti, víscera misericórdiæ, benignitátem, humilitátem, modéstiam, patiéntiam: supportántes ínvicem, et donántes vobismetípsis, si quis advérsus áliquem habet querélam: sicut et Dóminus donávit vobis, ita et vos. Super ómnia autem hæc caritátem habéte, quod est vínculum perfectionis: et pax Christi exsúltet in córdibus vestris, in qua et vocáti estis in uno córpore: et grati estóte. Verbum Christi hábitet in vobis abundánter, in omni sapiéntia, docéntes et commonéntes vosmetípsos psalmis, hymnis et cánticis spirituálibus, in grátia cantántes in córdibus vestris Deo. Omne, quodcúmque fácitis in verbo aut in ópere, ómnia in nómine Dómini Jesu Christi, grátias agéntes Deo et Patri per Jesum Christum, Dóminum nostrum.
Meus irmãos: Como escolhidos de Deus, que sois, santos e amados, revesti-vos de sentimentos íntimos de misericórdia, de bondade, de humildade, de modéstia e de paciência, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos reciprocamente, se porventura algum tem motivos de queixa contra o outro. Assim como o Senhor nos perdoou, assim também devemos perdoar uns aos outros. Acima de tudo, tende caridade; pois esta é o vínculo da perfeição. Que a paz de Cristo, à qual também fostes chamados para formar um só corpo, reine nos vossos corações. Sede reconhecidos! Que a palavra de Cristo permaneça profundamente em vós, ensinando-vos e admoestando-vos com toda sua sabedoria por meio dos Salmos, Hinos e Cânticos espirituais, louvando a Deus nos vossos corações com cânticos. Tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em obras, fazei-o em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, dando graças por Ele a Deus Pai.

Gradual Sl. 101, 16-17

Timébunt gentes nomen tuum, Dómine, et omnes reges terræ glóriam tuam. V. Quóniam ædificávit Dóminus Sion, et vidébitur in majestáte sua.
As nações temerão o vosso nome, Senhor; e todos os reis da terra contemplarão a vossa glória. V. Pois o Senhor reedificou Sião: e manifestar-se-á aí na sua majestade.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 96,1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 96,1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. Aleluia.

Evangelho Mt. 13, 24-30

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus turbis parábolam hanc: Símile factum est regnum cœlórum hómini, qui seminávit bonum semen in agro suo. Cum autem dormírent hómines, venit inimícus ejus, et superseminávit zizánia in médio trítici, et ábiit. Cum autem crevísset herba et fructum fecísset, tunc apparuérunt et zizánia. Accedéntes autem servi patrisfamílias, dixérunt ei: Dómine, nonne bonum semen seminásti in agro tuo? Unde ergo habet zizánia? Et ait illis: Inimícus homo hoc fecit. Servi autem dixérunt ei: Vis, imus, et collígimus ea? Et ait: Non: ne forte colligéntes zizánia eradicétis simul cum eis et tríticum. Sínite utráque créscere usque ad messem, et in témpore messis dicam messóribus: Collígite primum zizáania, et alligáte ea in fascículos ad comburéndum, tríticum autem congregáta in hórreum meum.
Naquele tempo, disse Jesus às turbas: O reino dos céus é semelhante a um homem que havia semeado boa semente no seu campo; mas, enquanto os homens dormiam, veio o seu inimigo; semeou joio entre o trigo e se retirou. Havendo crescido a erva, deu fruto e apareceu também o joio. Então aproximaram-se os servos do pai de família, e disseram-lhe: «Por ventura não semeastes boa semente neste vosso campo? Donde lhe veio, pois, o joio?». Ele disse: «Foi o homem inimigo quem fez isto». Os servos retorquiram-lhe: «Quereis que vamos e colhamos o joio?». Ele disse: «Não, pois receio que, arrancando o joio, arranqueis também o trigo. Deixai crescer ambos até ao tempo da ceifa; e, então, direi aos ceifeiros: colhei primeiramente o joio e atai-o em molhos para serem queimados; e arrecadai o trigo no meu celeiro».

Ofertório Sl. 117, 16 & 17

Déxtera Dómini fecit virtutem, déxtera Dómini exaltávit me: non móriar, sed vivam, et narrábo ópera Dómini.
A dextra do Senhor mostrou o seu poder: a dextra do Senhor exaltou-me. Não morrerei: viverei e narrarei os prodígios do Senhor.

Secreta

Hóstias tibi, Dómine, placatiónis offérimus: ut et delícta nostra miserátus absólvas, et nutántia corda tu dírigas. Per Dóminum. &c.
Vos oferecemos, Senhor, estas hóstias de propiciação, a fim de que misericordiosamente perdoeis os nossos pecados e ampareis os nossos corações inconstantes. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Lc. 4, 22

Mirabántur omnes de his, quæ procedébant de ore Dei.
Todos estavam admirados das palavras que saíam da boca de Deus.

Postcomúnio

Quǽsumus, omnípotens Deus: ut illíus salutáris capiámus efféctum, cujus per hæc mystéria pignus accépimus. Per Dóminum &c.
Vos suplicamos, ó Deus omnipotente, fazei que obtenhamos o efeito da salvação eterna, da qual, nestes sagrados mystérios, já recebemos o penhor. Por nosso Senhor &c.

Sexto Domingo depois da Epifania

Intróito Sl. 96, 7-8

Adoráte Deum, omnes Angeli ejus: audívit, et lætáta est Sion: et exsultavérunt fíliæ Judae. Ps. ibid., 1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. V. Gloria Patri &c.
Adorai a Deus, ó vós, que sois os seus Anjos. Ouviu Sião: e rejubilou: e as filhas de Judá exultaram de alegria. Sl. ibid., 1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, semper rationabília meditántes, quæ tibi sunt plácita, et dictis exsequámur et factis. Per Dóminum &c.
Permiti, Vos imploramos, ó Deus omnipotente, que, meditando nós incessantemente nas coisas santas, pratiquemos sempre, tanto em palavras como em acções, o que seja do vosso agrado. Por nosso Senhor &c.

Epístola 1 Ts, 1, 2-10

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Thessalonicénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Tessalonicenses.
Fratres: Grátias ágimus Deo semper pro ómnibus vobis, memóriam vestri faciéntes in oratiónibus nostris sine intermissióne, mémores óperis fídei vestræ, et labóris, et caritátis, et sustinéntiæ spei Dómini nostri Jesu Christi, ante Deum et Patrem nostrum: sciéntes, fratres, dilécti a Deo, electiónem vestram: quia Evangélium nostrum non fuit ad vos in sermóne tantum, sed et in virtúte, et in Spíritu Sancto, et in plenitúdine multa, sicut scitis quales fuérimus in vobis propter vos. Et vos imitatóres nostri facti estis, et Dómini, excipiéntes verbum in tribulatióne multa, cum gáudio Spíritus Sancti: ita ut facti sitis forma ómnibus credéntibus in Macedónia et in Achája. A vobis enim diffamátus est sermo Dómini, non solum in Macedónia et in Achája, sed et in omni loco fides vestra, quæ est ad Deum, profécta est, ita ut non sit nobis necésse quidquam loqui. Ipsi enim de nobis annúntiant, qualem intróitum habuérimus ad vos: et quómodo convérsi estis ad Deum a simulácris, servíre Deo vivo et vero, et exspectáre Fílium ejus de cœlis (quem suscitávit ex mórtuis) Jesum, qui erípuit nos ab ira ventúra.
Meus irmãos: Continuamente damos graças a Deus por vós todos, lembrando-nos de vós sem cessar nas nossas orações, e recordando diante de Deus, nosso Pai, as obras da vossa fé, os trabalhos da vossa caridade e a constância da vossa esperança em Cristo. Sabemos, irmãos amados de Deus, que fostes escolhidos; pois o nosso Evangelho vos não foi pregado somente com palavras, mas também com milagres, pelo poder do Espírito Santo e com a plenitude de muitos dons. Não ignorais, também, como temos procedido no meio de vós, por causa da vossa salvação. E assim vos fizestes nossos imitadores, e do Senhor, recebendo a sua palavra no meio de muitas tribulações com a alegria do Espírito Santo, de sorte que vos tornastes modelo para todos os fiéis da Macedónia e da Acaia. Pois não só fostes a causa de que a palavra do Senhor se transmitisse na Macedónia e na Acaia, mas também a vossa fé em Deus fez-se conhecer em todo o lugar; e tanto que nem é necessário que falemos em tal. Todos esses povos apregoam o êxito que alcançámos junto de vós, e como vos convertestes, abandonando os ídolos para servir a Deus vivo e verdadeiro, e para esperar do céu o seu Filho Jesus, que ressuscitou dos mortos e nos livrou da ira futura.

Gradual Sl. 101, 16-17

Timébunt gentes nomen tuum, Dómine, et omnes reges terræ glóriam tuam. V. Quóniam ædificávit Dóminus Sion, et vidébitur in majestáte sua.
As nações temerão o vosso nome, Senhor; e todos os reis da terra contemplarão a vossa glória. V. Pois o Senhor reedificou Sião: e manifestar-se-á aí na sua majestade.
Allelúja, allelúja. V. Ps. 96,1 Dóminus regnávit, exsúltet terra: læténtur ínsulæ multæ. Allelúja.
Aleluia, aleluia. V. Sl. 96,1 O Senhor reinou: alegre-se a terra e as suas muitas ilhas. Aleluia.

Evangelho

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus turbis parábolam hanc: Símile est regnum cœlórum grano sinápis, quod accípiens homo seminávit in agro suo: quod mínimum quidem est ómnibus semínibus: cum autem créverit, majus est ómnibus oléribus, et fit arbor, ita ut vólucres cœli véniant et hábitent in ramis ejus. Aliam parábolam locútus est eis: Símile est regnum cœlórum ferménto, quod accéptum múlier abscóndit in farínæ satis tribus, donec fermentátum est totum. Hæc ómnia locútus est Jesus in parábolis ad turbas: et sine parábolis non loquebátur eis: ut implerétur quod dictum erat per Prophétam dicéntem: Apériam in parábolis os meum, eructábo abscóndita a constitutióne mundi.
Naquele tempo Jesus disse às turbas: «O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda que um homem tomou e semeou no seu campo, a qual é a mais pequena de todas as sementes, mas, quando cresce, torna-se na maior de todas as plantas, e forma-se uma árvore de tal modo grande que as aves do céu vêm pousar nos seus ramos», Depois, ainda Jesus lhes disse: «O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha, até que todas estejam lêvedas». Tudo isto disse Jesus em parábolas; e sem parábolas não falava, para que se cumprisse o que fora dito pelo Profeta: «Abrirei a minha boca em parábolas e revelarei muitas coisas que estão ocultas desde a criação do mundo».

Ofertório Sl. 117, 16 & 17

Déxtera Dómini fecit virtutem, déxtera Dómini exaltávit me: non móriar, sed vivam, et narrábo ópera Dómini.
A dextra do Senhor mostrou o seu poder: a dextra do Senhor exaltou-me. Não morrerei: viverei e narrarei os prodígios do Senhor.

Secreta

Hæc nos oblátio, Deus, mundet, quǽsumus, et rénovet, gubérnet et prótegat. Per Dóminum &c.
Ó Deus, Vos imploramos, que esta oblação nos purifique, restaure, governe e guarde. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Lc. 4, 22

Mirabántur omnes de his, quæ procedébant de ore Dei.
Todos estavam admirados das palavras que saíam da boca de Deus.

Postcomúnio

Cœléstibus, Dómine, pasti delíciis: quǽsumus; ut semper éadem, per quæ veráciter vívimus, appétimus. Per Dóminum &c.
Alimentados com as celestiais delícias, Senhor, Vos pedimos humildemente, concedei-nos que aspiremos continuamente a este mesmo alimento, pelo qual alcançaremos a verdadeira vida. Por nosso Senhor &c.

Domingo da Septuagésima

Intróito Sl. 17, 5, 6 \% 7

Circumdedérut me gémitus mortis, dolóres inférni circumdedérunt me: et in tribulatióne mea invocávi Dóminum, et exaudívit de templo sancto suo vocem meam. Ps. ibd., 2-3 Díligam te, Dómine, fortitúdo mea: Dóminus firmaméntum meum, et refúgium meum, et liberátor meus. V. Gloria Patri &c.
Rodearam-me os gemidos da morte e cercaram-me as dores do inferno; mas na minha tribulação invoquei o Senhor, que lá no seu santo templo ouviu a minha voz. Sl. ibd., 2-3 Eu Vos amarei, Senhor, que sois a minha fortaleza, o meu sustentáculo, o meu refúgio e o meu libertador. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Preces pópuli tui, quǽsumus, Dómine, cleménter exáudi: ut, qui juste pro peccátis nostris afflígimur, pro tui nóminis glória misericórditer liberémur. Per Dóminum nostrum &c.
Ouvi benigno, Senhor, Vos rogamos, as preces do vosso povo, a fim de que nós, que estamos justamente aflitos com o peso dos nossos pecados, sejamos misericordiosamente livres, pela glória do vosso nome. Por nosso Senhor Jesus Cristo; vosso Filho, que &c.

Epístola 1 Cor. 9, 24-27; 10, 1-5

Lectio Epístolæ beati Pauli Apostoli ad Corinthios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Coríntios.
Fratres: Nescítis, quod ii, qui in stádio currunt, omnes quidem currunt, sed unus áccipit bravíum? Sic cúrrite, ut comprehendátis. Omnis autem, qui in agóne conténdit, ab ómnibus se ábstinet: et illi quidem, ut corruptíbilem corónam accípiant; nos autem incorrúptam. Ego ígitur sic curro, non quasi in incértum: sic pugno, non quasi áërem vérberans: sed castígo corpus meum, et in servitútem rédigo: ne forte, cum áliis prædicáverim, ipse réprobus effíciar. Nolo enim vos ignoráre, fratres, quóniam patres nostri omnes sub nube fuérunt, et omnes mare transiérunt, et omnes in Móyse baptizáti sunt in nube et in mari: et omnes eándem escam spiritálem manducavérunt, et omnes eúndem potum spiritálem bibérunt (bibébant autem de spiritáli, consequénte eos, petra: petra autem erat Christus): sed non in plúribus eórum beneplácitum est Deo.
Meus irmãos: Não sabeis que aqueles que correm no circo, todos correm, mas somente um ganha o prémio? Correi, pois, de tal modo que o ganheis. Aqueles que combatem na arena abstêm-se de tudo; e procedem assim para alcançar uma coroa corruptível. Nós, porém, para alcançarmos uma coroa incorruptível. Eu também assim corro, mas não ao acaso; eu pelejo, mas não como quem fere o ar; pois castigo o meu corpo e o reduzo à servidão, com medo de que, depois de ter pregado aos outros, seja condenado. Ora, meus irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram debaixo da nuvem, passaram o mar e todos foram baptizados e guiados por Moisés na nuvem e no mar; nem mesmo que ignoreis que todos eles, também, comeram o mesmo alimento espiritual e beberam a mesma bebida. Com efeito, beberam em um rochedo espiritual, que os seguia, o qual era Cristo. Todavia, a maior parte deles não agradou a Deus.

Gradual Sl. 9, 10-11 & 19-20

Adjútor in opportunitátibus, in tribulatióne: sperent in te, qui novérunt te: quóniam non derelínquis quæréntes te, Dómine. V. Quóniam non in finem oblívio erit páuperis: patiéntia páuperum non períbit in ætérnum: exsúrge, Dómine, non præváleat homo.
Senhor, sois o nosso auxílio nas necessidades e nas tribulações: esperem, pois, em Vós aqueles que Vos conhecem, porque nunca abandonais os que Vos procuram. O infeliz não será sempre esquecido; a paciência do pobre não será frustrada para sempre. Erguei-Vos, para que o homem mau não triunfe.

Trato Sl. 129, 1-4

De profúndis clamávi ad te. Dómine: Dómine, exáudi vocem meam. V. Fiant aures tuæ intendéntes in oratiónem servi tui. V. Si iniquitátes observáveris, Dómine: Dómine, quis sustinébit? V. Quia apud te propitiátio est, et propter legem tuam sustínui te, Dómine.
Das profundezas do abysmo clamei por Vós, Senhor: ouvi a minha voz. V. Que os vossos ouvidos estejam atentos à voz deste vosso servo. V. Se julgais as nossas iniquidades, Senhor, quem poderá subsistir ante Vós? V. Mas sois propício; por amor da vossa lei esperei em Vós.

Evangelho Mt. 20, 1-16

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis parábolam hanc: Simile est regnum cœlórum hómini patrifamílias, qui éxiit primo mane condúcere operários in víneam suam. Conventióne autem facta cum operáriis ex denário diúrno, misit eos in víneam suam. Et egréssus circa horam tértiam, vidit álios stantes in foro otiósos, et dixit illis: Ite et vos in víneam meam, et quod justum fúerit, dabo vobis. Illi autem abiérunt. Iterum autem éxiit circa sextam et nonam horam: et fecit simíliter. Circa undécimam vero éxiit, et invénit álios stantes, et dicit illis: Quid hic statis tota die otiósi? Dicunt ei: Quia nemo nos condúxit. Dicit illis: Ite et vos in víneam meam. Cum sero autem factum esset, dicit dóminus víneæ procuratóri suo: Voca operários, et redde illis mercédem, incípiens a novíssimis usque ad primos. Cum veníssent ergo qui circa undécimam horam vénerant, accepérunt síngulos denários. Veniéntes autem et primi, arbitráti sunt, quod plus essent acceptúri: accepérunt autem et ipsi síngulos denários. Et accipiéntes murmurábant advérsus patremfamílias, dicéntes: Hi novíssimi una hora fecérunt et pares illos nobis fecísti, qui portávimus pondus diéi et æstus. At ille respóndens uni eórum, dixit: Amíce, non facio tibi injúriam: nonne ex denário convenísti mecum? Tolle quod tuum est, et vade: volo autem et huic novíssimo dare sicut et tibi. Aut non licet mihi, quod volo, fácere? an óculus tuus nequam est, quia ego bonus sum? Sic erunt novíssimi primi, et primi novíssimi. Multi enim sunt vocáti, pauci vero elécti.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: «O reino dos céus é semelhante a um pai de família que sai da sua casa cedo para ajustar jornaleiros, para a sua vinha. E, tendo ajustado com eles dar a cada um por dia um dinheiro, mandou-os para a vinha. Cerca da hora terceira, saiu outra vez e viu que estavam ociosos na praça outros jornaleiros. Disse-lhes: «Ide, também, trabalhar para a minha vinha, e pagar-vos-ei o que for justo»; e eles foram. Saiu, ainda, cerca da hora sexta e cerca da hora nona, e fez a mesma coisa. Enfim, havendo saído cerca da hora undécima, encontrou outros e disse-lhes: «Porque estais todo o dia ociosos?». Eles responderam: «Porque ninguém nos ajustou». E disse-lhes: «Ide vós, também, para a minha vinha». Quando era já pela tarde, disse o senhor da vinha ao seu intendente: «Chama os jornaleiros e paga-lhes os salários, começando pelos últimos e acabando nos primeiros». Quando vieram os jornaleiros da hora undécima, receberam um dinheiro cada um. Vindo, por sua vez, os primeiros, cuidavam que receberiam mais; porém receberam, também, um dinheiro cada um. Então, estes, recebendo o dinheiro, murmuraram contra o pai de família, dizendo: «Estes últimos não trabalharam senão uma hora, e dais-lhes tanto como a nós, que aguentámos no dia inteiro o peso do trabalho e do calor?». Mas o senhor, dirigindo-se a um deles, respondeu: «Meu amigo, não te faço injustiça. Não ajustaste comigo receber um dinheiro? Toma, pois, o que te pertence, e vai-te. Quanto a mim, quero dar a este último tanto como a ti. Porventura me não é lícito ser generoso para com quem quiser? Diz-me: o teu olho é mau, porque o meu é bom? Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos; pois muitos são os chamados e poucos os escolhidos».

Ofertório Sl. 91, 2

Bonum est confitéri Dómino, et psállere nómini tuo, Altíssime.
É bom louvar o Senhor; e cantar Salmos em honra do vosso nome, ó Altíssimo.

Secreta

Munéribus nostris, quǽsumus, Dómine, precibúsque suscéptis: et cœléstibus nos munda mystériis, et cleménter exáudi. Per Dóminum &c.
Recebendo as nossas ofertas e orações, Senhor, dignai-Vos purificar-nos por virtude dos vossos celestiais mystérios e ouvi misericordioso os nossos rogos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que &c.

Comúnio Sl. 30, 17-18

Illúmina fáciem tuam super servum tuum, et salvum me fac in tua misericórdia: Dómine, non confúndar, quóniam invocávi te.
Fazei resplandecer a vossa face sobre este vosso servo, e salvai-me pela vossa misericórdia, Senhor; que eu não seja confundido, pois Vos invoquei.

Postcomúnio

Fidéles tui, Deus, per tua dona firméntur: ut eadem et percipiéndo requírant, et quæréndo sine fine percípiant. Per Dóminum &c.
Que os vossos fiéis, ó Deus, sejam fortificados com vossos dons, a fim de que, recebendo-os, continuem a procurá-los, e, havendo-os achado, sirvam para a nossa eternidade. Por nosso Senhor &c.

Domingo da Sexagésima

Intróito Sl. 43, 23-26

Exsúrge, quare obdórmis, Dómine? exsúrge, et ne repéllas in finem: quare fáciem tuam avértis, oblivísceris tribulatiónem nostram? adhǽsit in terra venter noster: exsúrge, Dómine, ádjuva nos, et líbera nos. Ps. ibid., 2 Deus, áuribus nostris audívimus: patres nostri annuntiavérunt nobis. V. Gloria Patri &c.
Levantai-Vos, Senhor, porque dormis? Levantai-Vos, e nos não desampareis para sempre. Porque afastais de nós a vossa face e esqueceis a nossa tribulação? O nosso peito está oprimido pela terra. Levantai-Vos, Senhor, socorrei-nos, salvai-nos. Sl. ibid., 2 Ó Deus, nós ouvimos com os nossos ouvidos; os nossos antepassados contaram-nos as vossas maravilhas. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui cónspicis, quia ex nulla nostra actióne confídimus: concéde propítius; ut, contra advérsa ómnia, Doctóris géntium protectióne muniámur. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que conheceis não podermos confiar nas nossas obras, dignai-Vos proteger-nos com a assistência do «Doutor das gentes» contra todas as adversidades. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que &c.

Epístola 2 Cor. 11, 19-33; 12, 1-9

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Coríntios.
Patres: Libénter suffértis insipiéntens: cum sitis ipsi sapiéntes. Sustinétis enim, si quis vos in servitútem rédigit, si quis dévorat, si quis áccipit, si quis extóllitur, si quis in fáciem vos cædit. Secúndum ignobilitátem dico, quasi nos infírmi fuérimus in hac parte. In quo quis audet, (in insipiéntia dico) áudeo et ego: Hebrǽi sunt, et ego: Israelítæ sunt, et ego: Semen Abrahæ sunt, et ego: Minístri Christi sunt, (ut minus sápiens dico) plus ego: in labóribus plúrimis, in carcéribus abundántius, in plagis supra modum, in mórtibus frequénter. A Judǽis quínquies quadragénas, una minus, accépi. Ter virgis cæsus sum, semel lapidátus sum, ter naufrágium feci, nocte et die in profúndo maris fui: in itinéribus sæpe, perículis flúminum, perículis latrónum, perículis ex génere, perículis ex géntibus, perículis in civitáte, perículis in solitúdine, perículis in mari, perículis in falsis frátribus: in labóre et ærúmna, in vigíliis multis, in fame et siti, in jejúniis multis, in frigóre et nuditáte: præter illa, quæ extrínsecus sunt, instántia mea cotidiána, sollicitúdo ómnium Ecclesiárum. Quis infirmátur, et ego non infírmor? quis scandalizátur, et ego non uror? Si gloriári opórtet: quæ infirmitátis meæ sunt, gloriábor. Deus et Pater Dómini nostri Jesu Christi, qui est benedíctus in sǽcula, scit quod non méntior. Damásci præpósitus gentis Arétæ regis, custodiébat civitátem Damascenórum, ut me comprehénderet: et per fenéstram in sporta dimíssus sum per murum, et sic effúgi manus ejus. Si gloriári opórtet (non éxpedit quidem), véniam autem ad visiónes et revelatiónes Dómini. Scio hóminem in Christo ante annos quatuórdecim, (sive in córpore néscio, sive extra corpus néscio, Deus scit:) raptum hujúsmodi usque ad tértium cœlum. Et scio hujúsmodi hóminem, (sive in córpore, sive extra corpus néscio, Deus scit: quóniam raptus est in paradisum: et audivit arcána verba, quæ non licet homini loqui. Pro hujúsmodi gloriábor: pro me autem nihil gloriábor nisi in infirmitátibus meis. Nam, et si volúero gloriári, non ero insípiens: veritátem enim dicam: parco autem, ne quis me exístimet supra id, quod videt in me, aut áliquid audit ex me. Et ne magnitúdo revelatiónem extóllat me, datus est mihi stímulus carnis meæ ángelus sátanæ, qui me colaphízet. Propter quod ter Dóminum rogávi, ut discéderet a me: et dixit mihi: Súfficit tibi grátia mea: nam virtus in infirmitáte perfícitur. Libénter ígitur gloriábor in infirmitátibus meis, ut inhábitet in me virtus Christi.
Meus irmãos: Como homens sensatos que sois, generosamente suportais os insensatos. E suportais, também, se vos sujeitam à escravidão, se vos devoram, se vos roubam, se vos tratam com arrogância, ou se vos esbofeteiam. Digo-o com vergonha, como se neste ponto houvéssemos sido fracos! Contudo, quem quer que ouse vangloriar-se (falo como se fora insensato), também eu me vanglorio. Eles são hebreus? Também eu. São israelitas? Também eu. São descendentes de Abraão? Também eu. São ministros de Cristo? Muito mais (falo insensatamente) sou eu do que eles: pelos meus muitos trabalhos, mais do que os deles; pelas minhas frequentes prisões, mais do que as deles; pelas pancadas sem conta que sofri, mais do que as deles; e até, frequentemente, tendo quase visto a morte. Dos judeus recebi chicotadas, em cinco quarenta vezes menos uma; três vezes fui açoitado com varas; uma vez fui apedrejado; três vezes naufraguei: passei um dia e uma noite no fundo do mar! Em minhas contínuas viagens encontrei sempre perigos: perigos nas águas, perigos nos ladrões, perigos nos meus compatriotas, perigos nos pagãos, perigos nas cidades, perigos nos desertos, perigos no mar, perigos nos irmãos falsos, nos trabalhos, nas fadigas, nas numerosas vigílias, na fome, na sede, nos muitos jejuns, no frio e na nudez! E, além destes males, que são exteriores, preocupa-me também quotidianamente a solicitude de todas as cristandades. Quem adoece, e me não vê doente? Quem é fraco, sem que eu o seja também? Quem cai no escândalo, sem que o fogo do tormento me queime? Se convém que alguém se glorie, gloriar-me-ei eu, então, pelas coisas que fez a minha fraqueza! Deus Pai de Cristo e para sempre bendito sabe que não minto, Em Damasco, o governador da província, por ordem do rei Aretas, mandou guardar a cidade para me prender; mas desceram-me pela muralha para fora em um cesto; e escapei, assim, das suas mãos. É preciso ainda (decerto não é útil) que me glorie? Recordarei, então, as visões e revelações do Senhor. Conheço um homem que há catorze anos foi arrebatado ao terceiro céu (se foi só no corpo, o não sei, Deus o sabe). Sei que este homem (se foi só no corpo, o não sei, Deus o sabe) foi levado ao paraíso, onde ouviu palavras inefáveis, que não é permitido revelar. Por este motivo poderei gloriar-me; mas, pelo que me diz respeito, só posso gloriar-me das minhas enfermidades. Se eu quisesse gloriar-me, não seria insensato, pois dizia a verdade; mas abstenho-me disso para que ninguém faça de mim uma ideia superior ao que vê em mim, ou ao que de mim ouve dizer. Para que a grandeza destas revelações me não encha de orgulho, foi-me dado um castigo na minha carne: um anjo de Satanás foi encarregado de me esbofetear. E por causa dele roguei três vezes ao Senhor que o afastasse de mim; mas o Senhor disse-me: «Basta-te a minha graça, pois a virtude aperfeiçoa-se nas tribulações». Glorio-me, pois, voluntariamente, com as minhas fraquezas, para que a virtude de Cristo resida em mim.

Gradual Sl. 82, 19 & 14

Sciant gentes, quóniam nomen tibi Deus: tu solus Altíssimus super omnem terram. V. Deus meus, pone illos ut rotam, et sicut stípulam ante fáciem venti.
Saibam as nações que o vosso nome é Deus; que só Vós sois o Altíssimo em todo o mundo. V. Ó meu Deus, tornai os meus inimigos semelhantes à roda, que gira sem cessar, ou à palha, que o vento agita e arrebata.

Trato Sl. 59, 4 & 6

Commovísti, Dómine, terram, et conturbásti eam. V. Sana contritiónes ejus, quia mota est. V. Ut fúgiant a fácie arcus: ut liberéntur elécti tui.
Senhor, abalastes e arruinastes a terra. Reparai as suas ruínas, porque ela está abalada. Que os vossos escolhidos possam fugir diante do arco armado contra eles, e que sejam livres.

Evangelho Lc. 8, 4-15

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Cum turba plúrima convenírent, et de civitátibus properárent ad Jesum, dixit per similitúdinem: Exiit, qui séminat, semináre semen suum: et dum séminat, áliud cécidit secus viam, et conculcátum est, et vólucres cœli comedérunt illud. Et áliud cécidit supra petram: et natum áruit, quia non habébat humórem. Et áliud cécidit inter spinas, et simul exórtæ spinæ suffocavérunt illud. Et áliud cécidit in terram bonam: et ortum fecit fructum céntuplum. Hæc dicens, clamábat: Qui habet aures audiéndi, audiat. Interrogábant autem eum discípuli ejus, quæ esset hæc parábola. Quibus ipse dixit: Vobis datum est nosse mystérium regni Dei, céteris autem in parábolis: ut vidéntes non videant, et audientes non intéllegant. Est autem hæc parábola: Semen est verbum Dei. Qui autem secus viam, hi sunt qui áudiunt: déinde venit diábolus, et tollit verbum de corde eórum, ne credéntes salvi fiant. Nam qui supra petram: qui cum audierint, cum gáudio suscipiunt verbum: et hi radíces non habent: qui ad tempus credunt, et in témpore tentatiónis recédunt. Quod autem in spinas cécidit: hi sunt, qui audiérunt, et a sollicitudínibus et divítiis et voluptátibus vitæ eúntes, suffocántur, et non réferunt fructum. Quod autem in bonam terram: hi sunt, qui in corde bono et óptimo audiéntes verbum rétinent, et fructum áfferunt in patiéntia.
Naquele tempo, como concorresse grande multidão de diversas cidades e viessem ter com Jesus, disse-lhes Ele esta parábola: «Saiu um semeador a semear a sua semente; e, enquanto ele semeava, caiu uma porção de semente junto ao caminho, a qual foi pisada, e, depois, comida pelos pássaros. Outra porção caiu entre as pedras e, embora tivesse nascido, secou logo, porque não tinha humidade. Ainda outra porção caiu entre espinhos, os quais cresceram com ela, afogando-a depois. Finalmente, outra porção caiu em terra boa, e, nascendo, deu fruto a cem por um». Depois de Jesus ter falado assim, acrescentou em voz alta: «Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!». Então os seus discípulos perguntaram-Lhe a significação desta parábola. «Avós respondeu Ele, é dado conhecer o reino de Deus, porém, os outros só o conhecerão pelas parábolas; de sorte que, vendo, não vejam, e ouvindo, não compreendam. Eis o que significa esta parábola: A semente é a palavra de Deus. A semente que caiu junto ao caminho significa os que ouvem a palavra, mas logo vem o demónio, a arrebata do seu coração, com medo de que acreditem e sejam A semente que caiu em cima das pedras significa os que ouvem a palavra, e a recebem com alegria, mas não possuem a raiz: acreditam durante algum tempo, mas, quando vem a tentação, sucumbem. A semente que caiu nos espinhos designa aqueles que ouvem a palavra, mas deixam-na pouco a pouco abafar, ou pelos cuidados e inquietações do mundo, ou pelas riquezas e prazeres desta vida, e, portanto, não produzem fruto algum. Enfim, a semente que caiu na terra boa representa aqueles que ouvem a palavra com o coração recto e bom e a guardam, produzindo depois fruto pela paciência».

Ofertório Sl. 16, 5, 6-7

Pérfice gressus meos in sémitis tuis, ut non moveántur vestígia mea: inclína aurem tuam, et exáudi verba mea: mirífica misericórdias tuas, qui salvos facis sperántes in te, Dómine.
Firmai os meus passos nas vossas veredas, para que meus pés não tropecem: Inclinai para mim os vossos ouvidos e escutai as minhas palavras: manifestai as vossas admiráveis misericórdias, Senhor, pois salvais os que em Vós confiam!

Secreta

Oblátum tibi, Dómine, sacrifícium, vivíficet nos semper et múniat. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, que o sacrifício que Vos oferecemos nos vivifique sempre. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que &c.

Comúnio Sl. 42, 4

Introíbo ad altáre Dei, ad Deum, qui lætíficat juventútem meam.
Subirei ao altar de Deus: de Deus, que é a alegria da minha juventude.

Postcomúnio

Súpplices te rogámus, omnípotens Deus: ut, quos tuis réficis sacraméntis, tibi étiam plácitis móribus dignánter deservíre concédas. Per Dóminum &c.
Deus omnipotente, humildemente Vos rogamos, concedei àqueles que alimentais com vossos sacramentos a graça de Vos servirem com uma conduta que Vos seja agradável. Por nosso Senhor &c.

Domingo da Quinquagésima

Intróito Sl. 30, 3-4

Esto mihi in Deum protectórem, et in locum refúgii, ut salvum me fácias: quóniam firmaméntum meum et refúgium meum es tu: et propter nomen tuum dux mihi eris, et enútries me. Ps. ibid., 2 In te, Dómine, sperávi, non confúndar in ætérnum: in justítia tua líbera me et éripe me. V. Gloria Patri &c.
Sede, ó Deus, o meu protector e o lugar de refúgio, onde encontre a salvação; pois sois o meu sustentáculo e o meu refúgio, e, pela glória do vosso nome, me conduzireis e sustentareis. Sl. ibid., 2 Em Vós, Senhor, pus a minha confiança; não serei confundido para sempre. Segundo a vossa justiça, livrai-me, salvai-me. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Preces nostras, quǽsumus, Dómine, cleménter exáudi: atque, a peccatórum vínculis absolútos, ab omni nos adversitáte custódi. Per Dóminum &c.
Senhor, dignai-Vos ouvir clemente as nossas orações; e, depois de nos livrardes dos laços dos nossos pecados, defendei-nos de todas as adversidades. Por nosso Senhor &c.

Epístola 1 Cor. 13, 1-13

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corinthios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Coríntios.
Fratres: Si linguis hóminum loquar et Angelórum, caritátem autem non hábeam, factus sum velut æs sonans aut cýmbalum tínniens. Et si habúero prophétiam, et nóverim mystéria ómnia et omnem sciéntiam: et si habúero omnem fidem, ita ut montes tránsferam, caritátem autem non habúero, nihil sum. Et si distribúero in cibos páuperum omnes facultátes meas, et si tradídero corpus meum, ita ut árdeam, caritátem autem non habuero, nihil mihi prodest. Cáritas patiens est, benígna est: cáritas non æmulátur, non agit pérperam, non inflátur, non est ambitiósa, non quærit quæ sua sunt, non irritátur, non cógitat malum, non gaudet super iniquitáte, congáudet autem veritáti: ómnia suifert, ómnia credit, ómnia sperat, ómnia sústinet. Cáritas numquam éxcidit: sive prophétiæ evacuabúntur, sive linguæ cessábunt, sive sciéntia destruétur. Ex parte enim cognóscimus, et ex parte prophetámus. Cum autem vénerit quod perféctum est, evacuábitur quod ex parte est. Cum essem párvulus, loquébar ut párvulus, sapiébam ut párvulus, cogitábam ut párvulus. Quando autem factus sum vir, evacuávi quæ erant párvuli. Vidémus nunc per spéculum in ænígmate: tunc autem fácie ad fáciem. Nunc cognósco ex parte: tunc autem cognóscam, sicut et cógnitus sum. Nunc autem manent fides, spes, cáritas, tria hæc: major autem horum est cáritas.
Meus irmãos: Se eu falar as línguas dos homens e dos Anjos, mas não tiver caridade, sou como o metal, que tine, ou como o sino, que soa. E se eu tiver o dom de profecia, conhecer todos os mystérios e possuir toda a ciência; e se tiver toda a fé, até ser capaz de transportar montanhas, mas não tiver caridade, nada sou. E se eu distribuir todos meus bens, para sustento dos pobres, e se entregar o meu corpo, para ser queimado, mas não tiver caridade, de nada me aproveitará. A caridade é paciente e benigna; não é invejosa, não é leviana, não é soberba, não é ambiciosa, não procura o próprio interesse, não se irrita, não julga mal, não se alegra com a injustiça; antes regozija-se com a verdade, sofre tudo, acredita em tudo, tudo espera, tudo suporta. A caridade nunca perecerá, ainda que não houvesse mais profecias, ainda que as línguas acabassem, ainda que a ciência desaparecesse; pois estes dons da ciência e da profecia são incompletos. Ora, quando vier o que é perfeito, acabará o que é imperfeito. Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e discorria como menino; mas, quando me tornei homem, desapareceu o que tinha de menino. Agora vemos em enigmas, como em um espelho; mais tarde veremos face a face. Agora conheço as coisas imperfeitamente; mais tarde conhecê-las-ei, como sou conhecido. Agora permanecem estas três coisas: a fé, a esperança e a caridade; mas a maior das três é a caridade.

Gradual Sl. 76, 15 & 16

Tu es Deus qui facis mirabília solus: notam fecísti in géntibus virtútem tuam. V. Liberásti in bráchio tuo pópulum tuum, fílios Israel et Joseph.
Ó Deus, só Vós praticais maravilhas! Fizestes conhecer aos povos o vosso poder. Com o vosso braço forte livrastes o vosso povo os filhos de Israel e de José.

Trato Sl. 99, 1-2

Jubiláte Deo, omnis terra: servíte Dómino in lætítia. V. Intráte in conspéctu ejus in exsultatióne: scitóte, quod Dóminus ipse est Deus. V. Ipse fecit nos, et non ipsi nos: nos autem pópulus ejus, et oves páscuæ ejus.
Ó povos de toda a terra, louvai a Deus com júbilo. Vinde à sua presença com transportes de alegria; pois sabeis que o Senhor é verdadeiro Deus. V. Foi Ele quem nos criou, e não nós a nós mesmos. Somos, pois, o seu povo, e as ovelhas de que Ele é o pastor.

Evangelho Lc. 18, 31-43

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Assúmpsit Jesus duódecim, et ait illis: Ecce, ascéndimus Jerosólymam, et consummabúntur ómnia, quæ scripta sunt per Prophétas de Fílio hominis. Tradátur enim Géntibus, et illudétur, et flagellábitur, et conspuétur: et postquam flagelláverint, occídent eum, et tértia die resúrget. Et ipsi nihil horum intellexérunt, et erat verbum istud abscónditum ab eis, et non intellegébant quæ dicebántur. Factum est autem, cum appropinquáret Jéricho, cæcus quidam sedébat secus viam, mendícans. Et cum audíret turbam prætereúntem, interrogábat, quid hoc esset. Dixérunt autem ei, quod Jesus Nazarénus transíret. Et clamávit, dicens: Jesu, fili David, miserére mei. Et qui præíbant, increpábant eum, ut tacéret. Ipse vero multo magis clamábat: Fili David, miserére mei. Stans autem Jesus, jussit illum addúci ad se. Et cum appropinquásset, interrogávit illum, dicens: Quid tibi vis fáciam? At ille dixit: Dómine, ut vídeam. Et Jesus dixit illi: Réspice, fides tua te salvum fecit. Et conféstim vidit, et sequebátur illum, magníficans Deum. Et omnis plebs ut vidit, dedit laudem Deo.
Naquele tempo, levou Jesus consigo os Doze e disse-lhes: «Eis que subimos para Jerusalém, onde se vai cumprir o que os Profetas escreveram a respeito do Filho do homem, pois será entregue aos gentios, será escarnecido, injuriado e cuspido; e, depois de O haverem flagelado, será morto; mas ressuscitará ao terceiro dia». Porém eles não compreenderam estas palavras (pois o sentido delas era-lhes oculto) e não entendiam a sua significação. Chegou, então, Jesus perto de Jericó, onde estava um cego à beira do caminho a pedir esmola. Ouvindo este o rumor das turbas, perguntou o que era aquilo. E disseram-lhe: «É Jesus de Nazaré que passa». Logo, ele começou a gritar: «Jesus, filho de David, tende piedade de mim!». Aqueles que iam adiante repreenderam-no rudemente, dizendo-lhe que se calasse. Mas ele gritava ainda com mais força: «Jesus, filho de David, tende piedade de mim!». Então Jesus, parando, mandou que Lhe levassem o cego. Quando este já estava ao pé, interrogou-o Jesus: «Que queres que faça?». Ele respondeu: «Senhor, fazei que eu veja!». Jesus disse-lhe: «Pois vê! A tua fé salvou-te!». Logo, começou a ver. E, acompanhando Jesus, glorificava Deus. E todo o povo que presenciou isto louvou a Deus.

Ofertório Sl. 118, 12-13

Benedíctus es, Dómine, doce me justificatiónes tuas: in lábiis meis pronuntiávi ómnia judícia oris tui.
Bendito sois, Senhor. Ensinai-me a conhecer a vossa lei. Pronunciei com meus lábios todas as sentenças da vossa boca.

Secreta

Hæc hóstia, Dómine, quǽsumus, emúndet nostra delícta: et, ad sacrifícium celebrándum, subditórum tibi córpora mentésque sanctíficet. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, permiti que esta hóstia apague os nossos pecados; e, para que dignamente se celebre este sacrifício, fazei que ela santifique os corpos e as almas dos vossos fiéis. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 77, 29-30

Manducavérunt, et saturári sunt nimis, et desidérium eórum áttulit eis Dóminus: non sunt fraudáti a desidério suo.
Comeram e saciaram-se abundantemente. O Senhor deu-lhes segundo os seus desejos: e não ficaram frustrados os seus desejos.

Postcomúnio

Quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui cœléstia aliménta percépimus, per hæc contra ómnia adversa muniámur. Per Dóminum &c.
Vos pedimos, ó Deus, que este alimento celestial que recebemos nos fortifique contra todas as adversidades. Por nosso Senhor &c.

Quarta-feira de Cinzas

Antífona Sl. 68, 17

Exáudi nos, Dómine, quóniam benígna est misericórdia tua: secúndum multitúdinem miseratiónum tuárum réspice nos, Dómine. Ps. ibid., 2 Salvum me fac, Deus: quóniam intravérunt aquæ usque ad ánimam meam. V. Glória Patri &c.
Ouvi-nos, Senhor, pois a vossa misericórdia é compassiva. Lançai para nós os vossos olhares, Senhor, segundo a grandeza da vossa misericórdia. Sl. ibid., 2 Salvai-me, ó Deus, porque as águas penetraram até ao íntimo da minha alma. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Omnípotens sempitérne Deus, parce pæniténtibus, propitiáre supplicántibus: et míttere dignéris sanctum Angelum tuum de cœlis, qui bene dícat et sanctí ficet hos cíneres, ut sint remédium salúbre ómnibus nomen sanctum tuum humilíter implorántibus, ac semetípsos pro consciéntia delictórum suórum accusántibus, ante conspéctum divínæ cleméntiæ tuæ facínora sua deplorántibus, vel sereníssimam pietátem tuam supplíciter obnixéque flagitántibus: et præsta per invocatiónem sanctíssimi nóminis tui; ut, quicúmque per eos aspérsi fúerint, pro redemptióne peccatórum suórum, córporis sanitátem et ánimæ tutélam percípiant. Per Christum, Dóminum nostrum. R. Amen.
Deus, omnipotente e eterno, perdoai aos penitentes, sede propício para com os suplicantes e dignai-Vos enviar do céu o vosso Anjo para abençoar e santificar estas Cinzas, a fim de que sejam remédio salutar para todos os que imploram humildemente o vosso santo nome, e, reconhecendo os seus delitos, a si mesmos se acusam, deplorando esses crimes, diante da vossa divina clemência, e suplicando instante e humildemente a vossa compassiva misericórdia. Dignai-Vos permitir que pela invocação do vosso santíssimo nome todos os que com estas Cinzas forem aspergidos alcancem, além da remissão dos pecados, saúde para o corpo e protecção para a alma. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amen.

Oração

Deus, qui non mortem, sed pæniténtiam desíderas peccatórum: fragilitátem condiciónis humánæ benigníssime réspice; et hos cíneres, quos, causa proferéndæ humilitátis atque promeréndæ véniæ, capítibus nostris impóni decérnimus, bene dícere pro tua pietáte dignáre: ut, qui nos cínerem esse, et ob pravitátis nostræ deméritum in púlverem reversúros cognóscimus; peccatórum ómnium véniam, et prǽmia pæniténtibus repromíssa, misericórditer cónsequi mereámur. Per Christum, Dóminum nostrum. R. Amen.
Ó Deus, que não quereis a morte dos pecadores, mas que façam penitência, olhai benigníssimo para a fragilidade da natureza humana, e dignai-Vos misericordiosamente abençoar estas Cinzas, que desejamos sejam impostas nas nossas cabeças em sinal de humildade e para merecermos o perdão, a fim de que, reconhecendo que não somos senão cinza e que nos tornaremos em pó em punição da nossa malícia, mereçamos da vossa bondade alcançar o perdão dos nossos pecados e as recompensas prometidas aos que fazem penitência. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amen.

Oração

Deus, qui humiliatióne flécteris, et satisfactióne placáris: aurem tuæ pietátis inclína précibus nostris; et capítibus servórum tuórum, horum cínerum aspersióne contáctis, effúnde propítius grátiam tuæ benedictiónis: ut eos et spíritu compunctiónis répleas et, quæ juste postuláverint, efficáciter tríbuas; et concéssa perpétuo stabilíta et intácta manére decérnas. Per Christum, Dóminum nostrum. R. Amen.
Ó Deus, que pela humilhação Vos inclinais a perdoar e pela satisfação Vos aplacais, dignai-Vos benignamente escutar as nossas preces, infundindo nos vossos servos, cujas cabeças recebem estas Cinzas, a graça da vossa bênção; e, enchendo-os com o espírito de compunção, concedei-lhes o que com justiça Vos suplicarem, a fim de que perpetuamente conservem, firme e intacto, o que de Vós houverem alcançado. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amen.

Oração

Omnípotens sempitérne Deus, qui Ninivítis, in cínere et cilício pæniténtibus, indulgéntiæ tuæ remédia præstitísti: concéde propítius; ut sic eos imitémur hábitu, quaténus véniæ prosequámur obténtu. Per Dóminum.
Deus omnipotente e eterno, que propiciastes o remédio e o perdão aos Ninivitas, que fizeram penitência por meio das cinzas e do cilício, concedei-nos indulgentemente que de tal sorte os imitemos que, como eles, alcancemos o vosso perdão. Por nosso Senhor.

Antífona Jl. 2, 13

Immutémur hábitu, in cínere et cilício: jejunémus, et plorémus ante Dóminum: quia multum miséricors est dimíttere peccáta nostra Deus noster.
Mudemos os vestidos e cubramo-nos com a cinza e com o cilício; jejuemos e choremos diante do Senhor, pois Ele é misericordioso e está pronto a perdoar os nossos pecados.
Alia Antiph. ibid., 17 Inter vestíbulum et altáre plorábunt sacerdótes minístri Dómini, et dicent: Parce, Dómine, parce pópulo tuo: et ne claudas ora canéntium te, Dómine.
Outra Antífona ibid., 17 Entre o vestíbulo e o altar chorarão os sacerdotes e os Ministros do Senhor, que dirão: «Perdoai, Senhor, perdoai ao vosso povo; e não fecheis a boca àqueles que cantam os vossos louvores, ó Senhor».

Responsório Est 13; Jl. 2

Emendémus in mélius, quæ ignoránter peccávimus: ne, subito præoccupáti die mortis, quærámus spátium pæniténtiæ, et inveníre non póssimus. Atténde, Dómine, et miserére: quia peccávimus tibi, V. Ps. 78,9 Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter honórem nóminis tui, Dómine, líbera nos. Atténde, Dómine. V. Glória Patri &c.
Reparemos o mal que praticámos por ignorância, para que não aconteça que, surpreendidos pelo dia da morte, queiramos fazer penitência, mas já não tenhamos tempo! Ouvi-nos, Senhor, e tende misericórdia de nós, pois pecámos contra Vós. V. Sl. 78,9 Auxiliai-nos, ó Deus, nosso Salvador, e, pela honra do vosso nomes, salvai-nos, Senhor. Ouvi-nos, Senhor, e tende misericórdia de nós, pois pecámos contra Vós. Glória ao Pai &c.

Imposição das Cinzas Gn 3, 19

Memento, homo, quia pulvis es, et in púlverem revertéris.
Lembra-te, homem, que és pó e que em pó te hás-de tornar.

Oração

Concéde nobis, Dómine, præsídia milítiæ christiánæ sanctis inchoáre jejúniis: ut, contra spiritáles nequítias pugnatúri, continéntiæ muniámur auxíliis. Per Christum, Dóminum nostrum. R. Amen.
Permiti, Senhor, que iniciemos com estes salutares jejuns esta estação da milícia cristã, a fim de que, havendo nós de combater contra os espíritos do mal, estejamos munidos contra os seus esforços com os auxílios da abstinência. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amen.

Intróito Sb, 11, 24, 25 & 27

Miseréris ómnium, Dómine, et nihil odísti eórum quæ fecísti, dissímulans peccáta hóminum propter pæniténtiam et parcens illis: quia tu es Dóminus, Deus noster. Ps. 56, 2 Miserére mei, Deus, miserére mei: quóniam in te confídit ánima mea. V. Gloria Patri &c.
Senhor, tendes piedade de todos e não odiais aqueles que criastes; atenuais e perdoais os pecados dos homens, para que façam penitência, porquanto sois o Senhor, nosso Deus. Sl. 56, 2 Tende piedade de mim, pois em Vós procura refúgio a minha alma. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta, Dómine, fidélibus tuis: ut jejuniórum veneránda sollémnia, et cóngrua pietáte suscípiant, et secúra devotióne percúrrant. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, aos vossos fiéis que iniciem com sincera piedade as veneráveis solenidades destes jejuns e que possam continuá-las até ao fim sempre devotamente. Por nosso Senhor &c.

Epístola Jl. 2, 12-19

Léctio Joélis Prophétæ.
Lição do Profeta Joel.
Hæc dicit Dóminus: Convertímini ad me in toto corde vestro, in jejúnio, et in fletu, et in planctu. Et scíndite corda vestra, et non vestiménta vestra, et convertímini ad Dóminum, Deum vestrum: quia benígnus et miséricors est, pátiens, et multæ misericórdiæ, et præstábilis super malítia. Quis scit, si convertátur, et ignóscat, et relínquat post se benedictiónem, sacrifícium et libámen Dómino, Deo vestro? Cánite tuba in Sion, sanctificáte jejúnium, vocáte cœtum, congregáte pópulum, sanctificáte ecclésiam, coadunáte senes, congregáte parvulos et sugéntes úbera: egrediátur sponsus de cubíli suo, et sponsa de thálamo suo. Inter vestíbulum et altare plorábunt sacerdótes minístri Dómini, et dicent: Parce, Dómine, parce pópulo tuo: et ne des hereditátem tuam in oppróbrium, ut dominéntur eis natiónes. Quare dicunt in pópulis: Ubi est Deus eórum? Zelátus est Dóminus terram suam, et pepércit pópulo suo. Et respóndit Dóminus, et dixit populo suo: Ecce, ego mittam vobis fruméntum et vinum et óleum, et replebímini eis: et non dabo vos ultra oppróbrium in géntibus: dicit Dóminus omnípotens.
Eis o que diz o Senhor: Convertei-vos a mim, de todo o coração, com jejuns, lágrimas e gemidos. Rasgai os vossos corações e não os vossos vestidos; e convertei-vos ao Senhor, vosso Deus, que é benigno, clemente, paciente, compassivo, cheio de misericórdia e cuja bondade excede a malícia humana. Quem sabe se Ele não retrocederá e não se arrependerá, não deixando após si uma bênção para apresentardes como oferta de sacrifício ao Senhor, nosso Deus?! Tocai a trombeta em Sião; ordenai que jejuem; convocai uma assembleia; chamai o povo; publicai uma reunião santa; reuni os velhos; congregai os meninos, ainda mesmo os que bebem o leite maternal; o marido saia do seu quarto e a esposa do seu leito nupcial. Que os sacerdotes, ministros do Senhor, chorem entre o vestíbulo e o altar e digam: «Perdoai, Senhor, perdoai ao vosso povo; não deixeis a vossa herança cair no opróbrio para servir de troça às nações estrangeiras»! Pois dir-se-á entre os povos: «Onde está o Deus deste povo? O Senhor compadeceu-se da sua terra e perdoou ao povo». Respondeu, então, o Senhor e disse ao seu povo: «Eis que vos mandarei trigo, vinho e azeite, e ficareis saciados; nunca mais vos abandonarei ao opróbrio das nações»: isto disse o Senhor omnipotente.

Gradual Sl. 56, 2 et 4

Miserére mei, Deus, miserére mei: quóniam in te confídit ánima mea. V. Misit de cœlo, et liberávit me, dedit in oppróbrium conculcántes me.
Tende misericórdia de mim, ó Deus; tende misericórdia de mim; pois a minha alma confia em Vós. V. Mandou auxílio do céu, livrando-me, e condenou ao opróbrio aqueles que me espezinhavam.

Trato Sl. 102, 10

Dómine, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retríbuas nobis. V. Ps. 78, 8-9 Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrarum antiquarum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis. (Hic genuflectitur) V. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.
Senhor, nos não castigueis, consoante merecemos, pelos pecados que praticámos: nem nos julgueis, segundo as nossas iniquidades. V. Sl. 78, 8-9 Esquecei-Vos, Senhor, das nossas iniquidades passa- das, apressai-Vos em revestir-nos com vossas misericórdias, pois grande é a nossa miséria. (Aqui genuflectir) V. Auxiliai-nos, ó Deus, nosso Salvador, e, pela glória do vosso nome, livrai-nos, Senhor, e perdoai os nossos pecados por causa do vosso nome.

Evangelho Mt. 6, 16-21

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis: Cum jejunátis, nolíte fíeri, sicut hypócritæ, tristes. Extérminant enim fácies suas, ut appáreant homínibus jejunántes. Amen, dico vobis, quia recepérunt mercédem suam. Tu autem, cum jejúnas, unge caput tuum, et fáciem tuam lava, ne videáris homínibus jejúnans, sed Patri tuo, qui est in abscóndito: et Pater tuus, qui videt in abscóndito, reddet tibi. Nolíte thesaurizáre vobis thesáuros in terra: ubi ærúgo et tínea demólitur: et ubi fures effódiunt et furántur. Thesaurizáte autem vobis thesáuros in cœlo: ubi neque ærúgo neque tínea demólitur; et ubi fures non effódiunt nec furántur. Ubi enim est thesáurus tuus, ibi est et cor tuum.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Quando jejuardes, não vos mostreis tristonhos, como os hipócritas; pois estes costumam desfigurar o rosto para mostrarem aos homens que jejuam. Na verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. Porém, quando jejuardes, perfumai a cabeça e lavai o rosto, para que não pareça aos homens que jejuais, mas sim a vosso Pai, que conhece todas as coisas ocultas; e, conhecendo esse segredo, vos dará a recompensa. Não guardeis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem os gastam e os ladrões esburacam a parede e os roubam. Guardai antes vossos tesouros no céu, onde nem a ferrugem nem a traça os destroem, nem os ladrões os desenterram ou furtam. Pois, onde estiver o vosso tesouro, aí estará o vosso coração.

Ofertório Sl. 29,2-3

Exaltábo te, Dómine, quóniam suscepísti me, nec delectásti inimícos meos super me: Dómine, clamávi ad te, et sanásti me.
Exaltar-Vos-ei, Senhor, porque me escolhestes e não permitistes que meus inimigos abusassem de mim. Clamei por Vós, Senhor, e curastes-me.

Secreta

Fac nos, quǽsumus, Dómine, his munéribus offeréndis conveniénter aptári: quibus ipsíus venerábilis sacraménti celebrámus exórdium. Per Dóminum &c.
Vos suplicamos, Senhor, tornai-nos dignos de Vos oferecermos, como devemos, estes dons sacratíssimos com os quais iniciamos a celebração deste venerando tempo, cheio de mystério. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 1, 2 & 3

Qui meditábitur in lege Dómini die ac nocte, dabit fructum suum in témpore suo.
Aquele que meditar durante o dia e a noite na Lei do Senhor dará fruto no tempo próprio.

Postcomúnio

Percépta nobis, Dómine, prǽbeant sacraménta subsídium: ut tibi grata sint nostra jejúnia, et nobis profíciant ad medélam. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, permiti que os sacramentos, que recebemos, nos propiciem o auxílio de que carecemos, a fim de que os nossos jejuns Vos sejam agradáveis e se tornem em remédio para os nossos males. Por nosso Senhor &c.

Quinta-feira depois das Cinzas Estação em S. Jorge

Intróito Sl. 54, 17, 19, 20 & 23

Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam ab his, qui appropínquant mihi, et humiliávit eos, qui est ante sǽcula et manet in ætérnum: jacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. Ps. ibid., 2-3 Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde mihi et exáudi me. V. Gloria Patri &c.
Quando invoquei o Senhor, ouviu Ele a minha voz e livrou-me daqueles que vinham contra mim: e Aquele que existe antes de todos os séculos e existirá eternamente os humilhará. Abandonai ao Senhor os vossos cuidados, pois Ele providenciará. Sl. ibid., 2-3 Ouvi, ó Deus, a minha oração e não desprezeis a minha humilde súplica. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui culpa offénderis, pæniténtia placáris: preces pópuli tui supplicántis propítius réspice; et flagélla tuæ iracúndiæ, quæ pro peccátis nostris merémur, avérte. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que Vos ofendeis com o pecado e aplacais com a penitência, ouvi propício as preces do vosso povo suplicante e afastai os flagelos da vossa ira, que merecemos pelos nossos pecados. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 38, 1-6

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
In diébus illis: Ægrotávit Ezechías usque ad mortem: et introívit ad eum Isaías fílius Amos Prophéta, et dixit ei: Hæc dicit Dóminus: Dispóne dómui tuæ, quia moriéris tu, et non vives. Et convértit Ezechías fáciem suam ad paríetem, et orávit ad Dóminum, et dixit: Obsecro, Dómine, meménto, quæso, quómodo ambuláverim coram te in veritáte et in corde perfécto, et, quod bonum est in óculis tuis, fécerim. Et flevit Ezechías fletu magno. Et factum est verbum Dómini ad Isaíam, dicens: Vade, et dic Ezechíæ: Hæc dicit Dóminus, Deus David patris tui: Audívi oratiónem tuam, et vidi lácrimas tuas: ecce, ego adjíciam super dies tuos quíndecim annos: et de manu regis Assyriórum éruam te et civitátem istam, et prótegam eam, ait Dóminus omnípotens.
Naqueles dias, Ezequias foi atacado de doença mortal. Então, o Profeta Isaías, filho de Amós, veio ter com ele e disse-lhe: «Isto diz o Senhor: «Dispõe os negócios da tua casa, porque morrerás e não viverás». Ezequias voltou o rosto para a parede e dirigiu esta oração ao Senhor: «Lembrai-Vos, Senhor, Vos suplico, de que tenho caminhado na vossa presença com a verdade e com o coração íntegro e tenho praticado o que é agradável a vossos olhos». Depois, Ezequias chorou amargamente. Então o Senhor falou a Isaías nestes termos: «Ide e dizei a Ezequias: Isto diz o Senhor, Deus de David, vosso Pai: Ouvi a vossa oração e vi as vossas lágrimas; eis que acrescentarei ainda a vossa vida com quinze anos e vos livrarei, e a esta terra, do jugo do rei da Assíria e a protegerei»: diz o Senhor omnipotente.

Gradual Sl. 54, 23, 17, 18 & 19

Jacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. V. Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam ab his, qui appropínquant mihi.
Abandonai ao Senhor os vossos cuidados, pois Ele providenciará. V. Quando invoquei o Senhor, ouviu Ele a minha voz e livrou-me daqueles que vinham contra mim.

Evangelho Mt. 8, 5-13

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Cum introísset Jesus Caphárnaum, accéssit ad eum centúrio, rogans eum, et dicens: Dómine, puer meus jacet in domo paralýticus, et male torquétur. Et ait illi Jesus: Ego véniam et curábo eum. Et respóndens centúrio, ait: Dómine, non sum dignus, ut intres sub tectum meum: sed tantum dic verbo, et sanábitur puer meus. Nam et ego homo sum sub potestáte constitútus, habens sub me mílites, et dico huic: Vade, et vadit; et alii: Veni, et venit; et servo meo: Fac hoc, et facit. Audiens autem Jesus, mirátus est, et sequéntibus se dixit: Amen, dico vobis, non invéni tantam fidem in Israël. Dico autem vobis, quod multi ab Oriénte et Occidénte vénient, et recúmbent cum Abraham et Isaac et Jacob in regno cœlórum: fílii autem regni ejiciéntur in ténebras exterióres: ibi erit fletus et stridor déntium. Et dixit Jesus centurióni: Vade, et, sicut credidísti, fiat tibi. Et sanátus est puer in illa hora.
Naquele tempo, entrando Jesus em Cafarnaum, aproximou-se dele um centurião, pedindo-Lhe e dizendo: «Senhor, o meu servo jaz em casa paralítico e sofre gravemente». Jesus disse-lhe: «Eu irei e o curarei». Mas o centurião respondeu: «Senhor, não sou digno de que entreis em minha casa; dizei somente uma palavra e o meu servo será curado. Pois eu, posto que seja um homem sujeito a outros superiores, tenho soldados debaixo das minhas ordens. E digo a um: vai; e ele vai. E digo a outro: vem; e ele vem. E digo ao meu servo: faz isto; e ele faz». Ouvindo Jesus isto, ficou admirado e disse aos que O seguiam: «Em verdade vos digo que nunca encontrei tão grande fé em Israel! Declaro-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugar no banquete com Abraão, Isaque e Jacob, no reino dos céus; mas os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores, onde só haverá pranto e ranger de dentes». Então Jesus disse ao centurião: «Vai; e, assim como acreditaste, assim acontecerá». E naquela hora o servo foi curado.

Ofertório Sl. 24, 1-3

Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur.
Elevei a minha alma até Vós, Senhor, meu Deus: tenho confiança em Vós: não serei confundido; não permitireis que meus inimigos zombem de mim, porque todos aqueles que esperam em Vós, não serão confundidos.

Secreta

Sacrifíciis præséntibus, Dómine, quǽsumus, inténde placátus: ut et devotióni nostræ profíciant et salúti. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, olhai benigno para o presente sacrifício, a fim de que sirva para aumento da nossa devoção e para a nossa salvação. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 50, 21

Acceptábis sacrifícium justítiæ, oblatiónes et holocáusta, super altáre tuum, Dómine.
Recebeis sobre o vosso altar, Senhor, o sacrifício de justiça, as ofertas e os holocaustos.

Postcomúnio

Cœléstis doni benedictióne percépta: súpplices te, Deus omnípotens, deprecámur; ut hoc idem nobis et sacraménti causa sit et salútis. Per Dóminum &c.
Havendo recebido a bênção do dom celestial, humildemente Vos suplicamos, Deus omnipotente, que este mesmo dom seja para nós motivo de satisfação e de salvação. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Parce, Dómine, parce populo tuo: ut, dignis flagellatiónibus castigátus, in tua miseratióne respíret. Per Dóminum &c.
Perdoai, Senhor, perdoai ao vosso povo, a fim de que, castigado merecidamente com os flagelos, possa, enfim, respirar, bafejado pela vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Sexta-feira depois das Cinzas Estação na Igreja dos SS. João e Paulo, Mártires

Intróito Sl. 29, 11

Dóminus, et misértus est mihi: Dóminus factus est adjútor meus. Ps. ibid., 2 Exaltábo te, Dómine, quóniam suscepísti me: nec delectásti inimícos meos super me. V. Gloria Patri &c.
O Senhor ouviu-me e teve piedade de mim. O Senhor veio em meu auxílio. Sl. ibid., 2 Senhor, louvar-Vos-ei porque me socorrestes e não permitistes que meus inimigos mofassem de mim. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Inchoáta jejúnia, quǽsumus, Dómine, benígno favore proséquere: ut observántiam, quam corporáliter exhibémus, méntibus etiam sincéris exercére valeámus. Per Dóminum &c.
Vos suplicamos, acolhei com benigno favor os jejuns agora começados, a fim de que, exercendo corporalmente esta observância, possamos praticá-la com o coração sincero. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 58, 1-0

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus Deus: Clama, ne cesses: quasi tuba exálta vocem tuam: et annúntia pópulo meo scélera eórum, et dómui Jacob peccáta eórum. Me étenim de die in diem quærunt, et scire vias meas volunt: quasi gens, quæ justítiam fécerit, et judícium Dei sui non derelíquerit: rogant me judícia justítiæ: appropinquáre Deo volunt. Quare jejunávimus, et non aspexísti: humiliávimus ánimas nostras, et nescísti? Ecce, in die jejúnii vestri invénitur volúntas vestra, et omnes debitóres vestros repétitis. Ecce, ad lites et contentiónes jejunátis, et percútitis pugno ímpie. Nolíte jejunáre sicut usque ad hanc diem, ut audiátur in excélso clamor vester. Numquid tale est jejúnium, quod elégi, per diem afflígere hóminem ánimam suam? numquid contorquére quasi círculum caput suum, et saccum et cínerem stérnere? numquid istud vocábis jejúnium, et diem acceptábilem Dómino? Nonne hoc est magis jejúnium quod elégi? dissólve colligatiónes impietátis, solve fascículos depriméntes: dimítte eos, qui confrácti sunt, líberos, et omne onus dirúmpe. Frange esuriénti panem tuum, et egénos vagósque induc in domum tuam: cum víderis nudum, operi eum, et carnem tuam ne despéxeris. Tunc erúmpet quasi mane lumen tuum, et sánitas tua cítius oriétur, et anteíbit fáciem tuam justítia tua, et glória Dómini cóllige t te. Tunc invocábis, et Dóminus exáudiet: clamábis, et dicet: Ecce, adsum. Quia miséricors sum, Dóminus, Deus tuus.
Isto diz o Senhor Deus: «Clama incessantemente; faz ouvir a tua voz, como uma trombeta, denunciando ao meu povo os seus crimes e à casa de Jacob os seus pecados. Eles procuram-me quotidianamente e desejam conhecer os meus caminhos, como uma nação que tenha procedido sempre com justiça e não haja abandonado a lei do seu Deus. Perguntam-me os direitos da justiça; querem aproximar-se de Deus. De que nos aproveita havermos jejuado, dizem eles, se não atendeis a isso? De que serve que nos humilhemos, se mostrais que ignorais tal coisa? No dia do jejum a vossa má vontade persiste; demandais os vossos devedores; disputais e questionais reciprocamente até vos agredirdes impiedosamente uns aos outros com pancadas. Não jejueis mais assim, pois com um tal jejum a vossa voz não será ouvida no alto. Porventura o jejum que me agrada consiste em o homem humilhar em um só dia a sua alma, ou em curvar a sua cabeça, como que formando um círculo, ou em usar o «saco e a cinza»? É a isto que chamais jejum e dia agradável ao Senhor? O jejum que me agrada é aquele em que quebrais as cadeias da impiedade; em que desatais os nós do jugo, que vos oprime; em que aliviais os oprimidos; e em que terminais as violências. O jejum que me agrada é antes aquele em que repartis o pão pelos que têm fome; em que recolheis em vossa casa os infelizes sem asilo; e em que, encontrando um homem em nudez, lhe dais de vestir, e não desprezais a vossa carne! Então, sim, a vossa luz brilhará, como a aurora; a vossa saúde cedo voltará; a vossa justiça caminhará ante a vossa face; e a glória do Senhor vos inundará. Então, sim, invocareis o Senhor, e vos escutará. Clamareis por Ele, e vos responderá: «Eis-me aqui, pois sou misericordioso: Eu, o Senhor, vosso Deus».

Gradual Sl. 26, 4

Unam pétii a Dómino, hanc requíram, ut inhábitem in domo Dómini. V. Ut vídeam voluptátem Dómini, et prótegar a templo sancto ejus.
Uma coisa peço ao Senhor e continuarei a pedi-la: que possa habitar na sua casa: V. Para que possa gozar os seus esplendores e ser protegido no seu santo templo.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Mt. 5, 43-48 & 6, 1-4

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis: Audístis, quia dictum est: Diliges próximum tuum, et odio habébis inimícum tuum. Ego autem dico vobis: Dilígite inimícos vestros, benefácite his, qui odérunt vos, et oráte pro persequéntibus et calumniántibus vos, ut sitisfílii Patris vestri, qui in cœlis est: qui solem suum oriri facit super bonos et malos, et pluit super justos et injústos. Si enim dilígitis eos, qui vos díligunt, quam mercédem habébitis? nonne et publicáni hoc fáciunt? Et si salutavéritis fratres vestros tantum, quid ámplius fácitis? nonne et éthnici hoc fáciunt? Estóte ergo vos perfécti, sicut et Pater vester cœléstis perféctus est. Atténdite, ne justítiam vestram faciátis coram homínibus, ut videámini ab eis: alióquin mercédem non habébitis apud Patrem vestrum, qui in cœlis est. Cum ergo facis eleemósynam, noli tuba cánere ante te, sicut hypócritæ fáciunt in synagógis et in vicis, ut honorificéntur ab homínibus. Amen, dico vobis, recepérunt mercédem suam. Te autem faciénte eleemósynam, nésciat sinístra tua, quid fáciat déxtera tua, ut sit eleemósyna tua in abscóndito, et Pater tuus, qui videt in abscóndito, reddet tibi.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Aprendestes o que vos ensinaram: «Amareis o vosso próximo e aborrecereis o vosso inimigo» ? Eu, porém, digo-vos: amai os vossos inimigos; fazei bem àqueles que vos odeiam; rezai pelos que vos perseguem e caluniam, a fim de que sejais filhos do vosso Pai, que está nos céus, o qual faz nascer o sol para os maus e bons e chover para os justos e injustos. Se amais os que vos amam, que recompensa mereceis? Não procedem do mesmo modo os publicanos? Se saudais sàmente os vossos irmãos, que fazeis mais do que os outros? Não procedem assim os pagãos? Sede, portanto, perfeitos como o vosso Pai celestial é perfeito. Tende cuidado, não pratiqueis obras justas na presença dos homens, com intenção de que sejam vistas por eles, pois não alcançareis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus. Por isso, quando derdes esmola, não toqueis a trombeta para serdes elogiados, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas. Na verdade vos digo: eles já receberam a recompensa. Mas, quando derdes esmola, procedei de modo que a mão esquerda não saiba o que faz a direita, a fim de que a vossa esmola seja oculta, e vosso Pai, que conhece todos os segredos, vos recompensará».

Ofertório Sl. 118, 154 & 125

Dómine, vivífica me secúndum elóquium tuum: ut sciam testimónia tua.
Vivificai-me, Senhor, segundo a vossa palavra, para que conheça os vossos preceitos.

Secreta

Sacrifícium, Dómine, observántiæ quadragesimális, quod offérimus, præsta, quǽsumus: ut tibi et mentes nostras reddat accéptas, et continéntiæ promptióris nobis tríbuat facultátem. Per Dóminum &c.
Concedei-nos, Senhor, Vos suplicamos, que o sacrifício do preceito quaresmal, que oferecemos, Vos torne agradáveis as nossas almas, e nos alcance a graça de praticarmos mais facilmente a continência. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 2, 11-12

Servi te Dómino in timóre, et exsultáte ei cum tremóre: apprehéndite disciplínam, ne pereátis de via justa.
Obedecei ao Senhor com temor e alegrai-vos n’Ele com tremor: abraçai a sua lei para que vos não afasteis dos caminhos direitos.

Postcomúnio

Spíritum nobis, Dómine, tuæ cantátis infúnde: ut, quos uno pane cœlésti satiásti, tua fácias pietáte concórdes. Per Dóminum &c.
Infundi em nossas almas, Senhor, o espírito da caridade, a fim de que aqueles que saciastes com o mesmo pão celestial permaneçam em concórdia pela vossa bondade. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Tuére, Dómine, pópulum tuum et ab ómnibus peccátis cleménter emúnda: quia nulla ei nocébit advérsitas, si nulla ei dominétur iníquitas. Per Dóminum &c.
Senhor, defendei o vosso povo; e, para que nenhuma adversidade o possa prejudicar nem nenhuma iniquidade o possa dominar, purificai-o pela vossa clemência. Por nosso Senhor &c.

Sábado depois das Cinzas Estação em S. Trifão

Intróito, Gradual, Trato, Ofertório e Comúnio Página sextafeiradepoiscinzas

Oração

Adésto, Dómine, supplicatiónibus nostris: et concéde; ut hoc sollémne jejúnium, quod animábus corporibúsque curándis salúbriter institútum est, devóto servítio celebrémus. Per Dóminum &c.
Atendei, Senhor, às nossas súplicas e concedei-nos a graça de celebrarmos como servos devotos este solene jejum, que foi salutarmente instituído para curar as nossas almas e os nossos corpos. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 58, 9-14

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus Deus: Si abstúleris de médio tui caténam, et desíeris exténdere dígitum, et loqui quod non prodest. Cum effúderis esuriénti ánimam tuam, et ánimam afflíctam repléveris, oriétur in ténebris lux tua, et ténebræ tuæ erunt sicut merídies. Et réquiem tibi dabit Dóminus semper, et implébit splendóribus ánimam tuam, et ossa tua liberábit, et eris quasi hortus irríguus, et sicut fons aquárum, cujus non defícient aquæ. Et ædificabúntur in te desérta sæculórum: fundaménta generatiónis et generatiónis suscitábis: et vocáberis ædificátor sépium, avértens sémitas in quiétem. Si avérteris a sábbato pedem tuum, fácere voluntátem tuam in die sancto meo, et vocáveris sábbatum delicátum, et sanctum Dómini gloriósum, et glorificáveris eum, dum non facis vias tuas, et non invénitur volúntas tua, ut loquáris sermónem: tunc delectáberis super Dómino: et sustóllam te super altitúdines terræ, et cibábo te hereditáte Jacob, patris tui. Os enim Dómini locútum est.
Assim fala o Senhor Deus: «Se acabar no meio de vós o jugo; se cessardes de estender o dedo e de falar em coisas que não são proveitosas; se assistirdes ao faminto com o carinho da vossa alma e consolardes o coração aflito: então nascerá nas trevas a vossa luz e as vossas trevas brilharão, como o sol ao meio-dia. E o Senhor vos dará repouso para sempre; encherá a vossa alma com seus esplendores; livrará os vossos ossos da corrupção; e sereis como um jardim regado e como uma fonte abundante, cujas águas nunca mais se esgotarão. Por vós serão edificados os lugares desertos; levantados os alicerces, postos pelas gerações passadas, que estavam abandonados; dir-se-á que reparastes os muros e tornastes os caminhos em lugares de paz. Se deixardes em descanso os vossos pés ao sábado; se não fizerdes a vossa vontade no meu dia sagrado; se chamardes ao sábado dia agradável, como dia santo e glorioso do Senhor, e o glorificardes, não seguindo as vossas inclinações, nem vos entregando aos vossos negócios e às vossas palavras insensatas: então encontrareis as delícias no Senhor e sereis erguidos às culminâncias da terra, e vos darei o gozo da herança de vosso pai Jacob, pois a palavra do Senhor o prometeu».

Evangelho Mc. 6, 47-56

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Marcum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Marcos.
In illo témpore: Cum sero esset, erat navis in médio mari, et Jesus solus in terra. Et videns discípulos suos laborántes in remigándo (erat enim ventus contrárius eis), et circa quartam vigíliam noctis venit ad eos ámbulans supra mare: et volébat præteríre eos. At illi, ut vidérunt eum ambulántem supra mare, putavérunt phantásma esse, et exclamavérunt. Omnes enim vidérunt eum, et conturbáti sunt. Et statim locútus est cum eis, et dixit eis: Confídite, ego sum, nolíte timére. Et ascéndit ad illos in navim, et cessávit ventus. Et plus magis intra se stupébant: non enim intellexérunt de pánibus: erat enim cor eórum obcæcátum. Et cum transfretássent, venérunt in terram Genésareth, et applicuérunt. Cumque egréssi essent de navi, contínuo cognovérunt eum: et percurréntes univérsam regiónem illam, cœpérunt in grabátis eos, qui se male habébant, circumférre ubi audiébant eum esse. Et quocúmque introíbat, in vicos vel in villas aut civitátes, in platéis ponébant infírmos, et deprecabántur eum, ut vel fímbriam vestiménti ejus tángerent: et quotquot tangébant eum, salvi fiébant.
Naquele tempo, sendo quase noite, a barca estava no meio do mar; e Jesus estava, só, em terra. Vendo Ele, então, os seus discípulos fatigados de remar (pois o vento era contrário) cerca da quarta vigília da noite, veio a eles, caminhando por cima do mar e querendo ultrapassá-los • Vendo-O os discípulos a andar no mar, julgaram que era um fantasma e deram gritos de pavor, pois todos O viram e se perturbaram. Logo, Jesus lhes falou e disse: «Tende confiança, sou eu; não tenhais nenhum receio». Em seguida subiu para a barca, junto deles, e logo o vento cessou. E cada vez mais se admiravam intimamente, porquanto não haviam compreendido o milagre dos pães, pois o seu coração estava obcecado. Entretanto, tendo passado para a outra banda, vieram à terra de Genesaré, onde abordaram. Logo que saíram da barca, conheceram Jesus. Então percorreram toda aquela região; e começaram a trazer nas camas os que se achavam doentes, onde quer que Ele estava. E em qualquer lugar em que Ele entrava (aldeias, vilas ou cidades) punham nas praças os enfermos e suplicavam-Lhe que ao menos lhes deixasse tocar na orla do seu vestido. E todos aqueles que Lhe tocavam eram curados.

Secreta

Súscipe, Dómine, sacrifícium, cujus te voluísti dignánter immolatióne placári: præsta, quǽsumus; ut, hujus operatióne mundáti, beneplácitum tibi nostræ mentis offerámus afféctum. Per Dóminum &c.
Aceitai, Senhor, este sacrifício, cuja imolação quisestes que possuísse a virtude de aplacar-Vos, e permiti, Vos suplicamos, que, purificados pela sua virtude, queirais aceitar o afecto do nosso coração, como uma oblação agradável. Por nosso Senhor &c.

Postcomúnio

Cœléstis vitæ múnere vegetáti, quǽsumus, Dómine: ut, quod est nobis in præsénti vita mystérium, fiat æternitátis auxílium. Per Dóminum nostrum &c.
Agora, que fomos alimentados com o pão da vida celestial, Vos suplicamos, Senhor, permiti que este dom, que é para nós mystério nesta vida, seja nosso auxílio na eternidade. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Fidéles tui, Deus, per tua dona firméntur: ut éadem et percipiéndo requírant, et quæréndo sine fine percípiant. Per Dóminum &c.
Que os vossos fiéis, ó Deus, sejam fortificados com vossos dons, a fim de que, recebendo-os, os procurem, e, procurando-os, os alcancem perpetuamente. Por nosso Senhor &c.

Primeiro Domingo da Quaresma

Intróito Sl. 90, 15 & 16

Invocábit me, et ego exáudiam eum: erípiam eum, et glorificábo eum: longitúdine diérum adimplébo eum. Ps. ibid., 1 Qui hábitat in adjutório Altíssimi, in protectióne Dei cœli commorábitur. V. Gloria Patri &c.
Invocar-me-á, e ouvi-lo-ei: livrá-lo-ei, e glorificá-lo-ei: conceder-lhe-ei longa vida. Sl. ibid., 1 Aquele que habita à sombra do Altíssimo descansará sob a protecção de Deus do céu. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui Ecclésiam tuam ánnua quadragesimáli observatióne puríficas: præsta famíliæ tuæ; ut, quod a te obtinére abstinéndo nítitur, hoc bonis opéribus exsequátur. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que purificais a vossa Igreja com a observância anual da quaresma, concedei à vossa família que o que ela deseja alcançar pela abstinência o pratique com suas boas obras. Por nosso Senhor &c.

Epístola 2 Cor. 6, 1-10

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Coríntios.
Fratres: Exhortámur vos, ne in vácuum grátiam Dei recipiátis. Ait enim: Témpore accépto exaudívi te, et in die salútis adjúvi te. Ecce, nunc tempus acceptábile, ecce, nunc dies salútis. Némini dantes ullam offensiónem, ut non vituperétur ministérium nostrum: sed in ómnibus exhibeámus nosmetípsos sicut Dei minístros, in multa patiéntia, in tribulatiónibus, in necessitátibus, in angústiis, in plagis, in carcéribus, in seditiónibus, in labóribus, in vigíliis, in jejúniis, in castitáte, in sciéntia, in longanimitáte, in suavitáte, in Spíritu Sancto, in caritáte non ficta, in verbo veritátis, in virtúte Dei, per arma justítiæ a dextris et a sinístris: per glóriam et ignobilitátem: per infámiam et bonam famam: ut seductóres et veráces: sicut qui ignóti et cógniti: quasi moriéntes et ecce, vívimus: ut castigáti et non mortificáti: quasi tristes, semper autem gaudéntes: sicut egéntes, multos autem locupletántes: tamquam nihil habéntes et ómnia possidéntes.
Meus irmãos: Vos exortamos a que não recebais em vão a graça de Deus, pois Ele diz: «No tempo propício ouço-te, e no dia da salvação socorro-te». Eis, pois, agora o tempo propício; eis agora os dias da salvação. Não dêmos a ninguém escândalo, para que o nosso ministério não seja censurado; mas portemo-nos em tudo como ministros de Deus, com muita paciência nas tribulações, nas necessidades, nas angústias, nas ofensas corporais, nas prisões, nas sedições, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, pela castidade, pela ciência, pela longanimidade, pela mansidão, pelo Espírito Santo, pela caridade sincera, pela palavra da verdade, pelo poder de Deus, pelas armas da justiça com que devemos combater, à direita ou à esquerda, na honra ou na desonra, na boa reputação ou na infâmia; sendo julgados sedutores, ainda que sejamos sinceros e verdadeiros; sendo reputados desconhecidos, e, contudo, sendo bem conhecidos; pensando eles que éramos moribundos, mas estando bem vivos; como castigados, mas escapando à morte; como tristes, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo os outros; como não tendo nada, mas possuindo tudo.

Gradual Sl. 90,11-1 2

Angelis suis Deus mandávit de te, ut custódiant te in ómnibus viis tuis. V. In mánibus portábunt te, ne umquam offéndas ad lápidem pedem tuum.
Deus ordenou aos seus Anjos que te guardassem em todos teus caminhos. V. Levar-te-ão nas suas mãos, para que não tropeces nas pedras.

Trato ibid., 1-7 & 11-16

Qui hábitat in adjutório Altíssimi, in protectióne Dei cœli commorántur. V. Dicet Dómino: Suscéptor meus es tu et refúgium meum: Deus meus, sperábo in eum. V. Quóniam ipse liberávit me de láqueo venántium et a verbo áspero. V. Scápulis suis obumbrábit tibi, et sub pennis ejus sperábis. V. Scuto circúmdabit te véritas ejus: non timébis a timóre noctúrno. V. A sagítta volánte per diem, a negótio perambulánte in ténebris, a ruína et dæmónio meridiáno. V. Cadent a látere tuo mille, et decem mília a dextris tuis: tibi autem non appropinquábit. V. Quóniam Angelis suis mandávit de te, ut custódiant te in ómnibus viis tuis. V. In mánibus portábunt te, ne umquam offéndas ad lápidem pedem tuum. V. Super áspidem et basilíscum ambulábis, et conculcábis leónem et dracónem. V. Quóniam in me sperávit, liberábo eum: prótegam eum, quóniam cognóvit nomen meum. V. Invocábit me, et ego exáudiam eum: cum ipso sum in tribulatióne. V. Erípiam eum et glorificábo eum: longitúdine diérum adimplébo eum, et osténdam illi salutáre meum.
Aquele que habita à sombra do Altíssimo descansará sob a protecção de Deus do céu. V. Ele dirá ao Senhor: sois o meu protector e o meu refúgio; sois o meu Deus, em quem confio! V. Pois livrastes-me do laço do caçador e das palavras funestas! V. O Senhor te acolherá sob a sua protecção: agasalhar-te-á sob as suas asas! V. Sua fidelidade é como um escudo: livrar-te-á dos terrores da noite; da seta, que voa de dia; das traições, que se tramam durante a noite; e dos assaltos do demónio, em pleno meio-dia. V. Cairão mil à tua esquerda e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido! V. Pois Deus ordenou aos seus Anjos que te guardassem em todos teus caminhos. V. Levar-te-ão nas suas mãos para que não tropeces nas pedras. V. Caminharás sobre a víbora e o basilisco; pisarás o leão e o dragão. V. Visto que esperou em mim, livrá-lo-ei; e protegê-lo-ei, pois, conhece e invoca o meu nome. V. Invocar-me-á e ouvi-lo-ei: estarei com ele nos dias da tribulação. V. Livrá-lo-ei e glorificá-lo-ei, conceder-lhe-ei longa vida e mostrar-lhe-ei a minha salvação.

