Missas de Requiem

No dia do óbito ou do Funeral

Como na Comemoração dos Fiéis Defuntos, excepto:

Oração

Deus, cui próprium est miseréri semper et párcere, te súpplices exorámus pro ánima fámuli tui N. (fámulæ tuæ N.), quam hódie de hoc sǽculo migráre jussísti: ut non tradas eam in manus inimíci, neque obliviscáris in finem, sed júbeas eam a sanctis Angelis suscipi et ad pátriam paradísi perdúci; ut, quia in te sperávit et crédidit, non pœnas inférni sustíneat, sed gáudia ætérna possídeat. Per Dóminum &c.
Ó Deus, de quem é próprio sempre usar de misericórdia e perdoar, Vos rogamos humildemente pela alma do vosso servo (ou vossa serva) N. que mandastes sair deste mundo: a não abandoneis, Senhor, nas mãos do inimigo, nem a esqueçais para sempre, mas dignai-Vos ordenar aos vossos Santos Anjos que a acolham e introduzam na pátria do paraíso, a fim de que, depois de haver acreditado e esperado em Vós, não seja condenada ao sofrimento das penas do inferno, mas goze as alegrias eternas. Por nosso Senhor &c.

Epístola 1 Ts. 4, 13-18

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Thessalonicénses.
Lição da Ep.ª do B. Ap.º Paulo aos Tessalonicenses.
Fratres: Nólumus vos ignoráre de dormiéntibus, ut non contristémini, sicut et céteri, qui spem non habent. Si enim crédimus, quod Jesus mórtuus est et resurréxit: ita et Deus eos, qui dormiérunt per Jesum, addúcet cum eo. Hoc enim vobis dícimus in verbo Dómini, quia nos, qui vívimus, qui resídui sumus in advéntum Dómini, non præveniémus eos, qui dormiérunt. Quóniam ipse Dóminus in jussu, et in voce Archángeli, et in tuba Dei descéndet de cœlo: et mórtui, qui in Christo sunt, resúrgent primi. Deinde nos, qui vívimus, qui relínquimur, simul rapiémur cum illis in núbibus óbviam Christo in aëra, et sic semper cum Dómino érimus. Itaque consolámini ínvicem in verbis istis.
Meus irmãos: Não queremos que ignoreis o que diz respeito aos mortais, para que vos não sepulteis na tristeza, como aqueles que não têm esperança; pois se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, devemos também acreditar (acreditemos também) que Deus reunirá a Jesus aqueles que morrem n’Ele. Eis o que vos ensinamos em nome do Senhor; nós, os vivos, que estamos reservados para a vinda do Senhor, não precederemos aqueles que antes adormeceram. Porquanto o mesmo Senhor, desde que tenham soado a voz do Anjo e a trombeta divina, descerá do céu, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiramente; em seguida nós, os vivos, que ficámos na terra, então, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens pelos ares, ao encontro de Cristo, e permaneceremos eternamente com o Senhor. Confortai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.

Evangelho Jo. 11, 21-27

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Dixit Martha ad Jesum: Dómine, si fuísses hic, frater meus non fuísset mórtuus: sed et nunc scio, quia, quæcúmque popósceris a Deo, dabit tibi Deus. Dicit illi Jesus: Resúrget frater tuus. Dicit ei Martha: Scio, quia resúrget in resurrectióne in novíssimo die. Dixit ei Jesus: Ego sum resurréctio et vita: qui credit in me, étiam si mórtuus fúerit, vivet: et omnis, qui vivit et credit in me, non moriétur in ætérnum. Credis hoc? Ait illi: Utique, Dómine, ego crédidi, quia tu es Christus, Fílius Dei vivi, qui in hunc mundum venísti.
Naquele tempo, disse Maria a Jesus: «Senhor, se estivésseis aqui, meu irmão não teria morrido; mas também agora sei que este mesmo Deus Vos concederá tudo quanto Lhe pedirdes». Respondeu-lhe Jesus: «O teu irmão ressuscitará». Marta disse-Lhe: «Bem sei que ressuscitará na ressurreição do último dia». Então Jesus continuou: «Eu sou a ressurreição e a vida; aquele que acredita em mim, ainda que haja morrido, viverá. Aquele que vive e crê em mim não morrerá eternamente. Acreditas nisto?». Ela respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo, que viestes a este mundo».