Evangelho Mt. 4, 1-11

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Ductus est Jesus in desértum a Spíritu, ut tentarétur a diábolo. Et cum jejunásset quadragínta diébus et quadragínta nóctibus, postea esúriit. Et accédens tentátor, dixit ei: Si Fílius Dei es, dic, ut lápides isti panes fiant. Qui respóndens, dixit: Scriptum est: Non in solo pane vivit homo, sed in omni verbo, quod procédit de ore Dei. Tunc assúmpsit eum diábolus in sanctam civitátem, et státuit eum super pinnáculum templi, et dixit ei: Si Fílius Dei es, mitte te deórsum. Scriptum est enim: Quia Angelis suis mandávit de te, et in mánibus tollent te, ne forte offéndas ad lápidem pedem tuum. Ait illi Jesus: Rursum scriptum est: Non tentábis Dóminum, Deum tuum. Iterum assúmpsit eum diábolus in montem excélsum valde: et ostendit ei ómnia regna mundi et glóriam eórum, et dixit ei: Hæc ómnia tibi dabo, si cadens adoráveris me. Tunc dicit ei Jesus: Vade, Sátana; scriptum est enim: Dóminum, Deum tuum, adorábis, et illi soli sérvies. Tunc relíquit eum diábolus: et ecce, Angeli accessérunt et ministrábant ei.
Naquele tempo, foi Jesus conduzido ao deserto pelo espírito, para ser tentado pelo demónio. E, havendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, teve fome. Então o tentador aproximou-se de Jesus e disse-Lhe: «Se sois o filho de Deus, mandai que estas pedras se tornem em pães». Jesus respondeu: «Está escrito: «não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus». Então o demónio conduziu Jesus à cidade santa; e, levando-O até ao pináculo do templo, disse-Lhe: «Se sois o Filho de Deus, lançai-Vos daqui para baixo, pois está escrito: «ordenou aos seus Anjos que Vos levassem nas suas mãos para que os vossos pés não tropeçassem nas pedras». Jesus disse-lhe: «Também está escrito «não tentareis ao Senhor, teu Deus». Ainda o demónio conduziu Jesus a um monte muito elevado; e, mostrando-Lhe todos os reinos do mundo, revestidos das suas glórias, disse-Lhe: «Dar-Vos-ei tudo isto, se, de joelhos, me adorardes». Então disse-lhe Jesus: «Retira-te, Satanás, pois está escrito: «Adorarás ao Senhor, teu Deus, e só a Ele servirás», Logo o demónio deixou Jesus, aproximando-se d’Ele os Anjos, que O serviram.

Ofertório Sl. 90, 4-5

Scápulis suis obumbrábit tibi Dóminus, et sub pennis ejus sperábis: scuto circúmdabit te véritas ejus.
O Senhor vos acolherá à sua sombra: e sob as suas asas vos esperará: a sua fidelidade proteger-vos-á, como um escudo.

Secreta

Sacrifícium quadragesimális inítii sollémniter immolámus, te, Dómine, deprecántes: ut, cum epulárum restrictióne carnálium, a noxiis quoque voluptátibus lemperémus. Per Dóminum &c.
Senhor, imolamos solenemente este sacrifício no princípio da Quaresma, suplicando-Vos que, fazendo-nos restringir o uso das carnes, nos abstenhamos também dos prazeres funestos. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 90,4-5

Scápulis suis obumbrábit tibi Dóminus, et sub pennis ejus sperábis: scuto circúmdabit te véritas ejus.
O Senhor vos acolherá à sua sombra: e sob as suas asas vos esperará: a sua verdade proteger-vos-á, como um escudo.

Postcomúnio

Qui nos, Dómine, sacraménti libátio sancta restáuret: et a vetustáte purgátos, in mystérii salutáris fáciat transíre consórtium. Per Dóminum &c.
Que a participação, que tomámos, no vosso sacramento, Senhor, nos restaure; e que, despojando-nos do «homem velho», nos faça alcançar o mystério da salvação. Por nosso Senhor &c.

Segunda-feira da l.ª Semana da Quaresma Estação em S. Pedro nas Cadeias

Intróito Sl. 122, 2

Sicut óculi servórum in mánibus dominórum suórum: ita óculi nostri ad Dóminum, Deum nostrum, donec misereátur nobis: miserére nobis, Dómine, miserére nobis. Ps. ibid., 1 Ad te levávi óculos meos: qui hábitas in cœlis. V. Gloria Patri &c.
Assim como os olhos dos escravos estão voltados para as mãos dos seus senhores, assim os nossos olhos estão voltados para o Senhor, nosso Deus, até que Ele tenha compaixão de nós. Tende compaixão de nós, Senhor, tende compaixão de nós. Sl. ibid., 1 Levantei os olhos para Vós, que habitais nos céus. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Convérte nos, Deus, salutáris noster: et, ut nobis jejúnium quadragesimále profíciat, mentes nostras cœléstibus ínstrue disciplínis. Per Dóminum &c.
Ó Deus, nosso Salvador, convertei-nos; e, para que o jejum quaresmal nos seja proveitoso, instruí as nossas almas com vossas celestiais lições. Por nosso Senhor &c.

Epístola Ez. 34, 11-16

Léctio Ezechiélis Prophétæ.
Lição do Profeta Ezequiel.
Hæc dicit Dóminus Deus: Ecce, ego ipse requíram oves meas, et visitábo eas. Sicut vísitat pastor gregem suum in die, quando fúerit in médio óvium suárum dissipatárum: sic visitábo oves meas, et liberábo eas de ómnibus locis, in quibus dispérsæ fúerant in die nubis et calíginis. Et edúcam eas de pópulis, et congregábo eas de terris, et indúcam eas in terram suam: et pascam eas in móntibus Israël, in rivis, et in cunctis sédibus terræ. In páscuis ubérrimis pascam eas, et in móntibus excélsis Israël erunt páscua eárum: ibi requiéscent in herbis viréntibus, et in páscuis pínguibus pascéntur super montes Israël. Ego pascam oves meas, et ego eas accubáre fáciam, dicit Dóminus Deus. Quod períerat, requíram; et quod abjéctum erat, redúcam; et quod confractum fúerat, alligábo; et quod infírmum fúerat, consolidábo; et quod pingue et forte, custódiam: et pascam illas in judício, dicit Dóminus omnípotens.
Assim fala o Senhor Deus: «Eis que Eu próprio procurarei as minhas ovelhas e as visitarei. Assim como um pastor, durante o dia, visita as suas ovelhas, quando está no meio delas e andam dispersas, assim visitarei as minhas ovelhas e as retirarei dos lugares por onde tinham sido dispersas, no tempo das nuvens e das tempestades. Tirá-las-ei do meio dos povos; congregá-las-ei dos diversos países; conduzi-las-ei à sua terra; e apascentá-las-ei nas montanhas de Israel, à beira dos regatos, em todos os lugares do país. Levá-las-ei a pastagens abundantíssimas; sua malhada será no cimo das montanhas de Israel, sobre a erva verdejante; e pastarão em ervas viçosas nas montanhas de Israel. Eu próprio apascentarei as minhas ovelhas e prepararei o seu repouso ao meu lado, diz o Senhor Deus. Procurarei aquela que se perdera; reconduzirei a que se desgarrara; tratarei a que se ferira; fortificarei a que enfraquecera; conservarei a que estava farta e forte; e apascentá-las-ei com justiça: diz o Senhor omnipotente».

Gradual Sl. 88, 10 & 9

Protéctor noster, áspice, Deus, et réspice super servos tuos. V. Dómine, Deus virtútum, exáudi preces servórum tuórum.
Olhai para nós, ó Deus, nosso protector: volvei os vossos olhos para os vossos servos. V. Senhor, Deus dos exércitos, ouvi as súplicas dos vossos servos.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Mt. 25, 31-46

Sequéntia sancti Evangélii secundum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis: Cum vénerit Fílius hóminis in majestáte sua, et omnes Angeli cum eo, tunc sedébit super sedem majestátis suæ: et congregabúntur ante eum omnes gentes, et separábit eos ab ínvicem, sicut pastor ségregat oves ab hædis: et státuet oves quidem a dextris suis, hædos autem a sinístris. Tunc dicet Rex his, qui a dextris ejus erunt: Veníte, benedícti Patris mei, possidéte parátum vobis regnum a constitutióne mundi. Esurívi enim, et dedístis mihi manducáre; sitívi, et dedístis mihi bíbere; hospes eram, et collegístis me; nudus, et cooperuístis me; infírmus, et visitástis me; in cárcere eram, et venístis ad me. Tunc respondébunt ei justi, dicéntes: Dómine, quando te vídimus esuriéntem, et pávimus te; sitiéntem, et dedimus tibi potum? quando autem te vídimus hóspitem, et collégimus te? aut nudum, et cooperúimus te? aut quando te vídimus infírmum, aut in cárcere, et vénimus ad te? Et respóndens Rex, dicet illis: Amen, dico vobis: quámdiu fecístis uni ex his frátribus meis mínimis, mihi fecístis. Tunc dicet et his, qui a sinístris erunt: Discédite a me, maledícti, in ignem ætérnum, qui parátus est diábolo et ángelis ejus. Esurívi enim, et non dedístis mihi manducáre; sitívi, et non dedístis mihi potum; hospes eram, et non collegístis me; nudus, et non cooperuístis me; infírmus et in cárcere, et non visitástis me. Tunc respondébunt ei et ipsi, dicéntes: Dómine, quando te vídimus esuriéntem, aut sitiéntem, aut hóspitem, aut nudum, aut infírmum, aut in cárcere, et non ministrávimus tibi? Tunc respondébit illis, dicens: Amen, dico vobis: Quámdiu non fecístis uni de minóribus his, nec mihi fecístis. Et ibunt hi in supplícium ætérnum: justi autem in vitam ætérnam.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Quando o Filho do homem vier na sua majestade, acompanhado com os Anjos, sentar-se-á no trono da sua glória. Então, serão chamados à sua presença todos os povos e separados uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos, e colocará as ovelhas à sua direita e os Cabritos à sua esquerda. E o Rei dirá aos que estão à direita: «Vinde, benditos de meu Pai, possuir o reino, que vos está preparado desde o princípio do mundo; porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; estava sem asilo, e destes-me hospedagem; estava nu, e vestistes-me; enfermo, e visitastes-me; preso, e viestes ter comigo». Então, os justos lhe darão esta resposta: «Senhor, quando foi que Vos vimos com fome, e Vos demos de comer; com sede, e Vos demos de beber? Quando foi que Vos vimos sem casa, e Vos recolhemos em nossa casa; nu, e Vos vestimos? Quando Vos encontrámos doente ou na prisão, e fomos visitar-Vos?». E o Rei lhes responderá: «Na verdade vos digo: todas as vezes que fizestes isto a algum dos meus irmãos fizeste-lo a mim mesmo». Em seguida o Rei dirá aos que estão à sua esquerda: «Afastai-vos de mim, malditos, ide para o fogo do inferno, que foi preparado para o demónio e para os seus anjos; pois tive fome, e me não destes de comer; tive sede, e me não destes de beber; era hóspede, e me não recolhestes; estava nu, e me não vestistes; estava doente e preso, e me não visitastes». Então, eles responderão: «Senhor, quando foi que Vos vimos faminto ou sequioso, hóspede, nu, doente ou preso, e não Vos servimos?». Ele lhes responderá: «Em verdade vos digo: quando não fizestes isto mesmo a um dos mais pequenos, o não fizestes a mim mesmo». E estes irão para o suplício eterno, e os justos para a vida eterna».

Ofertório Sl. 118, 18, 26 & 73

Levábo óculos meos, et considerábo mirabília tua, Dómine, ut dóceas me justítias tuas: da mihi intelléctum, et discam mandáta tua.
Erguerei a Vós os meus olhos, Senhor, e considerarei as vossas maravilhas, para que me ensineis as vossas leis. Dai-me inteligência, e aprenderei os vossos Mandamentos.

Secreta

Múnera tibi, Dómine, obláta sanctífica: nosque a peccatórum nostrórum máculis emúndet. Per Dóminum &c.
Santificai, Senhor, estes dons que Vos oferecemos, e purificai-nos das manchas dos nossos pecados. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Mt. 25, 40 & 34

Amen, dico vobis: quod uni ex mínimis meis fecístis, mihi fecístis: veníte, benedícti Patris mei, possidéte parátum vobis regnum ab inítio sǽculi.
Em verdade vos digo: todas as vezes que fizestes isto ao mais pequeno de meus irmãos, a mim mesmo o fizestes. Vinde, benditos de meu Pai, possuir o reino preparado para vós desde o princípio do mundo.

Postcomúnio

Salutáris tui, Dómine, múnere satiáti, súpplices exorámus: ut, cujus lætámur gustu, renovémur efféctu. Per Dóminum &c.
Agora, que fomos alimentados com vosso dom salutar, Vos suplicamos, Senhor, que, assim como tivemos a alegria de o receber, assim sejamos renovados com seus efeitos. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Absólve, quǽsumus, Dómine, nostrórum víncula peccatórum: et, quidquid pro eis merémur, propitiátus avérte. Per Dóminum &c.
Absolvei-nos, Senhor, Vos suplicamos, dos laços dos nossos pecados, e afastai propício os castigos que merecemos por causa deles. Por nosso Senhor &c.

Terça-feira da l.ª Semana da Quaresma Estação em Santa Anastácia

Intróito Sl. 89, 1 & 2

Dómine, refúgium factus es nobis a generatióne et progénie: a sǽculo et in sǽculum tu es. Ps. ibid., 2 Priúsquam montes fíerent, aut formarétur terra et orbis: a sǽculo et usque in sǽculum tu es Deus. V. Gloria Patri &c.
Senhor, tendes sido o nosso refúgio de geração em geração. Vós existis desde toda a eternidade e existireis sempre! Sl. ibid., 2 Antes que os montes fossem criados e que criásseis a terra e o mundo, Vós éreis já o nosso Deus, desde a eternidade até à eternidade. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Réspice, Dómine, famíliam tuam: et præsta; ut apud te mens nostra tuo desidério fúlgeat, quæ se carnis maceratióne castígat. Per Dóminum nostrum &c.
Olhai benigno para a vossa família, Senhor, e fazei que a nossa alma, que se castiga com a maceração da carne, suspire ardentemente em desejos de Vos possuir. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 55, 6-11

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
In diébus illis: Locútus est Isaías Prophéta, dicens: Quǽrite Dóminum, dum inveníri potest: invocáte eum, dum prope est. Derelínquat ímpius viam suam, et vir iníquus cogitatiónes suas, et revertátur ad Dóminum: et miserébitur ejus, et ad Deum nostrum: quóniam multus est ad ignoscéndum. Non enim cogitationes meæ cogitatiónes vestræ: neque viæ vestræ viæ meæ, dicit Dóminus. Quia sicut exaltántur cœli a terra, sic exaltátæ sunt viæ meæ a viis vestris, et cogitatiónes meæ a cogitatiónibus vestris. Et quómodo descéndit imber et nix de cœlo, et illuc ultra non revértitur, sed inébriat terram, et infúndit eam, et germináre eam facit, et dat semen serénti, et panem comedénti: sic erit verbum meum, quod egrediétur de ore meo: non revertétur ad me vácuum, sed fáciet quæcúmque volui, et prosperábitur in his, ad quæ misi illud: ait Dóminus omnípotens.
Naqueles dias, o Profeta Isaías falou assim: «Procurai o Senhor, enquanto pode ser encontrado; invocai-O, enquanto está perto. Que o ímpio abandone o seu caminho e o homem iníquo os seus pensamentos. Que se convertam ao Senhor, nosso Deus, o qual se apiedará deles e lhes perdoará generosamente. Na Verdade, os meus pensamentos não são os vossos; Meus caminhos não são os vossos, diz o Senhor. Porquanto, assim como os céus são elevados acima da terra, assim os meus caminhos são elevados acima dos vossos e os meus pensamentos acima dos vossos. Assim como a chuva e a neve caem do céu, e lá não voltam mais sem regar a terra e fazê-la produzir, dando a semente ao lavrador e o pão ao que come, assim também será a palavra, que sai da minha boca: não tornará a mim sem produzir efeito, e fará tudo o que eu quiser, tornando prósperas as coisas para que a destinei: diz o Senhor omnipotente».

Gradual Sl. 140, 2

Dirigátur orátio mea sicut incénsum in conspéctu tuo, Dómine, V. Elevátio mánuum meárum sacrifícium vespertínum.
Eleve-se a minha oração, Senhor, até à vossa presença, como o incenso. V. Que a elevação das minhas mãos Vos seja agradável, como o sacrifício vespertino.

Evangelho Mt. 21, 10-17

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Cum intrásset Jesus Jerosólymam, commóta est univérsa cívitas, dicens: Quis est hic? Pópuli autem dicébant: Hic est Jesus Prophéta a Názareth Galilǽæ. Et intrávit Jesus in templum Dei, et ejiciébat omnes vendéntes, et eméntes in templo; et mensas nummulariórum et cáthedras vendéntium colúmbas evértit: et dicit eis: Scriptum est: Domus mea domus oratiónis vocábitur: vos autem fecístis illam spelúncam latrónum. Et accessérunt ad eum cæci et claudi in templo: et sanávit eos. Vidéntes autem príncipes sacerdótum et scribæ mirabília, quæ fecit, et púeros clamantes in templo, et dicéntes: Hosánna fílio David: indignáti sunt, et dixérunt ei: Audis, quid isti dicunt? Jesus autem dixit eis: Utique. Numquam legístis: Quia ex ore infántium et lacténtium perfecísti laudem? Et relíctis illis, ábiit foras extra civitátem in Bethániam: ibíque mansit.
Naquele tempo, entrando Jesus em Jerusalém, toda a cidade se alvoroçou, dizendo: «Quem é este?». E o povo respondia: «É Jesus, o profeta de Nazaré, de Galileia». E Jesus entrou no templo de Deus, expulsando todos os que lá vendiam e compravam e deitando por terra as mesas dos que negociavam e as cadeiras dos que vendiam os pombos, dizendo: «Minha casa é chamada casa de oração; e vós tornaste-la em um covil de ladrões!...». Então vieram ao templo ter com Ele cegos e coxos, curando-os. Porém, os príncipes dos sacerdotes e os escribas, ouvindo narrar os milagres que Ele fazia e os meninos a cantar louvores, dizendo: «Hosana ao Filho de David», indignaram-se e disseram-Lhe: «Ouvis o que dizem?». Jesus respondeu-lhes: «Sim; pois não lestes: «Da boca dos meninos e das crianças de peito sairão louvores perfeitos?» E, tendo-os deixado, saiu da cidade e foi para Betânia, onde permaneceu.

Ofertório Sl. 30, 15-16

In te sperávi, Dómine; dixi: Tu es Deus meus, in mánibus tuis témpora mea.
Em Vós, Senhor, pus a minha confiança. Eu disse: Vós sois o meu Deus; nas vossas mãos ponho o meu futuro.

Secreta

Oblátis, quǽsumus, Dómine, placáre munéribus: et a cunctis nos defénde perículis. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, deixai-Vos aplacar com estas ofertas e livrai-nos de todos os perigos. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 4, 2

Cum invocárem te, exaudísti me, Deus justítiæ meæ: in tribulatióne dilatásti me: miserére mihi, Dómine, et exáudi oratiónem meam.
Quando Vos invoquei, ó Deus da minha justiça, atendestes-me: e consolastes-me na angústia. Tende piedade de mim, Senhor, e ouvi a minha oração.

Postcomúnio

Quǽsumus, omnípotens Deus: ut illíus salutáris capiámus efféctum, cujus per hæc mystéria pignus accépimus. Per Dóminum &c.
Deus omnipotente, Vos suplicamos, concedei-nos a salvação, de que já alcançámos o penhor nestes mystérios. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Acéndant ad te, Dómine, preces nostræ: et ab Ecclésia tua cunctam repélle nequítiam. Per Dóminum nostrum &c.
Que as nossas orações, Senhor, subam até Vós e que toda a espécie do mal seja afastada da vossa Igreja. Por nosso Senhor &c.

Quarta-feira da l.ª Semana da Quaresma - Têmporas da Primavera Estação em Santa Maria Maior

Intróito Sl. 24, 6, 3 & 22

Reminíscere miseratiónum tuárum, Dómine, et misericórdiæ tuæ, quæ a sǽculo sunt: ne umquam dominéntur nobis inimíci nostri: líbera nos, Deus Israël, ex ómnibus angústiis nostris. Ps. ib., 1-2 Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam. V. Gloria Patri &c.
Lembrai-Vos, Senhor, de que a vossa bondade e misericórdia são eternas! Não permitais nunca que os nossos inimigos triunfem de nós. Ó Deus de Israel, livrai-nos de todas nossas angústias. Sl. ib., 1-2 A Vós, Senhor, elevei a minha alma: confio em Vós, ó meu Deus, pois me não deixareis ficar envergonhado. V. Glória ao Pai &c.
Orémus. Flectámus génua.
Oremos. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Preces nostras, quǽsumus, Dómine, cleménter exáudi: et contra cuncta nobis adversántia, déxteram tuæ majestátis exténde. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, Vos rogamos, ouvi clemente nossas preces e imponde o poder da dextra da vossa majestade contra os nossos inimigos. Por nosso Senhor &c.

Lição Ex. 24, 12-18

Léctio libri Exodi.
Lição do Livro do Êxodo.
In diébus illis: Dixit Dóminus ad Móysen: Ascénde ad me in montem, et esto ibi: dabóque tibi tábulas lapídeas, et legem ac mandáta quæ scripsi: ut dóceas fílios Israël. Surrexérunt Moyses et Josue miníster ejus: ascendénsque Moyses in montem Dei, senióribus ait: Exspectáte hic, donec revertámur ad vos. Habétis Aaron et Hur vobíscum: si quid natum luent quæstiónis, referétis ad eos. Cumque ascendísset Moyses, opéruit nubes montem, et habitávit glória Dómini super Sínai, tegens illum nube sex diébus: séptimo autem die vocávit eum de médio calíginis. Erat autem spécies glóriæ Dómini, quasi ignis ardens super vérticem montis; in conspéctu filiórum Israël. Ingressúsque Móyses médium nébulæ, ascéndit in montem: et luit ibi quadragínta diébus et quadragínta nóctibus.
Naqueles dias, disse o Senhor a Moisés: «Sobe comigo ao monte e permanece lá: dar-te-ei as tábuas de pedra, a Lei e os Mandamentos, que escrevi para que os ensines aos filhos de Israel». Ergueu-se, então, Moisés, acompanhado por seu ministro Josué, e caminhou para o monte de Deus, dizendo antes aos anciãos: «Ficai aqui até que voltemos. Ficam convosco Aarão e Hur. Se, pois, alguma querela houver entre vós, apresentar-lha-eis, para que a resolvam». E Moisés começou a subir o monte. Logo que lá chegou, desceu do céu uma nuvem, cobrindo o monte; e a glória do Senhor permaneceu no Sinai durante seis dias, envolvendo-o sempre a nuvem. No sétimo dia o Senhor no meio da nuvem chamou Moisés. Esta manifestação da glória do Senhor aparecia aos filhos de Israel sob a forma de fogo ardente, no pico do monte. Então Moisés entrou na nuvem, subiu para o monte e aí permaneceu durante quarenta dias e quarenta noites.

Gradual Sl. 24, 17-18

Tribulatiónes cordis mei dilatátæ sunt: de necessitátibus meis éripe me, Dómine. V. Vide humilitátem meam, et labórem meum: et dimítte ómnia peccáta mea.
Multiplicaram-se as angústias do meu coração. Senhor, livrai-me das minhas angústias. V. Vede a minha humilhação e as minhas fadigas: e perdoai-me todos os pecados.

Oração

Devotiónem pópuli tui, quǽsumus, Dómine, benígnus inténde: ut, qui per abstinéntiam macerántur in córpore, per fructum boni óperis reficiántur in mente. Per Dóminum &c.
Olhai benigno, Senhor, Vos pedimos, para a piedade do vosso povo, a fim de que aqueles que mortificam o corpo com a abstinência sejam enriquecidos na alma com o fruto das boas obras. Por nosso Senhor &c.

Epístola 3 Rs. 19, 3-8

Léctio libri Regum.
Lição do Livro dos Reis.
In diébus illis: Venit Elías in Bersabée Juda, et dimísit ibi púerum suum, et perréxit in desértum, viam uníus diéi. Cumque venísset, et sedéret subter unam juníperum, petívit ánimæ suæ, ut morerétur, et ait: Súfficit mihi, Dómine, tolle ánimam meam: neque enim mélior sum quam patres mei. Projecítque se, et obdormívit in umbra juníperi: et ecce, Angelus Dómini tétigit eum, et dixit illi: Surge et cómede. Respéxit, et ecce ad caput suum subcinerícius panis, et vas aquæ: comédit ergo et bibit, et rursum obdormívit. Reversúsque est Angelus Dómini secundo, et tétigit eum, dixítque illi: Surge, cómede: grandis enim tibi restat via. Qui cum surrexísset, comédit et bibit, et ambulávit in fortitúdine cibi illíus quadragínta diébus et quadragínta nóctibus, usque ad montem Det Horeb.
Naqueles dias, havendo Elias chegado a Bersabeia, de Judá, deixou aí o seu servo e caminhou no deserto um dia. Então, sentou-se sob um junípero e pediu ao Senhor a morte, dizendo: «Já me basta, Senhor; tirai-me a vida, pois não sou melhor do que meus pais». E deitou-se no chão, adormecendo à sombra do junípero. Eis que um Anjo do Senhor lhe tocou e disse: «Levanta-te e come». Ele olhou e viu à sua cabeceira um pão cozido na cinza e um vaso de água. Comeu, bebeu e depois adormeceu. Voltou segunda vez o Anjo do Senhor, acordou-o e disse-lhe: «Levanta-te e come; pois um longo caminho te espera ainda». Levantou-se, comeu, bebeu e caminhou com o vigor daquele pão durante quarenta dias e quarenta noites até ao Horeb, a montanha do Senhor.

Trato Sl. 24, 17, 18 & 1-4

De necessitátibus meis éripe me, Dómine: vide humilitátem meam et labórem meum: et dimítte ómnia peccáta mea. V. Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei. V. Etenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur: confundántur omnes faciéntes vana.
Senhor, livrai-me das minhas tribulações; vede a minha miséria e as minhas penas; e perdoai todos meus pecados. V. A Vós, Senhor, elevei a minha alma; meu Deus, em Vós confio: não ficarei envergonhado, pois os meus inimigos não triunfarão de mim! V. Não serão confundidos, Senhor, os que confiam em Vós: mas serão confundidos todos os que procedem em vão.

Evangelho Mt. 12, 38-50

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Respondérunt Jesu quidam de scribis et pharisǽis, dicéntes: Magíster, vólumus a te signum vidére. Qui respóndens, ait illis: Generátio mala et adúltera signum quærit: et signum non dábitur ei, nisi signum Jonæ Prophétæ. Sicut enim fuit Jonas in ventre ceti tribus diébus et tribus nóctibus: sic erit Fílius hóminis in corde terræ tribus diébus et tribus nóctibus. Viri Ninivítæ surgent in judício cum generatióne ista, et condemnábunt eam: quia pæniténtiam egérunt in prædicatióne Jonæ. Et ecce plus quam Jonas hic. Regína Austri surget in judício cum generatióne ista, et condemnábit eam: quia venit a fínibus terræ audire sapiéntiam Salomónis. Et ecce plus quam Sálomon hic. Cum autem immúndus spíritus exíerit ab hómine, ámbulat per loca árida, quærens réquiem, et non invénit. Tunc dicit: Revértar in domum meam, unde exívi. Et véniens invénit eam vacántem, scopis mundátam, et ornátam. Tunc vadit, et assúmit septem álios spíritus secum nequióres se, et intrántes hábitant ibi: et fiunt novíssima hóminis illíus pe-jóra prióribus. Sic erit et generatióni huic péssimæ. Adhuc eo loquénte ad turbas, ecce, Mater ejus et fratres stabant foris, quæréntes loqui ei. Dixit autem ei quidam: Ecce, mater tua et fratres tui foris stant, quæréntes te. At ipse respóndens dicénti sibi, ait: Quæ est mater mea, et qui sunt fratres mei? Et exténdens manum in discípulos suos, dixit: Ecce mater mea et fratres mei. Quicúmque enim fécerit voluntátem Patris mei, qui in cœlis est: ipse meus frater et soror et mater est.
Naquele tempo, alguns escribas e fariseus falaram a Jesus, dizendo: «Mestre, queremos ver um prodígio praticado por Vós». Ele respondeu: «Esta geração má e adúltera pede um sinal, mas lhe não será dado senão o do Profeta Jonas. Pois, assim como Jonas esteve três dias e três noites encerrado nas entranhas da baleia, assim também o Filho do homem estará três dias e três noites no seio da terra. Os Ninivitas levantar-se-ão no dia do juízo diante desta geração e a condenarão, porque eles fizeram penitência depois da pregação de Jonas. Ora, Aquele que está aqui é mais do que Jonas. A rainha do Meio-Dia erguer-se-á no dia do juízo diante desta geração e a condenará, porque veio dos confins da terra ouvir a sabedoria de Salomão. Ora, Aquele que aqui está é mais do que Salomão. Quando o espírito impuro sai dum homem, anda errante por lugares áridos, procurando repouso, sem o encontrar. Então diz ele: «Voltarei para a minha casa, donde saí»; e, entrando nela, acha-a desocupada, lavada e ornada. E vai, procura sete espíritos piores do que ele, volta outra vez para casa e aí permanecem. Na verdade, o último estado deste homem é pior do que o primeiro. Assim acontecerá também a esta geração má». Falando Ele ainda ao povo, eis que estavam lá fora sua mãe e seus irmãos, que procuravam falar-Lhe. Alguém Lhe disse: «Eis que estão lá fora vossa mãe e vossos irmãos, que Vos procuram». Jesus, porém, respondeu assim ao homem que lhe falara: «Quem é minha mãe e quem são os meus irmãos?». E, estendendo a mão para os seus discípulos, acrescentou: «Eis minha mãe e meus irmãos; pois aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, é meu irmão, minha irmã e minha mãe».

Ofertório Sl. 118, 47 & 48

Meditábor in mandátis tuis, quæ diléxi valde: et levábo manus meas ad mandáta tua, quæ diléxi.
Meditarei nos vossos mandamentos, que muito amo: levantarei as minhas mãos, cumprindo os vossos mandamentos, que, repito, muito amo.

Secreta

Hóstias tibi, Dómine, placatiónis offérimus: ut et delícta nostra miserátus absólvas, et nutántia corda tu dírigas. Per Dóminum &c.
Vos oferecemos estas hóstias de propiciação, Senhor, a fim de que pela vossa infinita misericórdia perdoeis os nossos pecados e governeis os nossos inconstantes corações. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 5, 2-4

Intéllege clamórem meum: inténde voci oratiónis meæ, Rex meus et Deus meus: quóniam ad te orábo, Dómine.
Ouvi a minha súplica: atendei ao clamor da minha prece, ó meu Rei e meu Deus; pois não cessarei de Vos invocar, Senhor.

Postcomúnio

Tui, Dómine, perceptióne sacraménti, et a nostris mundémur occúltis, et ab hóstium liberémur insídiis. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, que pela recepção do vosso Sacramento sejamos lavados das nossas faltas ocultas e livres das ciladas dos nossos inimigos. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Mentes nostras, quǽsumus, Dómine, lúmine tuæ claritátis illústra: ut vidére póssimus, quæ agénda sunt; et, quæ recta sunt, agere valeámus. Per Dóminum nostrum &c.
Dignai-Vos, Senhor, iluminar as nossas almas com o brilho do vosso divino esplendor, para que possamos ver o que devemos praticar e cumprir o que seja justo. Por nosso Senhor &c.

Quinta-feira da l.ª Semana da Quaresma - Têmporas da Primavera Estação em S. Lourenço de Panisperna

Intróito Sl. 95, 6

Conféssio et pulchritúdo in conspéctu ejus: sánctitas et magnificéntia in sanctificatióne eius. Ps. ibid., 1 Cantáte Dómino cánticum novum: cantáte Dómino, omnis terra. V. Gloria Patri &c.
A glória e a majestade estão na sua presença; a santidade e a magnificência brilham no seu santuário. Sl. ibid., 1 Cantai ao Senhor um cântico novo; cantai em honra do Senhor, ó povos de toda a terra. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Devotiónem pópuli tui, quǽsumus, Dómine, benígnus inténde: ut, qui per abstinéntiam macerántur in córpore, per fructum boni óperis reficiántur in mente. Per Dóminum &c.
Olhai benigno, Senhor, Vos suplicamos, para a piedade do vosso povo, a fim de que aqueles que mortificam o corpo com a abstinência sejam enriquecidos na alma com os frutos das boas obras. Por nosso Senhor &c.

Epístola Ez. 18, 1-9

Léctio Ezechiélis Prophétæ.
Lição do Profeta Ezequiel.
In diébus illis: Factus est sermo Dómini ad me, dicens: Quid est, quod inter vos parábolam vértitis in provérbium istud in terra Israël, dicéntes: Patres comedérunt uvam acérbam, et dentes filiórum obstupéscunt? Vivo ego, dicit Dóminus Deus, si erit ultra vobis parábola hæc in provérbium in Israël. Ecce, omnes ánimæ meæ sunt: ut ánima patris, ita et ánima fílii mea est: ánima, quæ peccáverit, ipsa moriétur. Et vir si fúerit justus, et fécerit judícium et justítiam, in móntibus non coméderit, et óculos suos non leváverit ad idóla domus Israël: et uxórem próximi sui non violáverit, et ad mulíerem menstruátam non accésserit: et hóminem non contristáverit: pignus debitóri reddíderit, per vim nihil rapúerit: panem suum esuriénti déderit, et nudum operúerit vestiménto: ad usúram non commodáverit, et ámplius non accéperit: ab iniquitáte avértent manum suam, et judícium verum fécerit inter virum et virum: in præcéptis meis ambuláverit, et judícia mea custodíerit, ut fáciat veritátem: hic justus est, vita vivet, ait Dóminus omnípotens.
Naqueles dias, a palavra do Senhor foi-me dirigida, dizendo: «Porque é que entre vós se repete este provérbio e o aplicais às terras de Israel: «Os pais comeram as uvas verdes e os dentes dos filhos é que se embotaram» ? Eu sou vivo, diz o Senhor Deus, nunca mais vos será dada ocasião de repetir em Israel este provérbio; pois todas as almas são minhas, tanto a alma do pai, como a alma do filho. A alma que pecar morrerá. Se um homem for justo e proceder segundo o direito e a justiça; se não comer carnes imoladas nos montes; se não levantar os olhos para os ídolos da casa de Israel, nem desonrar a mulher do próximo, nem se aproximar da mulher no tempo da abstenção; se não ofender e não oprimir ninguém; se entregar o penhor ao devedor, nada guardar em rapina, der pão ao que quiser comer, vestido ao que estiver nu e não emprestar com usura, nem receber mais do que é lícito; se afastar a mão da iniquidade e for árbitro da justiça de homem para homem; se seguir os meus preceitos e observar as minhas leis para proceder segundo a verdade: então, esse é justo e viverá na vida eterna: diz o Senhor omnipotente».

Gradual Sl. 16, 8 & 2

Custódi me, Dómine, ut pupíllam óculi: sub umbra alárum tuárum prótege me. V. De vultu tuo judícium meum pródeat: óculi tui vídeant æquitátem.
Guardai-me, Senhor, como à pupila dos vossos olhos; protegei-me com a sombra das vossas asas. V. Que meu julgamento seja pronunciado diante de Vós; que os vossos olhos vejam a equidade da minha causa.

Evangelho Mt. 15, 21-28

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Egréssus Jesus secéssit in partes Tyri et Sidónis. Et ecce, múlier Chananǽa a fínibus illis egréssa clamávit, dicens ei: Miserére mei, Dómine, fili David: fília mea male a dæmónio vexátur. Qui non respóndit ei verbum. Et accedéntes discípuli ejus rogábant eum, dicéntes: Dimítte eam; quia clamat post nos. Ipse autem respóndens, ait: Non sum missus nisi ad oves, quæ periérunt domus Israël. At illa venit, et adorávit eum, dicens: Dómine, ádjuva me. Qui respóndens, ait: Non est bonum sumere panem filiórum, et míttere cánibus. At illa dixit: Etiam, Dómine: nam et catélli edunt de micis, quæ cadunt de mensa dominórum suórum. Tunc respóndens Jesus, ait illi: O múlier, magna est fides tua: fiat tibi, sicut vis. Et sanáta est fília ejus ex illa hora.
Naquele tempo, partindo Jesus, retirou-se dos lados de Tiro e de Sidónia. E eis que uma mulher cananeia, vinda daquelas paragens, clamou a Jesus, dizendo: «Senhor, filho de David, tende piedade de mim, pois minha filha está fortemente atacada pelo demónio». Jesus não respondeu nem uma palavra. Então, os discípulos aproximaram-se e suplicaram-Lhe, dizendo: «Despedi-a já, porque vem a gritar atrás de nós». Porém, Ele, respondendo, disse: «Eu não fui mandado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel». Mas ela veio e adorou-O, dizendo: «Senhor, socorrei-me!». Ao que Ele respondeu: «Não é permitido tomar o pão dos filhos e atirá-lo aos cães». E ela disse: «É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa dos seus senhores». Então Jesus disse: «Ó mulher, a tua fé é grande! Pois bem: aconteça o que tu queres!». E a sua filha foi curada naquela mesma hora.

Ofertório Sl. 33, 8-9

Immíttet Angelus Dómini in circúitu timéntium eum, et erípiet eos: gustáte, et vidéte, quóniam suávis est Dóminus.
O Anjo do Senhor rodeia aqueles que o temem e salvá-los-á. Examinai e vede como o Senhor é bom!

Secreta

Sacrifícia, Dómine, quǽsumus, propénsius ista nos salvent, quæ medicinálibus sunt institúta jejúniis. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, permiti que estes sacrifícios, que foram instituídos juntamente com jejuns salutares, nos salvem pela vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Jo. 6, 52

Panis, quem ego dédero, caro mea est pro sǽculi vita.
O pão que eu Vos der é a minha carne para a salvação do mundo.

Postcomúnio

Tuórum nos, Dómine, largitáte donórum, et temporálibus attólle præsídiis, et rénova sempitérnis. Per Dóminum nostrum &c.
Com a liberalidade de vossos dons, Senhor, livrai-nos das prisões temporais e renovai-nos para a eternidade. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Da, quǽsumus, Dómine, pópulis christiánis: et, quæ profiténtur, agnóscere, et cœléste munus dilígere, quod frequéntant. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, concedei aos fiéis cristãos, Vos suplicamos, a graça de conhecerem a dignidade da fé, que professam, e de amarem o dom celestial, que muitas vezes recebem. Por nosso Senhor &c.

Sexta-feira da l.ª Semana da Quaresma - Têmporas da Primavera Estação nos Doze Apóstolos

Intróito Sl. 24, 17 & 18

De necessitátibus meis éripe me, Dómine: vide humilitátem meam et labórem meum, et dimítte ómnia peccáta mea. Ps. ibid., 1-2 Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam. V. Gloria Patri &c.
Livrai-me, Senhor, das minhas tribulações; vede a minha humilhação e as minhas penas e perdoai-me todos meus pecados. Sl. ibid., 1-2 A Vós, Senhor, elevo a minha alma: meu Deus, em Vós confio: não esperarei em vão. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Esto, Dómine, propítius plebi tuæ: et, quam tibi facis esse devótam, benígno réfove miserátus auxílio. Per Dóminum &c.
Sede propício ao vosso povo, Senhor; e, visto que lhe concedestes a graça da devoção para convosco, auxiliai-o agora benignamente com vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Epístola Ez. 18, 20-28

Léctio Ezechiélis Prophétæ.
Lição do Profeta Ezequiel.
Hæc dicit Dóminus Deus: Anima, quae peccáverit, ipsa moriétur: fílius non portábit iniquitátem patris, et pater non portábit iniquitátem fílii: justítia justi super eum erit, et impíetas ímpii erit super eum. Si autem ímpius égerit pæniténtiam ab ómnibus peccátis suis, quæ operátus est, et custodíerit ómnia præcépta mea, et fécerit judícium et justítiam: vita vivet, et non moriétur. Omnium iniquitátum ejus, quas operátus est, non recordábor: in justítia sua, quam operátus est, vivet. Numquid voluntátis meæ est mors ímpii, dicit Dóminus Deus, et non ut convertátur a viis suis, et vivat? Si autem avértent se justus a justítia sua, et fécerit iniquitátem secúndum omnes abominatiónes, quas operári solet ímpius, numquid vivet? omnes justítiæ ejus, quas fécerat, non recordabúntur: in prævaricatióne, qua prævaricátus est, et in peccáto suo, quod peccávit, in ipsis moriétur. Et dixístis: Non est æqua via Dómini. Audíte ergo, domus Israël: Numquid via mea non est æqua, et non magis viæ vestræ pravæ sunt? Cum enim avértent se justus a justítia sua, et fecerit iniquitátem, moriétur in eis: in injustítia, quam operátus est, moriétur. Et cum avértent se ímpius ab impietáte sua, quam operátus est, et fécerit judícium et justítiam: ipse ánimam suam vivificábit. Consíderans enim, et avértens se ab ómnibus iniquitátibus suis, quas operátus est, vita vivet, et non moriétur, ait Dóminus omnípotens.
Isto diz o Senhor Deus: «A alma que pecar morrerá. O filho não levará consigo a maldade do pai, e o pai não ficará com a maldade do filho. A justiça do justo irá com ele, e a impiedade do iníquo recairá sobre si. Mas, se o iníquo fizer penitência de todos os pecados que tiver cometido; se observar os meus preceitos; se proceder segundo o direito e a justiça: permanecerá na vida e não morrerá. Não me recordarei mais das suas iniquidades; e, por causa da justiça, que praticou, viverá. Porventura quero a morte do iníquo? Diz o Senhor Deus. Porventura não quero antes que ele se afaste dos maus caminhos, e viva? Se o justo se afasta da justiça e comete as iniquidades e as abominações que o ímpio costuma praticar, porventura viverá? Todas as boas obras de justiça que praticara não serão recordadas, e, por causa da prevaricação em que caiu e do pecado, que praticou, morrerá. Entretanto, vós dizeis: «O caminho do Senhor não é direito». Ouvi, pois, ó casa de Israel: porventura não é direito o meu caminho e não são antes perversos os vossos caminhos? Porquanto, logo que o justo se afasta da justiça, cometa iniquidades e morra neste estado, será por ter praticado estas iniquidades que morrerá. Mas, logo que o ímpio se afasta da iniquidade, que praticava, e proceda segundo o direito e a justiça, ele próprio proporcionará a vida à sua alma. Se ele, pois, medita no seu estado e se afasta de todas as iniquidades que tinha cometido, certamente viverá na vida eterna e não morrerá: diz o Senhor omnipotente».

Gradual Sl. 85, 2 & 6

Salvum fac servum tuum. Deus meus, sperántem in te. V. Auribus pércipe, Dómine, oratiónem meam.
Salvai, ó meu Deus, o vosso servo, pois em Vós pôs a sua esperança. Escutai a minha oração, Senhor!

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Jo. 5, 1-15

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Erat dies festus Judæórum, et ascéndit Jesus Jerosólymam. Est autem Jerosólymis Probática piscína, quæ cognominátur hebráice Bethsáida, quinque pórticus habens. In his jacébat multitúdo magna languéntium, cæcórum, claudórum, aridórum exspectántium aquæ motum. Angelus autem Dómini descendébat secúndum tempus in piscínam, et movebátur aqua. Et, qui prior descendísset in piscínam post motiónem aquæ, sanus fiébat, a quacúmque detinebátur infirmitáte. Erat autem quidam homo ibi, trigínta et octo annos habens in infirmitáte sua. Hunc cum vidísset Jesus jacéntem, et cognovisset, quia jam multum tempus habéret, dicit ei: Vis sanus fíeri? Respóndit ei lánguidus: Dómine, hóminem non hábeo, ut, cum turbáta fúerit aqua, mittat me in piscínam: dum vénio enim ego, álius ante me descéndit. Dicit ei Jesus: Surge, tolle grabátum tuum, et ámbula. Et statim sanus factus est homo ille: et sústulit grabátum suum, et ambulábat. Erat autem sábbatum in die illo. Dicébant ergo Judǽi illi, qui sanátus fúerat: Sábbatum est, non licet tibi tóllere grabátum tuum. Respóndit eis: Qui me sanum fecit, ille mihi dixit: Tolle grabátum tuum, et ámbula. Interrogavérunt ergo eum: Quis est ille homo, qui dixit tibi: Tolle grabátum tuum et ámbula? Is autem, qui sanus fúerat efféctus, nesciébat, quis esset. Jesus enim declinávit a turba constitúta in loco. Póstea invénit eum Jesus in templo, et dixit illi: Ecce, sanus factus es: jam noli peccáre, ne detérius tibi áliquid contíngat. Abiit ille homo, et nuntiávit Judǽis, quia Jesus esset, qui fecit eum sanum.
Naquele tempo, sendo o dia da festa dos judeus, Jesus subiu até Jerusalém. Ora há perto de Jerusalém uma piscina que se chama em hebreu Betsaida e tem cinco alpendres, debaixo dos quais costumava estar deitada grande multidão de enfermos: cegos, coxos e paralíticos, à espera de que a água se movesse; pois um Anjo do Senhor descia de tempos a tempos à piscina, revolvia a água e o primeiro que descia à piscina, depois do movimento da água, ficava curado de qualquer enfermidade que tivesse. Havia um certo homem doente que estava ali havia trinta e oito anos. Vendo-o Jesus deitado e sabendo que estava doente havia tanto tempo, disse-lhe: «Queres ser curado?». Respondeu-lhe o doente: «Senhor, não tenho ninguém que me meta na piscina, quando a água é movida; pois, enquanto vou, um outro chega primeiro». Jesus disse-lhe: «Levanta-te, toma tua cama e anda». E naquele instante o homem ficou curado; e, tomando a cama, andava. Era, porém, sábado aquele dia. Disseram, pois, os judeus ao que tinha sido curado: «É sábado, não te é lícito levar a cama». Ele respondeu-lhes: «Aquele que me curou disse-me: «Toma a tua cama e anda». Perguntaram-lhe, pois: «Quem é esse homem que te disse toma a tua cama e anda?». Mas o que tinha sido curado não sabia quem era, pois Jesus retirara-se da multidão que estava ali. Mais tarde Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: «Agora, que já estás são, não tornes a pecar, para que te não suceda coisa pior». Partiu este homem e foi anunciar aos judeus que tinha sido Jesus quem o curara.

Ofertório Sl. 102, 2 & 5

Bénedic, anima mea, Dómino, et noli oblivísci omnes retributiónes ejus: et renovábitur, sicut áquilæ, juvéntus tua.
Bendizei o Senhor, ó minha alma, e não esqueçais nunca os seus benefícios; e a vossa juventude se renovará, como a da águia.

Secreta

Súscipe, quǽsumus, Dómine, múnera nostris obláta servítiis: et tua propítius dona sanctífica. Per Dóminum &c.
Aceitai, Senhor, Vos suplicamos, as oblatas que a nossa escravidão Vos apresenta, e, propício, dignai-Vos santificar estes dons que de Vós recebemos. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 6, 11

Erubéscant et conturbéntur omnes inimíci mei: avertántur retrórsum, et erubéscant valde velóciter.
Envergonhem-se e perturbem-se todos meus inimigos; apressem-se em fugir, cheios de vergonha.

Postcomúnio

Per hujus, Dómine, operatiónem mystérii, et vítia nostra purgéntur, et justa desidéria compleántur. Per Dóminum nostrum &c.
Que por efeito deste mystério, Senhor, os nossos vícios desapareçam e sejam realizados os nossos justos desejos. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Exáudi nos, miséricors Deus: et méntibus nostris grátiæ tuæ lumen osténde. Per Dóminum &c.
Ó Deus de misericórdia, ouvi-nos; e mostrai às nossas almas a luz da vossa graça. Por nosso Senhor &c.

Sábado da l.ª Semana da Quaresma Estação em S. Pedro

Intróito Sl. 87, 3

Intret orátio mea in conspéctu tuo: inclína aurem tuam ad precem meam, Dómine. Ps. ibid., 2 Dómine, Deus salútis meæ: in die clamávi, et nocte coram te. V. Gloria Patri &c.
Que a minha oração chegue à vossa presença! Senhor, ouvi benigno a minha súplica. Sl. ibid., 2 Senhor, meu Deus e meu Salvador, de dia e de noite clamo diante de Vós. V. Glória ao Pai &c.
Orémus. Flectámus génua.
Oremos. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Pópulum tuum, quǽsumus, Dómine, propítius réspice: atque ab eo flagella tuæ iracúndiæ cleménter avérte. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, olhai propício para o vosso povo e afastai piedosamente dele os flagelos da vossa ira. Por nosso Senhor &c.

1.ª Lição Dt. 26, 12-19

Léctio libri Deuteronómii.
Lição do Livro do Deuteronómio.
In diébus illis: Locútus est Móyses ad pópulum, dicens: Quando compléveris décimam cunctárum frugum tuárum, loquéris in conspéctu Dómini, Dei tui: Abstuli, quod sanctificátum est de domo mea, et dedi illud levítæ et ádvenæ et pupíllo ac víduæ, sicut jussísti mihi: non præterívi mandáta tua, nec sum oblítus impérii tui. Obœdívi voci Dómini, Dei mei, et feci ómnia, sicut præcepísti mihi. Réspice de sanctuário tuo et de excélso cœlórum habitáculo, et benedic pópulo tuo Israël, et terræ, quam dedísti nobis, sicut jurásti pátribus nostris, terræ lacte et melle manánti. Hódie Dóminus, Deus tuus, præcépit tibi, ut fácias mandáta hæc atque judícia: et custódias et ímpleas ex toto corde tuo et ex tota ánima tua. Dóminum elegísti hódie, ut sit tibi Deus, et ámbules in viis ejus, et custódias cæremónias illíus et mandáta atque judícia, et obǿdias ejus império. Et Dóminus elegit te hódie, ut sis ei pópulus peculiáris, sicut locútus est tibi, et custódias ómnia præcépta illíus: et fáciat te excelsiórem cunctis géntibus, quas creávit in laudem et nomen et glóriam suam: ut sis populus sanctus Dómini, Dei tui, sicut locútus est.
Naqueles dias, Moisés falou ao povo nestes termos: «Quando acabardes de pagar o dízimo de todos vossos frutos, falareis assim diante do Senhor, vosso Deus: «Tirei de minha casa o que era Consagrado, entreguei-o ao Levita, ao peregrino, ao órfão e à viúva, como mandastes; não transgredi, nem desprezei os vossos Mandamentos; obedeci à voz do Senhor, meu Deus, e tenho procedido segundo o que ordenastes. Então, Senhor, olhai lá do santuário e do alto dos céus, onde habitais, e abençoai o vosso povo de Israel e a terra, que nos destes, como jurastes a nossos pais, a terra onde brota o leite e o mel». Hoje, o Senhor, vosso Deus, manda guardar e cumprir de todo o coração e de toda a alma estas ordens e estes preceitos. Escolhestes hoje o Senhor para que seja vosso Deus, sigais os seus caminhos, guardeis as suas regras, preceitos e ordens e obedeçais à sua voz? Pois o Senhor também vos escolheu para que sejais o seu povo predilecto, como Ele disse, para que observeis todos seus preceitos e para vos tornar o povo mais ilustre de todas as nações, que criou, paraseu louvor, honra e glória, e para que sejais o povo santo do Senhor, vosso Deus, segundo a sua palavra».

Gradual Sl. 78, 9 & 10

Propítius esto, Dómine, peccátis nostris: ne quando dicant gentes: Ubi est Deus eórum? V. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter honórem nóminis tui, Dómine, líbera nos.
Perdoai os nossos pecados, Senhor, para que os povos não digam: «Onde está o seu Deus?». V. Auxiliai-nos, ó Deus, nosso Salvador; para honra do vosso nome, Senhor, livrai-nos.
Orémus. Flectámus génua.
Oremos. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Potéctor noster, áspice, Deus: ut, qui malórum nostrórum póndere prémimur, percépta misericórdia, líbera tibi mente famulémur. Per Dóminum &c.
Ó Deus, nosso protector, dignai-Vos olhar propício para nós, que estamos oprimidos com o peso dos nossos males, a fim de que, por efeito da vossa misericórdia, Vos sirvamos com o espírito livre. Por nosso Senhor &c.

2.ª Lição Dt. 11, 22-25

Léctio libri Deuteronómii.
Lição do Livro do Deuteronómio.
In diébus illis: Dixit Móyses fíliis Israël: Si custodiéritis mandáta, quæ ego præcípio vobis, et fecéritis ea, ut diligátis Dóminum, Deum vestrum, et ambulétis in ómnibus viis ejus, adhærén-tes ei, dispérdet Dóminus omnes gentes istas ante fáciem vestram, et possidébitis eas, quæ majóres et fortióres vobis sunt. Omnis locus quem calcáverit pes vester, vester erit. A desérto et a Líbano, a flúmine magno Euphráte usque ad mare Occidentále, erunt términi vestri. Nullus stabit contra vos: terrórem vestrum et formídinem dabit Dóminus, Deus vester, super omnem terram, quam calcatúri estis, sicut locútus est vobis Dóminus, Deus vester.
Naqueles dias, Moisés disse aos filhos de Israel: «Se guardardes os Mandamentos, que vos entrego, amando o Senhor, vosso Deus, seguindo os seus caminhos e unindo-vos a Ele, o Senhor afastará de vós todas as outras nações e vos tornareis senhores de povos que são maiores e mais fortes do qu e vós. Todos os lugares que vossos pés pisarem serão vossos. Vossa fronteira estender-se-á desde o deserto do Líbano e do grande rio Eufrates até ao mar Ocidental. Ninguém poderá subsistir diante de vós, O Senhor, vosso Deus, como Ele disse, espalhará o pânico do vosso nome em todos os povos por onde passardes.

Gradual Sl. 83, 10 & 9

Protéctor noster, áspice, Deus, et réspice super servos tuos. V. Dómine, Deus virtútum, exáudi preces servórum tuórum.
Olhai para nós, ó Deus, que sois o nosso protector; lançai os olhos para os vossos servos. V. Senhor, Deus dos exércitos, ouvi as súplicas dos vossos servos.
Orémus. Flectámus génua.
Oremos. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Adésto, quǽsumus, Dómine, supplicatiónibus nostris: ut esse, te largiénte, mereámur et inter próspera húmiles, et inter advérsa secúri. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos pedimos, dignai-Vos atender às nossas súplicas, para que, por efeito da vossa graça, possamos ser humildes nas prosperidades e confiantes nas contrariedades. Por nosso Senhor &c.

3.ª Lição 2 Mac. l, 23-26 et 27

Léctio libri Machabæórum.
Lição do Livro dos Macabeus.
In diébus illis: Oratiónem faciebant omnes sacerdotes, dum consummarétur sacrifícium, Jónatha inchoánte, céteris autem respondéntibus. Et Nehemíæ erat orátio hunc habens modum: Dómine Deus, ómnium Creátor, terríbilis et fortis, justus et miséricors, qui solus es bonus rex, solus præstans, solus justus et omnípotens et ætérnus, qui líberas Israël de omni malo, qui fecísti patres electos et sanctificásti eos: accipe sacrifícium pro univérso pópulo tuo Israël, et custódi partem tuam et sanctífica: ut sciant gentes, quia tu es Deus noster.
Naqueles dias, enquanto se consumia o sacrifício das vítimas, todos os sacerdotes oravam, principiando Jónatas e respondendo os outros. E a oração de Nehemias era assim: «Senhor Deus, criador de todas as coisas, temível e forte, justo e misericordioso: só Vós sois rei suave; rei excelente; rei justo, omnipotente e eterno! Vós, que livrastes Israel de todo o mal; Vós, que escolhestes entre os outros homens os nossos pais e os santificastes, aceitai este sacrifício em nome do vosso povo de Israel e conservai e santificai a vossa herança, para que todos os povos conheçam que sois nosso Deus».

Gradual Sl. 89, 13 & 1

Convértere, Dómine, aliquántulum, et deprecáre super servos tuos. V. Dómine, refúgium factus es nobis, a generatióne et progénie.
Vinde a nós quanto antes, Senhor, e deixai-Vos aplacar com as preces dos vossos servos. V. Senhor, tendes sido o nosso refúgio de geração em geração.
Orémus. Flectámus génua.
Oremos. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Preces pópuli tui, quǽsumus, Dómine, cleménter exáudi: ut, qui juste pro peccátis nostris afflígimur, pro tui nóminis glória misericórditer liberémur. Per Dóminum nostrum &c.
Ouvi benigno, Senhor, Vos suplicamos, as preces do vosso povo, a fim de que nós, que fomos justamente castigados por causa dos nossos pecados, sejamos misericordiosamente livres pela glória do vosso nome. Por nosso Senhor &c.

4.ª Lição Ecl. 36, 1-10

Léctio libri Sapientiae.
Lição do Livro da Sabedoria.
Miserére nostri, Deus ómnium, et réspice nos, et osténde nobis lucem miseratiónum tuárum: et immítte timórem tuum super gentes, quæ non exquisiérunt te, ut cognóscant, quia non est Deus nisi tu, et enárrent magnália tua. Alleva manum tuam super gentes aliénas, ut vídeant poténtiam tuam. Sicut enim in conspéctu eórum sanctificátus es in nobis, sic in conspéctu nostro magnificáberis in eis, ut cognóscant te, sicut et nos cognóvimus, quóniam non est Deus præter te, Dómine. Innova signa et immúta mirabília. Glorífica manum et bráchium dextrum. Excita furórem et effúnde iram. Tolle adversárium et afflíge inimícum. Festína tempus et meménto finis, ut enárrent mirabília tua, Dómine, Deus noster.
Tende piedade de nós, ó Deus de todos os viventes, lançai benigno os vossos olhares sobre nós e fazei resplandecer a nossos olhos a luz das vossas misericórdias! Espalhai o vosso temor nos povos que se não aproximam de Vós, para que conheçam que não existe senão um só Deus, que sois Vós, e publiquem as vossas grandezas. Erguei a vossa mão contra os povos estrangeiros, para que conheçam o vosso poder; porquanto, assim como lhes mostrastes a vossa santidade, castigando-nos pelas nossas faltas, assim também nos mostreis a vossa grandeza, punindo-os, a fim de que conheçam, como nós, que não há outro Deus senão Vós, Senhor. Repeti os milagres; renovai as maravilhas; glorificai a vossa mão e o vosso braço direito. Excitai a vossa indignação; manifestai a vossa ira; destruí o adversário; importunai o inimigo. Apressai o tempo, para que chegue depressa o fim e se publiquem as vossas maravilhas, ó Senhor, nosso Deus.

Gradual Sl. 140, 2

Dirigátur orátio mea sicut incénsum in conspéctu tuo, Dómine. V. Elevátio mánuum meárum sacrifícium vespertínum.
Que a minha oração suba até à vossa presença, como incenso, Senhor! V. E que o erguer das minhas mãos Vos seja agradável, como o sacrifício da tarde.
Orémus. Flectámus génua.
Oremos. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Actiónes nostras, quǽsumus, Dómine, aspirándo prǽveni, et adjuvándo proséquere: ut cuncta nostra orátio et operátio a te semper incípiat, et per te cœpta finiátur. Per Dóminum &c.
Dignai-Vos, Senhor, insuflar as nossas acções com vosso espírito e acompanhá-las com vossa graça, a fim de que as nossas orações e obras, tendo princípio em Deus, tenham também n’Ele sua finalidade. Por nosso Senhor &c.

5.ª Lição Dn. 3, 47-51

Léctio Daniélis Prophétæ.
Lição do Profeta Daniel.
In diébus illis: Angelus Dómini descéndit cum Azaría et sóciis ejus in fornácem: et excússit flammam ignis de fornáce, et fecit médium fornácis quasi ventum roris flantem. Flamma autem effundebátur super fornácem cúbitis quadragínta novem: et erúpit, et incéndit, quos répperit juxta fornácem de Chaldǽis, minístros regis, qui eam incendébant. Et non tétigit eos omníno ignis, neque contristavit, nec quidquam moléstiæ íntulit. Tunc hi tres quasi ex uno ore lau-dábant, et glorificábant, et benedicébant Deum in fornáce, dicéntes:
Naqueles dias, o Anjo do Senhor desceu à fornalha com Azarias e os seus companheiros e afastou da fornalha as chamas do fogo, soprando no meio delas como que um vento de orvalho. As chamas do fogo, porém, cresciam acima da fornalha quarenta e nove côvados; e, irrompendo fora dela, queimaram os Caldeus, ministros do rei, que estavam perto da fornalha e atiçavam o fogo; e não queimaram nenhum dos três jovens hebreus, nem os feriram, nem lhes causaram qualquer incómodo! Então, estes três jovens louvavam, glorificavam e bendiziam Deus na fornalha, em voz uníssona, dizendo:

Hino Benedictus Es Página benedictuses

Oração

Deus, qui tribus púeris mitigásti flammas ígnium: concéde propítius; ut nos fámulos tuos non exúrat flamma vitiórum. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus, que mitigastes as chamas do fogo aos três jovens, concedei, misericordiosamente, a nós, que somos vossos servos, que não sejamos queimados pelas chamas dos vícios. Por nosso Senhor &c.

Epístola 1 Ts. 5, 14-23

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Thessalonicénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Tessalonicenses.
Fratres: Rogámus vos, corrípite inquiétos, consolámini pusillánimes, suscípite infirmos, patiéntes estóte ad omnes. Vidéte, ne quis malum pro malo alicui reddat: sed semper quod bonum est sectámini in ínvicem, et in omnes. Semper gaudéte. Sine intermissióne oráte. In ómnibus grátias ágite: hæc est enim volúntas Dei in Christo Jesu in ómnibus vobis. Spíritum nolíte exstínguere. Prophetías nolíte spérnere. Omnia autem probáte: quod bonum est tenéte. Ab omni spécie mala abstinéte vos. Ipse autem Deus pacis sanctíficet vos per ómnia: ut ínteger spíritus vester, et ánima, et corpus sine queréla, in advéntu Dómini nostri Jesu Christi servétur.
Meus rmãos, vos pedimos, admoestai os que perturbam a ordem; confortai os pusilânimes; amparai os fracos; sede pacientes para com todos. Reparai que ninguém retribua com o mal o mal que recebe de outrem; mas procurai sempre com ardor que os vossos irmãos pratiquem o bem uns para com os outros e para com todos. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em todas as coisas dai graças a Deus, pois esta é a vontade de Deus, em Jesus Cristo, a vosso respeito. Não apagueis o Espírito, nem desprezeis as Profecias. Examinai todas as coisas e conservai o que é bom. Abstende-vos de toda a espécie do mal. Que o mesmo Deus de paz vos santifique em todas as coisas, a fim de que o vosso espírito, alma e corpo se conservem irrepreensíveis até à vinda de N. S. Jesus Cristo.

Trato Sl. 116, 1-2

Laudáte Dóminum, omnes gentes: et collaudáte eum, omnes pópuli. V. Quóniam confirmáta est super nos misericórdia ejus: et véritas Dómini manet in ætérnum.
Que todas as nações louvem o Senhor; que todos os povos O glorifiquem: V. Porque a sua misericórdia é infinita para connosco e a verdade do Senhor permanece eternamente.

Evangelho Página 2domingoquaresma

Ofertório Sl. 87, 2-3

Dómine, Deus salútis meæ, in die clamávi et nocte coram te: intret orátio mea in conspéctu tuo, Dómine.
Senhor, meu Deus e meu Salvador, clamo dia e noite diante de Vós! Que minha oração se eleve até à vossa presença.

Secreta

Præséntibus sacrifíciis, quǽsumus, Dómine, jejúnia nostra sanctífica: ut, quod observántia nostra profitétur extrínsecus, intérius operétur. Per Dóminum &c.
Santificai, Senhor, Vos suplicamos, os nossos jejuns pelo presente sacrifício, a fim de que esta observância exterior produza efeitos espirituais interiores. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 7, 2

Dómine, Deus meus, in te sperávi: líbera me ab ómnibus persequéntibus me, et éripe me.
Senhor, meu Deus, em Vós esperei; salvai-me e livrai-me de todos meus perseguidores.

Postcomúnio

Sanctificatiónibus tuis, omnípotens Deus, et vítia nostra curéntur, et remédia nobis ætérna provéniant. Per Dóminum &c.
Ó omnipotente Deus, permiti que os nossos vícios sejam curados pela virtude deste vosso sacrifício e concedei-nos o remédio que produz a salvação eterna. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Fidéles tuos, Deus, benedíctio desideráta confírmet: quæ eos et a tua voluntáte numquam fáciat discrepáre, et tuis semper indúlgeat benefíciis gratulári. Per Dóminum &c.
Ó Deus, fortificai os fiéis com vossa bênção, que eles imploram; e que, por efeito dela, nunca se afastem da vossa vontade e lhes alcance a graça de se alegrarem sempre com vossos benefícios. Por nosso Senhor &c.

Segundo Domingo da Quaresma

Intróito Sl. 24, 6, 3 & 22

Reminíscere miseratiónum tuarum, Dómine, et misericórdiæ tuæ, quæ a sǽculo sunt: ne umquam dominéntur nobis inimíci nostri: líbera nos, Deus Israël, ex ómnibus angústiis nostris. Ps. ibid., 1-2 Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam. V. Gloria Patri &c.
Lembrai-Vos, Senhor, de que a vossa bondade e misericórdia são eternas! Que os nossos inimigos nunca triunfem de nós. Ó Deus de Israel, livrai-nos de todas nossas angústias. Sl. ibid., 1-2 A Vós, Senhor, elevei a minha alma: meu Deus, confio em Vós; não ficarei confundido. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui cónspicis omni nos virtúte destítui: intérius exteriúsque custódi; ut ab ómnibus adversitátibus muniámur In córpore, et a pravis cogitatiónibus mundémur in mente. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que conheceis como somos destituídos de toda a virtude, guardai-nos interior e exteriormente, a fim de que o nosso corpo seja preservado de todas as adversidades e a nossa alma purificada de todos os maus pensamentos. Por nosso Senhor &c.

Epístola 1 Ts. 4, 1-7

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Thessalonicénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Tessalonicenses.
Fratres: Rogámus vos et obsecrámus in Dómino Jesu: ut, quemádmodum accepístis a nobis, quómodo opórteat vos ambuláre et placére Deo, sic et ambulétis, ut abundétis magis. Scitis enim, quæ præcépta déderim vobis per Dóminum Jesum. Hæc est enim volúntas Dei, sanctificátio vestra: ut abstineátis vos a fornicatióne, ut sciat unusquísque vestrum vas suum possidére in sanctifícatióne et honóre; non in passióne desidérii, sicut et gentes, quæ ignórant Deum: et ne quis supergrediátur neque circumvéniat in negótio fratrem suum: quóniam vindex est Dóminus de his ómnibus, sicut prædíximus vobis et testificáti sumus. Non enim vocávit nos Deus in immundítiam, sed in sanctificatiónem: in Christo Jesu, Dómino nostro.
Meus irmãos: Vos pedimos e exortamos, em nome do Senhor Jesus, que, havendo aprendido de nós como deveis conduzir-vos para agradar a Deus, tenhais uma conduta de modo a aperfeiçoar-vos cada vez mais. Com efeito, conheceis os preceitos que vos dei da parte do Senhor Jesus. O que Ele quer é a vossa santificação: que vos abstenhais da impureza carnal, para que cada um saiba guardar o vaso do seu corpo em santidade e honestidade, e não segundo os apetites das paixões, como os pagãos, que desconhecem Deus; e que ninguém engane o seu irmão, nem o prejudique, pois, o Senhor é vingador destas coisas, como já provámos e testemunhámos. Porquanto Deus vos não chamou para os gozos da carne, mas para a santificação em nosso Senhor Jesus Cristo.

Gradual Sl. 24, 17-18

Tribulatiónes cordis mei dilatátæ sunt: de necessitátibus meis éripe me, Dómine. V. Vide humilitátem meam et labórem meum: et dimítte ómnia peccáta mea.
As tribulações do meu coração cresceram. Ó Senhor, livrai-me das minhas misérias. V. Vede a minha humilhação e fadiga e perdoai os meus pecados.

Trato Sl. 105, 1-1

Confitémini Dómino, quóniam bonus: quóniam in sǽculum misericórdia ejus. V. Quis loquétur poténtias Dómini: audítas fáciet omnes laudes ejus? V. Beáti, qui custódiunt judícium et fáciunt justítiam in omni témpore. V. Meménto nostri, Dómine, in beneplácito pópuli tui: vísita nos in salutári tuo.
Louvai o Senhor, pois Ele é bom: a sua misericórdia é eterna. V. Quem será capaz de narrar as maravilhas da omnipotência do Senhor e apregoar os seus louvores? V. Bem-aventurados aqueles que procedem com equidade e justiça em todas as ocasiões. V. Pela vossa bondade para com vosso povo, Senhor, lembrai-Vos de nós: visitai-nos para alcançarmos a salvação.

Evangelho Mt, 17, 1-9

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Assúmpsit Jesus Petrum, et Jacóbum, et Joánnem fratrem eius, et duxit illos in montem excélsum seórsum: et transfigurátus est ante eos. Et resplénduit fácies ejus sicut sol: vestiménta autem ejus facta sunt alba sicut nix. Et ecce, apparuérunt illis Móyses et Elías cum eo loquéntes. Respóndens autem Petrus, dixit ad Jesum: Dómine, bonum est nos hic esse: si vis, faciámus hic tria tabernácula, tibi unum, Móysi unum et Elíæ unum. Adhuc eo loquénte, ecce, nubes lúcida obumbrávit eos. Et ecce vox de nube, dicens: Hic est Fílius meus diléctus, in quo mihi bene complácui: ipsum audíte. Et audiéntes discípuli, cecidérunt in fáciem suam, et timuérunt valde. Et accéssit Jesus, et tétigit eos, dixítque eis: Súrgite, et nolíte timére. Levántes autem óculos suos, néminem vidérunt nisi solum Jesum. Et descendéntibus illis de monte, præcépit eis Jesus, dicens: Némini dixéritis visiónem, donec Fílius hóminis a mórtuis resúrgat.
Naquele tempo, Jesus levou consigo Pedro, Tiago e João e conduziu-os a um monte alto e separado, transfigurando-se ante eles: seu rosto resplandecia, como o sol, e os seus vestidos tornaram-se brancos, como a neve! E Moisés e Elias apareceram, conversando com Jesus. Então, Pedro disse a Jesus: «Senhor, é tão bom estar aqui!... Se quereis, façamos aqui três tendas: uma para Vós, outra para Moisés e outra para Elias!». Ainda ele falava, eis que uma nuvem brilhante os envolveu, saindo do seio dela uma voz, que dizia: «Este é o meu Filho muito amado, em quem pus as minhas complacências; ouvi-O». Havendo escutado a voz, os discípulos caíram com o rosto no chão e ficaram atemorizados. Mas Jesus tocou-os e disse-lhes: «Levantai-vos; não vos amedronteis». Então, erguendo os olhos, já nada viram senão só Jesus. Desceram do monte, dando-lhes Jesus esta ordem: «Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do homem ressuscite dos mortos».

Ofertório Sl. 118,47 & 48

Meditábor in mandátis tuis, quæ diléxi valde: et levábo manus meas ad mandáta tua, quæ diléxi.
Meditarei nos vossos Mandamentos, que muito amo: e levantarei as minhas mãos para cumprir esses Mandamentos, que, repito, muito amo.

Secreta

Sacrifíciis præséntibus, Dómine, quǽsumus, inténde placátus: ut et devotióni nostræ profíciant et salúti. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, dignai-Vos olhar benigno para o presente sacrifício, a fim de que sirva de proveito à nossa piedade e à nossa salvação. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 5, 2-4

Intéllege clamórem meum: inténde voci oratiónis meæ, Rex meus et Deus meus: quóniam ad te orábo, Dómine.
Ouvi o meu clamor; ouvi a minha oração, ó meu Rei, ó meu Deus; pois orei a Vós.

Postcomúnio

Súpplices te rogámus, omnípotens Deus: ut quos tuis réficis sacraméntis, tibi etiam plácitis móribus dignánter deservíre concédas. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos suplicamos instantemente que aqueles a quem sustentais com vossos sacramentos tenham uma conduta de vida que Vos seja agradável. Por nosso Senhor &c.

Segunda-feira da 2.ª Semana da Quaresma Estação em S. Clemente

Intróito Sl. 25, 11-12

Rédime me, Dómine, et miserére mei: pes enim meus stetit in via recta: in ecclésiis benedícam Dóminum. Ps. ibid., 1 Júdica me, Dómine, quóniam ego in innocéntia mea ingréssus sum: et in Dómino sperans, non infirmábor. V. Gloria Patri &c.
Resgatai-me, Senhor, e tende piedade de mim; pois os meus pés estão no caminho direito: bendirei o Senhor nas assembleias. Sl. ibid., 1 Fazei-me justiça, Senhor, porque procedi com inocência; e confiei no Senhor, sem nunca vacilar. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut fámilia tua, quæ se, affligéndo carnem, ab aliméntis ábstinet: sectándo justítiam, a culpa jejúnet. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, fazei que os vossos fiéis, que para mortificação da carne se privam dos alimentos, se abstenham também do pecado, praticando a justiça. Por nosso Senhor &c.

Epístola Dn. 9, 15-19

Léctio Daniélis Prophétæ.
Lição do Profeta Daniel.
In diébus illis: Orávit Dániel Dóminum, dicens: Dómine, Deus noster, qui eduxísti pópulum tuum de terra Ægýpti in manu forti, et fecísti tibi nomen secúndum diem hanc; peccávimus, iniquitátem fécimus, Dómine, in omnem justítiam tuam: avertátur, óbsecro, ira tua et furor tuus a civitáte tua Jerúsalem et monte sancto tuo. Propter peccáta enim nostra et iniquitátes patrum nostrórum. Jerúsalem et pópulus tuus in oppróbrium sunt ómnibus per circúitum nostrum. Nunc ergo exáudi, Deus noster, oratiónem servi tui et preces ejus: et osténde fáciem tuam super sanctuárium tuum, quod desértum est, propter temetípsum. Inclína, Deus meus, aurem tuam, et audi: áperi óculos tuos, et vide desolatiónem nostram et civitátem, super quam invocátum est nomen tuum: neque enim in justificatiónibus nostris prostérnimus preces ante fáciem tuam, sed in miseratiónibus tuis multis. Exáudi, Dómine, placáre, Dómine: atténde et fac: ne moréris propter temetípsum, Deus meus: quia nomen tuum invocátum est super civitátem et super pópulum tuum, Dómine, Deus noster.
Naqueles dias, Daniel dirigiu ao Senhor esta oração: «Senhor, nosso Deus, que tirastes o vosso povo da terra do Egipto com vossa mão omnipotente, pelo que adquiristes uma glória que permaneceu até hoje: nós pecámos, Senhor; cometemos iniquidades contra a vossa lei! Afastai, pois, Senhor, a vossa ira e indignação da vossa cidade de Jerusalém, do vosso monte sagrado; pois é por causa dos nossos pecados e das iniquidades de nossos pais que Jerusalém e o vosso povo vivem no opróbrio, diante de todas as nações que nos rodeiam. Então, agora, ó nosso Deus, ouvi a oração e as preces do vosso servo; mostrai a vossa face no santuário, que está abandonado; fazei isto pela vossa própria glória! Inclinai, meu Deus, os vossos ouvidos e escutai-nos. Abri os olhos e vede a nossa desolação e a desolação da cidade, que possui o vosso nome. Não é confiados na nossa justiça que depomos a vossos pés as nossas súplicas, mas sim com o pensamento na vossa profunda misericórdia. Ouvi-nos, Senhor! Deixai-Vos aplacar, Senhor! Atendei-nos, Senhor! Perdoai-nos, Senhor! Fazei o que Vos pedimos! Não tardeis, por causa da honra do vosso nome, ó meu Deus; pois esta cidade e este povo, que Vos pertencem, têm a honra de usar o vosso nome, ó Senhor, nosso Deus»!

Gradual Sl. 69, 6 & 3

Adjútor meus et liberátor meus esto: Dómine, ne tardáveris. V. Confundántur et revereántur inimíci mei, qui quærunt ánimam meam.
Sede o meu auxiliar e o meu libertador! Senhor, não tardeis! V. Que sejam confundidos e envergonhados os meus inimigos, que procuram tirar-me a vida.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Jo. 8, 21-29

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Dixit Jesus turbis Judæórum: Ego vado, et quærétis me, et in peccáto vestro moriémini. Quo ego vado, vos non potéstis veníre. Dicébant ergo Judǽi: Numquid interfíciet semetípsum, quia dixit: Quo ego vado, vos non potéstis veníre? Et dicébat eis: Vos de deórsum estis, ego de supérnis sum. Vos de mundo hoc estis, ego non sum de hoc mundo. Dixi ergo vobis, quia moriémini in peccátis vestris: si enim non credidéritis, quia ego sum, moriémini in peccáto vestro. Dicébant ergo ei: Tu quis es? Dixit eis Jesus: Princípium, qui et loquor vobis. Multa habeo de vobis loqui et judicáre. Sed qui me misit, verax est: et ego quæ audívi ab eo, hæc loquor in mundo. Et non cognovérunt, quia Patrem ejus dicébat Deum. Dixit ergo eis Jesus: Cum exaltavéritis Fílium hóminis, tunc cognoscétis quia ego sum, et a meípso fácio nihil: sed, sicut dócuit me Pater, hæc loquor: et qui me misit, mecum est, et non relíquit me solum: quia ego, quæ plácita sunt ei, fácio semper.
Naquele tempo, Jesus disse às turbas dos judeus: «Eu vou; procurar-me-eis e morrereis no vosso pecado. Aonde eu vou não podereis vós ir». Diziam, então, os judeus: «Porventura matar-se-á Ele a si mesmo? Pois diz: «Aonde eu vou não podereis vós ir?». Ele disse-lhes: «Vós sois debaixo e Eu sou do alto. Vós sois do mundo e Eu não sou deste mundo. Eu vos digo, pois: morrereis no vosso pecado porque, se não acreditardes quem Eu sou, morrereis no vosso pecado». Diziam-lhe, então: «Quem sois Vós?». Jesus respondeu-lhes: «Eu, que vos falo, sou o princípio. Muitas coisas tenho de que deva censurar-vos e condenar-vos; mas Aquele que me enviou é verdadeiro, e o que Eu digo ao mundo com Ele o aprendi». Porém, eles não compreenderam que Ele com estas palavras queria dizer que Deus era seu Pai. Disse-lhes, portanto, Jesus: «Quando levantardes da terra o Filho do homem, então conhecereis quem Eu sou; assim como que não faço nada de mim próprio e que o que digo foi meu Pai quem me ensinou. Aquele que me enviou está comigo, e não me deixa só, porquanto faço sempre o que Lhe agrada».

Ofertório Sl. 15, 7 & 8

Benedícam Dóminum, qui tríbuit mihi intelléctum: providébam Dóminum in conspéctu meo semper: quóniam a dextris est mihi, ne commóvear.
Bendirei o Senhor, que me deu inteligência; tenho os meus olhos voltados continuamente para o Senhor; não vacilarei, porque Ele está à minha direita.

Secreta

Hæc hóstia, Dómine, placatiónis et laudis, tua nos protectióne dignos effíciat. Per Dóminum &c.
Que esta hóstia de propiciação e de louvor, Senhor, nos torne dignos da vossa protecção. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 8, 2

Dómine, Dóminus noster, quam admirábile est nomen tuum in univérsa terra!
Senhor, nosso Deus, quão admirável é o vosso nome em toda a terra!

Postcomúnio

Hæc nos commúnio, Dómine, purget a crímine: et cœléstis remédii fáciat esse consórtes. Per Dóminum &c.
Que esta comunhão, Senhor, nos purifique de nossos crimes e nos faça participantes dos remédios celestiais. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Adésto supplicatiónibus nostris, omnípotens Deus: et, quibus fidúciam sperándæ pietátis indúlges; consuétæ misericórdiæ tríbue benígnus efféctum. Per Dóminum &c.
Sede atento às nossas súplicas, ó Deus omnipotente; e permiti benignamente que aqueles que de Vós mereceram a doce confiança de lhes revelardes que podiam ter esperança na vossa bondade alcancem os efeitos da vossa habitual misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Terça-feira da 2.ª Semana da Quaresma Estação em Santa Balbina

Intróito Sl. 26, 8 & 9

Tibi dixit cor meum, quæsívi vultum tuum, vultum tuum, Dómine, requíram: ne avértas fáciem tuam a me. Ps. ibid., 1 Dóminus illuminátio mea, et salus mea: quem timébo? V. Gloria Patri &c.
Da vossa parte, Senhor, me diz meu coração: «Procura a minha presença». Sim, não deixarei, Senhor, de procurar a vossa presença. Não Vos afasteis, pois, de mim. Sl. ibid., 1 O Senhor é a minha luz e a minha salvação. A quem, pois, temerei? V. Glória ao Pai &c.

Oração

Pérfice, quǽsumus, Dómine, benignus in nobis observántiæ sanctæ subsídium: ut, quæ te auctóre faciénda cognóvimus, te operánte impleámus. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos imploramos, continuai a assistir-nos com vossa bondade durante a observância deste santo jejum, a fim de que com vosso auxílio pratiquemos esta boa obra que nos ensinastes com vosso exemplo. Por nosso Senhor &c.

Epístola 3 Rs. 17, 8-16

Léctio libri Regum.
Lição do Livro dos Reis.
In diébus illis: Factus est sermo Dómini ad Elíam Thesbíten, dicens: Surge et vade in Saréphta Sidoniórum, et manébis ibi: præcépi enim ibi mulíeri víduæ, ut pascat te. Surréxit et ábiit in Saréphta. Cumque venísset ad portam civitátis, appáruit ei múlier vídua cólligens ligna, et vocávit eam, dixítque ei: Da mihi páululum aquæ in vase, ut bibam. Cumque illa pérgeret, ut afférret, clamávit post tergum ejus, dicens: Affer mihi, óbsecro, et buccéllam panis in manu tua. Quæ respóndit: Vivit Dóminus, Deus tuus, quia non habeo panem, nisi quantum pugíllus cápere potest farínæ in hýdria, et páululum ólei in lécytho: en, collige duo ligna, ut ingrédiar, et fáciam illum mihi et fílio meo, ut comedámus et moriámur. Ad quam Elías ait: Noli timére, sed vade, et fac, sicut dixísti: verúmtamen mihi primum fac de ipsa farínula subcinerícium panem párvulum, et affer ad me: tibi autem et fílio tuo fácies póstea. Hæc autem dicit Dóminus, Deus Israël: Hýdria farínæ non defíciet, nec lécythus ólei minuétur, usque ad diem, in qua Dóminus datúrus est plúviam super fáciem terræ. Quæ ábiit, et fecit juxta verbum Elíæ: et comédit ipse et illa et domus ejus: et ex illa die hýdria farínæ non defécit, et lécythus ólei non est imminútus, juxta verbum Dómini, quod locútus fúerat in manu Elíæ.
Naqueles dias, falou o Senhor a Elias Tesbiteu, dizendo: «Ergue-te, vai a Sarepta de Sídon e fica lá, pois mandei a uma viúva daquela terra que te sustente». Elias obedeceu à voz de Deus, caminhando para Sarepta. Quando chegou às portas da cidade, encontrou uma viúva, que andava à procura de lenha. Chamou-a logo, dizendo-lhe: «Dá-me um pouco de água num vaso, para eu beber». A viúva dirigiu-se a casa, para trazer a água; mas Elias, que ficou atrás dela, disse-lhe: «Traze-me também nas tuas mãos um bocado de pão, para comer». Ela respondeu: «Viva o Senhor, teu Deus, como não tenho pão algum! Apenas tenho em uma vasilha uma mão de farinha e um pouco de azeite em uma almotolia. Eis que procuro dois bocados de lenha para preparar, para mim e meu filho, quando voltar para casa, esse pouco que possuo. Comeremos isso e morreremos depois». Elias disse-lhe: «Não temas; vai e faz como disseste; mas antes faz para mim um bolo dessa farinha, coze-o no borralho e traze-mo. Para ti e teu filho prepararás depois; porque (diz o Senhor, Deus de Israel) a farinha que está na talha se não acabará e o azeite que está na almotolia se não extinguirá, até ao dia em que o Senhor fizer cair a chuva na terra». Foi ela e procedeu segundo a palavra de Elias. E comeram ele, ela e a família de sua casa! E desde aquele dia não mais faltou a farinha na talha, nem o azeite na almotolia, segundo a palavra que o Senhor proferira pela boca de Elias.