Secreta

Propitiáre, quǽsumus, Dómine, ánimæ famuli tui N. (fámulæ tuæ N.), pro qua hóstiam laudis tibi immolámus, majestátem tuam supplíciter deprecántes: ut, per hæc piæ placatiónis offícia, perveníre mereátur ad réquiem sempitérnam. Per Dóminum nostrum &c.
Vos suplicamos, Senhor, tende piedade da alma do vosso servo (ou vossa serva) N., em favor da qual Vos oferecemos esta hóstia de louvor, suplicando humildemente à vossa majestade que, por intercessão deste sacrifício de expiação, lhe concedais o descanso eterno. Por nosso Senhor &c.

Postcomúnio

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut ánima fámuli tui N. (fámulæ tuæ N.), quæ hódie de hoc sǽculo migrávit, his sacrifíciis purgáta et a peccátis expedíta, indulgéntiam páriter et réquiem cápiat sempitérnam. Per Dóminum nostrum &c.
Ó Deus omnipotente, Vos suplicamos, concedei-nos que a alma do vosso servo (ou vossa serva) N., que deixou hoje este mundo, uma vez purificada e livre dos seus pecados pela virtude deste sacrifício, alcance misericordiosamente de Vós o perdão das culpas e o repouso eterno. Por nosso Senhor &c.

No 3.º, 7.º ou 30.º dia do Óbito

Como na Missa precedente, página diadeobito, excepto:

Oração

Quǽsumus, Dómine, ut ánimæ fámuli tui N. (fámulæ tuæ N.), cujus depositiónis diem tértium (vel séptimum, vel trigésimum) commemorámus, Sanctórum atque electórum tuórum largíri dignéris consórtium: et rorem misericórdiæ tuæ perénnem infúndas. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos suplicamos, permiti que a alma do vosso servo (ou vossa serva) N., cujo... (terceiro ou sétimo ou trigésimo) dia da deposição comemoramos, vá gozar a companhia dos vossos Santos escolhidos; e espalhai sobre ela o orvalho perpétuo da vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Secreta

Múnera, quǽsumus, Dómine, quæ tibi pro ánima fámuli tui N. (fámulæ tuæ N.) offérimus, placátus inténde: ut, remédiis purgáta cœléstibus, in tua pietáte requiéscat. Per Dóminum &c.
Aceitai benignamente, Senhor, Vos imploramos, as oblatas que Vos oferecemos pela alma do vosso servo (ou vossa serva) N., a fim de que, purificada com estes remédios celestiais, descanse no seio da vossa misericórdia. Por nosso Senhor &c.

Postcomúnio

Súscipe, Dómine, preces nostras pro ánima fámuli tui N. (fámulæ tuæ N.): ut, si quæ ei máculæ de terrénis contágiis adhæsérunt, remissiónis tuæ misericórdia deleántur. Per Dóminum &c.
Recebei, Senhor, estas nossas preces, que Vos oferecemos em favor da alma do vosso servo (ou vossa serva) N., a fim de que, se ainda está contaminada com algumas nódoas contraídas com o contágio deste mundo, todas sejam apagadas com vosso misericordioso perdão. Por nosso Senhor &c.

No dia do Aniversário

Como na Comemoração dos Fiéis Defuntos, página fieisdefuntos, excepto:

Oração

Deus, indulgentiárum Dómine: da ánimæ famuli tui N. (fámulæ tuæ N., vel animábus famulórum famularúmque tuárum), cujus (quorum) anniversárium depositiónis diem commemorámus, refrigérii sedem, quiétis beatitúdinem et lúminis claritátem. Per Dóminum &c.
Ó Deus, Senhor das misericórdias, concedei às almas do vosso servo (ou vossa serva N.), de cujo dia da morte celebramos o aniversário, o lugar do refrigério, a bem-aventurança do repouso e o esplendor da luz. Por nosso Senhor &c.

Epístola 2 Mac. 12, 43-46

Léctio libri Machabæórum.
Lição do livro dos Macabeus.
In diébus illis: Vir fortíssimus Judas, facta collatióne, duódecim mília drachmas argénti misit Jerosólymam, offérri pro peccátis mortuórum sacrifícium, bene et religióse de resurrectióne cógitans (nisi enim eos, qui cecíderant, resurrectúros speráret, supérfluum viderétur et vanum oráre pro mórtuis): et quia considerábat, quod hi, qui cum pietáte dormitiónem accéperant, óptimam habérent repósitam grátiam. Sancta ergo et salúbris est cogitátio pro defunctis exoráre, ut a peccátis solvántur.
Naqueles dias, um varão forte chamado Judas, havendo feito um peditório, recolheu a quantia de doze mil dracmas de prata, que enviou para Jerusalém, para ser oferecido um sacrifício pelos pecados dos mortos; pois ele possuía bons e religiosos pensamentos acerca da ressurreição (e, com efeito, se ele não esperasse que aqueles que haviam sucumbido ressuscitassem um dia, teria pensado que era vão e supérfluo orar pelos mortos). Assim, acreditava que abundante misericórdia estava reservada para aqueles que morressem piedosamente. Na verdade, é um santo e salutar pensamento orar pelos mortos, para que sejam livres dos seus pecados.

Evangelho Jo. 6, 37-40

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Dixit Jesus turbis Judæórum: Omne, quod dat mihi Pater, ad me véniet: et eum, qui venit ad me, non ejíciam foras: quia descéndi de cælo, non ut fáciam voluntátem meam, sed voluntátem ejus, qui misit me. Hæc est autem volúntas ejus, qui misit me, Patris: ut omne, quod dedit mihi, non perdam ex eo, sed resúscitem illud in novíssimo die. Hæc est autem volúntas Patris mei, qui misit me: ut omnis, qui videt Fílium et credit in eum, hábeat vitam ætérnam, et ego resuscitábo eum in novíssimo die.
Naquele tempo, disse Jesus à multidão dos judeus: «Todo o que o Pai me dá, virá a mim; e o que vem a mim o não desprezarei; porquanto desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas de quem me enviou. Ora, a vontade de meu Pai, que me enviou, é que não perca nenhum daqueles que me deu, mas que os ressuscite no último dia. Esta é a vontade de meu Pai, que me enviou: que todo aquele que vê o Filho e acredita n’Ele alcance a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia».

Secreta

Propitiáre, Dómine, supplicatiónibus nostris, pro anima famuli tui N. (fámulæ tuæ N., vel animábus famulórum famularúmque tuárum), cujus (quorum) hódie ánnua dies ágitur: pro qua (quibus) tibi off érimus sacrifícium laudis; ut eam (eas) Sanctórum tuórum consórtio soci áre dignéris. Per Dóminum &c.
Sede propício, Senhor, às nossas súplicas em favor da alma do vosso servo (ou vossa serva) N., cujo aniversário da sua morte hoje comemoramos; nós Vos oferecemos por ela este sacrifício de louvor, a fim de que Vos digneis admiti-la na companhia dos vossos santos. Por nosso Senhor &c.

Postcomúnio

Præsta, quǽsumus, Dómine: ut ánima fámuli tui N. (fámulæ tuæ N., vel ánimæ famulórum famularúmque tuárum), cujus (quorum) anniversárium depositiónis diem commemorámus; his purgáta (purgátæ) sacrifíciis, indulgéntiam páriter et réquiem cápiat (cápiant) sempitérnam. Per Dóminum &c.
Senhor, Vos rogamos, permiti que a alma do vosso servo (ou vossa serva) N., cujo aniversário da sua morte hoje comemoramos, havendo sido purificada pela virtude destes sacrifícios, receba ao mesmo tempo a indulgência e o sempiterno perdão. Por nosso Senhor &c.

Quotidiana

Como na Comemoração dos Fiéis Defuntos, página fieisdefuntos, excepto:

Oração Bispos e Padres

Deus, qui inter apostólicos Sacerdotes fámulos tuos pontificáli seu sacerdotáli fecísti dignitáte vigére: præsta, quǽsumus; ut eórum quoque perpetuo aggregéntur consórtio. Per Dóminum &c.
Ó Deus, que elevastes os vossos servos à dignidade de Pontífices e de Presbíteros, permitindo-lhes que tomassem parte no sacerdócio dos Apóstolos, concedei-lhes, Vos suplicamos, a graça de gozarem com eles a glória eterna. Por nosso Senhor &c.