Gradual Sl. 54, 23, 17, 18 & 19

Jacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. V. Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam ab his, qui appropínquant mihi.
Deixai as vossas preocupações nas mãos do Senhor, que Ele cuidará de vós! V. Quando eu rezava ao Senhor, ouviu Ele a minha voz e salvou-me daqueles que me cercavam.

Evangelho Mt. 23, 1-12

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Locútus est Jesus ad turbas et ad discípulos suos, dicens: Super cáthedram Moysi sedérunt scribæ et pharisǽi. Omnia ergo, quæcúmque díxerint vobis, serváte et fácite: secúndum ópera vero eórum nolíte fácere: dicunt enim, et non fáciunt. Alligant enim ónera grávia et importabília, et impónunt in húmeros hóminum: dígito autem suo nolunt ea movére. Omnia vero ópera sua fáciunt, ut videántur ab homínibus: dilátant enim phylactéria sua, et magníficant fímbrias. Amant autem primos recúbitus in cenis, et primas cáthedras in synagógis, et salutatiónes in foro, et vocári ab homínibus Rabbi. Vos autem nolíte vocári Rabbi: unus est enim Magíster vester, omnes autem vos fratres estis. Et patrem nolíte vocáre vobis super terram, unus est enim Pater vester, qui in cœlis est. Nec vocémini magístri: quia Magíster vester unus est, Christus. Qui major est vestrum, erit miníster vester. Qui autem se exaltáverit, humiliábitur: et qui se humiliáverit, exaltábitur.
Naquele tempo, Jesus falou às turbas e aos discípulos, dizendo: «Na cadeira de Moisés sentaram-se os escribas e os fariseus. Observai, pois, e fazei tudo o que vos disserem, mas não procedais segundo o exemplo das suas obras; pois eles ensinam, mas não praticam. Preparam fardos pesados e difíceis de levar e põem-nos às costas dos homens; mas eles nem com o dedo os querem mover. Praticam todas as obras, para serem vistos pelos homens; usam filactérios mais amplos e franjas mais compridas; querem tomar os primeiros lugares nos banquetes e as primeiras cadeiras nas sinagogas; procuram saudações na praça pública e querem que lhes chamem Rabi (Mestre). Vós, porém, não queirais que vos chamem Rabi, porque um só é o vosso Mestre e todos vós sois irmãos. Não chameis a ninguém na terra vosso pai, porque um só é o vosso Pai: Aquele que está nos céus. Não queirais ser chamados mestres, porque um só é o vosso Mestre: Cristo. O maior entre vós será vosso servo. ’Quem se exaltar a si mesmo será humilhado; e quem se humilhar será exaltado».

Ofertório Sl. 50, 3

Miserére mei, Dómine, secúndum magnam misericórdiam tuam: dele, Dómine, iniquitátem meam.
Tende piedade de mim, Senhor, segundo a grandeza da vossa misericórdia; dignai-Vos, Senhor, esquecer a minha iniquidade.

Secreta

Sanctificatiónem tuam nobis, Dómine, his mystériis operáre placátus: quæ nos et a terrénis purget vítiis, et ad cœléstia dona perdúcat. Per Dóminum &c.
Senhor, dignai-Vos benignamente santificar-nos pela virtude destes mystérios, a fim de que, estando purificados dos nossos vícios, alcancemos as recompensas celestiais. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 9, 2-3

Narrábo ómnia mirabília tua: lætábor, et exsultábo in te: psallam nómini tuo, Altíssime.
Publicarei todas as vossas maravilhas: em Vós me alegrarei e regozijarei: e cantarei hinos em louvor do vosso nome, ó Altíssimo.

Postcomúnio

Ut sacris, Dómine, reddámur digni munéribus: fac nos tuis, quǽsumus, semper obœdíre mandátis. Per Dóminum nostrum &c.
Para que sejamos dignos dos vossos sacrossantos dons, fazei, Senhor, Vos suplicamos, que obedeçamos sempre aos vossos mandamentos. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Propitiáre, Dómine, supplicatiónibus nostris, et animárum nostrárum medére languóribus: ut, remissióne percépta, in tua semper benedictióne lætámur. Per Dóminum &c.
Sede propício às nossas súplicas, Senhor, e curai as doenças das nossas almas, a fim de que, havendo alcançado o perdão, nos alegremos sempre com vossa bênção. Por nosso Senhor &c.

Quarta-feira da 2.ª Semana da Quaresma Estação em Santa Cecília

Intróito Sl. 37, 22-23

Ne derelínquas me, Dómine, Deus meus, ne discédas a me: inténde in adjutórium meum, Dómine, virtus salútis meæ. Ps. ibid., 2 Dómine, ne in furóre tuo árguas me: neque in ira tua corrípias me. V. Gloria Patri &c.
Não me abandoneis, Senhor, meu Deus; não Vos afasteis de mim. Apressai-Vos em socorrer-me, ó Senhor, que sois a minha força e salvação. Sl. ibid., 2 Senhor, não me repreendais com furor, nem me castigueis com ira. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Pópulum tuum, quǽsumus, Dómine, propítius réspice: et, quos ab escis carnálibus prǽcipis abstinére, a noxiis quoque vítiis cessáre concéde. Per Dóminum &c.
Olhai propício para o vosso povo, Senhor, Vos suplicamos, e permiti que aqueles a quem ordenais a abstinência das carnes se abstenham também dos vícios, que prejudicam as suas almas. Por nosso Senhor &c.

Epístola Est. 13, 8-11 & 15-17

Léctio libri Esther.
Lição do Livro de Ester.
In diébus illis: Orávit Mardochǽus ad Dóminum, dicens: Dómine, Dómine, Rex omnípotens, in dicióne enim tua cuncta sunt pósita, et non est, qui possit tuæ resístere voluntáti, si decréveris salváre Israël. Tu fecísti cœlum et terram, et quidquid cœli ámbitu continétur. Dóminus ómnium es, nec est, qui resístat majestáti tuæ. Et nunc, Dómine Rex, Deus Abraham, miserére pópuli tui, quia volunt nos inimíci nostri pérdere, et hereditátem tuam delére. Ne despícias partem tuam, quam redemísti tibi de Ægýpto. Exáudi deprecatiónem meam, et propítius esto sorti et funículo tuo, et convérte luctum nostrum in gáudium, ut vivéntes laudémus nomen tuum, Dómine, et ne claudas ora te canéntium, Dómine, Deus noster.
Naqueles dias, orava Mardoqueu ao Senhor, dizendo: «Senhor, Senhor, Rei omnipotente, todas as coisas estão submetidas ao vosso poder. Nada, pois, poderá resistir à vossa vontade, se determinardes salvar o povo de Israel. Criastes o céu, a terra e tudo o que encerra o âmbito do céu; sois o Senhor de todas as coisas; ninguém pode resistir à vossa majestade. Então, agora, Senhor e Rei, Deus de Abraão, tende piedade do vosso povo; pois os nossos inimigos querem perder-nos e destruir a vossa herança. Não desprezeis o vosso povo, que livrastes do Egipto para ser vosso. Ouvi a minha oração; sede propício à nação que se tornou a vossa herança; convertei o nosso luto em alegria, a fim de que, conservando a vida, louvemos o vosso nome, Senhor» Não fecheis a boca àqueles que Vos louvam, ó Senhor, nosso Deus!».

Gradual Sl. 27, 9 & 1

Salvum fac pópulum tuum, Dómine, et bénedic hereditáti tuæ. V. Ad te, Dómine, clamávi: Deus meus, ne síleas a me, et ero símilis descendéntibus in lacum.
Salvai o vosso povo, Senhor, e abençoai a vossa herança. A Vós, Senhor, clamei. Meu Deus, não fecheis os ouvidos à minha voz. Se me não escutais, serei semelhante àqueles que desceram ao túmulo.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Mt. 20, 17-28

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Ascéndens Jesus Jerosólymam, assúmpsit duódecim discípulos secréto, et ait illis: Ecce, ascéndimus Jerosólymam, et Fílius hóminis tradétur princípibus sacerdótum, et scribis, et condemnábunt eum morte, et tradent eum Géntibus ad illudéndum, et flagellándum, et crucifigéndum, et tértia die resúrget. Tunc accéssit ad eum mater filiórum Zebedǽi cum fíliis suis, adórans et petens áliquid ab eo. Qui dixit ei: Quid vis? Ait illi: Dic, ut sédeant hi duo fílii mei, unus ad déxteram tuam et unus ad sinístram in regno tuo. Respóndens autem Jesus, dixit: Nescítis, quid petátis. Potéstis bíbere cálicem, quem ego bibitúrus sum? Dicunt ei: Póssumus. Ait illis: Cálicem quidem meum bibétis: sedére autem ad déxteram meam vel sinístram, non est meum dare vobis, sed quibus parátum est a Patre meo. Et audiéntes decem, indignáti sunt de duóbus frátribus. Jesus autem vocávit eos ad se, et ait: Scitis, quia príncipes géntium dominántur eórum: et qui majóres sunt, potestátem exércent in eos. Non ita erit inter vos: sed quicúmque volúerit inter vos major fíeri, sit vester miníster: et qui volúerit inter vos primus esse, erit vester servus. Sicut Fílius hóminis non venit ministrári, sed ministráre, et dare ánimam suam, redemptiónem pro multis.
Naquele tempo, subindo Jesus para Jerusalém, chamou de parte os doze discípulos e disse-lhes: «Vamos subindo para Jerusalém, onde o Filho do homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas. E condená-lo-ão à morte e entregá-lo-ão aos gentios, para ser escarnecido, flagelado e crucificado; mas ao terceiro dia ressuscitará». Então a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se d’Ele com seus filhos, adorando-O e pretendendo pedir-Lhe alguma coisa. Ele disse-lhe: «Que queres?». Respondeu ela: «Ordenai que estes meus dois filhos se sentem no vosso reino, um à direita e o outro à esquerda». E Jesus disse-lhe: «Não sabeis o que pedis. Podeis beber o cálice que eu hei-de beber». Disseram-lhe: «Podemos!». Jesus disse-lhes: «Vós bebereis, certamente, o meu cálice; porém, sentar-vos à minha direita ou esquerda, não pertence a mim conceder-vo-lo, pois esse lugar será para quem meu Pai o tiver preparado». Ouvindo isto, os outros dez indignaram-se contra os dois irmãos. Jesus, porém, chamando-os para junto de si, disse-lhes: «Sabeis que os soberanos dominam os seus povos e que os mais importantes exercem a sua força contra estes, oprimindo-os. Não será assim entre vós; aquele, pois, que quiser ser superior aos outros será seu inferior; e o que quiser ser o primeiro será o seu escravo. Assim como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em redenção de muitos».

Ofertório Sl. 24, 1-3

Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur.
A Vós, Senhor, elevei a minha alma. Ó meu Deus, confio em Vós; não serei confundido, nem vencido pelos meus inimigos., porquanto todos aqueles que em Vós confiam não serão confundidos.

Secreta

Hóstias, Dómine, quas tibi offérimus, propítius réspice: et, per hæc sancta commércia, víncula peccatórum nostrórum absólve. Per Dóminum &c.
Olhai propício, Senhor, para as hóstias que Vos oferecemos, e, por este sagrado Cornércio, desligai-nos das cadeias dos nossos pecados. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 10, 8

Justus Dóminus, et justítiam diléxit: æquitátem vidit vultus ejus.
O Senhor é justo e amou a justiça; seu rosto volta-se benévolo para os justos.

Postcomúnio

Sumptis, Dómine, sacraméntis: ad redemptiónis ætérnæ, quǽsumus, proficiámus augméntum. Per Dóminum &c.
Havendo nós recebido estes sacramentos, Senhor, concedei-nos, Vos suplicamos, que nos sirvam de aumento dos frutos da redenção eterna. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Deus, innocéntiæ restitútor et amátor, dírige ad te tuórum corda servórum: ut, spíritus tui fervóre concépto, et in fide inveniántur stábiles, et in ópere efficáces. Per Dóminum &c.
Ó Deus, reparador e amigo da inocência, encaminhai para Vós os corações dos vossos servos, a fim de que, afervorados com vosso Espírito, sejam firmes na fé e activos nas obras. Por nosso Senhor &c.

Quinta-feira da 2.ª Semana da Quaresma Estação em Santa Maria além Tibre

Intróito Sl. 69, 2 & 3

Deus, in adjutórium meum inténde: Dómine, ad adjuvándum me festína: confundántur et revereántur inimíci mei, qui quærunt ánimam meam. Ps. ibid., 4 Avertántur retrórsum et erubéscant: qui cógitant mihi mala. V. Gloria Patri &c.
Ó Deus, vinde em meu auxílio; apressai-Vos, Senhor, em socorrer-me. Sejam confundidos e cobertos de opróbrio os meus inimigos que procuram tirar-me a vida. Sl. ibid., 4 Que se afastem de mim, cheios de vergonha, os que conjuram contra mim! V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta nobis, quǽsumus, Dómine, auxílium grátiæ tuæ: ut, jejúniis et oratiónibus conveniénter inténti, liberémur ab hóstibus mentis et córporis. Per Dóminum &c.
Concedei-nos, Senhor, Vos suplicamos, o auxílio da vossa graça, a fim de que, estando nós convenientemente aplicados aos jejuns e às orações, sejamos livres dos inimigos da alma e do corpo. Por nosso Senhor &c.

Epístola Jr. 17, 5-10

Léctio Jeremíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Jeremias.
Hæc dicit Dóminus Deus: Maledíctus homo, qui confídit in hómine, et ponit carnem bráchium suum, et a Dómino recédit cor ejus. Erit enim quasi myrícæ in desérto, et non vidébit, cum vénerit bonum: sed habitábit in siccitáte in desérto, in terra salsúginis et inhabitábili. Benedíctus vir, qui confídit in Dómino, et erit Dóminus fidúcia ejus. Et erit quasi lignum, quod transplantátur super aquas, quod ad humórem mittit radíces suas: et non timébit, cum vénerit æstus. Et erit fólium ejus víride, et in témpore siccitátis non erit sollícitum, nec aliquándo de sinet fácere fructum. Pravum est cor ómnium et inscrutábile: quis cognóscet illud? Ego Dóminus scrutans cor, et probans renes: qui do unicuique juxta viam suam, et juxta fructum adinventiónum suárum: dicit Dóminus omnípotens.
Isto diz o Senhor e Deus: «Maldito seja o homem que confia no homem; que faz da carne o seu arrimo; e cujo coração se afasta do Senhor; pois ele será como as tamargas do deserto. Quando vier a felicidade, ele a não verá, mas permanecerá na aridez do deserto, numa terra salgada e desabitada! Bendito seja o homem que confia no Senhor e do qual o Senhor é a esperança; pois será como a árvore, plantada à beira das águas, que estende suas raízes no ribeiro e nada receia quando vem o calor. Sua folhagem estará sempre verde, não se ressentindo com o tempo da estiagem, nem deixará de dar bom fruto! O coração humano é depravado e impenetrável. Quem poderá conhecê-lo? Eu, o Senhor, que ausculto o seu coração e observo o seu íntimo, recompensando cada qual segundo os seus intentos e o mérito das suas obras: diz o Senhor omnipotente».

Gradual Sl. 78, 9 & 10

Propítius esto, Dómine, peccátis nostris: ne quando dicant gentes: Ubi est Deus eórum? V. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter honórem nóminis tui, Dómine, líbera nos.
Perdoai os nossos pecados, Senhor, para que os povos não digam: «Onde está o seu Deus?». Socorrei-nos, Senhor, nosso Salvador, e, por causa da glória do vosso nome, livrai-nos, Senhor.

Evangelho Lc. J6, 19-31

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Dixit Jesus pharisǽis: Homo quidam erat dives, qui induebátur púrpura et bysso: et epulabátur cotídie spléndide. Et erat quidam mendícus, nómine Lázarus, qui jacébat ad jánuam ejus, ulcéribus plenus, cúpiens saturári de micis, quæ cadébant de mensa dívitis, et nemo illi dabat: sed et canes veniébant et lingébant úlcera ejus. Factum est autem, ut morerétur mendícus, et portarétur ab Angelis in sinum Abrahæ. Mórtuus est autem et dives, et sepúltus est in inférno. Elevans autem óculos suos, cum esset in torméntis, vidit Abraham a longe, et Lázarum in sinu ejus: et ipse clamans, dixit: Pater Abraham, miserére mei, et mitte Lázarum, ut intíngat extrémum dígiti sui in aquam, ut refrígeret linguam meam, quia crúcior in hac flamma. Et dixit illi Abraham: Fili, recordáre, quia recepísti bona in vita tua, et Lázarus simíliter mala: nunc autem hic consolátur, tu vero cruciáris. Et in his ómnibus, inter nos et vos chaos magnum firmátum est: ut hi, qui volunt hinc transíre ad vos, non possint, neque inde huc transmeáre. Et ait: Rogo ergo te, pater, ut mittas eum in domum patris mei. Hábeo enim quinque fratres, ut testétur illis, ne et ipsi véniant in hunc locum tormentórum. Et ait illi Abraham: Habent Móysen et Prophétas: áudiant illos. At ille dixit: Non, pater Abraham: sed si quis ex mórtuis íerit ad eos, pæniténtiam agent. Ait autem illi: Si Móysen et Prophétas non áudiunt, neque si quis ex mórtuis resurréxerit, credent.
Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: «Havia um certo homem rico, que se vestia de púrpura e de linho fino e se banqueteava todos os dias com o maior esplendor. Havia, também, um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia, deitado à porta do rico, coberto de úlceras, e desejava comer as migalhas que caíam da mesa do rico, mas ninguém lhas dava, vindo os cães lamber-lhe as chagas! Aconteceu, porém, que morreu o pobre, sendo levado pelos Anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, que foi sepultado no inferno. Ora, erguendo o rico os olhos, enquanto jazia em tormentos, viu ao longe Abraão, e, no seu seio, viu Lázaro. Então, disse em clamor: «Pai Abraão, tende misericórdia de mim; mandai que Lázaro com a ponta do seu dedo molhada em água venha refrescar a minha língua, porque sofro cruelmente nestas chamas!». Respondeu-lhe Abraão: «Filho, recorda-te de que recebeste bens durante a vida, e de que ao mesmo tempo Lázaro sofreu males. Agora, pois, este será consolado e tu sofrerás. Além disso, um grande abysmo está cavado entre nós; de sorte que os que quiserem passar daqui para lá não poderão; nem tão-pouco os daí poderão passar para aqui». E o rico continuou: «Eu vos suplico, ó pai, que envieis Lázaro a casa de meu pai, pois tenho lá cinco irmãos, para que lhes dê testemunho destas coisas, de modo que não venham também para este lugar de tormentos». Abraão respondeu: «Eles têm lá Moisés e os Profetas; que os ouçam, pois!». Mas ele disse: «Não, pai Abraão, não os ouvirão; mas, se algum dos mortos lhes falar, farão penitência». Abraão disse-lhe: «Se não ouvem nem Moisés nem os Profetas, ainda mesmo que algum dos mortos ressuscite, tão-pouco o acreditarão».

Ofertório Ex. 32, 11, 13 & 14

Precátus est Móyses in conspéctu Dómini, Dei sui, et dixit: Quare, Dómine, irascéris in pópulo tuo? parce iræ ánimæ tuæ: meménto Abraham, Isaac et Jacob, quibus jurásti dare terram fluéntem lac et mel. Et placátus est Dóminus de malignitáte, quam dixit fácere pópulo suo.
Orou Moisés ante o Senhor, seu Deus, e disse: «Porque, Senhor, Vos irais contra o vosso povo? Saí do ardor da vossa ira: lembrai-Vos de Abraão, de Isaque e de Jacob, aos quais jurastes dar a terra onde correm leite e mel». Então o Senhor acalmou-se e não mandou ao seu povo o mal que anunciara.

Secreta

Pæsénti sacrifício, nómini tuo nos, Dómine, jejúnia dicáta sanctíficent: ut, quod observántia nostra profitétur extérius, intérius operétur efféctu. Per Dóminum &c.
Que o presente sacrifício, Senhor, santifique os jejuns que empreendemos para glória do vosso nome, a fim de que sua observância exterior seja acompanhada de frutos interiores. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Jo. 6, 57

Qui mandúcat meam carnem, et bibit meum sánguinem, in me manet, et ego in eo, dicit Dóminus.
Aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu permaneço nele: diz o Senhor.

Postcomúnio

Grátia tua nos, quǽsumus, Dómine, non derelínquat: quæ et sacræ nos déditos fáciat servitúti, et tuam nobis opem semper acquírat. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, concedei-nos que a vossa graça nos não abandone; que nos torne dedicados ao vosso santo serviço; e que nos alcance sempre o vosso auxílio. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Adésto, Dómine, fámulis tuis, et perpétuam benignitátem largíre poscéntibus: ut iis, qui te auctóre et gubernatóre gloriántur, ei congregáta restáures et restauráta consérves. Per Dóminum &c.
Amparai, Senhor, os vossos servos e concedei-lhes a misericórdia perpétua, que Vos imploram; e, como eles se gloriam de Vos ter como Autor e Rei, restabelecei-os na posse dos bens em que os unistes, e mantende o que restabelecestes. Por nosso Senhor &c.

Sexta-feira da 2.ª Semana da Quaresma Estação em S. Vital

Intróito Sl. 16, 15

Ego autem cum justítia apparébo in conspéctu tuo: satiábor, dum manifestábitur glória tua. Ps. ibid., 1 Exáudi, Dómine, justitiam meam: inténde deprecatióni meæ. V. Gloria Patri &c.
Eu, porém, cheio de justiça, Senhor, aparecerei diante de Vós: e, quando me for manifestada a vossa glória, serei saciado. Sl. ibid., 1 Senhor, ouvi a minha prece justa; escutai a minha súplica. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Da, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, sacro nos purificánte jejúnio, sincéris méntibus ad sancta ventúra fácias perveníre. Per Dóminum nostrum &c.
Concedei-nos, Deus omnipotente, Vos suplicamos, que, purificados com estes sagrados jejuns, cheguemos com o coração sincero às próximas solenidades. Por nosso Senhor &c.

Epístola Gn. 37, 6-22

Léctio libri Genesis.
Lição do Livro do Génesis.
In diébus illis: Dixit Joseph frátribus suis: Audíte sómnium meum, quod vidi: Putábam nos ligáre manípulos in agro: et quasi consúrgere manípulum meum et stare, vestrósque manípulos circumstántes adoráre manípulum meum. Respondérunt fratres ejus: Numquid rex noster eris? aut subjiciémur dicióni tuæ? Hæc ergo causa somniórum atque sermónum, invídiæ et ódii fómitem ministrávit. Aliud quoque vidit sómnium, quod narrans frátribus, ait: Vidi per sómnium, quasi solem et lunam et stellas úndecim adoráre me. Quod cum patri suo et frátribus rettulísset, increpávit eum pater suus, et dixit: Quid sibi vult hoc sómnium, quod vidísti? Num ego et mater tua et fratres tui adorábimus te super terram? Invidébant ei igitur fratres sui: pater vero rem tácitus considerábat. Cumque fratres illíus in pascéndis grégibus patris moraréntur in Sichem, dixit ad eum Israël: Fratres tui pascunt oves in Síchimis: veni, mittam te ad eos. Quo respondénte: Præsto sum, ait ei: Vade et vide, si cuncta próspera sint erga fratres tuos et pécora: et renúntia mihi, quid agatur. Missus de valle Hebron, venit in Sichem: invenítque eum vir errántem in agro, et interrogávit, quid quǽreret. At ille respóndit: Fratres meos quæro: índica mihi, ubi pascant greges. Dixítque ei vir: Recessérunt de loco isto: audívi autem eos dicéntes: Eámus in Dóthain. Perréxit ergo Joseph post fratres suos, et invénit eos in Dóthain. Qui cum vidíssent eum procul, ántequam accéderet ad eos, cogitavérunt illum occídere, et mútuo loquebántur: Ecce, somniátor venit; veníte, occidámus eum, et mittámus in cistérnam véterem, dicemúsque: Fera péssima devorávit eum: et tunc apparébit, quid illi prosint sómnia sua. Audiens autem hoc Ruben, nitebátur liberáre eum de mánibus eórum, et dicébat: Non interficiátis ánimam ejus, nec effundátis sánguinem: sed projícite eum in cistérnam hanc, quæ est in solitúdine, manúsque vestras serváte innóxias: hoc autem dicébat, volens erípere eum de mánibus eórum, et réddere patri suo.
Naqueles dias, José disse a seus irmãos: «Escutai o sonho que tive: parecia-me que estávamos a atar molhos em um campo e que meu molho se erguia e ficava de pé, enquanto que os outros o rodeavam e como que o adoravam». Responderam-lhe os irmãos: «Porventura serás nosso rei ou ficaremos sob o teu domínio?». E estes sonhos e estas palavras fomentaram cada vez mais o ódio e a inveja dos irmãos contra ele. Teve José ainda outro sonho, que contou também aos irmãos, dizendo-lhes: «Vi em sonho que o sol, a lua e onze estrelas se prostravam diante de mim». Tendo ele contado isto ao pai e aos irmãos, o pai repreendeu-o e disse-lhe: «Que significa o sonho que tiveste? Porventura eu, tua mãe e teus irmãos te adoraremos na terra?». E seus irmãos ficaram com inveja; enquanto que o pai meditava neste caso em segredo. Ora, um dia, estando os irmãos de José a apascentar os rebanhos do pai em Siquém, disse Israel (Jacob) a José: «Os teus irmãos apascentam as ovelhas nas terras de Siquém; vem, pois, para que te mande onde eles estão». José respondeu: «Estou pronto». Jacob disse-lhe: «Vai, vê se teus irmãos estão bem; se os gados se encontram em bom estado; e volta a dizer-me o que acontece por lá». Partiu José do vale de Hébron e chegou a Siquém. Um homem encontrou-o errante no caminho e interrogou-o para saber o que ele procurava. «Procuro meus irmãos; indicai-me onde apascentam os rebanhos». O homem respondeu: «Saíram já deste lugar; porém, ouvi-lhes dizer: vamos até Dótain». Partiu, pois, José após os irmãos e encontrou-os em Dótain. Estes, tendo-o visto ao longe, combinaram matá-lo, antes que se aproximasse. E diziam uns aos outros: «Aí vem o sonhador; vamos; matemo-lo; e lancemo-lo numa cisterna velha. Depois diremos que um animal feroz o devorou. Então se verá de que lhe serviram os sonhos». Mas Ruben esforçava-se para o livrar, dizendo: «Não o mateis nem derrameis o seu sangue. Lançai-o antes numa cisterna, que há no deserto, e conservai as vossas mãos puras». Isto dizia, querendo arrancá-lo das mãos dos irmãos e entregá-lo ao pai.

Gradual Sl. 119, 1-2

Ad Dóminum, cum tribulárer, clamávi, et exaudívit me. V. Dómine, líbera ánimam meam a lábiis iníquis et a lingua dolósa.
Enquanto estava na tribulação, chamei pelo Senhor, que me atendeu. V. Senhor, livrai a minha alma dos lábios iníquos e da. língua enganadora.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Mt, 21, 33-46

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus turbis Judæórum et princípibus sacerdótum parábolam hanc: Homo erat paterfamílias, qui plantávit víneam, et sepem circúmdedit ei, et fodit in ea tórcular, et ædificávit turrim, et locávit eam agrícolis, et péregre proféctus est. Cum autem tempus frúctuum appropinquásset, misit servos suos ad agrícolas, ut accíperent fructus ejus. Et agrícolæ, apprehénsis servis ejus, alium cecidérunt, alium occidérunt, álium vero lapidavérunt. Iterum misit álios servos plures prióribus, et fecérunt illis simíliter. Novíssime autem misit ad eos fílium suum, dicens: Verebúntur fílium meum. Agrícolæ autem vidéntes fílium, dixérunt intra se: Hic est heres, veníte, occidámus eum, et habébimus hereditátem ejus. Et apprehénsum eum ejecérunt extra víneam, et occidérunt. Cum ergo vénerit dóminus víneæ, quid fáciet agrícolis illis? Ajunt illi: Malos male perdet: et víneam suam locábit áliis agrícolis, qui reddant ei fructum tempóribus suis. Dicit illis Jesus: Numquam legístis in Scriptúris: Lápidem, quem reprobavérunt ædificántes, hic factus est in caput ánguli? A Dómino factum est istud, et est mirábile in óculis nostris. Ideo dico vobis, quia auferétur a vobis regnum Dei, et dábitur genti faciénti fructus ejus. Et qui cecíderit super lápidem istum, confringétur: super quem vero cecíderit, cónteret eum. Et cum audíssent príncipes sacerdótum et pharisǽi parábolas ejus, cognovérunt, quod de ipsis díceret. Et quæréntes eum tenére, timuérunt turbas: quóniam sicut Prophétam eum habébant.
Naquele tempo, disse Jesus à turba dos judeus e aos príncipes dos sacerdotes esta parábola: «Havia um homem, pai de família, que plantou uma vinha, cercou-a com uma sebe, construiu nela um lagar, edificou uma torre, arrendou-a a uns lavradores e partiu para longe. Aproximando-se o tempo da colheita, mandou o pai de família os seus servos aos lavradores, para deles receberem os frutos. Mas os lavradores, prendendo os servos, espancaram um, mataram, outro e apedrejaram outro! Tornou o pai de família a mandar outros servos, em maior número do que os primeiros, e fizeram-lhes o mesmo. Por último, mandou-lhes o seu próprio filho, dizendo: «A meu filho, ao menos, guardarão respeito». Mas os lavradores, vendo o filho, disseram entre si: «Este é o herdeiro; vamos, matemo-lo e ficaremos com sua herança». E, segurando-o, lançaram-no fora da vinha e mataram-no». «Ora - continuou Jesus - quando vier o dono da vinha, que fará a estes lavradores?». Eles responderam: «Castigará os malvados e arrendará a sua vinha a outros lavradores, que paguem o fruto em seu tempo». Disse-lhes Jesus: «Nunca lestes nas escrituras: «A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se em pedra angular? Isto é uma obra do Senhor e é maravilha aos nossos olhos?!». Por isso vos digo: o reino de Deus ser-vos-á tirado e dado a outro povo, que produza os seus frutos. Quem cair sobre esta pedra quebrar-se-á; e aquele sobre quem ela cair ficará esmagado». Ouvindo isto, perceberam os príncipes dos sacerdotes e os fariseus que falava deles. Então quiseram prendê-l’O, mas tiveram medo das turbas, pois estas tinham-n’O na conta de Profeta.

Ofertório Sl. 39, 14 & 15

Dómine, in auxílium meum réspice: confundántur et revereántur, qui quærunt ánímam meam, ut áuferant eam: Dómine, in auxílium meum réspice.
Senhor, volvei para mim um olhar de protecção. Caiam na confusão e no opróbrio aqueles que procuram tirar-me a vida! Senhor, volvei um olhar protector para mim.

Secreta

Hæc in nobis sacrifícia, Deus, et actióne permáneant, et operatióne firméntur. Per Dóminum &c.
Que estes sacrifícios, ó Deus, exerçam em nós uma acção permanente e uma influência fortificadora. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 11, 8

Tu, Dómine, servábis nos, et custódies nos a generatióne hac in ætérnum.
Senhor, guardar-nos-eis e defender-nos-eis sempre desta geração.

Postcomúnio

Fac nos, quǽsumus, Dómine: accépto pígnore salútis ætérnæ, sic téndere congruénter; ut ad eam perveníre póssimus. Per Dóminum &c.
Fazei, Senhor, Vos suplicamos, que, tendo nós recebido o penhor da salvação eterna, de tal sorte procuremos merecê-la que possamos possuí-la. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Da, quǽsumus, Dómine, pópulo tuo salútem mentis et córporis: ut, bonis opéribus inhæréndo, tuæ semper virtútis mereátur protectióne deféndi. Per Dóminum &c.
Senhor, concedei ao vosso povo, Vos suplicamos, a saúde da alma e do corpo, a fim de que, ocupando-se em boas obras, mereça ser sempre assistido com a protecção da vossa majestade. Por nosso Senhor &c.

Sábado da 2.ª Semana da Quaresma Estação em S. Marcelino e S. Pedro

Intróito Sl. 18, 8

Lex Dómini irreprehensíbilis, convértens ánimas: testimónium Dómini fidéle, sapiéntiam præstans párvulis. Ps. ibid., 2 Cœli enárrant glóriam Dei: et ópera mánuum ejus annúntiat firmaméntum. V. Gloria Patri &c.
A lei do Senhor é perfeita e converte as almas; o testemunho do Senhor é digno de fé e ensina os ignorantes. Sl. ibid., 2 Os céus publicam a glória do Senhor e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Da, quǽsumus, Dómine, nostris efféctum jejúniis salutárem: ut castigátio carnis assúmpta, ad nostrárum vegetatiónem tránseat animárum. Per Dóminum &c.
Dai, Senhor, Vos suplicamos, aos nossos jejuns efeitos salutares, para que a mortificação que fazemos na carne seja proveitosa à saúde das nossas almas. Por nosso Senhor &c.

Epístola Gn. 27, 6-40

Léctio libri Genesis.
Lição do Livro do Génesis.
In diébus illis: Dixit Rebécca fílio suo Jacob: Audívi patrem tuum loquéntem cum Esau fratre tuo, et dicéntem ei: Affer mihi de venatióne tua, et fac cibos, ut comédam et benedícam tibi coram Dómino, ántequam móriar. Nunc ergo, fili mi, acquiésce consíliis meis: et pergens ad gregem, affer mihi duos hædos óptimos, ut fáciam ex eis escas patri tuo, quibus libénter véscitur: quas cum intúleris et coméderit, benedícat tibi, priúsquam moriátur. Cui ille respóndit: Nosti, quod Esau, frater meus, homo pilósus sit, et ego lenis: si attrectáverit me pater meus et sénserit, tímeo, ne putet me sibi voluísse illúdere, et indúcam super me maledictiónem pro benedictióne. Ad quem mater: In me sit, ait, ista male díctio, fili mi: tantum audi vocem meam, et pergens affer quæ dixi. Abiit, et áttulit, dedítque matri. Parávit illa cibos, sicut velle nóverat patrem illíus. Et véstibus Esau valde bonis, quas apud se habébat domi, índuit eum: pelliculásque hædórum circúmdedit mánibus, et colli nuda protéxit. Dedítque pulméntum, et panes, quos cóxerat, trádidit. Quibus illátis, dixit: Pater mi! At ille respóndit: Audio. Quis es tu, fili mi? Dixítque Jacob: Ego sum primogénitus tuus Esau: feci, sicut præcepísti mihi: surge, sede, et cómede de venatióne mea, ut benedícat mihi ánima tua. Rursúmque Isaac ad fílium suum: Quómodo, inquit, tam cito inveníre potuísti, fili mi? Qui respóndit: Volúntas Dei fuit, ut cito occúrreret mihi quod volébam. Dixítque Isaac: Accéde huc, ut tangam te, fili mi, et probem, utrum tu sis fílius meus Esau, an non. Accéssit ille ad patrem, et palpáto eo, dixit Isaac: Vox quidem vox Jacob est, sed manus manus sunt Esau. Et non cognóvit eum, quia pilósæ manus similitúdinem majóris exprésserant. Benedícens ergo illi, ait: Tu es fílius meus Esau? Respóndit: Ego sum. At ille: Affer mihi, inquit, cibos de venatióne tua, fili mi, ut benedícat tibi ánima mea. Quos cum oblátos comedísset, óbtulit ei étiam vinum. Quo hausto, dixit ad eum: Accéde ad me, et da mihi ósculum, fili mi. Accéssit, et osculátus est eum. Statímque ut sensit vestimentórum illíus fragrántiam, benedícens illi, ait: Ecce, odor fílii mei sicut odor agri pleni, cui benedíxit Dóminus. Det tibi Deus de rore cœli, et de pinguédine terræ abundántiam fruménti et vini. Et sérviant tibi pópuli, et ad orent te tribus: esto dóminus fratrum tuórum, et incurvéntur ante te fílii matris tuæ. Qui male díxerit tibi, sit ille maledíctus: et qui benedíxerit tibi, benedictiónibus repleátur. Vix Isaac sermónem impléverat, et egrésso Jacob foras, venit Esau, coctósque de venatióne cibos íntulit patri, dicens: Surge, pater mi, et cómede de venatióne fílii tui, ut benedícat mihi ánima tua. Dixítque illi Isaac: Quis enim es tu? Qui respóndit: Ego sum fílius tuus primogénitus Esau. Expávit Isaac stupóre veheménti, et ultra quam credi potest, admírans, ait: Quis ígitur ille est, qui dudum captam venatiónem áttulit mihi, et comédi ex ómnibus, priúsquam tu veníres? Benedixíque ei, et erit benedíctus. Audítis Esau sermónibus patris, irrúgiit clamóre magno, et consternátus, ait: Bénedic etiam et mihi, pater mi. Qui ait: Venit germánus tuus fraudulénter, et accépit benedictiónem tuam. At ille subjunxit: Juste vocátum est nomen ejus Jacob: supplantávit enim me en áltera vice: primogénita mea ante tulit, et nunc secúndo surrípuit benedictiónem meam. Rursúmque ad patrem: Numquid non reservásti, ait, et mihi benedictiónem? Respóndit Isaac: Dóminum tuum illum constítui, et omnes fratres ejus servitúti illíus subjugávi: fruménto et vino stabilívi eum, et tibi post hæc, fili mi, ultra quid fáciam? Cui Esau: Num unam, inquit, tantum benedictiónem habes, pater? mihi quoque óbsecro ut benedícas. Cumque ejulátu magno fleret, motus Isaac, dixit ad eum: In pinguédine terræ, et in rore cœli désuper erit benedíctio tua.
Naqueles dias, disse Rebeca a seu filho Jacob: «Ouvi teu pai, que falava com teu irmão Esaú e lhe dizia: «Dá-me alguma coisa da tua caça e prepara-a, para que eu a coma. Depois abençoar-te-ei, diante do Senhor, antes da minha morte». Agora, pois, meu filho, segue os meus conselhos: vai ao rebanho e traze-me dois cabritos gordos, para que eu faça com eles os manjares de que teu pai gosta mais. E tu lhos apresentarás, ele comerá e te dará a bênção antes de morrer». Jacob respondeu-lhe: «Bem sabeis que meu irmão Esaú é um homem cabeludo e eu não tenho pêlo. Se, pois, meu pai me apalpar e conhecer, receio que julgue querer iludi-lo; então me dará a maldição, em vez da bênção». Ao que a mãe respondeu: «Chamarei para mim essa maldição, meu filho. Ouve somente a minha voz e vai buscar o que te disse». Então, ele foi buscar os cabritos, trouxe-os e deu-os a sua mãe, que preparou manjares como o pai gostava. Depois, vestiu Jacob com os melhores vestidos de Esaú, que tinha guardados em casa, cobriu-lhe as mãos e o pescoço, até onde estava descoberto, com as peles dos cabritos, e deu-lhe os manjares e os pães que cozera. Levando Jacob isto a Isaque, disse-lhe: «Meu pai», Ele respondeu: «Bem ouço. Quem és tu, meu filho? ». Jacob disse: «Sou o teu filho primogénito Esaú. Fiz como me mandaste. Ergue-te, senta-te e come da minha caça, para que a tua alma me abençoe». Disse ainda Isaque a seu filho: «Como pudeste encontrá-la tão depressa, meu filho?». Este respondeu: «Foi vontade de Deus que depressa encontrasse o que queria». Disse Isaque: «Chega-te cá, meu filho, para que te apalpe e conheça se és ou não o meu filho Esaú». Chegou-se ele a seu pai. Isaque, tendo-o apalpado, disse: «Na verdade, a voz é de Jacob, mas as mãos são de Esaú». E o não conheceu, porque as mãos estavam cobertas de pêlo, à semelhança das do filho primogénito. Isaque, abençoando-o, disse: «És tu o meu filho Esaú?». «Sou eu» , respondeu. E Isaque continuou: «Traze-me os manjares da tua caça, meu filho, para que minha alma te abençoe». Jacob apresentou-lhos. E depois que Isaque comeu, levou-lhe também vinho. Então Isaque, havendo-o bebido, disse: «Aproxima-te de mim e beija-me, meu filho». Ele aproximou-se e beijou-o. Logo que Isaque sentiu a fragrância dos vestidos que Jacob levava, disse, abençoando-o: «Eis que o cheiro de meu filho é como o cheiro dum campo fértil que o Senhor abençoou! Deus te conceda abundância de trigo e de vinho, pelo orvalho do céu e gordura da terra. Sirvam-te os povos; e que as tribos se inclinem diante de ti, Sê senhor dos teus irmãos; e que os filhos da tua mãe se prostrem diante de ti. Maldito seja quem te amaldiçoar; e abençoado seja quem te abençoar». Apenas Isaque acabara de falar e havendo já saído Jacob, veio Esaú e levou a seu pai manjares da sua caça, dizendo-lhe: «Levanta-te, meu pai, e come da caça de teu filho, para que a tua alma me abençoe». Isaque disse-lhe: «Pois quem és tu?». Ele respondeu: «Sou Esaú, teu filho primogénito». Isaque ficou profundamente surpreendido (até mais do que se pode acreditar) e, admirado, disse: «Quem foi, pois, aquele que há pouco me trouxe caça, e da qual comi, antes que viesses? Eu o abençoei, e abençoado será». Ouvindo Esaú estas palavras do pai, bradou com grande clamor e cheio de consternação: «Abençoa-me também a mim, meu pai». Isaque respondeu: «O teu irmão veio fraudulentamente e recebeu a tua bênção». Então Esaú acrescentou: «É, pois, com razão que ele foi chamado Jacob, pois já me suplantou duas vezes: primeiramente, tirou-me o direito de primogenitura; e agora, também com nova fraude, arrebatou-me a bênção!». E acrescentou, dirigindo-se a seu pai: «Porventura não reservaste uma bênção para mim?». Respondeu Isaque: «Eu instituí-o teu senhor e sujeitei ao seu poder todos teus irmãos; dei-lhe a posse do trigo e do vinho. Depois disto, meu filho, que resta para ti?». Esaú disse: «Acaso tens só uma bênção, meu pai? Suplico-te que me abençoes também». E Esaú chorou com fortes soluços e gritos! Então Isaque, comovido, disse-lhe: «A tua bênção estará na gordura da terra e no orvalho do céu».

Gradual Sl. 91, 2-3

Bonum est confitéri Dómino: et psállere nómini tuo, Altíssime. V. Ad annuntiándum mane misericórdiam tuam, et veritátem tuam per noctem.
É bom louvar o Senhor e cantar o vosso nome, ó Altíssimo. V. Para anunciar de manhã a vossa misericórdia e de noite a vossa verdade.

Evangelho Lc. 15, 11-32

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Dixit Jesus pharisǽis et scribis parábolam istam: Homo quidam hábuit duos fílios, et dixit adolescéntior ex illis patri: Pater, da mihi portiónem substántiæ, quæ me cóntingit. Et divísit illis substántiam. Et non post multos dies, congregátis ómnibus, adolescéntior fílius péregre proféctus est in regiónem longínquam, et ibi dissipávit substántiam suam vivéndo luxurióse. Et postquam ómnia consummásset, facta est fames válida in regióne illa, et ipse cœpit egére. Et ábiit, et adhǽsit uni cívium regiónis illíus. Et misit illum in villam suam, ut pásceret porcos. Et cupiébat implére ventrem suum de síliquis, quas porci manducábant: et nemo illi dabat. In se autem revérsus, dixit: Quanti mercennárii in domo patris mei abúndant pánibus, ego autem hic fame péreo? Surgam, et ibo ad patrem meum, et dicam ei: Pater, peccávi in cœlum et coram te: jam non sum dignus vocari fílius tuus: fac me sicut unum de mercennáriis tuis. Et surgens venit ad patrem suum. Cum autem adhuc longe esset, vidit illum pater ipsíus, et misericórdia motus est, et accúrrens cécidit super collum ejus, et osculátus est eum. Dixítque ei fílius: Pater, peccávi in cœlum et coram te, jam non sum dignus vocari fílius tuus. Dixit autem pater ad servos suos: Cito proférte stolam primam, et indúite illum, et date ánulum in manum ejus, et calceaménta in pedes ejus: et addúcite vítulum saginátum et occídite, et manducémus et epulémur, quia hic fílius meus mórtuus erat, et revíxit: períerat, et invéntus est. Et cœpérunt epulári. Erat autem fílius ejus senior in agro: et cum veníret, et appropinquáret dómui, audívit symphóniam et chorum: et vocávit unum de servis, et interrogávit, quid hæc essent. Isque dixit illi: Frater tuus venit, et occídit pater tuus vítulum saginátum, quia salvum illum recépit. Indignátus est autem, et nolébat introíre. Pater ergo illíus egréssus, cœpit rogáre illum. At ille respóndens, dixit patri suo: Ecce, tot annis sérvio tibi, et numquam mandátum tuum præterívi, et numquam dedísti mihi hædum, ut cum amícis meis epulárer: sed postquam fílius tuus hic, qui devorávit substántiam suam cum meretrícibus, venit, occidísti illi vítulum saginátum. At ipse dixit illi: Fili, tu semper mecum es, et ómnia mea tua sunt: epulári autem et gaudére oportébat, quia frater tuus hic mórtuus erat, et revíxit: períerat, et invéntus est.
Naquele tempo, disse Jesus esta parábola aos fariseus e escribas: «Um homem tinha dois filhos, dos quais o mais novo disse ao pai: «Dá-me a parte da herança que me pertence». O pai dividiu, então, entre eles os seus bens. Ainda não eram passados muitos dias, o filho mais novo, tendo ajuntado tudo quanto lhe pertencia, partiu para um país estrangeiro e longínquo, onde dissipou todo seu património, vivendo dissolutamente. Depois de ter gasto tudo, houve uma grande fome naquela região, começando ele a sentir necessidades. Então, pôs-se ao serviço dum habitante daquele país, que o mandou para a sua quinta apascentar porcos. Ele bem desejava encher o estômago das landes de que comiam os porcos, mas ninguém lhas dava! Então, meditando consigo mesmo, disse: «Quantos jornaleiros em casa de meu pai têm pão com abundância, e eu aqui morro de fome! Levantar-me-ei, irei ao meu pai e dir-lhe-ei: «Pai, pequei contra o céu e contra ti; já não sou digno de ser tratado como teu filho, mas trata-me como um dos teus jornaleiros». E, levantando-se, foi para seu pai. Estando ainda longe de casa, viu-o seu pai e encheu-se de compaixão. Logo o filho correu para o pai, lançou-se-lhe ao pescoço, beijou-o e disse-lhe: «Pai, pequei contra o céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho». Mas o pai disse a seus servos: «Trazei-me depressa o melhor vestido, e vesti-lho; colocai-lhe um anel na mão e uns sapatos nos pés; trazei também o vitelo gordo e matai-o. E comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu; estava perdido e foi achado!». E começaram a se banquetear. Ora, o filho mais velho estava no campo; e, quando vinha e se aproximava de casa, ouviu música e danças. Chamando, pois, um dos servos, perguntou o que era aquilo. Este disse-lhe: «O teu irmão chegou; e teu pai matou o vitelo gordo, porque ele regressou são e salvo». Então, indignou-se o irmão, não querendo entrar. Mas o pai foi ao seu encontro e rogou-lhe que entrasse. Respondendo, este disse ao pai: «Eis que há tantos anos te sirvo, sem nunca ter transgredido as tuas ordens, e nunca me deste um cabrito para comer com meus amigos; porém, agora, chega este teu filho, que malbaratou a tua fazenda com as meretrizes, e mataste para ele o vitelo gordo!». O pai disse-lhe: «Filho, tu estás sempre comigo e as minhas coisas são tuas; porém, convinha fazer um banquete e alegrarmo-nos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; perdera-se, e foi achado».

Ofertório Sl. 12, 4-5

Illúmina óculos meos, ne umquam obdórmiam in morte: ne quando dicat inimícus meus: Præválui advérsus eum.
Iluminai os meus olhos para que eu nunca adormeça na morte. Que nunca o meu inimigo diga: prevaleci contra ele.

Secreta

His sacrifíciis, Dómine, concéde placátus: ut, qui própriis orámus absólvi delíctis, non gravémur extérnis. Per Dóminum &c.
Deixai-Vos aplacar, Senhor, com estes sacrifícios, a fim de que nós, que Vos pedimos perdão das nossas faltas, nos não vejamos sobrecarregados com as dos outros. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Lc. 15, 32

Opórtet te, fili, gaudére, quia frater tuus mórtuus fúerat, et revíxit: períerat, et invéntus est.
Convém que te alegres, filho, porque o teu irmão estava morto, e voltou à vida; estava perdido, e foi encontrado.

Postcomúnio

Sacraménti tui, Dómine, divína libátio, penetrália nostri cordis infúndat: et sui nos partícipes poténter effíciat. Per Dóminum &c.
Que a divina libação do vosso Sacramento, Senhor, penetre até ao íntimo do nosso coração e nos torne eficazmente participantes da sua graça. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Famíliam tuam, quǽsumus, Dómine, contínua pietáte custódi: ut, quæ in sola spe grátiæ cœléstis innítitur, cœlésti étiam protectióne muniátur. Per Dóminum &c.
Guardai, Senhor, a vossa família, Vos suplicamos, com vossa contínua bondade, a fim de que, confiando no auxílio único da graça celestial, seja sempre munida com vossa celestial protecção. Por nosso Senhor &c.

Terceiro Domingo da Quaresma

Intróito Sl. 24, 15-16

Oculi mei semper ad Dóminum, quia ipse evéllet de láqueo pedes meos: réspice in me, et miserére mei, quóniam únicus et pauper sum ego. Ps. ibid., 1-2 Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam. V. Gloria Patri &c.
Os meus olhos estão sempre fitos no Senhor, pois Ele livrará os meus pés do laço. Volvei vossos olhos para mim e tende misericórdia de mim, meu Deus, pois sou só e pobre. Sl. ibid., 1-2 A Vós, Senhor, elevei a minha alma: meu Deus, confio em Vós, não ficarei envergonhado. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Quǽsumus, omnípotens Deus, vota humílium réspice: atque, ad defensiónem nostram, déxteram tuæ majestátis exténde. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, atendei aos humildes votos da nossa humildade; e que a dextra da vossa majestade nos conceda a sua protecção. Por nosso Senhor &c.

Epístola Ef. 5, 1 9

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Ephésios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Efésios.
Fratres: Estote imitatores Dei, sicut fílii caríssimi: et ambuláte in dilectióne, sicut et Christus dilexit nos, et tradidit semetipsum pro nobis oblatiónem, et hostiam Deo in odorem suavitátis. Fornicatio autem et omnis immunditia aut avaritia nec nominetur in vobis, sicut decet sanctos: aut turpitudo aut stultiloquium aut scurrilitas, quæ ad rem non pertinet: sed magis gratiárum actio. Hoc enim scitóte intelligentes, quod omnis fornicator aut immundus aut avarus, quod est idolorum servitus, non habet hereditátem in regno Christi et Dei. Nemo vos sedúcat inanibus verbis: propter hæc enim venit ira Dei in filios diffidéntiæ. Nolíte ergo effici participes eórum. Erátis enim aliquando tenebrae: nunc autem lux in Dómino. Ut fílii lucis ambuláte: fructus enim lucis est in omni bonitate et justítia et veritáte.
Meus irmãos: Sede imitadores de Deus, como filhos caríssimos, e vivei na caridade, como Cristo, que nos amou e se entregou por nós a Deus, como uma oblação e uma hóstia de agradável odor. Que a incontinência, toda a impureza e a avareza, nem sequer sejam nomeadas entre vós, como é próprio dos santos. O mesmo vos digo quanto a palavras desonestas, torpes, insensatas, ou ainda jocosas, pois todas são impróprias. Proferi antes palavras de acções de graças; pois nenhum incontinente, impuro ou avarento o que é idolatra terá parte no reino de Cristo e de Deus. Que ninguém vos seduza com discursos vãos; porque é por causa destas coisas que a ira de Deus cai sobre os filhos da rebeldia. Não tenhais nada de comum com eles; pois, outrora, estáveis nas trevas, mas, agora, possuís a luz do Senhor. Procedei como filhos da luz, cujo fruto consiste em toda a espécie de bondade, justiça e verdade.

Gradual Sl. 9, 20 & 4

Exsúrge, Dómine, non præváleat homo: judicéntur gentes in conspéctu tuo. V. In converténdo inimícum meum retrórsum, infirmabúntur, et períbunt a facie tua.
Erguei-Vos, Senhor, para que o homem não triunfe: que os povos sejam julgados na vossa presença! V. Quando o meu inimigo tiver fugido, eles tremerão e morrerão diante de Vós.

Trato Sl. 122, 1-3

Ad te levávi óculos meos, qui hábitas in cœlis. V. Ecce, sicut óculi servórum in mánibus dominórum suórum. V. Et sicut óculi ancíllæ in mánibus dóminæ suæ: ita óculi nostri ad Dóminum, Deum nostrum, donec misereátur nostri. V. Miserére nobis, Dómine, miserére nobis.
A Vós, que habitais nos céus, ergui os meus olhos. Como os olhos dos servos estão fixos na mão do seu senhor. V. E os olhos da escrava nas mãos da sua senhora; assim os nossos olhos se volvem e fixam em o Senhor, nosso Deus, até que tenha piedade de nós. V. Tende piedade de nós, Senhor, tende piedade de nós.

Evangelho Lc. 11, 14-28

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Erat Jesus ejíciens dæmónium, et illud erat mutum. Et cum ejecísset dæmónium, locútus est mutus, et admirátæ sunt turbæ. Quidam autem ex eis dixérunt: In Beélzebub, príncipe dæmoniórum, éjicit dæmónia. Et alii tentántes, signum de cœlo quærébant ab eo. Ipse autem ut vidit cogitatiónes eórum, dixit eis: Omne regnum in seípsum divísum desolábitur, et domus supra domum cadet. Si autem et sátanas in seípsum divísus est, quómodo stabit regnum ejus? quia dícitis, in Beélzebub me ejícere dæmónia. Si autem ego in Beélzebub ejício dæmónia: fílii vestri in quo ejíciunt? Ideo ipsi júdices vestri erunt. Porro si in dígito Dei ejício dæmónia: profécto pervénit in vos regnum Dei. Cum fortis armátus custódit átrium suum, in pace sunt ea, quæ póssidet. Si autem fórtior eo supervéniens vícerit eum, univérsa arma ejus áuferet, in quibus confidébat, et spólia ejus distríbuet. Qui non est mecum, contra me est: et qui non cólligit mecum, dispérgit. Cum immúndus spíritus exíerit de hómine, ámbulat per loca inaquósa, quærens réquiem: et non invéniens, dicit: Revértar in domum meam, unde exivi. Et cum vénerit, invénit eam scopis mundátam, et ornátam. Tunc vadit, et assúmit septem alios spíritus secum nequióres se, et ingréssi hábitant ibi. Et fiunt novíssima hóminis illíus pejóra prióribus. Factum est autem, cum hæc díceret: extóllens vocem quædam múlier de turba, dixit illi: Beátus venter, qui te portávit, et úbera, quæ suxísti. At ille dixit: Quinímmo beáti, qui áudiunt verbum Dei, et custódiunt illud.
Naquele tempo, estava Jesus a expulsar um demónio, o qual era mudo. Logo que o expulsou, o mudo falou, ficando as turbas admiradas. Alguns dos presentes disseram: «É pelo poder de Belzebu, príncipe dos demónios, que Ele expulsa os demónios». Outros, para O tentarem, pediam que lhes desse um sinal do céu. Jesus, conhecendo os pensamentos de todos, disse-lhes: «Todo o reino dividido contra si próprio tornar-se-á em um reino devastado; pois as casas cairão umas sobre as outras. Se, portanto, Satanás está dividido contra si próprio, como subsistirá o seu reino? Vós dizeis que é pelo poder de Belzebu que expulso os demónios? Ora, se expulso os demónios pelo poder de Belzebu, com que poder os expulsarão os vossos filhos? Por isso eles serão os vossos juízes. Porém, se é pelo poder de Deus que expulso os demónios, certamente o reino de Deus já chegou a vós. Quando um homem forte e bem armado guarda a entrada de sua casa, está em paz o que lhe pertence; mas, se sobrevier um outro mais forte do que ele, vence-o, tira-lhe as armas, em que confiava, e repartirá os seus despojos. Quem não está comigo, está contra mim; e quem não economiza, dissipa. Quando o espírito impuro sai dum homem, vai pelos lugares desertos em procura de repouso. Não o encontrando, diz: volto para casa donde saí. E quando lá chega encontra casa limpa e adornada. Então, retira-se, vai buscar e traz consigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando na casa, estabelecem-se nela. Este último estado deste homem tornou-se pior do que o primeiro». Ora aconteceu que, enquanto Jesus falava, uma mulher, que estava a ouvi-l’O, elevando a voz no meio da multidão, disse-Lhe: «Bem-aventurado o seio que te encerrou e os peitos que te aleitaram!». Ele respondeu: «Bem-aventurados antes aqueles que ouvem a palavra de Deus e a observam».

Ofertório Sl. 18, 9, 10, 11 & 12

Justítiæ Dómini rectæ, lætificántes corda, et judícia ejus dulci ora super mel et favum: nam et servus tuus custódit ea.
Os preceitos do Senhor são rectos, alegrando o coração: e os seus juízos são mais doces que o favo de mel; assim, pois, ó Deus, o vosso servo guarda-os fielmente.

Secreta

Hæc hóstia, Dómine, quǽsumus, emúndet nostra delícta: et, ad sacrifícium celebrándum, subditórum tibi córpora mentésque sanctíficet. Per Dóminum &c.
Que esta hóstia, Senhor, Vos suplicamos, nos purifique dos nossos pecados e santifique os corpos e as almas dos vossos servos, a fim de que celebrem dignamente este sacrifício. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 83, 4-5

Passer invénit sibi domum, et turtur nidum, ubi repónat pullos suos: altária tua, Dómine virtútum, Rex meus, et Deus meus: beáti, qui hábitant in domo tua, in sǽculum sǽculi laudábunt te.
O pássaro encontra um abrigo e a rola um ninho, para aí criarem os filhos. Assim eu encontre os vossos altares, Senhor dos exércitos, meu Rei e meu Deus! Felizes os que habitam na vossa casa e Vos louvam em todos os séculos dos séculos.

Postcomúnio

A cunctis nos, quǽsumus, Dómine, reátibus et perículis propitiátus absólve: quos tanti mystérii tríbuis esse partícipes. Per Dóminum &c.
Senhor, assim como nos tornastes participantes de tão grande mystério, assim também, pela vossa misericórdia, livrai-nos de todos os pecados e perigos. Por nosso Senhor &c.

Segunda-feira da 3.ª Semana da Quaresma Estação em S. Marcos

Intróito Sl. 55, 5

In Deo laudábo verbum, in Dómino laudábo sermónem: in Deo sperábo, non timebo, quid fáciat mihi homo. Ps. ibid., 2 Miserére mei, Deus, quóniam conculcávit me homo: tota die bellans tribulávit me. V. Gloria Patri &c.
Auxiliado com a graça de Deus, louvarei a sua palavra: auxiliado com a graça do Senhor, louvarei a sua doutrina; tenho esperança em Deus e não temo: o que poderá fazer o homem contra mim? Sl. ibid., 2 Tende compaixão de mim, meu Deus, pois o homem espezinha-me, persegue-me continuamente e enche-me de tribulações. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Córdibus nostris, quǽsumus, Dómine, grátiam tuam benígnus infúnde: ut, sicut ab escis carnálibus abstinémus; ita sensus quoque nostros a nóxiis retrahámus excéssibus. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, infundi benigno nos nossos corações a vossa graça, para que, assim como nos abstemos dos alimentos carnais, assim também guardemos os nossos sentidos dos perigosos excessos. Por nosso Senhor &c.

Epístola 4 Rs. 5, 1-15

Léctio libri Regum.
Lição do Livro dos Reis.
In diébus illis: Náaman, princeps milítiæ regis Sýriæ, erat vir magnus apud dóminum suum, et honorátus: per illum enim dedit Dóminus salútem Sýriæ: erat autem vir fortis et dives, sed leprósus. Porro de Sýria egressi fúerant latrúnculi, et captivam dúxerant de terra Israel puéllam párvulam, quæ erat in obséquio uxoris Náaman, quæ ait ad dóminam suam: Utinam fuísset dóminus meus ad Prophétam, qui est in Samaría: profécto curásset eum a lepra, quam habet. Ingréssus est itaque Náaman ad dóminum suum, et nuntiávit ei, dicens: Sic et sic locúta est puélla de terra Israël. Dixítque ei rex Sýriæ: Vade, et mittam lítteras ad regem Israël. Qui cum proféctus esset, et tulísset secum decem talénta argénti, et sex mília áureos, et decemmutatória vestimentórum, détulit lítteras ad regem Israël in hæc verba: Cum accéperis epístolam hanc, scito, quod míserim ad te Náaman servum meum, ut cures eum a lepra sua. Cumque legísset rex Israël lítteras, scidit vestiménta sua, et ait: Numquid Deus ego sum, ut occídere possim et vivificáre, quia iste misit ad me, ut curem hóminem a lepra sua? animadvértite et vidéte, quod occasiónes quærat advérsum me. Quod cum audísset Eliséus vir Dei, scidísse videlícet regem Israël vestiménta sua, misit ad eum, dicens: Quare scidísti vestiménta tua? véniat ad me, et sciat esse prophétam in Israël. Venit ergo Náaman cum equis et cúrribus, et stetit ad óstium domus Eliséi: misítque ad eum Eliséus núntium, dicens: Vade, et laváre sépties in Jordáne, et recípiet sanitátem caro tua, atque mundáberis. Iratus Náaman recedébat, dicens: Putábam, quod egrederétur ad me, et stans invocáret nomen Dómini, Dei sui, et tángeret manu sua locum lepræ, et curáret me. Numquid non melióres sunt Abana et Pharphar, flúvii Damásci, ómnibus aquis Israël, ut laver in eis, et munder? Cum ergo vertísset se, ci abíret indígnans, accessérunt ad eum servi sui, et locúti sunt ei: Pater, et si rem grandem dixísset tibi Prophéta, certe fácere debúeras: quanto magis quia nunc dixit tibi: Laváre, et mundáberis? Descéndit, et lavit in Jordáne sépties, juxta sermónem viri Dei, et restitúta est caro ejus, sicut caro pueri párvuli, et mundátus est. Reversúsque ad virum Dei cum univérso comitátu suo, venit, et stetit coram eo, et ait: Vere scio, quod non sit álius Deus in univérsa terra, nisi tantum in Israël.
Naqueles dias, Náaman, general das tropas do rei da Síria, tinha grande valimento junto do seu senhor e era muito considerado, pois foi por ele que o Senhor salvou a Síria. Era forte e rico; porém, estava atacado de lepra. Ora, aconteceu que uns ladrões saíram da Síria e levaram cativa uma menina do país de Israel, que foi para o serviço da mulher de Náaman. Esta menina disse à sua senhora: «Ah! se o meu senhor fosse ter com o Profeta, que está na Samaria, decerto o curaria da lepra». Então Náaman foi ter com seu rei, anunciando-lhe e dizendo: «A filha de Israel falou desta e desta maneira». Disse-lhe o rei da Síria: «Vai; eu mandarei cartas ao rei de Israel». Náaman partiu, levando consigo dez talentos de prata, seis mil de ouro e dez vestidos para mudar. Levava também a carta do rei da Síria para o rei de Israel, a qual continha estas palavras: «Quando receberes esta carta, saberás que te envio o meu servo Náaman para o curares da sua lepra». Logo que o rei de Israel recebeu esta carta, rasgou os vestidos e disse: «Acaso sou Deus, para que possa dar a vida ou a morte a alguém? Pois este envia-me um homem para o curar da sua lepra! Meditai e vede, se este rei não procura um pretexto contra mim!». Então Eliseu, homem de Deus, constando-lhe que o rei de Israel rasgara os vestidos, mandou-lhe dizer: «Porque rasgaste os vestidos? Que o leproso venha ter comigo e saberá que há um Profeta em Israel». Veio, pois, Náaman com cavalos e coches, e parou à porta de Eliseu. Este mandou-lhe um mensageiro, dizendo: «Vai e lava-te sete vezes no Jordão. Então a tua carne receberá a saúde e ficarás limpo». Náaman, indignado, retirou-se, dizendo: «Eu pensava que ele viesse a mim, e que, estando presente, invocasse o nome do Senhor, seu Deus, tocasse com sua mão no lugar da lepra e me curasse. Não são, porventura, melhores as águas de Abana e de Pharphar e as dos rios de Damasco do que todas as águas de Israel, para me lavar nelas e ficar curado?». E, voltando para sua casa, ia indignado. Aproximaram-se dele os seus servos e disseram-lhe: «Pai, ainda que o Profeta tivesse pedido alguma coisa grande, certamente deverias fazê-la, quanto mais que só te disse: lava-te e ficarás limpo». Ouvindo isto, desceu ele e lavou-se sete vezes no Jordão, segundo a palavra do homem de Deus. Logo a sua carne recobrou saúde, como se fora a carne dum menino tenro, ficando limpo! Voltou, então, à presença do homem de Deus com seu séquito e disse: «Verdadeiramente, conheço que não existe outro Deus em toda a terra senão aquele que existe em Israel!».

Gradual Sl. 55, 9 & 2

Deus, vitam meam annuntiávi tibi: posuísti lácrimas meas in conspéctu tuo. V. Miserére mei, Dómine, quóniam conculcávit me homo: tota die bellans tribulávit me.
Ó Deus, narrei-Vos toda minha vida: e vistes as minhas lágrimas. V. Tende compaixão de mim, meu Deus, pois o homem espezinhou-me: continuamente me persegue e enche de tribulações.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Lc. 4, 23-30

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Dixit Jesus pharisǽis: Utique dicétis mihi hanc similitúdinem: Médice, cura teípsum: quanta audívimus facta in Caphárnaum, fac et hic in pátria tua. Ait autem: Amen, dico vobis, quia nemo prophéta accéptus est in pátria sua. In veritáte dico vobis, multæ víduæ erant in diébus Elíæ in Israël, quando clausum est cœlum annis tribus et ménsibus sex, cum facta esset fames magna in omni terra: et ad nullam illarum missus est Elías, nisi in Sarépta Sidóniæ ad mulíerem viduam. Et multi leprósi erant in Israël sub Eliséo Prophéta: et nemo eórum mundátus est nisi Náaman Syrus. Et repléti sunt omnes in synagóga ira, hæc audiéntes. Et surrexérunt, et ejecérunt illum extra civitátem: et duxérunt illum usque ad supercílium montis, super quem cívitas illórum erat ædificáta, ut præcipitárent eum. Ipse autem tránsiens per médium illórum, ibat.
Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: «Sem dúvida me aplicareis este provérbio: «Médico, cura-te a ti mesmo». Quantas coisas ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum?! Pratica-as, pois, na tua pátria». E continuou: «Na verdade vos digo: nenhum Profeta é bem recebido na sua pátria. Na verdade havia muitas viúvas em Israel, nos dias de Elias, quando o céu esteve fechado durante três anos e seis meses, e havia grande fome em toda a terra; contudo, Elias não foi enviado a nenhuma delas, mas a uma mulher viúva de Sarepta, no país de Sidon. E muitos leprosos havia em Israel no tempo do Profeta Eliseu; todavia, nenhum deles foi curado senão o siro Náaman». Ouvindo estas coisas, todos os que estavam na sinagoga se encheram de ira. E levantaram-se, expulsando-O da cidade e conduzindo-O ao cimo da montanha em que a cidade estava edificada, para daí O precipitarem! Porém, Jesus, passando pelo meio deles, se retirou.

Ofertório Sl. 54, 2-3

Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde in me, et exáudi me.
Ouvi a minha oração, ó Deus, e não desprezeis a minha súplica: atendei-me, escutai-me.

Secreta

Munus, quod tibi, Dómine, nostræ servitútis offérimus, tu salutáre nobis pérfice sacraméntum. Per Dóminum nostrum &c.
Permiti, Senhor, que este dom, que Vos oferecemos em sinal da nossa sujeição, se torne para nós em um sacramento salutar. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 13, 7

Quis dabit ex Sion salutáre Israël? cum avértent Dóminus captivitátem plebis suæ, exsultábit Jacob, et lætábitur Israël.
Quem de Sião salvará Israel? Quando o Senhor extinguir o cativeiro do seu povo, Jacob exultará e Israel alegrar-se-á.

Postcomúnio

Præsta, quǽsumus, omnípotens et miséricors Deus: ut, quod ore contíngimus, pura mente capiámus. Per Dóminum &c.
Concedei-nos, ó Deus omnipotente e misericordioso, Vos suplicamos, que guardemos com o coração puro o Sacramento que recebemos na nossa boca. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Subvéniat nobis, Dómine, misericórdia tua: ut ab imminéntibus peccatórum nostrórum perículis, te mereámur protegénte éripi, te liberánte salvári. Per Dóminum nostrum &c.
Que a vossa misericórdia, Senhor, venha em nosso auxílio, a fim de que pela vossa protecção mereçamos ser livres dos iminentes perigos, em que incorremos pelos nossos pecados, e ser salvos com vosso socorro. Por nosso Senhor &c.

Terça-feira da 3.ª Semana da Quaresma Estação em Santa Prudenciana

Intróito Sl. 16, 6 & 8

Ego clamávi, quóniam exaudísti me, Deus: inclína aurem tuam, et exáudi verba mea: custódi me, Dómine, ut pupíllam óculi: sub umbra alárum tuárum prótege me. Ps. ib., 1 Exáudi, Dómine, justítiam meam: inténde deprecatiónem meam. V. Gloria Patri &c.
Clamei por Vós, ó Deus, porque sei que me ouvireis: inclinai, pois, para mim os vossos ouvidos e escutai a minha prece, Senhor. Guardai-me, Senhor, como a pupila dos olhos: protegei-me sob as vossas asas. Sl. ib., 1 Ouvi, Senhor, a minha súplica, que é justa: atendei à minha oração, que é muito humilde. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Exáudi nos, omnípotens et miséricors Deus: et continéntiæ salutáris propítius nobis dona concéde. Per Dóminum nostrum &c.
Ouvi-nos, ó Deus omnipotente e misericordioso, e concedei-nos propício o dom da salutar continência. Por nosso Senhor &c.

Epístola 4 Rs. 4, 1-7

Léctio libri Regum.
Lição do Livro dos Reis.
In diébus illis: Múlier quædam clamábat ad Eliséum Prophétam, dicens: Servus tuus vir meus mórtuus est, et tu nosti, quia servus tuus fuit timens Dóminum: et ecce, créditor venit, ut tollat duos fílios meos ad serviéndum sibi. Cui dixit Eliséus: Quid vis, ut fáciam tibi? Dic mihi, quid habes in domo tua? At illa respóndit: Non hábeo ancílla tua quidquam in domo mea, nisi parum ólei, quo ungar. Cui ait: Vade, pete mútuo ab ómnibus vicínis tuis vasa vácua non pauca. Et ingrédere, et claude óstium tuum, cum intrínsecus fúeris tu et fílii tui: et mitte inde in ómnia vasa hæc: et cum plena fúerint, tolles. Ivit itaque múlier, et clausit óstium super se et super fílios suos: illi offerébant vasa, et illa infundébat. Cumque plena fuíssent vasa, dixit ad fílium suum: Affer mihi adhuc vas. Et ille respóndit: Non hábeo. Stetítque óleum. Venit autem illa, et indicávit hómini Dei. Et ille: Vade, inquit, vende oleum, et redde creditóri tuo: tu autem et fílii tui vívite de réliquo.
Naqueles dias, certa mulher dirigiu-se ao Profeta Eliseu, dizendo: «O teu servo, meu marido, morreu; e tu sabes que ele foi temente ao Senhor. Eis que vem agora um credor buscar os meus dois filhos para os tornar seus escravos». Disse-lhe Eliseu: «Que queres que faça? Diz-me: Que tens em tua casa?». Ela respondeu: «Esta tua serva não tem em casa senão um pouco de azeite para se ungir». Eliseu disse-lhe: «Vai e pede emprestados a todas as tuas vizinhas bastantes vasos vazios. Depois, entra em casa, fecha a porta, e, quando tu e os teus filhos estiverem dentro, deita uma porção do azeite que tens em casa em cada um desses vasos. Quando estiverem cheios, coloca-os de lado». Saiu, então, a mulher e fechou a porta, ficando lá dentro com seus filhos. Estes apresentavam-lhe os vasos, e ela ia deitando azeite em cada um deles. Quando os vasos já estavam cheios, disse ela: «Trazei-me ainda outro vaso». Responderam: «Já não há». Logo o azeite deixou de correr. Então foi ela contar isto ao homem de Deus. Este disse-lhe: «Vai, vende o azeite, paga ao teu credor e viverás do restante com teus filhos».

Gradual Sl. 18,13-14

Ab occúltis meis munda me, Dómine: et ab aliénis parce servo tuo. V. Si mei non fúerint domináti, tunc immaculátus ero: et emundábor a delícto máximo.
Purificai-me dos meus delitos ocultos, Senhor: Perdoai ao vosso servo os delitos alheios. Se os meus delitos me não escravizarem, então serei perfeito: e ficarei purificado dos grandes delitos.

Evangelho Mt, 18, 15-22

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis: Si peccáverit in te frater tuus, vade, et córripe eum inter te et ipsum solum. Si te audíerit, lucrátus eris fratrem tuum. Si autem te non audíerit, ádhibe tecum adhuc unum vel duos, ut in ore duórum vel trium téstium stet omne verbum. Quod si non audíerit eos: dic ecclésiæ. Si autem ecclésiam non audíerit: sit tibi sicut éthnicus et publicánus. Amen, dico vobis, quæcúmque alligavéritis super terram, erunt ligáta et in cœlo: et quæcúmque solvéritis super terram, erunt solúta et in cœlo. Iterum dico vobis, quia si duo ex vobis consénserint super terram, de omni re quamcúmque petíerint, fiet illis a Patre meo, qui in cœlis est. Ubi enim sunt duo vel tres congregáti in nómine meo, ibi sum in médio eórum. Tunc accédens Petrus ad eum, dixit: Dómine, quóties peccábit in me frater meus, et dimíttam ei? usque sépties? Dicit illi Jesus: Non dico tibi usque sépties, sed usque septuágies sépties.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se o teu irmão pecar contra ti, vai e admoesta-o só, entre ti e ele. Se ele te ouvir, terás ganho o teu irmão. Se, porém, te não ouvir, leva contigo ainda uma ou duas pessoas, para que tudo se decida entre as palavras de duas ou três testemunhas. Porém, se as não ouvir, di-lo à Igreja. E se ele não ouvir a Igreja, trata-o como se fora um pagão ou um publicano. Em verdade vos digo: tudo o que ligardes na terra será também ligado no céu; e tudo o que desligardes na terra será também desligado no céu. Outrossim vos digo: se dois de vós se reunirem na terra para pedirem qualquer coisa, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus; porque, onde estiverem estes dois ou três reunidos para glória do meu nome, aí estarei no meio deles». Então, chegando-se Pedro, disse-lhe: «Senhor: se meu irmão pecar contra mim, quantas vezes lhe perdoarei? Até sete vezes?». Disse-lhe Jesus: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes!».

Ofertório Sl. 117, 16 & 17

Déxtera Dómini fecit virtútem, déxtera Dómini exaltávit me: non móriar, sed vivam, et narrábo ópera Dómini.
A dextra do Senhor triunfou; a dextra do Senhor exaltou-me. Não morrerei; mas viverei e contarei as obras do Senhor.

Secreta

Per hæc véniat, quǽsumus, Dómine, sacraménta nostræ redemptiónis efféctus: qui nos et ab humánis rétrahat semper excéssibus, et ad salutária dona perdúcat. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, Vos suplicamos, que por estes sacramentos alcancemos o efeito da redenção, a fim de que, livrando-nos dos excessos próprios da natureza humana, obtenhamos a graça da salvação. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 14, 1-2

Dómine, quis habitábit in tabernáculo tuo? aut quis requiéscet in monte sancto tuo? Qui ingréditur sine mácula, et operátur justítiam.
Senhor, quem habitará no vosso tabernáculo? Quem repousará na vossa montanha sagrada? Aquele que não tiver manchas e proceder com justiça.

Postcomúnio

Sacris, Dómine, mystériis expiáti: et véniam, quǽsumus, consequámur et grátiam. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, havendo nós sido purificados com estes sagrados mystérios, concedei-nos o perdão e a graça. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Tua nos, Dómine, protectióne defénde: et ab omni semper iniquitáte custódi. Per Dóminum &c.
Defendei-nos, Senhor, com vossa protecção e livrai-nos perpetuamente de todas as iniquidades. Por nosso Senhor &c.

Quarta-feira da 3.ª Semana da Quaresma Estação em S. Xisto

Intróito Sl. 30, 7-8

Ego autem in Dómino sperábo: exsultábo et lætábor in tua misericórdia: quia respexísti humilitátem meam. Ps. ib., 2 In te, Dómine, sperávi, non confúndar in ætérnum: in justítia tua líbera me et éripe me. V. Gloria Patri &c.
Eu, porém, espero no Senhor: e, confiado na vossa misericórdia, Senhor, exultarei e alegrar-me-ei, pois Vos dignastes olhar para a minha miséria. Sl. ib., 2 Em Vós, Senhor, pus toda minha confiança, não serei confundido para sempre: livrai-me, Senhor, pela vossa justiça, e salvai-me. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta nobis, quǽsumus, Dómine: ut salutáribus jejúniis erudíti, a nóxiis quoque vítiis abstinéntes, propitiatiónem tuam facílius impetrémus. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, Vos suplicamos, que estes salutares jejuns sirvam para nossa instrução, de modo que nos abstenhamos dos pecados, que são tão nocivos, e obtenhamos mais facilmente a vossa propiciação. Por nosso Senhor &c.

Epístola Ex. 20, 12-24

Léctio libri Exodi.
Lição do Livro do Êxodo.
Hæc dicit Dóminus Deus: Hónora patrem tuum et matrem tuam, ut sis longǽvus super terram, quam Dóminus, Deus tuus, dabit tibi. Non occídes. Non mœcháberis. Non furtum fácies. Non loquéris contra próximum tuum falsum testimónium. Non concupísces domum próximi tui: nec desiderábis uxórem ejus, non servum, non ancíllam, non bovem, non ásinum nec ómnia, quæ illíus sunt. Cunctus autem pópulus vidébat voces, et lámpades, et sónitum búccinæ, montémque tumántem: et, pertérriti ac pavóre concússi, stetérunt procul, dicéntes Móysi: Lóquere tu nobis, et audiámus: non loquátur nobis Dóminus, ne forte moriámur. Et ait Móyses ad pópulum: Nolite timére: ut enim probáret vos, venit Deus, et ut terror illíus esset in vobis, et non peccarétis. Stetítque pópulus de longe. Móyses autem accéssit ad calíginem, in qua erat Deus. Dixit prætérea Dóminus ad Móysen: Hæc dices fíliis Israël: Vos vidístis, quod de cœlo locútus sim vobis. Non faciétis deos argénteos, nec deos áureo s faciétis vobis. Altáre de terra faciétis mihi, et offerétis super eo holocáusta et pacífica vestra, oves vestras et boves in omni loco, in quo memória fúerit nóminis mei.
Estas coisas diz o Senhor Deus: «Honra teu pai e tua mãe, a fim de que a tua vida seja prolongada na terra, que o Senhor, teu Deus, te concederá. Não matarás. Não cometerás adultério. Não furtarás. Não levantarás falso testemunho contra o próximo. Não cobiçarás a casa do teu próximo, nem a sua mulher, nem o seu servo, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que lhe pertença». E todo o povo ouvia o som da sua voz e da buzina e via o clarão dos relâmpagos e da montanha a arder! Então, cheios de medo e de pavor, ficaram longe da montanha, dizendo a Moisés: «Fala-nos tu e escutar-te-emos; mas que nos não fale o Senhor, pois morreremos de pavor!». Moisés disse ao povo: «Não tenhais medo, porque Deus veio para vos experimentar e para que seu temor permaneça em vós, a fim de que não pequeis». E o povo ficou longe; porém, Moisés aproximou-se da nuvem em que estava Deus. Então, o Senhor disse ainda a Moisés: «Tu dirás isto aos filhos de Israel: «Vistes que vos falei do alto do céu? Não fabricareis mais ídolos de prata, nem de ouro. Levantar-me-eis um altar de terra, sobre o qual me oferecereis holocaustos e sacrifícios pacíficos (as vossas ovelhas e bois) em todos os lugares onde houver memória do meu nome».

Gradual Sl. 6, 3-4

Miserére mei, Dómine, quóniam infírmus sum: sana me, Dómine, V. Conturbáta sunt ómnia ossa mea: et ánima mea turbáta est valde.
Tende compaixão de mim, Senhor, pois estou enfermo; curai-me, Senhor. V. Meus Ossos estão cheios de fraqueza e a minha alma repleta de temor.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Mt. 15, 1-20

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Accessérurit ad Jesum ab Jerosólymis scribæ et pharisǽi, dicéntes: Quare discípuli tui transgrediúntur traditiónem seniórum? Non enim lavant manus suas, cum panem mandúcant. Ipse autem respóndens, ait illis: Quare et vos transgredímini mandátum Dei propter traditiónem vestram? Nam Deus dixit: Hónora patrem et matrem. Et: Qui male díxerit patri vel matri, morte moriátur. Vos autem dícitis: Quicúmque díxerit patri vel matri: munus quodcúmque est ex me, tibi próderit: et non honorificábit patrem suum aut matrem suam: et írritum fecístis mandátum Dei propter traditiónem vestram. Hypócritæ, bene prophetávit de vobis Isaías, dicens: Pópulus hic lábiis me honórat: cor autem eórum longe est a me. Sine causa autem colunt me, docéntes doctrínas et mandáta hóminum. Et convocátis ad se turbis, dixit eis: Audíte, et intellégite. Non quod intrat in os, coínquinat hóminem: sed quod procédit ex ore, hoc coínquinat hóminem. Tunc accedéntes discípuli ejus, dixérunt ei: Scis, quia pharisǽi, audíto verbo hoc, scandalizáti sunt? At ille respóndens, ait: Omnis plantátio, quam non plantávit Pater meus cœléstis, eradicábitur. Sínite illos: cæci sunt et duces cæcórum. Cæcus autem si cæco ducátum præstet, ambo in fóveam cadunt. Respóndens autem Petrus, dixit ei: Edíssere nobis parábolam istam. At ille dixit: Adhuc et vos sine intelléctu estis? Non intellégitis, quia omne, quod in os intrat, in ventrem vadit, et in secéssum emíttitur? Quæ autem procédunt de ore, de corde éxeunt, et ea coínquinant hóminem: de corde enim exeunt cogitatiónes malæ, homicídia, adultéria, fornicatiónes, furta, falsa testimónia, blasphémiæ. Hæc sunt, quæ coínquinant hóminem. Non lotis autem mánibus manducáre, non coínquinat hóminem.
Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus os escribas e os fariseus, vindos de Jerusalém, dizendo: «Porque transgridem os teus discípulos a tradição dos antigos? Pois não lavam as suas mãos quando comem pão». E Jesus retorquiu-lhes: «Porque transgredis vós, também, o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição? Porquanto, Deus disse: «Honra teu pai e tua mãe; e quem injuriar seu pai ou sua mãe morrerá de morte». E vós dizeis: «Quem disser ao pai ou à mãe: toda a oferta que eu faço a Deus aproveitará também a vós, não estará mais obrigado a honrar seu pai ou sua mãe». Deste modo tornastes inútil o mandamento da Lei de Deus, por causa desta vossa tradição. Hipócritas! Bem profetizou de vós Isaías, dizendo: «Este povo honra-me com os lábios; mas o seu coração está longe de mim. É em vão que me presta culto, ensinando doutrinas e mandamentos humanos». Depois disto, Jesus chamou mais para junto de si o povo e disse: «Ouvi e atendei: O que entra pela boca não mancha o homem; mas sim o que sai da boca». Então, chegando-se os seus discípulos, disseram-Lhe: «Sabei que os fariseus, ouvindo aquela palavra, ficaram escandalizados». Ele respondeu: «Toda a planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada. Deixai-os; são cegos a guiar outros cegos. Ora, se um cego guiar outro, ambos cairão no abysmo». E, respondendo, Pedro disse-lhe: «Explicai-nos essa palavra». Jesus disse: «Também estais ainda sem compreender? Não vedes que o que entra pela boca vai ter ao estômago e depois é lançado em um lugar oculto? Mas as coisas que saem da boca procedem do coração, que é onde se mancha o homem; pois no coração nascem os maus pensamentos: homicídios, adultérios, impudicícias, furtos falsos testemunhos e blasfémias. Estas coisas é que mancham o homem. Porém, comer, sem lavar as mãos, não mancha o homem».