Oração Irmãos, Parentes e Benfeitores

Deus, véniæ largítor et humánæ salútis amátor: quǽsumus cleméntiam tuam; ut nostræ congregatiónis fratres, propínquos et benefactóres, qui ex hoc sǽculo transiérunt, beáta María semper Vírgine intercedénte cum ómnibus Sanctis tuis, ad perpétuæ beatitúdinis consórtium perveníre concédas. Per Dóminum. &c.
Ó Deus, que perdoais aos pecadores e desejais a salvação dos homens, imploramos a vossa clemência, por intercessão da bem-aventurada Maria, sempre Virgem, e de todos os Santos, em favor dos nossos irmãos, parentes e benfeitores, que saíram deste mundo, a fim de que alcancem a bem-aventurança eterna. Por nosso Senhor &c.

Oração Fiéis

Fidélium, Deus, ómnium Cónditor et Redémptor: animábus famulórum famularúmque tuárum remissiónem cunctórum tríbue peccatórum; ut indulgéntiam, quam semper optavérunt, piis supplicatiónibus consequántur: Qui vivis &c.
Ó Deus, criador e redentor de todos os fiéis, concedei às almas dos vossos servos e servas a remissão de todos seus pecados, a fim de que pelas nossas humilíssimas orações alcancem da vossa misericórdia o perdão que sempre desejaram. Ó Vós, que, sendo Deus, viveis e &c.

Epístola Ap. 14, 13

Léctio libri Apocalýpsis beáti Joánnis Apóstoli.
Lição do Apocalipse do B. Ap.º João.
In diébus illis: Audívi vocem de cœlo, dicéntem mihi: Scribe: Beáti mórtui, qui in Dómino moriúntur. Amodo jam dicit Spíritus, ut requiéscant a labóribus suis: ópera enim illórum sequúntur illos.
Naqueles dias, ouvi uma voz do céu que me dizia: «Escreve: Bem-aventurados os mortos, que morrem no Senhor; porquanto, diz o Espírito, eles vão logo descansar no Senhor, visto que suas obras os acompanham».

Gradual 4 Esd. 2, 34 & 35

Réquiem ætérnam dona eis, Dómine: et lux perpétua lúceat eis. V. Ps. 111, 7 In memória ætérna erit justus: ab auditióne mala non timébit.
Dai-lhes, Senhor, o eterno repouso, e que lhes resplandeça a luz perpétua. V. Sl. 111, 7 A recordação do homem justo permanecerá eternamente; este não temerá ouvir as sentenças más dos homens.

Trato

Absólve, Dómine, ánimas ómnium fidélium defunctórum ab omni vínculo delictórum. V. Et grátia tua illis succurrénte, mereántur evádere judícium ultiónis. V. Et lucis ætérnæ beatitúdine pérfrui.
Livrai, Senhor, as almas dos fiéis defuntos das cadeias dos seus pecados: V. E que com o socorro da vossa graça consigam evitar o juízo da vingança: V. E alcancem a bem-aventurança da luz eterna.

Evangelho Jo. 6, 51-55

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.
Continuação do santo Evangelho segundo S. João.
In illo témpore: Dixit Jesus turbis Judæórum: Ego sum panis vivus, qui de cœlo descéndi. Si quis manducáverit ex hoc pane, vivet in ætérnum: et panis, quem ego dabo, caro mea est pro mundi vita. Litigábant ergo Judǽi ad ínvicem, dicéntes: Quómodo potest hic nobis carnem suam dare ad manducándum? Dixit ergo eis Jesus: Amen, amen, dico vobis: nisi mandu-cavéritis carnem Fílii hóminis et bibéritis ejus sánguinem, non habébitis vitam in vobis. Qui mánducat meam carnem et bibit meum sánguinem, habet vitam ætérnam: et ego resuscitábo eum in novíssimo die.
Naquele tempo, disse Jesus às turbas dos judeus: «Eu sou o pão vivo, que desci do céu. Se alguém comer deste pão, viverá eternamente; pois o pão que dou é a minha carne para a vida do mundo». Porém os judeus discutiam uns com os outros, dizendo: «Como pode Ele dar-nos a comer a sua carne?». Jesus respondeu-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia».