Ofertório Sl. 108, 21

Dómine, fac mecum misericórdiam tuam, propter nomen tuum: quia suávis est misericórdia tua.
Senhor, para honra do vosso nome, tende misericórdia de mim, pois a vossa misericórdia é benigna.

Secreta

Suscipe, quǽsumus, Dómine, preces pópuli tui cum oblatiónibus hostiárum: et tua mystéria celebrántes, ab ómnibus nos defénde perículis. Per Dóminum &c.
Recebei, Senhor, Vos suplicamos, as preces do vosso povo, juntamente com estas hóstias que Vos oferecemos; e, pela virtude dos mystérios, que celebramos, defendei-nos de todos os perigos. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 15, 10

Notas mihi fecísti vias vitæ: adimplébis me lætítia cum vultu tuo, Dómine.
Fizestes-me conhecer os caminhos da vida, Senhor: encher-me-eis de alegria com vossa presença.

Postcomúnio

Sanctíficet nos, Dómine, qua pasti sumus, mensa cœléstis: et a cunctis erróribus expiátos, supérnis promissiónibus reddat accéptos. Per Dóminum &c.
Que o banquete celestial de que nos alimentámos, Senhor, nos santifique; e que, depois de nos haver purificado de toda a espécie de erro, nos torne dignos das promessas eternas. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui protectiónis tuæ grátiam quǽrimus, liberáti a malis ómnibus, secúra tibi mente serviámus. Per Dóminum &c.
Dignai-Vos permitir, ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, que aqueles que procuram a graça da vossa protecção sejam livres de todos os males e Vos sirvam com a alma tranquila. Por nosso Senhor &c.

Quinta-feira da 3.ª Semana da Quaresma Estação em S. Cosme e S. Damião

Intróito

Salus pópuli ego sum, dicit Dóminus: de quacúmque tribulatióne clamáverint ad me, exáudiam eos: et ero illórum Dóminus in perpétuum. Ps. 77, 1 Atténdite, pópule meus, legem meam: inclináte aurem vestram in verba oris mei. V. Gloria Patri &c.
Eu sou a salvação do povo, diz o Senhor; em todas as tribulações em que me invocarem atendê-los-ei: e serei sempre o seu Senhor. Sl. 77, 1 Escutai, ó meu povo, a minha lei: inclinai os vossos ouvidos às palavras que pronuncio. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Magníficet te, Dómine, sanctórum tuórum Cosmæ et Damiáni beáta sollémnitas: qua et illis glóriam sempitérnam, et opem nobis ineffábili providéntia contulísti. Per Dóminum &c.
Senhor, que nos sirva para Vos glorificar a venturosa festividade dos vossos santos Cosme e Damião, durante a qual concedestes àqueles a felicidade eterna e a nós o socorro da vossa inefável providência. Por nosso Senhor &c.

Epístola Jr. 7, l 7

Léctio Jeremíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Jeremias.
In diébus illis: Factum est verbum Dómini ad me, dicens: Sta in porta domus Dómini: et prǽdica ibi verbum istud, et dic: Audíte verbum Dómini, omnis Juda, qui ingredímini per portas has, ut adorétis Dóminum. Hæc dicit Dóminus exercítuum, Deus Israël: Bonas fácite vias vestras et stúdia vestra: et habitábo vobíscum in loco isto. Nolíte confídere in verbis mendácii, dicéntes: Templum Dómini, templum Dómini, templum Dómini est. Quóniam si bene direxéritis vias vestras et stúdia vestra: si fecéritis judícium inter virum et próximum ejus, ádvenæ et pupíllo et víduæ non fecéritis calúmniam, nec sánguinem innocéntem effudéritis in loco hoc, et post deos aliénos non ambulavéritis in malum vobismetípsis: habitábo vobíscum in loco isto, in terra, quam dedi patribus vestris a sǽculo et usque in sǽculum: ait Dóminus omnípotens.
Naqueles dias, a palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos: «Fica à porta da casa do Senhor, prega aí estas palavras e diz: Ouvi a palavra do Senhor, vós todos, homens de Judá, que entrais por estas portas para adorar o Senhor!» Eis o que diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: «Tornai bons os vossos caminhos e os vossos intentos; e, então, habitarei convosco neste lugar. Não vos fieis nas palavras dos que dizem falsamente: o templo é do Senhor, o templo é do Senhor, o templo é do Senhor. Porém, se tornardes bons os caminhos e os vossos intentos; se fizerdes justiça entre um varão e o seu próximo; se não oprimirdes o estrangeiro, nem o órfão, nem a viúva; se não derramardes sangue inocente neste lugar, nem procurardes os deuses falsos para vossa desgraça: então habitarei convosco em todos os séculos dos séculos, neste lugar e nesta terra, que dei a vossos pais»: diz o Senhor omnipotente.

Gradual Sl. 144, 15-16

Oculi ómnium in te sperant, Dómine: et tu das illis escam in témpore opportúno. V. Aperis tu manum tuam: et imples omne ánimal benedictióne.
Todos os olhos estão voltados para Vós, Senhor; pois dais a cada um o sustento em tempo oportuno. V. Abris a vossa mão e encheis de bênçãos todos os viventes.

Evangelho Lc. 4, 38-44

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Surgens Jesus de synagóga, introívit in domum Simónis. Socrus autem Simónis tenebátur magnis fébribus: et rogavérunt illum pro ea. Et stans super illam, imperávit febri: et dimísit illam. Et contínuo surgens, ministrábat illis. Cum autem sol occidísset, omnes, qui habébant infírmos váriis languóribus, ducébant illos ad eum. At ille síngulis manus impónens, curábat eos. Exíbant autem dæmónia a multis, clamántia et dicéntia: Quia tu es Fílius Dei; et íncrepans non sinébat ea loqui, quia sciébant ipsum esse Christum. Facta autem die egréssus ibat in desértum locum, et turbæ requirébant eum, et venérunt usque ad ipsum: et detinébant illum, ne discéderet ab eis. Quibus ille ait: Quia et áliis civitátibus opórtet me evangelizáre regnum Dei: quia ídeo missus sum. Et erat prǽdicans in synagógis Galilǽæ.
Naquele tempo, levantando-se Jesus da sinagoga, entrou em casa de Simão. Ora, como a sogra de Simão padecia de uma grande febre, rogaram-Lhe por ela. Então, indo Jesus ao pé dela, impôs o seu poder à febre, que logo deixou a doente, levantando-se e servindo-os. Era já sol posto. E logo todos os que tinham enfermos, atacados de diversas doenças, traziam-Lhos. E Ele impunha as mãos sobre cada um dos doentes e curava-os. De muitos saíam também demónios, dizendo em voz alta: «Vós sois o Filho de Deus!». Jesus repreendia-os e os não deixava dizer o que sabiam a seu respeito, isto é, que Ele era o Cristo. No dia seguinte, rompendo a manhã, saiu Jesus e foi para um lugar deserto; porém, as turbas procuraram-n’O, encontraram-n’O e detiveram-n’O, com medo de que se afastasse. Então Ele disse-lhes: «É preciso que eu também anuncie o reino de Deus às outras cidades, porque para isso fui mandado». E pregava nas sinagogas da Galileia.

Ofertório Sl. 137, 7

Si ambulávero in médio tribulatiónis, vivificábis me, Dómine: et super iram inimicórum meorum exténdes manum tuam, et salvum me fáciet déxtera tua.
Se eu estiver no meio da tribulação, Vós me salvareis a vida, Senhor: estendereis a vossa mão contra a ira dos meus inimigos: e a vossa dextra me salvará.

Secreta

In tuorum, Dómine, pretiósa morte justórum sacrifícium illud offérimus, de quo martýrium sumpsit omne princípium. Per Dóminum &c.
Para honrar a morte preciosa dos vossos justos, Senhor, Vos oferecemos este sacrifício, que foi o verdadeiro princípio do seu martírio. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 118, 4-5

Tu mandásti, mandáta tua custodíri nimis: útinam dirigántur viæ meæ, ad custodiéndas justificatiónes tuas.
Ordenastes que os vossos mandamentos fossem observados com exactidão; oxalá que meus passos se não afastem do cumprimento das vossas leis.

Postcomúnio

Sit nobis, Dómine, sacraménti tui certa salvátio: quæ cum beatórum Mártyrum tuórum Cosmæ et Damiáni méritis implorátur. Per Dóminum &c.
Dignai-Vos permitir, Senhor, que este Sacramento sirva para nos assegurar a salvação, que imploramos pelos merecimentos dos vossos santos Mártires Cosme e Damião. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Subjéctum tibi pópulum, quǽsumus, Dómine, propitiátio cœléstis amplíficet: et tuis semper fáciat servíre mandátis. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos rogamos, permiti que a vossa celestial bondade se digne aumentar o povo que Vos é submisso; e o torne sempre cumpridor dos vossos mandamentos. Por nosso Senhor &c.

Sexta-feira da 3.ª Semana da Quaresma Estação em S. Lourenço, em Lucina

Intróito Sl. 85, 17

Fac mecum, Dómine, signum in bonum: ut vídeant, qui me oderunt, et confundántur: quóniam tu, Dómine, adjuvísti me et consolátus es me. Ps. ibid., 1 Inclína, Dómine, aurem tuam, et exáudi me: quóniam inops et pauper sum ego. V. Gloria Patri &c.
Praticai, Senhor, um dos vossos prodígios em meu favor, para que meus inimigos contemplem o vosso poder e sejam confundidos; Pois Vós, Senhor, sois o meu auxílio e conforto. Sl. ibid., 1 Inclinai, Senhor, os vossos ouvidos para mim e escutai-me; porque sou pobre e infeliz. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Jejúnia nostra, quǽsumus, Dómine, benígno favóre proséquere: ut, sicut ab aliméntis abstinémus in córpore; ita a vítiis jejunémus in mente. Per Dóminum &c.
Acompanhai os nossos jejuns com vossa benigna graça, Senhor, a fim de que, assim como o nosso corpo se abstém das carnes, assim a nossa alma se abstenha dos nossos vícios. Por nosso Senhor &c.

Epístola Nm. 20, 1, 3 et 6-13

Léctio libri Numeri.
Lição do Livro dos Números.
In diébus illis: Convenérunt fílii Israël adversum Móysen et Aaron: et versi in seditiónem, dixérunt: Date nobis aquam, ut bibámus. Ingressúsque Móyses et Aaron, dimíssa multitúdine, tabernáculum fǿderis, corruérunt proni in terram, clamaverúntque ad Dóminum, atque dixérunt: Dómine Deus, audi clamórem hujus pópuli, et áperi eis thesáurum tuum, fontem aquæ vivæ, ut, satiáti, cesset murmurátio eórum. Et appáruit glória Dómini super eos. Locutúsque est Dóminus ad Móysen, dicens: Tolle virgam, et cóngrega pópulum, tu et Aaron frater tuus, et loquímini ad petram coram eis, et illa dabit aquas. Cumque edúxeris aquam de petra, bibet omnis multitúdo et juménta ejus. Tulit ígitur Móyses virgam, quæ erat in conspéctu Dómini, sicut præcéperat ei, congregáta multitúdine ante petram, dixítque eis: Audíte, rebélles et incréduli: Num de petra hac vobis aquam potérimus ejícere? Cumque elevásset Móyses manum, percútiens virga bis sílicem, egréssæ sunt aquæ largíssimæ, ita ut pópulus bíberet, et juménta. Dixítque Dóminus ad Móysen et Aaron: Quia non credidístis mihi, ut sanctificarétis me coram fíliis Israël, non introducétis hos pópulos in terram, quam dabo eis. Hæc est aqua contradictiónis, ubi jurgáti sunt fílii Israël contra Dóminum, et sanctificátus est in eis.
Naqueles dias, os filhos de Israel reuniram-se contra Moisés e Aarão, e, havendo formado uma sedição, disseram: «Dai-nos água para bebermos». Então Moisés e Aarão, deixando a multidão, entraram no tabernáculo da Aliança, e, prostrados com o rosto em terra, clamaram ao Senhor e disseram: «Senhor, Deus, ouvi o clamor deste povo e abri-lhe o vosso tesouro, concedendo-lhe uma fonte de água viva, para que, sendo saciado, cesse a murmuração». Então a glória do Senhor apareceu sobre eles. E falou o Senhor a Moisés, dizendo: «Toma a vara, reúne o povo, tu e teu irmão Aarão, impõe o teu poder à rocha diante deles e dela brotará água. Quando isto acontecer, beberá toda a multidão e os seus animais». Pegou, pois, Moisés na vara, que estava diante do Senhor, como lhe havia sido ordenado, reuniu a multidão diante da rocha e disse-lhes: «Ouvi, rebeldes e incrédulos: poderemos nós fazer sair água deste rochedo, para vos dar a beber?». E Moisés levantou a mão e bateu duas vezes com a vara no rochedo, saindo dele água abundante; de tal sorte que bebeu todo o povo, assim como os seus animais. E disse o Senhor a Moisés e a Aarão: «Porque me não acreditastes, para manifestardes a minha santidade diante dos filhos de Israel, não tereis a dita de fazer entrar este povo na terra que lhes darei. Esta é a água da contradição: quando os filhos de Israel murmuraram contra o Senhor, e quando o Senhor manifestou a sua santidade diante deles».

Gradual Sl. 27, 7 & 1

In Deo sperávit cor meum, et adjútus sum: et reflóruit caro mea, et ex voluntáte mea confitébor illi. V. Ad te, Dómine, clamávi: Deus meus, ne síleas, ne discédas a me.
O meu coração esperou em Deus e foi socorrido. Então a minha carne rejuvenesceu. Por isso hei-de celebrar com alegria os louvores do Senhor. V. A Vós, Senhor, clamei: meu Deus, não fecheis os ouvidos, nem Vos afasteis de mim.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Jo. 4, 5-42

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Venit Jesus in civitátem Samaríæ, quæ dícitur Sichar: juxta prǽdium, quod dedit Jacob Joseph, fílio suo. Erat autem ibi fons Jacob. Jesus ergo fatigátus ex itínere, sedébat sic supra fontem. Hora erat quasi sexta. Venit múlier de Samaría hauríre aquam. Dicit ei Jesus: Da mihi bíbere. (Discípuli enim ejus abíerant in civitátem, ut cibos émerent.) Dicit ergo ei múlier illa Samaritána: Quómodo tu, Judǽus cum sis, bíbere a me poscis, quæ sum múlier Samaritána? non enim coutúntur Judǽi Samaritánis. Respóndit Jesus et dixit ei: Si scires donum Dei, et quis est, qui dicit tibi: Da mihi bibere: tu fórsitan petísses ab eo, et dedísset tibi aquam vivam. Dicit ei múlier: Dómine, neque in quo háurias habes, et púteus alius est: unde ergo habes aquam vivam? Numquid tu major es patre nostro Jacob, qui dedit nobis púteum, et ipse ex eo bibit et fílii ejus et pécora ejus? Respóndit Jesus et dixit ei: Omnis, qui bibit ex aqua hac, sítiet íterum: qui autem bíberit ex aqua, quam ego dabo ei, non sítiet in ætérnum: sed aqua, quam ego dabo ei, fiet in eo fons aquæ saliéntis in vitam ætérnam. Dicit ad eum mulier: Dómine, da mihi hanc aquam, ut non sítiam neque véniam huc hauríre. Dicit ei Jesus: Vade, voca virum tuum, et veni huc. Respóndit múlier, et dixit: Non hábeo virum. Dicit ei Jesus: Bene dixísti, quia non hábeo virum: quinque enim viros habuísti, et nunc, quem habes, non est tuus vir: hoc vere dixísti. Dicit ei múlier: Dómine, vídeo, quia Prophéta es tu. Patres nostri in monte hoc adoravérunt, et vos dícitis, quia Jerosólymis est locus, ubi adoráre opórtet. Dicit ei Jesus: Múlier, crede mihi, quia venit hora, quando neque in monte hoc, neque in Jerosólymis adorábitis Patrem. Vos adorátis, quod nescítis: nos adorámus, quod scimus, quia salus ex Judǽis est. Sed venit hora, et nunc est, quando veri adoratóres adorábunt Patrem in spíritu et veritáte. Nam et Pater tales quærit, qui adórent eum. Spíritus est Deus: et eos, qui adórant eum, in spíritu et veritáte opórtet adoráre. Dicit ei mulier: Scio, quia Messías venit (qui dícitur Christus). Cum ergo vénerit ille, nobis annuntiábit ómnia. Dicit ei Jesus: Ego sum, qui loquor tecum. Et contínuo venérunt discípuli ejus: et mirabántur, quia cum mulíere loquebátur. Nemo tamen dixit: Quid quæris, aut quid loquéris cum ea? Reliquit ergo hýdriam suam múlier, et ábiit in civitátem, et dicit illis homínibus: Veníte, et vidéte hóminem, qui dixit mihi ómnia, quæcúmque feci: numquid ipse est Christus? Exiérunt ergo de civitáte, et veniébant ad eum. Intérea rogábant eum discípuli, dicéntes: Rabbi, mandúca. Ille autem dicit eis: Ego cibum habeo manducáre, quem vos nescítis. Dicébant ergo discípuli ad ínvicem: Numquid áliquis áttulit ci manducáre? Dicit eis Jesus: Meus cibus est, ut fáciam voluntátem ejus, qui misit me, ut perfíciam opus ejus. Nonne vos dícitis, quod adhuc quátuor menses sunt, et messis venit? Ecce, dico vobis: Leváte óculos vestros, et vidéte regiónes, quia albæ sunt jam ad messem. Et qui metit, mercédem áccipit, et cóngregat fructum in vitam ætérnam: ut, et qui séminat, simul gáudeat, et qui metit. In hoc enim est verbum verum: quia álius est qui séminat, et álius est qui metit. Ego misi vos métere quod vos non laborástis: alii laboravérunt, et vos in labóres eórum introístis. Ex civitáte autem illa multi credidérunt in eum Samaritanórum, propter verbum mulíeris testimónium perhibéntis: Quia dixit mihi ómnia, quæcúmque feci. Cum veníssent ergo ad illum Samaritáni, rogavérunt eum, ut ibi manéret. Et mansit ibi duos dies. Et multo plures credidérunt in eum propter sermónem ejus. Et mulíeri dicébant: Quia jam non propter tuam loquélam crédimus: ipsi enim audívimus, et scimus, quia hic est vere Salvátor mundi.
Naquele tempo, veio Jesus a uma cidade de Samaria, chamada Sichar, próximo do campo que Jacob havia dado a seu filho José. Era ah a fonte de Jacob. Jesus, estando fatigado da viagem, sentou-se à beira do poço. Era cerca da hora sexta do dia. Veio, então, uma mulher de Samaria buscar água. Jesus disse-lhe: «Dá-me de beber», pois os seus discípulos tinham ido à cidade comprar víveres. A mulher samaritana disse-Lhe: «Como é que Vós, que sois judeu, me pedis de beber, sendo eu samaritana?» (Porquanto os judeus não se correspondiam com os samaritanos). Respondeu-lhe Jesus: «Se tu conhecesses o dom de Deus e quem é Aquele que te diz: dá-me de beber, certamente tu lhe pedirias de beber, e ele te daria a água viva!». Disse-Lhe a mulher: «Senhor, não tendes com que tirar a água e o poço é fundo; onde, pois, tendes a água viva? Sois porventura maior que o nosso pai Jacob, que nos deu este poço e bebeu dele, assim como seus filhos e gados?». Jesus respondeu: «Todo aquele que beber desta água tornará a ter sede; porém, aquele que beber da água, que eu lhe der, nunca mais terá sede; pois a água, que eu der, tornar-se-á em uma fonte de água impetuosa para a vida eterna». Disse-Lhe a mulher: «Senhor, dai-me dessa água, para que nunca mais tenha sede, nem volte aqui a buscá-la». Disse-lhe Jesus: «Vai, chama teu marido e volta». Respondeu-Lhe a mulher: «Não tenho marido». Disse-lhe Jesus: «Bem disseste que não tens marido; porque cinco maridos tiveste, e o que agora tens não é teu. Falando assim disseste a verdade». Respondeu-Lhe a mulher: «Senhor, vejo que sois Profeta. Nossos pais adoraram neste monte e Vós dizeis que Jerusalém é o lugar em que se deve adorar?». Disse-lhe Jesus: «Mulher, acredita-me: vai chegar a hora em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus. Mas chega a hora, que é esta, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai, em espírito e em verdade, pois é a tais adoradores que o Pai procura. Deus é espírito; aqueles, pois, que O adoram devem adorá-l’O em espírito e em verdade». Disse-Lhe a mulher: «Sei que o Messias virá (o qual se chama Cristo). Quando Ele vier, nos anunciará todas as coisas». Disse-lhe Jesus: «Eu, que contigo falo, sou o Messias!». Nisto vieram os seus discípulos, admirando-se de que estivesse a falar com uma mulher. Nenhum, contudo, lhe disse: «Que quereis Vós? Ou que falais com ela?». Deixou, então, a mulher o seu cântaro, foi à cidade e disse aos homens: «Vinde ver um homem que me disse todas as coisas que tenho feito. Não será ele o Cristo?». Saíram os homens da cidade e vieram ter com Ele. Entretanto, os seus discípulos suplicavam-Lhe, dizendo: «Mestre, comei». Mas Ele disse-lhes: «Tenho uma comida para tomar que não conheceis». Os discípulos diziam uns aos outros: «Acaso alguém Lhe trouxe comida?». Jesus disse: «Minha comida é fazer a vontade d’Aquele que me enviou, para que se cumpra a sua vontade. Não dizeis que ainda faltam quatro meses até que venha a ceifa? Pois eu vos digo: levantai os olhos e vede que os campos já estão brancos para a ceifa! Aquele que ceifa recebe uma recompensa e guarda fruto para a vida eterna, para que aquele que semeia se regozije também com aquele que ceifa. Aqui se confirma o ditado: um semeia e o outro ceifa. Eu vos enviei a ceifar o que não cultivastes; outros trabalharam e vós entrastes nos seus trabalhos». Ora, muitos samaritanos daquela cidade acreditaram em Jesus por causa da mulher que lhes dera este testemunho: «Ele disse-me tudo quanto tenho feito». Os samaritanos vieram, pois, ter com Ele e pediram-Lhe que ficasse com eles; tendo permanecido ali dois dias. E houve um grande número que acreditou, por haver escutado a sua palavra. E diziam à mulher: «Agora, já não acreditamos por causa do que nos dissestes, porquanto nós próprios ouvimos; e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo».

Ofertório Sl. 5, 3-4

Inténde voci oratiónis meæ, Rex meus, et Deus meus: quóniam ad te orábo, Dómine.
Sede atento à voz da minha oração, ó meu Rei e meu Deus; pois a Vós, Senhor, orarei.

Secreta

Réspice, quǽsumus, Dómine, propítius ad múnera, quæ sacrámus: ut tibi grata sint, et nobis salutária semper exsístant. Per Dóminum nostrum &c.
Olhai propício, Senhor, Vos suplicamos, para estes dons que Vos consagramos, a fim de que Vos sejam agradáveis, e a nós sejam sempre salutares. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Jo. 4, 13 & 14

Qui bíberit aquam, quam ego dabo ei, dicit Dóminus, fiet in eo fons aquæ saliéntis in vitam ætérnam.
Aquele que beber da água que Eu lhe der, diz o Senhor, terá em si uma fonte de água impetuosa para a vida eterna.

Postcomúnio

Hujus nos, Dómine, percéptio sacraménti mundet a crimine: et ad cœléstia regna perdúcat. Per Dóminum &c.
Que a recepção deste Sacramento, Senhor, nos limpe dos nossos crimes e nos guie até ao reino celestial. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui in tua protectióne confídimus, cuncta nobis adversántia, te adjuvánte, vincámus. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos imploramos, dignai-Vos corroborar a confiança que em Vós depositamos, a fim de que com vosso socorro possamos vencer todas as adversidades. Por nosso Senhor &c.

Sábado da 3.ª Semana da Quaresma Estação em Santa Susana

Intróito Sl. 5, 2-3

Verba mea áuribus pércipe, Dómine, intéllege clamórem meum: inténde voci oratiónis meæ, Rex meus et Deus meus. Ps. ibid., 4 Quóniam ad te orábo, Dómine: mane exáudies vocem meam. V. Gloria Patri &c.
Ouvi as minhas palavras, Senhor: atendei ao meu clamor e escutai a voz da minha oração, ó meu Rei e meu Deus! Sl. ibid., 4 Porquanto a Vós Orarei, Senhor; desde manhã ouvireis a minha voz. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui se, affligéndo carnem, ab aliméntis ábstinent; sectándo justítiam, a culpa jejúnent. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, àqueles que, para mortificação da sua carne, se abstêm dos alimentos concedei a graça, Vos suplicamos, de se absterem também das culpas, praticando sempre a virtude. Por nosso Senhor &c.

Epístola Dn. 13, 1-9, 15-17, 19-30 & 33-62

Léctio Daniélis Prophétæ.
Lição do Profeta Daniel.
In In diébus illis: Erat vir hábitans in Babylóne, et nomen ejus Jóakim: et accépit uxorem nómine Susánnam, fíliam Helcíæ, pulchram nimis, et timéntem Deum: paréntes enim illíus, cum essent justi, erudiérunt fíliam suam secúndum legem Móysi. Erat autem Jóakim dives valde, et erat ei pomárium vicínum dómui suæ: et ad ipsum confluébant Judǽi, eo quod esset honorabílior ómnium. Et constítuti sunt de pópulo duo senes júdices in illo anno: de quibus locútus est Dóminus: Quia egréssa est iníquitas de Babylóne a senióribus judícibus, qui videbántur régere pópulum. Isti frequentábant domum Jóakim, et veniébant ad eos omnes, qui habébant judícia. Cum autem pópulus revertísset per merídiem, ingrediebátur Susánna, et deambulábat in pomário viri sui. Et vidébant eam senes cotídie ingrediéntem et deambulántem: et exarsérunt in concupiscéntiam ejus: etevertérunt sensum suum, et declinavérunt óculos suos, ut non vidérent cœlum, neque recordaréntur judiciórum justórum. Factum est autem, cum observárent diem aptum, ingréssa est aliquándo sicut heri et núdius tértius, cum duábus solis puéllis, voluítque lavári in pomário: æstus quippe erat, et non erat ibi quisquam, præter duos senes abscónditos et contemplántes eam. Dixit ergo puéllis: Afférte mihi óleum et smígmata, et óstia pomárii cláudite, ut laver. Cum autem egréssæ essent puéllæ, surrexérunt duo senes, et accurrérunt ad eam, et dixérunt: Ecce, óstia pomárii clausa sunt, et nemo nos videt, et nos in concupiscéntia tui sumus: quam ob rem assentíre nobis, et commiscére nobiscum. Quod si nolúeris, dicémus contra te testimónium, quod fúerit tecum júvenis, et ob hanc causam emíseris puéllas a te. Ingémuit Susánna, et ait: Angústiæ sunt mihi úndique: si enim hoc égero, mors mihi est: si autem non egero, non effúgiam manus vestras. Sed mélius est mihi absque ópere incídere in manus vestras, quam peccáre in conspéctu Dómini. Et exclamávit voce magna Susánna: exclamavérunt autem et senes adversus eam. Et cucúrrit unus ad óstia pomárii, et aperuit. Cum ergo audíssent clamórem fámuli domus in pomário, irruérunt per postícum, ut vidérent, quidnam esset. Postquam autem senes locúti sunt, erubuérunt servi veheménter: quia numquam dictus fúerat sermo hujuscémodi de Susánna. Et facta est dies crástina. Cumque venísset pópulus ad Jóakim virum ejus, venérunt et duo senióres, pleni iníqua cogitatióne advérsus Susánnam, ut interfícerent eam. Et dixérunt coram pópulo: Míttite ad Susánnam fíliam Helcíæ, uxórem Jóakim. Et statim misérunt. Et venit cum paréntibus et fíliis et univérsis cognátis suis. Fiébant ígitur sui, et omnes qui nóverant eam. Consurgéntes autem duo senióres in médio pópuli, posuérunt manus suas super caput ejus. Quæ flens suspéxit ad cœlum: erat enim cor ejus fidúciam habens in Dómino. Et dixérunt senióres: Cum deambularémus in pomário soli, ingréssa est hæc cum duábus puéllis: et clausit óstia pomárii, et dimísit a se puéllas. Venítque ad eam adoléscens, qui erat abscónditus, et concúbuit cum ea. Porro nos, cum essémus in ángulo pomárii, vidéntes iniquitátem, cucúrrimus ad eos, et vídimus eos pariter commiscéri. Et illum quidem non quívimus comprehéndere, quia fórtior nobis erat, et apértis óstiis exsilívit: hanc autem cum apprehendissémus, interrogávimus, quisnam esset adoléscens, et nóluit indicáre nobis: hujus rei testes sumus. Crédidit eis multitúdo quasi sénibus et judícibus pópuli, et condemnavérunt eam ad mortem. Exclamávit autem voce magna Susánna, et dixit: Deus ætérne, qui absconditórum es cógnitor, qui nosti ómnia, ántequam fiant, tu scis, quóniam falsum testimónium tulérunt contra me: et ecce, mórior, cum nihil horum fécerim, quæ isti malitióse composuérunt advérsum me. Exaudívit autem Dóminus vocem ejus. Cumque ducerétur ad mortem, suscitávit Dóminus spíritum sanctum pueri junióris, cujus nomen Dániel. Et exclamávit voce magna: Mundus ego sum a sánguine hujus. Et convérsus omnis pópulus ad eum, dixit: Quis est iste sermo, quem tu locútus es? Qui cum staret in médio eórum, ait: Sic fátui, fílii Israël, non judicántes, neque quod verum est cognoscéntes, condemnástis fíliam Israël? Revertímini ad judícium, quia falsum testimónium locúti sunt advérsus eam. Revérsus est ergo pópulus cum festinatióne. Et dixit ad eos Dániel: Separáte illos ab ínvicem procul, et dijudicábo eos. Cum ergo divísi essent alter ab áltero, vocávit unum de eis, et dixit ad eum: Inveteráte diérum malórum, nunc venérunt peccáta tua, quæ operabáris prius: júdicans judícia injústa, innocéntes ópprimens, et dimíttens nóxios, dicénte Dómino: Innocéntem et justum non interfícies. Nunc ergo, si vidisti eam, dic, sub qua arbóre vidéris eos colloquéntes sibi. Qui ait: Sub schino. Dixit autem Dániel: Recte mentítus es in caput tuum. Ecce enim, Angelus Dei, accépta senténtia ab eo, scindet te médium. Et, amóto eo, jussit veníre álium, et dixit ei: Semen Chánaan, et non Juda, spécies decépit te, et concupiscéntia subvértit cor tuum: sic faciebátis filiábus Israël, et illæ timéntes loquebántur vobis: sed fília Juda non sustínuit iniquitátem vestram. Nunc ergo dic mihi, sub qua arbóre comprehénderis eos loquéntes sibi. Qui ait: Sub prino. Dixit autem ei Dániel: Recte mentítus es et tu in caput tuum: manet enim Angelus Dómini, gládium habens, ut secet te médium, et interfíciat vos. Exclamávit itaque omnis cœtus voce magna, et benedixérunt Deum, qui salvat sperántes in se. Et consurrexérunt advérsus duos senióres (convícerat enim eos Dániel ex ore suo falsum dixísse testimónium), fecerúntque eis, sicut male égerant advérsus próximum: et interfecérunt eos, et salvátus est sanguis innóxius in die illa.
Naqueles dias, habitava em Babilónia um varão cujo nome era Joaquim, que desposara uma mulher, chamada Susana, filha de Helcias, a qual era formosíssima e temente a Deus, pois seus pais, que eram justos, haviam-na instruído na lei de Moisés. Joaquim era muito rico e possuía um jardim próximo de sua casa. Os judeus procuravam-no sempre, porque ele era o mais honrado de todos. Naquele ano foram constituídos juízes do povo dois velhos, dos quais disse o Senhor: «Que a iniquidade saiu da Babilónia pelos velhos, que eram juízes e pareciam conduzir o povo». Estes frequentavam a casa de Joaquim, onde vinham também todos quantos tinham questões a dirimir. Quando, porém, cerca do meio-dia, se retirava o povo, entrava Susana e passeava no jardim de seu marido. Viam-na os velhos, todos os dias, entrar e passear. Então conceberam uma ardente paixão por ela; e, pervertendo os sentidos, afastaram seus olhos do céu, para não meditarem nele e não se recordarem dos justos juízos de Deus. Aconteceu, pois, que, esperando eles um dia propício, Susana entrou no jardim, segundo o costume, acompanhada só por duas criadas, com intenção de se banhar no jardim, pois estava calor e não havia lá ninguém, além dos dois velhos escondidos, que a espreitavam. Disse, pois, ela às criadas: «Trazei-me óleo e perfumes e fechai as portas do jardim, para que eu me banhe». Logo que as criadas saíram, levantaram-se os dois velhos, correram para Susana e disseram-lhe: «Eis que as portas do jardim estão fechadas; ninguém nos vê. Nós ardemos de paixão por ti; consente, pois, no nosso desejo, entregando-te a nós. Se recusas, daremos contra ti testemunho de que esteve contigo um mancebo e que, por isso, despediste as criadas». Suspirou Susana e disse: «De todos os lados me oprimem angústias! Se eu fizer isso, será a morte para mim; e, se o não fizer, não me livro das vossas mãos. Mas é melhor para mim cair nas vossas mãos, sem praticar o pecado, do que pecar diante de Deus». Então Susana gritou com voz forte, fazendo o mesmo os velhos contra ela. Um deles correu à porta do jardim e abriu-a. Ouvindo os criados da casa este ruído, precipitaram-se pelo postigo para verem o que lá haveria. Depois que os velhos falaram, envergonharam-se muito os servos, porque ninguém dissera igual coisa de Susana. No dia seguinte, vindo o povo a casa de Joaquim, seu marido, vieram também os dois velhos, com o iníquo pensamento de conseguir a morte de Susana. Disseram, então, diante do povo: «Mandai buscar Susana, filha de Helcias e mulher de Joaquim». Imediatamente foram buscá-la. Veio ela com seus pais, filhos e todos que a conheciam, chorando todos. Levantando-se, pois, os dois velhos no meio do povo, puseram as mãos sobre a cabeça de Susana. Ela, chorando, ergueu os olhos ao céu, pois o seu coração estava cheio de confiança no Senhor! Disseram os velhos: «Passeando nós no jardim, a sós, esta mulher entrou com duas criadas, fechou as portas do jardim e despediu as criadas. Então veio ter com ela um mancebo, que estava escondido, e praticou acções más com ela. Porém, nós, que estávamos a um canto do jardim, vendo esta iniquidade, corremos para eles e vimo-los praticar o mal. Ao mancebo, porém, não pudemos agarrar, porque era mais forte do que nós, e, tendo aberto a porta, fugiu. Logo prendemos esta e lhe perguntámos quem era o mancebo; mas não quis dizer-nos. Disto somos testemunhas». Deu-lhes crédito a multidão, porque eram velhos e juízes do povo, e condenaram Susana à morte. Então exclamou ela em voz alta: «Deus eterno, que conheceis o que é oculto, bem como todas as coisas antes que elas aconteçam, sabeis que se apresenta um falso testemunho contra mim e que vou morrer, sem nunca ter feito nenhuma das coisas que malignamente me imputam!». O Senhor ouviu a sua oração. E, sendo ela conduzida para a morte, despertou o Senhor o Espírito Santo num jovem, chamado Daniel, o qual gritou em alta voz: «Eu sou inocente do sangue desta mulher». Então, voltando-se todos para ele, disseram-lhe: «Que disseste?». Daniel, ficando de pé, no meio deles, disse: «Sois vós tão insensatos, ó filhos de Israel, que condeneis à morte uma filha de Israel sem procurar conhecer a verdade? Repeti o julgamento, porque se apresentou um falso testemunho contra ela». Voltou-se imediatamente o povo; e Daniel continuou: «Separai os juízes um do outro e eu os julgarei». Sendo separados um do outro, chamou Daniel um deles e disse-lhe: «Homem envelhecido no mal, os pecados que outrora cometeste caem hoje sobre ti! Tu, que proferias juízos iníquos, oprimindo inocentes e absolvendo culpados (quando o Senhor diz: «Não matarás o inocente e o justo»), diz-me: debaixo de que árvore viste Susana e o mancebo, falando juntos?». Ele respondeu: «Debaixo de uma aroeira». E Daniel disse: «Claramente mentiste contra a tua cabeça! Eis que o Anjo de Deus, que de Deus recebeu tua sentença, vai rachar-te de meio a meio». Foi este homem retirado, sendo mandado vir o outro, a quem disse: «Raça de Canaan (e não de Judá), a formosura cativou-te e a paixão perverteu-te o coração. Assim fazias às filhas de Israel, que, temendo-te, falavam contigo; mas a filha de Judá não quis suportar a tua iniquidade! Agora, pois, dize-me: debaixo de que árvore os surpreendeste, quando falavam os dois?». Respondeu ele: «Debaixo de uma azinheira». Daniel retorquiu: «Claramente mentiste contra a tua cabeça; pois o Anjo do Senhor está preparado, com a espada já erguida para te passar pelo meio e vos matar a ambos!». Então toda a multidão clamou em voz alta e louvou Deus, porque Ele salva aqueles que n’Ele confiam. E voltaram-se contra os dois velhos (pois Daniel os convencera pelas suas próprias palavras) e fizeram-lhes o mal que eles queriam fazer ao seu próximo, isto é, mataram-nos. E naquele dia foi salvo o sangue inocente.

Gradual Sl. 22, 4

Si ámbulem in médio umbræ mortis, non timébo mala: quóniam tu mecum es, Dómine. V. Virga tua et báculus tuus, ipsa me consoláta sunt.
Ainda que eu ande no meio das sombras da morte, não recearei mal algum, pois Vós, Senhor, estais comigo. V. Vossa vara e o vosso báculo confortam-me.

Evangelho Jo. 8, 1-11

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Perréxit Jesus in montem Olivéti: et dilúculo íterum venit in templum, et omnis pópulus venit ad eum, et sedens docébat eos. Addúcunt autem scribæ et pharisǽi mulíerem in adultério deprehénsam: et statuérunt eam in médio, et dixérunt ei: Magister, hæc mulier modo deprehénsa est in adultério. In lege autem Moyses mandávit nobis hujúsmodi lapidáre. Tu ergo quid dicis? Hoc autem dicébant tentántes eum, ut possent accusáre eum. Jesus autem inclínans se deórsum, dígito scribébat in terra. Cum ergo perseverárent interrogántes eum, eréxit se, et dixit eis: Qui sine peccáto est vestrum, primus in illam lápidem mittat. Et íterum se inclínans, scribébat in terra. Audiéntes autem unus post unum exíbant, incipiéntes a senióribus: et remánsit solus Jesus, et múlier in médio stans. Erigens autem se Jesus, dixit ei: Múlier, ubi sunt, qui te accusábant? nemo te condemnávit? Quæ dixit: Nemo, Dómine. Dixit autem Jesus: Nec ego te condemnábo: Vade, et jam ámplius noli peccáre.
Naquele tempo, Jesus retirou-se para o monte das Oliveiras, voltando novamente ao templo ao romper da manhã. Logo o povo se aproximou d’Ele, sentando-se. E Jesus ensinava a multidão. Os escribas e fariseus trouxeram-Lhe, então, uma mulher, apanhada em adultério, e perguntaram-Lhe: «Mestre, esta mulher acaba de ser surpreendida em adultério. Moisés manda na lei que os adúlteros sejam apedrejados; tu, porém, que dizes?». Isto diziam, tentando-O, para ver se podiam acusá-l’O. Mas Jesus, tendo-se inclinado para o chão, escrevia com o dedo na terra. Como continuassem a interrogá-l’O, endireitou-se Jesus, dizendo-lhes: «Aquele de vós que estiver sem pecado seja o primeiro a atirar-lhe a pedra». E, inclinando-se outra vez, continuou a escrever na terra. Eles, porém, ouvindo estas palavras, retiraram-se uns após outros (a começar pelos mais velhos), tendo ficado só Jesus e a mulher, que estava de pé. Erguendo-se, então, Jesus disse-lhe: «Mulher, onde estão os que te acusavam? Ninguém te condenou?». Ela disse: «Ninguém, Senhor». Jesus continuou: «Nem eu também te condenarei. Vai e não tornes a pecar».

Ofertório Sl. 118, 133

Gressus meos dírige secúndum elóquium tuum: ut non dominétur mei omnis injustítia, Dómine.
Dirigi os meus passos segundo os vossos preceitos, Senhor; permiti que não domine em mim iniquidade alguma.

Secreta

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut hujus sacrifícii munus oblátum, fragilitátem nostram ab omni malo purget semper et múniat. Per Dóminum &c.
Vos suplicamos, ó Deus omnipotente, concedei-nos que a oblação deste sacrifício, que Vos oferecemos, nos livre de todos os males da nossa fraqueza e nos fortaleça. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Jo. 8, 10 & 11

Nemo te condemnávit, mulier? Nemo, Dómine. Nec ego te condemnábo: jam ámplius noli peccáre.
Mulher, ninguém te condenou? Ninguém, Senhor. Nem Eu, também, te condenarei. Vai e não tornes a pecar.

Postcomúnio

Quǽsumus, omnípotens Deus: ut inter ejus membra numerémur, cujus córpori communicámus et sánguini: Qui tecum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos rogamos, permiti que sejamos contados no número dos membros d’Aquele que nos admitiu à comunhão do seu Corpo e do seu Sangue. Ele &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Præténde, Dómine, fidélibus tuis déxteram cœléstis auxílii: ut te toto corde perquírant; et, quæ digne póstulant, cónsequi mereántur. Per Dóminum &c.
Senhor, estendei sobre os vossos fiéis a vossa dextra, assistindo-lhes com o auxílio celestial, para que Vos procurem com todo o coração e consigam alcançar o que dignamente suplicam. Por nosso Senhor &c.

Quarto Domingo da Quaresma

Intróito Is. 66, 10 & 11

Lætáre, Jerúsalem: et convéntum fácite, omnes qui dilígitis eam: gaudéte cum lætítia, qui in tristítia fuístis: ut exsultétis, et satiémini ab ubéribus consolatiónis vestræ. Ps. 121, 1 Lætátus sum in his, quæ dicta sunt mihi: in domum Dómini íbimus. V. Gloria Patri &c.
Rejubilai, ó Jerusalém; ó vós todos, que a amais, uni-vos com júbilo; exultai de alegria, ó vós, que tendes estado tristes: e ficareis alegres e saciados com o leite das suas consolações. Sl. 121, 1 Alegrei-me com estas palavras que me disseram: Iremos à Casa do Senhor. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui ex merito nostræ actiónis afflígimur, tuæ grátiæ consolatióne respirémus. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, visto que estamos justamente aflitos com o peso dos nossos pecados, concedei-nos que sejamos aliviados com a consolação da vossa graça. Por nosso Senhor &c.

Epístola Gl. 4, 22-31

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Gálatas.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Gálatas.
Fratres: Scriptum est: Quóniam Abraham duos fílios habuit: unum de ancílla, et unum de líbera. Sed qui de ancílla, secúndum carnem natus est: qui autem de líbera, per repromissiónem: quæ sunt per allegóriam dicta. Hæc enim sunt duo testaménta. Unum quidem in monte Sina, in servitútem génerans: quæ est Agar: Sina enim mons est in Arábia, qui conjúnctus est ei, quæ nunc est Jerúsalem, et servit cum fíliis suis. Illa autem, quæ sursum est Jerúsalem, líbera est, quæ est mater nostra. Scriptum est enim: Lætáre, stérilis, quæ non paris: erúmpe, et clama, quæ non párturis: quia multi fílii desértæ, magis quam ejus, quæ habet virum. Nos autem, fratres, secúndum Isaac promissiónis fílii sumus. Sed quómodo tunc is, qui secúndum carnem natus fúerat, persequebátur eum, qui secúndum spíritum: ita et nunc. Sed quid dicit Scriptura? Ejice ancillam et fílium ejus: non enim heres erit fílius ancíllæ cum fílio líberæ. Itaque, fratres, non sumus ancíllæ fílii, sed líberæ: qua libertáte Christus nos liberávit.
Meus irmãos: Está escrito que Abraão teve dois filhos: um da escrava e outro da mulher livre. O da escrava nasceu segundo a carne, enquanto que o da mulher livre nasceu segundo a promessa. Digo-vos estas coisas em sentido alegórico: estas mulheres são as duas alianças. A primeira (a do Sinai) gera para a escravidão: assim Agar. Com efeito, o Sinai é um monte situado na Arábia, o qual corresponde à actual Jerusalém, que está sob a escravidão, assim como seus filhos. Porém a outra (a Jerusalém do alto) é livre. Esta é a nossa mãe; pis está escrito: «Alegra-te, ó estéril, que não geras! Regozija-te; canta sonoramente, ó tu, que não geras; pois os filhos da abandonada serão mais numerosos do que os da mulher casada». Nós, meus irmãos, somos os filhos da promessa, figurados em Isaque; e, como então, aquele que nascia segundo a carne perseguia aquele que nascia segundo o espírito, assim acontece agora. Que diz a Escritura? «Expulsa a escrava e o seu filho, porque o filho da escrava não será herdeiro como o filho da mulher livre». Assim, meus irmãos, nós não somos filhos da escrava, mas da mulher livre, em cuja liberdade Cristo nos libertou.

Gradual Sl. 121, 1 & 7

Lætátus sum in his, quæ dicta sunt mihi: in domum Dómini íbimus. V. Fiat pax in virtúte tua: et abundántia in túrribus tuis.
Alegrei-me com estas palavras que me disseram: Iremos à Casa do Senhor. V. Que a paz reine dentro dos teus muros: e a abundância nos teus palácios.

Trato Sl. 124, 1-2

Qui confídunt in Dómino, sicut mons Sion: non commovébitur in ætérnum, qui hábitat in Jerúsalem. V. Montes in circúitu ejus: et Dóminus in circúitu pópuli sui, ex hoc nunc et usque in sǽculum.
Aqueles que confiam no Senhor estão firmes, como o monte Sião. Aquele que habita em Jerusalém nunca será abalado. V. O Senhor cerca com montanhas o seu povo, e fica em torno dele agora e em todos os séculos.

Evangelho Jo. 6, 1-15

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Abiit Jesus trans mare Galilǽæ, quod est Tiberíadis: et sequebátur eum multitúdo magna, quia vidébant signa, quæ faciébat super his, qui infírmabántur. Súbiit ergo in montem Jesus: et ibi sedébat cum discípulis suis. Erat autem próximum Pascha, dies festus Judæórum. Cum sublevásset ergo óculos Jesus et vidísset, quia multitúdo máxima venit ad eum, dixit ad Philíppum: Unde emémus panes, ut mandúcent hi? Hoc autem dicebat tentans eum: ipse enim sciébat, quid esset factúrus. Respóndit ei Philíppus: Ducentórum denariórum panes non suffíciunt eis, ut unusquísque módicum quid accípiat. Dicit ei unus ex discípulis ejus, Andréas, frater Simónis Petri: Est puer unus hic, qui habet quinque panes hordeáceos et duos pisces: sed hæc quid sunt inter tantos? Dixit ergo Jesus: Fácite hómines discúmbere. Erat autem fænum multum in loco. Discubuérunt ergo viri, número quasi quinque mília. Accépit ergo Jesus panes, et cum grátias egísset, distríbuit discumbéntibus: simíliter et ex píscibus, quantum volébant. Ut autem impléti sunt, dixit discípulis suis: Collígite quæ superavérunt fragménta, ne péreant. Collegérunt ergo, et implevérunt duódecim cóphinos fragmentórum ex quinque pánibus hordeáceis, quæ superfuérunt his, qui manducáverant. Illi ergo hómines cum vidíssent, quod Jesus fécerat signum, dicébant: Quia hic est vere Prophéta, qui ventúrus est in mundum. Jesus ergo cum cognovísset, quia ventúri essent, ut ráperent eum et fácerent eum regem, fugit íterum in montem ipse solus.
Naquele tempo, foi Jesus para a outra margem do mar da Galileia ou de Tiberíades, acompanhando-O grande multidão; pois viam os milagres que operava, curando os doentes. Jesus subiu a um monte, e aí se assentou com seus discípulos. Ora a Páscoa, que era a principal festa dos judeus, estava. Próxima. E, levantando Jesus os olhos, viu que grande multidão de povo estava com Ele. Então, disse a Filipe: «Onde compraremos pão para tanta gente?». Ele dizia isto para experimentar Filipe, pois bem sabia o que havia de fazer. Filipe respondeu-Lhe: «Duzentos dinheiros de pão não bastarão para que cada um receba um bocado!». Mas um dos discípulos, André, irmão de Simão-Pedro, disse-Lhe: «Está aí um homem que tem cinco pães de aveia e dois peixes; porém, que é isto para tanta gente?!...» Jesus disse: «Mandai-os assentar todos». Assentaram-se eles, sendo cerca de cinco mil! Então Jesus tomou os pães, e, tendo dado graças, distribuiu-os; do mesmo modo distribuiu os peixes. E comeu cada um quanto quis! Quando já estavam fartos, disse Jesus a seus discípulos: «Recolhei os sobejos, para que se não percam». Recolheram-nos eles, enchendo doze cestos com os bocados, que haviam sobejado, dos cinco pães de aveia! Então, estes homens, vendo o milagre que Jesus acabava de fazer, diziam: «Verdadeiramente este é o Profeta que deve vir ao mundo!». Porém Jesus, sabendo que eles queriam aclamá-l’O Rei, fugiu só para o monte.

Ofertório Sl. 134, 3 & 6

Laudáte Dóminum, quia benígnus est: psállite nómini ejus, quóniam suávis est: ómnia, quæcúmque vóluit, fecit in cœlo et in terra.
Louvai o Senhor, porque Ele é bom: Cantai hinos em louvor do seu nome, porque Ele é suave. O Senhor criou no céu e na terra tudo quanto quis.

Secreta

Sacrifíciis præséntibus, Dómine, quǽsumus, inténde placátus: ut et devotióni nostræ profíciant et salúti. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, olhai aplacado para este sacrifício; e que ele alente a nossa piedade e nos alcance a salvação. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 121,3-4

Jerúsalem, quæ ædificátur ut cívitas, cujus participátio ejus in idípsum: illuc enim ascendérunt tribus, tribus Dómini, ad confiténdum nómini tuo. Dómine.
Jerusalém é uma cidade tão bem edificada, que está agrupada em um conjunto. Foi lá que subiram as tribos (as tribos do Senhor) para louvar o vosso nome, ó Senhor.

Postcomúnio

Da nobis, quǽsumus, miséricors Deus: ut sancta tua, quibus incessánter explémur, sincéris tractémus obséquiis, et fidéli semper mente sumámus. Per Dóminum &c.
Ó Deus de misericórdia, concedei-nos a graça de nos aproximarmos com respeito sincero dos vossos sagrados mystérios, de que fomos saciados, e de os recebermos sempre com espírito de fé. Por nosso Senhor &c.

Segunda-feira da 4.ª Semana da Quaresma Estação nos Santos Coroados

Intróito Sl. 53, 3-4

Deus, in nómine tuo salvum me fac, et in virtúte tua líbera me: Deus, exáudi oratiónem meam: áuribus pércipe verba oris mei. Ps. ibid., 5 Quóniam aliéni insurrexérunt in me: et fortes Quæsiérunt ánimam meam. V. Gloria Patri &c.
Ó Deus, pelo vosso nome, salvai-me: e livrai-me com vosso poder. Ó Deus, ouvi a minha oração; abri os vossos ouvidos às orações dos meus lábios. Sl. ibid., 5 Porquanto os estrangeiros levantam-se contra mim: e homens violentos querem tirar-me a vida. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, observatiónes sacras ánnua devotióne recoléntes, et córpore tibi placeámus et mente. Per Dóminum &c.
Concedei-nos, ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, a graça de observarmos anualmente com devoção estas santas práticas quaresmais e de Vos agradarmos corporal e espiritualmente. Por nosso Senhor &c.

Epístola 3 Rs. 3, 16-28

Léctio libri Regum.
Lição do Livro dos Reis.
In diébus illis: Venérunt duæ mulíeres meretríces ad regem Salomónem, steterúntque coram eo, quarum una ait: Obsecro, mi dómine: ego et múlier hæc habitabámus in domo una, et péperi apud eam in cubículo. Tértia autem die postquam ego péperi, péperit et hæc: et erámus simul, nullúsque álius nobíscum in domo, excéptis nobis duábus. Mórtuus est autem fílius mulíeris hujus nocte: dórmiens quippe oppréssit eum. Et consúrgens intempéstæ noctis siléntio, tulit fílium meum de látere meo ancíllæ tuæ dormiéntis, et collocávit in sinu suo: suum autem fílium, qui erat mórtuus, pósuit in sinu meo. Cumque surrexíssem mane, ut darem lac fílio meo, appáruit mórtuus: quem diligéntius íntuens clara luce, deprehéndi non esse meum, quem genúeram. Respondítque áltera múlier Non est ita, ut dicis, sed fílius tuus mórtuus est, meus autem vivit. E contrário illa dicébat: Mentiris: fílius quippe meus vivit, et fílius tuus mórtuus est. Atque in hunc modum contendébant coram rege. Tunc rex ait: Haec dicit Fílius meus vivit, et fílius tuus mórtuus est. Et ista respóndit: Non, sed fílius tuus mórtuus est, meus autem vivit. Dixit ergo rex: Affért mihi gládium. Cumque attulíssent gládium coram rege: Divídite, inquit, infántem vivum in duas partes, et dat dimídiam partem uni, et dimídiam partem alteri. Dixit autem múlier, cujus fílius erat vivus, ad regem (commóta sunt quippe víscera ejus super fílio suo): Obsecro, dómine, date illi infántem virum, et nolíte interfícere dum. E contrário illa dicebat: Nec mihi nec tibi sit, sed diridátur. Respóndit rex et ait: Date huic infántem vivum, et non occidátur: hæc est enim mater ejus. Audívit itaque omnis Israel judícium, quod judicásset rex, et timuérunt regem, vidéntes sapiéntiam Dei esse in eo ad faciéndum judícium.
Naqueles dias, vieram duas mulheres pecadoras e apresentaram-se diante do rei Salomão. Uma delas disse-lhe: «Meu senhor, atendei-me: Eu e esta mulher morávamos na mesma casa. Eu dei à luz uma criança, estando com ela no mesmo aposento. Passados três dias, esta mulher deu também à luz uma outra criança. Nós habitávamos juntas; nenhum estranho havia em casa. Ora o filho desta mulher morreu de noite; pois ela, quando dormia, sufocou-o. Então ela, no meio da noite, levantando-se sem ruído, tirou o meu filho do meu lado, enquanto esta vossa serva dormia, e colocou-o ao lado dela, pondo ao meu lado o seu filho, que estava morto. Quando, de manhã, me levantei para dar leite ao meu filho, encontrei-o morto. Porém, olhando-o com atenção e sendo mais de dia já, reconheci que não era aquele o que eu gerara». Depois disto, disse a outra mulher: «Não é assim como dizes. O teu filho é que morreu; este, que está vivo, é o meu». E a outra replicava: «Mentis, pois o meu filho vive: o teu é que morreu». E assim disputavam ante o rei. Então disse este: «Uma diz: o meu filho vive e o teu morreu. E a outra responde: não; o teu filho é que morreu; o meu Vive». E o rei acrescentou: «Trazei-me uma espada». Logo que lhe levaram a espada, disse o rei: «Cortai a criança viva em duas partes e entregai metade a cada uma das mulheres!». Então aquela cujo filho estava vivo, disse ao rei (pois ela sentiu o seu íntimo mover-se de dor pelo filho): «Senhor, peço-te que dês a esta o menino Vivo, para que o não matem». Pelo contrário, a outra dizia: «Não seja a criança para mim, nem para ti; mas seja dividida». Então, o rei disse: «Entregai à primeira o menino vivo, e não seja morto; porque esta é a sua mãe». E todo o povo de Israel admirou a sentença que o rei proferiu, e o temeram, vendo que a sabedoria do Senhor o inspirava para fazer justiça.

Gradual Sl. 30, 3

Esto mihi in Deum protectórem et in locum refúgii, ut salvum me fácias. V. Ps. 70, 1 Deus, in te sperávi: Dómine, non confúndar in ætérnum.
Sede, ó Deus, o meu protector: sede o refúgio onde eu encontre a salvação. V. Sl. 70, 1 Ó Deus, esperei em Vós! Que eu não seja, pois, para sempre confundido, Senhor!

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Jo. 2, 13-25

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Prope erat Pascha Judæórum, et ascéndit Jesus Jerosólymam: et invénit in templo vendéntes boves et oves et colúmbas, et nummulários sedéntes. Et cum fecísset quasi flagéllum de funículis, omnes ejécit de templo, oves quoque et boves, et nummulariórum effúdit æs et mensas subvértit. Et his, qui colúmbas vendébant, dixit: Auférte ista hinc, et nolíte fácere domum Patris mei domum negotiationis. Recordáti sunt vero discipuli ejus, quia scriptum est: Zelus domus tuæ comédit me. Respondérunt ergo Judǽi, et dixérunt ei: Quod signum osténdis nobis, quia hæc facis? Respóndit Jesus et dixit eis: Sólvite templum hoc, et in tribus diébus excitábo illud. Dixérunt ergo Judǽi: Quadragínta et sex annis ædificátum est templum hoc, et tu in tribus diébus excitábis illud? Ille autem dicébat de templo córporis sui. Cum ergo resurrexísset a mórtuis, recordáti sunt discípuli ejus, quia hoc dicébat, et credidérunt Scriptúrae, et sermóni, quem dixit Jesus. Cum autem esset Jerosólymis in Pascha in die festo, multi credidérunt in nómine ejus, vidéntes signa ejus, quæ faciébat. Ipse autem Jesus non credébat semetípsum eis, eo quod ipse nosset omnes, et quia opus ei non erat, ut quis testimónium perhibéret de hómine: ipse enim sciébat, quid esset in hómine.
Naquele Naquele tempo, estando próxima a Páscoa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém e entrou no templo, onde encontrou negociantes de bois, de ovelhas e de pombas, e ainda os cambistas de dinheiro, que estavam abancados. Logo, fez um chicote com cordas, expulsando do templo, tanto os negociantes e cambistas de dinheiro como as ovelhas e bois, atirando ao chão com o dinheiro e as mesas que lá estavam, e dizendo aos que vendiam as pombas: «Tirai isto daqui e não torneis a casa de meu Pai em casa de negócio». Então, lembraram-se os seus discípulos de que está escrito: «O zelo da vossa casa me devora». E os judeus disseram-Lhe: «Que sinal nos mostras para procederes assim?». Jesus disse-lhes: «Destruí este templo, que em três dias o reedificarei». Os judeus replicaram: «Em quarenta e seis anos foi este templo edificado, e tu em três dias queres levantá-lo?». Porém, Ele falava do templo do seu corpo. E, quando ressuscitou dos mortos, recordaram os discípulos o que Ele havia dito e acreditaram na Escritura e nas palavras que lhes dissera. Estando Jesus em Jerusalém, no dia da festa da Páscoa, muitos, vendo os milagres que fazia, acreditaram no seu nome, porém, Jesus não se fiava neles, porque os conhecia a todos e não necessitava de que ninguém Lhe desse testemunho de qualquer homem; pois sabia bem o que havia no íntimo de cada um.

Ofertório Sl. 99, 1-2

Jubiláte Deo, omnis terra, servíte Dómino in lætítia: intráte in conspéctu ejus in exsultatióne: quia Dóminus ipse est Deus.
Aclamai Deus, ó habitantes de toda a terra; obedecei ao Senhor com alegria, vinde diante d’Ele com júbilo: pois o Senhor é Deus.

Secreta

Oblátum tibi, Dómine, sacrifícium vivíficet nos semper et múniat. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, que o sacrifício, que Vos oferecemos, sempre nos vivifique e nos fortaleça. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 18, 13 & 14

Ab occúltis meis munda me, Dómine: et ab aliénis parce servo tuo.
Senhor, purificai-me dos meus delitos ocultos e livrai-me dos delitos alheios.

Postcomúnio

Sumptis, Dómine, salutáribus sacraméntis: ad redemptiónis ætérnæ, quǽsumus, proficiámus augméntum. Per Dóminum &c.
Tendo nós sido saciados com os sacramentos da salvação, Senhor, Vos imploramos, permiti que possamos alcançar aumento da redenção eterna. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Deprecatiónem nostram, quǽsumus. Dómine, benígnus exáudi: et, quibus supplicándi præstas afféctum, tríbue defensiónis auxílium. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, ouvi benigno a nossa prece e socorrei com vossa protecção aqueles a quem inspirais o desejo da oração. Por nosso Senhor &c.

Terça-feira da 4.ª Semana da Quaresma Estação em S. Lourenço em Damaso

Intróito Sl. 54, 2-3

Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde in me et exáudi me. Ps. ib., 3-4 Contristátus sum in exercitatióne mea: et conturbátus sum avoce inimíci et a tribulatióne peccatóris. V. Gloria Patri &c.
Ouvi, ó Deus, a minha oração e não desprezeis a minha súplica! Atendei-me e escutai-me. Estou amargurado, por causa do sofrimento que me aflige! Sl. ib., 3-4 Estou perturbado, porque ouço a voz do meu inimigo e sinto a perseguição do homem pecador! V. Glória ao Pai &c.

Oração

Sacræ nobis, quæsumus, Dómine, observatiónis jejúnia: et piæ conversationis augméntum, et tuæ propitiatiónis contínuum præstent auxílium. Per Dóminum &c.
Que esta nossa santa observância dos jejuns, Senhor, Vos rogamos, nos alcance o progresso na vida piedosa e e contínuo auxílio da vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Epístola Ex. 32, 7-14

Léctio libri Exodi.
Lição do Livro do Êxodo.
In diébus illis: Locútus est Dóminus ad Móysen, dicens: Descénde de monte: peccávit pópulus tuus, quem eduxísti de terra Ægýpti. Recessérunt cito de via, quam ostendísti eis: fecerúntque sibi vítulum conflátilem, et adoravérunt, atque immolántes ei hóstias, dixérunt: Isti sunt dii tui, Israël, qui te e duxérunt de terra Ægýpti. Rursúmque ait Dóminus ad Móysen: Cerno, quod pópulus iste duræ cervícis sit: dimítte me, ut irascátur furor meus contra eos, et déleam eos, faciámque te in gentem magnam. Móyses autem orábat Dóminum, Deum suum, dicens: Cur, Dómine, iráscitur furor tuus contra pópulum tuum, quem eduxísti de terra Ægýpti in fortitúdine magna et in manu robústa? Ne quæro dicant Ægýptii: Cállide edúxit eos, ut interfíceret in móntibus et deléret e terra: quiéscat ira tua, et esto placábilis super nequítia pópuli tui. Recordáre Abraham, Isaac et Israël, servórum tuórum, quibus jurásti per temetípsum, dicens: Multiplicábo semen vestrum sicut stellas cœli: et univérsam terram hanc, de qua locútus sum, dabo sémini vestro, et possidébitis eam semper. Placatúsque est Dóminus, ne fáceret malum, quod locútus fúerat advérsus pópulum suum.
Naqueles dias, falou o Senhor a Moisés, dizendo: «Desce do monte; pois o teu povo, que tiraste da terra do Egipto, pecou. Depressa eles se afastaram do caminho que lhes mostraste; pois fabricaram em metal a imagem dum bezerro e a adoraram, oferecendo-lhe sacrifícios e dizendo: «São estes os deuses, ó Israel, que te livraram da terra do Egipto». Ainda o Senhor disse a Moisés: «Conheço que este povo tem a cabeça dura. Deixa-me, pois, para que minha ira se inflame contra ele e o extermine; depois far-te-ei senhor dum grande povo». Porém, Moisés orava ao Senhor, seu Deus, dizendo: «Porque, Senhor, porque se inflama a vossa ira contra o vosso povo, que tirastes do Egipto com vossa mão forte e poderosa? Que assim não seja, Senhor, para que os egípcios não digam: «Fê-los sair com malícia para os matar nos montes e exterminá-los da terra». Aquiete-se, pois, a vossa ira. Aplacai-Vos contra a maldade do vosso povo. Lembrai-Vos de Abraão, de Isaque e de Israel, vossos servos, aos quais, sob juramento, dissestes: «Multiplicarei a vossa descendência, como as estrelas do céu, e darei à vossa geração toda a terra de que vos tenho falado, para que a possuam para sempre». Então o Senhor aplacou-se, não castigando aquele povo, como o ameaçara.

Gradual Sl. 43, 26 & 2

Exsúrge, Dómine, fer opem nobis: et líbera nos propter nomen tuum. V. Deus, áuribus nostris audívimus: et patres nostri annuntiavérunt nobis opus, quod operátus es in diébus eórum et in diébus antíquis.
Levantai-Vos, Senhor, acudi-nos e livrai-nos por causa do vosso nome. V. Ó Deus, ouvimos com os nossos ouvidos; os nossos pais anunciaram-nos quantas maravilhas praticastes nos seus dias e nos tempos antigos.

Evangelho Jo. 7, 14-31

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Jam die festo mediánte, ascendit Jesus in templum, et docébat. Et mirabántur Judǽi, dicéntes: Quómodo hic lítteras scit, cum non didícerit? Respóndit eis Jesus et dixit: Mea doctrína non est mea, sed ejus, qui misit me. Si quis volúerit voluntátem ejus fácere, cognóscet de doctrína, utrum ex Deo sit, an ego a meípso loquar. Qui a semetípso lóquitur, glóriam própriam quærit. Qui autem quærit glóriam ejus, qui misit eum, hic verax est, et injustítia in illo non est. Nonne Móyses dedit vobis legem: et nemo ex vobis facit legem? quid me quǽritis interfícere ? Respóndit turba, et dixit: Dæmónium habes: quis te quærit interfícere ? Respóndit Jesus et dixit eis: Unum opus feci, et omnes mirámini. Proptérea Móyses dedit vobis circumcisiónem (non quia ex Móyse est, sed ex pátribus): et in sábbato circumcíditis hóminem. Si circumcisiónem accipit homo in sábbato, ut non solvátur lex Móysi: mihi indignámini, quia totum hóminem sanum feci in sábbato? Nolíte judicáre secúndum fáciem, sed justum judícium judicáte. Dicébant ergo quidam ex Jerosólymis: Nonne hic est, quem quærunt interfícere ? Et ecce, palam lóquitur, et nihil ei dicunt. Numquid vere cognovérunt príncipes, quia hic est Christus? Sed hunc scimus, unde sit: Christus autem, cum vénerit, nemo scit, unde sit. Clamábat ergo Jesus in templo docens, et dicens: Et me scitis et, unde sim, scitis, et a meípso non veni, sed est verus, qui misit me, quem vos nescítis. Ego scio eum, quia ab ipso sum, et ipse me misit. Quærébant ergo eum apprehéndere: et nemo misit in illum manus, quia nondum vénerat hora ejus. De turba autem multi credidérunt in eum.
Naquele tempo, estando já em meio os dias da festa, Jesus subiu ao templo e aí ensinava. E os judeus admiravam-se, dizendo: «Como conhece Ele as Escrituras, se as não estudou?». Respondeu-lhes Jesus: «Esta doutrina não é minha, mas d’Aquele que me mandou. Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, conhecerá se a minha doutrina é de Deus, ou se falo de mim mesmo. Quem fala de si mesmo procura a sua própria glória; mas quem procura a glória de quem o mandou é verdadeiro; nele não há impostura. Porventura Moisés vos não deu a Lei? Contudo, nenhum de vós a cumpre! Porque procurais matar-me?». A multidão respondeu e disse: «Tu estás possesso do demónio! Quem é que quer matar-te?». Respondeu Jesus, dizendo: «Uma só obra pratiquei e todos vos maravilhais! Pois Moisés ordenou a circuncisão (não que ela venha de Moisés, mas dos Patriarcas) e vós ao sábado circuncidais o homem. Se, pois, o homem recebe a circuncisão ao sábado para não violar a Lei de Moisés, porque vos indignais comigo por Eu haver curado completamente um homem ao sábado? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a justiça». Diziam, então, alguns de Jerusalém: «Não é Este a quem intentam matar? Eis que fala publicamente e lhe não dizem nada! Porventura os príncipes do povo terão reconhecido que Este é verdadeiramente o Cristo? Este bem sabemos donde é; porém, quando vier o Cristo, ninguém saberá donde Ele é». Clamava, então, Jesus no templo, ensinando e dizendo: «Conheceis-me e sabeis donde sou; contudo, não vim de mim mesmo; mas Aquele que me enviou é verdadeiro, ainda que vós O não conheçais. Eu conheço-O, porque sou d’Ele, e foi Ele quem me mandou». Procuravam, então, prendê-l’O; mas ninguém pôs mão sobre Ele, Porque ainda não chegara a sua hora. E muitos da multidão, ouvindo-O, acreditaram.

Ofertório Sl. 39, 2, 3 & 4

Exspéctans exspectávi Dóminum, et respéxit me: et exaudívit deprecatiónem meam: et immísit in os meum cánticum novum, hymnum Deo nostro.
Com toda a confiança esperei no Senhor; e Ele inclinou-se para mim, ouviu a minha voz e pôs na minha boca um cântico novo: um hino de louvor ao nosso Deus.

Secreta

Hæc hóstia, Dómine, quǽsumus, emúndet nostra delicta: et, ad sacrifícium celebrándum, subditórum tibi córpora mentésque sanctíficet. Per Dóminum &c.
Que estas hóstias, Senhor, Vos suplicamos, apaguem os nossos pecados e santifiquem os corpos e as almas dos vossos servos, para celebrarem dignamente este sacrifício. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 19, 6

Lætábimur in salutári tuo: et in nómine Dómini, Dei nostri, magnificábimur.
Regozijar-nos-emos com vossa salvação; e seremos glorificados no nome do Senhor, nosso Deus.

Postcomúnio

Hujus nos, Dómine, percéptio sacraménti mundet a crímine: et ad cœléstia regna perdúcat. Per Dóminum &c.
Senhor, que a comunhão deste sacramento nos limpe de todo o pecado e nos conduza ao reino celestial. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Miserére, Dómine, pópulo tuo: et contínuis tribulatiónibus laborántem, propítius respiráre concéde. Per Dóminum &c.
Tende piedade, Senhor, do vosso povo e aliviai-o propiciamente das contínuas tribulações que o afligem. Por nosso Senhor &c.

Quarta-feira da 4.ª Semana da Quaresma Estação em S. Paulo fora dos Muros

Intróito Ez. 36, 23-26

Dum sanctificátus fúero in vobis, congregábo vos de univérsis terris: et effúndam super vos aquam mundam, et mundabímini ab ómnibus inquinaméntis vestris: et dabo vobis spíritum novum. Ps. 33, 2 Benedícam Dóminum in omni témpore: semper laus ejus in ore meo. V. Gloria Patri &c.
Quando eu for santificado no meio de vós, reunir-vos-ei de todos os países. Então vos aspergirei com água pura, ficareis limpos de todas as iniquidades e vos darei um espírito novo. Sl. 33, 2 Bendirei o Senhor continuamente; sempre a minha boca o louvará. V. Glória ao Pai &c.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Deus, qui et justis prǽmia meritórum et peccatóribus per jejúnium véniam præbes: miserére supplícibus tuis; ut reátus nostri conféssio indulgéntiam valeat percípere delictórum. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que por meio do jejum concedeis aos justos a recompensa de seus méritos e aos pecadores o perdão de seus pecados, tende misericórdia dos vossos fiéis suplicantes, para que, por meio da confissão das nossas culpas, possamos alcançar o perdão das mesmas. Por nosso Senhor &c.

Lição Ez. 36, 23-28

Léctio Ezechiélis Prophétæ.
Lição do Profeta Ezequiel.
Hæc dicit Dóminus Deus: Sanctificábo nomen meum magnum, quod pollútum est inter gentes, quod polluístis in médio eárum: ut sciant gentes, quia ego Dóminus, cum sanctificátus Mero in vobis coram eis. Tollam quippe vos de géntibus, et congregábo vos de univérsis terris, et addúcam vos in terram vestram. Et effúndam super vos aquam mundam, et mundabímini ab ómnibus inquinaméntis vestris, et ab univérsis ídolis vestris mundábo vos. Et dabo vobis cor novum, et spíritum novum ponam in médio vestri: et áuferam cor lapídeum de carne vestra, et dabo vobis cor cárneum. Et spíritum meum ponam in médio vestri: et fáciam, ut in præcéptis meis ambulétis, et judicia mea custodiátis et operémini. Et habitábitis in terra, quam dedi pátribus vestris: et éritis mihi in pópulum, et ego ero vobis in Deum: dicit Dóminus omnípotens.
Assim fala o Senhor Deus: «Santificarei o meu admirável nome, que foi profanado pelos povos (entre os quais vós também o desonrastes), para que as nações conheçam que sou o Senhor. Quando Eu for santificado no meio de vós, diante dos meus olhos, vos tirarei do meio dos povos, vos reunirei de todos os países e vos conduzirei à vossa terra. Então vos aspergirei Com água pura; vos limparei de todas as nódoas; e vos purificarei dos vossos ídolos. E dar-vos-ei um coração novo; insuflarei no vosso íntimo um espírito novo; tirarei da vossa carne o coração de pedra que tendes, dando-vos um coração de carne; o meu espírito ficará dentro de vós; e farei que caminheis orientados pelos meus preceitos e que guardeis e pratiqueis os meus mandamentos. Então habitareis na terra que dei a vossos pais; sereis para mim o meu povo; e serei para vós o vosso Deus»: diz o Senhor omnipotente.

Gradual Sl. 38, 12 & 6

Veníte, fílii, audíte me: timórem Dómini docébo vos. V. Accédite ad eum, et illuminámini: et fácies vestræ non confundéntur.
Vinde, filhos, escutai-me: Eu vos ensinarei a temer o Senhor. V. Aproximai-vos d’Ele e ficareis cheios de luz; a confusão não mais cobrirá o vosso rosto.

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, quos jejúnia votiva castígant, ipsa quoque devótio sancta lætíficet; ut, terrénis afféctibus mitigátis, facílius cœléstia capiámus. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, castigando nós voluntariamente os nossos corpos com estes solenes jejuns, concedei-nos, Vos suplicamos, que sejamos consolados com a alegria de uma piedade santa, a fim de que, sendo mitigado o ardor dos nossos afectos terrenos, alcancemos mais facilmente os bens celestiais. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 1, 16-19

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus Deus: Lavámini, mundi estóte, auférte malum cogitatiónum vestrárum ab óculis meis: quiéscite ágere pervérse, díscite benefácere: quǽrite judícium, subveníte opprésso, judicáte pupíllo, deféndite víduam. Et veníte et argúite me, dicit Dóminus: si fúerint peccáta vestra ut cóccinum, quasi nix dealbabúntur: et si fúerint rubra quasi vermículus, velut lana alba erunt. Si voluéritis et audiéritis me, bona terræ comedétis: dicit Dóminus omnípotens.
Isto diz o Senhor Deus: «Levantai-vos, purificai-vos, afastai diante dos meus olhos a malícia dos vossos pensamentos, deixai de praticar o mal, aprendei a praticar o bem, procurai a justiça, amparai o oprimido, respeitai os direitos do órfão e defendei a viúva. E, depois de assim procederdes, se for Eu não misericordioso, vinde e acusai-me»: diz o Senhor. «Ainda que os vossos pecados fossem como o escarlate, tornar-se-iam brancos como a neve; e, quando fossem encarnados como o carmesim, tornar-se-iam brancos como a lã. Se quiserdes ouvir a minha voz, comereis as coisas boas desta terra»: diz o Senhor omnipotente.

Gradual Sl. 32, 12 & 6

Beáta gens, cujus est Dóminus Deus eórum: pópulus, quem elégit Dóminus in hereditátem sibi. V. Verbo Dómini cœli firmáti sunt: et spíritu oris ejus omnis virtus eórum.
Bem-aventurada a nação cujo Deus é o Senhor; bem-aventurado o povo que Ele escolheu para sua herança. Pela palavra do Senhor foram criados os céus; e do sopro da sua boca veio toda sua virtude.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Jo. 9, 1-38

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Prætériens Jesus vidit hóminem cæcum a nativitáte: et interrogavérunt eum discípuli ejus: Rabbi, quis peccávit, hic aut paréntes ejus, ut cæcus nascerétur? Respóndit Jesus: Neque hic peccávit neque paréntes ejus: sed ut manifesténtur ópera Dei in illo. Me opórtet operári ópera ejus, qui misit me, donec dies est: venit nox, quando nemo potest operári. Quámdiu sum in mundo, lux sum mundi. Hæc cum dixísset, éxspuit in terram, et fecit lutum ex sputo, et linívit lutum super óculos ejus, et dixit ei: Vade, lava in natatória Síloe (quod interpretátur Missus). Abiit ergo, et lavit, et venit videns. Itaque vicíni, et qui víderant eum prius, quia mendícus erat, dicébant: Nonne hic est, qui sedébat et mendicábat? Alii dicébant: Quia hic est. Alii autem: Nequáquam, sed símilis est ei. Ille vero dicébat: Quia ego sum. Dicébant ergo ei: Quómodo apérti sunt tibi óculi? Respóndit: Ille homo, qui dícitur Jesus, lutum fecit, et unxit oculos meos, et dixit mihi: Vade ad natatória Síloe, et lava. Et ábii, et lavi, et vídeo. Et dixérunt ei: Ubi est ille? Ait: Néscio. Addúcunt eum ad pharisǽos, qui cæcus fúerat. Erat autem sábbatum, quando lutum fecit Jesus, et apéruit óculos ejus. Iterum ergo interrogábant eum pharisǽi, quómodo vidísset. Ille autem dixit eis: Lutum mihi posuit super oculos, et lavi, et video. Dicébant ergo ex pharisæis quidam: Non est hic homo a Deo, qui sábbatum non custódit. Alii autem dicébant: Quómodo potest homo peccator hæc signa facere ? Et schisma erat inter eos. Dicunt ergo cæco íterum: Tu quid dicis de illo, qui apéruit óculos tuos? Ille autem dixit: Quia Prophéta est. Non credidérunt ergo Judǽi de illo, quia cæcus fuísset et vidísset, donec vocavérunt paréntes ejus, qui víderat: et interrogavérunt eos, dicéntes: Hic est fílius vester, quem vos dícitis, quia cæcus natus est? Quómodo ergo nunc videt? Respondérunt eis paréntes ejus, et dixérunt: Scimus, quia hic est fílius noster, et quia cæcus natus est: quómodo autem nunc vídeat, nescímus: aut quis ejus aperuit oculos, nos nescímus: ipsum interrogáte, aetatem habet, ipse de se loquatur. Hæc dixérunt paréntes ejus, quóniam timébant Judǽos: jam enim conspiráverant Judǽi, ut, si quis eum confiterétur esse Christum, extra synagógam fíeret. Proptérea paréntes ejus dixérunt: Quia ætatem habet, ipsum interrogáte. Vocavérunt ergo rursum hóminem, qui fúerat cæcus, et dixérunt ei: Da glóriam Deo. Nos scimus, quia hic homo peccátor est. Dixit ergo eis ille: Si peccátor est, néscio: unum scio, quia, cæcus cum essem, modo vídeo. Dixérunt ergo illi: Quid fecit tibi? quómodo apéruit tibi óculos? Respóndit eis: Dixi vobis jam, et audístis: quid íterum vultis audíre? Numquid et vos vultis discípuli ejus fíeri? Male dixérunt ergo ei, et dixérunt: Tu discípulus illíus sis: nos autem Móysi discípuli sumus. Nos scimus, quia Moysi locútus est Deus: hunc autem nescímus, unde sit. Respóndit ille homo et dixit eis: In hoc enim mirábile est, quia vos néscitis, unde sit, et apéruit meos óculos: scimus autem, quia peccatóres Deus non audit: sed, si quis Dei cultor est et voluntátem ejus facit, hunc exáudit. A sǽculo non est audítum, quia quis apéruit óculos cæci nati. Nisi esset hic a Deo, non póterat fácere quidquam. Respondérunt et dixérunt ei: In peccátis natus es totus, et tu doces nos? Et ejecérunt eum foras. Audívit Jesus, quia ejecérunt eum foras, et cum invenísset eum, dixit ei: Tu credis in Fílium Dei? Respóndit ille et dixit: Quis est, Dómine, ut credam in eum? Et dixit ei Jesus: Et vidísti eum, et qui lóquitur tecum, ipse est. At ille ait: Credo, Dómine. (hic genuflectitur) Et prócidens adorávit eum.
Naquele tempo, indo Jesus a passar, viu um cego de nascença. Então os seus discípulos interrogaram-n’O: «Mestre, quem foi que pecou, para que ele tivesse nascido cego? Ele ou os seus pais?». Respondeu Jesus: «Nem ele, nem os pais; mas aconteceu isto para que as obras de Deus se manifestassem nele. É necessário que Eu faça as obras d’Aquele que me mandou, enquanto é dia; porque, quando vem a noite, não se pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo». Tendo assim falado, cuspiu no chão, fez uma espécie de lodo com a saliva, e, pondo esse lodo nos olhos do cego, disse-lhe: «Vai e lava-te na piscina de Siloé» (que quer dizer: enviado). Foi ele, lavou-se e voltou, vendo já; de sorte que os vizinhos e aqueles que antes o tinham visto pedir esmola diziam: «Porventura não é este o que antes estava sentado a mendigar?». Uns diziam: «É este mesmo». Mas outros diziam: «Não é este; mas outro que se parece com ele». Porém, ele dizia: «Sou eu mesmo». Então diziam-lhe: «Como, pois, se abriram os teus olhos?». Ele respondeu: «Aquele homem que se chama Jesus fez lodo, untou-me os olhos com o lodo e disse-me: «Vai à piscina de Siloé e lava-te»• E eu fui, lavei-me e agora vejo!». E disseram-lhe: «Onde está Ele?». «Não sei» , disse o curado. Levaram, então, aos fariseus aquele que havia sido cego • Ora, era sábado quando Jesus fizera o lodo e lhe abrira os olhos. De novo os fariseus lhe perguntaram como fora curado. Ele disse-lhes: «Pôs-me lodo nos olhos, lavei-me e vejo». Alguns fariseus diziam: «Esse homem não é de Deus, pois não observa o sábado». Outros diziam: «Mas como pode um homem pecador fazer tais maravilhas?». E havia dissenção entre eles. Então, chamaram mais uma vez o cego e perguntaram-lhe: «Que dizes daquele que te abriu os olhos?». Ele respondeu: «É um Profeta». Mas os judeus não acreditaram que ele tivesse sido cego e que agora houvesse recobrado a vista. Chamaram, pois, à sua presença os pais do que recobrara a vista, dizendo-lhes: «É este o vosso filho, que dizeis ter nascido cego? Como, pois, vê ele agora?». Os pais responderam: «Sabemos que este é o nosso filho e que nasceu cego; mas ignoramos como agora vê e quem foi que lhe abriu os olhos. Interrogai-o a ele próprio, pois já tem idade para falar de si». Os pais falaram assim, porque temiam os judeus; pois estes haviam resolvido que todo aquele que reconhecesse Jesus como Cristo seria expulso da sinagoga. Por isso os pais disseram: «Já tem idade, interrogai-o a ele próprio». Novamente os fariseus chamaram o que havia sido cego e disseram-lhe: «Dá glória a Deus! Sabemos que esse homem é um pecador». Replicou o que fora cego: «Se Ele é pecador, não sei. Uma coisa sei: é que eu era cego e agora vejo». E disseram-lhe ainda: «Que te fez Ele? Como te abriu os olhos?». Respondeu-lhes: «Já vo-lo disse e ouvistes; para que quereis ouvir ainda? Porventura quereis também fazer-vos seus discípulos?». Então os fariseus amaldiçoaram-no e disseram-lhe: «Sejas tu seu discípulo; nós somos discípulos de Moisés. Sabemos que Deus falou a Moisés; porém, este não sabemos donde vem». Respondeu aquele homem: «Na verdade, é para admirar que não saibais donde vem Aquele que me abriu os olhos, pois sabemos que Deus não atende aos pecadores; mas, se alguém é temente a Deus e faz a sua vontade, Deus atende-o. Nunca se ouviu dizer que uma qualquer pessoa tenha aberto os olhos a um cego de nascença! Se Ele não fosse Deus, nada poderia fazer!». Responderam-lhe eles: «Nasceste inteiramente em pecado e queres ensinar-nos?». E expulsaram-no!... Logo que Jesus ouviu dizer que haviam expulsado o cego, foi ao seu encontro e disse-lhe: «Tu crês no Filho de Deus?». Respondeu o cego, dizendo: «Quem é ele, Senhor, para que eu creia?». Jesus disse-lhe: «Já o tens visto. É Aquele que fala contigo!». E o cego disse: «Creio, Senhor!». (Todos devem ajoelhar) E de joelhos o adorou!

Ofertório Sl. 65, 8-9 & 20

Benedícite, gentes, Dóminum, Deum nostrum, et obaudíte vocem laudis ejus: qui pósuit ánimam meam ad vitam, et non dedit commovéri pedes meos: benedíctus Dóminus, qui non amóvit deprecatiónem mam, et misericórdiam suam a me.
Ó povos, bendizei o Senhor, nosso Deus, e fazei ressoar os seus louvores: foi Ele quem conservou a vida à minha alma e não deixou que meus pés tropeçassem. Bendito seja o Senhor, que não desprezou a minha oração nem afastou de mim a sua misericórdia.

Secreta

Súpplices te rogámus, omnípotens Deus: ut his sacrifíciis peccáta nostra mundéntur; quia tunc veram nobis tríbuis et mentis et córporis sanitátem. Per Dóminum &c.
Ordenai, ó Deus omnipotente, humildemente Vos rogamos, que estes sacrifícios nos purifiquem e nos concedam a verdadeira saúde da alma e do corpo. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Jo. 9, 11

Lutum fecit ex sputo Dóminus, et linívit óculos meos: et ábii, et lavi, et vidi, et crédidi Deo.
O Senhor fez lodo com sua saliva e untou os meus olhos. Então, lavei-me, vi e acreditei em Deus.

Postcomúnio

Sacraménta, quæ súmpsimus, Dómine, Deus noster: et spirituálibus nos répleant aliméntis, et corporálibus tueántur auxíliis. Per Dóminum &c.
Que estes sacramentos, que recebemos, Senhor, nosso Deus, saciem nossas almas com o alimento espiritual e protejam nossos corpos com os auxílios temporais. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Páteant aures misericórdiæ tuæ. Dómine, précibus supplicántium: et, ut peténtibus desideráta concédas; fac eos, quæ tibi sunt plácita, postuláre. Per Dóminum &c.
Senhor, que os ouvidos da vossa misericórdia escutem atentos as orações daqueles que a imploram; e, a fim de que alcancem o que desejam, fazei que Vos peçam o que Vos é agradável. Por nosso Senhor &c.

Quinta-feira da 4.ª Semana da Quaresma Estação em S. Silvestre e S. Martinho

Intróito Sl. 104, 3-4

Lætétur cor quæréntium Dóminum: quǽrite Dóminum, et confirmámini: quǽrite fáciem ejus semper. Ps. ibid., 1 Confitémini Dómino, et invocáte nomen ejus: annuntiáte inter gentes ópera ejus. V. Gloria Patri &c.
Alegre-se o coração daqueles que procuram o Senhor: procurai o Senhor e ficareis cheios de fortaleza: procurai incessantemente a sua presença. Sl. ibid., 1 Louvai o Senhor e aclamai o seu nome: anunciai as suas obras no meio dos povos. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, quos jejúnia votíva castígant, ipsa quoque devótio sancta lætíficet; ut, terrénis afféctibus mitigátis, facílius cœléstia capiámus. Per Dóminum &c.
Permiti, ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, que aqueles que voluntariamente se castigam com jejuns sejam consolados com a alegria de uma piedade santa, a fim de que, mitigado o ardor dos afectos terrenos, gozemos mais largamente os bens celestiais. Por nosso Senhor &c.

Epístola 4 Rs. 4, 25-38

Léctio libri Regum.
Lição do Livro dos Reis.
In diébus illis: Venit múlier Sunamítis ad Eliséum in montem Carméli: cumque vidísset eam vir Dei e contra, ait ad Giézi púerum suum: Ecce Sunamítis illa. Vade ergo in occúrsum ejus, et dic ei: Recte ne ágitur circa te, et circa virum tuum, et circa fílium tuum? Quæ respóndit: Recte. Cumque venísset ad virum Dei in montem, apprehéndit pedes ejus: et accéssit Giézi, ut amovéret eam. Et ait homo Dei: Dimítte illam: ánima enim ejus in amaritúdine est, et Dóminus celávit a me, et non indicávit mihi. Quæ dixit illi: Numquid petívi fílium a dómino meo? Numquid non dixi tibi: Ne illúdas me? Et ille ait ad Giézi: Accínge lumbos tuos, et tolle báculum meum in manu tua, et vade. Si occurrérit tibi homo, non salútes eum: et si salutáverit te quíspiam, non respóndeas illi: et pones báculum meum super fáciem púeri. Porro mater pueri ait: Vivit Dóminus et vivit ánima tua, non dimíttam te. Surréxit ergo, et secútus est eam. Giézi autem præcésserat ante eos, et posúerat báculum super fáciem púeri, et non erat vox neque sensus: reversúsque est in occúrsum ejus, et nuntiávit ei, dicens: Non surréxit puer. Ingréssus est ergo Eliséus domum, et ecce, puer mórtuus jacébat in léctulo ejus: ingressúsque clausit óstium super se et super púerum: et orávit ad Dóminum. Et ascéndit, et incúbuit super púerum: posuítque os suum super os ejus, et óculos suos super óculos ejus, et manus suas super manus ejus: et incurvávit se super eum: et calefácta est caro púeri. At ille revérsus, de ambulávit in domo, semel huc atque illuc: et ascéndit et incúbuit super eum: et oscitávit puer sépties, aperuítque oculos. At ille vocávit Giézi, et dixit ei: Voca Sunamítidem hanc. Quæ vocáta ingréssa est ad eum. Qui ait: Tolle fílium tuum. Venit illa, et córruit ad pedes ejus, et adorávit super terram: tulítque fílium suum, et egréssa est, et Eliséus revérsus est in Gálgala.
Naqueles dias, uma mulher Sunamite foi ter com o Profeta Eliseu ao monte Carmelo. Como o varão de Deus a visse aproximar, disse a Giézi, seu servo: «Eis aí vem a Sunamite. Vai, pois, ao seu encontro e diz-lhe: «Porventura corre tudo com exactidão em tua casa? O teu marido e o teu filho passam bem?». Ela respondeu: «Sim!». Logo que ela chegou ao monte, ao pé do homem de Deus, segurou-se-lhe aos pés. Giézi aproximou-se dela para a afastar. Mas o homem de Deus disse: «Deixa-a, pois a sua alma está amargurada, ainda que o Senhor me não deu a conhecer o motivo». Ela disse-lhe, então: «Porventura havia eu pedido um filho ao meu Senhor? Não te disse eu: não me iludas?». Logo Eliseu disse a Giézi: «Cinge os teus rins, toma o meu bordão na tua mão e parte. Se encontrares alguém, o não saúdes: se alguém te saudar, não correspondas; e colocarás o meu bordão em cima do rosto do menino». Mas a mãe do menino disse ao Profeta: «Viva o Senhor e viva a tua alma; eu, porém, te não deixarei!». Levantou-se, então, Eliseu e seguiu-a. Entretanto, Giézi, tendo partido antes deles, logo que lá chegou, pôs o bordão em cima do rosto do menino, que já não tinha voz, nem sentidos; e, voltando ao encontro de Eliseu, contou-lhe o que se passara, dizendo: «O menino não ressuscitou». Entrou, então, Eliseu em casa e encontrou o menino deitado no leito e já morto. Eliseu fechou a porta, ficando só com o menino, e orou ao Senhor. Depois subiu para o leito, estendeu-se em cima do menino, pôs a sua boca sobre a boca do menino, os seus olhos sobre os olhos dele, as suas mãos sobre as mãos dele e inclinou-se sobre ele. E logo a carne do menino adquiriu calor. Eliseu, tendo descido do leito, passeou pela casa duas vezes; depois tornou a subir e a inclinar-se sobre o menino. Então este bocejou sete vezes, abrindo os olhos. Eliseu chamou logo Giézi e disse-lhe: «Chama a Sunamite». Giézi chamou-a. Veio ela junto de Eliseu, que lhe disse: «Toma o teu filho». E ela, aproximando-se, lançou-se aos pés de Eliseu e prostrou-se por terra. Depois levou o filho e se retirou. Eliseu voltou para Gálgala.

Gradual Sl. 73, 20, 19 & 22

Réspice, Dómine, in testaméntum tuum: et ánimas páuperum tuórum ne obliviscáris in finem. V. Exsúrge, Dómine, júdica causam tuam: memor esto oppróbrii servórum tuórum.
Recordai-Vos, Senhor, da vossa aliança; não esqueçais perpetuamente as almas dos vossos pobres servos. Erguei-Vos, Senhor, e julgai esta vossa causa: lembrai-Vos dos opróbrios que sofrem os vossos servos.

Evangelho Lc. 7, 11-16

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Ibat Jesus in civitátem, quæ vocátur Naim: et ibant cum eo discípuli ejus et turba copiósa. Cum autem appropinquáret portæ civitátis, ecce, defúnctus efferebátur fílius únicus matris suæ: et hæc vidua erat, et turba civitátis multa cum illa. Quam cum vidísset Dóminus, misericórdia motus super eam, dixit illi: Noli flere. Et accéssit et tétigit lóculum. (Hi autem, qui portábant, steterunt.) Et ait: Adoléscens, tibi dico, surge. Et resédit, qui erat mórtuus, et cœpit loqui. Et dedit illum matri suæ. Accepit autem omnes timor: et magnificábant Deum, dicéntes: Quia Prophéta magnus surréxit in nobis: et quia Deus visitávit plebem suam.
Naquele tempo, caminhava Jesus para uma cidade chamada Naim, acompanhado por seus discípulos e muito povo. Chegando à porta da cidade, encontrou um cadáver, filho único de uma viúva, o qual ia acompanhado por muitas pessoas da cidade. Vendo o Senhor a viúva, compadeceu-se dela e disse-lhe: «Não chores». E, aproximando-se, tocou no esquife (pois aqueles que o levavam tinham parado), dizendo: «Adolescente, eu te mando: levanta-te!». E no mesmo instante levantou-se o morto e começou a falar. Então Jesus entregou-o a sua mãe. Pelo que todos os assistentes ficaram atemorizados e glorificavam o Senhor, dizendo: «Um grande Profeta se levantou no meio de nós; Deus visitou o seu povo».

Ofertório Sl. 69, 2,3 & 4

Dómine, ad adjuvándum me festína: confundántur omnes, qui cógitant servis tuis mala.
Senhor, apressai-Vos em socorrer-me: que fiquem cheios de confusão aqueles que querem fazer mal aos vossos servos.

Secreta

Purífica nos, misericors Deus: ut Ecclésiæ tuæ preces, quæ tibi gratæ sunt, pia múnera deferéntes, fiant expiátis méntibus gratióres. Per Dóminum &c.
Purificai-nos, ó Deus de misericórdia, a fim de que as preces da vossa Igreja, que Vos são agradáveis, a Vós se tornem mais agradáveis ainda pela expiação daqueles que Vos oferecem estes pios dons. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 70, 16-17 & 18

Dómine, memorábor justítiæ tuæ solíus: Deus, docuísti me a juventúte mea: et usque in senéctam et sénium, Deus, ne derelínquas me.
Senhor, empregar-me-ei somente nas obras da vossa justiça! Ó Deus, instruístes-me desde a minha infância. Não me abandonareis, pois, ó Deus, até à velhice, até aos cabelos brancos!

Postcomúnio

Cœléstia dona capiéntibus, quǽsumus, Dómine: non ad judícium proveníre patiáris, quæ fidélibus tuis ad remédium providísti. Per Dóminum nostrum &c.
Não permitais, Senhor, Vos suplicamos, que estes dons celestiais, que preparastes para remédio dos fiéis, sirvam de condenação aos que os recebem. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Pópuli tui, Deus, institútor et rector, peccáta, quibus impugnátur, expélle: ut semper tibi plácitus, et tuo munímine sit secúrus. Per Dóminum &c.
Ó Deus, instituidor e guia do vosso povo, afastai dele os pecados que o assaltam, a fim de que, agradando-Vos sempre, esteja certo da vossa protecção. Por nosso Senhor &c.

Sexta-feira da 4.ª Semana da Quaresma Estação em Santo Eusébio

Intróito Sl. 18, 15

Deditátio cordis mei in conspéctu tuo semper: Dómine, adjútor meus, et redémptor meus. Ps. ibid., 2 Cœli enárrant glóriam Dei: et ópera mánuum ejus annúntiat firmaméntum. V. Gloria Patri &c.
Os pensamentos do meu coração estarão sempre na vossa presença. Senhor, sois o meu sustentáculo e o meu Redentor. Sl. ibid., 2 Os céus publicam a glória do Senhor e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Deus, qui ineffabílibus mundum rénovas sacraméntis: præsta, quǽsumus; ut Ecclésia tua et ætérnis profíciat institútis, et temporálibus non destituátur auxíliis. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que restaurais o mundo com inefáveis mystérios, permiti, Vos imploramos, que a vossa Igreja prossiga o seu fim pelos meios eternos que lhe conferistes, e não seja desprovida do vosso socorro nas necessidades temporais. Por nosso Senhor &c.

Epístola 3 Rs. 17, 17-24

Léctio libri Regum.
Lição do Livro dos Reis.
In diébus illis: Ægrotávit fílius mulíeris matrisfamílias, et erat lánguor fortíssimus, ita ut non remanéret in eo hálitus. Dixit ergo ad Elíam: Quid mihi et tibi, vir Dei? Ingréssus es ad me, ut rememoraréntur iniquitátes meæ, et interfíceres fílium meum? Et ait ad eam Elías: Da mihi fílium tuum. Tulítque eum de sinu ejus, et portávit in cenáculum, ubi ipse manébat, et pósuit super léctulum suum, et clamávit ad Dóminum, et dixit: Dómine, Deus meus, étiam ne víduam, apud quam ego utcúmque susténtor, afflixísti, ut interfíceres fílium ejus? Et expándit se, atque mensus est super púerum tribus vícibus, et clamávit ad Dóminum, et ait: Dómine, Deus meus, revertátur, óbsecro, ánima púeri hujus in víscera ejus. Et exaudívit Dóminus vocem Elíæ: et revérsa est ánima púeri intra eum, et revíxit. Tulítque Elías púerum, et depósuit eum de cenáculo in inferiórem domum, et trádidit matri suæ, et ait illi: En, vivit fílius tuus. Dixítque múlier ad Elíam: Nunc in isto cognóvi, quóniam vir Dei es tu, et verbum Dómini in ore tuo verum est.
Naqueles dias, adoeceu tão gravemente o filho de uma mãe de família, que já não havia nele sopro de vida. Esta mãe disse, então, a Elias: «Que há entre ti e mim, ó homem de Deus? Porventura vieste à minha casa para que sejam recordadas as minhas iniquidades e morto o meu filho?». Respondeu-lhe Elias: «Dá-me o teu filho». E Elias tirou-o do seio da mãe, levou-o para o quarto onde estava hospedado, deitou-o no leito e, invocando em voz alta o Senhor, disse: «Senhor, meu Deus, até afligis a pobre viúva que me alberga, matando-lhe o filho? E, estendendo-se três vezes sobre o menino e colocando-se sobre ele, clamou ao Senhor e disse: «Senhor e meu Deus, fazei, Vos suplico, que a alma deste menino volte ao corpo!». O Senhor ouviu a voz de Elias. E logo a alma do menino reentrou nele, tornando a viver. Elias tomou depois o menino, desceu com ele até aos baixos da casa e entregou-o à mãe, dizendo-lhe: «Eis o teu filho. Agora está vivo». Então a mulher disse a Elias: «Agora reconheço que sois um homem de Deus e que a palavra do Senhor, que anunciais, é verdadeira».

Gradual Sl. 117, 8-9

Bonum est confídere in Dómino, quam confídere in hómine. V. Bonum est speráre in Dómino, quam speráre in princípibus.
É melhor confiar no Senhor do que no homem. É melhor ter esperança no Senhor do que nos príncipes.

Trato Página tratoquartacinzas

Evangelho Jo. 11, 1-45

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Erat quidam languens Lázarus a Bethánia, de castéllo Maríæ et Marthæ, soróris ejus. (María autem erat, quæ unxit Dóminum unguento, et extérsit pedes ejus capíllis suis: cujus frater Lázarus infirmabátur.) Misérunt ergo soróres ejus ad eum, dicéntes: Dómine, ecce, quem amas infirmátur. Audiens autem Jesus, dixit eis: Infírmitas hæc non est ad mortem, sed pro glória Dei, ut glorificétur Fílius Dei per eam. Diligébat autem Jesus Martham et sorórem ejus, Maríam, et Lázarum. Ut ergo audívit, quia infirmabátur, tunc quidem mansit in eódem loco duóbus diébus. Déinde post hæc dixit discípulis suis: Eámus in Judǽam íterum. Dicunt ei discípuli: Rabbi, nunc quærébant te Judǽi lapidáre, et íterum vadis illuc? Respóndit Jesus: Nonne duódecim sunt horæ diéi? Si quis ambuláverit in die, non offéndit, quia lucem hujus mundi videt: si autem ambuláverit in nocte, offéndit, quia lux non est in eo. Hæc ait, et post hæc dixit eis: Lázarus, amícus noster, dormit: sed vado, ut a somno éxcitem eum. Dixérunt ergo discípuli ejus: Dómine, si dormit, salvus erit. Díxerat autem Jesus de morte ejus: illi autem putavérunt, quia de dormitióne somni díceret. Tunc ergo Jesus dixit eis maniféste: Lazarus mórtuus est: et gáudeo propter vos, ut credátis, quóniam non eram ibi: sed eámus ad eum. Dixit ergo Thomas, qui dícitur Dídymus, ad condiscípulos: Eámus et nos, ut moriámur cum eo. Venit itaque Jesus, et invénit eum quátuor dies jam in monuménto habéntem. (Erat autem Bethánia juxta Jerosólymam quasi stádiis quíndecim.) Multi autem ex Judǽis vénerant ad Martham et Maríam, ut consolaréntur eas de fratre suo. Martha ergo, ut audívit quia Jesus venit, occúrrit illi: María autem domi sedébat. Dixit ergo Martha ad Jesum: Dómine, si fuísses hic, frater meus non fuísset mórtuus: sed et nunc scio, quia, quæcúmque popósceris a Deo, dabit tibi Deus. Dicit illi Jesus: Resúrget frater tuus. Dicit ei Martha: Scio, quia resúrget in resurrectióne in novíssimo die. Dixit ei Jesus: Ego sum resurréctio et vita: qui credit in me, etiam si mórtuus fúerit, vivet: et omnis, qui vivit et credit in me, non moriétur in ætérnum. Credis hoc? Ait illi: Utique, Dómine, ego crédidi, quia tu es Christus, Fílius Dei vivi, qui in hunc mundum venísti. Et cum hæc dixísset, ábiit et vocávit Maríam, sorórem suam, siléntio, dicens: Magíster adest, et vocat te. Illa ut audívit, surgit cito, et venit ad eum: nondum enim vénerat Jesus in castéllum; sed erat adhuc in illo loco, ubi occúrrerat ei Martha. Judǽi ergo, qui erant cum ea in domo et consolabántur eam, cum vidíssent Maríam, quia cito surréxit et éxiit, secúti sunt eam, dicéntes: Quia vadit ad monuméntum, ut ploret ibi. María ergo, cum venísset, ubi erat Jesus, videns eum, cécidit ad pedes ejus, et dicit ei: Dómine, si fuísses hic, non esset mórtuus frater meus. Jesus ergo, ut vidit eam plorántem, et Judǽos, qui vénerant cum ea, plorántes, infrémuit spíritu, et turbávit seípsum, et dixit: Ubi posuístis eum? Dicunt ei: Dómine, veni et vide. Et lacrimátus est Jesus. Dixérunt ergo Judǽi: Ecce, quómodo amábat eum. Quidam autem ex ipsis dixérunt: Non póterat hic, qui apéruit óculos cæci nati, facere, ut hic non morerétur? Jesus ergo rursum fremens in semetípso, venit, ad monuméntum. Erat autem spelúnca, et lapis superpósitus erat ei. Ait Jesus: Tóllite lápidem. Dicit ei Martha, soror ejus, qui mórtuus fuerat: Dómine, jam fetet, quatriduánus est enim. Dicit ei Jesus: Nonne dixi tibi, quóniam, si credíderis, vidébis glóriam Dei? Tulérunt ergo lápidem: Jesus autem, elevátis sursum óculis, dixit: Pater, grátias ago tibi, quóniam audísti me. Ego autem sciébam, quia semper me audis, sed propter pópulum, qui circúmstat, dixi: ut credant, quia tu me misísti. Hæc cum dixísset, voce magna clamávit: Lázare, veni foras. Et statim pródiit, qui fúerat mórtuus, ligátus pedes et manus ínstitis, et fácies illíus sudário erat ligáta. Dixit eis Jesus: Sólvite eum, et sínite abíre. Multi ergo ex Judǽis, qui vénerant ad Maríam et Martham, et víderant quæ fecit Jesus, credidérunt in eum.
Naquele tempo, estava doente um certo homem chamado Lázaro, de Betânia, aldeia de Maria e de Marta, suas irmãs. (Maria era aquela que ungira o Senhor com perfumes e Lhe enxugara os pés com os cabelos; e o que estava doente era seu irmão). As irmãs mandaram, então, dizer a Jesus: «Senhor, aquele a quem amais está enfermo». Jesus, ouvindo isto, disse: «Esta doença não é para produzir a morte, mas para a glória de Deus, a fim de que o filho de Deus seja glorificado por ela». Ora Jesus era amigo de Marta, de sua irmã Maria e de Lázaro; contudo, ainda que tivesse sabido que ele estava doente, deixou-se ficar mais dois dias no mesmo lugar. Depois disso, disse aos discípulos: «Voltemos para a Judeia». Os discípulos disseram-Lhe: «Ainda há pouco os judeus quiseram apedrejar-Vos, e já quereis voltar para lá?». Jesus respondeu-lhes: «Porventura o dia não tem doze horas? Se alguém anda de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; porém, se anda de noite, tropeça, porque não tem luz». Depois de haver falado assim, acrescentou: «O nosso amigo Lázaro dorme, mas vou acordá-lo». Disseram-Lhe então os discípulos: «Senhor, se ele dorme, será salvo». Mas Jesus havia falado da sua morte, cuidando os discípulos que se referia ao repouso do sono. Então Jesus disse-lhes claramente: «Lázaro morreu; mas por causa de vós, para que acrediteis, alegro-me de lá não estar. Vamos ter com ele». Disse Tomé, o Dídimo, aos companheiros: «Vamos e morramos com Ele». Vindo, pois, Jesus chegou quando havia quatro dias que Lázaro estava sepultado. Ora, Betânia era próximo de Jerusalém cerca de quinze estádios, tendo vindo muitos judeus consolar Marta e Maria, por causa da morte do irmão. Logo que Marta soube que Jesus vinha, saiu-lhe ao encontro, ficando, porém, Maria sentada em casa. Marta disse então a Jesus: «Senhor, se estivésseis aqui, o meu irmão não teria morrido; mas também sei que tudo o que pedirdes a Deus ser-Vos-á concedido». Disse-lhe Jesus: «O teu irmão ressuscitará». Disse Marta: «Sei que ressuscitará na ressurreição do último dia». Jesus continuou: «Eu sou a ressurreição e a vida; quem acreditar em mim viverá, ainda que esteja morto; e quem vive e crê em mim não morrerá para sempre. Acreditas nisto?». Respondeu ela: «Sim, Senhor, creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo, que viestes a este mundo!». E depois que disse isto, foi chamar em segredo sua irmã Maria, dizendo: «Está ali o Mestre, que te chama». Assim que Maria ouviu isto, levantou-se e foi ao seu encontro; pois Jesus não havia ainda chegado à aldeia, mas estava no lugar onde Marta o encontrara. Vendo os judeus (que estavam com Maria em sua casa para a consolar) que ela se levantava e saía, seguiram-na, dizendo: «Vai ao sepulcro para chorar». Porém, Maria, logo que chegou ao lugar onde estava Jesus e O viu, prostrou-se de joelhos e disse-Lhe: «Se estivésseis aqui, o meu irmão não teria morrido!». Jesus, vendo que ela e os judeus que a acompanhavam choravam, suspirou, comoveu-se e perturbou-se também, dizendo: «Onde o pusestes?». Disseram-Lhe: «Senhor, vinde e vede». E Jesus chorou também! Disseram então os judeus: «Vede como o amava!». E alguns acrescentaram: «Não podia Ele; que abriu os olhos ao cego de nascença, evitar que este tivesse morrido?». Porém, Jesus, comovendo-se outra vez, veio à sepultura, que era em uma caverna sobre a qual tinham colocado uma pedra. Disse Jesus: «Tirai a pedra». Marta, a irmã do defunto, respondeu-Lhe: «Senhor, já cheira mal; pois há quatro dias que está aí». E Jesus disse-lhe: «Não te afirmei que, se acreditasses, verias a glória de Deus?». Então, tiraram a pedra. E Jesus, elevando os olhos ao céu, disse: «Pai, dou-Vos graças pelas vezes que me tendes já ouvido. Bem sei que Vós sempre me ouvis, mas digo isto por causa do povo que me rodeia, para que creia que me enviastes». Havendo dito isto, chamou em voz alta: «Lázaro, sai para fora!». Logo saiu o defunto, tendo os pés e as mãos ligados com faixas e o rosto envolvido no sudário! E Jesus continuou: «Desatai-o e deixai-o ir!». Então muitos judeus, que tinham acompanhado Maria e Marta, vendo isto, acreditaram em Jesus.

Ofertório Sl. 17, 28 & 32

Pópulum húmilem salvum fácies, Dómine, et óculos superbórum humiliábis: quóniam quis Deus præter te, Dómine?
Vós, Senhor, salvais o povo humilde e abateis os olhos dos soberbos. Quem é, pois, Deus senão Vós, Senhor?

Secreta

Múnera nos, Dómine, quǽsumus, obláta puríficent: et te nobis jugiter fáciant esse placátum. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, Vos imploramos, permiti que estes dons, que Vos oferecemos, nos purifiquem e aplaquem incessantemente a vossa ira contra nós. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Jo. 11, 33, 35, 43, 44 & 39

Videns Dóminus flentes soróres Lázari ad monuméntum, lacrimátus est coram Judǽis, et exclamávit: Lázare, veni foras: et pródiit ligátis mánibus et pédibus, qui fúerat quatriduánus mórtuus.
O Senhor, vendo chorar as irmãs de Lázaro, perto do sepulcro, chorou também, na presença dos judeus, e clamou: «Lázaro, sai para fora». E aquele que estava morto havia quatro dias apareceu com os pés e as mãos ligados!

Postcomúnio

Hæc nos, quǽsumus, Dómine, participátio sacraménti: et a propriis reátibus indesinénter expédiat, et ab ómnibus tueátur advérsis. Per Dóminum &c.
Que esta nossa participação nos celestiais mystérios, Senhor, Vos suplicamos, nos livre sempre das nossas culpas e nos defenda de todas as adversidades. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Da nobis, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui infirmitátis nostræ cónscii, de tua virtúte confídimus, sub tua semper pietáte gaudeámus. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, conhecendo nós a nossa fraqueza e tendo confiança no vosso poder, concedei-nos, Vos suplicamos, que gozemos sempre os efeitos da vossa bondade. Por nosso Senhor &c.
Sábado da 4.ª Semana da Quaresma Estação em S. Nicolau no Cárcere

Intróito Is. 55, 1

Sitiéntes, venite ad aquas, dicit Dóminus: et qui non habétis prétium, veníte et bíbite cum lætítia. Ps. 77, 1 Atténdite, pópule meus, legem meam: inclináte aurem vestram in verba oris mei. V. Gloria Patri &c.
Ó vós, que estais sedentos, diz o Senhor, vinde às águas: e, ainda que não tenhais dinheiro, vinde e bebei com alegria. Escutai a minha lei, ó meu povo! Sl. 77, 1 Inclinai os vossos ouvidos às palavras que saem da minha boca. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Fiat, Dómine, quǽsumus, per grátiam tuam fructuósus nostræ devotiónis afféctus: quia tunc nobis próderunt suscépta jejúnia, si tuæ sint plácita pietáti. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, permiti pela vossa graça que o afecto da nossa devoção se torne frutuoso, porquanto só nos serão proveitosos os nossos jejuns se forem agradáveis à vossa bondade. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 49, 8-15

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus: In témpore plácito exaudívi te, et in die salútis auxiliátus sum tui: et servávi te, et dedi te in fœdus pópuli, ut suscitáres terram, et possidéres hereditátes dissipátas: ut díceres his, qui vincti sunt: Exíte: et his, qui in ténebris: Revelámini. Super vias pascéntur, et in ómnibus planis páscua eórum. Non esúrient neque sítient, et non percútiet eos æstus et sol: quia miserátor eórum reget eos, et ad fontes aquárum potábit eos. Et ponam omnes montes meos in viam, et sémitæ meæ exaltabúntur. Ecce, isti de longe vénient, ei ecce illi ab aquilóne et mari, et isti de terra austráli. Laudáte, cœli, et exsúlta, terra, jubiláte, montes, laudem: quia consolátus est Dóminus pópulum suum, et páuperum suórum miserébitur. Et dixit Sion: Derelíquit me Dóminus, et Dóminus oblítus est mei. Numquid oblivísci potest múlier infántem suum, ut non misereátur fílio uteri sui? et si illa oblíta fúerit, ego tamen non oblivíscar tui, dicit Dóminus omnípotens.
Assim fala o Senhor: «No tempo favorável eu te ouvi; e no dia da salvação eu te assisti. Guardei-te e destinei-te para seres a aliança do meu povo, restaurares a terra, possuíres as heranças dissipadas, dizeres aos cativos, que estão a ferros: «Sois livres», e aos que estão nas trevas: «Vinde à luz». Apascentar-se-ão livremente em todos os caminhos e todas as planícies lhes servirão de pastagens. Não terão fome, nem sede; os não incomodará o calor, nem os queimará o sol; pois Aquele, que é misericordioso, os guiará e conduzirá às águas frescas para beberem. Então aplanarei os montes e torná-los-ei em caminhos e as veredas serão alteadas. Eis que chegam de longe: uns virão do norte e do mar e outros das terras do meio-dia. Ó céus, rejubilai! Ó terra, exultai! Ó montanhas, cantai hinos de alegria, pois o Senhor consolou o seu povo e teve compaixão dos seus pobres. Entretanto disse Sião: O Senhor abandonou-me; o Senhor esqueceu-se de mim! Porventura pode uma mãe esquecer o seu filho, de modo que não tenha piedade do filho das suas entranhas? Pois? ainda que esta o esqueça, Eu te não esquecerei»: diz o Senhor omnipotente.

Gradual Sl. 9, 14 & 1-2

Tibi, Dómine, derelíctus est pauper: pupíllo tu eris adjútor. V. Ut quid, Dómine, recessísti longe, déspicis in opportunitátibus, in tribulatióne? dum supérbit ímpius, incénditur pauper.
A Vós, Senhor, se abandona o pobre. Sois o protector do órfão. V. Porque, Senhor, Vos afastais para longe e Vos escondeis no tempo da tribulação, quando o ímpio se orgulha e persegue o pobre com ardor?

Evangelho Jo. 8, 12-20

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Locútus est Jesus turbis Judæórum, dicens: Ego sum lux mundi: qui séquitur me, non ámbulat in ténebris, sed habébit lumen vitæ. Dixérunt ergo ei pharisǽi: Tu de te ipso testimónium pérhibes: testimónium tuum non est verum. Respóndit Jesus et dixit eis: Et si ego testimónium perhíbeo de meípso, verum est testimónium meum: quia scio, unde veni et quo vado: vos autem nescítis, unde vénio aut quo vado. Vos secúndum carnem judicátis: ego non júdico quemquam: et si júdico ego, judícium meum verum est, quia solus non sum: sed ego et, qui misit me, Pater. Et in lege vestra scriptum est, quia duórum hóminum testimónium verum est. Ego sum, qui testimónium perhíbeo de meípso: et testimónium pérhibet de me, qui misit me, Pater. Dicébant ergo ei: Ubi est Pater tuus? Respóndit Jesus: Neque me scitis neque Patrem meum: si me sciretis, fórsitan et Patrem meum scirétis. Hæc verba locútus est Jesus in gazophylácio, docens in templo: et nemo apprehéndit eum, quia necdum vénerat hora ejus.
Naquele tempo, Jesus falou à turba dos judeus, dizendo: «Eu sou a luz do mundo. Aquele que me seguir não andará nas trevas, mas terá a luz da vida». Disseram-Lhe então os fariseus: «Tu dás testemunho de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro». Jesus respondeu-lhes: «Ainda que dê testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque sei donde venho e para onde vou; porém, vós ignorais donde venho e para onde vou. Vós julgais segundo a carne, enquanto que Eu não julgo ninguém. E, se julgo, o meu juízo é verdadeiro; pois não sou só, mas estou com o Pai, que me mandou. Na vossa Lei está escrito: «Que o testemunho de dois homens é verdadeiro». Ora, Eu dou testemunho de mim; e o Pai, que me mandou, dá também testemunho de mim». Perguntaram-Lhe então: «Onde está o vosso Pai?». Jesus respondeu: «Vós me não conheceis a mim, nem ao meu Pai. Se me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai». Estas coisas ensinou Jesus no templo, junto do mealheiro, e ninguém o prendeu, porque não era ainda chegada a sua hora.

Ofertório Sl. 17, 3

Factus est Dóminus firmaméntum meum, et refúgium meum, et liberátor meus: et sperábo in eum.
O Senhor constituiu-se o meu sustentáculo, o meu refúgio e o meu salvador. Eu tenho esperança n’Ele!

Secreta

Oblatiónibus nostris, quǽsumus, Dómine, placáre suscéptis: et ad te nostras etiam rebélles compélle propítius voluntátes. Per Dóminum &c.
Deixai-Vos aplacar, Senhor, Vos suplicamos, aceitando as nossas oblações; e pela vossa misericórdia obrigai as nossas vontades rebeldes a procurarem-Vos. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 22, 1-2

Dóminus regit me, et nihil mihi déerit: in loco páscuæ ibi me collocávit: super aquam refectiónis educávit me.
O Senhor é quem me governa; nada me faltará. Ele conduziu-me aos lugares de bom pasto; sentou-me ao pé da água, que me refrigera.

Postcomúnio

Tua nos, quǽsumus, Dómine, sancta puríficent: et operatióne sua tibi plácitos esse perfíciant. Per Dóminum &c.
Que os vossos sagrados mystérios, Senhor, Vos suplicamos, nos purifiquem; e que pela sua virtude nos tornemos sempre agradáveis a vossos olhos. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Deus, qui sperántibus in te miseréri pótius éligis quam irasci: da nobis digne flere mala, quæ fécimus; ut tuæ consolatiónis grátiam inveníre mereámur. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que àqueles que em Vós esperam antes desejais mostrar o esplendor da vossa glória do que o peso da vossa ira, concedei-nos que saibamos devidamente chorar os males que temos praticado, a fim de que mereçamos alcançar a graça da vossa consolação. Por nosso Senhor &c.

Domingo da Paixão

Intróito Sl. 42, 1-2

Júdica me, Deus, et discérne causam meam de gente non sancta: ab homine iníquo et dolóso éripe me: quia tu es Deus meus et fortitúdo mea. Ps. ibid., 3 Emítte lucem tuam et veritátem tuam: ipsa me de duxérunt et adduxérunt in montem sanctum tuum et in tabernácula tua.
Julgai-me, ó Deus, e defendei a minha causa da causa de um povo infiel; livrai-me do homem iníquo e ardiloso: pois sois, ó meu Deus, a minha fortaleza. Sl. ibid., 3 Enviai-me a vossa luz e a vossa verdade, para que me guiem até ao vosso monte sagrado, até aos vossos tabernáculos.

Oração

Quǽsumus, omnípotens Deus, familiam tuam propítius réspice: ut, te largiénte, regátur in córpore; et, te servánte, custodiátur in mente. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, olhai propício para a vossa família, Vos rogamos, a fim de que com vossa graça sejam dominados os nossos corpos e com vossa protecção sejam preservadas as nossas almas. Por nosso Senhor &c.

Epístola Heb. 9, 11-15

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Hebrǽos.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Hebreus.
Fatres: Christus assístens Pontifex futurórum bonórum, per ámplius et perféctius tabernáculum non manufáctum, id est, non hujus creatiónis: neque per sánguinem hircórum aut vitulórum, sed per próprium sánguinem introívit semel in Sancta, ætérna redemptióne invénta. Si enim sanguis hircórum et taurórum, et cinis vítulæ aspérsus, inquinátos sanctíficat ad emundatiónem carnis: quanto magis sanguis Christi, qui per Spíritum Sanctum semetípsum óbtulit immaculátum Deo, emundábit consciéntiam nostram ab opéribus mórtuis, ad serviéndum Deo vivénti? Et ideo novi Testaménti mediátor est: ut, morte intercedénte, in redemptiónem eárum prævaricatiónum, quæ erant sub prióri Testaménto, repromissiónem accípiant, qui vocáti sunt ætérnæ hereditátis, in Christo Jesu, Dómino nostro.
Meus irmãos: Jesus Cristo, vindo como Pontífice dos bens futuros, penetrou em um tabernáculo maior e mais que não foi fabricado por mão humana, isto é, que não teve criação terrena; e, sem recorrer ao sangue dos carneiros ou dos bois, mas pelo seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, tendo alcançado a salvação eterna. Com efeito, se o sangue dos carneiros e dos bois e a aspersão da cinza de vitela santificam aqueles que estão manchados, dando-lhes a pureza legal e exterior, quanto mais o sangue de Cristo (que pelo Espírito Santo se ofereceu a si mesmo a Deus como vítima imaculada) purificará a nossa consciência das obras mortas, para nos tornar capazes de servir Deus vivo! Por isso Ele é o mediador do Novo Testamento, a fim de que sua morte, servindo de resgate das prevaricações cometidas no Antigo Testamento, transmita a eterna aliança prometida àqueles que foram chamados em N. S. Jesus Cristo.

Gradual Sl. 142, 9 & 10

Eripe me, Dómine, de inimícis meis: doce me fácere voluntátem tuam. V. Ps. 17, 48-49 Liberátor meus, Dómine, de géntibus iracúndis: ab insurgéntibus in me exaltábis me: a viro iníquo erípies me.
Livrai-me dos meus inimigos, Senhor: ensinai-me a cumprir a vossa vontade. V. Sl. 17, 48-49 Livrai-me, ó Senhor, das iras dos meus inimigos: elevai-me sobre aqueles que se insurgem contra mim e defendei-me do homem iníquo.

Trato Sl. 128, 1-4

Sæpe expugnavérunt me a juventúte mea. V. Dicat nunc Israël: sæpe expugnavérunt me a juventúte mea. V. Etenim non potuérunt mihi: supra dorsum meum fabricavérunt peccatóres. V. Prolongavérunt iniquitátes suas: Dóminus justus cóncidit cervíces peccatórum.
Combateram-me desde a minha juventude. V. Diga agora Israel: combateram-me desde a minha juventude. V. Mas nada puderam contra mim. Nas minhas costas ficaram sinais das pancadas dos pecadores. V. Durante bastante tempo continuaram as suas iniquidades; mas o Senhor, que é justo, cortará a cabeça dos pecadores.

Evangelho Jo. 8, 46-59

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Dicébat Jesus turbis Judæórum: Quis ex vobis árguet me de peccáto? Si veritátem dico vobis, quare non créditis mihi? Qui ex Deo est, verba Dei audit. Proptérea vos non audítis, quia ex Deo non estis. Respondérunt ergo Judǽi et dixérunt ei: Nonne bene dícimus nos, quia Samaritánus es tu, et dæmónium habes? Respóndit Jesus: Ego dæmónium non hábeo, sed honorífico Patrem meum, et vos inhonorástis me. Ego autem non quæro glóriam meam: est, qui quærat et júdicet. Amen, amen, dico vobis: si quis sermónem meum serváverit, mortem non vidébit in ætérnum. Dixérunt ergo Judǽi: Nunc cognóvimus, quia dæmónium habes. Abraham mórtuus est et Prophétæ; et tu dicis: Si quis sermónem meum serváverit, non gustábit mortem in ætérnum. Numquid tu major es patre nostro Abraham, qui mórtuus est? et Prophétæ mórtui sunt. Quem teípsum facis? Respóndit Jesus: Si ego glorífico meípsum, glória mea nihil est: est Pater meus, qui gloríficat me, quem vos dícitis, quia Deus vester est, et non cognovístis eum: ego autem novi eum: et si díxero, quia non scio eum, ero símilis vobis, mendax. Sed scio eum et sermónem ejus servo. Abraham pater vester exsultávit, ut vidéret diem meum: vidit, et gavísus est. Dixérunt ergo Judǽi ad eum: Quinquagínta annos nondum habes, et Abraham vidísti? Dixit eis Jesus: Amen, amen, dico vobis, antequam Abraham fíeret, ego sum. Tulérunt ergo lápides, ut jácerent in eum: Jesus autem abscóndit se, et exívit de templo.
Naquele tempo, dizia Jesus à multidão dos judeus: «Qual de vós me acusará de pecado? Se vos digo a verdade, porque não me acreditais? Aquele que é de Deus, ouve a palavra de Deus. Vós não atendeis à palavra de Deus, porque não sois de Deus». Os judeus responderam-Lhe: «Não temos nós razão para dizer que sois samaritano e que estais possesso do demónio?». Jesus retorquiu: «Eu não estou possesso do demónio, mas honro a meu Pai; enquanto que vós desonrais-me. Eu não procuro a minha própria glória. Há alguém que tem esse cuidado e me fará justiça. Em verdade, em verdade vos digo: se alguém obedecer às minhas palavras, não terá a morte para sempre». Os judeus disseram-Lhe: «Agora conhecemos que possuís o demónio. Abraão morreu, assim como os Profetas, e ainda dizeis: se alguém obedecer às minhas palavras, não morrerá para sempre? Sois, porventura, maior do que nosso pai Abraão, que morreu, assim como os Profetas? Quem pretendeis ser?». Jesus respondeu: «Se me glorificasse a mim mesmo, a minha glória não era nada! Porém é meu Pai (a quem chamais vosso Deus) quem me glorifica. Contudo, vós O não conheceis; mas Eu conheço-O. Se dissesse que O não conhecia, seria mentiroso, semelhante a vós; mas Eu conheço-O e obedeço às suas palavras. Abraão, vosso pai, exultou de alegria, porque desejou ver o meu dia. Viu-o e rejubilou». Os judeus disseram-Lhe, então: «Ainda não tendes cinquenta anos e vistes Abraão? Jesus respondeu-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Antes que Abraão viesse a ser feito (isto é, nascesse) já Eu existo!». Então, eles tomaram pedras, para Lhas atirarem; mas Jesus ocultou-se e saiu do templo.

Ofertório Sl. 118, 17 & 107

Confitébor tibi, Dómine, in toto corde meo: retríbue servo tuo: vivam, et custódiam sermónes tuos: vivífica me secúndum verbum tuum, Dómine.
Senhor, louvar-Vos-ei de todo meu coração. Recompensai o vosso servo: Então viverei e observarei os vossos preceitos. Vivificai-me, segundo a vossa palavra, Senhor!

Secreta

Hæc múnera, quǽsumus Dómine, ei víncula nostræ pravitátis absólvant, et tuæ nobis misericórdiæ dona concílient. Per Dóminum &c.
Que estas ofertas, Senhor, Vos suplicamos, esmaguem os laços da nossa malícia e nos alcancem os dons da vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Comúnio 1 Cor. 11, 24 & 25

Hoc corpus, quod pro vobis tradétur: hic calix novi Testaménti est in meo sánguine, dicit Dóminus: hoc fácite, quotiescúmque súmitis, in meam commemoratiónem.
Este é o meu corpo, que será entregue por vós. Este é o cálice da nova aliança no meu sangue: diz o Senhor. Fazei isto em memória de mim todas as vezes que os receberdes.

Postcomúnio

Adésto nobis, Dómine, Deus noster: et, quos tuis mystériis recreásti, perpétuis defénde subsidiis. Per Dóminum nostrum &c.
Assisti-nos, ó Senhor, nosso Deus; e concedei o vosso perpétuo auxílio aqueles a quem restaurastes com vossos mystérios. Por nosso Senhor &c.

Segunda-feira da Semana da Paixão Estação em S. Crisógono

Intróito Sl. 55, 2

Miserére mihi, Dómine, quóniam conculcávit me homo: tota dic bellans tribulávit me. Ps. ibid., 3 Conculcavérunt me inimíci mei tota die: quóniam multi bellántes advérsum me.
Tende misericórdia de mim, Senhor, porque o meu inimigo calca-me aos pés: todos os dias me ataca e persegue. Sl. ibid., 3 Meus inimigos calcam-me incessantemente com seus pés; pois São muitos os que me atacam.

Oração

Sanctífica, quǽsumus, Dómine, nostra jejúnia: et cunctárum nobis indulgéntiam propítius largíre culpárum. Per Dóminum &c.
Vos suplicamos, Senhor, santificai os nossos jejuns e concedei-nos benignamente a indulgência de todas nossas culpas. Por nosso Senhor &c.

Epístola Jn. 3, 1-10

Léctio Jonæ Prophétæ.
Lição do Profeta Jonas.
In diébus illis: Factum est verbum Dómini ad Jonam Prophétam secúndo, dicens: Surge, et vade in Níniven civitátem magnam: et prǽdica in ea prædicatiónem, quam ego loquor ad te. Et surréxit Jonas, et ábiit in Níniven juxta verbum Dómini. Et Nínive erat civitas magna itínere trium diérum. Et cœpit Jonas introíre in civitátem itínere diéi uníus: et clamávit et dixit: Adhuc quadragínta dies, et Nínive subvertétur. Et credidérunt viri Ninivítæ in Deum: et prædicavérunt jejúnium, et vestíti sunt saccis a majore usque ad minórem. Et pervénit verbum ad regem Nínive: et surréxit de sólio suo, et abjécit vestiméntum suum a se, et indútus est sacco, et sedit in cínere. Et clamávit et dixit in Nínive ex ore regis et príncipum ejus, dicens: Hómines et juménta et boves et pécora non gustent quidquam: nec pascántur, et aquam non bibant. Et operiántur saccis hómines et juménta, et clament ad Dóminum in fortitúdine, et convertátur vir a via sua mala, et ab iniquitáte, quæ est in mánibus eórum. Quis scit, si convertátur et ignóscat Deus: et revertátur a furóre iræ suæ, et non períbimus? Et vidit Deus ópera eórum, quia convérsi sunt de via sua mala: et misértus est pópulo suo Dóminus, Deus noster.
Naqueles dias, falou o Senhor segunda vez ao Profeta Jonas, dizendo-lhe: «Ergue-te, vai à grande cidade de Ninive e prega lá o que Eu te inspirar». Jonas ergueu-se e foi a Ninive, segundo a palavra do Senhor. Ora Ninive era uma grande cidade, a três dias de caminho. Jonas entrou na cidade, caminhou durante um dia e começou a pregar, dizendo: «Ainda quarenta dias e Ninive será destruída». Então os ninivitas acreditaram em Deus, proclamaram um jejum público e vestiram-se com sacos, desde o maior ao mais pequeno dos seus habitantes. Chegando isto ao conhecimento do rei de Ninive, ergueu-se ele do trono, despiu a túnica real, vestiu um saco e sentou-se na cinza. Em seguida fez publicar em Ninive, pela sua boca e pelos grandes da cidade: «que nem homens, nem animais (ou bois ou ovelhas) comessem, pastassem ou bebessem água; que os homens e animais se cobrissem com sacos; que os homens clamassem ao Senhor fortemente; e que toda a criatura humana abandonasse o mau caminho e a iniquidade de que suas mãos estavam manchadas. Quem sabe se Deus se não arrependerá de nos perdoar e não voltará ao furor da sua ira, de modo que todos pereçamos? E Deus viu as suas obras; viu que se convertiam e afastavam dos maus caminhos; e teve piedade do seu povo, o Senhor, nosso Deus».

Gradual Sl. 53,4 & 3

Deus, exáudi oratiónem meam: áuribus pércipe verba oris mei. V. Deus, in nómine tuo salvum me fac, et in virtúte tua líbera me.
Ó Deus, ouvi a minha oração: prestai atenção às palavras da minha boca. Ó Deus, pela glória do vosso nome, salvai-me; livrai-me com vosso poder.

Trato Sl. 102, 10

Dómine, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retríbuas nobis. V. Ps. 78, 8-9 Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrárum antiquárum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis. (hic genuflectitur) V. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, líbera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.
Senhor, nos não castigueis, consoante merecemos, pelos pecados que praticámos e por causa das nossas iniquidades! V. Sl. 78, 8-9 Esquecei-Vos, Senhor, das nossas antigas iniquidades e apressai-Vos em revestir-nos com vossas misericórdias, pois grande é a nossa miséria! (Aqui os fiéis devem genuflectir) V. Auxiliai-nos, ó Deus, nosso Salvador. Para glória do vosso Nome, perdoai-nos os nossos pecados, Senhor!

Evangelho Jo. 7, 32-39

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Misérunt príncipes et pharisǽi minístros, ut apprehénderent Jesum. Dixit ergo eis Jesus: Adhuc módicum tempus vobíscum sum: et vado ad eum, qui me misit. Quærétis me, et non inveniétis: et ubi ego sum, vos non potéstis veníre. Dixérunt ergo Judǽi ad semetípsos: Quo hic itúrus est, quia non inveniémus eum? numquid in dispersiónem géntium itúrus est, et doctúrus gentes? Quis est hic sermo, quem dixit: Quærétis me, et non inveniétis: et ubi sum ego, vos non potéstis veníre In novíssimo autem die magno festivitátis stabat Jesus, et clamábat, dicens: Siquis sitit, véniat ad me et bibat. Qui credit in me, sicut dicit Scriptúra, flúmina de ventre ejus fluent aquæ vivæ. Hoc autem dixit de Spíritu, quem acceptúri erant credéntes in eum.
Naquele tempo, os príncipes e os fariseus mandaram soldados para prender Jesus. Então, Jesus disse-lhes: «Ainda um pouco de tempo estou convosco; mas depois irei para Aquele que me mandou. Vós me procurareis e não me encontrareis; pois onde Eu estiver não podereis ir». Os judeus disseram uns aos outros: «Para onde irá Ele que o não encontraremos? Porventura irá para os que estão dispersos entre as nações e para instruir os gentios? Que significam estas palavras: «Vós me procurareis e não me encontrareis; pois onde Eu estiver não podereis ir?». No último dia da festa, que é o mais solene, Jesus estava erguido e dizia em voz alta: «Se alguém tem sede, venha a mim e beba; pois, segundo a Sagrada Escritura, «rios de água viva manarão no seio daquele que crê em mim». Isto dizia, referindo-se ao Espírito que haviam de receber aqueles que acreditassem n’Ele.

Ofertório Sl. 6, 5

Dómine, convértere, et éripe ánimam meam: salvum me fac propter misericórdiam tuam.
Volvei-Vos para mim, Senhor, e livrai a minha alma! Pela vossa misericórdia, salvai-me!

Secreta

Concéde nobis, Dómine, Deus noster: ut hæc hóstia salutáris et nostrórum fiat purgátio delictórum, et tuæ propitiátio majestátis. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, nosso Deus, que esta salutar hóstia nos purifique dos nossos pecados e nos torne propícios à vossa majestade. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 23, 10

Dóminus virtútum ipse est Rex glóriæ.
O Senhor dos exércitos é o Rei da glória.

Postcomúnio

Sacraménti tui, quǽsumus, Dómine, participátio salutáris, et purificatiónem nobis tríbuat, et medélam. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, permiti que este salutar sacramento, de que comparticipámos, nos purifique e sirva de remédio. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Da, quǽsumus, Dómine, pópulo tuo salútem mentis et córporis: ut, bonis opéribus inhæréndo, tua semper mereátur protectióne deféndi. Per Dóminum &c.
Concedei ao vosso povo, Senhor, Vos suplicamos, a saúde da alma e do corpo, a fim de que, dedicando-se às boas obras, mereça sempre ser assistido com vossa protecção. Por nosso Senhor &c.

Terça-feira da Semana da Paixão Estação em S. Ciríaco

Intróito Sl. 26, 14

Exspécta Dóminum, viríliter age: et confortétur cor tuum, et sústine Dóminum. Ps. ibid., 1 Dóminus illuminátio mea et salus mea: quem timebo?
Esperai no Senhor; procedei com firmeza e o vosso coração será confortado. Esperai, pois, no Senhor. Sl. ibid., 1 O Senhor é a minha luz e salvação. A quem hei-de temer?

Oração

Nostra tibi, Dómine, quǽsumus, sint accepta jejúnia: quæ nos et expiándo grátia tua dignos effíciant; et ad remédia perdúcant ætérna. Per Dóminum &c.
Vos rogamos, Senhor, permiti que os nossos jejuns Vos sejam agradáveis, a fim de que, servindo de expiação das nossas faltas, nos tornem dignos da vossa graça e nos sirvam de remédio para alcançarmos a salvação eterna. Por nosso Senhor &c.

Epístola Dn. 14, 27 & 28-42

Léctio Daniélis Prophétæ.
Lição do Profeta Daniel.
In diébus illis: Congregáti sunt Babylónii ad regem, et dixérunt ei: Trade nobis Daniélem, qui Bel destrúxit et dracónem interfecit, alioquin interficiémus te et domum tuam. Vidit ergo rex, quod irrúerent in eum veheménter: et necessitáte compúlsus trádidit eis Daniélem. Qui misérunt eum in lacum leónum, et erat ibi diébus sex. Porro in lacu erant leónes septem, et dabántur eis duo córpora cotídie et duæ oves: et tunc non data sunt eis, ut devorárent Daniélem. Erat autem Hábacuc prophéta in Judǽa, et ipse cóxerat pulméntum, et intríverat panes in alvéolo: et ibat in campum, ut ferret messóribus. Dixítque Angelus Dómini ad Hábacuc: Fer prándium, quod habes, in Babylónem Daniéli, qui est in lacu leónum. Et dixit Hábacuc: Dómine, Babylónem non vidi, et lacum néscio. Et apprehéndit eum Angelus Dómini in vértice ejus, et portávit eum capíllo cápitis sui, posuítque eum in Babylóne supra lacum in ímpetu spíritus sui. Et clamávit Hábacuc, dicens: Dániel, serve Dei, tolle prándium, quod misit tibi Deus. Et ait Dániel: Recordátus es mei, Deus, et non dereliquísti diligéntes te. Surgénsque Daniel comédit. Porro Angelus Dómini restítuit Hábacuc conféstim in loco suo. Venit ergo rex die séptimo, ut lugéret Daniélem: et venit ad lacum et introspéxit, et ecce Dániel sedens in médio leónum. Et exclamávit voce magna rex, dicens: Magnus es, Dómine, Deus Daniélis. Et extráxit eum de lacu leónum. Porro illos, qui perditiónis ejus causa fúerant, intromísit in lacum, et devoráti sunt in moménto coram eo. Tunc rex ait: Páveant omnes habitántes in univérsa terra Deum Daniélis: quia ipse est salvátor, fáciens signa et mirabília in terra: qui liberávit Daniélem de lacu leónum.
Naqueles dias, reuniram-se os babilónios, foram ao rei e disseram-lhe: «Entrega-nos Daniel, que destruiu Bel e matou o dragão; senão matar-te-emos a ti e à tua família». Vendo o rei que eles instavam e o Obrigavam violentamente, entregou-lhes Daniel, levado pela necessidade. Então, lançaram-no na cova dos leões, onde esteve seis dias. Ora, havia na cova sete leões, aos quais costumavam dar de comer, todos os dias, dois cadáveres e duas oves lhas. Durante aqueles dias lhes não deram nada, para que devorassem Daniel. Ao mesmo tempo, havia na Judeia um Profeta chamado Habacuc. Estando este a preparar a sua comida, acabara de misturá-la em uma vasilha com pão e ia levá-la ao campo aos ceifeiros, quando o Anjo do Senhor lhe disse: «Leva o jantar que aí tens a Daniel, que está em Babilónia, na cova dos leões». Habacuc respondeu: «Senhor, eu nunca vi Babilónia, nem sei onde é a cova!». Então o Anjo do Senhor segurou-o pelo alto da cabeça e, levando-o pelos cabelos, conduziu-o com a rapidez do seu espírito a Babilónia, mesmo por cima da cova. E Habacuc gritou: «Daniel, servo do Senhor, toma o jantar, que Deus te enviou». Daniel disse: «Meu Deus, recordastes-Vos de mim; pois não abandonais aqueles que Vos amam». Levantando-se Daniel, comeu. Logo o Anjo do Senhor levou Habacuc para sua casa. No sétimo dia foi o rei perto da cova para prantear Daniel; e, tendo olhado para dentro, viu Daniel, sentado no meio dos leões. Logo o rei, estupefacto, exclamou em voz alta: «Grande sois Vós, Senhor, Deus de Daniel!». E tirou-o da cova dos leões. Imediatamente mandou meter na mesma cova aqueles que intentaram matar Daniel, os quais à vista de todos, num momento, foram devorados pelos leões. Então o rei disse: «Que todos os habitantes da terra temam Aquele que é o Deus de Daniel, pois Ele é o Salvador, que opera milagres e maravilhas na terra e que livrou Daniel da cova dos leões!».

Gradual Sl. 42, 1 & 3

Discérne causam meam, Dómine: ab homine iníquo et dolóso éripe me. V. Emítte lucem tuam et veritátem tuam: ipsa me deduxérunt, et adduxérunt in montem sanctum tuum.
Defendei a minha causa, Senhor: livrai-me do homem iníquo e fraudulento. V. Que resplandeça em mim a vossa luz e a vossa verdade: e elas me conduzirão e guiarão até ao monte sagrado.

Evangelho Jo. 7, 1-13

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Ambulábat Jesus in Galilǽam, non enim volébat in Judǽam ambuláre, quia quærébant eum Judǽi interfícere. Erat autem in próximo dies festus Judæórum, Scenopégia. Dixérunt autem ad eum fratres ejus: Transi hinc, et vade in Judǽam, ut et discípuli tui vídeant ópera tua, quæ facis. Nemo quippe in occúlto quid facit, et quærit ipse in palam esse: si hæc facis, manifesta teipsum mundo. Neque enim fratres ejus credébant in eum. Dixit ergo eis Jesus: Tempus meum nondum advénit: tempus autem vestrum semper est parátum. Non potest mundus odísse vos: me autem odit: quia ego testimónium perhíbeo de illo, quod ópera ejus mala sunt. Vos ascéndite ad diem festum hunc, ego autem non ascénde ad diem festum istum: quia meum tempus nondum implétum est. Hæc cum dixísset, ipse mansit in Galilǽa. Ut autem ascendérunt fratres ejus, tunc et ipse ascéndit ad diem festum non maniféste, sed quasi in occúlto. Judǽi ergo quærébant eum in die festo, et dicébant: Ubi est ille? Et murmur multum erat in turba de eo. Quidam enim dicébant: Quia bonus est. Alii autem dicébant: Non, sed sedúcit turbas. Nemo tamen palam loquebátur de illo, propter metum Judæórum.
Naquele tempo, andava Jesus pela Galileia e já não queria ir à Judeia, porque os judeus intentavam matá-lo. Estava já próximo o dia da festa dos tabernáculos. Disseram-Lhe, então, os seus irmãos: «Saí daqui e ide para a Judeia, para que os vossos discípulos vejam as obras que praticais, pois ninguém faz em segredo uma coisa, quando procura que ela seja conhecida. Se praticais estas maravilhas, mostrai-Vos ao mundo. Porquanto, nem mesmo os seus irmãos acreditavam n’Ele!». Jesus disse-lhes: «Meu tempo ainda não chegou, mas o vosso tempo está sempre presente. O mundo não pode aborrecer-se de vós, mas aborrece-se de mim, porque dou testemunho de que suas obras são más. Ide vós a essa festa; Eu não vou, porque o meu tempo ainda não chegou». Havendo dito isto, ficou na Galileia. Quando seus irmãos haviam já partido, resolveu então ir à festa, não manifesta, mas ocultamente. Ora, no dia da festa, os judeus procuravam-no e diziam: «Onde está Ele?». Havia, então, grande rumor na multidão a seu respeito; porquanto, uns afirmavam: é um homem de bem; outros diziam: não, pois seduz as turbas. Todavia, ninguém falava d’Ele abertamente» porque receavam os judeus.

Ofertório Sl. 9, 11-12 & 13

Sperent in te omnes, qui novérunt nomen tuum, Dómine: quóniam non derelínquis quæréntes te: psállite Dómino, qui habitat in Sion: quóniam non est oblítus oratiónes páuperum.
Que todos aqueles que conhecem o vosso nome, Senhor, confiem em Vós, porque não abandonais os que Vos procuram. Cantai hinos ao Senhor que habita em Sião: pois não esquecerá as orações dos pobres.

Secreta

Hóstias tibi, Dómine, deférimus immolándas: quæ temporálem consolatiónem signíficent; ut promíssa non desperémus ætérna. Per Dóminum &c.
Senhor, que estas hóstias, que imolamos e oferecemos em vosso louvor, nos façam sentir consolação temporal, a fim de não perdermos a esperança das promessas eternas. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 24, 22

Rédime me, Deus Israël, ex ómnibus angústiis meis.
Livrai-me, ó Deus de Israel, de todas minhas angústias.

Postcomúnio

Da, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, quæ divína sunt, jugiter exsequéntes, donis mereámur cœléstibus propinquáre. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos pedimos, fazei que, recebendo nós incessantemente os divinos mystérios, mereçamos alcançar os bens celestiais. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Da nobis, quǽsumus, Dómine: perseverántem in tua voluntáte famulátum; ut in diébus nostris, et mérito et número, pópulus tibi sérviens augeátur. Per Dóminum nostrum &c.
Vos suplicamos, Senhor, concedei-nos a graça da perseverança no cumprimento da vossa vontade, para que em nossos dias o povo, que Vos serve, cresça em número e em merecimentos. Por nosso Senhor &c.
Quarta-feira da Semana da Paixão Estação em São Marcelo

Intróito Sl. 17, 48-49

Liberátor meus de géntibus iracúndis: ab insurgéntibus in me exaltábis me: a viro iníquo erípies me, Dómine. Ps. ib., 2-3 Díligam te, Dómine, virtus mea: Dóminus firmaméntum meum, et refúgium meum, et liberátor meus.
Fostes Vós, que me livrastes, Senhor, do jugo dum povo irritado. Livrar-me-eis também dos meus adversários: e defender-me-eis do homem iníquo. Sl. ib., 2-3 Senhor, que sois a minha fortaleza, eu Vos amo! Sois o meu sustentáculo, o meu refúgio e o meu libertador.

Oração

Sanctificáto hoc jejúnio, Deus, tuórum corda fidélium miserátor illústra: et quibus devotiónis præstas afféctum, præbe supplicántibus pium benígnus audítum. Per Dóminum &c.
Ó Deus misericordioso, depois de haverdes santificado este jejum, esclarecei os corações dos vossos fiéis e ouvi benigno as súplicas daqueles a quem concedeis o dom da piedade. Por nosso Senhor &c.

Epístola Lv. 19, 1-2, 11-19 & 25

Léctio libri Levítici.
Lição do Livro Levítico.
In diébus illis: Locútus est Dóminus ad Móysen, dicens: Lóquere ad omnem cœtum filiórum Israël, et dices ad eos: Ego Dóminus, Deus vester. Non faciétis furtum. Non mentiémini, nec decípiet unusquísque próximum suum. Non perjurábis in nómine meo, nec póllues nomen Dei ;ui. Ego Dóminus. Non fácies calúmniam próximo tuo: nec vi ópprimes eum. Non morábitur opus mercennárii tui apud te usque mane. Non maledíces surdo, nec coram cæco pones offendículum: sed timébis Dóminum, Deum tuum, quia ego sum Dóminus. Non fácies quod iníquum est, nec injúste judicábis. Non consíderes persónam páuperis, nec honóres vultum poténtis. Juste júdica próximo tuo. Non eris criminátor, nec susúrro in pópulo. Non stabis contra sánguinem próximi tui. Ego Dóminus. Non óderis fratrem tuum in corde tuo, sed públice árgue eum, ne hábeas super illo peccátum. Non quæras ultiónem, nec memor eris injúriae cívium tuórum. Díliges amícum tuum sicut teípsum. Ego Dóminus. Leges meas custodíte. Ego enim sum Dóminus, Deus vester.
Naqueles dias, falou o Senhor a Moisés, dizendo: «Fala a toda a assembleia dos filhos de Israel e diz-lhes: «Sou o Senhor, vosso Deus: não furtareis; não mentireis; não enganareis o vosso próximo; não jurareis em vão, invocando o meu nome, nem profanareis o nome do vosso Deus. Sou o Senhor: não caluniareis o próximo e o não oprimireis com violência; o salário do jornaleiro não permanecerá na vossa mão até ao dia seguinte; não amaldiçoareis o surdo, nem colocareis obstáculos no caminho do cego; mas temereis o Senhor, vosso Deus, pois sou o Senhor. Não praticareis iniquidades, nem julgareis injustamente; não considerareis se uma pessoa é pobre, nem vos intimidareis com a presença do poderoso. Julgai o próximo com toda a justiça; não sejais acusador; não levanteis intrigas entre o povo; não prepareis vingança contra o sangue do vosso próximo. Sou o Senhor: não odiareis com o coração o vosso irmão, mas admoestá-lo-eis publicamente, para que não tenhais nele causa de pecado. Não procurareis vingar-vos e não guardareis rancor pela injúria dos vossos concidadãos. Amareis o vosso próximo como a vós mesmos. Sou o Senhor: observai as minhas leis; pois sou o Senhor, vosso Deus».

Gradual Sl. 29, 2-4

Exaltábo te, Dómine, quóniam suscepísti me: nec delectásti inimícos meos super me. V. Dómine, Deus meus, clamávi ad te, et sanásti me: Dómine, abstraxísti ab ínferis ánimam meam, salvásti me a descendéntibus in lacum.
Exaltar-Vos-ei, Senhor, porque me acolhestes e não quisestes que meus inimigos escarnecessem de mim. V. Senhor, meu Deus, chamei por Vós e curastes as minhas chagas. Senhor, tirastes a minha alma do inferno; salvastes-me da companhia daqueles que descem para o sepulcro.

Trato Página tratosemanapaixao

Evangelho Jo. 10, 22-38

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Facta sunt Encǽnia in Jerosólymis: et hiems erat. Et ambulábat Jesus in templo, in pórticu Salomónis. Circumdedérunt ergo eum Judǽi, et dicébant ei: Quoúsque ánimam nostram tollis? Si tu es Christus, dic nobis palam. Respóndit eis Jesus: Loquor vobis, et non créditis: Opera, quæ ego fácio in nómine Patris mei, hæc testimónium pérhibent de me: sed vos non créditis, quia non estis ex óvibus meis. Oves meæ vocem meam áudiunt: et ego cognósco eas, et sequúntur me: et ego vitam ætérnam do eis: et non períbunt in ætérnum, et non rápiet eas quisquam de manu mea. Pater meus quod dedit mihi, majus ómnibus est: et nemo potest rápere de manu Patris mei. Ego et Pater unum sumus. Sustulérunt ergo lápides Judǽi, ut lapidárent eum. Respóndit eis Jesus: Multa bona ópera osténdi vobis ex Patre meo, propter quod eórum opus me lapidátis? Respondérunt ei Judǽi: De bono ópere non lapidámus te, sed de blasphémia: et quia tu, homo cum sis, facis teípsum Deum. Respóndit eis Jesus: Nonne scriptum est in lege vestra: quia Ego dixi, dii estis? Si illos dixit deos, ad quos sermo Dei factus est, et non potest solvi Scriptúra: quem Pater sanctificávit, et misit in mundum, vos dicitis: Quia blasphémas: quia dixi, Fílius Dei sum? Si non fácio ópera Patris mei, nolíte crédere mihi. Si autem fácio, et si mihi non vultis crédere, opéribus crédite, ut cognoscátis et credátis, quia Pater in me est et ego in Patre.
Naquele tempo, celebrava-se em Jerusalém a festa da Dedicação do templo. Era no inverno. Jesus passeava no templo, sob o pórtico de Salomão. Então, os judeus rodearam-no e disseram-Lhe: «Até quando tereis o nosso espírito suspenso? Se sois o Cristo, dizei-o francamente». Jesus respondeu-lhes: «Já vo-lo tenho dito; porém, não acreditais. As obras, que pratico em nome de meu Pai, dão testemunho de mim; mas vós não acreditais, porque não pertenceis às minhas ovelhas. Minhas ovelhas ouvem a minha voz: Eu conheço-as e elas seguem-me. Eu dou-lhes a vida eterna e não morrerão para sempre, nem ninguém as arrebatará da minha mão. O que meu Pai me deu é maior do que todas as coisas; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um só». Os judeus, então, procuraram pedras para o apedrejar. E Jesus disse-lhes: «Tenho feito diante de vós muitas obras admiráveis, por poder de meu Pai; por qual delas, pois, quereis apedrejar-me?». Os judeus responderam-Lhe: «Não é pelas boas obras que Vos apedrejamos, mas pelas blasfémias; porquanto, declarai-Vos Deus, sendo, contudo, homem». Respondeu-lhes Jesus: «Não está escrito na vossa Lei: «Eu disse que sois deuses?» Se, pois a Lei chama deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser desprezada), como chamais blasfemo Àquele que o Pai santificou e mandou ao mundo, porque disse «sou o Filho de Deus»? Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis; mas, se as faço, embora não queirais acreditar em mim, acreditai nas minhas obras, a fim de que saibais e conheçais que o Pai está em mim e que Eu estou no Pai».

Ofertório Sl. 58, 2

Eripe me de inimícis meis, Deus meus: et ab insurgéntibus in me líbera me, Dómine.
Livrai-me dos meus inimigos, ó meu Deus; livrai-me dos que se insurgem contra mim.

Secreta

Annue, miséricors Deus: ut hóstias placatiónis et laudis sincéro tibi deferámus obséquio. Per Dóminum &c.
Permiti, ó Deus misericordioso, que com sincera submissão Vos apresentemos estas hóstias de expiação e de louvor. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 25, 6-7

Lavábo inter innocéntes manus meas, et circuíbo altáre tuum, Dómine: ut áudiam vocem laudis tuæ, et enárrem univérsa mirabília tua.
Lavarei as minhas mãos entre os inocentes e rodearei o vosso altar, Senhor, para cantar os vossos louvores e anunciar todas as vossas maravilhas.

Postcomúnio

Cœléstis doni benedictióne percépta: súpplices te, Deus omnípotens, deprecámur; ut hoc idem nobis et sacraménti causa sit et salútis. Per Dóminum &c.
Havendo nós recebido a bênção deste dom celestial, súplices Vos rogamos, ó Deus omnipotente, que este mesmo dom nos sirva de sacramento e de salvação. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Adésto supplicatiónibus nostris, omnípotens Deus: et, quibus fidúciam sperándæ pietátis indúlges; consuétæ misericórdiæ tríbue benígnus efféctum. Per Dóminum &c.
Escutai as nossas súplicas, ó Deus omnipotente, e, àqueles a quem permitis confiem na vossa piedade, concedei benigno o efeito da vossa habitual misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Quinta-feira da Semana da Paixão Estação em Santo Apolinário

Intróito Dn. 3, 31

Omnia, quæ fecísti nobis, Dómine, in vero judício fecísti: quia peccávimus tibi, et mandátis tuis non obœdívimus: sed da glóriam nómini tuo, et fac nobíscum secúndum multitúdinem misericórdiæ tuæ. Ps. 118, 1 Beáti immaculáti in via: qui ámbulant in lege Dómini.
Quantos males caíram sobre nós, Senhor, foi com verdadeira justiça que o fizestes, pois pecamos e não obedecemos aos vossos mandamentos; mas agora glorificai o vosso nome e usai para connosco de misericórdia. Ps. 118, 1 Bem-aventurados aqueles cuja vida é perfeita e que praticam a Lei do Senhor.

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut dígnitas condiciónis humánæ, per immoderántiam sauciáta, medicinális parsimóniæ stúdio reformétur. Per Dóminum &c.
Permiti, Vos suplicamos, ó Deus omnipotente, que a dignidade da natureza humana, corrompida pela intemperança, seja restabelecida pela prática da salutar abstinência. Por nosso Senhor &c.

Epístola Dn. 3, 25 & 34-45

Léctio Daniélis Prophétæ.
Lição do Profeta Daniel.
In diébus illis: Orávit Azarías Dóminum, dicens: Dómine, Deus noster: ne, quǽsumus, tradas nos in perpétuum propter nomen tuum, et ne díssipes testaméntum tuum: neque áuferas misericórdiam tuam a nobis propter Abraham diléctum tuum, et Isaac servum tuum, et Israël sanctum tuum: quibus locútus es, póllicens, quod multiplicáres semen eórum sicut stellas cœli et sicut arénam, quæ est in lítore maris: quia, Dómine, imminúti sumus plus quam omnes gentes, sumúsque húmiles in univérsa terra hódie propter peccáta nostra. Et non est in témpore hoc princeps, et dux, et prophéta, neque holocáustum, neque sacrifícium, neque oblátio, neque incénsum, neque locus primitiárum coram te, ut póssimus inveníre misericórdiam tuam: sed in ánimo contríto et spíritu humilitátis suscipiámur. Sicut in holocáusto aríetum et taurórum, et sicut in mílibus agnórum pínguium: sic fiat sacrifícium nostrum in conspéctu tuo hódie, ut pláceat tibi: quóniam non est confúsio confidéntibus in te. Et nunc séquimur te in toto corde, et timémus te, et quǽrimus fáciem tuam. Ne confúndas nos: sed fac nobíscum juxta mansuetúdinem tuam et secúndum multitúdinem misericórdiæ tuæ. Et érue nos in mirabílibus tuis, et da glóriam nómini tuo, Dómine: et confundántur omnes, qui osténdunt servis tuis mala, confundántur in omni poténtia tua: et robur eórum conterátur: et sciant, quia tu es Dóminus, Deus solus, et gloriósus super orbem terrárum, Dómine, Deus noster.
Naqueles dias, Azarias orou ao Senhor e disse: «Senhor, nosso Deus, Vos pedimos, nos não abandoneis perpetuamente, por causa do vosso nome, e não quebreis a vossa aliança, nem nos deixeis sem a vossa misericórdia, por causa de Abraão, vosso muito amado, de Isaque, vosso servo, e de Israel, vosso santo, aos quais prometestes multiplicar-lhes as suas descendências, como as estrelas do céu e como os grãos de areia da praia. Porquanto, Senhor, estamos reduzidos a um número menor que todos os outros povos e estamos hoje humilhados perante toda a terra, por causa dos nossos pecados. Presentemente, não temos nem príncipe, nem chefe, nem profeta, nem holocausto, nem sacrifício, nem oblação, nem incenso, nem lugar onde possamos oferecer as nossas primícias, a fim de podermos alcançar a vossa misericórdia. Dignai-Vos, pois, ouvir-nos; atendei ao nosso coração contrito e ao nosso espírito humilhado. Que este sacrifício, oferecido hoje em vossa presença, Vos seja agradável, como um holocausto de carneiros e de touros, como a oferta de mil cordeiros gordos; porquanto aqueles que em Vós confiam não serão iludidos. Agora Vos seguimos do íntimo do coração; agora Vos tememos; agora procuramos a vossa presença. Não nos confundais, mas tratai-nos conforme a vossa mansidão e segundo a grandeza da vossa misericórdia! Livrai-nos, Senhor, com vossos prodígios e dai glória ao vosso nome! Que sejam confundidos aqueles que maltratam os vossos servos! Sim! Que eles sejam confundidos pela vossa omnipotência! Que sua força seja aniquilada; e que conheçam que sois o Senhor, único Deus e o glorioso Senhor em toda a terra. Sim, Senhor, nosso Deus».

Gradual Sl. 95, 8-9

Tóllite hóstias, et introíte in átria ejus: adoráte Dóminum in aula sancta ejus. V. Ps. 28, 9 Revelávit Dóminus condénsa: et in templo ejus omnes dicent glóriam.
Levai convosco as vossas ofertas e entrai nos átrios: adorai o Senhor no seu templo santo. V. Sl. 28, 9 O Senhor descobrirá o que está oculto, e todos O glorificarão no seu templo.

Evangelho Lc. 7, 36-50

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Rogábat Jesum quidam de pharisǽis, ut manducáret cum illo. Et ingréssus domum pharisǽi, discúbuit. Et ecce múlier, quæ erat in civitáte peccátrix, ut cognóvit, quod accubuísset in domo pharisǽi, áttulit alabástrum unguénti: et stans retro secus pedes ejus, lácrimis coepit rigáre pedes ejus, et capíllis cápitis sui tergébat, et osculabátur pedes ejus, et unguénto ungébat. Videns autem pharisǽus, qui vocáverat eum, ait intra se, dicens: Hic si esset Prophéta, sciret útique, quæ et qualis est múlier, quæ tangit eum: quia peccátrix est. Et respóndens Jesus, dixit ad illum: Simon, hábeo tibi áliquid dícere. At ille ait: Magíster, dic. Duo debitóres erant cuidam fæneratóri: unus debébat denários quingéntos, et álius quinquagínta. Non habéntibus illis, unde rédderent, donávit utrísque. Quis ergo eum plus díligit? Respóndens Simon, dixit: Æstimo, quia is, cui plus donávit. At ille dixit ei: Recte judicásti. Et convérsus ad mulíerem, dixit Simóni: Vides hanc mulíierem? Intrávi in domum tuam, aquam pédibus meis non dedísti: hæc autem lácrimis rigávit pedes meos et capíllis suis tersit. Osculum mihi non dedísti: hæc autem, ex quo intrávit, non cessávit osculári pedes meos. Oleo caput meum non unxísti: hæc autem unguénto unxit pedes meos. Propter quod dico tibi: Remittúntur ei peccáta multa, quóniam diléxit multum. Cui autem minus dimíttitur, minus díligit. Dixit autem ad illam: Remittúntur tibi peccáta. Et cœpérunt, qui simul accumbébant, dícere intra se: Quis est hic, qui étiam peccáta dimíttit? Dixit autem ad mulíerem: Fides tua te salvam fecit: vade in pace.
Naquele tempo, um fariseu pediu a Jesus que comesse com ele à sua mesa. Havendo, pois, Jesus entrado em sua casa, sentou-se à mesa. E eis que uma mulher pecadora que havia na cidade, sabendo que Jesus estava à mesa, em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro, cheio de perfumes, e, ficando por detrás d’Ele, a seus pés, começou a regar-Lhe os pés com suas lágrimas e a enxugar-lhos com os cabelos da cabeça. E beijava os pés de Jesus, ungindo-os com os perfumes! Vendo isto o fariseu que havia convidado Jesus, pensava intimamente o seguinte: «Se este homem fosse profeta, certamente saberia quem e que espécie de mulher é esta que o toca, pois é uma pecadora». Então Jesus, tomando a palavra, disse: «Simão, tenho certa coisa a dizer-te». Este respondeu: «Falai, Mestre!». «Um credor - disse Jesus - tinha dois devedores: um devia quinhentos dinheiros e o outro cinquenta. Não tendo eles com que pagar, a ambos o credor quitou as dívidas. Qual deles, pois, deverá amá-lo mais?». Simão respondeu: «Aquele, penso eu, a quem o credor perdoou mais». Jesus disse-lhe: «Falaste bem». Voltando-se, então, para a mulher, disse a Simão: «Vês esta mulher? Entrei em tua casa, e não deitaste água sobre os meus pés; mas ela tem-os lavado com suas lágrimas e enxugado com seus cabelos. Tu não me deste o ósculo; porém, esta, desde que entrou, não cessou de beijar os meus pés. Tu não ungiste a minha cabeça; contudo ela ungiu com perfumes os meus pés. Pelo que te digo: os seus numerosos pecados são-lhe perdoados, porque ela amou muito; mas a quem pouco se perdoa é porque pouco ama!». Depois disse à mulher: «Os teus pecados são-te perdoados». Então aqueles que estavam à mesa começaram a dizer uns aos outros: «Quem é este que também perdoa pecados?». E Jesus disse à mulher: «A tua fé salvou-te, vai em paz».

Ofertório Sl. 136, 1

Super flúmina Babylónis illic sédimus et flévimus: dum recordarémur tui, Sion.
Ao pé das margens dos rios da Babilónia nos sentámos e chorámos, recordando-nos com saudade de Sião!

Secreta

Dómine, Deus noster, qui in his pótius creatúris, quas ad fragilitátis nostræ subsídium condidísti, tuo quoque nómini múnera jussísti dicánda constítui: tríbue, quǽsumus; ut et vitæ nobis præséntis auxílium et æternitátis effíciant sacraméntum. Per Dóminum &c.
Senhor, nosso Deus, que quisestes que as criaturas destinadas por Vós para alimento da nossa fraqueza fossem também imoladas em honra do vosso nome, dignai-Vos permitir, Vos suplicamos, que elas nos sirvam de auxílio na vida presente e ao mesmo tempo de sacramento de salvação eterna. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 118, 49-50

Meménto verbi tui servo tuo, Dómine, in quo mihi spem dedísti: hæc me consoláta est in humilitáte mea.
Lembrai-Vos, Senhor, da promessa que fizestes ao vosso servo e com a qual me enchestes de esperança: ela me tem consolado na humilhação.

Postcomúnio

Quod ore súmpsimus, Dómine, pura mente capiámus: et de munere temporáli, fiat nobis remédium sempitérnum. Per Dóminum &c.
Fazei, Senhor, que guardemos com o coração puro aquilo que a nossa boca recebeu; e que este dom temporal se torne para nós em remédio eterno. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Esto, quǽsumus, Dómine, propítius plebi tuæ: ut, quæ tibi non placent, respuéntes; tuórum pótius repleántur delectatiónibus mandatórum. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos imploramos, sede favorável ao vosso povo, a fim de que, repelindo tudo o que Vos desagrada, lhe advenham as delícias que resultam da prática dos vossos mandamentos. Por nosso Senhor &c.
Sexta-feira da Semana da Paixão Estação em Santo Estêvão no Monte Célio

Intróito Sl. 30, 10, 16 & 18

Miserére mihi, Dómine, quóniam tríbulor: líbera me, et éripe me de mánibus inimicórum meórum et a persequéntibus me: Dómine, non confúndar, quóniam invocávi te. Ps. ib., 2 In te, Dómine, sperávi, non confúndar in ætérnum: in justítia tua libera me.
Tende misericórdia de mim, Senhor, pois estou aflito; salvai-me e livrai-me das mãos dos meus inimigos e perseguidores. Senhor, não serei confundido, porque Vos invoquei. Sl. ib., 2 Confio em Vós, Senhor, não serei para sempre confundido; livrai-me segundo a vossa justiça.

Oração

Córdibus nostris, quǽsumus, Dómine, grátiam tuam benígnus infúnde: ut peccáta nostra castigatióne voluntária cohibéntes, temporáliter pótius macerémur, quam súppliciis deputémur ætérnis. Per Dóminum &c.
Infundi benigno, Senhor, Vos suplicamos, a vossa graça em nossos corações, para que, punindo-nos voluntariamente por causa dos nossos pecados, evitemos com estas penas temporais a condenação aos castigos eternos. Por nosso Senhor &c.