Secreta Bispos e Padres

Súscipe, Dómine, quǽsumus, pro animábus famulórum tuórum Pontíficum seu Sacerdótum, quas offérimus, hóstias: ut, quibus in hoc sǽculo pontificále seu sacerdotále donásti méritum, in cœlésti regno Sanctórum tuórum júbeas jungi consórtio. Per Dóminum &c.
Aceitai, Senhor, Vos rogamos, a hóstia que Vos oferecemos pelas almas dos vossos servos Pontífices e Presbíteros, e ordenai que aqueles a quem neste mundo concedestes a dignidade de Pontífices e de Presbíteros sejam admitidos no reino celestial a compartilhar da felicidade dos vossos Santos. Por nosso Senhor &c.

Secreta Irmãos, Parentes e Benfeitores

Deus, cujus misericórdiæ non est númerus, súscipe propítius preces humilitátis nostræ: et animábus fratrum, propinquórum et benefactórum nostrórum, quibus tui nóminis dedísti confessiónem, per hæc sacraménta salútis nostræ, cunctórum remissiónem tríbue peccatórum. Per Dóminum. &c.
Ó Deus, cuja misericórdia é infinita, ouvi benigno as nossas humildes preces, e concedei, pela virtude deste sacramento da nossa salvação, o perdão dos seus pecados às almas dos nossos irmãos, parentes e benfeitores, aos quais permitistes a graça de confessarem o vosso nome. Por nosso Senhor &c.

Secreta Fiéis

Hóstias, quǽsumus, Dómine, quas tibi pro animábus famulórum famularúmque tuárum offérimus, propitiátus inténde: ut, quibus fídei christiánæ méritum contulísti, dones et prǽmium. Per Dóminum nostrum &c.
Olhai benigno, Senhor, Vos suplicamos, para a hóstia que Vos oferecemos pelas almas dos vossos servos, a fim de que, depois de lhes haverdes concedido o dom da fé cristã, lhes proporcioneis a recompensa. Por nosso Senhor &c.

Postcomúnio Bispos e Padres

Prosit, quǽsumus, Dómine, animábus famulórum tuórum Pontíficum seu Sacerdótum misericórdiæ tuæ imploráta cleméntia: ut ejus, in quo speravérunt et credidérunt, ætérnum cápiant, te miseránte, consórtium. Per Dóminum nostrum &c.
Senhor, tornai úteis às almas dos Pontífices e dos Presbíteros, vossos servos, as orações com que imploramos a vossa misericordiosa bondade, a fim de que Vós, em quem eles puseram a fé e a esperança, os associeis à vossa eterna e gloriosa companhia. Por nosso Senhor &c.

Postcomúnio Irmãos, Parentes e Benfeitores

Præsta, quǽsumus, omnípotens et miséricors Deus: ut ánimæ fratrum, propinquórum et benefactórum nostrórum, pro quibus hoc sacrifícium laudis tuæ obtúlimus majestáti; per hujus virtútem sacraménti a peccátis ómnibus expiátæ, lucis perpétuæ, te miseránte, recípiant beatitúdinem. (Per Dóminum nostrum.) &c.
Ó Deus omnipotente e misericordioso, Vos pedimos, concedei às almas dos nossos irmãos, parentes e benfeitores, pelos quais oferecemos à vossa majestade este sacrifício de louvor, a graça de alcançarem da vossa misericórdia, pela virtude deste sacramento, a expiação dos pecados e a felicidade da luz eterna. Por nosso Senhor &c.

Postcomúnio Fiéis

Animábus, quǽsumus, Dómine, famulórum famularúmque tuárum orátio profíciat supplicántium: ut eas et a peccátis ómnibus éxuas, et tuæ redemptiónis fácias esse partícipes: Qui vivis &c.
Que as nossas humildes preces sejam proveitosas às almas dos vossos servos e servas, a fim de que, livres das cadeias dos seus pecados, participem dos frutos da vossa redenção. Por nosso Senhor &c.