Epístola Jr. 17, 13-18

Léctio Jeremíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Jeremias.
In diébus illis: Dixit Jeremías: Dómine, omnes, qui te derelínquunt, confundéntur: recedéntes a te in terra scribéntur: quóniam dereliquérunt venam aquárum vivéntium Dóminum. Sana me. Dómine, et sanábor: salvum me fac, et salvus ero: quóniam laus mea tu es. Ecce, ipsi dicunt ad me: Ubi est verbum Dómini? Véniat. Et ego non sum turbátus, te pastórem sequens: et diem hóminis non desiderávi, tu scis. Quod egréssum est de lábiis meis, rectum in conspéctu tuo fuit. Non sis tu mihi formídini, spes mea tu in die afflictiónis. Confundántur, qui me persequúntur, et non confúndar ego: páveant illi, et non páveam ego. Induc super eos diem afflictiónis, et dúplici contritióne cóntere eos, Dómine, Deus noster.
Naqueles dias, disse Jeremias: «Senhor, todos os que se afastaram de Vós serão confundidos; todos os que se afastaram de Vós ficarão envergonhados, pois abandonaram o Senhor, que é a fonte das águas vivas. Curai-me, Senhor, e serei curado; salvai-me, e serei salvo; pois sois a minha glória. Eis o que eles me dizem: «Onde está a palavra do Senhor? Que ela se cumpra!». Mas não me perturbei, seguindo-Vos, como a um pastor. Não desejei ao infeliz, bem o sabeis, o dia da sua aflição. As palavras que saíram dos meus lábios eram rectas na vossa presença. Não sejais causa de terror para mim, pois sois a minha esperança no dia da aflição. Caiam em confusão os que me perseguem; mas não seja eu confundido. Que eles fiquem assombrados; mas não o seja eu. Fazei que para eles se aproxime o dia da aflição; esmagai-os, sobrecarregando-os com males, ó Senhor, nosso Deus».

Gradual Sl. 34, 20 & 22

Pacífice loquebántur mihi inimíci mei: et in ira molésti erant mihi. V. Vidísti, Dómine, ne síleas: ne discédas a me.
Os meus inimigos falavam-me aparentemente com palavras de paz; mas na sua ira meditavam perfídias contra mim. Vós bem o vistes, Senhor: não sejais insensível, não Vos afasteis de mim.

Trato Página tratosemanapaixao

Evangelho Jo. 11, 47-54

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Collegérunt pontífices et pharisǽi concílium advérsus Jesum, et dicébant: Quid fácimus, quia hic homo multa signa facit? Si dimíttimus eum sic, omnes credent in eum: et vénient Románi, et tollent nostrum locum et gentem. Unus autem ex ipsis, Cáiphas nómine, cum esset póntifex anni illíus, dixit eis: Vos nescítis quidquam, nec cogitátis, quia expédit vobis, ut unus moriátur homo pro pópulo, et non tota gens péreat. Hoc autem a semetípso non dixit: sed cum esset póntifex anni illíus, prophetávit, quod Jesus moritúrus erat pro gente, et non tantum pro gente, sed ut fílios Dei, qui erant dispérsi, congregáret in unum. Ab illo ergo die cogitavérunt, ut interfícerent eum. Jesus ergo jam non in palam ambulábat apud Judǽos: sed ábiit in regiónem juxta desértum, in civitátem, quæ dícitur Ephrem, et ibi morabátur cum discípulis suis.
Naquele tempo, reuniram-se os pontífices e os fariseus em assembleia contra Jesus, dizendo: «Que faremos nós a este homem, que opera tantos prodígios? Se o deixarmos livre, todos acreditarão n’Ele; e então os romanos virão e desfruirão a nossa cidade e a nossa nação». Ora, um deles, Caifás, que era naquele ano o sumo sacerdote, disse-lhes: «Vós nada sabeis! Não pensais que é melhor que morra um só homem, por causa do povo, do que padeça toda a nação, por causa d’Ele?». Caifás não disse estas palavras em nome próprio; mas, como sumo sacerdote que era naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação - e não somente pela nação, mas para reunir em um só corpo os filhos de Deus, que estavam dispersos. Desde aquele dia, pois, resolveram matá-l’O. Porém, Jesus já se não mostrava abertamente aos judeus. Retirara-se para um lugar, perto do deserto, na cidade de Efrem, onde permanecia com seus discípulos.

Ofertório Sl. 118, 12, 121 & 42

Benedíctus es, Dómine, doce me justificatiónes tuas: et non tradas calumniántibus me supérbis: et respondébo exprobrántibus mihi verbum.
Bendito sois, Senhor. Ensinai-me a conhecer as vossas leis. Não me entregueis àqueles que me perseguem: e eu saberei responder àqueles que me insultam.

Secreta

Præsta nobis, miséricors Deus: ut digne tuis servíre semper altáribus mereámur; et eórum perpétua participatióne salvári. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus misericordioso, concedei-nos a graça de servirmos sempre dignamente os vossos altares, a fim de que, participando perpetuamente deles, possamos salvar-nos. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 26, 12

Ne tradíderis me. Dómine, in animas persequéntium me: quóniam insurrexérunt in me testes iníqui, et mentíta est iníquitas sibi.
Senhor, não me abandoneis ao ódio dos que me perseguem, quando se levantam contra mim com testemunhos iníquos; pois a iniquidade contradiz-se a si própria.

Postcomúnio

Sumpti sacrifícii, Dómine, perpetua nos tuítio non derelínquat: et nóxia semper a nobis cuncta depéllat. Per Dóminum &c.
Que nos não desampare, Senhor, a protecção do sacramento agora recebido, e que para sempre afaste de nós todos os males. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui protectiónis tuæ grátiam quǽrimus, liberáti a malis ómnibus, secúra tibi mente serviámus. Per Dóminum &c.
Deus omnipotente, Vos suplicamos, concedei-nos a graça da vossa protecção, que sempre procurámos, a fim de que sejamos livres de todos os males e Vos sirvamos com a alma tranquila. Por nosso Senhor &c.
Sábado da Semana da Paixão Estação em S. João em frente à Porta Latina

Intróito, Gradual, Ofertório e Comúnio Página paixaosexta

Oração

Profíciat, quǽsumus, Dómine, plebs tibi dicáta piæ devotiónis afféctu: ut sacris actiónibus erudíta, quanto majestáti tuæ fit grátior, tanto donis potióribus augeátur. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, Vos imploramos, que o povo, que Vos é consagrado, aumente com fervor a sua piedade, a fim de que, instruindo-se com estes actos da religião, alcance tanto mais dons celestiais quanto mais se tornar agradável à vossa divina majestade. Por nosso Senhor &c.

Epístola Jr. 18, 18-23

Léctio Jeremíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Jeremias.
In diébus illis: Dixérunt ímpii Judǽi ad ínvicem: Veníte, et cogitémus contra justum cogitatiónes: non enim períbit lex a sacerdóte, neque consílium a sapiénte, nec sermo a prophéta: veníte, et percutiámus eum lingua, et non attendámus ad univérsos sermónes ejus. Atténde, Dómine, ad me, et audi vocem adversariórum meórum. Numquid rédditur pro bono malum, quia fodérunt fóveam ánimæ meæ? Recordáre, quod stéterim in conspéctu tuo, ut lóquerer pro eis bonum, et avérterem indignatiónem tuam ab eis. Proptérea da fílios eórum in famem, et deduc eos in manus gládii: fiant uxóres eórum absque líberis, et víduæ: et viri eárum interficiántur morte: júvenes eórum confodiántur gládio in prǽlio. Audiátur clamor de dómibus eórum: addúces enim super eos latrónem repénte: quia fodérunt foveam, ut cáperent me, et láqueos abscondérunt pédibus meis. Tu autem, Dómine, scis omne consílium eórum advérsum me in mortem: ne propitiéris iniquitáti eórum, et peccátum eórum a fácie tua non deleátur. Fiant corruéntes in conspéctu tuo, in témpore furóris tui ab útere eis, Dómine, Deus noster.
Naqueles dias, disseram os ímpios judeus uns aos outros: «Vinde e formemos um plano contra o justo, pois não faltarão sacerdotes, que nos ensinem a lei, nem sábios, que nos aconselhem, nem profetas, que nos anunciem a palavra. Vinde, maltratemo-lo com a língua e não atendamos a nenhum dos seus ensinos». Senhor, lançai os vossos olhos para mim e ouvi a voz dos meus adversários. Porventura pagarão o bem com o mal e abrirão uma cova para me enterrarem? Lembrai-Vos de que me apresentei diante de Vós para pedir em seu favor e afastar deles a vossa indignação. Mandai, pois, a fome aos seus filhos e abandonai-os ao furor das espadas! Que suas esposas percam os filhos e fiquem viúvas! Que seus maridos morram com a peste! Que seus mancebos morram feridos pela espada em combate! Ouça-se o clamor dos seus gritos, saídos de suas casas; pois fareis cair imprevistamente sobre eles um inimigo terrível. Porquanto abriram uma cova para me lançarem nela e ocultamente armaram laços aos meus pés. Senhor, conheceis todos seus planos para me levarem à morte ; não perdoeis a sua iniquidade. Que seu pecado se não apague aos vossos olhos; que fiquem esmagados na vossa presença; e que no dia da vossa indignação sejam tratados sem clemência, ó Senhor, nosso Deus».

Evangelho Jo. 12, 10-36

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Lucas.
In illo témpore: Cogitavérunt príncipes sacerdótum, ut et Lázarum interfícerent: quia multi propter illum abíbant ex Judǽis, et credébant in Jesum. In crastínum autem turba multa, quæ vénerat ad diem festum, cum audíssent, quia venit Jesus Jerosólymam, accepérunt ramos palmárum, et processérunt óbviam ei, et clamábant: Hosánna, benedíctus, qui venit in nómine Dómini, Rex Israël. Et invénit Jesus aséllum, et sedit super eum, sicut scriptum est: Noli timére, fília Sion: ecce, Rex tuus venit sedens super pullum ásinæ. Hæc non cognovérunt discípuli ejus primum: sed quando glorificátus est Jesus, tunc recordáti sunt, quia hæc erant scripta de eo: et hæc fecérunt ei. Testimónium ergo perhibébat turba, quæ erat cum eo, quando Lázarum vocávit de monuménto, et suscitávit eum a mórtuis. Proptérea et óbviam venit ei turba: quia audiérunt eum fecísse hoc signum. Pharisǽi ergo dixérunt ad semetípsos: Vidétis, quia nihil profícimus? Ecce, mundus totus post eum ábiit. Erant autem quidam gentíles ex his, qui ascénderant, ut adorárent in die festo. Hi ergo accessérunt ad Philíppum, qui erat a Bethsáida Galilǽæ: et rogábant eum, dicéntes: Dómine, vólumus Jesum vidére. Venit Philíppus, et dicit Andréæ: Andréas rursum et Philíppus dixérunt Jesu. Jesus autem respóndit eis, dicens: Venit hora, ut clarificétur Fílius hóminis. Amen, amen, dico vobis, nisi granum fruménti cadens in terram mórtuum fúerit, ipsum solum manet: si autem mórtuum fúerit, multum fructum affert. Qui amat ánimam suam, perdet eam: et qui odit ánimam suam in hoc mundo, in vitam ætérnam custódit eam. Si quis mihi minístrat, me sequátur: et ubi sum ego, illic et miníster meus erit. Si quis mihi ministráverit, honorificábit eum Pater meus. Nunc anima mea turbáta est. Et quid dicam? Pater, salvífica me ex hac hora. Sed proptérea veni in horam hanc. Pater, clarífica nomen tuum. Venit ergo vox de cœlo: Et clarificávi, et íterum clarificábo. Turba ergo, quæ stabat et audíerat, dicebat tonítruum esse factum. Alii dicébant: Angelus ei locútus est. Respóndit Jesus et dixit: Non propter me hæc vox venit, sed propter vos. Nunc judícium est mundi, nunc princeps hujus mundi ejiciétur foras. Et ego si exaltátus fúero a terra, ómnia traham ad meípsum. (Hoc autem dicebat, signíficans, qua morte esset moritúrus.) Respóndit ei turba: Nos audívimus ex lege, quia Christus manet in ætérnum, et quómodo tu dicis: Oportet exaltári Fílium hominis? Quis est iste Fílius hominis? Dixit ergo eis Jesus: Adhuc módicum lumen in vobis est. Ambuláte, dum lucem habétis, ut non vos ténebræ comprehéndant: et qui ámbulat in ténebris, nescit, quo vadat. Dum lucem habétis, crédite in lucem: ut fílii lucis sitis. Hæc locútus est Jesus: et ábiit, et abscóndit se ab eis.
Naquele tempo, os príncipes dos sacerdotes pensaram mandar matar também Lázaro, porque muitos judeus, por causa da ressurreição de Lázaro, acreditavam em Jesus, afastando-se deles. No dia seguinte, numerosas pessoas, que tinham vindo à festa, sabendo que Jesus se encontrava em Jerusalém, empunharam ramos de palmeira e iam adiante dele, gritando: «Hosana! Bendito seja o que vem em nome do Senhor, Rei de Israel!». E Jesus encontrou um jumentinho e sentou-se em cima dele, segundo o que está escrito: «Não temas, ó filha de Sião, eis que o teu Rei vem montado em um filho de uma jumenta». Seus discípulos ao princípio não compreenderam estas coisas; mas, quando Jesus entrou na glória, lembraram-se de que elas haviam sido escritas a seu respeito, e que se cumpriram. Ora, a multidão que estava com Jesus, quando ressuscitou Lázaro, testemunhou este acontecimento; e por isso muitos vieram ao seu encontro, pois tinham ouvido dizer que praticara uma tal maravilha. Os fariseus disseram então uns aos outros: «Vede bem que não temos nenhum proveito. Eis que toda a gente vai atrás d’Ele!». Havia ali alguns gentios, que tinham subido para adorar durante a festa. Então, aproximaram-se de Filipe, que era de Betsaida, na Galileia, fazendo-lhe este pedido: «Senhor, queremos ver Jesus». Filipe veio e disse a André; e depois André e Filipe foram dizer a Jesus. Respondeu-lhes Jesus: «É chegada a hora em que o Filho do homem deve ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caído na terra, não morre, ficará estéril; porém, se morre, dará muito fruto. Quem ama a sua vida perdê-la-á; e quem despreza a sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém quer ser meu servo, que me siga; e onde Eu estiver aí estará também o meu servo. Se alguém me servir, meu Pai o honrará. Agora a minha alma está perturbada. O que direi Eu? Pai, livrai-me desta hora! Mas foi para isto que cheguei até esta hora! Pai, glorificai o vosso nome». De repente, uma voz veio do céu, que dizia: «Eu o glorifiquei e o glorificarei ainda». A multidão que estava presente, ouvindo isto, dizia: «É um trovão». Outros diziam: «Foi um Anjo que Lhe falou». Jesus disse: «Não foi para mim que esta voz falou, mas para vós. É agora o julgamento do mundo; é agora que o príncipe deste mundo vai ser lançado fora! E Eu, quando tiver sido elevado na terra, atrairei tudo a mim». Jesus dizia isto para dar a entender de que morte havia de morrer. A multidão respondeu-Lhe: «Aprendemos na Lei que Cristo apareceria eternamente. Como dizeis, pois: «É preciso que o Filho do homem seja elevado na terra»? Quem é este Filho do homem?». Jesus disse-lhes: «Ainda por algum tempo a luz estará no meio de vós. Caminhai, pois, enquanto tendes luz, para que as trevas vos não surpreendam. Aqueles que andam nas trevas não sabem para onde vão. Enquanto tendes luz, acreditai na luz, a fim de que sejais filhos da luz». Ditas estas coisas, Jesus retirou-se e escondeu-se deles.

Secreta

A cunctis nos, quǽsumus, Dómine, reátibus et perículis propitiátus absólve: quos tanti mystérii tríbuis esse consórtes. Per Dóminum &c.
A nós, Senhor, que Vos dignastes tornar participantes deste tão solene mystério, concedei-nos o perdão de todas nossas culpas, Vos rogamos, e livrai-nos de todos os perigos. Por &c.

Postcomúnio

Divíni múneris largitáte satiáti, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut hujus semper participatióne vivámus. Per Dóminum &c.
Saciados com a liberdade deste divino dom, Vos imploramos, Senhor, nosso Deus, permiti que sejamos aviventados sempre que dele comparticiparmos. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Tueátur, quǽsumus, Dómine, déxtera tua pópulum deprecántem: et purificátum dignánter erúdiat; ut, consolatióne præsénti, ad futúra bona profíciat. Per Dóminum &c.
Que a vossa dextra, Senhor, proteja o vosso povo suplicante, Vos pedimos, e que, purificando-se dignamente, o instrua, a fim de que a consolação, que acaba de alcançar, lhe sirva para conseguir os bens futuros. Por nosso Senhor &c.

Domingo dos Ramos

Bênção dos Ramos

Antífona

Hosánna fílio David: benedíctus, qui venit in nómine Dómini. O Rex Israël: Hosánna in excélsis.
Hosana ao filho de David! Bendito seja o que vem em nome do Senhor. Ó Rei de Israel! Hosana no alto dos céus!

Oração

Deus, quem dilígere et amáre justítia est, ineffábilis grátiæ tuæ in nobis dona multíplica: et qui fecísti nos in morte Fílii tui speráre quæ crédimus; fac nos eódem resurgénte perveníre quo téndimus: Qui tecum &c.
Ó Deus, a quem devemos amar para sermos justos, multiplicai na nossa alma os dons da vossa inefável graça; e, já que pela morte do vosso Filho quisestes que tivéssemos esperança no que constitui o objecto da nossa Fé, permiti que pela sua ressurreição alcancemos o fim a que aspiramos: O qual, sendo Deus &c.

Epístola Ex. 15, 27; 16, 1-7

Léctio libri Exodi.
Lição do Livro do Êxodo.
In diébus illis: Venérunt fílii Israël in Elim, ubi erant duódecim fontes aquárum et septuagínta palmæ: et castrametáti sunt juxta aquas. Profectíque sunt de Elim, et venit omnis multitúdo filiórum Israël in desértum Sin, quod est inter Elim et Sínai: quintodécimo die mensis secúndi, postquam egréssi sunt de terra Ægýpti. Et murmurávit omnis congregátio filiórum Israël contra Móysen et Aaron in solitúdine. Dixerúntque fílii Israël ad eos: Utinam mórtui essëmus per manum Dómini in terra Ægýpti, quando sedebámus super oílas cárnium, et comedebámus panem in saturitáte: cur eduxístis nos in desértum istud, ut occiderétis omnem multitúdinem fame? Dixit autem Dóminus ad Móysen: Ecce, ego pluam vobis panes de cœlo: egrediátur pópulus, et cólligat quæ suffíciunt per síngulos dies: ut tentem eum, utrum ámbulet in lege mea an non. Die autem sexto parent quod ínferant: et sit duplum, quam collígere sciébant per síngulos dies. Dixerúntque Móyses et Aaron ad omnes fílios Israël: Véspere sciétis, quod Dóminus edúxerit vos de terra Ægýpti: et mane vidébitis glóriam Dómini.
Naqueles dias, chegaram os filhos de Israel a Elim, onde havia doze nascentes de água e setenta palmeiras, tendo acampado junto das águas. Partiu, então, de Elim toda a multidão dos filhos de Israel, havendo chegado ao deserto de Sin, que é situado entre Elim e o Sinai, no dia 15 do segundo mês, depois que safram da terra do Egipto. Apenas chegaram, começaram todos a murmurar contra Moisés e Aarão por estarem no deserto, dizendo: «Oxalá tivéssemos sido mortos pela mão do Senhor, quando na terra do Egipto nos assentávamos em frente das caçarolas, cheias de carne, e tínhamos pão em abundância! Porque nos conduzistes a este deserto? Para aqui morrer de fome esta multidão?». Então o Senhor disse a Moisés: «Vou mandar chover pães do céu. Que o povo, pois, saia e recolha a quantidade necessária para cada dia, a fim de que verifique se procede ou não segundo a minha lei; porém, no sexto dia, prepararão o que tiverem recolhido, que será o duplo do que costumam recolher em cada um dos outros dias». Disseram, pois, Moisés e Aarão a todos os filhos de Israel: «Esta tarde reconhecereis que foi o Senhor quem vos livrou da terra do Egipto e amanhã vereis resplandecer a glória do Senhor».
R. Joann. 11, 47-49, 50 & 53 Collegérunt pontífices et pharisǽi concílium, et dixérunt: Quid fácimus, quia hic homo multa signa facit? Si dimíttimus eum sic, omnes credent in eum: Et vénient Románi, et tollent nostrum locum et gentem. V. Unus autem ex illis, Cáiphas nómine, cum esset póntifex anni illíus, prophetávit dicens: Expedit vobis, ut unus moriátur homo pro pópulo, et non tota gens péreat. Ab illo ergo die cogitavérunt interfícere eum, dicéntes. Et vénient...
R.Jo. 11, 47-49, 50 & 53 Os pontífices e os fariseus reuniram-se em conselho e disseram: «Que faremos? Este homem faz muitos prodígios. Se o deixamos andar livremente, todos acreditarão n’Ele. E virão os romanos, e destruirão a nossa terra e o nosso povo». V. Mas um deles, chamado Caifás, que era o Pontífice naquele ano, disse profeticamente: «É melhor que morra um só homem pelo povo, do que pereça toda a nação». Desde aquele dia, pois, resolveram matá-l’O, dizendo: «E virão os romanos…»
R.Mt. 28, 39 & 41 In monte Olivéti orávit ad Patrem: Pater, si fíeri potest, tránseat a me calix iste. Spíritus quidem promptus est, caro autem infírma: fiat volúntas tua. V. Vigiláte et oráte, ut non intrétis in tentatiónem. Spíritus quidem...
R.Mt. 28, 39 & 41 No monte das Oliveiras orou a seu Pai: Meu pai, se é possível, afastai de mim este cálice! Na verdade, o espírito está pronto: mas a carne é fraca; contudo, faça-se a vossa vontade. V. Vigiai e orai, para não cairdes em tentação. Na verdade...

Evangelho Mt. 21, 1-9

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Cum appropinquásset Jesus Jerosólymis, et venísset Béthphage ad montem Olivéti: tunc misit duos discípulos suos, dicens eis: Ite in castéllum, quod contra vos est, et statim inveniétis ásinam alligátam et pullum cum ea: sólvite et addúcite mihi: et si quis vobis áliquid dixerit, dícite, quia Dóminus his opus habet, et conféstim dimíttet eos. Hoc autem totum factum est, ut adimplerétur, quod dictum est per Prophétam, dicéntem: Dícite fíliae Sion: Ecce, Rex tuus venit tibi mansuétus, sedens super ásinam et pullum, fílium subjugális. Eúntes autem discípuli, fecérunt, sicut præcépit illis Jesus. Et adduxérunt ásinam et pullum: et imposuérunt super eos vestiménta sua, et eum désuper sedére tecérunt. Plúrima autem turba stravérunt vestiménta sua in via: álii autem cædébant ramos de arbóribus, et sternébant in via: turbæ autem, quæ præcedébant et quæ sequebántur, clamábant, dicéntes: Hosánna fílio David: benedíctus, qui venit in nómine Dómini.
Naquele tempo, como Jesus se aproximasse de Jerusalém e chegasse a Bétfage, já perto do monte das Oliveiras, mandou dois dos seus discípulos, dizendo-lhes: «Ide à aldeia fronteira e lá encontrareis uma jumenta presa e com ela um jumentinho. Desprendei-a e trazei-os. Se alguém vos disser alguma coisa, respondei: «O Senhor precisa deles». E logo os deixarão trazer». Tudo isto aconteceu para se cumprir o que fora anunciado pelo Profeta: «Dizei à filha de Sião: «Eis o teu Rei, que vem a ti com doçura, montado em uma jumenta e sobre um jumentinho, filho da que está sob o jugo». Foram os discípulos e fizeram tudo como Jesus lhes ordenara, trazendo a jumenta e o jumentinho. Então puseram em cima deles as suas capas e fizeram-n’O montar. Ora a multidão, que era numerosa, estendia as suas capas na estrada e cortava ramos das árvores, com que atapetava o caminho. E os da multidão, tanto os que O precediam, como os que O seguiam, clamavam: «Hosana ao Filho de David! Bendito seja o que vem em nome do Senhor!».

Oração

Auge fidem in te sperántium, Deus, et súpplicum preces cleménter exáudi: véniat super nos múltiplex misericórdia tua: bene dicántur et hi pálmites palmárum seu olivárum: et sicut in figúra Ecclésiæ multiplicásti Noë egrediéntem de arca, et Móysen exeúntem de Ægýpto cum fíliis Israël: ita nos, portántes palmas et ramos olivárum, bonis áctibus occurrámus óbviam Christo: et per ipsum in gáudium introëámus ætérnum: Qui tecum &c.
Ó Deus, aumentai a fé daqueles que esperam em Vós e ouvi clemente as suas súplicas. Permiti que a vossa misericórdia desça sobre nós; dignai-Vos abençoar estes Ramos de palmeira e de oliveira; e, assim como, querendo figurar a Igreja, multiplicastes as vossas graças sobre Noé, saindo da arca, e sobre Moisés, saindo do Egipto com os filhos de Israel, assim também permiti que, levando nós estas palmas e Ramos de oliveira, caminhemos ao encontro de Cristo pelas nossas boas obras; e que com Ele entremos na alegria eterna: Ele que, sendo Deus &c.

Oração

Pétimus, Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus: ut hanc creatúram olívæ, quam ex ligni matéria prodíre jussísti, quamque colúmba rédiens ad arcam próprio pértulit ore, bene dícere et sancti ficáre dignéris: ut, quicúmque ex ea recéperint, accípiant sibi protectiónem ánimæ et córporis: fiátque, Dómine, nostræ salútis remédium tuæ grátiæ sacraméntum. Per Dóminum nostrum &c.
Vos imploramos, Senhor santo, Pai omnipotente, eterno Deus, que Vos digneis abençoar e santificar estes Ramos de oliveira, vossa Criatura, que fizestes nascer na árvore, semelhantes ao que a pomba levava no bico quando regressou à arca. Permiti que aqueles que receberam estes Ramos obtenham a vossa protecção na alma e no corpo; e que estes Ramos, Senhor, que são um sinal da vossa graça, se convertam em remédio eficaz para as nossas enfermidades. Por nosso Senhor &c.

Oração

Deus, qui dispérsa cóngregas, et congregáta consérvas: qui pópulis, óbviam Jesu ramos portántibus, benedixísti: béne dic étiam hos ramos palmæ et olívæ, quos tui fámuli ad honórem nóminis tui fidéliter suscípiunt; ut, in quemcúmque locum introdúcti fúerint, tuam benedictiónem habitatóres loci illíus consequántur: et, omni adversitáte effugáta, déxtera tua prótegat, quos rédemit Jesus Christus, Fílius tuus, Dóminus noster: Qui tecum &c.
Ó Deus, que reunis o que está disperso, e, depois de reunido, o conservais, Vós, que abençoastes o povo que saiu com ramos ao encontro de Jesus, abençoai , também, estes Ramos de palmeira e de oliveira, que os vossos fiéis servos vão receber em honra do vosso nome, a fim de que, em qualquer lugar em que sejam colocados, aqueles que habitarem nesse lugar consigam a vossa bênção, e, afastada toda a adversidade, a vossa dextra proteja os que foram remidos por Jesus Cristo, vosso Filho, nosso Senhor: O qual, sendo Deus &c.

Oração

Deus, qui miro dispositiónis órdine, ex rebus étiam insensibílibus, dispensatiónem nostræ salútis osténdere voluísti: da, quǽsumus; ut devota tuórum corda fidélium salúbriter intéllegant, quid mýstice desígnet in facto, quod hódie, cœlésti lúmine affláta, Redemptóri óbviam procédens, palmárum atque olivárum ramos vestígiis ejus turba substrávit. Palmárum igitur rami de mortis príncipe triúmphos exspéctant; súrculi vero olivárum spirituálem unctiónem advenísse Quodámmodo clamant. Intelléxit enim jam tunc illa hóminum beáta multitúdo præfigurári: quia Redémptor noster, humánis cóndolens misériis, pro totíus mundi vita cum mortis príncipe esset pugnatúrus ac moriéndo triumphatúrus. Et ídeo tália óbsequens administrávit, quæ in illo ei triúmphos victóriæ et misericórdiæ pinguédinem declarárent. Quod nos quoque plena fide, et factum et significátum retinéntes, te, Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus, per eúndem Dóminum nostrum Jesum Christum supplíciter exorámus: ut in ipso atque per ipsum, cujus nos membra fíeri voluísti, de mortis império victóriam reportántes, ipsíus gloriósæ resurrectiónis partícipes esse mereámur: Qui tecum &c.
Ó Deus, que por um maravilhoso desígnio da vossa providência quisestes utilizar-Vos das coisas mesmo insensíveis para mostrar a admirável economia da nossa salvação, ilustrai, Vos imploramos, os corações dos vossos fiéis servos, para que compreendam salutarmente o mystério apresentado na acção daquele povo que, levado por inspiração celestial, caminhou neste dia ao encontro do Redentor e atapetou com ramos de palmeira e de oliveira o caminho por onde Ele devia passar. Com efeito, os ramos de palmeira significavam a vitória que ia alcançar sobre o príncipe da morte e os de oliveira publicavam, de certo modo, a união espiritual que ia ser espalhada. Esta feliz multidão de homens pressentiu, então, que o nosso Redentor, comovido com as misérias da humanidade, ia travar combate com o príncipe da morte, para dar a vida ao mundo inteiro, e que Ele triunfaria pela sua própria morte. Por isso, o povo ofereceu ao Senhor a homenagem destes Ramos, dos quais uns significavam a vitória e o triunfo e os outros a efusão da sua misericórdia. Nós, pois, que possuímos a plenitude da fé, vendo neste acontecimento não só o facto mas ainda a significação, Vos pedimos, Senhor santo, Pai omnipotente, Deus eterno, pelo mesmo N. S. Jesus Cristo, de quem houvestes por graça fazer-nos membros, que n’Ele e por Ele triunfemos do império da morte e sejamos dignos de participar da sua gloriosa ressurreição: O qual &c.

Oração

Deus, qui, per olívæ ramum, pacem terris colúmbam nuntiáre jussísti: præsta, quǽsumus; ut hos olívæ ceterarúmque arbórum ramos cœlésti bene dictióne sanctífices: ut cuncto pópulo tuo profíciant ad salútem. Per Christum, Dóminum nostrum. R. Amen.
Ó Deus, que quisestes que uma pomba anunciasse a paz ao mundo com um ramo de Oliveira, dignai-Vos santificar com vossa bênção celestial, Vos pedimos, estes Ramos de oliveira e doutras árvores, a fim de que sirva de proveito a todo vosso povo para sua salvação. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amen.

Oração

Bene dic, quǽsumus, Dómine, hos palmárum seu olivárum ramos: et præsta; ut, quod pópulus tuus in tui veneratiónem hodiérna die corporáliter agit, hoc spirituáliter summa devotióne perfíciat, de hoste victóriam reportándo et opus misericórdiæ summópere diligéndo. Per Dóminum &c.
Abençoai , Senhor, Vos imploramos, estes Ramos de palmeira e de oliveira, e concedei ao vosso povo a graça de realizar espiritualmente com ardente devoção a cerimónia exterior que hoje pratica em vossa honra; e que, triunfando do inimigo por meio dela, corresponda com amor à misericordiosa obra por Vós realizada para sua salvação. Por nosso Senhor &c.

Oração

Deus, qui Fílium tuum Jesum Christum, Dóminum nostrum, pro salute nostra in hunc mundum misísti, ut se humiliáret ad nos et nos revocáret ad te: cui etiam, dum Jerúsalem veniret, ut adimpléret Scripturas, credentium populorum turba, fidelissima devotione, vestimenta sua cum ramis palmarum in via sternébant: præsta, quǽsumus; ut illi fídei viam præparémus, de qua, remoto lápide offensiónis et petra scándali, fróndeant apud te ópera nostra justítiæ ramis: ut ejus vestigia sequi mereámur: Qui tecum &c.
Ó Deus, que para nossa salvação enviastes a este mundo o vosso Filho, N. S. Jesus Cristo, a fim de que, humilhando-se Ele até nós, nos faça subir até Vós; e que quisestes, para se cumprirem as Escrituras, que, ao entrar Ele em Jerusalém, uma turba de povo fiel, cheia de sincera piedade, estendesse os seus vestidos e ramos de palmeira à sua passagem, concedei-nos a graça, Vos imploramos, de Lhe prepararmos pela fé um caminho onde não haja pedra, nem de tropeço, nem de escândalo, a fim de que das nossas acções brotem junto de Vós ramos de justiça, de sorte que mereçamos seguir os vestígios d’Aquele que, sendo Deus &c.

Distribuição dos Ramos

Antífona Jo. 12, 13

Pueri Hebræórum, portántes ramos olivárum, obviavérunt Dómino, clamántes et dicéntes: Hosánna in excélsis.
Os meninos hebreus saíram com ramos de oliveira ao encontro do Senhor, clamando e dizendo: «Hosana no alto dos céus!».

Antífona Mt. 21, 8 & 9

Pueri Hebræórum vestiménta prosternébant in via et clamábant, dicéntes: Hosánna fílio David: benedíctus, qui venit in nómine Dómini.
Os meninos hebreus estendiam os seus vestidos pelos caminhos, clamando e dizendo: «Hosana ao Filho de David! Bendito seja o que vem em nome do Senhor!».

Oração

Omnípotens sempitérne Deus, qui Dóminum nostrum Jesum Christum super pullum ásinæ sedére fecísti, et turbas populórum vestiménta vel ramos arbórum in via stérnere et Hosánna decantáre in laudem ipsíus docuísti: da, quǽsumus; ut illórum innocéntiam imitári póssimus, et eórum méritum cónsequi mereámur. Per eúndem Christum, Dóminum nostrum. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, que enviastes a turba do povo ao encontro de N. S. Jesus Cristo, montado em um jumentinho, e que quisestes que ela estendesse seus vestidos, lançasse ramos de árvores no caminho e cantasse hosanas em seu louvor, concedei-nos a graça, Vos suplicamos, de imitar a inocência dessa turba e de ter parte nos seus merecimentos. Pelo mesmo nosso Senhor Jesus Cristo. R. Amen.

Procissão dos Ramos

V. Procedámus in pace.
V. Caminhemos em paz.
R. In nómine Christi. Amen.
R. Em nome de Cristo. Amen.

Antífona Mt. 21, 1-3, 7, 8 & 9

Cum appropinquáret Dóminus Jerosólymam, misit duos ex discípulis suis, dicens: Ite in castéllum, quod contra vos est: et inveniétis pullum ásinæ alligátum, super quem nullus hóminum sedit: sólvite et addúcite mihi. Si quis vos interrogáverit, dícite: Opus Dómino est. Solvéntes adduxérunt ad Jesum: et imposuérunt illi vestiménta sua, et sedit super eum: alii expandébant vestiménta sua in via: alii ramos de arbóribus sternébant: et qui sequebántur, clamábant: Hosánna, benedíctus, qui venit in nómine Dómini: benedíctum regnum patris nostri David: Hosánna in excélsis: miserére nobis, fili David.
Quando o Senhor se aproximava de Jerusalém, mandou dois discípulos, dizendo-lhes: «Ide à aldeia fronteira e lá encontrareis preso um jumentinho, em o qual ninguém montou ainda. Desprendei-o e trazei-mo. Se alguém vos disser alguma coisa, respondei: «O Senhor precisa dele». Havendo-o desprendido, trouxeram-no a Jesus. Então, puseram as suas capas em cima do jumentinho e fizeram Jesus montá-lo. E alguns da multidão estendiam os vestidos no caminho, outros espalhavam ramos de árvores e todos que O acompanhavam clamavam: «Bendito seja o que vem em nome do Senhor! Bendito seja o reino de David, nosso Pai! Hosana no alto dos céus! Tende piedade de nós, Filho de David!».

Antífona Jo. 12, 12 & 13

Cum audísset pópulus, quia Jesus venit Jerosólymam, accepérunt ramos palmárum: et exiérunt ei óbviam, et clamábant púeri, dicéntes: Hic est, qui ventúrus est in salútem pópuli. Hic est salus nostra et redémptio Israël. Quantus est iste, cui Throni et Dominatiónes occúrrunt! Noli timére, fília Sion: ecce, Rex tuus venit tibi, sedens super pullum ásinæ, sicut scriptum est, Salve, Rex, fabricátor mundi, qui venísti redímere nos.
Havendo o povo sabido que Jesus vinha a Jerusalém, empunhou ramos de palmeiras e foi ao seu encontro. Os meninos clamavam, então: «Eis Aquele que vem salvar o seu povo! Este é a nossa salvação e a redenção de Israel! Como é grande Aquele diante de quem os Tronos e as Dominações se curvam para O receberem! Nada temas, ó filha de Sião, eis o teu Rei, que chega montado num jumentinho, como está escrito. Salve, ó Rei, criador do mundo, que viestes à terra para nos resgatar!».

Antífona

Ante sex dies sollémnis Paschæ, quando venit Dóminus in civitátem Jerúsalem, occurrérunt ei pueri: et in mánibus portábant ramos palmárum, et clamábant voce magna, dicéntes: Hosánna in excélsis: benedíctus, qui venísti in multitúdine misericórdiæ tuæ: Hosánna in excélsis.
Seis dias antes da solenidade pascal, quando o Senhor veio à cidade de Jerusalém, saíram-lhe ao encontro os meninos, que empunhavam ramos de palmeiras e clamavam com voz forte: «Hosana no alto dos céus! Sede bendito; pois vindes a nós com a grandeza da vossa misericórdia! Hosana no alto dos céus!».

Antífona

Occúrrunt turbæ cum flóribus et palmis Redemptóri óbviam: et victóri triumphánti digna dant obséquia: Fílium Dei ore gentes prǽdicant: et in laudem Christi voces tonant per núbila: Hosánna in excélsis.
As turbas do povo foram com flores e palmas ao encontro do Redentor, prestando-Lhe homenagem digna, como vencedor triunfante. Os povos anunciam hoje a grandeza do Filho de Deus. Reboam pelos ares as aclamações em honra de Cristo! Hosana no alto dos céus!

Antífona

Cum Angelis et púeris fidéles inveniántur, triumphatóri mortis damántes: Hosánna in excélsis.
Fiéis, unamo-nos aos Anjos e aos meninos e aclamemos o triunfador da morte, dizendo: «Hosana no alto dos céus!».

Antífona

Turba multa, quæ convénerat ad diem festum, clamábat Dómino: Benedíctus, qui venit in nómine Dómini: Hosánna in excélsis.
Uma grande turba de povo, que viera à festa, foi ao encontro do Senhor, clamando: Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana no alto dos céus!
Glória, laus et honor tibi sit, Rex Christe, Redémptor: Cui pueríle decus prompsit Hosánna pium.
Glória, louvor e honra Vos sejam dados, ó Cristo, Rei e Redentor! A quem a devoção dos meninos consagrou pios aplausos.
R. Glória, laus &
R. Glória, louvor &
Israël es tu Rex, Davidis et ínclita proles: Nómine qui in Dómini, Rex benedícte, venis.
Sois o Rei de Israel, da ínclita prole de David, ó Rei bendito, que vindes em nome do Senhor!
R. Glória, laus &
R. Glória, louvor &
Cœtus in excélsis te laudat cǽlicus omnis, Et mortális homo, et cuncta creáta simul.
A multidão angelical, no alto dos céus, o homem mortal e todas as criaturas cantam em uníssono os vossos louvores.
R. Glória, laus &
R. Glória, louvor &
Plebs Hebrǽa tibi cum palmis óbvia venit: Cum prece, voto, hymnis, ádsumus ecce tibi.
O povo hebreu saiu ao vosso encontro com palmas. E nós vimos diante de Vós com súplicas, votos e hinos.
R. Glória, laus &
R. Glória, louvor &
Hi tibi passúro solvébaní múnia laudis: Nos tibi regnánti pángimus ecce melos.
Quando o povo Vos prestou homenagem, Vós íeis sofrer. E nós Vos oferecemos estes cânticos, agora, que reinais no céu.
R. Glória, laus &
R. Glória, louvor &
Hi placuére tibi, pláceat devótio nostra: Rex bone, Rex clemens, cui bona cuncta placent.
Tais votos foram aceites. Que a nossa devoção o seja também, ó Rei de bondade, ó Rei de clemência, a quem agrada tudo quanto é bom.
R. Glória, laus &
R. Glória, louvor &

Responsório

R. Ingrediénte Dómino in sanctam civitátem, Hebræórum púeri resurrectiónem vitæ pronuntiántes. Cum ramis palmárum: Hosánna, clamábant, in excélsis. V. Cum audísset pópulus, quod Jesus veníret Jerosólymam, exiérunt óbviam ei. Cum ramis palmárum: Hosánna, clamábant, in excélsis.
R. Quando o Senhor entrava na cidade santa, os meninos hebreus anunciavam antecipadamente a ressurreição d’Aquele que é a vida. * Empunhando ramos de palmeira, clamavam: «Hosana no alto dos céus!». V. E, tendo o povo notícia de que Jesus vinha a Jerusalém, saiu ao seu encontro. Empunhando ramos de palmeira, clamava: «Hosana no alto dos céus!».

Missa de Domingo de Ramos

Intróito Sl. 21, 20 & 22

Dómine, ne longe fácias auxílium tuum a me, ad defensiónem meam áspice: líbera me de ore leonis, et a córnibus unicórnium humilitátem meam. Ps. ibid., 2 Deus, Deus meus, réspice in me: quare me dereliquísti? longe a salúte mea verba delictórum meórum.
Senhor, não afasteis de mim o vosso auxílio; apressai-Vos em defender-me. Livrai-me da boca do leão e das pontas dos unicórnios, pois sou fraco. Sl. ibid., 2 Meu Deus, meu Deus, lançai para mim vossos olhares. Porque me abandonastes? O clamor dos meus pecados afastou de mim a salvação.

Oração

Omnípotens sempitérne Deus, qui humáno generi, ad imitandum humilitátis exémplum, Salvatórem nostrum carnem súmere et crucem subíre fecísti: concéde propítius; ut et patiéntiæ ipsíus habére documénta et resurrectiónis consórtia mereámur. Per eúndem Dóminum nostrum &c.
Deus omnipotente e eterno, que, para dar ao género humano exemplo de humildade a imitar, quisestes que o Salvador assumisse a nossa carne e sofresse o suplício da Cruz, concedei-nos benigno a graça de seguirmos as lições da sua paciência para merecermos comparticipar da sua ressurreição. Pelo mesmo &c.

Epístola Fl. 2, 5-11

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Philippénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Filipenses.
Fratres: Hoc enim sentíte in vobis, quod et in Christo Jesu: qui, cum in forma Dei esset, non rapínam arbitrátus est esse se æqualem Deo: sed semetípsum exinanívit, formam servi accípiens, in similitúdinem hóminum factus, et hábitu invéntus ut homo. Humiliávit semetípsum, factus obœdiens usque ad mortem, mortem autem crucis. Propter quod et Deus exaltávit illum: ei donávit illi nomen, quod est super omne nomen: (hic genuflectitur) ut in nómine Jesu omne genu flectátur cœléstium, terréstrium et inférno rum: et omnis lingua confiteátur, quia Dóminus Jesus Christus in glória est Dei Patris.
Meus irmãos: Tende os mesmos sentimentos que animaram Jesus Cristo, o qual, embora fosse Deus por natureza (e não era usurpação o julgar-se igual a Deus), contudo humilhou-se a si próprio, reduzindo-se à condição de servo, tornando-se semelhante aos homens e reconhecido como homem pelas aparências. Humilhou-se a si próprio, obedecendo até à morte, e morte na cruz. Por isso Deus O exaltou e deu-Lhe um nome que é superior a todo o nome (devemos genuflectir), para que ao ser proferido o nome de Jesus todos os joelhos se dobrem nos céus, na terra e até nos infernos; e todas as línguas confessem que Nosso Senhor Jesus Cristo está na glória de Deus Pai!

Gradual Sl. 72, 24 et 1-3

Tenuísti manum déxteram meam: et in voluntáte tua deduxísti me: et cum glória assumpsísti me. V. Quam bonus Israël Deus rectis corde! mei autem pæne moti sunt pedes: pæne effúsi sunt gressus mei: quia zelávi in peccatóribus, pacem peccatórum videns.
Apoiastes-me com vossa dextra; conduzistes-me segundo a vossa vontade; e elevastes-me com glória. V. Como o Deus de Israel é bom para os que possuem coração recto! Meus pés estiveram vacilantes; estive quase a cair, pois eu olhava com indignação para os ímpios, vendo a paz que gozavam os pecadores.

Trato Sl. 21, 2-9, 18, 19, 22, 24 & 32

Deus, Deus meus, réspice in me: quare me dereliquísti? V. Longe a salúte mea verba delictórum meórum. V. Deus meus, clamábo per diem, nec exáudies: in nocte, et non ad insipiéntiam mihi. V. Tu autem in sancto hábitas, laus Israël. V. In te speravérunt patres nostri: speravérunt, et liberásti eos. V. Ad te clamavérunt, et salvi facti sunt: in te speravérunt, et non sunt confusi. V. Ego autem sum vermis, et non homo: oppróbrium hóminum et abjéctio plebis. V. Omnes, qui vidébant me, aspernabántur me: locúti sunt lábiis et movérunt caput. V. Sperávit in Dómino, erípiat eum: salvum fáciat eum, quóniam vult eum. V. Ipsi vero consideravérunt et conspexérunt me: divisérunt sibi vestiménta mea, et super vestem meam misérunt mortem. V. Líbera me de ore leónis: et a córnibus unicórnium humilitátem meam. V. Qui timétis Dóminum, laudáte eum: univérsum semen Jacob, magnificáte eum. V. Annuntiábitur Dómino generátio ventúra: et annuntiábunt cœli justítiam ejus. V. Pópulo, qui nascétur, quem fecit Dóminus.
Meu Deus, meu Deus, olhai para mim: Porque me abandonastes? V. O clamor dos meus pecados afastou de mim a salvação. V. Meu rei durante o dia e não me ouvi Deus, clama reis; clamarei durante a noite e não acharei consolação. V. Contudo, sois a glória de Israel e habitais no santuário. V. Os nossos pais esperaram em Vós: esperaram e fostes o seu libertador! V. Clamaram por Vós, e foram salvos; confiaram em Vós e não foram iludidos. V. Porém sou um verme e não um homem; sou o opróbrio dos homens, a irrisão do povo! V. Todos quantos me vêem, enchem-me de injúrias, murmuram de mim, abanando a cabeça e dizendo: V. «Esperou no Senhor; pois que venha salvá-l’O, já que O ama». V. Olharam para mim e desprezaram-me; repartiram entre si os meus vestidos e lançaram sortes sobre a minha túnica. V. Livrai-me, Senhor, da boca do leão e das pontas dos unicórnios, pois sou fraco. V. Louvai o Senhor, ó Vós, que O temeis! Cantai louvores em sua honra, ó filhos de Jacob. V. À geração futura será anunciado o Senhor; os céus proclamarão a sua justiça. V. Ao povo, que há-de nascer, ensinarão que o Senhor O fez aparecer.

Evangelho Mt. 26, 1-75; 27, 1-66

Passio Dómini nostri Jesu Christi secúndum Matthǽum.
Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo S. Mateus.
In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis: Scitis, quid post bíduum Pascha fiet, et Fílius hóminis tradétur, ut crucifigátur. C. Tunc congregáti sunt príncipes sacerdótum et senióres pópuli in átrium príncipis sacerdótum, qui dicebátur Cáiphas: et consílium fecérunt, ut Jesum dolo tenérent et occíderent. Dicébant autem: S. Non in die festo, ne forte tumúltus fíeret in pópulo. C. Cum autem Jesus esset in Bethánia in domo Simónis leprósi, accéssit ad eum múlier habens alabástrum unguénti pretiósi, et effúdit super caput ipsíus recumbéntis. Vidéntes autem discípuli, indignáti sunt, dicéntes: S. Ut quid perdítio hæc? pótuit enim istud venúmdari multo, et dari paupéribus. C. Sciens autem Jesus, ait illis: Quid molésti estis huic mulíeri? opus enim bonum operáta est in me. Nam semper páuperes habétis vobíscum: me autem non semper habétis. Mittens enim hæc unguéntum hoc in corpus meum, ad sepeliéndum me fecit. Amen, dico vobis, ubicúmque prædicátum fúerit hoc Evangélium in toto mundo, dicétur et, quod hæc fecit, in memóriam ejus. C. Tunc ábiit unus de duódecim, qui dicebátur Judas Iscariótes, ad príncipes sacerdótum, et ait illis: S. Quid vultis mihi dare, et ego vobis eum tradam? C. At illi constituérunt ei trigínta argénteos. Et exínde quærébat opportunitátem, ut eum tráderet.
Naquele tempo, disse Jesus aos discípulos: «Sabeis que, passados dois dias, se celebrará a Páscoa e que o Filho do homem será entregue, para O crucificarem». C. Então, reuniram-se os príncipes dos sacerdotes e os anciãos na sala do sumo Pontífice, que era chamado Caifás, e deliberaram prender Jesus, insidiosamente, e matarem-n’O. Mas diziam: S. «Que isso, porém, não seja no dia da festa, para que o povo não faça tumulto». C. Então, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso, aproximou-se d’Ele uma mulher, trazendo um vaso de alabastro, cheio de perfumes preciosos, derramando-os sobre a cabeça de Jesus, que estava assentado à mesa. Vendo isto, indignaram-se os discípulos, dizendo: S. «Para que serve tal desperdício? Pois poderia ter-se vendido por elevada quantia este perfume e dar aos pobres o seu preço». C. Conhecendo Jesus isto, disse-lhes: «Para que causais pena a esta mulher? Foi uma boa obra para comigo, que ela praticou; pois pobres sempre os tereis convosco; porém a mim nem sempre me tereis. Espalhando este perfume sobre o meu corpo, ungiu-me para Eu ser sepultado. Em verdade vos digo: onde quer que seja pregado este Evangelho (no mundo inteiro) contar-se-á também em sua memória a acção que praticou». C. Então um dos Doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com o príncipe dos sacerdotes e disse-lhe: S. «Quanto quereis dar-me para que eu vo-l’O entregue?». C. E combinaram dar-lhe trinta moedas de prata. Desde logo, procurou ele oportunidade para O entregar.
Prima autem die azymórum accessérunt discípuli ad Jesum, dicéntes: S. Ubi vis parémus tibi comédere pascha? C. At Jesus dixit: Ite in civitátem ad quendam, et dícite ei: Magíster dicit: Tempus meum prope est, apud te fácio pascha cum discípulis meis. C. Et fecérunt discípuli, sicut constítuit illis Jesus, et paravérunt pascha. Véspere autem facto, discumbébat cum duódecim discípulis suis. Et edéntibus illis, dixit: Amen, dico vobis, quia unus vestrum me traditúrus est. C. Et contristáti valde, cœpérunt sínguli dícere: S. Numquid ego sum, Dómine? C. At ipse respóndens, ait: Qui intíngit mecum manum in parópside, hic me tradet. Fílius quidem hóminis vadit, sicut scriptum est de illo: væ autem hómini illi, per quem Fílius hóminis tradétur: bonum erat ei, si natus non fuísset homo ille. C. Respóndens autem Judas, qui trádidit eum, dixit: S. Numquid ego sum, Rabbi? C. Ait illi: Tu dixísti. C. Cenántibus autem eis, accépit Jesus panem, et benedíxit, ac fregit, dedítque discípulis suis, et ait: Accípite et comédite: hoc est corpus meum. C. Et accípiens cálicem, grátias egit: et dedit illis, dicens: Bíbite ex hoc omnes. Hic est enim sanguis meus novi Testaménti, qui pro multis effundétur in remissiónem peccatórum. Dico autem vobis: non bibam ámodo de hoc genímine vitis usque in diem illum, cum illud bibam vobíscum novum in regno Patris mei. C. Et hymno dicto, exiérunt in montem Olivéti. Tunc dicit illis Jesus: Omnes vos scándalum patiémini in me in ista nocte. Scriptum est enim: Percútiam pastórem, et dispergéntur oves gregis. Postquam autem resurréxero, præcédam vos in Galilǽam. C. Respóndens autem Petrus, ait illi: S. Et si omnes scandalizáti fúerint in te, ego numquam scandalizábor. C. Ait illi Jesus: Amen, dico tibi, quia in hac nocte, antequam gallus cantet, ter me negábis. C. Ait illi Petrus: S. Etiam si oportúerit me mori tecum, non te negábo. C. Simíliter et omnes discípuli dixérunt.
No primeiro dia dos ázimos, vieram os discípulos ter com Jesus, dizendo-Lhe: S. «Onde quereis que preparemos o que é necessário para comer a Páscoa?» C. Jesus disse-lhes: «Ide à cidade, a casa dum tal, e dizei-lhe: «O Mestre diz: «Meu tempo está próximo; quero celebrar a Páscoa com meus discípulos em tua casa». C. Os discípulos fizeram o que Jesus lhes ordenara e prepararam a Páscoa. Chegada, pois, a tarde, achava-se Jesus à mesa com seus Doze Discípulos. E, estando eles a comer, disse-lhes: «Em verdade vos digo que um de vós me trairá». C. Então, cheios de profunda tristeza, começaram, individualmente, a dizer: S. «Serei eu, Senhor?» C. Ele disse: «O que me há-de trair é aquele que mete comigo a mão no prato! Com efeito, o Filho do homem vai ser traído, segundo o que está escrito a seu respeito, mas infeliz daquele que O tiver traído! Melhor lhe fora não haver nascido!». C. Ora Judas, o discípulo que O traiu, disse: S. «Serei eu, porventura, Senhor?» C. Jesus disse-lhe: «Tu o disseste!». C. Enquanto ceavam, tomou Jesus o pão, benzeu-o, partiu-o e deu-o aos discípulos, dizendo: «Tomai e comei: Isto é o meu corpo». C. E, pegando no cálice, deu graças e entregou-lho, dizendo-lhes: «Bebei dele vós todos. Pois este é o meu sangue do Novo Testamento, que será derramado por muitos para remissão dos pecados. Digo-vos, porém, que não mais tornarei a beber deste fruto da videira, até ao dia em que o hei-de beber, novamente, convosco no reino de meu Pai». C. Havendo dito o hino de graças, saíram para o monte das Oliveiras, Então, disse-lhes Jesus: «Esta noite serei para vós todos motivo de escândalo; porque está escrito: «Ferirei o pastor e as ovelhas do rebanho serão dispersas». Mas, depois de ressuscitar, irei adiante de vós para a Galileia» C. Porém, respondendo Pedro, disse-Lhe: S. «Ainda que todos se escandalizem, eu nunca me escandalizarei». C. E Jesus retorquiu-lhe: «Em verdade te digo: esta noite, antes de o galo cantar, negar-me-ás três vezes». C. edro disse-Lhe: S. «Ainda que tenha de morrer convosco, não Vos negarei!». C. O mesmo afirmaram todos os discípulos.
Tunc venit Jesus cum illis in villam, quæ dícitur Gethsémani, et dixit discípulis suis: Sedéte hic, donec vadam illuc et orem. C. Et assúmpto Petro et duóbus fíliis Zebedǽi, cœpit contristári et mæstus esse. Tunc ait illis: Tristis est ánima mea usque ad mortem: sustinéte hic, et vigilate mecum. C. Et progréssus pusíllum, prócidit in fáciem suam, orans et dicens: Pater mi, si possíbile est, tránseat a me calix iste: Verúmtamen non sicut ego volo, sed sicut tu. C. Et venit ad discípulos suos, et invénit eos dormiéntes: et dicit Petro: Sic non potuístis una hora vigiláre mecum? Vigiláte et oráte, ut non intrétis in tentatiónem. Spíritus quidem promptus est, caro autem infírma. C. Iterum secúndo ábiit et orávit, dicens: Pater mi, si non potest hic calix transíre, nisi bibam illum, fiat volúntas tua. C. Et venit íterum, et invenit eos dormiéntes: erant enim óculi eórum graváti. Et relíctis illis, íterum ábiit et orávit tértio, eúndem sermónem dicens. Tunc venit ad discípulos suos, et dicit illis: Dormíte jam et requiéscite: ecce, appropinquávit hora, et Fílius hóminis tradétur in manus peccatórum. Súrgite, eámus: ecce, appropinquávit, qui me tradet.
Então, foi Jesus com eles para um sítio chamado Getsémani, e disse aos discípulos: «Assentai-vos aqui, enquanto vou, ali, orar». C. E, levando consigo Pedro e os filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. E disse-lhes: «Minha alma está triste até à morte! Ficai aqui e vigiai comigo». C. Depois, avançou um pouco e prostrou-se com o rosto no chão, orando e dizendo: «Meu Pai, se é possível, fazei que este cálice se afaste de mim; contudo faça-se a vossa vontade e não a minha». C. Em seguida, veio ter com os discípulos, encontrando-os a dormir. Disse, então, a Pedro: «Pois não pudestes vigiar uma hora comigo?! Vigiai e orai para não entrardes em tentação. Na verdade, o espírito está pronto, porém a carne é fraca». C. De novo se retirou Jesus e, pela segunda vez orou, dizendo: «Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que Eu o beba, faça-se a vossa vontade». C. Depois veio outra vez ter com os discípulos, que achou dormindo (até tinham os olhos colados de sono!), e, deixando-os, foi pela terceira vez orar, repetindo as mesmas palavras. Depois, veio ter com os discípulos e disse-lhes: «Dormi agora e repousai: eis que se aproxima a hora em que o Filho do homem será entregue às mãos dos pecadores. Erguei-vos; vamos! Eis que está próximo o que me trairá».
C. Adhuc eo loquénte, ecce, Judas, unus de duódecim, venit, et cum eo turba multa cum gládiis et fústibus, missi a princípibus sacerdótum et senióribus pópuli. Qui autem trádidit eum, dedit illis signum, dicens: S. Quemcúmque osculátus fúero, ipse est, tenéte eum. C. Et conféstim accédens ad Jesum, dixit: S. Ave, Rabbi. C. Et osculátus est eum. Dixítque illi Jesus: Amíce, ad quid venísti?
C. Ainda Jesus falava, quando Judas, um dos Doze, chegou e com ele numerosa turba, armada com espadas e paus, que fora enviada pelos príncipes dos sacerdotes e anciãos do povo. Ora, aquele que O traíra, havia dado este sinal à turba: S. «Aquele que eu beijar, é Esse; prendei-O». C. Logo que Judas chegou, aproximou-se do Mestre e disse-Lhe: S. «Salve, ó Mestre». C. E osculou-O. Jesus disse-lhe: «Amigo, a que vieste?».
C. Tunc accessérunt, et manus injecérunt in Jesum et tenuérunt eum. Et ecce, unus ex his, qui erant cum Jesu, exténdens manum, exémit gládium suum, et percútiens servum príncipis sacerdótum, amputávit aurículam ejus. Tunc ait illi Jesus: Convérte gládium tuum in locum suum. Omnes enim, qui accéperint gládium, gládio períbunt. An putas, quia non possum rogáre Patrem meum, et exhibébit mihi modo plus quam duódecim legiónes Angelórum? Quómodo ergo implebúntur Scripturae, quia sic oportet fíeri? C. In illa hora dixit Jesus turbis: Tamquam ad latrónem exístis cum gládiis et fústibus comprehéndere me: cotídie apud vos sedébam docens in templo, et non me tenuístis. C. Hoc autem totum factum est, ut adimpleréntur Scripturae Prophetárum. Tunc discípuli omnes, relícto eo, fugérunt.
C. Chegaram-se, então, a Ele os outros, lançaram-Lhe as mãos e prenderam-n’O. Mas, eis que um dos que estavam com Jesus, lançando mão da espada, desembainhou-a e acutilou um servo do príncipe dos sacerdotes, cortando-lhe uma orelha. Entretanto Jesus disse-lhe: «Mete a espada no seu lugar; pois todos quantos se servem da espada morrerão pela espada. Acaso pensas que não posso rogar auxílio a meu Pai, que logo me enviaria mais de doze legiões de Anjos? Mas, como se cumpririam as Escrituras que anunciam que assim deveria suceder?». C. Ao mesmo tempo, Jesus disse às turbas: «Viestes com espadas e paus para me prender, como se Eu fora um ladrão?! Todos os dias estava assentado convosco, ensinando no templo, e não me prendestes?! C. Tudo isto aconteceu assim, para que se cumprissem as Escrituras dos Profetas. E, naquela hora, todos os discípulos, havendo-O abandonado, fugiram.
At illi tenéntes Jesum, duxérunt ad Cáipham, príncipem sacerdótum, ubi scribæ et senióres convénerant. Petrus autem sequebátur eum a longe, usque in átrium príncipis sacerdótum. Et ingréssus intro, sedébat cum minístris, ut vidéret finem. Príncipes autem sacerdótum et omne concílium quærébant falsum testimónium contra Jesum, ut eum morti tráderent: et non invenérunt, cum multi falsi testes accessíssent. Novíssime autem venérunt duo falsi testes et dixérunt: S. Hic dixit: Possum destrúere templum Dei, et post tríduum reædificáre illud. C. Et surgens princeps sacerdótum, ait illi: S. Nihil respóndes ad ea, quæ isti advérsum te testificántur? C. Jesus autem tacébat. Et princeps sacerdótum ait illi: S. Adjúro te per Deum vivum, ut dicas nobis, si tu es Christus, Fílius Dei. C. Dicit illi Jesus: Tu dixísti. Verúmtamen dico vobis, ámodo vidébitis Fílium hóminis sedéntem a dextris virtútis Dei, et veniéntem in núbibus cœli. C. Tunc princeps sacerdótum scidit vestiménta sua, dicens: S. Blasphemávit: quid adhuc egémus téstibus? Ecce, nunc audístis blasphémiam: quid vobis vidétur? C. At illi respondéntes dixérunt: S. Reus est mortis. C. Tunc exspuérunt in fáciem ejus, et cólaphis eum cecidérunt, álii autem palmas in fáciem ejus dedérunt, dicéntes: S. Prophetíza nobis, Christe, quis est, qui te percússit?
Tendo Jesus sido preso, foi conduzido a casa de Caifás, príncipe dos sacerdotes, onde estavam reunidos os escribas e os anciãos. Pedro foi seguindo Jesus ao longe, até ao pátio dos príncipes dos sacerdotes, havendo entrado e tomado lugar, junto com os criados, para ver o resultado. Entretanto, os príncipes dos sacerdotes e todos os do conselho buscavam algum falso testemunho contra Jesus para O condenarem à morte; mas o não achavam, ainda que se tivessem apresentado muitas testemunhas falsas. Por fim, vieram duas testemunhas falsas, que declararam: S. «Ele disse: «Posso destruir o templo de Deus e reedificá-lo em três dias». C. Logo se levantou o príncipe dos sacerdotes e disse: S. «Nada respondeis ao que estes dizem contra Vós?». C. Jesus, porém, nada dizia; pelo que o príncipe dos sacerdotes O instou: S. «Conjuro-Vos, por Deus vivo, que nos digais se sois Cristo, Filho de Deus!». C. Jesus respondeu: «Tu o disseste; contudo digo-vos que haveis de ver daqui a pouco o Filho do homem assentar-se à direita do poder de Deus, caminhando sobre as nuvens do céu». C. Então o príncipe dos sacerdotes rasgou os seus vestidos, dizendo: S. «Blasfemou! Para que são precisas ainda testemunhas? Eis que acabais de ouvir uma blasfémia! Que vos parece?» C. Eles responderam: S. «É réu de morte». C. Então, cuspiram-Lhe no rosto e deram-Lhe bofetadas, dizendo: S. «Adivinhai, ó Cristo, quem Vos bateu?».
C. Petrus vero sedébat foris in átrio: et accéssit ad eum una ancílla, dicens: S. Et tu cum Jesu Galilǽo eras. C. At ille negávit coram ómnibus, dicens: S. Néscio, quid dicis. C. Exeúnte autem illo jánuam, vidit eum ália ancílla, et ait his, qui erant ibi: S. Et hic erat cum Jesu Nazaréno. C. Et íterum negávit cum juraménto: Quia non novi hóminem. Et post pusíllum accessérunt, qui stabant, et dixérunt Petro: S. Vere et tu ex illis es: nam et loquéla tua maniféstum te facit. C. Tunc cœpit detestári et juráre, quia non novísset hóminem. Et contínuo gallus cantávit. Et recordátus est Petrus verbi Jesu, quod díxerat: Priúsquam gallus cantet, ter me negábis. Et egréssus foras, flevit amáre.
C. Durante este tempo, continuava Pedro no pátio. Aproximou-se dele uma criada e disse-lhe: S. «Tu também estavas com Jesus, o Galileu». C. Pedro negou logo, diante de todos, dizendo: S. «Não sei o que dizes». C. Saindo, então, ele a porta, viu-o outra criada, que logo disse para os que estavam ali: S., «Este também estava com Jesus Nazareno». C., Pedro negou segunda vez com juramento, afirmando: «Não conheço tal homem». Pouco depois chegaram os que ali estavam e disseram a Pedro: S. «Verdadeiramente tu também és deles, pois, o teu modo de falar, manifestamente, o dá a conhecer». C. Então, começou a proferir imprecações e a jurar que não conhecia tal homem. Subitamente, cantou o galo. E logo Pedro se recordou de que Jesus lhe dissera: «Antes de o galo cantar, negar-me-ás três vezes». Saiu, pois, para fora e chorou amargamente!...
Mane autem facto, consílium iniérunt omnes príncipes sacerdótum et senióres pópuli advérsus Jesum, ut eum morti tráderent. Et vinctum adduxérunt eum, et tradidérunt Póntio Piláto prǽsidi. Tunc videns Judas, qui eum trádidit, quod damnátus esset, pæniténtia ductus, réttulit trigínta argénteos princípibus sacerdótum et senióribus, dicens: S. Peccávi, tradens sánguinem justum. C. At illi dixérunt: S. Quid ad nos? Tu vidéris. C. Et projéctis argénteis in templo, recéssit: et ábiens, láqueo se suspéndit. Príncipes autem sacerdótum, accéptis argénteis, dixérunt: S. Non licet eos míttere in córbonam: quia prétium sánguinis est. C. Consílio autem ínito, emérunt ex illis agrum fíguli, in sepultúram peregrinórum. Propter hoc vocátus est ager ille Hacéldama, hoc est, ager sánguinis, usque in hodiérnum diem. Tunc implétum est, quod dictum est per Jeremíam Prophétam, dicéntem: Et accepérunt trigínta argénteos prétium appretiáti, quem appretiavérunt a fíliis Israël: et dedérunt eos in agrum fíguli, sicut constítuit mihi Dóminus.
Havendo rompido a manhã, todos os príncipes dos sacerdotes e os anciãos se reuniram em conselho contra Jesus, para O condenarem à morte. E, levando-O, conduziram-n’O e entregaram-n’O ao Governador Pôncio Pilatos. Então Judas, tendo atraiçoado Jesus e vendo que este havia sido condenado, foi logo, cheio de arrependimento, levar as trinta moedas de prata aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos, dizendo: S. «Pequei, entregando-vos o sangue inocente!». C. Mas eles disseram: S. «Que nos importa isso? Tu poderias pensar no que fazias!». C. Ele, então, arrojou as moedas para o templo, afastou-se e foi enforcar-se! Os príncipes dos sacerdotes recolheram o dinheiro e disseram: S. «Não é lícito deitá-lo no cofre sagrado, pois é o preço do sangue». C. E, havendo reunido o conselho a respeito disto, compraram com esse dinheiro o campo dum oleiro, para servir de cemitério dos peregrinos; por isso aquele campo é ainda hoje chamado «Hacéldama», isto é, campo do sangue. Com isto se cumpriu o que fora anunciado pelo Profeta Jeremias, quando dissera: «Recolheram as trinta moedas de prata, preço d’Aquele que foi posto a preço por alguns filhos de Israel, comprando com elas o campo dum oleiro, como o Senhor me ordenou».
Jesus autem stetit ante prǽsidem, et interrogávit eum præses, dicens: S. Tu es Rex Judæórum? C. Dicit illi Jesus: Tu dicis. C. Et cum accusarétur a princípibus sacerdótum et senióribus, nihil respóndit. Tunc dicit illi Pilátus: S. Non audis, quanta advérsum te dicunt testimónia? C. Et non respóndit ei ad ullum verbum, ita ut mirarétur præses veheménter. Per diem autem sollémnem consuéverat præses pópulo dimíttere unum vinctum, quem voluíssent. Habébat autem tunc vinctum insígnem, qui dicebátur Barábbas. Congregátis ergo illis, dixit Pilátus: S. Quem vultis dimíttam vobis: Barábbam, an Jesum, qui dícitur Christus? C. Sciébat enim, quod per invídiam tradidíssent eum. Sedénte autem illo pro tribunáli, misit ad eum uxor ejus, dicens: S. Nihil tibi et justo illi: multa enim passa sum hódie per visum propter eum. C. Príncipes autem sacerdótum et senióres persuasérunt populis, ut péterent Barábbam, Jesum vero pérderent. Respóndens autem præses, ait illis: S. Quem vultis vobis de duóbus dimítti? C. At illi dixérunt: S. Barábbam. C. Dicit illis Pilátus: S. Quid ígitur fáciam de Jesu, qui dícitur Christus? C. Dicunt omnes: S. Crucifigátur. C. Ait illis præses: S. Quid enim mali íecit? C. At illi magis clamábant, dicéntes: S. Crucifigátur. C. Videns autem Pilátus, quia nihil profíceret, sed magis tumúltus fíeret: accépta aqua, lavit manus coram pópulo, dicens: S. Innocens ego sum a sánguine justi hujus: vos vidéritis. C. Et respóndens univérsus pópulus, dixit: S. Sanguis ejus super nos et super fílios nostros. C. Tunc dimísit illis Barábbam: Jesum autem flagellátum trádidit eis, ut crucifigerétur. Tunc mílites prǽsidis suscipiéntes Jesum in prætórium, congregavérunt ad eum univérsam cohórtem: et exuéntes eum, chlámydem coccíneam circumdedérunt ei: et plecténtes corónam de spinis, posuérunt super caput ejus, et arúndinem in déxtera ejus. Et genu flexo ante eum, illudébant ei, dicéntes: S. Ave, Rex Judæórum. C. Et exspuéntes in eum, accepérunt arúndinem, et percutiébant caput ejus. Et postquam illusérunt ei, exuérunt eum chlámyde et induérunt eum vestiméntis ejus, et duxérunt eum, ut crucifígerent.
Ora Jesus compareceu perante o Governador, que O interrogou: S. «Sois o Rei dos Judeus?». C. Respondeu-lhe Jesus: «Tu o dizes». C. E, sendo acusado pelos príncipes dos sacerdotes e pelos anciãos, nada respondeu. Disse-Lhe, então, Pilatos: S. «Não ouvis as coisas de que Vos acusam?». C. Mas Ele não respondeu, de modo que o Governador admirava-se deveras. No dia da festa, o Governador tinha o costume de soltar o preso que o povo quisesse. Havia, então, um preso notável, chamado Barrabás. Estando todos juntos, disse Pilatos: S. «Qual quereis que solte? Barrabás ou Jesus, por apelido Cristo?». C. Pois sabia que por inveja é que lh’O haviam entregado. Quando Pilatos estava assentado no seu tribunal, mandou-lhe dizer sua mulher: S. «Não te ocupes desse justo, pois tive, hoje, sonhos, nos quais padeci muito por sua causa». C., Mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram o povo que pedisse que Barrabás fosse solto e mandasse matar Jesus. Falando, pois, o Governador, disse-lhes: S. «Qual dos dois quereis que solte?». C. Responderam: S. «Barrabás». C. Pilatos observou: S., «Que hei-de fazer, então, de Jesus, que se chama Cristo?» C. Responderam todos: S., «Seja crucificado!». C. O Governador disse-lhes: S. «Pois que mal fez Ele?». C. Porém, cada vez mais alto, bradavam: S. «Seja crucificado!». C. Vendo Pilatos que nada conseguia, mas que o tumulto crescia, mandou vir água e lavou as mãos diante do povo, dizendo: S. «Estou inocente do sangue deste justo; isso é lá convosco». C. Todo o povo respondeu: S. «Que o sangue caia sobre nós e nossos filhos!». C. Então Pilatos soltou Barrabás, e, havendo mandado açoitar Jesus, entregou-lh’O para ser crucificado. Os soldados do governador conduziram Jesus ao Pretório, formaram em torno d’Ele toda a corte, despojaram-n’O dos vestidos e cobriram-n’O com um manto de púrpura. Depois, teceram uma coroa de espinhos, puseram-Lha na cabeça, meteram-Lhe na mão direita uma cana, como se fora um ceptro, e ajoelharam diante d’Ele, escarnecendo-O e dizendo: S. «Salve, ó Rei dos judeus!». C. E, cuspindo-Lhe nas faces, tiraram-Lhe a cana e bateram-Lhe com ela na cabeça. Depois, ainda O escarneceram, tiraram-Lhe o manto, vestiram-n’O, novamente, com seus vestidos e levaram-n’O para ser crucificado.
Exeúntes autem, invenérunt hóminem Cyrenǽum, nómine Simónem: hunc angariavérunt, ut tólleret crucem ejus. Et venérunt in locum, qui dícitur Gólgotha, quod est Calváriæ locus. Et dedérunt ei vinum bíbere cum felle mixtum. Et cum gustásset, nóluit bibere. Postquam autem crucifixérunt eum, divisérunt vestiménta ejus, sortem mitténtes: ut implerétur, quod dictum est per Prophétam dicentem: Divisérunt sibi vestiménta mea, et super vestem meam misérunt sortem. Et sedéntes, servábant eum. Et imposuérunt super caput ejus causam ipsíus scriptam: Hic est Jesus, Rex Judæórum. Tunc crucifíxi sunt cum eo duo latrónes: unus a dextris et unus a sinístris. Prætereúntes autem blasphemábant eum, movéntes cápita sua et dicéntes: S. Vah, qui déstruis templum Dei et in tríduo illud reædíficas: salva temetípsum. Si Fílius Dei es, descénde de cruce. C. Simíliter et príncipes sacerdótum illudéntes cum scribis et senióribus, dicébant: S. Alios salvos fecit, seípsum non potest salvum fácere: si Rex Israël est, descéndat nunc de cruce, et crédimus ei: confídit in Deo: líberet nunc, si vult eum: dixit enim: Quia Fílius Dei sum. C. Idípsum autem et latrónes, qui crucifíxi erant cum eo, improperábant ei. A sexta autem hora ténebræ factæ sunt super univérsam terram usque ad horam nonam. Et circa horam nonam clamávit Jesus voce magna, dicens: Eli, Eli, lamma sabactháni? C. Hoc est: Deus meus, Deus meus, ut quid dereliquísti me? C. Quidam autem illic stantes et audiéntes dicébant: S. Elíam vocat iste. C. Et contínuo currens unus ex eis, accéptam spóngiam implévit acéto et impósuit arúndini, et dabat ei bíbere. Céteri vero dicébant: S. Sine, videámus, an véniat Elías líberans eum. C. Jesus autem íterum clamans voce magna, emísit spíritum.
Ao sair da cidade encontraram um homem de Cirene, chamado Simão. Logo o obrigaram a levar a cruz de Jesus. E vieram para um lugar chamado Gólgota, que quer dizer: lugar do Calvário. Deram-Lhe vinho misturado com fel. Porém Ele, havendo-o provado, o não quis beber. Depois de O crucificarem, lançaram sortes sobre os seus vestidos (para se cumprir o que fora anunciado pelo Profeta): «Repartiram entre si os meus vestidos e lançaram sortes à minha túnica». Depois assentaram-se e assim O guardaram. Puseram, também, por cima da sua cabeça uma inscrição, indicando a causa da sua morte, assim escrita: «Este é Jesus, Rei dos Judeus». Simultaneamente, foram crucificados dois ladrões: um à direita e o outro à esquerda. E os que passavam por ali blasfemavam, movendo a cabeça e dizendo: S. «Ah! dissestes que destruiríeis o templo de Deus e o reedificaríeis em três dias? Salvai-Vos, pois, agora! Se sois o Filho de Deus, descei da cruz». C. Ao mesmo tempo os sacerdotes com os escribas e anciãos, escarneciam d’Ele, dizendo: S. «Salvou os outros e não pode salvar-se a si próprio? Se Ele é o Rei de Israel, que desça da cruz, e acreditaremos n’Ele. Confiou em Deus?! Pois, se Deus O ama, que O livre, porquanto Ele disse: «Sou o Filho de Deus». C. Os ladrões, que estavam crucificados com Ele, insultavam-n’O do mesmo modo. Desde a hora sexta até à nona, as trevas estenderam-se por toda a terra. Cerca da hora nona, exclamou Jesus em voz alta, dizendo: «Elí, Elí, lamma sabatáni?». C. Isto é: «Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes?». C. Alguns, porém, dos que ali estavam, ouvindo isto, diziam: S. «Chama por Elias». C. Logo, correndo um deles, foi buscar uma esponja, ensopou-a em vinagre, pô-la sobre uma cana e apresentou-Lha para beber. Os outros diziam: S. «Deixa; vejamos se Elias vem livrá-l’O». C. Porém Jesus, soltando de novo um grande brado, expirou!
(Hic genuflectitur, et pausatur aliquántulum)
(Todos devem ajoelhar e recolher-se em meditação durante algum tempo.)
Et ecce, velum templi scissum est in duas partes a summo usque deórsum: et terra mota est, et petræ scissæ sunt, et monuménta apérta sunt: et multa córpora sanctórum, qui dormíerant, surrexérunt. Et exeúntes de monuméntis post resurrectiónem ejus, venérunt in sanctam civitátem, et apparuérunt multis. Centúrio autem et qui cum eo erant, custodiéntes Jesum, viso terræmótu et his, quæ fiébant, timuérunt valde, dicéntes: S. Vere Fílius Dei erat iste. C. Erant autem ibi mulíeres multæ a longe, quæ secútæ erant Jesum a Galilǽa, ministrántes ei: inter quas erat María Magdaléne, et María Jacóbi, et Joseph mater, et mater filiórum Zebedǽi.
Imediatamente, o véu do santuário se rasgou em duas partes, de alto a baixo; a terra tremeu nos seus alicerces; as pedras partiram-se; os sepulcros abriram-se e muitos corpos dos santos, que haviam morrido, ressuscitaram; e, saindo dos seus sepulcros, depois da ressurreição de Jesus, vieram à cidade santa e apareceram a muitos. O centurião e os que com ele estavam para guardar Jesus, vendo o tremor de terra e tudo quanto se passava, tiveram medo e diziam: S. «Realmente, Este era o Filho de Deus!». C. Achavam-se também, ali, a distância, algumas mulheres, que haviam seguido Jesus desde a Galileia para O servirem, em cujo número se contavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.
Cum autem sero factum esset, venit quidam homo dives ab Arimathǽa, nómine Joseph, qui et ipse discípulus erat Jesu. Hic accéssit ad Pilátum, et pétiit corpus Jesu. Tunc Pilátus jussit reddi corpus. Et accépto córpore, Joseph invólvit illud in síndone munda. Et pósuit illud in monuménto suo novo, quod excíderat in petra. Et advólvit saxum magnum ad óstium monuménti, et ábiit. Erat autem ibi María Magdaléne et áltera María, sedéntes contra sepúlcrum.
Quando já era tarde, chegou um homem rico de Arimateia, chamado José, que também era discípulo de Jesus. Este homem foi ter com Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Pilatos mandou que lhe fosse entregue o cadáver; e, levando-O José, amortalhou-O em um lençol limpo e depositou-O em um sepulcro novo, que havia mandado abrir na rocha. Depois, colocou uma pedra pesada à entrada do sepulcro e se retirou. Estavam, ali, Maria Madalena e a outra Maria, assentadas, defronte do sepulcro.
Interrompe-se aqui a leitura e diz-se o MUNDA COR MEUM... (como no Ordinário da Missa). Depois continua-se:
Altera autem die, quæ est post Parascéven, convenérunt príncipes sacerdótum et pharisǽi ad Pilátum, dicéntes: Dómine, recordáti sumus, quia sedúctor ille dixit adhuc vivens: Post tres dies resúrgam. Jube ergo custodíri sepúlcrum usque in diem tértium: ne forte véniant discípuli ejus, et furéntur eum, et dicant plebi: Surréxit a mórtuis; et erit novíssimus error pejor prióre. Ait illis Pilátus: Habétis custódiam, ite, custodíte, sicut scitis. Illi autem abeúntes, muniérunt sepúlcrum, signántes lápidem, cum custódibus.
No dia seguinte, depois do Parasceve, os príncipes dos sacerdotes e os fariseus reuniram-se e foram ter com Pilatos, dizendo: «Senhor, lembramo-nos de que Aquele sedutor, quando era vivo, disse: «Depois de três dias, ressuscitarei». Ordenai, pois, que seu sepulcro seja guardado, até ao terceiro dia, pois não seja o caso que os discípulos roubem o cadáver e digam depois à plebe: «Ressuscitou dos mortos!». Então, seria o último embuste pior do que o primeiro». Pilatos respondeu-lhes: «Tendes aí guardas; ide e guardai-o, como entenderdes». Eles, pois, foram, cimentaram o sepulcro, selaram a pedra e puseram-lhe guardas.

Ofertório Sl. 68, 21-22

Impropérium exspectávit cor meum et misériam: et sustínui, qui simul mecum contristarétur, et non fuit: consolántem me quæsívi, et non invéni: et dedérunt in escam meam fel, et in siti mea potavérunt me acéto.
As humilhações e os opróbrios aniquilaram-me o coração; procurei quem se compadecesse de mim e não apareceu ninguém; procurei quem me consolasse e não achei ninguém! E deram-me fel para comer e vinagre para mitigar a sede!

Secreta

Concéde, quǽsumus, Dómine: ut oculis tuæ majestátis munus oblátum, et grátiam nobis devotionis obtineat, et efféctum beátæ perennitátis acquírat. Per Dóminum nostrum &c.
Concedei-nos, Senhor, Vos suplicamos, que este sacrifício, que oferecemos à vossa divina majestade, nos obtenha a graça de uma pia devoção e nos assegure a posse da eterna felicidade. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Mt. 26, 42

Pater, si non potest hic calix transíre, nisi bibam illum: fiat volúntas tua.
Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que Eu o beba, faça-se a vossa vontade.

Postcomúnio

Per hujus, Dómine, operatiónem mystérii: et vitia nostra purgéntur, et justa desidéria compleántur. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, pela virtude deste mystério, fazei que sejamos purificados dos nossos vícios e cumulados de desejos santos. Por nosso Senhor &c.

Último Evangelho Mt. 21, 1-9

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.
Continuação do santo Evangelho segundo S. Mateus.
In illo témpore: Cum appropinquásset Jesus Jerosólymis, et venísset Béthphage ad montem Olivéti: tunc misit duos discípulos suos, dicens eis: Ite in castéllum, quod contra vos est, et statim inveniétis ásinam alligátam et pullum cum ea: sólvite et addúcite mihi: et si quis vobis áliquid dixerit, dícite, quia Dóminus his opus habet, et conféstim dimíttet eos. Hoc autem totum factum est, ut adimplerétur, quod dictum est per Prophétam, dicéntem: Dícite fíliae Sion: Ecce, Rex tuus venit tibi mansuétus, sedens super ásinam et pullum, fílium subjugális. Eúntes autem discípuli, fecérunt, sicut præcépit illis Jesus. Et adduxérunt ásinam et pullum: et imposuérunt super eos vestiménta sua, et eum désuper sedére tecérunt. Plúrima autem turba stravérunt vestiménta sua in via: álii autem cædébant ramos de arbóribus, et sternébant in via: turbæ autem, quæ præcedébant et quæ sequebántur, clamábant, dicéntes: Hosánna fílio David: benedíctus, qui venit in nómine Dómini.
Naquele tempo, como Jesus se aproximasse de Jerusalém e chegasse a Bétfage, já perto do monte das Oliveiras, mandou dois dos seus discípulos, a quem disse: «Ide à aldeia fronteira e lá encontrareis uma jumenta presa e com ela um jumentinho. Desprendei-a e trazei-os. Se alguém vos disser alguma coisa, respondei: «O Senhor precisa deles». E logo os deixarão trazer». Tudo isto aconteceu para se cumprir o que fora anunciado pelo Profeta: «Dizei à filha de Sião: «Eis o teu Rei que vem a ti com doçura, montado em uma jumenta e sobre um jumentinho, filho da que está sob o jugo». Foram os discípulos e fizeram tudo como Jesus lhes ordenara, trazendo a jumenta e o jumentinho. Então, puseram em cima deles as suas capas e fizeram-n’O montar. Ora a multidão, que era numerosa estendia as suas capas na estrada e cortava ramos das árvores com que atapetavam o caminho. E os da multidão, tanto os que O precediam, como os que O seguiam, clamavam: «Hosana ao Filho de David. Bendito seja O que vem em nome do Senhor!».

Segunda-Feira Santa Estacão em Santa Praxedes

Intróito Sl. 34, 1-2

Júdica, Dómine, nocéntes me, expúgna impugnántes me: apprehénde arma et scutum, et exsúrge in adjutórium meum, Dómine, virtus salútis meæ. Ps. ibid., 3 Effúnde frámeam, et conclúde advérsus eos, qui persequúntur me: dic ánimæ meæ: Salus tua ego sum. V. Gloria Patri &c.
Julgai, Senhor, aqueles que me perseguem; exterminai aqueles que me combatem! Empunhai as armas e o escudo e erguei-Vos em meu auxílio, ó Senhor, que sois o meu sustentáculo e a minha salvação. Sl. ibid., 3 Desembainhai a vossa espada e enfrentai aqueles que me perseguem. Direi à minha alma: «Eu sou a tua salvação». V. Glória ao Pai &c.

Oração

Da, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui in tot advérsis ex nostra infirmitáte defícimus; intercedénte unigéniti Fílii tui passióne respirémus: Qui tecum vivit &c.
Ó Deus omnipotente, que bem sabeis não poder a nossa fraqueza subsistir no meio de tantos perigos que a cercam, concedei-nos, Vos suplicamos, a graça de conseguirmos algum alívio pelos méritos da Paixão de vosso Filho Unigénito: Ele, que, sendo Deus &c.

Epístola Is. 50, 5-10

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
In diébus illis: Dixit Isaías: Dóminus Deus apéruit mihi aurem, ego autem non contradíco: retrórsum non ábii. Corpus meum dedi percutiéntibus et genas meas velléntibus: fáciem meam non avérti ab increpántibus et conspuéntibus in me. Dóminus Deus auxiliátor meus, ideo non sum confúsus: ídeo posui fáciem meam ut petram duríssimam, et scio, quóniam non confúndar. Juxta est, qui justíficat me, quis contradícet mihi? Stemus simul, quis est adversárius meus? Accédat ad me. Ecce, Dóminus Deus auxiliátor meus: quis est, qui condémnet me? Ecce, omnes quasi vestiméntum conteréntur, tinea cómedet eos. Quis ex vobis timens Dóminum, áudiens vocem servi sui? Qui ambulávit in ténebris, et non est lumen ei, speret in nómine Dómini, et innitátur super Deum suum.
Naqueles dias, disse Isaías: «O Senhor e Deus abriu-me os ouvidos, e lhe não resisti, nem voltei para trás. Entreguei o meu corpo aos que me maltratavam e as minhas faces aos que me arrancavam as barbas. Não voltei o rosto àqueles que me ultrajavam e cuspiam sobre mim. O Senhor e Deus é o meu protector; assim, pois, não serei confundido! Meu rosto ficou impassível, como pedra duríssima; sei que não ficarei envergonhado. Aquele que me julgará está comigo; quem ousará, pois, contradizer-me? Compareceremos ambos. Quem será, pois, contra mim?! Aproxime-se de mim quem o ousar. O Senhor e Deus é o meu protector; quem se atreverá a condenar-me? Meus inimigos serão destruídos, como vestidos velhos, devorados pela traça. Qual de vós teme o Senhor e escuta a voz do seu servo? Aquele que andou em trevas, privado da luz, confie no nome do Senhor, pois Deus será o seu sustentáculo».

Gradual Sl. 34, 23 & 3

Exsúrge, Dómine, et inténde judício meo, Deus meus et Dóminus meus, in causam meam. V. Effúnde frámeam, et conclúde advérsus eos, qui me persequúntur.
Erguei-Vos, Senhor, e procedei ao meu julgamento. Ó meu Deus e meu Senhor, tomai a minha causa nas vossas mãos. V. Desembainhai a vossa espada e enfrentai aqueles que me perseguem.

Trato Sl. 102, 10

Dómine, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retríbuas nobis. V. Ps. 78, 8-9 Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrárum antiquárum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis. (hic genuflectitur) V. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, líbera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.
Senhor, nos não castigueis, consoante merecemos, pelos pecados que praticámos e por causa das nossas iniquidades! V. Sl. 78, 8-9 Esquecei-Vos, Senhor, das nossas antigas iniquidades e apressai-Vos em revestir-nos com vossas misericórdias, pois grande é a nossa miséria! (Aqui os fiéis devem genuflectir). V. Auxiliai-nos, ó Deus, nosso Salvador. Para glória do vosso Nome, perdoai-nos os nossos pecados, Senhor!

Evangelho Jo. 12, 1-9

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
Ante sex dies Paschæ venit Jesus Bethániam, ubi Lázarus fúerat mórtuus, quem suscitávit Jesus. Fecérunt autem ei cenam ibi: et Martha ministrábat, Lázarus vero unus erat ex discumbéntibus cum eo. María ergo accépit libram unguénti nardi pístici pretiósi, et unxit pedes Jesu, et extérsit pedes ejus capíllis suis: et domus impléta est ex odóre unguénti. Dixit ergo unus ex discípulis ejus, Judas Iscariótes, qui erat eum traditúrus: Quare hoc unguéntum non véniit trecéntis denáriis, et datum est egénis? Dixit autem hoc, non quia de egénis pertinébat ad eum, sed quia fur erat, et lóculos habens, ea, quæ mittebántur, portábat. Dixit ergo Jesus: Sínite illam, ut in diem sepultúræ meæ servet illud. Páuperes enim semper habétis vobíscum: me autem non semper habétis. Cognóvit ergo turba multa ex Judǽis, quia illic est: et venérunt, non propter Jesum tantum, sed ut Lázarum vidérent, quem suscitávit a mórtuis.
Seis dias antes da Páscoa, voltou Jesus a Betânia, onde morrera Lázaro, que Ele ressuscitara, Prepararam-Lhe a ceia, que Marta servia, sendo Lázaro um dos convivas. Então Maria pegou em uma libra de nardo puro e precioso, perfumando com ele os pés de Jesus e enxugando-lhos, depois, com seus cabelos. A casa estava cheia do odor daquele perfume. Vendo isto, disse um dos discípulos, Judas Iscariotes, que havia de traí-l’O: «Porque se não venderia, antes, este perfume por trezentos dinheiros, para se darem de esmola aos pobres?». Ele disse isto, não porque tivesse compaixão dos pobres, mas porque era ladrão; e, como guardava a bolsa, tirava o que lhe entregavam. Jesus disse: «Deixai-a; ela guardou este perfume para o dia da minha sepultura. Vós tereis sempre pobres convosco, mas a mim nem sempre me tereis». Então os judeus em grande multidão, sabendo que Jesus estava ali, acorreram lá, não tanto por causa d’Ele, como para verem Lázaro, que Jesus havia ressuscitado dos mortos.

Ofertório Sl. 142, 9-10

Eripe me de inimícis meis, Dómine: ad te confúgi, doce me fácere voluntátem tuam: quia Deus meus es tu.
Salvai-me dos meus inimigos, Senhor. Em Vós procurei refúgio; ensinai-me a obedecer à vossa vontade, porquanto sois o meu Deus.

Secreta

Hæc sacrifícia nos, omnípotens Deus, poténti virtúte mundátos, ad suum fáciant purióres veníre princípium. Per Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, havendo sido purificados com a eficaz virtude destes sacrifícios, fazei que nos aproximemos cada vez mais puros d’Aquele que é o seu princípio. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 34, 26

Erubéscant et revereántur simul, qui gratulántur malis meis: induántur pudóre et reveréntia, qui malígna loquúntur advérsus me.
Sejam envergonhados e confundidos aqueles que se alegram com a minha desgraça; que a infâmia e o temor revistam aqueles que falam mal de mim.

Postcomúnio

Prǽbeant nobis, Dómine, divínum tua sancta fervórem: quo eórum páriter et actu delectémur et fructu. Per Dóminum &c.
Que os vossos mystérios, Senhor, inspirem às nossas almas um fervor divino, a fim de que encontremos as nossas delícias tanto durante a sua celebração, como nos seus frutos. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et ad benefícia recolénda, quibus nos instauráre dignátus es, tríbue veníre gaudéntes. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus, nosso Salvador, vinde em nosso auxílio e concedei-nos a graça de celebrarmos com alegria o aniversário dos benefícios com que Vos dignastes regenerar-nos. Por nosso Senhor &c.

Terça-Feira Santa Estação em Santa Prisca

Intróito Gl. 6, 14

Nos autem gloriári oportet in Cruce Dómini nostri Jesu Christi: in quo est salus, vita et resurréctio nostra: per quem salváti et liberáti sumus. Ps. 66, 2 Deus misereátur nostri, et benedícat nobis: illúminet vultum suum super nos, et misereátur nostri. V. Gloria Patri &c.
Convém que nos gloriemos com a Cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pois Ele é a nossa salvação, vida e ressurreição, Por Ele fomos salvos e livres. Sl. 66, 2 Que o Senhor tenha misericórdia de nós e nos abençoe; que faça resplandecer sobre nós o brilho da sua face e se compadeça de nós. V. Glória ao Pai &c.

Oração

Omnípotens sempitérne Deus: da nobis ita Domínicæ passiónis sacraménta perágere; ut indulgéntiam percípere mereámur. Per eúndem Dóminum &c.
Omnipotente e sempiterno Deus, concedei-nos a graça de celebrarmos os mystérios da Paixão do Senhor de tal sorte que mereçamos receber o perdão das nossas faltas. Pelo mesmo nosso &c.

Epístola Jr. 11, 18-20

Léctio Jeremíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Jeremias.
In diébus illis: Dixit Jeremías: Dómine, demonstrásti mihi, et cognóvi: tunc ostendísti mihi stúdia eórum. Et ego quasi agnus mansúetus, qui portátur ad víctimam: et non cognóvi, quia cogitavérunt super me consília, dicéntes: Mittámus lignum in panem ejus, et eradámus eum de terra vivéntium, et nomen ejus non memorétur ámplius. Tu autem, Dómine Sábaoth, qui júdicas juste et probas renes et corda, vídeam ultiónem tuam ex eis: tibi enim revelávi causam meam, Dómine, Deus meus.
Naqueles dias, falou assim Jeremias: «Senhor, fizestes-me conhecer os seus pensamentos e fiquei ciente; então fiquei conhecendo os seus desígnios. Eu era como um cordeiro manso, que ia conduzido para ser imolado como vítima. Ignorava que conspiravam contra mim e diziam: «Destruamos a árvore com seu fruto; arranquemo-la da terra dos vivos e apaguemos a recordação do seu nome». Mas Vós, Senhor dos exércitos, que julgais com justiça e perscrutais os rins e os corações, mostrai-me a vingança que haveis de tirar deles; pois a Vós, ó Senhor, meu Deus, entreguei a minha causa».

Gradual Sl. 34, 13 & 1-2

Ego autem, dum mihi molésti essent, induébam me cilício, et humiliábam in jejúnio ánimam meam: et orátio mea in sinu meo convertétur. V. Júdica, Dómine, nocéntes me, expúgna impugnántes me: apprehénde arma et scutum, et exsúrge in adjutórium mihi.
Eu, porém, enquanto me molestavam, revestia-me com o cilício, humilhava a minha alma com jejuns e orava silenciosamente com a cabeça inclinada. Julgai, Senhor, os que me perseguem; expurgai aqueles que me combatem; empunhai as armas e o escudo: e vinde em meu auxílio.

Narração da Paixão Mc. 14, 1-72; 15, 1-46

Pássio Dómini nostri Jesu Christi secúndum Marcum.
Paixão de N. S. Jesus Cristo, segundo S. Marcos.
In illo témpore: Erat Pascha, et ázyma post bíduum, et quærébant summi sacerdótes et scribæ, quómodo Jesum dolo tenérent et occíderent. Dicébant autem: S. Non in die festo, ne forte tumúltus fíeret in pópulo. C. Et cum esset Jesus Bethániæ in domo Simónis leprósi, et recúmberet: venit múlier habens alabástrum unguénti nardi spicáti pretiósi, et fracto alabástro, effúdit super caput ejus. Erant autem quidam indígne feréntes intra semetípsos, et dicéntes: S. Ut quid perdítio ista unguénti facta est? Póterat enim unguéntum istud venúmdari plus quam trecéntis denáriis, et dari paupéribus. C. Et fremébant in eam. Jesus autem dixit: Sínite eam: quid illi molésti estis? Bonum opus operáta est in me. Semper enim páuperes habétis vobíscum: et cum voluéritis, potéstis illis benefácere: me autem non semper habétis. Quod hábuit hæc, fecit: prævénit úngere corpus meum in sepultúram. Amen, dico vobis: Ubicúmque prædicátum fúerit Evangélium istud in univérso mundo, et, quod fecit hæc, narrábitur in memóriam ejus. C. Et Judas Iscariótes, unus de duódecim, ábiit ad summos sacerdótes, ut próderet eum illis. Qui audiéntes, gavísi sunt: et promisérunt ei pecúniam se datúros. Et quærébat, quómodo illum opportúne tráderet.
Naquele tempo, a Páscoa e os ázimos eram dois dias depois; e os príncipes dos sacerdotes e os escribas procuravam, traiçoeiramente, prender Jesus e matá-l’O. Diziam, portanto: S. «Não o façamos, porém, no dia da festa, para o povo se não amotinar». C. E, encontrando-se Jesus em Betânia, na casa de Simão, o leproso, a cuja mesa se assentara, veio uma mulher com um vaso de alabastro, cheio de precioso bálsamo de espigas de nardo, e, quebrando o vaso, derramou o perfume sobre a cabeça de Jesus. Ora, alguns dos que lá estavam indignaram-se intimamente e disseram: S. «Para que tal desperdício de bálsamo? Podia este precioso unguento ser vendido por mais de trezentos dinheiros, para serem dados aos pobres». C. E murmuravam contra ela. Então, disse Jesus: «Deixai-a; porque a molestais? Praticou uma boa obra para comigo, pois pobres sempre os tereis convosco e podereis fazer-lhes bem, quando quiserdes; mas a mim me não tereis sempre. Fez o que pôde; antecipou-se a ungir o meu corpo para a sepultura. Em verdade, em verdade vos digo: onde quer que seja pregado este Evangelho (e sê-lo-á em todo o mundo) será contado em sua memória o que esta mulher agora praticou». C. Então Judas Iscariotes, um dos Doze, foi ter com os príncipes dos sacerdotes, para lhes entregar Jesus. Ouviram-no estes com alegria, prometendo dar-lhe dinheiro. Desde logo, Judas procurava ocasião favorável para O entregar.
Et primo die azymórum quando pascha immolábant, dicunt ei discípuli: S. Quo vis eámus, et parémus tibi, ut mandúces pascha? C. Et mittit duos ex discípulis suis, et dicit eis: Ite in civitátem: et occúrret vobis homo lagénam aquæ bájulans, sequímini eum: et quocúmque introíerit, dícite dómino domus, quia Magíster dicit: Ubi est reféctio mea, ubi pascha cum discípulis meis mandúcem? Et ipse vobis demonstrábit cenáculum grande stratum: et illic paráte nobis. C. Et abiérunt discípuli ejus, et venérunt in civitátem: et invenérunt, sicut díxerat illis, et paravérunt pascha.
No primeiro dia dos ázimos, em que se celebrava a Páscoa, disseram os discípulos a Jesus: S. «Onde quereis que vamos preparar o que é preciso para comer a Páscoa?». C. E Jesus mandou dois discípulos, a quem disse: «Ide à cidade; lá encontrareis um homem, conduzindo um cântaro de água. Acompanhai-o; e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa: «O Mestre manda dizer-te: onde está a sala em que hei-de comer a Páscoa com meus discípulos?». Ele vos mostrará um grande cenáculo mobilado. Aí preparareis o que é necessário». C. Partiram logo os discípulos e chegaram à cidade, havendo encontrado tudo, como lhes dissera Jesus, e tendo preparado aí a Páscoa.
Véspere autem facto, venit cum duódecim. Et discumbéntibus eis et manducántibus, ait Jesus: Amen, dico vobis, quia unus ex vobis tradet me, qui mánducat mecum. C. At illi cœpérunt contristári et dícere ei singulátim: S. Numquid ego? C. Qui ait illis: Unus ex duódecim, qui intíngit mecum manum in catíno. Et Fílius quidem hóminis vadit, sicut scriptum est de eo: væ autem hómini illi, per quem Fílius hóminis tradétur. Bonum erat ei, si non esset natus homo ille.
Quando chegou a tarde, veio Jesus com os Doze, assentaram-se à mesa e começaram a comer. E disse Jesus: «Em verdade vos digo: um de vós, que come comigo, trair-me-á». C. Todos começaram a entristecer-se e a dizer cada um por sua vez: S. «Porventura sou eu?». C. Ele respondeu-lhes: «É um dos Doze que mete a mão comigo no prato. Na verdade, o Filho do homem vai morrer, Segundo o que está escrito a seu respeito; porém, infeliz daquele por quem o Filho do homem for entregue. Melhor fora para esse homem não ter nascido!».
C. Et manducántibus illis, accépit Jesus panem: et benedícens fregit, et dedit eis, et ait: Súmite, hoc est corpus meum. C. Et accépto cálice, grátias agens dedit eis: et bibérunt ex illo omnes. Et ait illis: Hic est sanguis meus novi Testaménti, qui pro multis effundétur. Amen, dico vobis, quia jam non bibam de hoc genímine vitis usque in diem illum, cum illud bibam novum in regno Dei.
C. Enquanto comiam, tomou Jesus o pão, benzeu-o, partiu-o e deu-o a comer, dizendo: «Tomai; isto é o meu corpo». C. E, segurando também o cálice, deu graças, entregou-o aos discípulos e todos dele beberam. E disse-lhes: «Este é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que será derramado por muitos. Em verdade vos digo: já não tornarei a beber deste fruto até ao dia em que de novo o beba no reino de Deus».
C. Et hymno dicto, exiérunt in montem Olivárum. Et ait eis Jesus: Omnes scandalizabímini in me in nocte ista: quia scriptum est: Percútiam pastórem, et dispergéntur oves. Sed postquam resurréxero, præcédam vos in Galilǽam, C. Petrus autem ait illi: S. Et si omnes scandalizáti fúerint in te, sed non ego. C. Et ait illi Jesus: Amen, dico tibi, quia tu hódie in nocte hac, priúsquam gallus vocem bis déderit, ter me es negatúrus. C. At ille ámplius loquebátur: S. Et si oportúerit me simul cómmon tibi, non te negábo. C. Simíliter autem et omnes dicébant.
C. Após o cântico do hino, saíram para o monte das Oliveiras. Então, disse-lhes Jesus: «Por minha causa esta noite ficareis escandalizados, pois está escrito: «Ferirei o pastor e as ovelhas ficarão dispersas». Mas, quando ressuscitar, irei adiante de vós para a Galileia». C. Pedro disse-lhe: S. «Ainda que todos se escandalizem, nunca me escandalizarei». C. Jesus respondeu-lhe: «Em verdade te digo: hoje, esta noite, antes de o galo cantar duas vezes, tu me negarás três vezes!». C. Contudo, Pedro insistia, dizendo: S. «Ainda mesmo que seja necessário morrer convosco, não Vos negarei!». C. E o mesmo diziam todos os outros.
Et véniunt in prǽdium, cui nomen Gethsémani. Et ait discípulis suis: Sedéte hic, donec orem. C. Et assúmit Petrum et Jacóbum et Joánnem secum: et cœpit pavére et tædére. Et ait illis: Tristis est anima mea usque ad mortem: sustinéte hic, et vigiláte. C. Et cum processísset páululum, prócidit super terram: et orábat, ut, si fíeri posset, transíret ab eo hora: et dixit: Abba, Pater, ómnia tibi possibília sunt, transfer cálicem hunc a me: sed non quod ego volo, sed quod tu. C. Et venit et invénit eos dormiéntes. Et ait Petro: Simon, dormis? non potuísti una hora vigiláre? Vigilate et oráte, ut non intrétis in tentatiónem. Spíritus quidem promptus est, caro vero infírma. C. Et íterum ábiens orávit, eúndem sermónem dicens. Et revérsus, dénuo invénit eos dormiéntes (erant enim óculi eórum gravati) et ignorábant, quid respondérent ei. Et venit tértio, et ait illis: Dormíte jam et requiéscite. Súfficit: venit hora: ecce, Fílius hóminis tradétur in manus peccatórum. Súrgite, eámus: ecce, qui me tradet, prope est.
Em seguida vieram para uma propriedade chamada Getsémani, dizendo Jesus aos discípulos: «Assentai-vos aqui, enquanto vou orar». C. E, levando consigo Pedro, Tiago e João, começou a angustiar-se. E disse-lhes: «Minha alma está triste até à morte; ficai aqui e vigiai». C. Depois Jesus avançou um pouco mais e foi prostrar-se na terra, orando, a fim de que, se fosse possível, aquela hora se afastasse; e dizia: «Meu Pai, tudo Vos é possível. Afastai, pois, de mim este cálice; contudo, não se faça o que quero, mas sim o que Vós quereis». C. Depois veio ter com eles, achando-os a dormir. Disse, pois, a Pedro: «Simão, tu dormes? Não pudeste vigiar uma hora? Vigiai e orai para não cairdes em tentação. O espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca». C. E, afastando-se, novamente orou, repetindo as mesmas palavras. Depois voltou ao encontro dos discípulos, que estavam a dormir (até tinham os olhos pegados) e nem sabiam o que responder-Lhe. Terceira vez veio Jesus e disse-lhes: «Dormi, agora, e descansai. Basta! A hora é chegada em que o Filho do homem vai ser entregue aos pecadores. Erguei-vos e vamos. Eis que se aproxima aquele que me há-de entregar».
C. Et, adhuc eo loquénte, venit Judas Iscariótes, unus de duódecim, et cum eo turba multa cum gládiis et lignis, a summis sacerdótibus et scribis et senióribus. Déderat autem tráditor ejus signum eis, diceris: S. Quemcúmque osculátus fúero, ipse est, tenéte eum et dúcite caute. C. Et cum venísset, statim accédens ad eum, ait: S. Ave, Rabbi. C. Et osculátus est eum. At illi manus injecérunt in eum, et tenuérunt eum. Unus autem quidam de circumstántibus, edúcens gládium, percussit servum summi sacerdótis: et amputávit illi aurículam. Et respóndens Jesus, ait illis: Tamquam ad latrónem exístis cum gládiis et lignis comprehéndere me? cotídie eram apud vos in templo docens, et non me tenuístis. Sed ut impleántur Scriptúræ. C. Tunc discípuli ejus relinquéntes eum, omnes fugérunt. Adoléscens autem quidam sequebátur eum amíctus síndone super nudo: et tenuérunt eum. At ille, rejécta síndone, nudus profúgit ab eis.
C. Ainda Ele falava, quando chegou Judas, um dos Doze, e com ele numerosa turba armada com espadas e paus, enviada pelos príncipes dos sacerdotes, pelos escribas e pelos anciãos. O traidor havia-lhes dado este sinal: S. «Aquele que eu beijar é o próprio; prendei-o e segurai-o, cuidadosamente». C. Logo que Judas foi ter com Jesus, disse-Lhe: S. «Eu vos saúdo, ó Mestre». C. E beijou-O. Então, lançaram-Lhe as mãos e prenderam-n’O. Porém, um dos que estavam presentes puxou por uma espada, feriu um servo do sumo sacerdote e cortou-lhe uma orelha. Jesus falou, dizendo-lhes: «Viestes com espadas e paus para me prender, como se fora um ladrão? Todos os dias estava convosco, ensinando no templo, e não me prendestes. Isto, porém, assim acontece para se cumprirem as Escrituras». C. Então, os seus discípulos, abandonando-O, fugiram todos. Seguia-O, porém, um adolescente coberto com um lençol. Logo o prenderam, também; mas ele, desembaraçando-se do lençol, fugiu das suas mãos, assim mesmo nu.
Et adduxérunt Jesum ad summum sacerdótem: et convenérunt omnes sacerdótes et scribæ et senióres. Petrus autem a longe secútus est eum usque intro in átrium summi sacerdótis: et sedébat cum minístris ad ignem, et calefaciébat se. Summi vero sacerdótes et omne concílium quærébant advérsus Jesum testimónium, ut eum morti tráderent, nec inveniébant. Multi enim testimónium falsum dicébant advérsus eum: et conveniéntia testimónia non erant. Et quidam surgéntes, falsum testimónium ferébant advérsus eum, dicéntes: S. Quóniam nos audívimus eum dicéntem: Ego dissólvant! templum hoc manufáctum, et per tríduum áliud non manufáctum ædificábo. C. Et non erat convéniens testimónium illórum. Et exsúrgens summus sacérdos in médium, interrogávit Jesum, dicens: S. Non respóndes quidquam ad ea, quæ tibi objiciúntur ab his? C. Ille autem tacébat et nihil respóndit. Rursum summus sacérdos interrogábat eum, et dixit ei: S. Tu es Christus, Fílius Dei benedícti? C. Jesus autem dixit illi: Ego sum: et vidébitis Fílium hóminis sedéntem a dextris virtútis Dei, et veniéntem cum núbibus cœli. C. Summus autem sacérdos scindens vestiménta sua, ait: S. Quid adhuc desiderámus testes? Audístis blasphémiam: quid vobis videtur? C. Qui omnes condemnavérunt eum esse reum mortis. Et cœpérunt quidam conspúere eum, et veláre fáciem ejus, et cólaphis eum cǽdere, et dícere ei: S. Prophetíza. C. Et minístri álapis cum cædébant.
E conduziram Jesus à presença do sumo sacerdote, reunindo-se todos os sacerdotes, escribas e anciãos. Pedro seguia-O de longe, indo até ao pátio do sumo sacerdote, assentando-se ao fogo, juntamente com os oficiais, e se aquecendo. Entretanto, os príncipes dos sacerdotes e todo o conselho buscavam algum testemunho contra Jesus, para o condenarem à morte; mas nada encontravam, pois, ainda que bastantes depusessem contra Ele, não eram concordes os depoimentos. Alguns, levantando-se, testemunhavam falsamente, dizendo: S. «Ouvimo-l’O dizer: «Destruirei este templo, construído pelos homens, e no espaço de três dias edificarei outro sem ser obra dos homens». C. E não concordavam os testemunhos. Ergueu-se, então, o sumo sacerdote, no meio de todos, e interrogou Jesus: S. «Nada respondeis ao que estes depõem contra Vós?». C. Ele, porém, calava-se e nada respondia. Segunda vez o interrogou o sumo sacerdote e disse-Lhe: S. «Sois Vós o Cristo, Filho de Deus bendito?». C. Jesus respondeu-lhe: «Sou eu; e vereis o Filho do homem, assentado à direita de Deus, vir descendo à terra, apoiando-se nas nuvens dos céus». C. Logo, o sumo sacerdote, rasgando os vestidos, disse: S. «Para que queremos mais testemunhos? Ouvistes a blasfémia. Que vos parece?». C. E todos O condenaram como réu de morte. Alguns começaram a cuspir sobre Ele; outros tapavam-Lhe o rosto; e ainda outros davam-Lhe socos e diziam-Lhe: S. «Adivinha». C. E os oficiais davam-Lhe bofetadas.
Et cum esset Petrus in átrio deórsum, venit una ex ancíllis summi sacerdótis: et cum vidísset Petrum calefaciéntem se, aspíciens illum, ait: S. Et tu cum Jesu Nazaréno eras. C. At ille negávit, dicens: S. Neque scio neque novi, quid dicas. C. Et éxiit foras ante átrium, et gallus cantávit. Rursus autem cum vidísset illum ancílla, cœpit dícere circumstántibus: Quia hic ex illis est. At ille íterum negávit. Et post pusíllum rursus, qui astábant, dicébant Petro: S. Vere ex illis es: nam et Galilǽus es. C. Ille autem cœpit anathematizáre et juráre: Quia néscio hóminem istum, quem dícitis. Et statim gallus íterum cantávit. Et recordátus est Petrus verbi, quod díxerat ei Jesus: Priúsquam gallus cantet bis, ter me negábis. Et cœpit flere.
Entretanto, estando Pedro em baixo, no pátio, veio uma das criadas do sumo sacerdote; e, vendo que ele se aquecia, disse, fitando-o: S. «Tu também estavas com Jesus Nazareno». C. Ele negou, dizendo: S. «Nem O conheço, nem sei o que dizes!». C. E saiu para fora, diante do pátio. Logo cantou o galo. Novamente a criada o viu e começou a dizer aos circunstantes: «Este é um dos d’Ele». De novo Pedro negou o que a criada afirmava. Pouco tempo passado, aqueles que ali estavam diziam também a Pedro: S. «Realmente, tu pertences a eles, pois conhecemos que és galileu». C. Ele, porém, começou a praguejar, e disse com juramento: «Não conheço o homem de quem falais!». Logo cantou o galo segunda vez. Então Pedro recordou-se daquelas palavras que dissera Jesus: «Antes de o galo cantar duas vezes, tu me negarás três». E começou a chorar!
Et conféstim mane consílium faciéntes summi sacerdótes, cum senióribus et scribis et univérso concílio, vinciéntes Jesum, duxérunt, et tradidérunt Piláto. Et interrogávit eum Pilátus: S. Tu es Rex Judæórum? C. At ille respóndens, ait illi: Tu dicis. C. Et accusábant eum summi sacerdótes in multis. Pilátus autem rursum interrogávit eum, dicens: S. Non respóndes quidquam? vide, in quantis te accúsant. C. Jesus autem ámplius nihil respóndit, ita ut mirarétur Pilátus. Per diem autem festum solébat dimíttere illis unum ex vinctis, quemcúmque petiíssent. Erat autem, qui dicebátur Barábbas, qui cum seditiósis erat vinctus, qui in seditióne fécerat homicídium. Et cum ascendísset turba, cœpit rogáre, sicut semper faciébat illis. Pilátus autem respóndit eis, et dixit: S. Vultis dimíttam vobis Regem Judæórum? C. Sciébat enim, quod per invídiam tradidíssent eum summi sacerdótes. Pontifices autem concitavérunt turbam, ut magis Barábbam dimítteret eis. Pilátus autem íterum respóndens, ait illis: S. Quid ergo vultis fáciam Regi Judæórum? C. At illi íterum clamavérunt: S. Crucifíge eum. C. Pilátus vero dicébat illis: S. Quid enim mali fecit? C. At illi magis clamábant: S. Crucifíge eum. C. Pilátus autem volens populo satisfácere, dimisit illis Barábbam, et trádidit Jesum flagellis cæsum, ut crucifígerétur. Mílites autem duxérunt eum in átrium prætórii, et cónvocant totam cohórtem, et índuunt eum púrpura, et impónunt ei plecténtes spíneam corónam. Et cœpérunt salutáre eum: Ave, Rex Judæórum. Et percutiébant caput ejus arúndine: et conspuébant eum et, ponéntes génua, adorábant eum. Et postquam illusérunt ei, exuérunt illum púrpura, et induérunt eum vestiméntis suis: et edúcunt illum, ut crucifígerent eum.
Manhã cedo, sem demora, formaram conselho os príncipes dos sacerdotes com os anciãos, escribas e todos os que a ele pertenciam. Manietaram Jesus e conduziram-n’O à presença de Pilatos, a quem O entregaram. Este perguntou-Lhe: S. «Sois o rei dos judeus?». C. Respondendo, Jesus disse: «Tu o dizes». C. Entretanto, os príncipes dos sacerdotes acusavam-n’O de muitas coisas. Pilatos voltou a interrogá-l’O, dizendo: S. «Nada respondeis? Vede de quantas coisas Vos acusam». C. Jesus, porém, nada respondeu, de maneira que Pilatos estava admirado. Era costume no dia da festa soltar um preso qualquer que o povo pedisse. Ora, havia um, chamado Barrabás, que estava preso como sedicioso e que durante uma sedição cometera um homicídio. Reunindo-se o povo, começou a pedir que concedesse a graça que sempre fazia. Disse, pois, Pilatos: S. «Quereis que vos solte o Rei dos judeus?». C. Porquanto, Pilatos sabia que os príncipes dos sacerdotes lho tinham entregado, movidos pela inveja. Mas os pontífices excitaram o povo, a fim de que Pilatos soltasse antes Barrabás. De novo Pilatos falou ao povo e disse-lhe: S. «Que quereis que faça ao Rei dos judeus?». C. Eles tornaram a clamar: S. «Crucificai-O». C. Pilatos respondeu-lhes: S. «Que mal fez Ele?». C. Porém, o povo clamava, cada vez com mais força: S. «Crucificai-O». C. Entretanto, Pilatos, querendo satisfazer a vontade do povo, soltou logo Barrabás, como lhe pediam; e, havendo mandado açoitar Jesus, entregou-lho para O crucificarem. Os soldados levaram Jesus para o pátio do pretório, convocando toda a coorte, vestiram-n’O de púrpura, impuseram-Lhe na cabeça uma coroa de espinhos, que eles teceram, e começaram a saudá-l’O: S. «Salve, ó Rei dos judeus!». C. E batiam-Lhe na cabeça com uma cana, cuspiam-Lhe no rosto e, prostrados de joelhos, adoravam-n’O. Depois de O escarnecerem desta maneira, despiram-Lhe a púrpura e envergaram-Lhe os seus vestidos. Então, levaram-n’O para O crucificar.
Et angariavérunt prætereúntem quémpiam, Simónem Cyrenǽum, veniéntem de villa, patrem Alexándri et Rufi, ut tólleret crucem ejus. Et perdúcunt illum in Gólgotha locum, quod est interpretátum Calváriæ locus. Et dabant ei bíbere myrrhátum vinum: et non accépit. Et crucifigéntes eum, divisérunt vestiménta ejus, mitténtes sortem super eis, quis quid tólleret. Erat autem hora tértia: et crucifixérunt eum. Et erat títulus causæ ejus inscríptus: Rex Judæórum. Et cum eo crucifígunt duos latrónes: unum a dextris et alium a sinístris ejus. Et impléta est Scriptúra, quæ dicit: Et cum iníquis reputátus est. Et prætereúntes blasphemábant eum, movéntes cápita sua et dicéntes: S. Vah, qui déstruis templum Dei, et in tribus diébus reædíficas: salvum fac temetípsum, descéndens de cruce. C. Simíliter et summi sacerdótes illudéntes, ad altérutrum cum scribis dicébant: S. Alios salvos fecit, seípsum non potest salvum fácere. Christus Rex Israël descéndat nunc de cruce, ut videámus et credámus. C. Et qui cum eo crucifíxi erant, conviciabántur ei. Et facta hora sexta, ténebræ factæ sunt per totam terram, usque in horam nonam.
E eis que encontraram um homem, que passava, vindo de uma herdade, o qual se chamava Simão Cireneu e era pai de Alexandre e de Rufo; logo o constrangeram a levar a cruz de Jesus, caminhando para o lugar chamado Gólgota, que quer dizer: Calvário. E deram-Lhe a beber vinho misturado com mirra, o que Ele rejeitou. Então crucificaram-n’O, repartindo os seus vestidos, sobre os quais deitaram sortes para ver a quem haviam de ficar pertencendo. Era cerca da hora tércia quando O crucificaram. Estava na cruz esta inscrição, designando a causa da sua condenação: «Rei dos judeus». Ao mesmo tempo crucificaram dois ladrões, um à direita e outro à esquerda, cumprindo-se assim o que dizia a Escritura: «Foi colocado no meio de malfeitores». Aqueles que passavam blasfemavam dele, abanando a cabeça e dizendo: S. «Então, tu, que destróis o templo de Deus e o reedificas em três dias, te não salvas agora a ti mesmo, descendo da cruz?!». C. Escarnecendo desta maneira, os príncipes dos sacerdotes e os escribas diziam uns aos outros: S. «Salvou os outros e não pode salvar-se a si próprio?! Que Cristo, Deus de Israel, desça agora da cruz, para que vejamos e acreditemos». C. Até aqueles que estavam crucificados com Ele O injuriavam! Quando era a hora sexta do dia, cobriu-se toda a terra de trevas e assim esteve até à hora nona.
Et hora nona exclamávit Jesus voce magna, dicens: Eloi, Eloi, lamma sabactháni? C. Quod est interpretátum: Deus meus, Deus meus, ut quid dereliquísti me? C. Et quidam de circumstántibus audiéntes, dicébant: S. Ecce, Elíam vocat. C. Currens autem unus, et implens spóngiam acéto, circumponénsque cálamo, potum dabat ei, dicens: S. Sínite, videámus, si véniat Elías ad deponéndum eum. C. Jesus autem emíssa voce magna exspirávit.
Pela hora nona, exclamou Jesus com voz forte: «Eloi, Eloi, lamma sabatáni». C. O que quer dizer: «Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes?». C. Alguns dos que ali estavam, ouvindo isto, diziam: S. «Eis que chama por Elias». C. E um deles correu a ensopar em vinagre uma esponja, e, colocando-a na extremidade de uma cana, apresentou-Lha para beber, dizendo: S. «Deixai; vejamos se Elias vem descê-l’O». C. Jesus, porém, dando um grande brado, expirou.
(Hic genuflectitur, et pausatur aliquantulum)
Aqui ajoelha-se durante alguns instantes, meditando-se no que se leu.
Et velum templi scissum est in duo, a summo usque deórsum. Videns autem centúrio, qui ex advérso stabat, quia sic clamans exspirásset, ait: S. Vere hic homo Fílius Dei erat. C. Erant autem et mulíeres de longe aspiciéntes: inter quas erat María Magdaléne, et María Jacóbi minóris, et Joseph mater, et Salóme: et cum esset in Galilǽa, sequebántur eum, et ministrábant ei, et áliæ multæ, quæ simul cum eo ascénderant Jerosólymam.
Então, rasgou-se o véu do templo em duas partes, de alto a baixo. E o centurião, que estava em frente, vendo que Jesus expirava, disse em voz alta: S. «Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus!». C. Encontravam-se também ali algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago-menor e de José, e Salomé, as quais costumavam segui-l’O e servi-l’O, quando estava na Galileia; e estavam também muitas outras que haviam subido a Jerusalém, juntamente com Ele.
Quod sequitur, cantatur in tono Evangelii: et alia fiunt ut supra in Dominica.
Terminada esta leitura, o Celebrante vai ao meio do Altar e recita em voz baixa o MUNDA COR MEUM. Depois Prossegue em tom de Evangelho:
Et cum jam sero esset factum (quia erat Parascéve, quod est ante sábbatum) venit Joseph ab Arimathǽa, nóbilis decúrio, qui et ipse erat exspéctans regnum Dei, et audácter introívit ad Pilátum, et pétiit corpus Jesu. Pilátus autem mirabátur, si jam obiísset. Et accersíto centurióne, interrogávit eum, si jam mórtuus esset. Et cum cognovísset a centurióne, donávit corpus Joseph. Joseph autem mercátus síndonem, et depónens eum invólvit síndone, et pósuit eum in monuménto, quod erat excísum de petra, et advólvit lápidem ad óstium monuménti.
Havendo chegado a tarde (visto que era o dia da preparação, o qual é na véspera de sábado), veio José de Arimateia, nobre senador, que esperava o reino de Deus. Ousadamente, foi falar com Pilatos, pedindo-lhe o corpo de Jesus. Admirou-se Pilatos de que Jesus houvesse já morrido, mandando chamar à sua presença o centurião e perguntando-lhe se Jesus já estava morto. E, como conhecesse o que se passara, deu o corpo a José. Este comprou um lençol, tirou Jesus da cruz, amortalhou-O nesse lençol, depositou-O em um sepulcro, cavado na rocha, e depois colocou uma pedra à entrada do sepulcro.

Ofertório Sl. 139, 5

Custódi me, Dómine, de manu peccatóris: et ab homínibus iníquis éripe me.
Não me deixeis, Senhor, cair nas mãos dos pecadores; livrai-me dos homens iníquos.

Secreta

Sacrifícia nos, quǽsumus, Dómine, propénsius ista restáurent: quæ medicinálibus sunt institúta jejúniis. Per Dóminum &c.
Permiti, Senhor, Vos imploramos, que estes sacrifícios, acompanhados com os salutares Jejuns, que nos são preceituados, renovem o vigor das nossas almas. Por nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 68, 13-14

Advérsum me exercebántur, qui sedébant in porta: et in me psallébant, qui bibébant vinum: ego vero oratiónem meam ad te, Dómine: tempus benepláciti, Deus, in multitúdine misericórdiæ tuæ.
Ergueram-se contra mim os que estavam assentados à porta da cidade; cantaram injúrias contra mim os que costumam embriagar-se! Eu, porém, ó Senhor, a Vós dirijo a minha prece. Ó Deus, eis o tempo propício para manifestardes benevolência, segundo a vossa infinita misericórdia!

Postcomúnio

Sanctificatiónibus tuis, omnípotens Deus: et vitia nostra curéntur, et remédia nobis sempitérna provéniant. Per Dóminum &c.
Que estes meios de santificação, ó Deus omnipotente, possam curar-nos de todos nossos vícios e que nos sejam aplicados os remédios da salvação eterna. Por nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Tua nos misericórdia, Deus, et ab omni subreptióne vetustátis expúrget, et capáces sanctæ novitátis effíciat. Per Dóminum &c.
Que a vossa misericórdia, ó Deus, nos purifique dos restos do «homem velho» e nos torne capazes de uma santa renovação. Por nosso Senhor &c.

Quarta-Feira Santa Estação em Santa Maria Maior

Intróito Fl. 2, 10, 8 & 11

In nómine Jesu omne genu flectátur, cœléstium, terréstrium et infernórum: quia Dóminus factus est obǿdiens usque ad mortem, mortem autem crucis: ideo Dóminus Jesus Christus in glória est Dei Patris. Ps. 101, 2 Dómine, exáudi oratiónem meam: et clamor meus ad te véniat. In nómine. V. Gloria Patri &c.
Que ao ser pronunciado o nome de Jesus se dobrem todos os joelhos dos que estão no céu, na terra e nos infernos; pois o Senhor fez-se obediente até à morte, e morte na cruz. Eis porque o Senhor Jesus está na glória de Deus, seu Pai. Sl. 101, 2 Ouvi, Senhor, a minha oração; e chegue até Vós o meu clamor. V. Glória ao Pai &c.
Orémus. Flectámus génua.
Oremos. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!

Oração

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui nostris excéssibus incessánter afflígimur, per unigéniti Fílii tui passiónem liberémur: Qui tecum vivit &c.
Concedei-nos, ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, que, estando nós incessantemente aflitos por causa dos males que produzem os nossos pecados, deles sejamos livres pela paixão do vosso Filho Unigénito. O qual, sendo Deus, convosco vive e reina &c.

Lição Is. 62, 11; 63, 1-7

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição Lição do Profeta Isaías.
Hæc dicit Dóminus Deus: Dícite fíliæ Sion: Ecce, Salvátor tuus venit: ecce, merces ejus cum eo. Quis est iste, qui venit de Edom, tinctis véstibus de Bosra? Iste formósus in stola sua, grádiens in multitúdine fortitúdinis suæ. Ego, qui loquor justítiam, et propugnátor sum ad salvándum. Quare ergo rubrum est induméntum tuum, et vestiménta tua sicut calcántium in torculári? Tórcular calcávi solus, et de géntibus non est vir mecum: calcávi eos in furóre meo, et conculcávi eos in ira mea: et aspérsus est sanguis eórum super vestiménta mea, et ómnia induménta mea inquinávi. Dies enim ultiónis in corde meo, annus redemptiónis meæ venit. Circumspéxi, et non erat auxiliátor: quæsívi, et non fuit, qui adjuváret: et salvávit mihi bráchium meum, et indignátio mea ipsa auxiliáta est mihi. Et conculcávi pópulos in furóre meo, et inebriávi eos in indignatióne mea, et detráxi in terram virtútem eórum. Miseratiónum Dómini recordábor, laudem Dómini super ómnibus, quæ réddidit nobis Dóminus, Deus noster.
Eis o que diz o Senhor e Deus: «Dizei à filha de Sião: eis que chega o vosso Salvador, que traz consigo a recompensa. Quem é este que vem de Edon e de Bosra com seus vestidos imponentes? Ele é formoso no modo de vestir e majestoso no modo de caminhar! «Sou eu, cujas palavras são justas e que combato pela salvação». Porque estão tintos de vermelho os vossos vestidos, como os daqueles que esmagam as uvas do lagar? «Fui eu que estive só a pisar as uvas; ninguém esteve comigo; calquei-as aos pés no meu furor; esmaguei-as na minha ira; e o seu sangue aspergiu os meus vestidos, ficando manchado tudo quanto eu envergava! Pois o dia da vingança estava no meu coração e o tempo de resgatar os meus havia chegado. Olhei em volta de mim e não vi ninguém para me auxiliar; procurei esse auxílio e não foi possível encontrá-lo. Salvou-me, então, o meu braço; veio em meu auxílio a minha indignação. Calquei, pois, no meu furor os povos, sob os meus pés; afoguei-os no meio da minha ira e destruí todo seu poder!». Recordar-me-ei das misericórdias do Senhor. Louvá-l’O-ei pelos benefícios que nos concedeu, pois Ele é o Senhor, nosso Deus».

Gradual Sl. 68, 18 & 2-3

Ne avértas fáciem tuam a púero tuo, quóniam tríbulor: velóciter exáudi me. V. Salvum me fac, Deus, quóniam intravérunt aquæ usque ad ánimam meam: infíxus sum in limo profúndi, et non est substántia.
Não volteis a vossa face ao vosso servo, mas apressai-Vos em socorrer-me, pois estou atribulado. V. Salvai-me, Senhor, porquanto as águas da desgraça inundaram a minha alma. Caí num profundo abysmo de lodo, onde não encontro apoio.

Oração

Deus, qui pro nobis Fílium tuum Crucis patíbulum subire voluísti, ut inimíci a nobis expélleres potestatem: concéde nobis fámulis tuis; ut resurrectiónis grátiam consequámur. Per eúndem Dóminum nostrum &c.
Ó Deus, que quisestes que o vosso Filho sofresse o suplício da Cruz por nós, a fim de nos livrar do jugo inimigo, dignai-Vos conceder-nos a nós, que vossos servos, a graça de tomarmos parte na ressurreição. Por nosso Senhor &c.

Epístola Is. 53, 1-12

Léctio Isaíæ Prophétæ.
Lição do Profeta Isaías.
In diébus illis: Dixit Isaías: Dómine, quis crédidit audi tui nostro? et bráchium Dómini cui revelátum est? Et ascéndet sicut virgúltum coram eo, et sicut radix de terra sitiénti: non est spécies ei neque decor: et vídimus eum, et non erat aspéctus, et desiderávimus eum: despéctum et novíssimum virórum, virum dolórum, et sciéntem infirmitátem: et quasi abscónditus vultus ejus et despéctus, unde nec reputávimus eum. Vere languóres nostros ipse tulit, et dolóres nostros ipse portávit: et nos putávimus eum quasi leprósum, et percússum a Deo, et humiliátum. Ipse autem vulnerátus est propter iniquitátes nostras, attrítus est propter scélera nostra: disciplína pacis nostræ super eum, et livóre ejus sanáti sumus. Omnes nos quasi oves errávimus, unusquísque in viam suam declinávit: et pósuit Dóminus in eo iniquitátem ómnium nostrum. Oblátus est, quia ipse vóluit, et non apéruit os suum: sicut ovis ad occisiónem ducátur, et quasi agnus coram tondénte se obmutéscet, et non apériet os suum. De angústia et de judício sublátus est: generatiónem ejus quis enarrábit? quia abscíssus est de terra vivéntium: propter scelus pópuli mei percússi eum. Et dabit ímpios pro sepultúra, et dívitem pro morte sua: eo quod iniquitátem non fécerit, neque dolus fúerit in ore ejus. Et Dóminus vóluit contérere eum in infirmitáte: si posúerit pro peccáto ánimam suam, vidébit semen longǽvum, et volúntas Dómini in manu ejus dirigátur. Pro eo, quod laborávit ánima ejus, vidébit, et saturábitur: in sciéntia sua justificábit ipse justus servus meus multos, et iniquitátes eórum ipse portábit. Ideo dispértiam ei plúrimos: et fórtium dívidet spólia, pro eo, quod trádidit in mortem ánimam suam, et cum scelerátis reputátus est: et ipse peccáta multórum tulit, et pro transgressóribus rogávit.
Naquele dias, disse Isaías: «Quem acreditou, Senhor, naquilo que ouviu de nós? A quem se revelou o braço do Senhor? Crescerá diante do Senhor, como um arbusto, como um rebento na terra seca, sem beleza nem brilho. Vimo-lo: e nada possuía que atraísse nossos olhares, nem que excitasse o nosso amor; por isso o não conhecemos. Pareceu-nos desprezível e o último dos homens: um homem roído de dores e devotado ao sofrimento! Seu rosto estava como que velado, com ar desprezível; por isso lhe não ligámos atenção alguma. Verdadeiramente, eram as nossas fraquezas que Ele tomara sobre si; eram as nossas dores com que se sobrecarrega; por isso olhámo-lo como se fora um leproso, como se fora um homem ferido por Deus e esmagado. Foi, porém, por causa das nossas iniquidades que foi ferido; por causa dos nossos crimes que foi despedaçado. O castigo, que devíamos sofrer, caiu sobre Ele para gozarmos a paz; de modo que ficámos curados com suas feridas. Andávamos todos errantes, como ovelhas perdidas; cada um de nós seguia o caminho da sua própria vontade; e, então, o Senhor impôs-Lhe o peso das nossas iniquidades. Ofereceu-se Ele mesmo, espontaneamente, para estes sofrimentos, e nem sequer abriu a boca para se queixar. Foi conduzido à morte, como uma ovelha, permanecendo silencioso, como um cordeiro quando o tosquiam. Foi levado pela opressão, depois de ter sido julgado! Foi arrancado da terra dos vivos; foi ferido por causa dos crimes do seu povo! Os ímpios hão-de guardar o seu sepulcro; mas um homem rico o sepultará após a morte, pois não praticou mal algum, nem na sua boca apareceu qualquer mentira. Aprouve ao Senhor esmagá-l’O com sofrimentos; mas, porque ofereceu a vida em expiação, verá a sua descendência prolongar-se durante muito tempo e o seu braço cumprir a vontade de Deus. Ele verá o futuro dos sofrimentos da sua alma, ficando consolado. Este meu servo é justo e com sua doutrina justificará muitos homens, sobrecarregando-se com suas iniquidades. Eis porque Lhe darei como herança muitos homens; e dividirá os despojos com os fortes, pois entregou-se voluntariamente; foi julgado criminoso; tomou sobre si os pecados de muitos e suplicou pelos transgressores da Lei».

Trato Sl. 101, 2-5 & 14

Dómine, exaudi orationem meam, et clamor meus ad te veniat. V. Ne avertas faciem tuam a me: in quacumque die tribulor, inclina ad me aurem tuam. V. In quacumque die invocavero te, velociter exaudi me. V. Quia defecerunt sicut fumus dies mei: et ossa mea sicut in frixorio confrixa sunt. V. Percussus sum sicut faenum, et aruit cor meum: quia oblitus sum manducare panem meum. V. Tu exsiirgens, Domine, misereberis Sion: quia venit tempus miserendi eius.
Senhor, ouvi a minha oração e que meu clamor chegue até Vós. V. Não afasteis de mim a vossa face, e, desde que eu caia na tribulação, inclinai para mim vossos ouvidos. V. Em qualquer hora em que Vos invocar, não tardeis em me ouvir. V. Meus dias desfizeram-se, como o fumo, e os meus ossos ficaram abrasados, como a lenha que passa pela fogueira. V. Estou mirrado, como a palha; o meu coração desfaleceu de tal modo que até me esqueci de comer o pão. V. Erguei-Vos, Senhor, e compadecei-Vos de Sião, pois é chegado o tempo de ter piedade dela.

Trato Sl. 102, 10

Dómine, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retríbuas nobis. V. Ps. 78, 8-9 Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrarum antiquarum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis. (hic genuflectitur) V. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.
Senhor, nos não castigueis, consoante merecemos, pelos pecados que praticámos: nem nos julgueis, segundo as nossas iniquidades. V. Sl. 78, 8-9 Esquecei-Vos, Senhor, das nossas iniquidades passa- das, apressai-Vos em revestir-nos com vossas misericórdias, pois grande é a nossa miséria. (Aqui genuflectir). V. Auxiliai-nos, ó Deus, nosso Salvador, e, pela glória do vosso nome, livrai-nos, Senhor, e perdoai os nossos pecados por causa do vosso nome.

Narração da Paixão Lc. 22, 1-71; 23, 1-53

Pássio Dómini nostri Jesu Christi secúndum Lucam.
Paixão de N. S. Jesus Cristo, segundo S. Lucas.
In illo témpore: Appropinquábat dies festus azymórum, qui dícitur Pascha: et quærébant príncipes sacerdótum et scribæ, quómodo Jesum interfícerent: timébant vero plebem. Intrávit autem sátanas in Judam, qui cognominabátur Iscariótes, unum de duódecim. Et ábiit, et locútus est cum princípibus sacerdótum et magistrátibus, quemádmodum illum tráderet eis. Et gavísi sunt, et pacti sunt pecúniam illi dare. Et spopóndit. Et quærébat opportunitátem, ut tráderet illum sine turbis.
Naquele tempo, aproximava-se o dia da festa dos ázimos, que se chama Páscoa, e os príncipes dos sacerdotes e os escribas procuravam maneira de matar Jesus, mas temiam o povo. Ora, Satanás entrou em Judas, chamado Iscariotes, um dos Doze Apóstolos, o qual foi combinar com os príncipes dos sacerdotes e com os magistrados a maneira como havia de entregá-l’O. Alegraram-se estes, e ajustaram dar-lhe dinheiro. Judas comprometeu a sua palavra e procurava ocasião favorável para O entregar sem ajuntamento de povo.
Venit autem dies azymórum, in qua necésse erat occídi pascha. Et misit Petrum et Joánnem, dicens: Eúntes paráte nobis pascha, ut manducémus. C. At illi dixérunt: S. Ubi vis parémus? C. Et dixit ad eos: Ecce, introëúntibus vobis in civitátem, occúrret vobis homo quidam ámphoram aquæ portans: sequímini eum in domum, in quam intrat, et dicétis patrifamílias domus: Dicit tibi Magister: Ubi est diversórium, ubi pascha cum discípulis meis mandúcem? Et ipse osténdet vobis cenáculum magnum stratum, et ibi paráte. C. Eúntes autem invenérunt, sicut dixit illis, et paravérunt pascha.
Entretanto, chegou o dia dos ázimos, em que devia ser imolada a Páscoa. Jesus enviou, pois, Pedro e João, dizendo: «Ide preparar-nos Páscoa para a comermos». C. Eles perguntaram-Lhe: S. «Onde quereis que a preparemos?». C. Ele respondeu-lhes: «Logo que entrardes na cidade, encontrareis um homem, que levará um cântaro de água. Segui-o até à casa em que entrar, e direis ao pai de família dessa casa: «O Mestre manda dizer-te: «Onde está o aposento em que hei-de comer a Páscoa com meus discípulos?». Ele vos mostrará uma grande sala ornada. Preparai aí o que é preciso». C. Indo eles, encontraram como Jesus lhes dissera e prepararam a Páscoa.
Et cum facta esset hora, discúbuit, et duódecim Apóstoli cum eo. Et ait illis: Desidério desiderávi hoc pascha manducáre vobíscum, ántequam pátiar. Dico enim vobis, quia ex hoc non manducábo illud, donec impleátur in regno Dei. C. Et accépto cálice, grátias egit, et dixit: Accípite, et divídite inter vos. Dico enim vobis, quod non bibam de generatióne vitis, donec regnum Dei véniat. C. Et accépto pane, grátias egit, et fregit, et dedit eis, dicens: Hoc est corpus meum, quod pro vobis datur: hoc fácite in meam commemoratiónem. C. Simíliter et cálicem, postquam cenávit, dicens: Hic est calix novum Testaméntum in sánguine meo, qui pro vobis fundétur. Verúmtamen ecce manus tradéntis me mecum est in mensa. Et quidem Fílius hóminis, secúndum quod definítum est, vadit: verúmtamen væ hómini illi, per quem tradétur. C. Et ipsi cœpérunt quǽrere inter se, quis esset ex eis, qui hoc factúrus esset. Facta est autem et conténtio inter eos, quis eórum viderétur esse major. Dixit autem eis: Reges géntium dominántur eórum: et qui potestátem habent super eos, benéfici vocántur. Vos autem non sic: sed qui major est in vobis, fiat sicut minor: et qui præcéssor est, sicut ministrátor. Nam quis major est, qui recúmbit, an qui minístrat? nonne qui recúmbit? Ego autem in médio vestrum sum, sicut qui minístrat: vos autem estis, qui permansístis mecum in tentatiónibus meis. Et ego dispóno vobis, sicut dispósuit mihi Pater meus regnum, ut edátis et bibátis super mensam meam in regno meo: et sedeátis super thronos, judicántes duódecim tribus Israël. C. Ait autem Dóminus: Simon, Simon, ecce, sátanas expetívit vos, ut cribráret sicut tríticum: ego autem rogávi pro te, ut non defíciat fides tua: et tu aliquándo convérsus confírma fratres tuos. C. Qui dixit ei: S. Dómine, tecum parátus sum, et in cárcerem et in mortem ire. C. At ille dixit: Dico tibi, Petre: Non cantábit hódie gallus, donec ter ábneges nosse me. C. Et dixit eis: Quando misi vos sine sǽculo et pera et calceaméntis, numquid aliquid défuit vobis? C. At illi dixérunt: S. Nihil. C. Dixit ergo eis: Sed nunc, qui habet sǽculum, tollat simíliter et peram: et qui non habet, vendat túnicam suam, et emat gládium: Dico enim vobis, quóniam adhuc hoc, quod scriptum est, oportet impléri in me: Et cum iníquis deputátus est. Etenim ea, quæ sunt de me, finem habent. C. At illi dixérunt: S. Dómine, ecce duo gládii hic. C. At ille dixit eis: Satis est.
Chegada a hora, Jesus assentou-se à mesa com os Doze Apóstolos, e disse-lhes: «Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa antes de morrer; pois, digo-vos, não tornarei mais a comê-la, até que ela se cumpra no reino de Deus». C. Logo, segurando no cálice, deu graças a Deus e disse: «Tomai e distribuí-o entre vós, porque, digo-vos, não beberei mais do fruto da videira até que venha o reino de Deus». C. E, havendo segurado no pão, deu graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: «Isto é o meu corpo, que se dá por vós. Fazei isto em memória de mim». C. Tomou, também, igualmente, o cálice, depois de cear, e disse: «Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue que será derramado por vós. Entretanto, eis que a mão do que me há-de entregar está comigo à mesa. Na verdade, o Filho do homem vai morrer, segundo o que está determinado; mas infeliz do homem por quem Ele há-de ser entregue!». C. Então começaram a perguntar uns aos outros qual seria o que faria tal coisa?! E levantou-se entre os Apóstolos uma contenda para saber qual deles se devia julgar o maior. Porém, Jesus disse-lhes: «Os soberanos dos povos dominam sobre estes, e os que têm autoridade neles são apelidados benfeitores. Mas vós não deveis ser assim; antes, o que é maior, entre vós, seja como o mais pequeno; e o que manda seja como o que obedece. Na verdade, qual será o superior? O que está à mesa ou o que serve? Certamente é o que está à mesa. Eu, porém, estou no meio de vós, como quem serve. Vós sois aqueles que haveis de permanecer comigo nas tentações; por isso vos preparo um reino, como meu Pai o preparou para mim, para que possais comer e beber à minha mesa no meu reino, e vos assenteis em tronos, julgando as doze tribos de Israel». C. Disse, então, o Senhor: «Simão, Simão, eis que Satanás vos tenta com instância para vos joeirar, como trigo; mas supliquei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, depois de te converteres, confirma os teus irmãos». C. Pedro respondeu-Lhe: S. «Senhor, estou pronto para ir convosco, quer para o cárcere, quer para a morte». C. Ao que Jesus lhe respondeu: «Digo-te, Pedro: não cantará hoje o galo sem que tu digas três vezes que me não conheces!». C. E continuou a dizer-lhes: «Quando vos enviei sem saco, nem bolsa, nem sapatos, porventura vos faltou alguma coisa?». C. Responderam-Lhe eles: S. «Nada». C. E prosseguiu: «Pois, agora, quem tem bolsa que a tome; e o mesmo quem tem saco; e aquele que o não tem venda a túnica para comprar espada; pois Eu vo-lo digo: é necessário que se cumpra em mim o que está escrito: «foi julgado como os malfeitores». Porquanto, as coisas que foram ditas a meu respeito aproximam-se do seu fim». C. Eles, porém, disseram-Lhe: S. «Senhor, estão aqui duas espadas». C. Jesus respondeu-lhes: «Basta!».
C. Et egréssus ibat secúndum consuetúdinem in montem Olivárum. Secúti sunt autem illum et discípuli. Et cum pervenísset ad locum, dixit illis: Oráte, ne intrétis in tentatiónem. C. Et ipse avúlsus est ab eis, quantum jactus est lápidis, et pósitis génibus orábat, dicens: Pater, si vis, transfer cálicem istum a me: verúmtamen non mea volúntas, sed tua fiat. C. Appáruit autem illi Angelus de cœlo, confórtans eum. Et factus in agónia, prolíxius orábat. Et factus est sudor ejus, sicut guttæ sánguinis decurréntis in terram. Et cum surrexísset ab oratióne, et venísset ad discípulos suos, invénit eos dormiéntes præ tristítia. Et ait illis: Quid dormítis? súrgite, oráte, ne intrétis in tentatiónem. C. Adhuc eo loquénte, ecce turba: et qui vocabátur Judas, unus de duódecim, antecedébat eos: et appropinquávit Jesu, ut oscularétur eum. Jesus autem dixit illi: Juda, ósculo Fílium hóminis tradis? C. Vidéntes autem hi, qui circa ipsum erant, quod futúrum erat, dixérunt ei: S. Dómine, si percútimus in gladio? C. Et percússit unus ex illis servum príncipis sacerdótum, et amputávit aurículam ejus déxteram. Respóndens autem Jesus, ait: Sínite usque huc. C. Et cum tetigísset aurículam ejus, sanávit eum. Dixit autem Jesus ad eos, qui vénerant ad se, príncipes sacerdótum et magistrátus templi et senióres: Quasi ad latrónem exístis cum gládiis et fústibus? Cum cotídie vobíscum fúerim in templo, non extendístis manus in me: sed hæc est hora vestra et potéstas tenebrárum. C. Comprehendéntes autem eum, duxérunt ad domum príncipis sacerdótum: Petrus vero sequebátur a longe.
C. Havendo Jesus saído, dirigiu-se, segundo o costume, ao monte das Oliveiras, acompanhado dos discípulos. Quando chegou àquele lugar, disse-lhes: «Orai, para que não entreis em tentação». C. Depois afastou-se deles, à distância de um tiro de pedra, e, posto de joelhos, orava, dizendo: «Pai, se é do vosso agrado, afastai de mim este cálice! Mas que se não faça a minha vontade, e sim a vossa». C. E apareceu-Lhe um Anjo do céu, que o confortava. Entrando na agonia, rezava mais instantemente. Veio-lhe um suor, como gotas de sangue, que corria até à terra. Levantando-se da oração, veio ter com os discípulos, que achou dormindo, por causa da tristeza, e disse-lhes: «Porque dormis? Erguei-vos; orai, para não cairdes em tentação». C. Ainda Jesus falava, quando veio ter com Ele uma multidão de gente, na frente da qual vinha Judas, um dos Doze, que se aproximou de Jesus para o beijar. Jesus disse-lhe: «Judas, com um ósculo entregas o Filho do homem?!». C. Então, os que estavam com Jesus, vendo o que ia acontecer, disseram-Lhe: S. «Senhor, passemo-los à espada?». C. Logo um deles feriu um servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. Porém, Jesus, respondendo, disse: «Deixai-os por agora». C. E, havendo tocado na orelha do ferido, sarou-o. Depois, dirigindo-se aos que tinham vindo contra Ele - príncipes dos sacerdotes, magistrados do templo e anciãos - continuou: «Viestes com espadas e paus, como se Eu fora um ladrão? Quando estava todos os dias convosco no templo nunca ousastes pôr-me a mão; mas agora eis que chega a vossa hora e a do poder das trevas». C. E prenderam-n’O, conduzindo-O para casa do sumo sacerdote. Pedro seguia-O de longe.
Accénso autem igne in médio átrii, et circumsedéntibus illis, erat Petrus in médio eórum. Quem cum vidísset ancílla quædam sedéntem ad lumen, et eum fuísset intúita, dixit: S. Et hic cum illo erat. C. At ille negávit eum, dicens: S. Múlier, non novi illum. C. Et post pusíllum álius videns eum, dixit: S. Et tu de illis es. C. Petrus vero ait: S. O homo, non sum. C. Et intervállo facto quasi horæ uníus, álius quidam affirmábat, dicens: S. Vere et hic cum illo erat: nam et Galilǽus est. C. Et ait Petrus: S. Homo, néscio, quid dicis. C. Et contínuo adhuc illo loquénte cantávit gallus. Et convérsus Dóminus respéxit Petrum. Et recordátus est Petrus verbi Dómini, sicut díxerat: Quia priúsquam gallus cantet, ter me negábis. Et egréssus foras Petrus flevit amáre.
Acenderam fogo no meio do pátio e assentaram-se em torno. Pedro estava no meio de todos. Viu-o uma criada, e, olhando-o fixamente, disse: S. «Este também estava com Ele». C. Pedro negou, dizendo: S. «Mulher, não O conheço». C. Passado pouco tempo, um outro, vendo-o, disse: S. «Tu também és dos deles». C. E Pedro respondeu: S. «Ó homem, não sou». C. Passado um intervalo, cerca de uma hora, afirmou outro, dizendo: S. «Com certeza este estava também com Ele, pois é galileu». C. Pedro disse: S. «Homem, não sei o que dizes». C. No mesmo instante cantou o galo; e, voltando-se o Senhor, fitou Pedro. Então lembrou-se este da palavra que o Senhor lhe havia dito: «Antes de o galo cantar, negar-me-ás três vezes». E, saindo do pátio, começou a chorar amargamente!
Et viri, qui tenébant illum, illudébant ei, cædéntes. Et velavérunt eum et percutiébant fáciem ejus: et interrogábant eum, dicéntes: S. Prophetíza, quis est, qui te percússit? C. Et alia multa blasphemántes dicébant in eum. Et ut factus est dies, convenérunt senióres plebis et príncipes sacerdótum et scribæ, et duxérunt illum in concílium suum, dicente? S. Si tu es Christus, dic nobis. C. Et ait illis: Si vobis díxero, non credétis mihi: si autem et interrogávero, non respondébitis mihi, neque dimítte ti S. Ex hoc autem erit Fílius hóminis sedens a dextris virtútis Dei. C. Dixérunt autem omnes: S. Tu ergo es Fílius Dei? C. Qui ait: Vos dicitis, quia ego sum. C. At illi dixérunt: S. Quid adhuc de sider ámus te stimónium? Ipsi enim audívimus de ore ejus. C. Et surgens omnis multitúdo eórum, duxérunt illum ad Pilátum. Cœpérunt autem illum accusáre, dicéntes: S. Hunc invénimus subverténtem gentem nostram, et prohibéntem tribúta dare Cǽsari, et dicéntem se Christum regem esse. C. Pilátus autem interrogávit eum, dicens: S. Tu es Rex Judæórum? C. At ille respóndens, ait: Tu dicis. C. Ait autem Pilátus ad príncipes sacerdótum et turbas: S. Nihil invénio causæ in hoc hómine. C. At illi invalescébant, dicéntes: S. Cómmovet pópulum, docens per univérsam Judǽam, incípiens a Galilǽa usque huc. C. Pilátus autem áudiens Galilǽam, interrogávit, si homo Galilǽus esset.
Entretanto, aqueles que haviam prendido Jesus, escarneciam d’Ele, batendo-Lhe. Vendaram-Lhe os olhos, batiam-Lhe no rosto e interrogavam-n’O, dizendo: S. «Adivinha quem te bateu?». C. Proferiram também muitas blasfémias contra Ele. De manhã cedo reuniram-se os anciãos do povo, os príncipes dos sacerdotes e os escribas e levaram Jesus a esse conselho, dizendo: S. «Se tu és o Cristo, diz-no-lo». C. Jesus respondeu: «Se vo-lo disser, me não acreditareis; e, se vos interrogar, me não respondereis, nem me deixareis ir embora. Contudo, depois disto, assentar-se-á o Filho do homem à direita do poder de Deus». C. Disseram então todos: S. «Portanto, és tu Filho de Deus?». C. Ele respondeu: «Vós dizeis que eu o sou». C. Continuaram eles: S. «Que mais provas queremos? Ouvimo-lo, dito pela sua boca». C. E toda a assembleia se levantou, conduzindo Jesus à presença de Pilatos. Começaram então a acusar Jesus, dizendo: S. «Encontrámos este homem sublevando a nossa nação, proibindo que se pague o tributo a César e dizendo que é o Cristo-Rei». C. Pilatos interrogou-O: S. «Sois o Rei dos judeus?». C. Jesus respondeu: «Tu o dizes». C. Então disse Pilatos aos príncipes dos sacerdotes e ao povo: S. «Eu não encontro crime algum neste homem». C. Porém, eles insistiam, dizendo: S. «Subleva o povo com a doutrina que ensina em toda a Judeia, começando na Galileia até aqui». C. Ouvindo Pilatos falar na Galileia, perguntou se este homem era galileu. Sabendo, pois, que pertencia à jurisdição de Herodes, remeteu-O a este, que se encontrava em Jerusalém naquele dia.
Et ut cognóvit, quod de Heródis potestáte esset, remísit eum ad Heródem, qui et ipse Jerosólymis erat illis diébus. Heródes autem, viso Jesu, gavísus est valde. Erat enim cúpiens ex multo témpore vidére eum, eo quod audíerat multa de eo, et sperábat signum áliquod vidére ab eo fíeri. Interrogábat autem eum multis sermónibus. At ipse nihil illi respondébat. Stabant autem príncipes sacerdótum et scribæ, constánter accusántes eum. Sprevit autem illum Heródes cum exércitu suo: et illúsit indútum veste alba, et remísit ad Pilátum. Et facti sunt amíci Heródes et Pilátus in ipsa die: nam ántea inimíci erant ad ínvicem. Pilátus autem, convocátis princípibus sacerdótum et magistrátibus et plebe, dixit ad illos: S. Obtulístis mihi hunc hóminem, quasi averténtem pópulum, et ecce, ego coram vobis intérrogans, nullam causam invéni in hómine isto ex his, in quibus eum accusátis. Sed neque Heródes: nam remísi vos ad illum, et ecce, nihil dignum morte actum est ei. Emendátum ergo illum dimíttam. C. Necésse autem habébat dimíttere eis per diem festum, unum. Exclamávit autem simul univérsa turba, dicens: S. Tolle hunc, et dimítte nobis Barábbam. C. Qui erat propter seditiónem quandam fáciam in civitáte et homicídium missus in cárcerem. Iterum autem Pilátus locútus est ad eos, volens dimíttere Jesum. At illi succlamábant, dicéntes: S. Crucifíge, crucifíge eum. C. Ille autem tértio dixit ad illos: S. Quid enim mali fecit iste? Nullam causam mortis invénio in eo: corrípiam ergo illum et dimíttam. C. At illi instábant vócibus magnis, postulántes, ut crucifigerétur. Et invalescébant voces eórum. Et Pilátus adjudicávit fíeri petitiónem eórum. Dimísit autem illis eum, qui propter homicídium et seditiónem missus fúerat in cárcerem, quem petébant: Jesum vero trádidit voluntáti eórum.
Herodes, vendo Jesus, alegrou-se muito, porque havia muito tempo já que tinha desejo de O ver, pois ouvia dizer a seu respeito muitas coisas e esperava vê-l’O praticar algum milagre. Dirigiu-Lhe, pois, muitas perguntas; mas a nenhuma Jesus respondeu. Estavam presentes os príncipes dos sacerdotes e os escribas, que O acusavam continuamente. Herodes, bem como os seus soldados, desprezaram-n’O e zombaram d’Ele. E vestiram-Lhe uma túnica branca, devolvendo-O Herodes a Pilatos. Neste dia reconciliaram-se Herodes e Pilatos e tornaram-se amigos, pois até então eram inimigos. Logo, Pilatos reuniu os príncipes dos sacerdotes, os magistrados e o povo, dizendo: S. «Apresentastes-me este homem como desorientador do povo; ora, interrugando-O diante de vós, lhe não encontrei nenhum dos crimes de que O acusais. Do mesmo modo Herodes (pois bem sabeis que lh’O enviei) nada apurou contra Ele que mereça o castigo de morte. Vou, pois, castigá-l’O, mas depois libertá-l’O-ei». C. Pilatos estava obrigado pela Páscoa a soltar um criminoso. E toda a multidão começou a gritar ao mesmo tempo; S. «Condena este e solta Barrabás». C. Havia Barrabás sido preso por causa de uma sedição que se fizera na cidade e de um homicídio. Novamente Pilatos, querendo soltar Jesus, lhes falou; porém, a multidão gritava cada vez mais, dizendo: S. «Crucificai-O, crucificai-O!». C. Pela terceira vez disse-lhes Pilatos: S. «Pois que mal fez Ele? Não encontro n’Ele nada que mereça a morte. Contudo, castigá-l’O-ei, e depois soltá-l’O-ei». C. Porém, eles instantemente clamavam, pedindo que fosse crucificado, sendo o clamor cada vez mais forte. Pilatos ordenou então que se fizesse como pediam, soltando o que estava no cárcere por causa do crime de homicídio e sedição, como reclamavam, e entregando-lhes Jesus, para que Lhe fizessem o que mais lhes agradasse.
Et cum dúcerent eum, apprehendérunt Simónem quendam Cyrenénsem, veniéntem de villa: et imposuérunt illi crucem portáre post Jesum. Sequebátur autem illum multa turba pópuli, et mulíerum, quæ plangébant et lamentabántur eum. Convérsus autem ad illas Jesus dixit: Filiæ Jerúsalem, nolíte flere super me, sed super vos ipsas flete et super fílios vestros. Quóniam ecce vénient dies, in quibus dicent: Beátæ stériles, et veníres, qui non genuérunt, et úbera, quæ non lactavérunt. Tunc incípient dícere móntibus: Cádite super nos; et cóllibus: Operíte nos. Quia si in víridi ligno hæc fáciunt, in árido quid fiet? C. Ducebántur autem et alii duo nequam cum eo, ut interficeréntur. Et postquam venérunt in locum, qui vocátur Calváriæ, ibi crucifixérunt eum: et latrónes, unum a dextris et álterum a sinístris. Jesus autem dicebat: Pater, dimítte illis: non enim sciunt, quid fáciunt. C. Dividéntes vero vestiménta ejus, misérunt sortes. Et stabat pópulus spectans, et deridébant eum príncipes cum eis, dicéntes: S. Alios salvos fecit: se salvum fáciat, si hic est Christus Dei electus. C. Illudébant autem ei et mílites accedéntes, et acétum offeréntes ei, et dicéntes: S. Si tu es Rex Judæórum, salvum te fac. C. Erat autem et superscríptio scripta super eum lítteris græcis et latínis et hebráicis: Hic est Rex Judæórum. Unus autem de his, qui pendébant, latrónibus, blasphemábat eum, dicens: S. Si tu es Christus, salvum fac temetípsum, et nos. C. Respóndens autem alter increpábat eum, dicens: S. Neque tu times Deum, quod in eadem damnatióne es. Et nos quidem juste, nam digna factis recípimus: hic vero nihil mali gessit. C. Et dicebat ad Jesum: S. Dómine, meménto mei, cum véneris in regnum tuum. C. Et dixit illi Jesus: Amen, dico tibi: Hódie mecum eris in paradíso. C. Erat autem fere hora sexta, et ténebræ factæ sunt in univérsam terram usque in horam nonam. Et obscurátus est sol: et velum templi scissum est médium. Et clamans voce magna Jesus, ait: Pater, in manus tuas comméndo spíritum meum. C. Et hæc dicens, exspirávit.
Levando-O eles já, detiveram um certo Simão, de Cirene, que vinha de uma propriedade, e puseram-lhe aos ombros a cruz para a levar atrás de Jesus. Seguia-O uma grande multidão de povo de mulheres, que choravam e O lamentavam. Voltando-se Jesus para elas, disse: «Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós e pelos vossos filhos; porque dias virão em que se dirá: bem-aventuradas as estéreis e as entranhas que não geraram e os peitos que não amamentaram! Então começarão a dizer às montanhas: caí em cima de nós! E às colinas: cobri-nos! Porquanto, se a lenha verde é tratada assim, que acontecerá com a lenha seca?!» C. Os soldados conduziam também com Ele dois malfeitores, para lhes dar a morte. Chegados que foram ao Calvário, crucificaram-n’O, assim como aos ladrões, ficando um à direita e o outro à esquerda. E Jesus dizia: «Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem». C. Depois, dividiram os seus vestidos, tirando-os à sorte. O povo estava voltado para Jesus, olhando-O, e os príncipes dos sacerdotes juntavam-se com outros do povo para O escarnecerem, dizendo: S. «Salvou os outros; que se salve, pois, a si mesmo, se porventura é o Cristo, escolhido de Deus». C. Os soldados mofavam também d’Ele, oferecendo-Lhe vinagre e dizendo: S. «Se sois o Rei dos judeus, salvai-Vos». C. Por cima da sua cabeça estava esta inscrição, escrita em letras gregas, latinas e hebraicas: «Este é o Rei dos judeus!». Um dos ladrões que estavam pendurados blasfemava contra Ele, dizendo: S. «Se sois o Cristo, salvai-Vos a Vós e salvai-nos a nós». C. E o outro repreendia-o, dizendo: S. «Não tendes temor de Deus, nem ainda condenado ao suplício?! Na verdade, fomos condenados com justiça, pois recebemos o que as nossas acções merecem; mas Ele não fez mal algum». C. E dizia a Jesus: S. «Senhor, lembrai-Vos de mim quando entrardes no vosso reino!». C. Jesus respondeu-lhe: «Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso». C. Era quase a hora sexta; eis que toda a terra se cobriu de trevas até quase à hora nona. Então o sol escureceu e o véu do templo rasgou-se ao meio, de alto a baixo. E Jesus deu um grande brado, dizendo: «Pai, nas vossas mãos entrego o meu espírito». C. Proferidas estas palavras, Jesus expirou!
(Hic genuflectitur, et pausatur aliquántulum)
(Aqui a ajoelha-se durante alguns instantes, meditando-se no que se leu.)
Videns autem centúrio quod factum fúerat, glorificávit Deum, dicens: S. Vere hic homo justus erat. C. Et omnis turba eórum, qui simul áderant ad spectáculum istud et vidébant, quæ fiébant, percutiéntes péctora sua revertebántur. Stabant autem omnes noti ejus a longe, et mulíeres, quæ secútæ eum erant a Galilǽa, hæc vidéntes.
Vendo o centurião o que havia acontecido, glorificou o Senhor e disse: S. «Verdadeiramente este homem era justo!». C. Todo o povo que assistia a este espectáculo e via o que se passava retirava-se, batendo no peito. E os que eram conhecidos de Jesus estavam vendo estas coisas à distância com as mulheres que O haviam acompanhado desde a Galileia.
Quod sequitur, cantatur in tono Evangelii, et alia fiunt ut supra in Dominica.
O Sacerdote vem ao meio do Altar e diz o MUNDA COR MEUM, continuando depois em tom de Evangelho:
Et ecce, vir nómine Joseph, qui erat decúrio, vir bonus et justus: hic non consénserat consílio et áctibus eórum, ab Arimathǽa civitáte Judǽæ, qui exspectábat et ipse regnum Dei. Hic accéssit ad Pilátum et pétiit corpus Jesu: et depósitum invólvit síndone, et pósuit eum in monuménto excíso, in quo nondum quisquam pósitus fúerat.
Havia um homem chamado José, membro do conselho, homem bom e justo, que não concordara nem com o conselho dos outros, nem com suas obras. Era de Arimateia, cidade da Judeia, e esperava o reino de Deus. Então, foi encontrar Pilatos, pediu-lhe o corpo de Jesus, desceu-O da cruz, amortalhou-O em um lençol e depositou-O em um sepulcro aberto na rocha, que ainda não servira para ninguém.

Ofertório Sl. 101, 2-3

Dómine, exáudi oratiónem meam, et clamor meus ad te pervéniat: ne avértas fáciem tuam a me.
Senhor, ouvi a minha oração e que meu clamor chegue até Vós; não afasteis de mim a vossa face.

Secreta

Súscipe, quǽsumus, Dómine, munus oblátum, et dignánter operáre: ut, quod passiónis Fílii tui, Dómini nostri, mystério gérimus, piis afféctibus consequámur. Per eúndem Dóminum &c.
Aceitai, Senhor, Vos suplicamos, o dom que Vos é oferecido, e pela vossa bondade permiti que nos enchamos de santos afectos, enquanto celebramos o mystério da Paixão de vosso Filho, nosso Senhor. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Comúnio Sl. 101,10, 13 & 14

Potum meum cum fletu temperábam: quia élevans allisísti me: et ego sicut fænum árui: tu autem, Dómine, in ætérnum pérmanes: tu exsúrgens miseréberis Sion, quia venit tempus miseréndi ejus.
Misturei as minhas lágrimas com a minha bebida; porque, depois de haver sido elevado, me esmagastes, como palha. Mas Vós, Senhor, reinais eternamente. Erguei-Vos e compadecei-Vos de Sião, porque chegou o tempo que deveis compadecer-Vos dela.

Postcomúnio

Largíre sénsibus nostris, omnípotens Deus: ut, per temporálem Fílii tui mortem, quam mystéria veneránda testántur, vitam te nobis dedísse perpétuam confidámus. Per eúndem Dóminum &c.
Ó Deus omnipotente, concedei aos nossos sentidos a graça de acreditarmos confiadamente que foi pela morte temporal de vosso Filho (que estes venerandos mystérios comemoram) que nos alcançastes o dom da vida eterna. Pelo mesmo nosso Senhor &c.

Oração sobre o povo

Orémus.
Oremos.
Humiliáte cápita vestra Deo.
Inclinai as vossas cabeças diante de Deus.
Réspice, quǽsumus, Dómine, super hanc famíliam tuam, pro qua Dóminus noster Jesus Christus non dubitávit mánibus tradi nocéntium, et Crucis subíre torméntum: Qui tecum vivit et regnat &c.
Vos imploramos, Senhor, dignai-Vos lançar vossos olhares para esta vossa família, pela qual nosso Senhor Jesus Cristo não hesitou em se entregar às mãos dos criminosos e em sofrer o suplício da cruz. O qual, sendo Deus, convosco vive e reina &c.
<

Quinta-Feira Santa Estação em S. João de Latrão

Intróito Gl. 6, 14

Nos autem gloriári opórtet in Cruce Dómini nostri Jesu Christi: in quo est salus, vita et resurréctio nostra: per quem salváti et liberáti sumus. Ps. 66, 2 Deus misereátur nostri, et benedícat nobis: illúminet vultum suum super nos, et misereátur nostri.
Nós, porém, devemos ufanar-nos na Cruz de N. S. Jesus Cristo, pois Ele é a nossa salvação, vida e ressurreição: e por Ele fomos salvos e livres. Sl. 66, 2 Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e se compadeça de nós!

Oração

Deus, a quo et Judas reatus sui pœnam, et confessiónis suæ latro prǽmium sumpsit, concéde nobis tuæ propitiatiónis efféctum: ut, sicut in passióne sua Jesus Christus, Dóminus noster, diversa utrísque íntulit stipéndia meritórum; ita nobis, abláto vetustátis erróre, resurrectiónis suæ grátiam largiátur: Qui tecum &c.
Ó Deus, de quem Judas recebeu o castigo da sua perfídia e o ladrão a recompensa da sua confissão, concedei-nos o efeito da vossa misericórdia, a fim de que, assim como N. S. Jesus Cristo durante a sua Paixão tratou a um e ao outro segundo os seus méritos, assim também, havendo desaparecido a nossa malícia do «homem velho», nos tornemos participantes da sua ressurreição. Ele, que, sendo Deus &c.

Epístola 1 Cor. 11, 20-32

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Coríntios.
Fratres: Conveniéntibus vobis m unum, jam non est Domínicam cœnam manducáre. Unusquísque enim suam cenam præsúmit ad manducándum. Et alius quidem ésurit: álius autem ébrius est. Numquid domos non habétis ad manducándum et bibéndum? aut ecclésiam Dei contémnitis, et confúnditis eos, qui non habent? Quid dicam vobis? Laudo vos? In hoc non laudo. Ego enim accépi a Dómino quod et trádidi vobis, quóniam Dóminus Jesus, in qua nocte tradebátur, accépit panem, et grátias agens tregit, et dixit: Accípite, et manducáte: hoc est corpus meum, quod pro vobis tradétur: hoc fácite in meam commemoratiónem. Simíliter et cálicem, postquam cœnávit, dicens: Hic calix novum Testaméntum est in meo sánguine: hoc fácite, quotiescúmque bibétis, in meam commemoratiónem. Quotiescúmque enim manducábitis panem hunc et cálicem bibétis: mortem Dómini annuntiábitis, donec véniat. Itaque quicúmque manducáverit panem hunc vel bíberit cálicem Dómini indígne, reus erit córporis et sánguinis Dómini. Probet autem seípsum homo: et sic de pane illo edat et de cálice bibat. Qui enim mandúcat et bibit indígne, judícium sibi mandúcat et bibit: non dijúdicans corpus Dómini. Ideo inter vos multi infirmi et imbecílles, et dórmiunt multi. Quod si nosmetípsos dijudicarémus, non útique judicarémur. Dum judicámur autem, a Dómino corrípimur, ut non cum hoc mundo damnémur.
Meus irmãos: Quando vos reunis em assembleia, já não é para comer a Ceia do Senhor que o fazeis; pois cada um de vós se antecipa em comer a sua própria ceia à parte, de modo que um fica com fome e o outro fica ébrio. Porventura não tendes as vossas casas para aí comer e beber? Ou, desprezando a assembleia de Deus, quereis humilhar aqueles que nada possuem? Que vos direi? Louvar-vos? Decerto que não posso louvar-vos por isto; pois foi o Senhor que me ensinou o que a este respeito vos transmiti, isto é: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, depois de haver dado graças, partiu-o e disse: «Aceitai e comei. Isto é o meu corpo, que será entregue por vós. Fazei isto em minha memória». Do mesmo modo, depois de haver ceado, tomou o cálice e disse: «Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue. Fazei isto mesmo, em minha memória, sempre que o beberdes». Todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciareis a morte do Senhor, até que Ele venha. É por isso que todo aquele que indignamente comer este pão ou beber o cálice do Senhor será réu do Corpo e do Sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo: e, assim, coma daquele pão e beba do cálice; pois o que comer e beber indignamente, não discernindo o Corpo do Senhor, come e bebe a sua condenação. É por isto que no meio de vós há muitos enfermos e fracos e muitos outros dormem. Portanto, se nos julgarmos a nós mesmos, não seremos condenados; pois, enquanto nos julgamos, o Senhor nos corrigirá, a fim de não sermos condenados com este mundo.

Gradual Fl. 2, 8-9

Christus factus est pro nobis obœdiens usque ad mortem, mortem autem crucis V. Propter quod et Deus exaltávit illum: et dedit illi nomen, quod est super omne nomen.
Cristo tornou-se obediente por nós até à morte, e morte de cruz. V. Pelo que Deus O exaltou e lhe deu um nome que é superior a todos os nomes.

Evangelho Jo. 13, 1-15

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
Ante diem festum Paschae, sciens Jesus, quia venit hora ejus, ut tránseat ex hoc mundo ad Patrem: cum dilexísset suos, qui erant in mundo, in finem diléxit eos. Et cena facta, cum diábolus jam misísset in cor, ut tráderet eum Judas Simónis Iscariótæ: sciens, quia ómnia dedit ei Pater in manus, et quia a Deo exivit, et ad Deum vadit: surgit a cena et ponit vestiménta sua: et cum accepísset línteum, præcínxit se. Deinde mittit aquam in pelvim, et cœpit laváre pedes discipulórum, et extérgere línteo, quo erat præcínctus. Venit ergo ad Simónem Petrum. Et dicit ei Petrus: Dómine, tu mihi lavas pedes? Respóndit Jesus et dixit ei: Quod ego fácio, tu nescis modo, scies autem póstea. Dicit ei Petrus: Non lavábis mihi pedes in ætérnum.
Antes do dia da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora em que devia passar deste mundo para seu Pai, havendo amado os seus, que estavam no mundo, amou-os até ao fim. E, depois da ceia, quando já o demónio havia posto o desígnio de O atraiçoar no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, sabendo Jesus que o Pai havia deixado todas as coisas nas suas mãos e que, havendo Ele saído de Deus, para Deus voltava, levantou-se da mesa, tirou o seu manto e cingiu-se com uma toalha. Em seguida, deitou água em uma bacia, começou a lavar os pés dos discípulos e enxugou-lhos com a toalha com que se cingira. Chegou, enfim, a Simão-Pedro, o qual lhe disse: «Senhor, quereis lavar-me os pés?». Jesus respondeu: «O que Eu faço o não compreendes agora; mais tarde compreendê-lo-ás». Pedro disse-Lhe: «Não; jamais me lavareis os pés!».
Respóndit ei Jesus: Si non lávero te, non habébis partem mecum. Dicit ei Simon Petrus: Dómine, non tantum pedes meos, sed et manus et caput. Dicit ei Jesus: Qui lotus est, non índiget nisi ut pedes lavet, sed est mundus totus. Et vos mundi estis, sed non omnes. Sciébat enim, quisnam esset, qui tráderet eum: proptérea dixit: Non estis mundi omnes. Postquam ergo lavit pedes eórum et accépit vestiménta sua: cum recubuísset íterum, dixit eis: Scitis, quid fécerim vobis? Vos vocátis me Magíster et Dómine: et bene dícitis: sum étenim. Si ergo ego lavi pedes vestros, Dóminus et Magíster: et vos debétis alter altérius laváre pedes. Exémplum enim dedi vobis, ut, quemádmodum ego feci vobis, ita et vos faciátis.
Jesus respondeu-lhe: «Se te não lavar os pés, não terás parte comigo». Simão-Pedro disse, então: «Senhor, não só os pés, mas ainda as mãos e a cabeça!». E Jesus disse-lhe: «Quem está lavado só precisa de lavar os pés; pois está todo limpo. Vós também estais limpos, mas não todos». Pois Ele sabia quem havia de entregá-l’O; por isso disse: «Não estais todos limpos». Depois de lhes lavar os pés, tomou os vestidos, assentou-se à mesa e disse: «Sabeis o que vos fiz? Chamais-me Senhor e Mestre e dizeis bem, porque, na verdade, o sou. Se Eu, pois, sendo vosso Mestre e Senhor, vos lavei os pés, também deveis lavá-los uns aos outros. Dei-Vos o exemplo, para que, assim como Eu vos fiz, assim façais também».

Ofertório Sl. 117, 16 & 17

Déxtera Dómini fecit virtútem, déxtera Dómini exaltávit me: non móriar, sed vivam, et narrábo ópera Dómini.
A dextra do Senhor mostrou o seu poder; a dextra do Senhor exaltou-me! Não morrerei, mas viverei e publicarei as maravilhas do Senhor.

Secreta

Ipse tibi, quǽsumus, Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus, sacrifícium nostrum reddat accéptum, qui discípulis suis in sui commemoratiónem hoc fíeri hodiérna traditióne monstrávit, Jesus Christus, Fílius tuus, Dóminus noster: Qui tecum vivit et regnat &c.
Senhor santo, Pai omnipotente e Deus eterno, permiti que este nosso sacrifício Vos seja agradável por Jesus Cristo, vosso Filho, que, instituindo-o neste dia, prescreveu aos discípulos que o celebrassem em sua memória. Ele, que, sendo Deus, convosco vive e &c.

Comúnio Jo. 13, 12, 13 & 15

Dóminus Jesus, postquam cœnávit cum discípulis suis, lavit pedes eórum, et ait illis: Scitis, quid fécerim vobis ego, Dóminus et Magíster? Exemplum dedi vobis, ut et vos ita faciátis.
O Senhor Jesus, depois de haver ceado com seus discípulos, lavou-lhes os pés e disse-lhes: «Sabeis o que vos fiz, sendo vosso Senhor e Mestre? Dei-vos o exemplo, para que façais também o mesmo».

Postcomúnio

Refécti vitálibus aliméntis, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, quod témpore nostræ mortalitátis exséquimur, immortalitátis tuæ múnere consequámur. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Senhor, nosso Deus, havendo nós sido saciados com este alimento de vida, concedei-nos a graça de, com vosso socorro, alcançarmos no seio da imortalidade o que procurámos durante a vida mortal. Por nosso Senhor &c.

Procissão do SS. Sacramento

Pange Lingua

Pange, lingua, gloriósi Córporis mystérium, Sanguinísque pretiósi, Quem in mundi prétium Fructus ventris generósi Rex effúdit géntium.
Canta, ó minha língua, o mystério do Corpo e do Sangue precioso que foi derramado para resgate do mundo, fruto dum seio fecundo, o Rei dos povos.
Nobis datus, nobis natus Ex intácta Vírgine, Et in mundo conversátus, Sparso verbi sémine, Sui moras incolátus Miro clausit órdine.
Foi-nos dado; para nós nasceu da Virgem Imaculada; viveu no mundo, e, depois de haver espalhado a semente da palavra, terminou a sua passagem neste mundo com uma admirável instituição.
In suprémæ nocte coenæ Recúmbens cum frátribus Observáta lege plene Cibis in legálibus, Cibum turbæ duodénæ Se dat suis mánibus.
Na noite da última ceia, estando à mesa com seus irmãos depois de haver observado os ritos legais, Ele próprio se deu com suas mãos em alimento aos Doze.
Verbum caro, panem verum Verbo carnem éfficit: Fitque sanguis Christi merum, Et si sensus déficit, Ad firmándum cor sincérum Sola fides súfficit.
O Verbo feito carne mudou pela sua palavra um pão verdadeiro na própria Carne, e o vinho no Sangue de Cristo; e se a razão desfalece, não podendo compreender isto, a fé basta para corroborar esta crença nos corações sinceros.
Tamtum ergo Sacraméntum Venerémur cérnui: Et antíquum documéntum Novo cedat rítui: Præstet fides suppleméntum Sénsuum deféctui.
Adoremos, pois, prostrados este tão grande Sacramento: cedam os ritos antigos o lugar ao novo mystério e que a fé supra a fraqueza dos nossos sentidos.
Genitóri, Genitóque Laus et jubilátio, Salus, honor, virtus quoque Sit et benedíctio: Procedénti ab utróque Compar sit laudátio. Amen. Alleluja.
Glória, honra, louvor, poder, acção de graças e bênçãos sejam dadas ao Pai e ao Filho: e dêem-se iguais louvores ao que procede de um e do outro. Amen.

Desnudação dos Altares

Antífona Sl. 21, 19

Diviserunt sibi vestimenta mea: et super vestem meam misérunt sortem.
Dividiram entre si os meus vestidos e sobre a minha túnica jogaram sortes.

Salmo 21

Deus, Deus meus, réspice in me: quare me dereliquísti? * longe a salúte mea verba delictórum meórum.
Deus, ó meu Deus, olhai para mim, porque me abandonastes? * Os clamores dos meus pecados afastam de mim a salvação.
Deus meus, clamábo per diem, et non exáudies: * et nocte, et non ad insipiéntiam mihi.
Meu Deus, clamarei durante o dia e me não ouvireis: * clamarei de noite e não por minha culpa.
Tu autem in sancto hábitas, * laus Israël.
Mas Vós morais no lugar santo, * ó glória de Israel.
In te speravérunt patres nostri: * speravérunt, et liberásti eos.
Em Vós esperaram nossos pais: * esperaram e os libertastes.
Ad te clamavérunt, et salvi facti sunt: * in te speravérunt, et non sunt confúsi.
A Vós clamaram e foram salvos: * em Vós esperaram e não foram confundidos.
Ego autem sum vermis, et non homo: * oppróbrium hóminum, et abjéctio plebis.
Eu, porém, sou um verme e não um homem: * opróbio dos homens e abjecção da plebe.
Omnes vidéntes me, derisérunt me: * locúti sunt lábiis, et movérunt caput.
Todos os que me viram escarneceram de mim: * falaram com os lábios e menearam a cabeça.
Sperávit in Dómino, erípiat eum: * salvum fáciat eum, quóniam vult eum.
Esperou no Senhor, livre-o: * salve-o, se é que o ama.
Quóniam tu es, qui extraxísti me de ventre: * spes mea ab ubéribus matris meæ. In te projéctus sum ex útero:
Pois Vós sois quem do ventre me tirou: * minha esperança desde o seio de minha mãe. Fui do útero lançado para Vós:
De ventre matris meæ Deus meus es tu, * ne discésseris a me:
Vós sois o meu Deus desde o ventre materno, * de mim Vos não retireis:
Quóniam tribulátio próxima est: * quóniam non est qui ádjuvet.
Porque a tribulação está próxima: * porque não há quem me ajude.
Circumdedérunt me vítuli multi: * tauri pingues obsedérunt me.
Um grande número de vitelos me cercara: * vi-me sitiado de gordos touros.
Aperuérunt super me os suum, * sicut leo rápiens et rúgiens.
Abriram sobre mim sua boca, * como um leão arrebatador e que ruge.
Sicut aqua effúsus sum: * et dispérsa sunt ómnia ossa mea.
Derramei-me como água: * e todos meus ossos se desconjuntaram.
Factum est cor meum tamquam cera liquéscens * in médio ventris mei.
Meu coração tornou-se como cera derretida * no meio das minhas entranhas.
Aruit tamquam testa virtus mea, et lingua mea adhǽsit fáucibus meis: * et in púlverem mortis deduxísti me.
Meu vigor secou-se como barro queimado e minha língua pegou-se ao paladar: * e conduzistes-me até ao pó da sepultura.
Quóniam circumdedérunt me canes multi: * concílium malignántium obsédit me.
Porquanto me rodearam muitos cães raivosos: * uma turba de malignos me assaltou.
Fodérunt manus meas et pedes meos: * dinumeravérunt ómnia ossa mea.
Traspassaram as minhas mãos e os meus pés: * contaram todos meus ossos.
Ipsi vero consideravérunt et inspexérunt me: * divisérunt sibi vestiménta mea, et super vestem meam misérunt sortem.
Estiveram-me veramente considerando e olhando: * repartiram entre si as minhas vestes e lançaram sortes sobre a minha túnica.
Tu autem, Dómine, ne elongáveris auxílium tuum a me: * ad defensiónem meam cónspice.
Mas Vós, ó Senhor, não afasteis de mim o vosso auxílio: * atendei à minha defesa.
Erue a frámea, Deus, ánimam meam: * et de manu canis únicam meam:
Livrai a minha alma da espada, ó Deus: * e minha única das garras dos cães:
Salva me ex ore leónis: * et a córnibus unicórnium humilitátem meam.
Salvai-me da boca do leão: * e a minha humildade das hastes dos unicórnios.
Narrábo nomen tuum frátribus meis: * in médio ecclésiæ laudábo te.
Narrarei o vosso nome aos meus irmãos: * no meio da igreja Vos louvarei.
Qui timétis Dóminum, laudáte eum: * univérsum semen Jacob, glorificáte eum.
Vós que temeis o Senhor, louvai-O: * vós todos, descendência de Jacób, glorificai-O.
Tímeat eum omne semen Israël: * quóniam non sprevit, neque despéxit deprecatiónem páuperis:
Tema-O toda a posteridade de Israel: * porque Ele não desprezou nem desatendeu a súplica do pobre:
Nec avértit fáciem suam a me: * et cum clamárem ad eum, exaudívit me.
Nem escondeu de mim a sua face: * mas me ouviu quando O chamava.
Apud te laus mea in ecclésia magna: * vota mea reddam in conspéctu timéntium eum.
A Vós dirigir-se-á o meu louvor numa grande igreja: * cumprirei os meus votos em presença dos que O temem.
Edent páuperes, et saturabúntur: et laudábunt Dóminum qui requírunt eum: * vivent corda eórum in sǽculum sǽculi.
Os pobres comerão e serão saciados: e os que buscam o Senhor louvá-l’O-ão: * os seus corações viverão pelos séculos dos séculos.
Reminiscéntur et converténtur ad Dóminum * univérsi fines terræ:
Lembrar-se-ão e converter-se-ão ao Senhor * todos os limites da terra:
Et adorábunt in conspéctu ejus * univérsæ famíliæ géntium.
E adorá-l'O-ão na sua presença * todas as famílias das gentes.
Quóniam Dómini est regnum: * et ipse dominábitur géntium.
Porque o reino pertence ao Senhor: * e Ele reinará sobre as gentes.
Manducavérunt et adoravérunt omnes pingues terræ: * in conspéctu ejus cadent omnes qui descéndunt in terram.
Comeram e adoraram todos os ricos da terra: * diante d’Ele se prostraram todos os mortais.
Et ánima mea illi vivet: * et semen meum sérviet ipsi.
E a minha alma viverá para Ele: * e a minha descendência servi-l'O-á.
Annuntiábitur Dómino generátio ventúra: * et annuntiábunt cæli justítiam ejus pópulo qui nascétur, quem fecit Dóminus.
A geração vindoura será anunciada ao Senhor: * e o que fez o Senhor, os céus anunciarão a sua justiça ao povo que há-de nascer.
Depois do Salmo 21 repetir Antífona anterior.

Lava-Pés

Evangelho igual ao anterior.

Antífona Jo. 13, 34

Mandátum novum do vobis: ut diligátis ínvicem, sicut diléxi vos, dicit Dóminus. Ps. 118, 1 Beáti immaculáti in via: qui ámbulant in lege Dómini.
Dou-vos um novo mandamento: «Amai-vos uns aos outros, como vos amei», diz o Senhor. Sl. 118, 1 Bem-aventurados os que são puros na sua vida: e que seguem a lei do Senhor.

Antífona Jo. 13, 4, 5 & 15

Postquam surréxit Dóminus a cœna, misit aquam in pelvim, et cœpit laváre pedes discipulórum suórum: hoc exémplum réliquit eis. Ps. 47, 2 Magnus Dóminus, et laudábilis nimis: in civitáte Dei nostri, in monte sancto ejus. Postquam surréxit Dóminus.
Depois que o Senhor se levantou da ceia, deitou água em uma bacia e começou a lavar os pés aos discípulos, deixando este exemplo. Sl. 47, 2 O Senhor é grande e digno de todo o louvor na cidade de nosso Deus, na sua montanha sagrada.

Antífona Jo. 13, 12, 13 & 15

Dóminus Jesus, postquam cœnávit cum discípulis suis, lavit pedes eórum, et ait illis: Scitis, quid fécerim vobis ego, Dóminus et Magíster? Exémplum dedi vobis, ut et vos ita faciátis. Ps. 84, 2 Benedixísti, Dómine, terram tuam: avertísti captivitátem Jacob.
O Senhor Jesus, depois de haver ceado com os discípulos, lavou-lhes os pés e disse-lhes: «Sabeis o que acabo de vos fazer, posto que seja vosso Senhor e Mestre? Dei-vos o exemplo, a fim de que façais o que acabo de fazer». Sl. 84, 2 Abençoastes, Senhor, a vossa terra; livrastes Jacob do cativeiro.

Antífona Jo. 13, 6-7 & 8

Dómine, tu mihi lavas pedes? Respóndit Jesus et dixit ei: Si non lávero tibi pedes, non habébis partem mecum. V. Venit ergo ad Simónem Petrum, et dixit ei Petrus.
Senhor, quereis lavar-me os pés? Jesus respondeu-lhe e disse: «Se te não lavar os pés, não terás parte comigo». V. Porém, quando Jesus chegou junto de Simão-Pedro, este disse-Lhe:
Dómine, tu mihi lavas pedes? Respóndit Jesus et dixit ei: Si non lávero tibi pedes, non habébis partem mecum. V. Quod ego fácio, tu nescis modo: scies autem póstea.
Senhor, quereis lavar-me os pés? Jesus respondeu-lhe e disse: «Se te não lavar os pés, não terás parte comigo». V. «O que faço presentemente tu o ignoras; mas sabê-lo-ás depois».
Dómine, tu mihi lavas pedes? Respóndit Jesus et dixit ei: Si non lávero tibi pedes, non habébis partem mecum.
Senhor, quereis lavar-me os pés? Jesus respondeu-lhe e disse: «Se te não lavar os pés, não terás parte comigo».

Antífona

Si ego, Dóminus et Magíster vester, lavi vobis pedes: quanto magis debétis alter altérius laváre pedes? Ps. 48, 2 Audíte hæc, omnes gentes: áuribus percípite, qui habitátis orbem.
Se Eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, quanto mais deveis lavar os pés uns aos outros. Sl. 48, 2 Ó povos, escutai todos esta palavra. Ouvi-a, ó habitantes da terra.

Antífona Jo. 13, 35

In hoc cognóscent omnes, quia discípuli mei estis, si dilectiónem habuéritis ad ínvicem. V. Dixit Jesus discípulis suis.
Todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. V. Disse Jesus a seus discípulos.

Antífona 1 Cor. 13, 13

Máneant in vobis fides, spes, cáritas, tria hæc: major autem horum est cáritas. V. Nunc autem manent fides, spes, cáritas, tria hæc: major horum est cáritas.
Que a fé, a esperança e a caridade permaneçam em vós; mas a caridade é a maior destas três virtudes. V. Presentemente existem três virtudes, mas a maior das três é a caridade.

Antífona

Benedícta sit sancta Trínitas atque indivísa Unitas: confitébimur ei, quia fecit nobíscum misericórdiam suam. V. Benedicámus Patrem, et Fílium, cum Sancto Spíritu. Ps. 83, 23 Quam dilécta tabernácula tua, Dómine virtútum! concupíscit, et déficit ánima mea in átria Dómini.
Bendita seja a Santíssima Trindade e a unidade indivisível! Cantaremos os seus louvores, porque Deus espalhou sobre nós a sua misericórdia. V. Bendigamos o Pai, e o Filho, e o Espírito Santo. Sl. 83, 23 Como são amáveis os vossos tabernáculos, ó Deus dos exércitos. Minha alma voa em transportes de amor ao pensar nos átrios do Senhor.

Antífona 1 Jo. 2; 3; 4

Ubi cáritas et amor, Deus ibi est. V. Congregávit nos in unum Christi amor. V. Exsultémus et in ipso jucundémur. V. Timeámus et amémus Deum vivum. V. Et ex corde diligámus nos sincéro.
Deus está onde estiverem a caridade e o amor. V. Foi o amor ele Cristo que nos reuniu. V. Alegremo-nos e encontremos n’Ele as delícias. V. Temamos e amemos Deus vivo. V. Amemo-nos uns aos outros, sinceramente.
Ubi cáritas et amor, Deus ibi est. V. Simul ergo cum in unum congregámur: V. Ne nos mente dividámur, caveámus. V. Cessent júrgia malígna, cessent lites. V. Et in médio nostri sit Christus Deus.
Deus esta onde estiverem a caridade e o amor. V. Estamos reunidos em uma única assembleia. V. Evitemos tudo o que possa dividir os nossos corações. V. Longe de nós as rixas e as dissensões. V. Que Cristo, nosso Deus, esteja no meio de nós.
Ubi cáritas et amor, Deus ibi est. V. Simul quoque cum Beátis videámus V. Gloriánter vultum tuum, Christe Deus: V. Gáudium, quod est imménsum atque probum. V. Sǽcula per infiníta sæculórum. R. Amen.
Deus está onde estiverem a caridade e o amor. V. Fazei-nos ver com os Bem-aventurados. V. Vosso rosto está na glória, Cristo nosso Deus: V. Alegria imensa e pura. V. Em todos os séculos, pelos infinitos séculos. R. Amen.
Pater noster, secréto. V. Et ne nos indúcas in tentatiónem.
Pai-nosso, em silêncio. V. E não nos deixeis cair em tentação.
R. Sed líbera nos a malo.
R. Mas livrai-nos do mal.
V. Tu mandásti mandáta tua, Dómine.
V. Ordenastes, Senhor, que os vossos mandamentos:
R. Custodíri nimis.
R. Fossem bem observados.
V. Tu lavásti pedes discipulórum tuórum.
V. Lavastes os pés aos vossos discípulos.
R. Opera mánuum tuárum ne despícias.
R. Não desprezeis as obras das vossas mãos.
V. Dómine, exáudi oratiónem meam.
V. Senhor, ouvi a minha oração.
R. Et clamor meus ad te véniat.
R. E que meu clamor chegue até Vós.
V. Dóminus vobíscum.
V. O Senhor seja convosco.
R. Et cum spíritu tuo.
R. E com vosso espírito.

Oração

Adésto, Dómine, quǽsumus, officio servitútis nostræ: et quia tu discípulis tuis pedes laváre dignátus es, ne despícias ópera mánuum tuárum, quæ nobis retinénda mandásti: ut, sicut hic nobis et a nobis exterióra abluúntur inquinaménta; sic a te ómnium nostrum interióra lavéntur peccáta. Quod ipse præstáre dignéris, qui vivis et regnas Deus: per ómnia sǽcula sæculórum. R. Amen.
Senhor, Vos imploramos, aceitai benignamente estas homenagens da nossa humildade, e, já que não hesitastes em lavar os pés aos vossos discípulos, não desprezeis o que acabámos de fazer, segundo o que nos mandastes, a fim de que, havendo sido purificados das manchas exteriores do corpo, sejamos também lavados por Vós das manchas interiores dos nossos pecados. Concedei-nos esta graça. Vós que, sendo Deus, viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. R. Amen.
C.

Sexta-Feira Santa Estação em Santa Cruz de Jerusalém

1.ª Lição Os. 6, 1-6

Hæc dicit Dóminus: In tribulatione sua mane consúrgent ad me: Veníte, et revertámur ad Dóminum: quia ipse cepit, et sanábit nos: percútiet, et curábit nos. Vivificábit nos post duos dies: in die tértia suscitábit nos, et vivémus in conspéctu ejus. Sciémus, sequemúrque, ut cognoscámus Dóminum: quasi dilúculum præparátus est egréssus ejus, et véniet quasi imber nobis temporáneus et serótinus terræ. Quid fáciam tibi, Ephraim? Quid fáciam tibi, Juda? misericórdia vestra quasi nubes matutína: et quasi ros mane pertránsiens. Propter hoc dolávi in prophétis, occídi eos in verbis oris mei: et judícia tua quasi lux egrediéntur. Quia misericórdiam vólui, et non sacrifícium, et sciéntiam Dei, plus quam holocáusta.
Eis o que disse o Senhor: «No meio da sua tribulação terão pressa de recorrer a mim. Vinde, dirão eles, convertamo-nos ao Senhor, pois Ele mesmo nos feriu e nos curará. Ele nos castigará e nos sarará. Em dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará e viveremos na sua presença. Então conheceremos o Senhor e segui-l’O-emos, a fim de O conhecermos melhor. Seu despertar será como o da aurora; virá como a chuva do Outono, que rega a terra. Que posso eu fazer-te, ó Efraim? Que posso eu fazer-te, ó Judá? vossa misericórdia é como a nuvem da manhã; é como o orvalho, que se evapora. Por isso te fiz sofrer pelos Profetas; matei-os com palavras, saídas da minha boca; e o teu julgamento brilhará, como a luz. É a misericórdia que eu quero. Prefiro o conhecimento de Deus a todos os holocaustos que me ofereçais».

Trato Hab. 3

Dómine, audívi audítum tuum, et tímui: considerávi ópera tua, et expávi. V. In médio duórum animálium innotescéris: dum appropinquáverint anni, sognoscéris: dum advénerit tempus, osténdens. V. In eo, dum conturbáta fúerit ánima mea: in ira, misericórdiæ memor eris. V. Deus a Líbano véniet, et Sanctus de monte umbróso et condénso. V. Opéruit cœlos majéstas ejus: et laudis ejus plena est terra.
Senhor, ouvi a vossa voz e fiquei cheio de temor; meditei nas vossas maravilhas e fiquei extasiado. V. Manifestar-Vos-eis entre dois animais: quando os anos tiverem passado e quando os tempos tiverem vindo, manifestar-Vos-eis outra vez. V. Então a minha alma perturbar-se-á; mas Vos recordareis da vossa misericórdia para com ela, no dia da vossa ira. V. Deus virá do Líbano: e Aquele que é Santo descerá da montanha sombria e arborizada. V. Sua majestade cobrirá os céus; e a sua glória e o seu louvor encherão a terra.

Oremos

V. Flectámus génua!
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Deus, a quo et Judas reátus sui pœnam, et confessiónis suæ latro prǽmium sumpsit, concéde nobis tuæ propitiatiónis efféctum: ut, sicut in passióne sua Jesus Christus, Dóminus noster, divérsa utrísque íntulit stipéndia meritórum; ita nobis, abláto vetustátis erróre, resurrectiónis suæ grátiam largiátur: Qui tecum.&c.
Ó Deus, de quem Judas recebeu o castigo da sua perfídia e o ladrão a recompensa da sua confissão, concedei-nos o efeito da vossa misericórdia, a fim de que, assim como N. S. Jesus Cristo durante a sua Paixão tratou a um e ao outro segundo os seus méritos, assim também, havendo desaparecido a nossa malícia do «homem velho», nos tornemos participantes da sua ressurreição. Ele, que, sendo Deus &c.

2.ª Lição Ex. 12, 1-11

In diébus illis: Dixit Dóminus ad Móysen et Aaron in terra Ægýpti: Mensis iste vobis princípium ménsium primus erit in ménsibus anni Loquímini ad univérsum cœtum filiórum Israël, et dícite eis: Décima die mensis hujus tollat unusquísque agnum per famílias et domos suas. Sin autem minor est númerus, ut suffícere possit ad vescéndum agnum, assúmet vicínum suum, qui junctus est dómui suæ, juxta númerum animárum, quæ suffícere possunt ad esum agni. Erit autem agnus absque mácula, másculus, annículus: juxta quem ritum tollétis et hædum. Et servábitis eum usque ad quartam décimam diem mensis hujus: immolabítque eum univérsa multitúdo filiórum Israël ad vésperam. Et sument de sánguine ejus, ac ponent super utrúmque postem et in superlimináribus domórum, in quibus cómedent illum. Et edent carnes nocte illa assas igni, et ázymos panes cum lactúcis agréstibus. Non comedétis ex eo crudum quid nec coctum aqua, sed tantum assum igni: caput cum pédibus ejus et intestínis vorábitis. Nec remanébit quidquam ex eo usque mane. Si quid resíduum fúerit, igne comburétis. Sic autem comedétis illum: Renes vestros accingétis, et calceaménta habébitis in pédibus, tenéntes báculos in mánibus, et comedétis festinánter: est enim Phase (id est tránsitus) Dómini.
Naqueles dias, disse o Senhor, na terra do Egipto, a Moisés e a Aarão: «Que este mês seja para vós o princípio dos meses: o primeiro dos meses do ano. Falai a toda a assembleia dos filhos de Israel, dizendo: «No décimo dia deste mês cada um tome um cordeiro para cada família e para cada casa. Se na casa houverem poucas pessoas para comer o cordeiro, chamar-se-ão em casa do vizinho, que estiver mais perto, tantas pessoas quantas sejam necessárias para comer o cordeiro inteiramente. Esse cordeiro será sem mancha, masculino e com um ano de idade; se porventura faltar o cordeiro, podereis tomar um cabrito com iguais condições. Guardareis esse cordeiro até ao dia décimo quarto desse mês, imolando-o, então, pela tarde, toda a multidão dos filhos de Israel. Tomar-se-á o seu sangue, com o qual pintarão as ombreiras e alizares das portas das casas em que o cordeiro for comido. Nessa mesma noite comerão com pão sem fermento e leitugas silvestres a carne, a qual será assada no lume. Não comereis desse cordeiro nada que seja cru ou cozido em água; mas todo será assado no lume. Comereis a cabeça, os pés e os intestinos, e nada deverá ficar para o dia seguinte; porém, se alguma coisa ficar, tereis o cuidado de consumi-la no fogo. Haveis de comê-lo desta maneira: rins cingidos, pés calçados e bordão na mão. Comê-lo-eis com pressa, pois é a ocasião da páscoa, isto é, a passagem do Senhor».

Trato Sl. 139, 2-10 & 14

Eripe me, Dómine, ab homine malo: a viro iníquo líbera me. V. Qui cogitavérunt malítias in corde: tota die constituébant prœlia. V. Acuérunt linguas suas sicut serpéntis: venénum áspidum sub labiis eórum. V. Custódi me, Dómine, de manu peccatóris: et ab homínibus iníquis libera me. V. Qui cogitavérunt supplantáre gressus meos: abscondérunt supérbi láqueum mihi. V. Et funes extendérunt in láqueum pédibus meis: juxta iter scándalum posuérunt mihi. V. Dixi Dómino: Deus meus es tu: exáudi, Dómine, vocem oratiónis meæ. V. Dómine, Dómine, virtus salútis meæ: obúmbra caput meum in die belli. V. Ne tradas me a desidério meo peccatóri: cogitavérunt advérsus me: ne derelínquas me, ne umquam exalténtur. V. Caput circúitus eórum: labor labiórum ipsórum opériet eos. V. Verúmtamen justi confitebúntur nómini tuo: et habitábunt recti cum vultu tuo.
Livrai-me, Senhor, do homem iníquo; livrai-me do homem injusto. V. No seu coração intentam desígnios iníquos; continuamente estão prontos para me combater. V. Afiaram as suas línguas, como as das serpentes; nos seus lábios está a peçonha das víboras. V. Defendei-me, Senhor, dos ataques das mãos do pecador; livrai-me dos homens injustos. V. Porquanto procuram o meio de lançar-me por terra; estes orgulhosos armaram-me ciladas. V. Armaram laços para me prender; prepararam ciladas e embustes no meu caminho. V. Eu disse ao Senhor: Sois o meu Deus; ouvi, Senhor, a voz da minha súplica. V. Senhor, Senhor, sois o meu sustentáculo e a minha salvação: no dia do combate abrigai a minha cabeça. V. Não me entregueis, Senhor, à fúria dos pecadores; não me deixeis à mercê dos seus desejos, para que não triunfem contra mim. V. Seus embustes cairão sobre si; as suas calúnias contra si se voltarão. V. Os justos, Senhor, louvarão o vosso nome: e os que possuem o coração recto contemplar-Vos-ão face a face.

Narração da Paixão Jo. 18, 1-40; 19, 1-42

Pássio Dómini nostri Jesu Christi secúndum Joánnem.
Paixão de N. S. Jesus Cristo, segundo S. João.
In illo témpore: Egréssus est Jesus cum discípulis suis trans torréntem Cedron, ubi erat hortus, in quem introívit ipse et discípuli ejus. Sciébat autem et Judas, qui tradébat eum, locum: quia frequénter Jesus convénerat illuc cum discípulis suis. Judas ergo cum accepísset cohórtem, et a pontifícibus et pharisǽis minístros, venit illuc cum latérnis et fácibus et armis. Jesus ítaque sciens ómnia, quæ ventúra erant super eum, procéssit, et dixit eis: Quem quǽritis? C. Respondérunt ei: S. Jesum Nazarénum. C. Dicit eis Jesus: Ego sum. C. Stabat autem et Judas, qui tradébat eum, cum ipsis. Ut ergo dixit eis: Ego sum: abiérunt retrorsum, et cecidérunt in terram. Iterum ergo interrogávit eos: Quem quǽritis? C. Illi autem dixérunt: S. Jesum Nazarénum. C. Respóndit Jesus: Dixi vobis, quia ego sum: si ergo me quǽritis, sinite hos abíre. C. Ut implerétur sermo, quem dixit: Quia quos dedísti mihi, non pérdidi ex eis quemquam. Simon ergo Petrus habens gládium edúxit eum: et percússit pontíficis servum: et abscídit aurículam ejus déxteram. Erat autem nomen servo Malchus. Dixit ergo Jesus Petro: Mitte gládium tuum in vagínam. Cálicem, quem dedit mihi Pater, non bibam illum?
Naquele tempo, passou Jesus com os discípulos para o outro lado da corrente do Cédron, onde havia ’um jardim, e ali entrou com eles. Judas, que o traía, conhecia também este lugar, pois Jesus vinha ali frequentemente com os discípulos. Então Judas, pondo-se à frente da coorte e dos servos, que os pontífices e os fariseus lhe haviam fornecido, veio ali com lanternas, archotes e armas. Ora, sabendo Jesus o que ia acontecer, foi ao seu encontro e disse: «A quem procurais?». C. E responderam-Lhe: S. «A Jesus Nazareno!». C. Disse-lhes Jesus: «Sou Eu!». C. Judas, que o traía, estava também com eles. Apenas, pois, Jesus lhes disse «Sou eu», retrocederam e caíram por terra. Perguntou-lhes então Jesus pela segunda vez: «A quem procurais?». C. Eles responderam: S. «A Jesus Nazareno!». C. Respondeu-lhes Jesus: «Já vos disse que sou Eu; se, pois, me buscais só a mim, deixai ir estes». C. Disse isto para ser cumprida a palavra que havia proferido: «Não perdi nenhum dos que me destes». Então Simão-Pedro, que tinha uma espada, desembainhou-a, acutilou um servo do pontífice e cortou-lhe a orelha direita. Chamava-se Malco. Mas Jesus disse a Pedro: «Mete a espada na bainha. Porventura não hei-de beber o cálice que deu meu Pai?».
C. Cohors ergo et tribúnus et minístri Judæórum comprehendérunt Jesum, et ligavérunt eum: et adduxérunt eum ad Annam primum, erat enim socer Cáiphæ, qui erat póntifex anni illíus. Erat autem Cáiphas, qui consílium déderat Judǽis: Quia expédit, unum hóminem mori pro pópulo. Sequebátur autem Jesum Simon Petrus et álius discípulus. Discípulus autem ille erat notus pontífici, et introívit cum Jesu in átrium pontíficis. Petrus autem stabat ad óstium foris. Exívit ergo discípulus álius, qui erat notus pontífici, et dixit ostiáriæ: et introdúxit Petrum. Dicit ergo Petro ancílla ostiária: S. Numquid et tu ex discípulis es hóminis istíus? C. Dicit ille: S. Non sum. C. Stabant autem servi et minístri ad prunas, quia frigus erat, et calefaciébant se: erat autem cum eis et Petrus stans et calefáciens se. Póntifex ergo interrogávit Jesum de discípulis suis et de doctrína ejus. Respóndit ei Jesus: Ego palam locútus sum mundo: ego semper dócui in synagóga et in templo, quo omnes Judǽi convéniunt: et in occúlto locútus sum nihil. Quid me intérrogas? intérroga eos, qui audiérunt, quid locútus sim ipsis: ecce, hi sciunt, quæ díxerim ego. C. Hæc autem cum dixísset, unus assístens ministrórum dedit álapam Jesu, dicens: S. Sic respóndes pontífici? C. Respóndit ei Jesus: Si male locútus sum, testimónium pérhibe de malo: si autem bene, quid me cædis?
C. Então a coorte, o tribuno e os satélites dos judeus prenderam e amarraram Jesus. Depois conduziram-n’O à presença de Anás, que era sogro de Caifás e pontífice naquele ano. Fora Caifás quem dera este conselho aos judeus: «Convém mais que morra um só homem, do que todo o povo!». Entretanto, Simão-Pedro seguia Jesus com outro discípulo, o qual, sendo conhecido do pontífice, saiu, falou à porteira e fez entrar Pedro. Ao vê-lo, disse-lhe a porteira: S. «Não és tu, também, pertencente aos discípulos deste homem?». C. Respondeu Pedro: S. «Não sou». C. Os servos e os satélites estavam em torno do lume a aquecer-se, pois estava frio. Pedro estava também com eles, de pé, e se aquecia. Entretanto fez o pontífice perguntas a Jesus sobre os seus discípulos e sobre a sua doutrina. Respondeu-lhe Jesus: «Eu falei sempre ao mundo às claras! Ensinei na sinagoga e no templo, onde se reuniam todos os judeus, e nada ensinei ocultamente. Porque me interrogas, pois? Pergunta antes àqueles que ouviram o que ensinei. Eles aí estão, e muito bem sabem o que lhes disse». C. Enquanto Jesus dizia isto, um dos guardas que lá estava deu-Lhe uma bofetada, dizendo: S. «Assim respondeis ao pontífice?». C. Jesus disse-lhe: «Se Eu falei mal, aponta-me o mal que disse. Se, porém, falei bem, porque me bates?».
C. Et misit eum Annas ligátum ad Cáipham pontíficem. Erat autem Simon Petrus stans et calefáciens se. Dixérunt ergo ei: S. Numquid et tu ex discípulis ejus es? C. Negávit ille et dixit: S. Non sum. C. Dicit ei unus ex servis pontíficis, cognátus ejus, cujus abscídit Petrus aurículam: S. Nonne ego te vidi in horto cum illo? C. Iterum ergo negávit Petrus: et statim gallus cantávit.
C. Anás enviou-O, amarrado, a Caifás, que era o pontífice. Simão-Pedro continuava no mesmo lugar, se aquecendo. Disseram-lhe então: S. «Porventura não és tu discípulo d’Ele?». C. Pedro negou, dizendo: S. «Não sou». C. Um dos servos do pontífice, parente daquele a quem Pedro cortara a orelha, disse ainda a este: S. «Acaso te não vi eu no horto com Ele?». C. Outra vez Pedro negou; e, logo, o galo cantou!
Addúcunt ergo Jesum a Cáipha in prætórium. Erat autem mane: et ipsi non introiérunt in prætórium, ut non contaminaréntur, sed ut manducárent pascha. Exívit ergo Pilátus ad eos foras et dixit: S. Quam accusatiónem affértis advérsus hóminem hunc? C. Respondérunt et dixérunt ei: S. Si non esset hic malefáctor, non tibi tradidissémus eum. C. Dixit ergo eis Pilátus: S. Accípite eum vos, et secúndum legem vestram judicáte eum. C. Dixérunt ergo ei Judǽi: S. Nobis non licet interfícere quemquam. C. Ut sermo Jesu implerétur, quem dixit, signíficans, qua morte esset moritúrus. Introívit ergo íterum in prætórium Pilátus, et vocávit Jesum et dixit ei: S. Tu es Rex Judæórum? C. Respóndit Jesus: A temetípso hoc dicis, an álii dixérunt tibi de me? C. Respóndit Pilátus: S. Numquid ego Judǽus sum? Gens tua et pontífices tradidérunt te mihi: quid fecísti? C. Respóndit Jesus: Regnum meum non est de hoc mundo. Si ex hoc mundo esset regnum meum, minístri mei útique decertárent, ut non tráderer Judǽis: nunc autem regnum meum non est hinc. C. Dixit itaque ei Pilátus: S. Ergo Rex es tu? C. Respóndit Jesus: Tu dicis, quia Rex sum ego. Ego in hoc natus sum et ad hoc veni in mundum, ut testimónium perhíbeam veritáti: omnis, qui est ex veritáte, audit vocem meam. C. Dicit ei Pilátus: S. Quid est véritas? C. Et cum hoc dixísset, íterum exívit ad Judǽos, et dicit eis: S. Ego nullam invénio in eo causam. Est autem consuetúdo vobis, ut unum dimíttam vobis in Pascha: vultis ergo dimíttam vobis Regem Judæórum? C. Clamavérunt ergo rursum omnes, dicéntes: S. Non hunc, sed Barábbam. C. Erat autem Barábbas latro. Tunc ergo apprehéndit Pilátus Jesum et flagellávit. Et mílites plecténtes corónam de spinis, imposuérunt cápiti ejus: et veste purpúrea circumdedérunt eum. Et veniébant ad eum, et dicébant: S. Ave, Rex Judæórum. C. Et dabant ei álapas. Exívit ergo íterum Pilátus foras et dicit eis: S. Ecce, addúco vobis eum foras, ut cognoscátis, quia nullam invénio in eo causam. C. (Exívit ergo Jesus portans corónam spíneam et purpúreum vestiméntum.) Et dicit eis: S. Ecce homo. C. Cum ergo vidíssent eum pontífices et minístri, clamábant, dicéntes: S. Crucifíge, crucifíge eum. C. Dicit eis Pilátus: S. Accípite eum vos et crucifígite: ego enim non invénio in eo causam. C. Respondérunt ei Judǽi: S. Nos legem habémus, et secúndum legem debet mori, quia Fílium Dei se fecit. C. Cum ergo audísset Pilátus hunc sermónem, magis tímuit. Et ingréssus est prætórium íterum: et dixit ad Jesum: S. Unde es tu? C. Jesus autem respónsum non dedit ei. Dicit ergo ei Pilátus: S. Mihi non lóqueris? nescis, quia potestátem hábeo crucifígere te, et potestátem hábeo dimíttere te? C. Respóndit Jesus: Non habéres potestátem advérsum me ullam, nisi tibi datum esset désuper. Proptérea, qui me trádidit tibi, majus peccátum habet. C. Et exínde quærébat Pilátus dimíttere eum. Judǽi autem clamábant dicéntes: S. Si hunc dimíttis, non es amícus Cǽsaris. Omnis enim, qui se regem facit, contradícit Cǽsari. C. Pilátus autem cum audísset hos sermónes, addúxit foras Jesum, et sedit pro tribunáli, in loco, qui dícitur Lithóstrotos, hebráice autem Gábbatha. Erat autem Parascéve Paschæ, hora quasi sexta, et dicit Judǽis: S. Ecce Rex vester. C. Illi autem clamábant: S. Tolle, tolle, crucifíge eum. C. Dicit eis Pilátus: S. Regem vestrum crucifígam? C. Respondérunt pontífices: S. Non habémus regem nisi Cǽsarem. C. Tunc ergo trádidit eis illum, ut crucifigerétur. Suscepérunt autem Jesum et eduxérunt.
Depois disto conduziram Jesus de casa de Caifás para o Pretório. Era já de manhã; e por isso não entraram, a fim de que se não contaminassem e pudessem comer a Páscoa. Saiu, pois, Pilatos fora, a ouvi-los, e disse: S. «Que acusação fazeis a este homem?». C. Responderam e disseram: S. «Se Ele não fosse um malfeitor não to teríamos entregue». C. E Pilatos disse-lhes: S. «Tomai-O vós e julgai-O, segundo a vossa lei». C. Ao que os judeus retorquiram: S. «Não nos é permitido condenar ninguém à morte». C. Estas palavras foram ditas para que se cumprisse o que Jesus anunciara, indicando de que morte havia de morrer. Entrou, então, Pilatos no Pretório, chamou Jesus e disse-Lhe: S. «Sois o Rei dos judeus?». C. Jesus respondeu-lhe: «Dizes isso de ti mesmo, ou foram outros que te disseram isso de mim?». C. Pilatos respondeu-Lhe: S. «Acaso sou eu judeu? vosso povo e os pontífices entregaram-Vos às minhas mãos. Que mal fizestes?». C. Jesus disse: «Meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros certamente teriam combatido para que Eu não fosse entregue aos judeus; mas o meu reino não é deste mundo». C. Disse-Lhe Pilatos: S. «Então sois Rei». C. Respondeu Jesus: «Tu o dizes: Eu sou Rei! Eu nasci e vim a este mundo para dar testemunho da verdade. Todo aquele que procura a verdade escuta a minha voz». C. Disse-Lhe, pois, Pilatos: S. «Que é a verdade?». C. E, dizendo isto, foi novamente falar com os judeus, dizendo-lhes: S. «Não acho n’Ele crime algum digno de condenação. Ora, como é costume entre vós dar liberdade a um preso na Páscoa, quereis que solte o Rei dos judeus?». C. Então clamaram, novamente, todos: S. «Esse, não; mas sim Barrabás». C. Barrabás era, porém, um ladrão. Então Pilatos mandou açoitar Jesus, Os soldados, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-Lha na cabeça; e vestiram-n’O com um manto de púrpura. Vinham ter com Ele e diziam-Lhe: S. «Salve, ó Rei dos judeus!». C. Davam-Lhe também bofetadas. Pilatos saiu outra vez para fora e disse-lhes: S. «Eis que vo-l’O apresento novamente, para que saibais que não há n’Ele causa de condenação». C. Apareceu então Jesus, trazendo a coroa de espinhos e um manto de púrpura. E Pilatos disse: S. «Eis aqui o homem!». C. Apenas os príncipes dos sacerdotes e os satélites viram Jesus, gritavam e diziam: S. «Crucifica-O; crucifica-O!». C. E Pilatos respondeu: S. «Tomai-O vós e crucificai-O; pois não encontro n’Ele crime algum digno de condenação». C. Retorquiram-lhe os judeus: S. «Nós temos uma lei e, segundo ela, Jesus deve morrer, porque se diz Filho de Deus». C. Quando Pilatos ouviu estas palavras, temeu ainda mais. E, entrando outra vez no Pretório, perguntou a Jesus: S. «Donde sois Vós?». C. Jesus lhe não respondeu. Pilatos continuou então: S. «Não me respondeis? Ignorais que tenho poder para Vos mandar crucificar ou dar liberdade?». C. Respondeu-lhe Jesus: «Nenhum poder teríeis em mim, se vos não fora dado pelo alto; por isso, aquele que me entregou a ti é culpado de maior pecado». C. E Pilatos procurava algum meio com que salvasse Jesus; contudo, os judeus clamavam, dizendo: S. «Se O soltas não és amigo de César; porquanto, quem se faz rei declara-se contra César», Ouvindo estas palavras, Pilatos conduziu Jesus para fora e sentou-se no tribunal, em um lugar chamado Litóstrotos (que em hebreu significa Gabbata). Era então o dia de Parasceve (Preparação) da Páscoa, e quase a hora sexta. Pilatos disse aos judeus: S. «Eis o vosso rei!». C. Mas eles clamavam: S. «Tira-O; tira-O; crucifica-O!». C. E disse-lhes Pilatos: S. «Pois hei-de crucificar o vosso rei?». C. Os pontífices responderam: S. «Não temos outro rei senão César». C. Entregou-lhes, pois, finalmente, Jesus, para que fosse crucificado. Então seguraram-n’O e levaram-n’O.
Et bájulans sibi Crucem, exívit in eum, qui dícitur Calváriæ, locum, hebráice autem Gólgotha: ubi crucifixérunt eum, et cum eo alios duos, hinc et hinc, médium autem Jesum. Scripsit autem et títulum Pilátus: et pósuit super crucem. Erat autem scriptum: Jesus Nazarénus, Rex Judæórum. Hunc ergo títulum multi Judæórum legérunt, quia prope civitátem erat locus, ubi crucifíxus est Jesus. Et erat scriptum hebráice, græce et latíne. Dicébant ergo Piláto pontífices Judæórum: S. Noli scríbere Rex Judæórum, sed quia ipse dixit: Rex sum Judæórum. C. Respóndit Pilátus: S. Quod scripsi, scripsi. C. Mílites ergo cum crucifixíssent eum, acceperunt vestimenta ejus (et fecérunt quátuor partes: unicuique míliti partem), et túnicam. Erat autem túnica inconsútilis, désuper contéxta per totum. Dixérunt ergo ad ínvicem: S. Non scindámus eam, sed sortiámur de illa, cujus sit. C. Ut Scriptúra implerétur, dicens: Partíti sunt vestiménta mea sibi: et in vestem meam misérunt sortem. Et mílites quidem hæc fecérunt.
Puseram-Lhe, pois, uma cruz aos ombros e conduziram-n’O para um lugar, fora da cidade, chamado Calvário (que em hebreu significa Gólgota), onde O crucificaram, e com Ele dois outros, um de cada lado, e no meio Jesus. Pilatos escreveu também uma inscrição, que mandou colocar na parte superior da cruz, a qual dizia: «Jesus Nazareno, Rei dos Judeus». Muitos judeus leram este título, pois o lugar onde Jesus fora crucificado era perto da cidade. O título estava escrito em hebreu, grego e latim. Os pontífices diziam a Pilatos: S. «Não escrevas Rei dos judeus; mas sim que Ele dizia: Sou o Rei dos judeus». C. Respondeu-lhes Pilatos: S. «O que eu escrevi fica escrito». C. Entretanto, havendo sido crucificado, tomaram-Lhe os vestidos e dividiram-nos em quatro partes, sendo uma para cada soldado. Quanto à túnica, como era sem costura, toda tecida de alto a baixo, combinaram entre si, dizendo uns aos outros: S. «Não a rasguemos, mas deitemos sortes para ver a quem ficará». C. Isto aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que dizia: «Repartiram entre si os meus vestidos e sobre a minha túnica deitaram sortes». Isto mesmo fizeram os soldados.
Stabant autem juxta Crucem Jesu Mater ejus et soror Matris ejus, María Cléophæ, e María Magdaléne. Cum vidísset ergo Jesus Matrem et discípulum stantem, quem diligébat, dicit Matri suæ: Múlier, ecce fílius tuus. C. Deinde dicit discípulo: Ecce mater tua. C. Et ex illa hora accépit eam discípulus in sua. Póstea sciens Jesus, quia ómnia consummáta sunt, ut consummarétur Scriptúra, dixit: Sítio. C. Vas ergo erat pósitum acéto plenum. Illi autem spóngiam plenam acéto, hyssópo circumponéntes, obtulérunt ori ejus. Cum ergo accepísset Jesus acétum, dixit: Consummátum est. C. Et inclináte cápite trádidit spíritum.
Estavam, então, de pé, junto à cruz de Jesus, sua Mãe e a irmã de sua Mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Vendo Jesus sua Mãe e perto dela o discípulo que Ele preferia, disse à Mãe: «Mulher, eis aí o teu Filho!». C. Depois disse ao discípulo: «Eis a tua Mãe!». C. Desde aquela hora, o discípulo a tomou a seu cuidado. Depois, sabendo Jesus que tudo estava consumado para se cumprir o que a Escritura anunciara, disse: «Tenho sede». C. Havia ali perto um vaso cheio de vinagre. Foram, pois, os soldados buscá-lo e, embebendo nele uma esponja, ataram-na a um ramo de hissopo e chegaram-Lho à boca. Havendo Jesus tomado o vinagre, disse: «Tudo está consumado!». C. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito!
(Hic genuflectitur, et pausatur aliquantulum)
(Ajoelha-se durante algum tempo, meditando-se no que se leu.)
Judǽi ergo (quóniam Parascéve erat), ut non remanérent in cruce córpora sábbato (erat enim magnus dies ille sábbati), rogavérunt Pilátum, ut frangeréntur eórum crura et tolleréntur. Venérunt ergo mílites: et primi quidem fregérunt crura et alteríus, qui crucifíxus est cum eo. Ad Jesum autem cum veníssent, ut vidérunt eum jam mórtuum, non fregérunt ejus crura, sed unus mílitum láncea latus ejus apéruit, et contínuo exívit sanguis et aqua. Et qui vidit, testimónium perhíbuit: et verum est testimónium ejus. Et ille scit, quia vera dicit: ut et vos credátis. Facta sunt enim hæc, ut Scriptúra implerétur: Os non comminuétis ex eo. Et íterum ália Scriptúra dicit: Vidébunt in quem transfixérunt.
Os judeus (porque era o dia da Preparação da Páscoa), não desejando que os corpos ficassem na cruz para o sábado (pois o sábado era solene), pediram a Pilatos consentisse que partissem as pernas aos crucificados e os descessem da cruz. Os soldados vieram e quebraram as pernas dos que haviam sido crucificados com Ele. Mas, tendo vindo a Jesus, como O vissem já morto, Lhe não quebraram as pernas, mas um dos soldados abriu-lhe com a lança o lado, do qual saiu sangue e água. E quem isto viu dá testemunho disso, e o seu testemunho é verdadeiro, pois sabe que diz a verdade, para que lhe deis crédito. Aconteceram estas coisas para se cumprir o que dizia a Escritura: «Não quebrareis nenhum dos meus ossos». Ainda a Escritura diz noutro lugar: «Contemplarão Aquele que traspassaram».
O Celebrante vai ao meio do Altar e diz o MUNDA COR MEUM... (página 33). Depois prossegue:
Post hæc autem rogávit Pilátum Joseph ab Arimathǽa (eo quod esset discípulus Jesu, occúltus autem propter metum Judæórum), ut tólleret corpus Jesu. Et permísit Pilátus. Venit ergo et tulit corpus Jesu. Venit autem et Nicodémus, qui vénerat ad Jesum nocte primum, ferens mixtúram myrrhæ et áloes, quasi libras centum. Accepérunt ergo corpus Jesu, et ligavérunt illud línteis cum aromátibus, sicut mos est Judǽis sepelíre. Erat autem in loco, ubi crucifíxus est, hortus: et in horto monuméntum novum, in quo nondum quisquam pósitus erat. Ibi ergo propter Parascéven Judæórum, quia juxta erat monuméntum, posuérunt Jesum.
Em seguida, José de Arimateia (que fora discípulo de Jesus, ocultamente, com medo dos judeus), pediu a Pilatos o corpo de Jesus, o que Pilatos permitiu. Veio, pois, e tirou o corpo de Jesus. Acompanhou-o Nicodemos (que no princípio da noite viera procurar Jesus) com uma mistura de mirra e de aloés, de quase cem libras de preço. Tomaram, então, o corpo de Jesus e envolveram-no em lençóis com aromas, segundo o costume dos judeus. Havia no lugar em que Jesus foi crucificado um jardim, e nele uma sepultura nova, onde ninguém fora ainda depositado. Foi aí (por ser o dia da Preparação da Páscoa dos judeus) que depositaram Jesus, pois este túmulo estava próximo.

Missa dos Penitentes

Pela Santa Igreja

Orémus, dilectíssimi nobis, pro Ecclésia sancta Dei, ut eam Deus et Dóminus noster pacificáre, adunáre et custodíre dignétur toto orbe terrárum, detque nobis, quiétam et tranquíllam vitam degéntibus, glorificáre Deum Patrem omnipoténtem.
Oremos, irmãos caríssimos, pela Santa Igreja de Deus, a fim de que o Senhor, nosso Deus, se digne conceder-lhe paz e união e a guarde em toda a terra, sujeitando-lhe espiritualmente todos os principados e potestades; e que nos conceda uma vida calma e tranquila para glorificarmos Deus Pai omnipotente.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, qui glóriam tuam ómnibus in Christo géntibus revelásti: custódi ópera misericórdiæ tuæ; ut Ecclésia tua, toto orbe diffúsa, stábili fide in confessióne tui nóminis persevéret. Per eúndem Dóminum nostrum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, que revelastes a vossa glória a todas as nações por meio de Cristo, conservai a obra da vossa misericórdia, para que a vossa Igreja, espalhada por todo o mundo, persevere com fé firme na confissão do vosso Nome. Pelo mesmo nosso Senhor &c. R. Amen.

Pelo Santíssimo Padre

Orémus, et pro beatíssimo Papa nostro N., ut Deus et Dóminus noster, qui elégit eum in órdine episcopátus, salvum atque incólumem custódiat Ecclésiæ suæ sanctæ, ad regéndum pópulum sanctum Dei.
Oremos, pelo Santíssimo Padre, o Papa N. para que o Senhor, nosso Deus, que o elevou à ordem do Episcopado, o conserve incólume e livre, para utilidade da sua Igreja e para governar o santo povo de Deus.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, cujus judício univérsa fundántur: réspice propítius ad preces nostras, et electum nobis Antístitem tua pietáte consérva; ut christiána plebs, quæ te gubernátur auctóre, sub tanto Pontífice, credulitátis suæ méritis augeátur. Per Dóminum nostrum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, que pela vossa sabedoria fazeis subsistir todas as coisas, acolhei benigno as nossas súplicas, e pela vossa bondade conservai o Pontífice escolhido, para que o povo cristão, que a vossa autoridade governa, aumente nos méritos da sua fé, debaixo da direcção de tão grande Pontífice. Por nosso Senhor &c. R. Amen.

Por todo o Corpo da Igreja

Orémus, et pro ómnibus Epíscopis nostro, Presbýteris, Diacónibus,Subdiacónis, Acólythis, Exorcístis, Lectóribus, Ostiáriis, Confessóribus, Virgínibus, Víduis: et pro omni pópulo sancto Dei.
Oremos, também por todos os Bispos, Presbíteros, Diáconos, Subdiáconos, Acólitos, Exorcistas, Leitores, Ostiários, Confessores, Virgens, Viúvas e ainda por todo o santo povo de Deus.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Deus, cujus Spíritu totum corpus Ecclésiæ sanctificátur et régitur: exáudi nos pro univérsis ordínibus supplicántes; ut, grátiæ tuæ múnere, ab ómnibus tibi grádibus fidéliter serviátur. Per Dóminum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, cujo Espírito santifica e governa todo o corpo da Igreja, ouvi as nossas súplicas por todas as Ordens, a fim de que pelo dom da vossa graça cada uma dessas jerarquias Vos sirva fielmente. Por nosso Senhor &c. R. Amen.

Pelo Imperador Romano

Orémus, et pro Christianíssimo (Si non est coronatus, dicatur: elécto Imperatóre.) Imperatóre nostro N. ut Deus et Dóminus noster súbditas fáciat omnes barbaras natiónes ad nostram perpétuam pacem.
Oremos, também pelo nosso Cristianíssimo (Se não é coroado, diz-se: Imperador eleito.) Imperador N. para que o Senhor, nosso Deus, lhe submeta todas as nações bárbaras, para nossa perpétua paz.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, in cujus manu sunt ómnium potestátes et ómnium jura regnórum: réspice ad Románum benígnus Impérium; ut gentes, quæ in sua feritáte confídunt, poténtiæ tuæ déxtera comprimántur. Per Dóminum nostrum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, em cujas mãos estão todas as potestades e todas as leis do reino: olhai benignamente para o Império Romano; de modo que as nações que confiam em sua própria força, fiquem sujeitas à sua dextra. Por nosso Senhor &c. R. Amen.

Pelos Catecúmenos

Orémus, et pro catechúmenis nostris: ut Deus et Dóminus noster adapériat aures præcordiórum ipsórum januámque misericordiæ; ut, per lavácrum regeneratiónis accépta remissióne ómnium peccatórum, et ipsi inveniántur in Christo Jesu, Dómino nostro.
Oremos, também pelos nossos Catecúmenos, para que o Senhor, nosso Deus, lhes abra os ouvidos do coração e as portas da misericórdia, e, assim, havendo alcançado a remissão dos pecados pelo banho da regeneração, sejam connosco incorporados em Jesus Cristo, nosso Senhor.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, qui Ecclésiam tuam nova semper prole fecúndas: auge fidem et intellectum catechúmenis nostris; ut, renáti fonte baptismátis, adoptiónis tuæ fíliis aggregéntur. Per Dóminum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, que dais continuamente novos filhos à vossa Igreja, aumentai a fé e a inteligência dos nossos Catecúmenos, a fim de que, renascidos na fonte baptismal, sejam agregados aos vossos filhos de adopção. Por nosso Senhor &c. R. Amen.

Pelas Necessidade dos Fiéis

Orémus, dilectíssimi nobis, Deum Patrem omnipoténtem, ut cunctis mundum purget erróribus: morbos áuferat: famem depellat: apériat cárceres: víncula dissólvat: peregrinántibus réditum: infirmántibus sanitátem: navigántibus portum salútis indúlgeat.
Oremos, caríssimos irmãos, a Deus Pai omnipotente, pedindo-Lhe que purifique o mundo de todos os erros; afaste as doenças; desterre a fome; abra as prisões; quebre as cadeias; conceda aos viajantes feliz viagem; dê aos enfermos a saúde; e conduza os navegantes a porto de salvamento.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, mæstórum consolátio, laborántium fortitúdo: pervéniant ad te preces de quacúmque tribulatióne clamántium; ut omnes sibi in necessitátibus suis misericórdiam tuam gáudeant affuísse. Per Dóminum nostrum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, consolação dos tristes e força dos que trabalham, permiti que cheguem até Vós as súplicas dos que em qualquer tribulação a Vós recorrem, para que nas suas necessidades todos sintam com alegria o auxílio da vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c. R. Amen.

Pelos Hereges e Cismáticos

Orémus, et pro hæréticis et schismáticis: ut Deus et Dóminus noster éruat eos ab erróribus univérsis; et ad sanctam matrem Ecclésiam Cathólicam atque Apostólicam revocáre dignétur.
Oremos, também pelos hereges e cismáticos: para que o Senhor, nosso Deus, os livre de todos os erros e se digne reconduzi-los ao seio da santa mãe Igreja Católica e Apostólica.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, qui salvas omnes, et néminem vis períre: réspice ad ánimas diabólica fraude decéptas; ut, omni hærética pravitáte depósita, errántium corda resipíscant, et ad veritátis tuæ rédeant unitátem. Per Dóminum nostrum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, que quereis salvar todos os homens e não quereis que nenhum pereça, lançai vossos olhares de compaixão para as almas seduzidas pelos artifícios do demónio, a fim de que, abandonando elas toda a maldade, se arrependam dos erros e regressem à unidade da vossa doutrina. Por nosso Senhor &c. R. Amen.

Pelos Judeus

Orémus, et pro Judǽis: ut Deus et Dóminus noster illúminet corda eórum; ut agnóscant Jesum Christum sálvatorem Dóminum hóminum.
Oremos, também pelos Judeus: para que o Senhor, nosso Deus, ilumine os seus corações; para que eles reconheçam Jesus Cristo, o salvador dos homens.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, qui vis ut omnes hómines sálvi fíant et ad ágnitionem veritátis véniant, concéde propítius, ut plenitúdine géntium in Ecclésiam Tuam íntrante omnis Ísrael sálvus fíat. Per Dóminum nostrum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, que desejais que todos os homens se salvem e alcancem o conhecimento da verdade, concedei que, entrando a plenitude dos povos na vossa Igreja, todo Israel seja salvo. Pelo mesmo nosso Senhor &c. R. Amen.

Pelos Pagãos

Orémus, et pro pagánis: ut Deus omnípotens áuferat iniquitátem a córdibus eórum; ut, relíctis idólis suis, convertántur ad Deum vivum et verum, et únicum Fílium ejus Jesum Christum, Deum et Dóminum nostrum.
Oremos, ainda pelos pagãos, a fim de que Deus omnipotente lhes arranque dos corações a iniquidade, e, abandonando os seus ídolos, se convertam a Deus vivo e verdadeiro e a seu Filho Unigénito Jesus Cristo, nosso Deus e Senhor.
Orémus.
Oremos.
V. Flectámus génua.
V. Ajoelhemos!
R. Leváte.
R. Levantai-vos!
Omnípotens sempitérne Deus, qui non mortem peccatórum, sed vitam semper inquíris: súscipe propítius oratiónem nostram, et líbera eos ab idolórum cultúra; et ággrega Ecclésiæ tuæ sanctæ, ad laudem et glóriam nóminis tui. Per Dóminum &c. R. Amen.
Omnipotente e eterno Deus, que procurais sempre não a morte dos pecadores mas a sua vida, ouvi benigno a nossa oração, livrai os pagãos do culto aos ídolos e agregai-os à vossa santa Igreja, para honra e glória do vosso nome. Por nosso Senhor &c. R. Amen.

Adoração da Cruz

Veníte, adorémus

Ecce lignum Crucis, in quo salus mundi pependit.
Eis o Lenho da Cruz, do qual pendeu a salvação do mundo!
R. Veníte, adoremus.
R. Vinde, adoremo-lo!
V. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi. V. Quia edúxi te de terra Ægýpti: parásti Crucem Salvatóri tuo.
V. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me! V. Foi por te haver tirado da terra do Egipto que preparaste a Cruz para o teu Salvador?
R. Agios o Theós. R. Sanctus Deus. R. Agios ischyrós. R. Sanctus fortis. R. Agios athánatos, eléison imas. R. Sanctus immortális, miserére nobis.
R. Ó Deus santo! R. Ó Deus santo! R. Ó santo forte! R. Ó santo forte! R. Ó santo imortal, compadecei-Vos de nós! R. Ó santo imortal, compadecei-Vos de nós!
V. Quia edúxi te per desértum quadragínta annis, et manna cibávi te, et introdúxi te in terram satis bonam: parásti Crucem Salvatóri tuo.
V. Foi porque durante quarenta anos te conduzi no deserto, te alimentei com o maná e te introduzi numa terra excelente que preparaste a Cruz para o teu Salvador?
R. Agios o Theós. R. Sanctus Deus. R. Agios ischyrós. R. Sanctus fortis. R. Agios athánatos, eléison imas. R. Sanctus immortális, miserére nobis.
R. Ó Deus santo! R. Ó Deus santo! R. Ó santo forte! R. Ó santo forte! R. Ó santo imortal, compadecei-Vos de nós! R. Ó santo imortal, compadecei-Vos de nós!
V. Quid ultra débui fácere tibi, et non feci? Ego quidem plantávi te víneam meam speciosíssimam: et tu facta es mihi nimis amára: acéto namque sitim meam potásti: et láncea perforásti latus Salvatóri tuo.
V. Que mais por ti pudera fazer, que não tivesse feito? Plantei-te, como vinha especiosíssima! E tu converteste-te para mim na maior amargura: pois com vinagre atravessaste quiseste o mitigar-me lado do teu a sede Salvador!
R. Agios o Theós. R. Sanctus Deus. R. Agios ischyrós. R. Sanctus fortis. R. Agios athánatos, eléison imas. R. Sanctus immortális, miserére nobis.
R. Ó Deus santo! R. Ó Deus santo! R. Ó santo forte! R. Ó santo forte! R. Ó santo imortal, compadecei-Vos de nós! R. Ó santo imortal, compadecei-Vos de nós!
V. Ego propter te flagellávi Ægýptum cum primogénitis suis: et tu me flagellátum tradidísti.
V. Por tua causa flagelei o Egipto em seus primogénitos! E tu entregaste-me para ser flagelado!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego edúxi te de Ægýpto, demérso Pharaóne in Mare Rubrum: et tu me tradidísti princípibus sacerdótum.
V. Tirei-te do Egipto e submergi Faraó nas águas do mar Vermelho! E tu entregaste-me aos príncipes dos sacerdotes!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego ante te apérui mare: et tu aperuísti láncea latus meum.
V. Abri o mar à tua passagem! E tu abriste-me o lado com uma lança!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego ante te præívi in colúmna nubis: et tu me duxísti ad prætórium Piláti.
V. Caminhei diante de ti, como nuvem luminosa! E tu levaste-me ao pretório de Pilatos!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego te pavi manna per desértum: et tu me cecidísti álapis et flagéllis.
V. Com o maná te alimentei no deserto! E tu encheste-me de bofetadas e açoites!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego te potávi aqua salútis de petra: et tu me potásti felle et acéto.
V. Fiz brotar água do rochedo para te saciar! E tu deste-me a beber fel e vinagre!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego propter te Chananæórum reges percússi: et tu percussísti arúndine caput meum.
V. Por tua causa feri os reis dos Cananeus! E tu feriste-me a cabeça com uma cana!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego dedi tibi sceptrum regale: et tu dedísti capiti meo spíneam coronam.
V. Dei-te o ceptro da realeza! E tu colocaste na minha cabeça uma coroa de espinhos!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Ego te exaltávi magna virtúte: et tu me suspendísti in patíbulo Crucis.
V. Elevei-te, revestindo-te com grande poder! E tu suspendeste-me no patíbulo da Cruz!
R. Pópule meus, quid feci tibi? aut in quo contristávi te? respónde mihi.
R. Ó meu povo, que mal te fiz ou em que te contristei? Responde-me!
V. Crucem tuam adorámus, Dómine: et sanctam resurrectiónem tuam laudámus et glorificámus: ecce enim, propter lignum venit gaudium in univérso mundo.
V. Senhor, adoramos a vossa Cruz; louvamos e glorificamos a vossa santa Ressurreição; pois foi por este Lenho que a alegria apareceu em todo o mundo.
Ps. 66, 2 Deus misereátur nostri et benedícat nobis:
Sl. 66, 2 Que Deus tenha piedade de nós e nos abençoe.
R. Illúminet vultum suum super nos et misereátur nostri.
R. Que nos ilumine com o brilho da sua face e seja misericordioso para connosco.
V. Crucem tuam adorámus, Dómine: et sanctam resurrectiónem tuam laudámus et glorificámus: ecce enim, propter lignum venit gáudium in univérso mundo.
V. Senhor, adoramos a vossa Cruz; louvamos e glorificamos a vossa santa Ressurreição; pois foi por este Lenho que a alegria apareceu em todo o mundo.
R. Crux fidélis, inter omnes arbor una nóbilis: nulla silva talem profert fronde, flore, gérmine. Dulce lignum dulces clavos, dulce pondus sústinet.
R. Ó Cruz, em que tenho fé, árvore única, a mais nobre entre todas! Nenhuma floresta produz outra igual, nem nas folhas, nem nas flores, nem nos frutos. Ó amável Lenho, ó cravos sagrados, que segurais um fardo tão precioso!
Hymnus V. Pange, lingua, gloriósi láuream certáminis, et super Crucis trophǽo dic triúmphum nóbilem: quáliter Redémptor orbis immolátus vícerit.
Hino V. Canta, ó língua, os louros do glorioso combate; celebra o nobre triunfo de que a Cruz é o troféu! Canta a vitória que o Redentor do mundo alcançou, se imolando.
R. Crux fidélis, inter omnes arbor una nóbilis: nulla silva talem profert fronde, flore, gérmine.
R. Ó Cruz, em que tenho fé, árvore única, a mais nobre entre todas! Nenhuma floresta produz outra igual, nem nas folhas, nem nas flores, nem nos frutos.
V. De paréntis protoplásti fraude Factor cóndolens, quando pomi noxiális in necem morsu ruit: ipse lignum tunc notávit, damna ligni ut sólveret.
V. Condoído da infelicidade que a sedução trouxe ao nosso primeiro pai, precipitado na morte por haver comido o fruto funesto, o Criador, desde então, designou outra árvore para reparar os males da primeira.
R. Dulce lignum dulces clavos, dulce pondus sústinet.
R. Ó amável Lenho, ó cravos sagrados, que segurais um fardo tão precioso!
V. Hoc opus nostræ salútis ordo depopóscerat: multifórmis proditóris ars ut artem fálleret: et medélam ferret inde, hostis unde lǽserat.
V. Tal obra era necessária para a nossa salvação. A sabedoria divina frustrou deste modo o astuto traidor, vindo-nos o remédio pelo instrumento de que se servira o inimigo para nos ferir.
R. Crux fidélis, inter omnes arbor una nóbilis: nulla silva talem profert fronde, flore, gérmine.
R. Ó Cruz, em que tenho fé, árvore única, a mais nobre entre todas! Nenhuma floresta produz outra igual, nem nas folhas, nem nas flores, nem nos frutos.
V. Quando venit ergo sacri plenitúdo témporis, missus est ab arce Patris Natus, orbis Cónditor: atque ventre virgináli carne amíctus pródiit.
V. Quando veio a plenitude do tempo assinalado, Aquele por quem o mundo foi criado foi mandado do trono do Pai; e, fazendo-se carne em um seio virginal, apareceu neste mundo.
R. Dulce lignum dulces clavos, dulce pondus sústinet.
R. Ó amável Lenho, ó cravos sagrados, que segurais um fardo tão precioso!
V. Vagit Infans inter arcta cónditus præsépia: membra pannis involúta Virgo Mater álligat: et Dei manus pedésque stricta cingit fáscia.
V. Deu os primeiros vagidos deitado em pobre presépio, e a Virgem Mãe cobriu-lhe com panos os delicados membros, ficando cativas com faixas de pano as mãos e os pés de um Deus!
R. Crux fidélis, inter omnes arbor una nóbilis: nulla silva talem profert fronde, flore, gérmine.
R. Ó Cruz, em que tenho fé, árvore única, a mais nobre entre todas! Nenhuma floresta produz outra igual, nem nas folhas, nem nas flores, nem nos frutos.
V. Lustra sex qui jam perégit, tempus implens córporis, sponte líbera Redémptor passióni déditus, Agnus in Crucis levátur immolándus stípite.
V. Depois de haver vivido seis lustros, estando completo o tempo da sua vida mortal, o Redentor entregou-se livremente ao sofrimento. O Cordeiro foi elevado na Cruz para nela ser imolado.
R. Dulce lignum dulces clavos, dulce pondus sústinet.
R. Ó amável Lenho, ó cravos sagrados, que segurais um fardo tão precioso!
V. Felle potus ecce languet: spina, clavi, láncea mite corpus perforárunt, unda manat et cruor: terra, pontus, astra, mundus, quo lavántur flúmine!
V. Eis que na agonia dão-Lhe a beber fel; e os espinhos, os cravos e a lança ferem o seu delicado corpo, donde manam água e sangue. E este digno rio lava a terra, o mar, os astros e o mundo inteiro.
R. Crux fidélis, inter omnes arbor una nóbilis: nulla silva talem profert fronde, flore, gérmine.
R. Ó Cruz, em que tenho fé, árvore única, a mais nobre entre todas! Nenhuma floresta produz outra igual, nem nas folhas, nem nas flores, nem nos frutos.
V. Flecte ramos, arbor alta, tensa laxa víscera, et rigor lentéscat ille, quem dedit natívitas: et supérni membra Regis tende miti stípite.
V. Ó árvore augusta, verga os teus ramos, afrouxa as fibras, quebra a rigidez que te deu a natureza, e torna-te em leito macio para os membros do Rei supremo!
R. Dulce lignum dulces clavos, dulce pondus sústinet.
R. Ó amável Lenho, ó cravos sagrados, que segurais um fardo tão precioso!
V. Sola digna tu fuísti ferre mundi víctimam: atque portum præparáre arca mundo náufrago: quam sacer cruor perúnxit, fusus Agni córpore.
V. Só tu foste julgada digna de sustentar em teus braços a Vítima do mundo. Para este mundo naufragado, tu, banhada pelo sangue do divino Cordeiro, foste o primeiro piloto que o conduziu ao porto.
R. Crux fidélis, inter omnes arbor una nóbilis: nulla silva talem profert fronde, flore, gérmine.
R. Ó Cruz, em que tenho fé, árvore única, a mais nobre entre todas! Nenhuma floresta produz outra igual, nem nas folhas, nem nas flores, nem nos frutos.
V. Sempitérna sit beátæ Trinitáti glória: æqua Patri Filióque; par decus Paráclito: Uníus Triníque nomen laudet univérsitas. R. Amen.
V. Glória eterna à bem-aventurada Trindade; igual homenagem ao Pai, e ao Filho, e ao Paráclito. Que o nome de Deus uno e trino seja louvado em todo o orbe. R. Amen.
R. Dulce lignum dulces clavos, dulce pondus sústinet.
R. Ó amável Lenho, ó cravos sagrados, que segurais um fardo tão precioso!

Missa dos Pré-Santificados

Conduz-se Processionalmente a Divina Hóstia para o Altar onde se celebra o Ofício. Entretanto, canta-se o Hino:

Vexilla Regis

Vexílla Regis pródeunt: Fúlget Crucis mystérium, Qua vita mortem pértulit, Et morte vitam prótulit.
Ó nobre estandarte do Rei dos reis, ó misteriosa Cruz, aparece agora, pois a vida sofreu a morte, e pela sua morte nos deu a vida!
Quæ, vulneráta lánceæ Mucróne diro, críminum Ut nos laváret sórdibus, Manávit unda et sánguine.
Do seu lado, ferido pela cruel lança, correm a água e o sangue, destinados a lavrar a nódoa dos nossos crimes.
Impléta sunt quæ cóncinit David fidéli cármine, Dicéndo natiónibus : Regnávit a ligno Deus.
Cumpriu-se o oráculo de David, que nos seus cânticos inspirados havia anunciado às nações: «Deus reinará pelo madeiro».
Arbor decóra et fúlgida, Ornáta Regis púrpura, Elécta digno stípite Tam sancta membra tángere.
Sois bela e brilhante de gloória, ó árvore enaltecida com a púrpura do Rei: tronco escolhido e julgado digno de tocar nos membros dos santos.
Beáta, cuius bráchiis Prétium pepéndit sǽculi, Statéra facta córporis, Tulítque prædam tártari.
Ó feliz Cruz, de cujos braços pendeu o penhor do mundo! Fostes a balança que pesou o Corpo, cujo peso arrancou ao inferno a sua presa!
O Crux, ave, spes única, Hoc Passiónis témpore Piis adáuge grátiam, Reísque dele crímina.
Salve, ó Cruz, nossa única esperança, nestes dias consagrados a honrar a Paixão do Salvador concedei aos justos aumento da graça e aos pecadores apagai seus crimes.
Te, fons salútis, Trínitas, Colláudet omnis spíritus : Quibus Crucis victóriam Largíris, adde prǽmium. Amen.
Que todos os espíritos cantem vossos louvores, ó Trindade, fonte da nossa salvação. Vós, que nos dais a vitória pela Cruz, dignai-Vos aumentá-la com a recompensa. Amen.
In spiritu humilitátis et in ánimo contríto suscipiámur a te, Dómine: et sic fiat sacrifícium nostrum in conspéctu tuo hódie, ut pláceat tibi, Dómine Deus.
Com o espírito humilhado e com o coração contrito, Senhor, Vos pedimos, dignai-Vos receber-nos, para que este sacrifício seja feito hoje na vossa presença e de modo que Vos seja agradável.
Oráte, fratres, ut meum ac vestrum sacrifícium acceptábile fiat apud Deum Patrem omnipoténtem.
Orai, meus irmãos, a fim de que este meu sacrifício, que é também vosso, seja agradável a Deus, Pai omnipotente.
Orémus.
Oremos.
Percéptio Córporis tui, Dómine Jesu Christe, quod ego indígnus súmere præsúmo, non mihi provéniat in judícium et condemnatiónem: sed pro tua pietáte prosit mihi ad tutaméntum mentis et córporis, et ad medélam percipiéndam: Qui vivis et regnas &c.
Senhor Jesus Cristo, que este vosso Corpo, que eu, ainda que indignamente, me proponho receber, não seja para meu juízo e condenação; mas que, pela vossa misericórdia, sirva à minha alma e ao meu corpo de defesa e de remédio salutar. Vós, que, sendo Deus &c.
Panem cœléstem accípiam, et nomen Dómini invocábo.
Tomarei o Pão Celestial e invocarei o nome do Senhor.
Dómine, non sum dignus, ut intres sub tectum meum: sed tantum dic verbo, et sanábitur ánima mea.
Senhor, não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e minha alma será salva.
Corpus Dómini nostri Jesu Christi custódiat ánimam meam in vitam ætérnam. Amen.
Que o corpo de N. S. Jesus Cristo guarde a minha alma para a vida eterna. Amen.
Quod ore súmpsimus, Dómine, pura mente capiámus: et de múnere temporáli fiat nobis remédium sempitérnum.
Concedei-nos, Senhor, que conservemos com pureza de coração o que acaba de receber a nossa boca; e que esta dádiva temporal, que nos fizestes, se torne para nós em um remédio eterno.

Sábado Santo Estação em S. João de Latrão

Oração

Deus, qui per Fílium tuum, angulárem scílicet lápidem, claritátis tuæ ignem fidélibus contulísti: prodúctum e sílice, nostris profutúrum úsibus, novum hunc ignem sanctí fica: et concéde nobis, ita per hæc festa paschália cœléstibus desidériis inflammári; ut ad perpétuæ claritátis, puris méntibus, valeámus festa pertíngere. Per eúndem Christum, Dóminum nostrum. Amen.
Ó Deus, que pelo vosso Filho, que é a pedra angular da Igreja, fizestes resplandecer diante dos fiéis as chamas do fogo da vossa caridade, santificai este lume novo, que fizemos sair da pederneira, a fim de servir para nosso uso; e concedei-nos durante estas festas pascais que sejamos inflamados em santos desejos dos bens celestiais, de, tal sorte que com os corações purificados possamos chegar às festividades, onde se goza a luz perpétua. Pelo mesmo Cristo, nosso Senhor. Amen.

Oração

Dómine Deus, Pater omnípotens, lumen indefíciens, qui es cónditor ómnium lúminum: béne dic hoc lumen, quod a te sanctificátum atque benedíctum est, qui illuminásti omnem mundum: ut ab eo lúmine accendámur, atque illuminémur igne claritátis tuæ: et sicut illuminásti Móysen exeúntem de Ægýpto, ita illúmines corda, et sensus nostros; ut ad vitam et lucem ætérnam perveníre mereámur. Per Christum, Dóminum nostrum. R. Amen.
Senhor Deus, Pai omnipotente, Luz eterna e Criador de todas as luzes, abençoai este lume, que por Vós foi santificado e abençoado quando iluminastes com ele o mundo inteiro; fazei sair dele uma luz divina, que nos ilumine e abrase no fogo da vossa caridade; e, assim como iluminastes Moisés, quando saiu do Egipto, assim também iluminai agora os nossos corações e os nossos espíritos, para que mereçamos alcançar a vida e a luz eternas. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amen.

Oração

Dómine s